Políticos caem na putaria em boate durante 25ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília, e pagam até R$ 2 mil por sexo

A coluna Na Mira, do site Metrópoles, destaca que uma comitiva de políticos se divertiu muito em uma boate a 800 metros da Esplanada dos Ministérios, na madrugada da quarta-feira (22). Alguns chegaram a pagar até R$ 2 mil por sexo.

garota de programa, sexo, putaria

Foto: Pixabay/Ilustrativa

Políticos têm aproveitado a 25ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília, para cair na putaria com garotas de programa em boates da região. A coluna Na Mira, do site Metrópoles, destaca que uma comitiva de prefeitos se divertiu muito em uma boate a 800 metros da Esplanada dos Ministérios, na madrugada da quarta-feira (22). Segundo a coluna, essa é uma praxe depois das agendas oficiais da Marcha dos Prefeitos.

A coluna mostra que assessores encorajavam os prefeitos a abraçar e beijar as garotas de programa que faziam strip-tease na boate e que alguns gastaram sem dó durante a diversão.

Já é notícia corrente que a Marcha dos Prefeitos movimenta a noite de Brasília e que as prostitutas já esperam faturar bem nesse período em que os gestores partem para a capital federal para compromissos políticos, mas também, para as “noitadas”. E, nesta última edição, não foi diferente.

A coluna Na Mira apurou que uma hora de sexo com as garotas de programa a trabalho no local estava custando entre R$ 1 e R$ 2 mil.

 

Em Carnaíba, a movimentação da oposição ganha força e permanece firme e em crescimento

 

Após o fechamento do prazo de filiação que contou com grandes adesões, hoje mais uma liderança declarou apoio ao movimento liderado por Ilma Valério e Gleybson Martins em Carnaíba, no Sertão do Pajeú.

Trata-se de Roberto, irmão do atual vice-prefeito Júnior de Mocinha. A adesão de Roberto enfraquece o grupo da atual gestão, que ainda não anunciou oficialmente o candidato à sucessão de Anchieta Patriota.

“Estamos felizes com mais essa adesão e de braços abertos para receber mais pessoas. Não estamos fazendo campanha contra ninguém; estamos apresentando um movimento originalmente carnaibano para fazer uma reparação em nossa história, onde a presença de uma mulher à frente do poder público foi suprimida por 70 anos. Seguirei apresentando nosso projeto e ouvindo as pessoas para a construção de um plano de governo sólido e realizável, de acordo com as necessidades de nossa gente”, afirmou Ilma Valério.

Em PE: PF indicia e aponta ex-chefe do Gabinete de Projetos Estratégicos do Estado como ‘chefe da organização criminosa’

A Polícia Federal indiciou o ex-secretário de Projetos Estratégicos do governo Paulo Câmara Renato Xavier Thiebaut pela prática do crime de corrupção passiva, em três episódios, a partir de investigações originadas em operações policiais deflagradas durante a pandemia (como Casa de Papel, Articulata e Payback).

 

De acordo com o relatório, questionado na Justiça Federal pela defesa de Renato Thiebaut, o ex-secretário seria o “líder da organização criminosa”.

No documento, a Polícia Federal afirma que “informações de inteligência dão conta de que Renato Xavier Thiebaut é tido como o responsável por cobrar e operacionalizar as propinas dos fornecedores do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife, valendo-se, para tanto, dentre outras pessoas, de Luciano Cyreno Ferraz, como arrecadador dos recursos”.

Conforme as investigações, haveria relação direta entre contratos existentes entre as gestões do PSB em Pernambuco e no Recife junto a empresas lideradas pelo empresário Sebastião Figueiroa.

Pelo que é relatado, ainda em junho de 2020, com a Operação Casa de Papel, a PF teria identificado contratações sem licitação da Prefeitura do Recife com empresas gráficas do grupo de Figueiroa.

A partir daí, mais duas operações investigaram as relações de Renato Thiebaut na gestão estadual durante o mandato do ex-governador Paulo Câmara.

“Facilmente se percebe que, desde que Renato Xavier Thiebaut assumiu o cargo de Chefe do Gabinete de Projetos Estratégicos, em 2015, houve um incremento substancial nas contratações das empresas controladas pela organização criminosa liderada por Sebastião Figueiroa por parte de órgãos públicos estaduais”, registra o relatório.

As provas utilizadas pela Polícia incluem transcrições de mensagens no Whatsapp, quebra de sigilo bancário e depoimentos, entre outras.

“Thiebaut atuou como coordenador de campanhas eleitorais de candidatos do PSB à Prefeitura do Recife (Geraldo Júlio), ao Governo do Estado (Paulo Câmara) e ainda à disputa de Eduardo Campos à Presidência da República em 2014, demonstrando que ele permeia os meandros políticos há bastante tempo”, historia o relatório.

A peça afirma ainda o ex-secretário também ocupou a chefia do Escritório de Representação do Estado em Brasília e a chefia de Gabinete nos governos de Eduardo Campos (PSB).

Renato Xavier Thiebaut foi indiciado pelo cometimento do suposto crime de corrupção passiva (Art. 317 do Código Penal) por três vezes, segundo o relatório: “pela reforma gratuita do seu apartamento, executada por Luciano Cyreno Ferraz”, “pelos pagamentos efetuados por Luciano Ferraz e Sebastião Figueiroa relativos à reforma do Chalé de Gravatá” e pelo “aporte de contrato social custeado por Luciano Cyreno Ferraz em favor de Renato Xavier Thiebaut”.

O indiciamento e o relatório final – datados de 13 de setembro de 2023 – vieram à tona após a defesa de Renato Xavier Thiebaut questionar – em 23 de fevereiro deste ano -, na Justiça Federal, detalhes do referido relatório, a exemplo de quais contratos objetivamente a Polícia Federal se refere e também “Quem são as fontes humanas que teriam atribuído a Renato Xavier Thiebaut a “figura central no esquema criminoso” investigado nos presentes autos”.

A petição criminal segue em tramitação no âmbito da 13ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, ainda sem conclusão. (Via: Blog do Jamildo)

Primeira-dama posta vídeo íntimo e se explica:”Costumo mandar nudes para meu marido”; Assista

 

A primeira-dama do município de Arari, no Maranhão, Ingrid Andrade, postou um vídeo nas redes sociais na última quarta-feira (06), explicando a publicação recente de um vídeo íntimo dela. 

