Datafolha: Para 58%, Bolsonaro não tem capacidade de liderar o Brasil

Para 38%, Bolsonaro possui, sim, condições de comandar a nação, com base no que ele fez e está fazendo pelo país; 4% responderam não saber.

Mais da metade da população acha que bolsonaro não tem capacidade de presidir o país (Foto: Reprodução)

 O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não tem capacidade de liderar o Brasil segundo 58% dos brasileiros, mostrou pesquisa realizada pelo Datafolha na terça (11) e quarta-feira (12). É o maior percentual da série histórica desde que o instituto começou a fazer a pergunta, em abril de 2020.

Para 38%, Bolsonaro possui, sim, condições de comandar a nação, com base no que ele fez e está fazendo pelo país; 4% responderam não saber. O resultado vem a público em meio às críticas pela lentidão na vacinação contra a Covid-19, o descontrole da pandemia e a deterioração da economia.

O levantamento foi feito a partir de 2.071 entrevistas de forma presencial em 146 municípios espalhados por todo o Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa anterior, de março, 56% disseram não enxergar capacidade, 42% afirmaram que sim e 3% não opinaram. Desde a aferição de 27 abril do ano passado, a parcela dos que respondem que o presidente carece de aptidão para governar o país é superior à dos que veem o contrário.
Nos subgrupos representados na pesquisa, o de empresários é o único que majoritariamente acha hoje que Bolsonaro é capaz de liderar o Brasil, com 62% dos entrevistados que expressaram esse sentimento.

A categoria é também a que concede a melhor avaliação positiva ao governo, com 48% de ótimo ou bom – na média geral da população, o índice é de 24%, a pior marca do mandato até aqui.
Com exceção do empresariado, em todos os demais segmentos sociodemocráficos relevantes os resultados sobre a inaptidão do atual chefe do Executivo sobressaem, de acordo com o Datafolha.

A avaliação de que o presidente tem capacidade para a missão também é elevada entre os evangélicos. Nessa parcela, que usualmente confere popularidade a Bolsonaro, 49% veem nele condições de liderar o país, índice que cai para 34% entre católicos e para 28% entre espíritas/kardecistas.

No recorte geográfico, o diagnóstico de incapacidade atinge o maior patamar (65%) no Nordeste – região que, segundo o Datafolha, concentra hoje a maior resistência a Bolsonaro e desaprovação do governo.

Já na região Sul, que entrega ao presidente suas maiores taxas de aprovação e intenção de voto para 2022, o percentual dos que o julgam capaz é de 44%, ante 51% que pensam o contrário.
Quando a pandemia começou, Bolsonaro desfrutava de posição mais confortável no quesito capacidade. No início de abril de 2020, ele era tido como apto a liderar o país por 52%, ante 44% que o julgavam inábil. Depois disso, a taxa de incapacidade passou a ocupar a dianteira em todas as pesquisas.

Desde então, o presidente deu sinais de inoperância diante da crise, sabotando medidas de prevenção sanitária, negligenciando vacinas e transmitindo imagem de desalinhamento com seu “posto Ipiranga”, o ministro Paulo Guedes, a quem alegadamente terceirizou a condução da economia.

Sob Bolsonaro, o Brasil se transformou em um dos epicentros globais da Covid, doença que já matou mais de 430 mil brasileiros. A responsabilidade do governo no descontrole da pandemia é alvo da CPI da Covid, que foi instalada no Senado em e já reuniu depoimentos comprometedores para o Executivo.

Segundo o Datafolha, 51% da população consideram a atuação de Bolsonaro na pandemia ruim ou péssima, ante 21% de pessoas que acham sua conduta ótima ou boa.

Na seara econômica, os brasileiros experimentam o agravamento de problemas como inflação, desemprego e fome, em meio a um cenário de paralisia da agenda do governo no Congresso e do enfraquecimento crescente de Guedes.

Apesar de notícias alvissareiras, como a volta do pagamento do auxílio emergencial, agora com alcance reduzido, e a criação de 837 mil vagas de trabalho com carteira assinada no primeiro trimestre, os sinais de retomada da atividade são lentos e desiguais, formando um quadro ainda preocupante.

Um pedido de reconhecimento da incapacidade civil de Bolsonaro para ocupar o cargo foi apresentado na quinta-feira (13) ao STF (Supremo Tribunal Federal) por um grupo de acadêmicos, advogados e professores. Na ação civil pública, eles reivindicam o afastamento do presidente.
Os autores apontam razões jurídicas, sociais e psíquicas. Afirmam que Bolsonaro “não está exercendo devidamente” a função e falha na execução de políticas públicas, pecando por “palavras, ações e omissões”. Além disso, apresenta “incapacidade de cognição e ação”.

O grupo requisita ao STF a realização de perícia médica para verificar possível anormalidade de personalidade do presidente. O relator do caso é o ministro Gilmar Mendes, que ainda não se manifestou.

A ação é assinada pelo presidente da APD (Academia Paulista de Direito), Alfredo Attié Jr., e pelos professores Renato Janine Ribeiro (USP), Roberto Romano (Unicamp), Pedro Dallari (USP) e José Geraldo de Sousa Jr. (UnB), além dos advogados Alberto Toron e Fábio Gaspar.

Sport homenageia Gil do Vigor no uniforme após ataques homofóbicos

“O Sport é Do Vigor e contra a homofobia. Hoje, vamos perfilar de manto marcado com alguém que nos dá muito orgulho: Gilberto Nogueira”, publicou o clube.

“As camisas serão vendidas e todo o dinheiro arrecadado será doado ao Instituto Boa Vista, ONG de pautas LGBT”, acrescentou o Sport. (Foto: Reprodução/Redes Sociais Sport)

O Sport resolveu homenagear Gil do Vigor no uniforme dos jogadores para a partida contra o Náutico, neste domingo (15), pelo Campeonato Pernambucano. O nome dos atletas na camisa será seguido pela frase “Do Vigor”.

“O Sport é Do Vigor e contra a homofobia. Hoje, vamos perfilar de manto marcado com alguém que nos dá muito orgulho: Gilberto Nogueira”, publicou o clube.

