Governo Lula autoriza compra de 1 milhão de toneladas de arroz

O governo federal autorizou a compra de até um milhão de toneladas de arroz estrangeiro com a finalidade de garantir o abastecimento em todo o país, que pode ser afetado pelo fenômeno climático que atinge o Rio Grande do Sul.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O governo federal autorizou, através de medida provisória assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nessa sexta-feira (24), a compra de até um milhão de toneladas de arroz estrangeiro com a finalidade de garantir o abastecimento em todo o país, que pode ser afetado pelo fenômeno climático que atinge o Rio Grande do Sul. O estado é responsável pela produção de 70% do arroz consumido no país.

Ao todo, foram liberados R$ 7,2 bilhões para a compra de arroz com o preço tabelado em R$ 4 por quilo. A finalidade é garantir que o cereal chegue diretamente ao consumidor final, assegurando o abastecimento alimentar em todo o território nacional.

A compra autoriza o Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), através da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a fazer a aquisição.

Venda ao consumidor

O estoque será destinado à venda direta para mercados de vizinhança, supermercados e hipermercados, além de estabelecimentos comerciais com ampla rede de pontos de venda nas regiões metropolitanas.

O ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, comemorou a importância da iniciativa. “Esta medida provisória é um passo crucial para garantir a segurança alimentar de todo o povo brasileiro”, avaliou.

O governo gaúcho, entretanto, afirma que a safra de arroz do estado é suficiente para a demanda do país. Segundo dados do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), a safra 2023/2024 de arroz do Rio Grande do Sul deve ficar em torno de 7,1 milhões toneladas, mesmo com as perdas pelas inundações que o Estado sofreu em maio. O número é bem próximo ao registrado na safra anterior, de 7,2 milhões de toneladas.

“Mesmo considerando as perdas, temos uma safra praticamente idêntica à anterior, o que nos leva a calcular que não haverá desabastecimento de arroz”, argumentou o presidente do Irga, Rodrigo Machado.

Jovem morre após acidente com Policial Militar ele conduzia motocicleta alcoolizado no interior de PE; foi preso em flagrante

Foi confirmada na noite deste último sábado (13), a morte da jovem Yasmim Macêdo, de 26 anos, moradora do Magano, em Garanhuns. Yasmin estava na garupa de uma motocicleta que se envolveu num acidente no fim da noite da quinta-feira (11), quando foi arremessada com o impacto da colisão. A jovem foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros em estado grave, diante as múltiplas fraturas no corpo. Por ter um quadro considerado instável, a remoção para o Hospital da Restauração só foi realizada no início da noite desta sexta (12).

Ainda de acordo com o Portal Agreste Violento, a motocicleta envolvida no acidente estava sendo conduzida pelo policial militar Daniel Gomes de Souza, que foi preso em flagrante por estar alcoolizado. O PM teve a prisão em flagrante convertida em preventiva, sendo recolhido ao Centro de Reeducação da Polícia Militar, em Abreu e Lima.

Criminosos esfaqueiam empresária dentro de loja em Juazeiro do Norte-CE

Uma jovem empresária de 26 anos foi esfaqueada por dois homens nessa sexta-feira, 12, dentro de sua loja em Juazeiro do Norte-CE. Os indivíduos chegaram se passando por clientes e praticaram a tentativa de homicídio, que foi filmada pelas câmeras de segurança.

A empreendedora, que vendia roupas através das redes sociais e decidiu abrir o estabelecimento em setembro do ano passado, foi socorrida para o Hospital Regional do Cariri e passou por cirurgia de emergência. Não há informações sobre o estado de saúde dela,

Os criminosos fugiram sem levar nada do comércio localizado no bairro São Miguel. A Polícia Militar fez buscas, mas não conseguiu encontrar os autores do crime. Um inquérito foi instaurado na Delegacia de Polícia Civil local.