Na publicação, que ficou disponível por alguns minutos, a esposa do prefeito Rui Fernandes (PTB) aparece seminua em uma banheira de espuma.
“Eu realmente costumo mandar vários nudes para o meu marido, ainda mais quando ele não está em casa”, disse a primeira-dama. “Ele gosta de me pedir fotos, acho isso super normal”, completou Ingrid, que também é influenciadora digital. (Assista abaixo).

 

Após aprovação de marco temporal, Pacheco diz que cabe ao Congresso legislar

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), reforçou o papel do Congresso Nacional na aprovação de leis pouco antes de encerrar a sessão de quarta-feira (27), na qual a Casa aprovou o projeto de lei que estabelece um marco temporal para a demarcação de terras indígenas.

“Nós não podemos nos omitir daquilo que é o nosso dever, que é legislar. A definição das normas e das leis de um país passam necessariamente pelo Congresso Nacional”, disse Pacheco.

“O que nós fazemos hoje é tão somente a afirmação legislativa em relação a um tema que vem sendo debatido ao longo de anos no Congresso Nacional, e precisou ser submetido neste momento em função da vontade da maioria, que é algo sagrado dentro de uma casa legislativa”, acrescentou.

A votação vai no sentido contrário de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, na semana passada, derrubou, por 9 votos a 2, a tese do marco temporal. E aumenta a tensão entre Legislativo e Judiciário, que discutem mais de um tema de maneira divergente e simultânea.

Pacheco ainda disse: “A declaração de constitucionalidade ou não, e a aplicação desse direito nos casos concretos que são submetidos ao Judiciário tem, na última instância, o Supremo Tribunal Federal, com seu dever de reconhecer constitucionalidade ou inconstitucionalidade e julgar casos concretos. Evidente que nós reconhecemos isso.”

E reforçou que “o plenário do Senado afirma, através da maioria, o que é a vontade da casa legislativa e, consequentemente, a vontade da sociedade brasileira”.

Tensão entre Legislativo e Judiciário

O Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) têm protagonizado debates simultâneos sobre seis temas e os tratados de maneiras divergentes.

Além do marco temporal, Judiciário e Legislativo também discutem de forma simultânea:

– Descriminalização do aborto;

– Descriminalização do porte de drogas;

– Imposto sindical, também conhecido como contribuição sindical;

– Quociente eleitoral, também chamadas de “sobras” eleitorais;

– Casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Fonte: CNN

4° Bazar Solidário da ONG Chapada vai ser realizado em Araripina no próximo mês

Nos dias 6 e 7 de outubro, a ONG Chapada realiza em Araripina o 4° Bazar Solidário da instituição. As mercadorias que serão ofertadas foram doadas pela Receita Federal para que a ONG arrecade recursos visando o desenvolvimento de suas ações, como o apoio à agricultura familiar.

O bazar vai oferecer equipamentos eletrônicos, perfumaria, celulares, relógios, entre outros produtos. Todos terão preço acessível, possibilitando que pessoas de baixa renda possam adquiri-los, dando uma contribuição à ONG.

A ação será realizada na Rua Ana Ramos Lacerda, n° 89, no Centro da maior cidade do Araripe, onde fica a sede da organização social.

Caso Miguel: Justiça condena patrões de Mirtes a pagarem R$ 2 milhões por trabalho na pandemia

‘Meu foco é justiça pela morte do meu filho’, disse mãe do menino. Decisão afirma que patrões assumiram risco de eventuais danos contra criança. Defesa informou que vai recorrer.

Sergio Hacker e Sari Corte Real eram patrões da mãe e avó de Miguel Otávio (Foto: Reprodução/WhatsApp)

 

O Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6) condenou o ex-prefeito de Tamandaré Sergio Hacker Corte Real (PSB) e a esposa dele, Sarí Mariana Costa Gaspar Corte Real, a indenizar em R$ 2,01 milhões a família do menino Miguel, que morreu ao cair do 9º andar do prédio de luxo onde o casal morava, no Centro do Recife. A defesa do casal informou que vai recorrer da nova sentença.

Em outro processo, no âmbito criminal, Sarí, que estava responsável pelo menino quando ele caiu do prédio, foi condenada a oito anos e seis meses de prisão por abandono de incapaz que resultou em morte. Ela, no entanto, responde em liberdade até o processo tramitar em julgado, quando não houver mais possibilidade de recurso. Recentemente, ela foi aprovada no curso de medicina.

A decisão da Justiça do Trabalho foi tomada em 6 de setembro e determina que o valor seja repassado a Mirtes Renata Santana, mãe de Miguel, e Marta Maria, avó do garoto, por danos morais. Ambas trabalhavam na casa da família Corte Real, mas eram pagas com dinheiro da prefeitura.

Na decisão, o juiz do trabalho João Carlos de Andrade e Silva argumentou que a mãe e a avó de Miguel devem ser indenizadas pela morte do menino e por terem trabalhado durante a pandemia de Covid-19.

Ao g1, Mirtes Renata disse que a sentença trabalhista é uma vitória.

“É um sentimento de satisfação pela sentença, e essas pessoas só sentem o peso dos seus atos quando mexem no bolso deles. Agora, estamos aguardamos as próximas etapas. O meu foco é justiça pela morte do meu filho. […] Sei que isso não vai me dar meu filho de volta, mas me dá uma sensação de missão cumprida e de justiça”, disse Mirtes.

A mãe de Miguel também afirmou que, embora celebre a decisão trabalhista, ainda espera o julgamento de recursos sobre a condenação de Sarí Corte Real no âmbito criminal. O processo encontra-se na segunda instância do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

“Hoje o processo se encontra no segundo grau aguardando resposta dos desembargadores. E aproveito esse momento para pedir ao TJPE celeridade no caso do meu filho. Faz um ano e quatro meses que saiu a condenação e até agora estamos aguardando os desembargadores fazerem a parte deles”, declarou.

A decisão

Nos autos do processo, o juiz do trabalho João Carlos de Andrade e Silva reconheceu que, ao permitir a presença de Miguel no local de trabalho da mãe, os patrões assumiram o risco de eventuais danos contra a criança.

“É nítido que a morte de Miguel decorreu diretamente dos atos ilícitos dos réus de permitirem a presença da criança no ambiente de trabalho e de não agirem da forma esperada na sua proteção”, disse a decisão.