“As camisas serão vendidas e todo o dinheiro arrecadado será doado ao Instituto Boa Vista, ONG de pautas LGBT”, acrescentou.

O ex-participante do BBB 21 foi alvo de ataques homofóbicos de conselheiros do Sport nos últimos dias. As ofensas foram feitas em áudios atribuídos aos conselheiros Flavio Koury e Renan Valério.

Torcedor do Sport, Gil havia sido convidado pelo clube para conhecer o estádio e também a loja do time. Lá, ele posou para fotos, deu entrevista e fez a famosa coreografia “tchaki tchaki”.

Compartilhe:

Morre Bruno Covas aos 41 anos, prefeito de São Paulo,vítima de câncer

Morreu neste sábado, 15, aos 41 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas Lopes. Ele enfrentava um câncer, diagnosticado em 2019, e estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, desde o início do mês.

Bruno assumiu a cadeira de prefeito da maior cidade do país em abril de 2018 quando João Doria decidiu abandonar o posto para concorrer ao governo de São Paulo. (Foto: reprodução)

Morreu neste sábado, 15, aos 41 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas Lopes. Ele enfrentava um câncer, diagnosticado em 2019, e estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, desde o início do mês.

Bruno assumiu a cadeira de prefeito da maior cidade do país em abril de 2018 quando João Doria decidiu abandonar o posto para concorrer ao governo de São Paulo. No ano passado, foi reeleito no segundo turno, derrotando Guilherme Boulos (PSOL), com mais de 3,1 milhões de votos (59%) — seu maior feito nas urnas foi vencer na primeira etapa da disputa em todos os distritos da capital.

Ele estava licenciado há duas semanas do cargo pelo agravamento do quadro clínico, mas, segundo auxiliares na administração municipal, acompanhava do hospital o cotidiano da cidade e recebia algumas visitas, como as mais recentes, do presidente da Câmara, Milton Leite, e do vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia.

Filiado ao PSDB, partido que o seu avô Mário Covas ajudou a criar e foi o primeiro presidente da legenda, em 1988, Bruno era formado em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e em Economia pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC). Foi deputado estadual e federal.

O vice-prefeito, Ricardo Nunes, do MDB, será o seu sucessor no comando de São Paulo.

Auxílio Emergencial 2021: pagamento da 2ª parcela começa neste domingo

Pagamentos começam para nascidos em dezembro, inscritos via app e site e do Cadastro Único.

A ajuda paga neste domingo será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. (Foto: reprodução)

A Caixa Econômica Federal (CEF) começa a pagar neste domingo-feira (16) a segunda parcela do Auxílio Emergencial 2021. Os primeiros a receber, já neste domingo, são os trabalhadores nascidos em janeiro e que não fazem parte do Bolsa Família. Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam na terça-feira, dia 18.

A ajuda paga neste domingo será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito neste domingo serão liberados no dia 31 de maio (veja nos calendários mais abaixo).

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidada…

Compartilhe:

Covid-19: país tem 15,5 milhões de casos acumulados e 434,7 mil mortes

O balanço apontou também 1.089.423 pacientes em acompanhamento e 14.062.396 recuperados da doença. (Foto: reprodução)

O balanço divulgado neste sábado (15) pelo Ministério da Saúde registra 67.009 novos diagnósticos de covid-19 em 24 horas. Esse dado eleva para 15.586.534 o número de pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia no país.

As mortes pelo novo coronavírus ao longo da pandemia aproximam-se de 435 mil. Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 2.087 novos óbitos, totalizando 434.715. 

O balanço apontou também 1.089.423 pacientes em acompanhamento e 14.062.396 recuperados da doença.

Covid-19 nos estados                      
Os estados com mais mortes são os seguintes: São Paulo (103.995), Rio de Janeiro (47.951), Minas Gerais (37.283), Rio Grande do Sul (26.657) e Paraná (24.597).

As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.571), Acre (1.612), Amapá (1.614), Tocantins (2.711) e Alagoas (4.478).

Mega-Sena: Ninguém acerta as seis dezenas e prêmio acumula em R$ 40 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.372 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (15) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio acumulou. A estimativa de prêmio do sorteio de quarta-feira (19) é de R$ 40 milhões.

Veja as dezenas sorteadas: 03 – 19 – 25 – 44 – 46 – 57.

A Quina teve 128 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 28.213,14.

A Quadra teve 7.636 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ R$ 675,61.

 

Compartilhe:

Morre Eva Wilma aos 87 anos 

De acordo com informações, Eva Wilma deu entrada na UTI no dia 15 de abril para acompanhar problemas cardíacos e renais.

Em janeiro, Eva ficou hospitalizada após apresentar pneumonia, mas sem relação com a covid-19. Na internação, ela foi diagnosticada com líquido no pulmão. (Foto: reprodução)

A atriz global, Eva Wilma, morreu na noite de sábado (15) aos 87 anos, em São Paulo, após complicações de um câncer no ovário. A atriz estava internada no hospital Israelita Albert Einstein há um mês para tratar problemas cardíacos decorrentes do tumor. 

De acordo com informações, Eva Wilma deu entrada na UTI no dia 15 de abril para acompanhar problemas cardíacos e renais. Boletins médicos informaram que a artista estava o tempo todo em “consciência e respirando espontaneamente”. No dia 08 de maio recebeu o diagnóstico de câncer de ovário e logo após iniciou o tratamento oncológico pelo centro de saúde.

Aliás, em meados de abril, Eva chegou a publicar uma foto em seu instagram trabalhando diretamente da UTI. A atriz de 87 anos gravou então um áudio de um filme ali mesmo, na cama do hospital.

Após o diagnóstico de câncer, o filho de Eva Wilma, John Herbert Jr. chegou a dizer que sua mãe estava em uma situação delicada, mas que estava positivo. “Estamos todos confiantes nesse tratamento. Ela está respondendo muito bem, muito consciente sempre. Há uma previsão de duas semanas para o tratamento, mas isso pode variar. Vamos em frente“, comentou em entrevista ao jornal “O Globo”.

Em janeiro, Eva ficou hospitalizada após apresentar pneumonia, mas sem relação com a covid-19. Na internação, ela foi diagnosticada com líquido no pulmão.