Sindicatos perderam 5,3 milhões de filiados em 10 anos, mostra IBGE

carteira de trabalho

O Brasil perdeu 5,3 milhões de trabalhadores filiados a sindicatos de 2012 a 2022. Hoje, o país tem 99,6 milhões de pessoas ocupadas, mas somente 9,1 milhões (9,2%) são sindicalizadas. É o menor patamar da série histórica, que começou em 2012, segundo dados divulgados hoje pelo IBGE.

Número de sindicalizados atinge mínima histórica. Em 2012, 16,1% dos brasileiros ocupados (ou 14,4 milhões) eram sindicalizados. Em 2022, esse percentual caiu para 9,2% (9,1 milhões) — uma redução de quase 37% em dez anos. Os dados são da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua e excluem os anos de 2020 e 2021, quando a taxa de resposta foi reduzida por conta da pandemia de covid-19.

Em 2013, país chegou a ter 14,6 milhões de trabalhadores filiados a sindicatos. Nos anos seguintes, o contingente entrou em trajetória de queda e se intensificou após a reforma trabalhista de 2017, que derrubou a obrigatoriedade de contribuição sindical anual.

Percentual de mulheres sindicalizadas superou o de homens pela primeira vez. De 2012 a 2019, o percentual de homens entre os trabalhadores sindicalizados sempre foi maior que o de mulheres. Essa diferença diminuiu ao longo dos anos e, em 2022, a taxa de sindicalização entre as mulheres (9,3%) enfim ultrapassou a dos homens (9,1%).

Crescimento da ocupação não fez aumentar número de sindicalizados. A queda no número de filiados a sindicatos aconteceu mesmo em meio ao crescimento da população ocupada, que cresceu 11% em uma década: passou de 89,7 milhões em 2012 para 99,6 milhões em 2022.

Fonte: UOL

Mais de mil cabeças de gados morrem de frio em MS; prejuízo estimado é de R$ 3 milhões

Mortes ocorreram principalmente na região da Nhecolândia, no Pantanal sul-mato-grossense. Em Corumbá, termômetros marcaram 11°C, com sensação térmica de 9°C.

mais de mil maicabeças de gado morreram de frio em Mato Grosso do Sul, desde quarta-feira (14). A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) estima que o prejuízo tenha sido de cerca de R$ 3 milhões para os produtores rurais. Assista ao vídeo acima.

De acordo com especialistas, as mortes dos animais estão atreladas a uma severa hipotermia e o gado pantaneiro pode sofrer ainda mais com o frio.

As mortes ocorreram principalmente na região da Nhecolândia, no Pantanal sul-mato-grossense. Equipes da Iagro estão percorrendo as propriedades onde há suspeitas de morte por condições climáticas. Foram confirmadas 1.071.

Dados do Inmet mostraram que na madrugada desta sexta-feira (16), os termômetros marcaram 11°C em Corumbá, com sensação térmica ainda mais baixa: 9°C .

“Foram as temperaturas registradas mais baixas desse ano. E hoje é possível que ocorram mais mortes”, afirmou o diretor-presidente da Iagro, Daniel Ingold.

No entanto, de acordo com Daniel, as mortes dos animais não são tão incomuns na região do Pantanal e já foram registradas anteriormente.

Na manhã de hoje (16), cerca de 25 bezerros foram encontrados mortos em uma fazenda de Corumbá (MS), no Pantanal, devido ao frio. O prejuízo foi estimado em 40 mil reais pelo produtor rural.

Ao g1, o fazendeiro, que prefere não ser identificado, disse que os animais estavam arrendados para irem ao Pantanal quando as águas baixassem na vazante e seriam usados para criação e gado de corte. Segundo ele, os bezerros tinham entre cinco e oito meses de idade.

Frente fria

Em Campo Grande, na quinta-feira (15), foi registrado 7,2ºC, considerada a menor mínima do ano, igualando a quarta-feira (14).
O frio ainda permanece neste fim de semana, mas já começa a esquentar na próxima segunda-feira (19). O outono vai embora e o inverno chega com chuva, mas sem previsão de novas “friacas” como as desta semana.