Karla Cavalcanti, advogada que representa a família no processo trabalhista, disse que a condenação é uma medida socioeducativa e que jamais servirá de compensação pela perda sofrida pela família.

“É patente a violação sofrida por Mirtes e Marta não só quanto à morte de Miguel, mas também pelos inúmeros descumprimentos contratuais na relação trabalhista. Por mais que a Justiça aplique o direito, como fez nesse caso, condenando os ex-empregadores, não se pode esquecer que nenhuma decisão ou valor monetário substituirá a vida que Miguel teria no aconchego de sua família”, disse.

Dano moral coletivo

Em 28 de julho, o casal foi condenado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) a pagar R$ 386 mil por dano moral coletivo à família, pois as duas trabalhavam como empregadas domésticas na residência do casal, mas eram pagas pela prefeitura.

Os ministros do TST acataram o que disse o Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre a existência de racismo estrutural, sexismo e classicismo na contratação de Mirtes e Marta.

No entanto, como se trata de uma ação civil pública, o dinheiro não vai para a mãe de Miguel, e poderá ser depositado no Fundo Estadual do Trabalho (FET), no Fundo de Amparo ao Trabalho (Fat) ou para órgãos e entidades que prestam serviços relevantes à sociedade.

Morte de Miguel

  • No dia 2 de junho de 2020, Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, caiu do 9º andar do Condomínio Pier Maurício de Nassau, um dos imóveis de luxo do conjunto conhecido como “Torres Gêmeas”, no Cais de Santa Rita, no Recife;
  • A mãe dele tinha descido ao térreo do prédio para passear com a cadela da patroa, Sari Corte Real, que estava responsável por cuidar do menino. A manicure de Sari também estava no apartamento.
  • Sari foi presa em flagrante à época da morte do menino e autuada por homicídio culposo, mas pagou fiança de R$ 20 mil e foi liberada;
  • Em maio de 2022, quase dois anos após a tragédia, a ex-patroa de Mirtes foi condenada a 8 anos e seis meses de prisão por abandono de incapaz com resultado morte, mas responde ao processo em liberdade;
  • No mesmo ano, Mirtes entrou com recurso ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) pedindo para que a pena fosse aumentada.

Lula fala em ‘renascer’ da relação Brasil-EUA: “uma relação de iguais, soberana, mas de interesses comuns”

Em histórica reunião bilateral, presidente brasileiro ressaltou que as democracias estão enfrentando desafios e elogiou o compromisso do líder estadunidense com os trabalhadores

Na reunião bilateral histórica que ocorre hoje em Nova York, o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciam uma parceria inovadora e abrangente destinada a promover os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras em todo o mundo. A Parceria pelos Direitos dos Trabalhadores e Trabalhadoras visa enfrentar questões crônicas relacionadas à precarização do mercado de trabalho global e promover um desenvolvimento inclusivo e sustentável.

Durante o encontro, o presidente Lula enfatizou a importância desse momento histórico e a necessidade de uma ação conjunta para proteger os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Ele ressaltou que as democracias em todo o mundo estão enfrentando desafios e que a negação da política tem permitido o surgimento de extremistas. “É um momento histórico exemplar. Quando olhamos a geopolítica, percebemos que as oportunidades estão se fechando, as democracias cada vez mais correm perigo. A negação da política tem feito com que extremistas tentem ocupar o espaço. Já aconteceu no Brasil, está acontecendo na Argentina”, afirmou o presidente Lula.

A iniciativa da Parceria pelos Direitos dos Trabalhadores e Trabalhadoras é uma resposta direta a esses desafios. Ela envolverá uma estreita colaboração entre o Brasil e os Estados Unidos, com o apoio de sindicatos de ambos os países e da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Além disso, a parceria pretende envolver outros países e parceiros globais para promover um desenvolvimento inclusivo e sustentável para todos os trabalhadores.

“Nunca tinha visto um presidente americano falar tanto e tão bem dos trabalhadores quanto o senhor falou. Isso foi referendado para mim pelas centrais sindicais americanas, alguns companheiros sindicalistas, perguntados por mim, afirmaram que era o presidente que mais defendia os interesses dos trabalhadores. Essa é uma combinação perfeita, porque venho do mundo do trabalho e acho que o trabalho está muito precarizado, o salário está muito aviltado. Cada vez mais os trabalhadores trabalham mais e ganham menos”, afirmou o presidente Lula.

Além disso, o líder brasileiro enfatizou as oportunidades de colaboração entre o Brasil e os Estados Unidos em áreas como a transição ecológica e as novas matrizes energéticas. Ele destacou o potencial do Brasil para investimentos em energias renováveis, como eólica, solar, biomassa e biodiesel, etanol e hidrogênio verde. “Há uma perspectiva de trabalho em conjunto excepcional entre Brasil e Estados Unidos. Esse encontro para mim é mais que uma bilateral, é o renascer de um novo tempo na relação Estados Unidos-Brasil. Uma relação de iguais, soberana, mas de interesses comuns em benefício do povo trabalhador”, concluiu. Assista à transmissão do encontro abaixo:

Atuação de Haddad à frente da economia melhora percepção do mercado financeiro sobre governo Lula

Avaliação positiva do governo Lula subiu de 2% em maio para 20%, enquanto a avaliação negativa recuou de 86% para 44%, segundo pesquisa Genial/Quaest

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad (gravata azul), e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: Fabio Pozzebom – Agência Brasil
Atuação de Haddad à frente da economia melhora percepção do mercado financeiro sobre governo Lula · Ouvir artigo

– A terceira edição da pesquisa quantitativa “Visão do mercado financeiro”, realizada pela Genial/Quaest e divulgada nesta quarta-feira (12), evidenciou uma melhora expressiva na avaliação do mercado financeiro em relação ao desempenho do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, o que também teve um impacto positivo na percepção do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Em maio, o ministro contava com uma aprovação de 26% dos entrevistados, índice que saltou para 65% na pesquisa mais recente. No mesmo período, a avaliação positiva do governo Lula subiu de 2% para 20%, enquanto a avaliação negativa recuou de 86% para 44%.

Essa mudança de perspectiva se reflete em todas as variáveis analisadas na pesquisa. Para 47% dos entrevistados, a política econômica está no caminho certo, em comparação com os 10% registrados em maio, o que resultou em um aumento de 13% para 53% na expectativa de melhora da economia nos próximos 12 meses.