Eva Wilma Riefle Buckup nasceu em 14 de dezembro de 1933 na cidade de São Paulo. Ela iniciou a carreira artística aos 19 anos, no Ballet do IV Centenário de São Paulo, mas abandonou a dança pouco depois, quando recebeu convites para integrar o Teatro de Arena e o programa “Alô Doçura”, da TV Tupi.

Compartilhe:

Pesquisadores alertam para riscos de crianças expostas a telas 

Na pandemia, essa exposição aumentou

celular

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) alertam para os riscos da alta exposição de crianças às telas de equipamentos eletrônicos, como celular, computador, televisor e tablet. Na pandemia, essa exposição, que já era alta, de acordo com eles, aumentou, pois muitas famílias acabam recorrendo a esses dispositivos, para conseguirem trabalhar e entreter as crianças, que passam mais tempo em casa. A situação, que no ano passado, quando o vírus começou a circular no Brasil, foi vista como passageira, agora é alvo de preocupação.

“A situação que a gente vive hoje é de uma falta de alternativa muito grande para os pais que estão em trabalho remoto, muitas vezes sem ajudante em casa, e que precisam de alternativa para a recreação da criança no momento que precisam trabalhar ou fazer atividades domésticas. A questão é que o uso da tela se tornou muito mais que uma alternativa, tornou-se a única via e isso nos preocupa”, diz a coordenadora do Programa Primeira Infância Plena da UFMG, Delma Simão.

A pesquisadora explica que até 1 ano de idade não é recomendada nenhuma exposição à tela. Depois disso, a indicação varia conforme a faixa etária sendo que, até os 6 anos de idade, período que corresponde à primeira infância, as crianças não devem passar mais do que duas horas por dia na frente de dispositivos eletrônicos. “Quanto mais uma criança fica conectada à tela, mais desconectado é o cérebro da criança, então mais difícil é para essa criança tomar decisões adequadas, pertinentes a uma sociedade saudável”, explica a pesquisadora.  

Os prejuízos de uma exposição excessiva às telas, para as crianças, de acordo com Delma, são muitos. Entre eles: dificuldade de aprendizagem, dificuldade de interação social, dificuldade de criar vínculo, dificuldade de se adaptar ao meio social e aos desafios que a sociedade impõe, prejudicando ainda o chamado controle inibitório que, de forma simplificada, é a habilidade de controlar respostas impulsivas e esperar a própria vez. No mundo virtual, a criança clica e recebe o conteúdo instantaneamente, prejudicando o desenvolvimento dessa habilidade.

Desafios

No ano passado, quando a pandemia chegou ao Brasil, segundo o professor da Faculdade de Educação da UFMG Rogério Correia, os estudos colocavam essa como uma situação passageira. “Hoje passado mais de um ano, deixou um pouco de ser passageira essa realidade para nós no Brasil”, diz.

Tanto Delma quanto Correia experimentam no dia a dia o desafio de afastar crianças das telas. Ela é mãe do Pedro, de 7 anos, e da Laís, de 3 anos, que tem trissomia do cromossomo 21 (síndrome de Down). No dia a dia, concilia o cuidado com as crianças, com a casa e o trabalho. Correia é tio de Fernando, de 3 anos.

“Eu desenhei no corredor da casa uma amarelinha, para brincar com eles à noite, para gastar energia. Meia hora que a gente brinca de amarelinha, eu já ensino comunicação, ensino a esperar a vez do outro, equilíbrio. É no dia a dia que a gente tem que ser criativo”, conta Delma.

Já Correia, abriu o quintal para que o sobrinho, que não mora com ele, pudesse correr. Para isso, a família precisa de uma logística de isolamento, para que possam se encontrar de forma segura em meio a pandemia. “Estamos sempre acompanhando [o estágio da pandemia na cidade] se há aumento do índice de contaminação, e voltamos a aumentar a segurança e o isolamento”, diz.

Recomendações

Segundo os pesquisadores, será necessária uma atenção especial às crianças não apenas durante, mas após a pandemia. “A gente acredita em uma pandemia pós pandemia. O que vai ser das pessoas e especialmente das nossas crianças quando tudo isso melhorar? Nos preocupa muito a repercussão dessa pandemia”, diz Delma.

Segundo a pesquisadora, as escolas e outros locais de socialização das crianças precisarão observá-las de perto, respeitando as necessidades de cada uma delas. “O olhar precisa ser muito singular para respeitar essa criança que virá depois desse estresse traumático da pandemia de covid-19. É preciso entender e ser muito sensível a essas mudanças de comportamento que eventualmente podem surgir na escola e surgir na família”.

De acordo com Delma, aqueles que estão participando de aulas remotas devem ser observados de perto pelas famílias, que devem conversar com as escolas sobre como está sendo esse processo para eles. “A família precisa estar atenta ao que está dificultando o processo de aprendizagem da criança para que aquilo não faça com que a criança perca o desejo de aprender”.

Incentivar o brincar

Segundo Correia, a brincadeira, que acaba sendo substituída por tempo na frente de dispositivos eletrônicos, é fundamental para o desenvolvimento das crianças e para ajudá-las a compreender o mundo. “Quando ela lida com um trauma, com a perda de um ente querido ou mesmo com a distância da mãe que sai para trabalhar, ela tende a lidar com o que causa essa angústia através da brincadeira. Na brincadeira, ela toma consciência daquele sentimento”, diz.

O pesquisador diz que há formas de incluir os conteúdos digitais no brincar e que isso pode ser benéfico desde que bem orientado. As crianças podem, por exemplo, levar os personagens do programa de TV para uma brincadeira mais ativa, na qual entendem o papel daquele personagem e, brincando, têm mais controle sobre a mensagem e o significado que aquilo traz para ela.

Outra alternativa é buscar conteúdos digitais que proponham tarefas às crianças e trocar, segundo Correia, o sofá pelo tapete, onde é possível brincar. “Um momento em que a criança pode assistir e brincar ao mesmo tempo. As crianças gostam de assistir a programas que proponham fazer alguma coisa, construir um brinquedo, isso pode ser legal”. Os pais e responsáveis podem também assistir a vídeos junto com as crianças, mostrando interesse e discutindo com eles pontos do programa.