A capacidade do governo de aprovar sua agenda no Congresso Nacional é considerada alta por 27% dos entrevistados, em contraste com os 10% registrados em maio. Por outro lado, o percentual dos que consideram essa capacidade baixa caiu de 39% para 24%, enquanto aqueles que a consideram regular permaneceram praticamente estáveis, oscilando de 51% para 49%.

Ainda conforme o estudo, para 54% dos entrevistados, os investimentos estrangeiros no Brasil aumentarão e 23% atribuem a recente recuperação nos preços dos ativos ao fortalecimento de Haddad. Já 32% acreditam que essa recuperação se deve a movimentos dos mercados internacionais, enquanto 20% destacam a atuação do Congresso, o mesmo percentual dos que apontam a ação do Banco Central.

Financiadores pagaram R$ 600 mil para levar 4,6 mil extremistas a Brasília no 8 de Janeiro, diz relatório

O documento, com mais de cem páginas, detalha o valor pago para transportar os manifestantes, além de identificar os responsáveis pela contratação dos ônibus e os financiadores do transporte.

Atos do dia 8 de janeiro (Foto: Marcello Camargo/Agência Brasil)

Financiadores dos atos extremistas pagaram R$ 599,9 mil para transportar manifestantes de 15 estados a Brasília no dia 8 de janeiro. Segundo relatório produzido pela Polícia Civil do Distrito Federal e compartilhado com a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) do 8 de Janeiro, 119 ônibus transportaram 4.600 pessoas à capital federal para as manifestações que culminaram nos atos de vandalismo nas sedes dos Três Poderes. A autorização para os ônibus entrarem em Brasília foi emitida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) entre 1º e 8 de janeiro.

O documento, com mais de cem páginas, detalha o valor pago para transportar os manifestantes, além de identificar os responsáveis pela contratação dos ônibus e os financiadores do transporte. A intenção da relatora da comissão, Eliziane Gama (PSD-MA), é usar as informações para rastrear uma parte dos financiadores dos atos extremistas.

O relatório havia sido entregue em junho à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Atos Antidemocráticos, da Câmara Legislativa do Distrito Federal, e compartilhado com a CPMI na semana passada. Entre os pagamentos realizados pelos financiadores, há valores que variam de R$ 100 a R$ 28 mil.

De acordo com o documento, Jorginho Cardoso de Azevedo, de 61 anos, por exemplo, foi um dos contratantes que mais gastaram com transporte a Brasília. Ele pagou R$ 28 mil por um ônibus que saiu de São Miguel do Iguaçu, no Paraná, em direção à capital federal, em 7 de janeiro, com 38 passageiros.

Azevedo aparece na lista de presos devido a ataques extremistas no inquérito do Supremo Tribunal Federal que apura denúncias de crimes de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado democrático de Direito, golpe de Estado e dano qualificado. A reportagem não conseguiu contato com ele ou sua defesa. O espaço permanece aberto para a manifestação de Azevedo.

O Sindicato Rural de Castro, no Paraná, também aparece como um dos financiadores do transporte de manifestantes. Segundo o relatório, a entidade rural pagou R$ 20 mil para transportar 67 passageiros do Paraná a Brasília. Três pessoas que estavam entre os passageiros foram presas por participação nos atos de vandalismo. O R7 procurou o sindicato, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Investigação na CPMI

O relatório da Polícia Civil vai ser usado pela CPMI para identificar uma parte dos financiadores dos atos extremistas. Na próxima terça (11), a comissão vai ouvir o tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid, ex-ajudante de ordens do então presidente Jair Bolsonaro. O militar está preso desde 3 de maio, acusado de ter fraudado cartões de vacinação dele e de familiares e do ex-presidente Jair Bolsonaro e da filha dele. 

O militar recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar ser dispensado do depoimento, mas a ministra Cármen Lúcia negou o pedido. A ministra determinou, no entanto, que ele tem o direito de não produzir provas contra si mesmo, podendo não responder a perguntas que venham a incriminá-lo.

Seis meses dos ataques

Os ataques criminosos às sedes dos Três Poderes, em Brasília, completam seis meses neste sábado (8), com 253 suspeitos de envolvimento neles que aguardam julgamento de dentro de presídios, sendo 186 homens e 67 mulheres. Pessoas já liberadas são monitoradas por tornozeleiras eletrônicas e se comprometeram a se apresentar à Justiça e a não deixar a área territorial de sua respectiva comarca.

A Procuradoria-Geral da República denunciou 1.390 pessoas pelos atos que culminaram com a invasão e a depredação das sedes dos Três Poderes. Destas, o Supremo já transformou em rés 1.291, ao longo de oito blocos de julgamento.

Em junho, o ministro do STF Alexandre de Moraes disse que a Corte deve julgar, em até seis meses, cerca de 250 réus suspeitos de envolvimento nos atos e que respondem por crimes mais graves.

A Advocacia-Geral da União já foi à Justiça pedir que as pessoas que participaram da invasão e da depredação sejam condenadas a ressarcir os danos causados ao patrimônio público. Até o momento os prejuízos estão estimados em R$ 26,2 milhões.

Deputados preparam projeto de lei que prevê anistia a Bolsonaro em caso de inelegibilidade

Deputados da oposição preparam um projeto de lei para dar anistia a todos os políticos que cometeram irregularidades eleitorais em 2022. O autor da proposta é o deputado federal Sanderson (PL-RS), que é presidente da Comissão de Segurança Pública. O projeto, que foi apresentado pelo parlamentar durante uma convenção do partido, teve apoio da bancada da sigla na Câmara dos Deputados e até de outros apoiadores conservadores. A ideia da proposta é anistiar ilícitos eleitorais civis que podem ser punidos, mas não como um crime. “Uma coisa é você prender em flagrante, flagrar alguém comprando voto, praticando ato de violência, um homicídio em razão de uma disputa eleitoral, uma mala ou apartamento cheio de dinheiro. Outra coisa é você em um ilícito eleitoral civil, que é a situação dessas ações de investigação eleitoral, retirar o maior líder da direita no Brasil”, explicou Sanderson.

O período de abrangência da lei ainda é indefinido. No entanto, a intenção é anistiar os ilícitos eleitorais em 2022. De acordo com Sanderson, o projeto tem previsão constitucional. “A Constituição de 1988 deixou claro quando diz que ao Congresso Nacional cabe representação de projetos de lei buscando anistia. Estou colocando no projeto de lei que qualquer relação com corrupção, compra de votos, improbidade administrativa, caixa dois e qualquer tipo de situação envolvendo desvios de recursos públicos estarão fora do escopo do projeto de lei. É apenas para situações de ‘menor potencial ofensivo’”, comentou o deputado. A proposta é uma reação ao julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode tornar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível até 2030.

Incêndio destrói quatro ônibus escolares em município no Sertão do Araripe

Um incêndio destruiu quatro ônibus escolares da Prefeitura de Santa Cruz, no Sertão do Araripe, na madrugada desta quinta-feira, 29. Segundo a prefeitura, o fato aconteceu por volta das 1h45 na Garagem Municipal, resultando na perda total dos veículos.

Em nota, a prefeitura comunicou que as causas do incêndio estão sendo investigadas pelas autoridades policiais e se for confirmado ato intencional/criminoso, a gestão municipal empreenderá todos os esforços possíveis para localizar e cobrar punição dos autores.

“É de se lamentar que, em meio à grande organização e modernização da nossa frota própria escolar, vândalos causem esse enorme prejuízo, que atinge não apenas os gestores ou os estudantes que se utilizam desses transportes, mas a coletividade do município, que suportará o ônus da reposição desses veículos”, lastimou a prefeitura.

“Quem tiver informações que possam ajudar a esclarecer os fatos, procurar a Delegacia de Polícia Civil, ou o Departamento de Transportes da Prefeitura para fazer a denúncia. Garantimos o sigilo total da informação”, termina a nota.

Hospital Regional de Serra Talhada vai realizar mutirão de cirurgias

Com objetivo de zerar a fila e melhorar a assistência médica à população, o diretor do Hospital Regional Agamenon Magalhães (Hospam), em Serra Talhada, Leonardo Carvalho, anunciou medidas de planejamento para organizar mutirões na unidade hospitalar.

De acordo com o site Farol de Notícias, o gestor disse que a ação faz parte do projeto CuidaPE. “O Governo do Estado, através da nossa governadora Raquel Lyra e da nossa secretária de Saúde, Zilda Cavalcanti, teve o maior cuidado para garantir os direitos a saúde da população, com assistência digna e de qualidade! E esse é o compromisso de nossa gestão: levar saúde a população de Serra Talhada e região”, frisou Leonardo.

O diretor do Hospital Regional de Serra Talhada publicou fotos com novos membros da equipe da unidade, Dr. Clóvis Carvalho e a médica otorrinolaringologista Dra. Caroline Graciliano.

Raquel Lyra diz que PSB construído por Eduardo Campos “não existe mais” e diretório estadual do partido rebate

Durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na última segunda-feira, 26, a governadora Raquel Lyra (PSB) deu uma alfinetada no PSB que desagradou a direção estadual do partido. Disse que o PSB construído pelo ex-governador Eduardo Campos, que foi referência na educação no Brasil, segurança e economia, já não existe mais. “Aquele PSB com o governo feito por Eduardo, transformador e que chegou na educação, que virou referência para o Brasil, que mudou a saúde de Pernambuco e depois andou para trás, que foi referência na questão da economia e do combate à violência. Aquele não existe mais”, falou.

A declaração da governadora, deputada estadual pelo PSB por dois mandatos, causou indignação na direção estadual do partido, que divulgou uma nota rebatendo-a. “Quando usa uma tribuna de alcance nacional, como o programa Roda Vida, da TV Cultura, para dizer que o maior partido de oposição ao seu governo ‘não existe mais’, a governadora Raquel Lyra (PSDB), além de desrespeitar uma agremiação política com mais de 70 anos de história, mostra que já não consegue conter seu incômodo com as cobranças qualificadas à sua gestão, que têm sido feitas pelo PSB e vêm ganhando repercussão na imprensa nacional e em diversos setores da sociedade”, diz o texto assinado pelo presidente estadual da legenda, Sileno Guedes.

“Queiram ou não queiram Raquel Lyra e seus aliados, o PSB seguirá existindo, resistindo e desempenhando o importante papel para o qual foi designado pela população de Pernambuco nas eleições de 2022: o de lutar pela preservação dos avanços que o estado viveu nos últimos 16 anos, denunciando as contradições, os desmontes e falta de diálogo do atual governo”, conclui a nota.

Quase 50 deputados assinam pedido de impeachment de Lula; um é paraibano e quatro são da base do presidente

Ao todo, 48 deputados protocolaram um novo pedido de impeachment contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Câmara dos Deputados. Destes, quatro que são filiados a partidos da base aliada do governo — no comando de oito ministérios — também assinaram o texto.

Nas redes sociais, a deputada federal Bia Kicis (PL-DF) divulgou uma imagem que consta o nome dos 48 deputados que assinam o pedido. A maior parte deles é filiado ao Partido Liberal (PL), mesmo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro.

As legendas MDB, PSD e União Brasil somam juntos oito ministérios do governo e formam a base aliada: Transportes (Renan Filho), Planejamento (Simone Tebet) e Cidades (Jader Filho) pertencem ao MDB; Agricultura (Carlos Fávaro), Pesca (André de Paula) e Minas e Energia (Alexandre Silveira), pertencem ao PSD; e Turismo (Daniela Souza Carneiro) e Comunicações (Juscelino Filho) pertencem ao União Brasil.

Os deputados da base que assinaram o texto foram: Thiago Flores (MDB-RO), Rodrigo Valadares (União-SE), Delegado Palumbo (MDB-SP) e Sargento Fahur (PSD-PR). Outras legendas presentes na lista foram o PL, o Progressistas (PP), Partido da Social Democracia Brasileira (PSCB), Republicanos,  e Novo.