Tanto Correia quanto Delma recomendam que as crianças sejam integradas nas atividades do dia a dia dos adultos, que sejam convidadas a cuidar das plantas a preparar uma comida, a estarem por perto. “Com isso está aprendendo as coisas do mundo, está aprendendo vocabulário, está aprendendo interação com a família, está aprendendo a ser útil, a colaborar com a sociedade. A primeira sociedade que ela vive é dentro de casa”, diz Delma.

Agência Brasil

Datafolha: 49% apoiam impeachment de Bolsonaro; 46% se dizem contrários

O Datafolha ouviu 2.071 pessoas na terça (11) e na quarta (12) presencialmente.

Os percentuais representam um empate técnico entre os que apoiam e os que são contrários ao impeachment de Bolsonaro. (Foto: Reprodução)

Pesquisa do Datafolha divulgada neste sábado (15) pelo site do jornal “Folha de S.Paulo” informa que 49% dos brasileiros apoiam o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e 46% se dizem contrários.

O Datafolha ouviu 2.071 pessoas na terça (11) e na quarta (12) presencialmente. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em resumo:

Sim, deveria sofrer impeachment: 49% (eram 46% em março)
Não deveria sofrer impeachment: 46% (eram 50% em março)
Não sabem: 4%

Os percentuais representam um empate técnico entre os que apoiam e os que são contrários ao impeachment de Bolsonaro. Pela primeira vez, entretanto, a fatia dos que apoiam o impeachment é numericamente maior que a dos contrários.

Aprovação

O Datafolha também divulgou nesta semana uma pesquisa sobre a avaliação que a população faz do governo Bolsonaro. O levantamento apontou uma queda de 6 pontos percentuais na aprovação e uma alta de 1 ponto percentual na aprovação.

Veja os números:

Ótimo/bom: 24% (eram 30% em março)
Regular: 30% (eram 24%)
Ruim/péssimo: 45% (eram 44%)
Não sabe: 1% (eram 2%)

Bombardeio de Israel destrói prédio com escritórios da emissora Al Jazeera e da agência AP em Gaza 

bombardeio de Israel contra Faixa de Gaza

O ataque faz parte das hostilidades conduzidas pelo governo israelense contra a Faixa de Gaza que já entram no 6º dia consecutivo e já deixaram 140 palestinos mortos, incluindo 39 crianças, segundo o Ministério da Saúde da região.

Opera Mundi – O Exército de Israel bombardeou e destruiu neste sábado (15) um prédio de 12 andares localizado em Gaza que abrigava escritórios da emissora catari Al Jazeera, da agência norte-americana Associated Press e outros veículos de comunicação, além de apartamentos residenciais.

O ataque faz parte das hostilidades conduzidas pelo governo israelenses contra a Faixa de Gaza que já entram no 6º dia consecutivo e já deixaram 140 palestinos mortos, incluindo 39 crianças, segundo o Ministério da Saúde da região.

A repórter da Al Jazeera Safwat al-Kahlout, que está em Gaza, se disse chocada com o bombardeio e afirmou que levou dois segundos para que o prédio desabasse.

“Eu trabalho aqui há 11 anos. Cobri muitos eventos desse prédio, nós vivemos muitas experiências profissionais e agora, em dois segundos, tudo desapareceu”, disse.

Segundo a correspondente, todos os seus colegas, “apesar da tristeza, não pararam um segundo, estamos buscando alternativas para manter a Al Jazeera funcionando”.

Harry Fawcett, outro repórter da emissora que está na região, afirmou que o ataque “é um momento muito pessoal para todos nós”.

A agência AP, por sua vez, disse que o dono do prédio teria recebido “um aviso” por parte dos militares israelenses de que o lugar seria bombardeado. Entretanto, ainda de acordo com o veículo, “não houve explicação imediata do motivo do ataque”.

Pelo Twitter, a produtora da Al Jazeera Linah Alsaafin publicou um vídeo do momento da destruição do edifício e criticou o bombardeio, afirmando que “isso é o direito de Israel se defender”.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira, em reunião com representantes da X Regional de Saúde (X Geres), nesta sexta-feira (14), elaboraram a estratégia de vacinação de gestantes e puérperas (mulheres com até 15 dias de terem tido seus bebês) com ou sem doenças pré-existentes, a partir da próxima segunda-feira (17). 

No Sertão, uma das macrorregiões de saúde a receber doses da vacina da Pfizer foi à sediada em Serra Talhada. Devido à distância, sobretudo para alguns municípios, foi definida a estratégia de criação de cidades-polo para vacinação, de modo a diminuir as distâncias. Uma dessas cidades será Afogados da Ingazeira, que sediará a vacinação de gestantes e puérperas das 12 cidades que integram a X Regional de Saúde, sendo eles: Afogados da Ingazeira, São José do Egito, Tabira, Carnaíba, Ingazeira, Iguaracy, Solidão, Quixaba, Brejinho, Itapetim, Tuparetama e Santa Terezinha. 

A vacinação ocorrerá em três polos, sendo dois montados pela Prefeitura de Afogados da Ingazeira e um na sede da própria X Geres, em sistema drive thru. “Montamos a estratégia, em parceria com a X Geres, onde iremos contribuir com toda a estrutura física e logística necessária para que não apenas as gestantes e puérperas de Afogados, mas também dos demais municípios, possam ter garantido o seu acesso à vacina”, destacou o secretário Municipal de Saúde, Artur Amorim.  

Confira os polos, datas e horários, de acordo com os municípios a serem atendidos:  

Polo Quadra (em frente à escola de música – Rua Antônio Vidal)

Segunda (17) e terça-feira (18);   

São José do Egito – Manhã; 

Afogados da Ingazeira – Tarde.  

Polo Vianão (Anel Viário)

Terça (18) e quarta-feira (19); 

Tabira – Manhã;  

Carnaíba – Tarde. 

Polo X Geres (Rua Júlio Câmara)

Segunda-feira (17);

Ingazeira e Iguaracy – Manhã; 

Solidão e Quixaba – Tarde. 

Terça-feira (18)

Brejinho e Itapetim – Manhã; 

Tuparetama e Santa Teresinha – Tarde.

Em todos os polos, a vacinação ocorrerá nos horários de 08h às 12h e de 13h às 17h.  