Veja lista completa de deputados

  • Sanderson (PL-RS)
  • Evair de Melo (PP-ES)
  • Cabo Gilberto Silva (PL-PB)
  • Amalia Barros (PL-MT)
  • Sargento Fahur (PSD-PR)
  • Zé Trovão (PL-SC)
  • Marcelo Moraes (PL-RS)
  • Luiz Philippe O. e Bragança (PL-SP)
  • General Girão (PL-RN)
  • Professor Paulo Fernando (Republicanos-DF)
  • Bia Kicis (PL-DF)
  • Mario Frias (PL-RJ)
  • Maurício Marcon (Podemos-RS)
  • Chris Tonietto (PL-RJ)
  • Nikolas Ferreira (PL-MG)
  • Fabio Costa (PP-AL)
  • Coronel Meira (PL-PE)
  • Coronel Telhada (PP-SP)
  • Gustavo Gayer (PL-GO)
  • Carlos Jordy (PL-RJ)
  • Delegado Palumbo (MDB-SP)
  • Tenente Coronel Zucco (Republicanos-RS)
  • Daniela Reinehr (PL-SC)
  • Delegado Caveira (PL-PA)
  • Silvia Waiãpi (PL-AP)
  • Sargento Gonçalves (PL-RN)
  • Junio Amaral (PL-MG)
  • Fernando Rodolfo (PL-PE)
  • Bibo Nunes (PL-RS)
  • Delegado Paulo Bilynsky (PL-SP)
  • Abilio Brunini (PL-MT)
  • Coronel Chrisóstomo (PL-RO)
  • Capitão Alberto Neto (PL-AM)
  • Clarissa Tercio (PP-PE)
  • Rodolfo Nogueira (PL-MS)
  • Rodrigo Valadares (União-SE)
  • Luiz Lima (PL-RJ)
  • Carla Zambelli (PL-SP)
  • Marcelo Álvaro Antônio (PL-MG)
  • Marcel Van Hattem (Novo-RS)
  • André Fernandes (PL-CE)
  • Thiago Flores (MDB-RO)
  • Lucas Redecker (PSDB-RS)
  • José Medeiros (PL-MT)
  • Caroline de Toni (PL-SC)
  • Maurício Souza (PL-MG)
  • Júlia Zanata (PL-SC)

Por Correio Braziliense

Supremo tem quatro votos para dar vaga de Deltan a suplente do Podemos

O caso é analisado definitivamente pelo plenário virtual da Corte, modalidade na qual os ministros inserem os votos no sistema eletrônico e não há deliberação presencial. (Foto: reprodução)

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) registrou, nesta sexta-feira (9), placar de 4 votos a 1 para confirmar que a vaga do ex-deputado Deltan Dallagnol na Câmara dos Deputados será ocupada por Luiz Carlos Hauly (Podemos-PR), suplente da legenda.

O caso é analisado definitivamente pelo plenário virtual da Corte, modalidade na qual os ministros inserem os votos no sistema eletrônico e não há deliberação presencial.

Até o momento, além do relator, Dias Toffoli, os ministros Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes e André Mendonça votaram para confirmar Hauly como substituto do ex-deputado. Edson Fachin divergiu. O julgamento prossegue até as 23h59.

Na quarta-feira (7), Toffoli aceitou recurso protocolado pelo partido para derrubar a recontagem de votos feita pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou o mandato de Deltan.  

Pela decisão do ministro, a vaga do ex-procurador da Lava Jato ficará com Hauly, e não com o candidato Itamar Paim (PL-PR), que chegou a ser declarado pelo TRE como substituto de Deltan.

Toffoli deu razão ao Podemos e entendeu que a vaga deve ficar com o suplente do partido, que foi preterido pelo TRE por não ter conseguido mínimo de 10% do quociente eleitoral do estado, estimado em 20 mil votos. Para o ministro, não é necessário obter o mínimo de votos para tomar posse. 

Na terça-feira (6), a Mesa Diretora da Casa declarou a perda do mandato, e Deltan perdeu a cadeira de deputado federal.

Leia também:

Empresa anuncia projeto para fabricar avião com teto transparente; veja imagens

Projeto está dividido entre etapas. Até 2025, o objetivo é fornecer transparência sobre o impacto ambiental das peças e operações

 

Empresa quer construir avião com teto transparente (Foto: Reprodução/Airbus)

 

A Airbus, uma das principais empresas de aeronaves do mundo, anunciou que está projetando aviões mais sustentáveis. Uma das características dos novos aviões, segundo o site oficial da empresa, são janelas maiores e um teto transparente.

Para reduzir a pegada de carbono, a empresa afirma que irá investir em processos e ferramentas digitais, como tecnologia de impressão 3D, estruturas biônicas e uma filosofia de design circular.

As inovações permitirão um avião mais leve. Isso será possível com o uso de tecidos de base biológica e polímeros reciclados. Em um vídeo, a Airbus mostra como seria a cabine dos novos aviões.

O projeto está dividido entre etapas. Até 2025, o objetivo é fornecer transparência sobre o impacto ambiental das peças e operações, além de oferecer opções com emissão reduzida de gás carbônico.

Até 2030, a Airbus quer introduzir novas soluções e materiais no interior da cabine, também com baixo impacto de gás carbônico. Outra meta é reduzir o desperdício de produtos da cabine durante a produção e o descarte em aterros no final do uso.

A última etapa, a partir de 2035, é integrar a geração de cabines em aeronaves movidas a hidrogênio. Os materiais da cabine passam a ser totalmente reciclados, reutilizados ou reusados, com uma política de zero aterros e incineração de materiais (exceto se exigido por regulamentação).

Ex-líder do partido de Bolsonaro recebe R$ 1,2 milhão em dinheiro vivo em duas gráficas de fachada

O deputado federal Wellington Roberto (PL-PB), ex-líder do partido de Jair Bolsonaro na Câmara, recebeu da Casa R$ 1,2 milhão depois de um pedido de reembolso com gastos de contratação de duas gráficas de fachada. A informação é do jornal Estado de São Paulo. 

De acordo com a publicação, o deputado alegou que o valor foi gasto para promover as suas atividades no Congresso Nacional. A cota parlamentar é usada para bancar as despesas dos parlamentares durante o seu mandato. 

As notas apresentadas por Wellington Roberto à Câmara, com o pedido de reembolso, mostram que o pagamento foi feito como para as duas gráficas foram feitas em dinheiro vivo. Em uma delas, o deputado gastou R$ 933,1 mil ao longo deste mandato. À outra gráfica, pagou R$ 358,3 mil no período. O parlamentar é o único na Câmara que usufruiu dos serviços das empresas.

As notas fiscais têm o mesmo endereço, um prédio localizado na região central de Brasília. No entanto, segundo a publicação, funcionários de um outras empresas que funcionam no local afirmam que desconhecem as atividades das gráficas Ellite e Eco Serviços Gráficos. Além disso, os telefones comerciais presentes nos documentos fiscais também não funcionam.