0bs: Por conta da vacinação das gestantes e puérperas, a vacinação contra a influenza acontecerá, na segunda e terça, nas UBS’s. 

DEM decide expulsar Rodrigo Maia

Após as fortes críticas do ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ao presidente nacional do DEM, ACM Neto, a sigla deliberou pela expulsão de Maia do partido.

A informação é do deputado Arthur Maia (DEM-BA), que em publicação no Twitter afirma ainda que Rodrigo Maia deve perder o mandato.

Na publicação, Arthur insulta o ex-correligionário chamando-o de “Nhonho” – referindo-se ao personagem da série mexicana “Chaves” – e afirma que o ex-presidente da Câmara virou “figura odiada pelos brasileiros”.

Nesta sexta-feira Rodrigo Maia decidiu formalizar seu pedido de saída do DEM, após a decisão, Maia usou suas redes sociais para fazer fortes críticas a ACM Neto. “Malandro baiano”, “Esse baixinho não tem caráter” e “Bolsonaro presidente e ACM Neto vice-presidente. Não sobrou nada além disso” foram alguns dos ataques postados pelo deputado.

DEM decide expulsar Rodrigo Maia

Após as fortes críticas do ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ao presidente nacional do DEM, ACM Neto, a sigla deliberou pela expulsão de Maia do partido.

A informação é do deputado Arthur Maia (DEM-BA), que em publicação no Twitter afirma ainda que Rodrigo Maia deve perder o mandato.

Na publicação, Arthur insulta o ex-correligionário chamando-o de “Nhonho” – referindo-se ao personagem da série mexicana “Chaves” – e afirma que o ex-presidente da Câmara virou “figura odiada pelos brasileiros”.

Nesta sexta-feira Rodrigo Maia decidiu formalizar seu pedido de saída do DEM, após a decisão, Maia usou suas redes sociais para fazer fortes críticas a ACM Neto. “Malandro baiano”, “Esse baixinho não tem caráter” e “Bolsonaro presidente e ACM Neto vice-presidente. Não sobrou nada além disso” foram alguns dos ataques postados pelo deputado.

Compartilhe:

Paulo Câmara decreta novas restrições em 53 cidades de Pernambuco para comércio e demais atividades econômicas

O Governo de Pernambuco anunciou, neste sábado (15), novas medidas restritivas para 53 cidades do estado por causa do avanço da covid-19.

O novo decreto será publicado na próxima segunda-feira (17) no Diário Oficial, começa a valer a partir da próxima terça (18) e segue até o dia 31 de maio.

As regiões afetadas são das de Caruaru e Garanhuns, no Agreste (veja a lista das cidades impactadas pelo novo decreto mais abaixo).

Durante a semana, as atividades econômicas deverão ser encerradas às 18h. Nos finais de semana, apenas supermercados, feiras livres de produtos alimentícios, farmácias, padarias e postos de gasolina poderão abrir as portas. O Polo de Confecções deverá ficar fechado aos sábados, domingos e segundas.

“Nos reunimos hoje com os secretários estaduais, após o encontro que tivemos com todos os prefeitos e prefeitas do Agreste, na tarde da última sexta-feira, e verificamos um aumento na velocidade do número de internações e de procura pelas instituições de saúde naquela região. Isso tem nos preocupado, pois todos nós sabemos que enquanto a vacinação não chegar a todos os pernambucanos, é necessário tomar medidas restritivas para diminuir a circulação do vírus. Precisamos cada vez mais trabalhar para salvar a vida dos pernambucanos”, afirmou Paulo Câmara. “Serão 14 dias com essas novas medidas e vamos observar, ao longo desse período, as próximas etapas necessárias”, acrescentou.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, André Longo, foi observado um comportamento da pandemia, no Agreste. “O que nós detectamos, nessas últimas duas semanas, foi uma aceleração maior naquela região, destoando do restante do Estado, onde temos um platô ainda em níveis elevados. Os patamares de crescimento de demandas lá superaram os 44%, enquanto no resto do Estado ficou na casa dos 9%”, disse. “É muito importante que seja feito um esforço por todos esses 53 municípios, reforçando o cuidado, com o uso correto da máscara, cobrindo a boca e o nariz, sempre que precisar sair de casa. O ideal é que as pessoas possam ficar em casa, além de manter o distanciamento social possível e sempre higienizar as mãos com água e sabão, ou utilizando o álcool em gel”, acrescentou André Longo.

Região de Caruaru – 32 municípios: Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim , Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Felix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Uma, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes.

Região de Garanhuns – 21 municípios: Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçados, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmerina, Paranatama, Saloá, São João, Terezinha. 

PE: Vítimas do deslizamento em Jaboatão, pai e filha de 11 anos são achados abraçados, sem vida

Abraçados e sentados no sofá da casa. Assim foram encontrados, na manhã deste sábado (15), o pai e a filha de 11 anos que morreram no desabamento de terra ocorrido no fim da tarde da última quinta-feira (13) em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. 

Osvaldo Pessoa de Siqueira, 39 anos, e a filha Isabeli eram as últimas vítimas que faltavam ser achadas pelo Corpo de Bombeiros entre os escombros formados pela terra e pela residência da família, no bairro de Sucupira.

Na hora do desabamento, ocorrido por volta das 17h de quinta-feira, na 6ª Travessa Murilo Braga, estavam na residência o casal Osvaldo e Silvia Regina da Silva, de 36 anos, e dois filhos, Isabeli e o irmão Otávio Pessoa de Siqueira, de 16 anos. Todos morreram.

Três horas depois de a barreira ruir sobre a casa, foi retirado do desabamento o corpo do adolesente na noite de quinta-feira. Já na manhã dessa sexta (14), foi achado o da mãe.

A finalização do resgate das vítimas ocorreu após quase 36 horas de trabalho do Corpo de Bombeiros na área.

O município de Jaboatão foi um dos mais atingidos pelas chuvas praticamente contínuas de quinta-feira. As chuvas prosseguiram ainda nessa sexta, mas em menor volume.

O local onde ocorreu o desabamento de terra foi isolado desde a noite de quinta-feira. Ao menos seis cassas foram interditadas, e as famílias, deslocadas para casas de parentes. (Via: Portal Folha PE)

Compartilhe:

Impactante: Brasil chega a 432.628  mortes por Covid-19 

O total de casos acumulados de covid-19 subiu para 15.519.525. Em 24 horas, foram confirmadas pelas autoridades de saúde 85.536 novas pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Ainda há no país 1.058.542 casos em acompanhamento. O termo é empregado para as pessoas infectadas e com casos ativos de contaminação pelo novo coronavírus.

As informações estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta sexta-feira (14).

O total de vidas perdidas durante a pandemia subiu para 432.628. Entre ontem e hoje, foram registradas 2.211 novas mortes.

Ainda há 3.702 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 desde o início da pandemia ultrapassou os 14 milhões. Com a atualização de hoje, as pessoas nesta condição totalizaram 14.028.355. Isso equivale a 90,4% do total de pessoas que foram infectadas com o vírus.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (103.493). Em seguida vêm Rio de Janeiro (47.699), Minas Gerais (37.005), Rio Grande do Sul (26.550) e Paraná (24.330). Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.568), Acre (1.608), Amapá (1.610), Tocantins (2.704) e Alagoas (4.462).

Vacinação

Até o momento, foram distribuídos a estados e municípios 83,8 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, foram aplicadas 51,1 milhões de doses, sendo 34,6 milhões da 1ª dose e 16,4 milhões da 2ª dose.

Lançado há seis meses, PIX é responsável por metade das transferências bancárias 

Pix

Lançado há seis meses pelo Banco Central o PIX, serviço de transferências bancárias e pagamentos instantâneos, já responde a 51% das transações bancárias, o que corresponde a R$ 1 tri em transações. O desempenho surpreendeu o Banco Central, que já estuda outras possibilidades para o PIX como o PIX Saque e o PIX Troco  e até o uso do sistema sem necessidade de conexão com a internet. 

Nas novas funções PIX Saque e PIX Troco, respectivamente, vão permitir que clientes façam saques em dinheiro ou então obtenham troco em moeda após pagamento por uma mercadoria com uso do PIX, o que, segundo o BC vai beneficiar comunidades onde não há redes caixas eletrônicos disponíveis, sobretudo em cidades pequenas e distantes do centro.

Segundo o BC, de novembro de 2020 a abril de 2021 foram cadastradas mais de um bilhão de chaves PIX.

Brasil 247

Veja divulga novos áudios e expõe mais mentiras de Wajngarten à CPI

A revista Veja, que já havia desmentido o ex-chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) Fabio Wajngarten na quarta-feira (12) na CPI da Covid, divulgou novos trechos em áudio da entrevista realizada com o ex-secretário de Comunicação de Jair Bolsonaro que expõem mais mentiras contadas por ele no Senado Federal.

Em depoimento à CPI da Covid, Wajngarten afirmou que “jamais” havia declarado que o Ministério da Saúde, sob a gestão do ex-ministro Eduardo Pazuello, havia sido incompetente na compra de vacinas contra Covid-19. Ainda durante a sessão, a Veja desmentiu Wajngarten, publicando o áudio da entrevista em que o ex-chefe da Secom afirma: “incompetência. Incompetência. Quando você tem um laboratório americano com cinco escritórios de advocacia apoiando na negociação e você tem do outro lado um time pequeno, tímido, sem experiência, é sete a um”.

Essa, porém, foi apenas uma das contradições. Na CPI, Wajngarten disse ter participado de três reuniões com a Pfizer sobre vacinas e negou ter invadido competências de outros membros do governo. Já na entrevista, o ex-secretário relata ter agido de maneira mais objetiva nas tratativas com a farmacêutica norte-americana. “À medida que tinha se fechado as portas e não avançava no Ministério da Saúde, eu abri as portas do Palácio. E a gente fez infinitas reuniões, várias, várias, com o presidente da Pfizer. Eu fui o primeiro que vi a caixa, a tão falada caixa que segurava a menos 70 graus. Eu levei para o presidente ver. Eu expliquei que não era um bicho de sete cabeças”.

“Eu tenho que dizer que era uma negociação dura, quadrada, mas eles encontraram em mim também um negociador preparado. E tudo que eu pedi eles enviaram esforços e disseram que fariam, anteciparam entregas, com quantidade e preço. Eles foram impecáveis comigo, impecáveis. Queria mais vacina no menor tempo possível, a maior quantidade no menor tempo possível. E dinheiro nunca faltou. E perto dos valores que foram ofertados aí, dez dólares a dose, que numa conversa rápida virou 9,60, 9,80, 9,60, 9,30, 9 e não sei quanto e até mesmo os dez. Israel pagou 30 para receber primeiro. Nada é mais caro do que uma vida”, disse ainda Wajngarten na entrevista sobre as negociações, o que mostra uma clara atuação no processo de aquisição de imunizantes.

As novas contradições reforçam a tese de que ele poderia ter sido preso em flagrante por mentir à CPI, o que por pouco não ocorreu já na quarta-feira (12), quando senadores pediram a detenção em flagrante do ex-secretário. Após o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), negar os pedidos de prisão, foi enviado ao Ministério Público o depoimento do ex-chefe da Secom para que fossem tomadas as medidas cabíveis. (247)

Compartilhe:

TCU proíbe pagar professores com precatórios do Fundef até julgar mérito

Tribunal de Contas da União (TCU), por meio do Acórdão 1.039/2021-Plenário, determinou que Municípios e Estados não utilizem os recursos de precatórios do extinto Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) em pagamentos de rateios, abonos indenizatórios, passivos trabalhistas/previdenciários e remunerações ordinárias dos profissionais do magistério.

A decisão fica em vigor até que a Corte de Contas decida sobre o mérito dessa questão.

Com a decisão, o TCU busca assegurar a destinação correta dos recursos oriundos de precatórios do Fundef e evitar possíveis irregularidades em razão do cenário legal de incertezas criado com a derrubada do veto presidencial ao parágrafo único do artigo 7º da Lei 14.057/2020 pelo Congresso Nacional.

Em matéria publicada em março deste ano sobre essa decisão do Congresso, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), além de esclarecer os gestores municipais sobre a decisão do Legislativo, alertou sobre os impactos dessa medida, recomendando cautela aos gestores locais quanto ao uso dos recursos, até que o TCU se manifestasse a respeito do tema.