A reportagem revelou ainda que a empresa e a proprietária da Ellite são procuradas por bancos e pela Justiça com ordens de penhora não cumpridas. Pelo menos desde 2016, bancos tentam recuperar valores não pagos pela gráfica. Em 2022, um dos processos contra a gráfica foi suspenso porque pela falta de bens que pudessem ser penhorados.

Já o dono da Eco, Rodrigo Fontinelle, foi encontrado pela reportagem. No entanto, ele deu versões conflitantes sobre os serviços prestados por Wellington Roberto. Inicialmente, o empresário disse que não trabalhava com deputados.

Em seguida, após ter acesso às notas fiscais, Fontinelle disse que o endereço era de um escritório e não o do local de sua produção. Porém, ele não informou onde os materiais foram feitos. Além disso, o dono da Eco não comentou as notas fiscais. O deputado também foi procurado para comentar sobre os gastos com as gráficas, mas ele ainda não respondeu.

 Wellington Roberto é tido como homem de confiança do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e um dos líderes do Centrão. Durante o governo Bolsonaro, ele conseguiu que sua esposa, Deborah Roberto, assumisse o cargo de Saúde Ambiental na Fundação Nacional de Saúde. 

Bolsonaro diz à PF que não determinou inserção de dados de vacinação no sistema do Ministério da Saúde

Bolsonaro foi questionado sobre a questão da falsificação da carteira de vacinação da filha. Na resposta, voltou a dizer ela tinha 12 anos quando viajou aos EUA e, na ocasião, entrou se declarando como não vacinada. (Foto: reprodução)

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que nunca determinou e nem soube da inserção de dados falsos no ConecteSUS. Disse ainda que nem teria razão de fazer isso.

Bolsonaro foi ouvido no inquérito que investiga um suposto esquema de adulteração de cartões de vacinação que teria beneficiado o próprio ex-presidente, a filha dele, além do ex-ajudante de Bolsonaro, Mauro Cid, e familiares dele. Ele chegou à sede da PF em Brasília por volta das 13h30.

Como há muitos personagens na operação, a Polícia Federal questionou o ex-presidente sobre cada um deles para saber a relação que tinham com Bolsonaro. Ele foi perguntado se tinha conhecimento do esquema e se partiu dele a ordem de acesso ao sistema do Ministério da Saúde, onde os dados sobre a vacinação contra a Covid-19 foram inseridos – e depois retirados.

Além disso, procuraram saber se havia alguma determinação que ligaria Bolsonaro aos fatos cometidos por essas pessoas, que foram presas. Ele reafirmou que não determinou e que não soube da inserção de dados falsos no ConecteSUS. Disse também que ele não tinha motivos para fazer isso.

Bolsonaro foi questionado sobre a questão da falsificação da carteira de vacinação da filha. Na resposta, voltou a dizer ela tinha 12 anos quando viajou aos EUA e, na ocasião, entrou se declarando como não vacinada. Disse ainda que ela tinha laudo médico que permitia a ela não tomar a vacina. G1

Pode ser uma imagem de texto que diz "16 de maio dia do gari Deus abençoe atodos os gari hoje e sempre vocês são os herói da Limpeza Parabéns pelo dia"

Costa Neto temia atitude de Bolsonaro em 7 de Setembro: ‘Pensei que ele fosse fechar o Supremo’

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, revelou, em entrevista à revista Valor, que temia a atitude que o ex-presidente Jair Bolsonaro poderia tomar durante o 7 de Setembro de 2021.

“O pior momento dele com o Supremo foi no 7 de Setembro do ano retrasado. Porque até eu pensei que ele fosse fazer uma loucura. Eu pensei que ele fosse fechar o Supremo”, afirmou.
Em seguida, Costa Neto ponderou: “Eu estava preocupado. Qualquer ato ilegal que você cometa hoje, em qualquer país como o nosso, ninguém apoia. Porque ninguém quer que isso aconteça no país dele. Por exemplo, você pegar Exército, Marinha, Aeronáutica, e dizer: ‘Lula não vai assumir’. Ninguém apoia.”

Costa Neto analisou ainda que enxerga Bolsonaro e a ex-primeira dama Michelle como bons cabos eleitorais para o partido – a expectativa, segundo ele, é de que o PL eleja mais de mil prefeitos em 2024.

Reforçando sua aposta, o político acredita que a operação da Polícia Federal que investiga Bolsonaro em um esquema de falsificação de carteira de vacinação contra a covid-19 seria um impulsionador para a popularidade do ex-chefe de Estado.

“Quando você entra na casa de um ex-presidente da República por causa de um cartão de vacina, a tendência é jogar ele para o céu. Vai melhorar a situação dele. Isso daí é 50% da facada”, afirmou.

Durante a entrevista, Costa Neto falou ainda sobre os empecilhos que o governo tem encontrado para aprovar algumas matérias no Congresso. Sobre o arcabouço fiscal, o presidente do PL disse que seu partido seria contra o aumento de impostos, mas a favor de que o governo tenha mais liberdade para gastar.

Ele citou também o Projeto de Lei das Fake News, que teve votação adiada após um pedido do relator Orlando Silva. Apesar de concordar com pontos do projeto, para Costa Neto, a escolha do deputado do PCdoB como relator foi um erro.
“Tinha que pegar um camarada mais de centro. Só de ele ser do PCdoB esse pessoal nosso, de extrema direita, não quer nem ver nem discutir. Apesar que discutiram. Vão ter que achar uma maneira ideal de fazer isso, para estabelecer critérios”, considera Costa Neto.

Lula diz que presidente do BC ‘não tem compromisso com o Brasil’, e sim ‘com aqueles que gostam de taxa de juros alta’

Copom manteve juro básico em 13,75% nesta quarta, patamar em vigor desde agosto; BC aponta risco de estouro da inflação. Governo pressiona pela queda dos juros para estimular crescimento.

Banco Central manteve a taxa básica de juros em 13,75%, patamar constante desde agosto de 2022. É a maior da taxa de juros do mundo. (Foto: Reprodução)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste sábado (6) que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, “não tem compromisso com o Brasil”, e sim, com o governo Jair Bolsonaro, “que o indicou”.