Para a CNM, a decisão do TCU reafirma o entendimento existente na jurisprudência que é contrária ao uso dos recursos de precatórios do Fundef com pagamentos aos profissionais do magistério. A entidade entende que a nova norma, ao prever pagamentos a inativos e pensionistas, contraria a vedação expressa na Emenda Constitucional 108/2020 da utilização de recursos vinculados à manutenção e ao desenvolvimento do ensino para pagamento de aposentadorias e pensões. A situação também foi alertada pela Confederação.

Cabe destaque a referência feita à CNM no relatório do TCU pelo ministro Walton Alencar Rodrigues. A Confederação é citada como única entidade civil e o relator reconhece sua constante atuação junto aos Municípios nos esclarecimentos e orientações acerca de temas controversos e de interesse transversal, a exemplo da utilização dos recursos dos precatórios do Fundef.

Com a decisão proferida no Acórdão, o TCU determina:

– que os entes municipais e estaduais beneficiários de precatórios, provenientes da diferença no cálculo da complementação devida pela União, no âmbito do Fundef, se abstenham de utilizar tais recursos no pagamento a profissionais do magistério ou a quaisquer outros servidores públicos, a qualquer título, até mesmo de abono, até que este Tribunal decida sobre o mérito das questões suscitadas;

– que os entes municipais e estaduais observem os entendimentos, manifestos no Acórdão, sob pena de responsabilização, pelo TCU, dos agentes públicos;

– que a Casa Civil, a Advocacia-Geral da União, o Ministério da Educação e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, se manifestem, no prazo de 15 dias, acerca dos elementos constantes da representação, e das medidas adotadas e os prazos previstos, no âmbitos de cada uma de suas instâncias, para a efetiva regulamentação do parágrafo único do artigo 7º da Lei 14.057/2020.

Mais informações podem ser obtidas junto à área técnica de Educação da CNM.

Compartilhe:

Prefeitura de Afogados e Imobiliária Rocha firmam parceria para arborização

A Prefeitura de Afogados e a imobiliária Rocha, com atuação no município, firmaram uma parceria para levar arborização para as áreas públicas dos loteamentos da referida imobiliária.

Foram doadas pela empresa, ao município, 500 mudas de árvores frutíferas, bem como de Ipê (roxo e amarelo), pata de vaca e catingueira.

As mudas foram acondicionadas na sementeira municipal, onde são cultivadas diversas espécies de plantas fitoterápicas, utilizadas pela secretaria municipal de saúde no projeto farmácia viva, inaugurado no final do ano passado pelo ex-prefeito José Patriota. O projeto é único no sertão do Pajeú. A prefeitura coordena todo o processo, desde o plantio, passando pela transformação dos princípios ativos das plantas em laboratório, a transformação em medicamentos, até a chegada dos produtos às prateleiras da farmácia viva, que fica situado na rua barão de Lucena.

“Esse é um projeto pioneiro na região e que muito nos orgulha. E agora temos a felicidade de recebermos mais quinhentas mudas, doação da imobiliária Rocha, para utilizarmos na arborização das áreas públicas dos loteamentos, garantindo mais espaços verdes em nossa cidade,” destacou o Prefeito de Afogados, Alessandro Palmeira.

Compartilhe:

Bruno Covas piora e tem quadro irreversível, diz boletim

Ele está internado no Hospital Sírio-Libanês, onde faz tratamento contra um câncer na região do estômago, desde 2 de maio.

Covas vem “recebendo medicamentos analgésicos e sedativos”, segundo o informe (Foto: Reprodução)

 O quadro de saúde do prefeito Bruno Covas (PSDB) piorou nesta sexta-feira (14) e é considerado irreversível, anunciou boletim médico. Covas vem “recebendo medicamentos analgésicos e sedativos”, segundo o informe.

Ele está internado no Hospital Sírio-Libanês, onde faz tratamento contra um câncer na região do estômago, desde 2 de maio.

Antes, ele havia ficado internado por 12 dias em abril, quando exames constataram que os tumores originados no trato digestivo haviam se alastrado para o fígado e também para os ossos. O prefeito teve alta no dia 27 de abril, mas voltou a ser internado no começo deste mês.

Covas está em tratamento de um câncer que se originou na cárdia e depois afetou também o fígado. Ele iniciou o tratamento em 2019 e vinha evitando, desde então, afastar-se de suas funções na prefeitura, limitando suas licenças médicas.
Em 2 de maio, o prefeito decidiu se licenciar por 30 dias do comando da Prefeitura de São Paulo. Durante este período, o vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB), chefia o Executivo.

 

Compartilhe:

Policiais recapturam 11 fugitivos da Cadeia de Serra Talhada

 

PM confirma invasão na cadeia de ST e fuga de 25 presos – Farol de Notícias  – Referência em Jornalismo de Serra Talhada e Região

Uma equipe de policiais continua realizando buscas pelos presos que fugiram da Cadeia de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, na noite da quinta-feira (13). O G1 entrou em contato com a Delegacia de Polícia Civil do município na manhã desta sexta-feira (14) e foi informado que a equipe está fazendo as buscas em um matagal. Dos 27 fugitivos, 11 foram recapturados pela polícia.

Até o momento da publicação desta matéria, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) não se pronunciou sobre a fuga.

Entenda o caso

Mais de 20 presos fugiram da cadeia de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, na noite da quinta-feira (13). Segundo a Polícia Militar, não há uma certeza que houve invasão no local, mas tudo indica que os detentos tiveram um apoio externo, já que eles fugiram em uma caminhonete.

A Polícia Militar informou também que, dois ou três detentos já foram capturados. A ocorrência continua em andamento.