Lula disse ainda que, na visão dele, Campos Neto tem compromisso também “com aqueles que gostam de taxa de juros alta, porque não há outra explicação”. E comparou a atuação de Campos Neto com a de Henrique Meirelles, que presidiu o BC nos mandatos anteriores de Lula.

“Duvido que esse cidadão [Campos Neto] tenha mais autonomia que o Meirelles teve. Só que o Meirelles tinha responsabilidade de ter um governo discutindo com ele, olhando as preocupações. Esse cidadão não tem”, disse Lula.

“Ele não tem nenhum compromisso comigo, tem compromisso com quem? Com o Brasil? Não tem. Tem compromisso com o outro governo, que o indicou. Isso é importante ficar claro. E tem compromisso com aqueles que gostam de juro alto, porque não há outra explicação”, prosseguiu.

Lula deu as declarações em entrevista coletiva no Reino Unido, para onde viajou em razão da coroação do rei Charles III. O presidente retorna ao Brasil ainda neste sábado.
Ainda, ainda falando sobre a política de juros, Lula disse que “não bate” no Banco Central como instituição, mas sim, na política adotada pelo banco em relação à taxa de juros.

Nesta quarta (3), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve a taxa básica de juros em 13,75%, patamar constante desde agosto de 2022. É a maior da taxa de juros do mundo em termos reais (ou seja, descontada a inflação de cada país).

Neste sábado, Lula também criticou afirmações recentes de Campos Neto de que, para o país atingir a meta de inflação na casa dos 3%, teria que elevar os juros para algo próximo de 20%.

“Está louco? Esse cidadão não pode estar falando a verdade. Então, se eu como presidente não puder reclamar dos equívocos do presidente do Banco Central, quem vai reclamar? O presidente americano? Me desculpem, o Banco Central tem autonomia, mas não é intocável”, disse Lula.

A taxa de juros, administrada pelo Banco Central, é um dos principais instrumentos do país para controlar a inflação. Quando os juros sobem, o crédito (empréstimos) fica mais caro e as empresas investem menos, o que ajuda a conter a alta de preços – mas também reduz a geração de emprego e o crescimento da economia.

Vestido de Janja para coroação é de grife brasileira e foi feito à mão

A estilista Rafaella Caniello deu detalhes sobre a produção

Janja usou um vestido vermelho tela acompanhado com uma capa
Janja usou um vestido vermelho tela acompanhado com uma capa

Foto: Claudio Kbene

O vestido e a capa que a primeira-dama Janja Silva usou para acompanhar a coroação do rei Charles III, neste sábado, 6, chamou atenção. As peças, inteiramente da cor vermelho tela e de lã, foram feitas à mão e especialmente para Janja, segundo contou a estilista Rafaella Caniello ao portal F5, da Folha de S.Paulo.

Rafaella é fundadora da marca brasileira Neriage, que assina as peças usadas por Janja. Ela detalhou que o processo de criação da roupa foi feito em parceria com a stylist Rita Lazzarotti. Sob encomenda, não existe outra versão disponível para venda – e Rafaella não detalhou ao portal quanto custou a confecção.

Presidente da Câmara passa por cirurgia e cancela ida à China com Lula

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), não acompanhará o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na viagem à China marcada para esta segunda-feira (10). O motivo é que Lira passou por uma cirurgia para corrigir uma hérnia umbilical na quarta-feira (5) e a recomendação médica é para que ele não viaje.

O presidente Lula vai ao país com uma comitiva de empresários e autoridades e fica até a próxima sexta-feira (14). A agenda começará em Xangai, onde está a ex-presidente Dilma Rousseff, agora presidente do banco dos BRICS. Lula deve participar da cerimônia de posse da ex-presidente na instituição.

A viagem oficial terminará na capital chinesa, Pequim, onde o chefe do Executivo se reunirá com o presidente da China, Xi Jinping. A expectativa é que o presidente assine pelo menos 20 acordos de cooperação bilaterais.

A data de partida para a China, antes prevista para 26 de março, já tinha sofrido alterações depois que Lula contraiu uma pneumonia.

Presidente do BRICS

Em 24 de março, Rousseff foi confirmada como nova presidente do banco do BRICS. Ela foi eleita por unanimidade pelo conselho de governadores do New Development Bank (NDB) para ficar no cargo até julho de 2025.

Dilma terá um salário equivalente a R$ 220 mil mensais. Ela ainda terá acesso a benefícios como assistência médica, auxílio-viagem e subsídios para a mudança. A sede do banco fica em Xangai, na China.

A petista foi sabatinada pelas autoridades estrangeiras ao longo de março, depois que o NDB comunicou o início da troca de comando. Ela substitui o diplomata e economista Marcos Troyjo, indicado pelo ex-ministro da Economia Paulo Guedes.

Raquel participa da 35ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana

 (Foto: Hesíodo Góes/Divulgação)
Foto: Hesíodo Góes/Divulgação

A governadora Raquel Lyra (PSDB) participou, nesta quinta-feira (9), da abertura da 35° edição da Rodada de Negócios da Moda Pernambucana, no Polo Caruaru, no Agreste Central. O evento tem expectativa de gerar R$ 20 milhões em negócios e de reunir mais de 500 compradores de todas as regiões do país.

“Sou dessa região e sei a importância do polo têxtil. É importante atrair investimento para essa região. O Polo de Confecções do Agreste reúne, pelo menos, 30 cidades, e a rodada garante que haja compra por mais de seis meses”, destacou a ex-prefeita de Caruaru após visitar estandes e conversar com expositores.

Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru, Newton Montenegro ressaltou que o evento como uma boa oportunidade para expor a produção têxtil pernambucana para todo o Brasil.

Já o prefeito Rodrigo Pinheiro (PSDB) salientou a importância da iniciativa para a cadeia produtiva do setor de confecções da Capital do Agreste. “A cada nova edição, a Rodada de Negócios tem contribuído bastante para a expansão das atividades de dezenas de empresas da área. E a Prefeitura de Caruaru segue dando o apoio necessário para que iniciativas como essas permaneçam fazendo parte do calendário do turismo de negócios local”, explicou o tucano.

Até amanhã (10), 140 confeccionistas de surfwear/streetwear, praia, fitness, moda íntima, bebê/infantil, jeans, moda feminina, moda masculina e de calçados e acessórios estarão expondo peças.

Por: Diario de Pernambuco