 Polícia continua diligências para prender fugitivos da Cadeia de Serra Talhada

Pelo menos 25 presos fugiram da Cadeia Pública de Serra Talhada, na noite desta quinta-feira (13). A fuga aconteceu durante o horário de entrega das refeições. Criminosos renderam o efetivo da guarda e entraram no pátio interno, abrindo as celas. Policiais militares lotados no 14º Batalhão estão diligências. Vale informar que até o momento foram recapturados dois fugitivos.
Compartilhe:

Afogados: Jovem foi socorrer o amigo, morre atropelado na PE- 292

O jovem Fernando Silva, 23 anos, conhecido por Nandinho, residente no bairro Cohab em Afogados da Ingazeira sofreu um acidente, ele chegou a ser socorrido pelos Bombeiros mas veio a óbito no hospital e um outro rapaz foi socorrido para o Hospital Regional de Afogados.

Segundo informações ele (Nandinho) foi socorrer um amigo que estava com o carro no “prego” e acabou sendo atropelado (não temos detalhes do ocorrido). Nandinho faleceu na hora e segundo informações sua esposa estava no local e presenciou tudo.

Nandinho era filho único, casado e tinha uma filha.

A segunda vítima do acidente está no Hospital Regional, segundo informações consciente, mas não sabemos detalhar ainda o estado de saúde e a identidade dele, segundo relatos se chama Francisco, conhecido por Fram, e é da cidade de Iguaracy.

O motorista envolvido no acidente segundo informações era um idoso, que ficou no local o tempo todo prestando socorro.

estava chovendo no momento do acidente.

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nobrega / Agencia O Globo

O Globo

Alvo de investidas de Jair Bolsonaro, que buscava conquistar o eleitor tradicionalmente lulista por meio do auxílio emergencial no ano passado, o Nordeste hoje concentra as maiores taxas de rejeição ao atual presidente. Pesquisa Datafolha realizada nesta semana mostra que 62% dos moradores da região não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro. Em todo o país, a rejeição ao presidente é de 54%.

O auxílio emergencial começou a ser pago em abril do ano passado, com parcelas de R$ 600. Na época, a popularidade de Bolsonaro nas camadas de renda mais baixa subiu. Nos últimos três meses de 2020, o valor foi reduzido para R$ 300. O benefício foi suspenso no começo do ano e voltou em abril — serão pagas parcelas de R$ 150 a R$ 375 até agosto.

Questionados pelo Datafolha, 87% dos eleitores disseram considerar o novo valor insuficiente, o que indica dificuldade para Bolsonaro repetir a fórmula de reverter a avaliação negativa com base no auxílio.

Além do alto índice de rejeição eleitoral, a pesquisa Datafolha também mostrou que a avaliação que eleitores fazem do governo Bolsonaro atingiu a pior marca desde o início do mandato. O percentual dos que consideram a gestão ótima ou boa caiu de 30% em março, quando foi feito o levantamento anterior, para 24%. O índice dos consideram o governo ruim ou péssimo era de 44%, e agora oscilou para 45%. A pesquisa foi realizada entre terça-feira e anteontem, com 2.071 entrevistas presenciais em 146 municípios de todo o Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais

Compartilhe:

Caminhão com 5,1 mil doses da vacinas da Pfizer fica ‘preso’ em alagamento no Recife e atrasa distribuição

De acordo com a SES, foram acionadas Corpo de Bombeiros e Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife para fazer o “resgate com segurança” dos insumos.

Um caminhão frigorífico que transportava vacinas da Pfizer ficou “preso” em um alagamento, nesta sexta (14), na Avenida Recife, na Zona Oeste da cidade. Segundo o governo, 5,1 mil unidades seriam enviadas, de avião, para Petrolina, no Sertão, para serem usadas na imunização de grávidas e de mulheres que estão no período de pós-parto (puérperas). A distribuição do imunizante sofreu atraso.

O caminhão trafegava entre a sede do Programa Estadual de Imunização (PNI), na Zona Norte do Recife, onde as vacinas estavam armazenadas, e o Aeroporto Internacional Guararapes/ Gilberto Freyre, na Zona Sul.

A Avenida Recife é um dos pontos de alagamento mais conhecidos da cidade. Desde quinta (13), a Região Metropolitana do Recife enfrenta problemas provocados por fortes chuvas, que já causaram deslizamentos e mortes.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que o veículo “ficou impossibilitado de transitar na Avenida Recife, na manhã desta sexta“.

Ainda de acordo com a SES, foram acionadas equipes do Corpo de Bombeiros e da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) para fazer o “resgate com segurança” dos insumos.

O governo informou, ainda, que as vacinas estavam “devidamente conservados em Nitrogênio Líquido Refrigerado”.

Por causa de transtorno, as doses de vacina da Pfizer tiveram que retornar para a sede do Programa Estadual de Imunização, “na temperatura adequada”, de acordo com a SES.

O problema afetou o envio das doses para a imunização em Petrolina. Segundo o governo, não há voos disponíveis, na tarde desta sexta, para o município, distante mais de 700 quilômetros do Recife.

Por isso, elas vão permanecer na sede do Programa Estadual de Imunização, “nas condições ideais para posterior uso”. As unidades seguirão para o Sertão no sábado (15), de acordo com o governo do estado.

Imunização

Petrolina é um dos polos regionais de vacinação de grávidas e puérperas. A decisão de montar esse esquema foi tomada na quarta (12) pelo governo do estado, diante da impossibilidade de imunizar esses públicos com a vacina da AstraZeneca, que vinha sendo usada.

Os outros polos são Recife, Olinda e Jaboatão, que vão distribuir as doses para o Grande Recife e Zona da Mata, Caruaru, para o Agreste, e Serra Talhada, para o Sertão.

Na quarta, a vacinação contra Covid-19 de grávidas e puérperas sem comorbidades foi suspensa pela Secretaria Estadual de Saúde. O estado seguiu a determinação do Ministério da Saúde.

O ministério decidiu, na noite da terça-feira (11), que a vacinação de gestantes e de puérperas no Brasil contra a Covid-19 deve ser restrita somente às mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber apenas as vacinas CoronaVac e Pfizer.

A utilização de AstraZeneca para esses dois grupos já estava suspensa em todo o estado desde terça. Como não há doses extras de CoronaVac, a vacinação de grávidas e puérperas foi interrompida na maioria das cidades em que foi iniciada.

Temperatura

As doses de Pfizer começaram a chegar ao Brasil no fim de abril de 2021. O Ministério da Saúde definiu com os estados que esses lotes seguiriam, prioritariamente para as capitais, por causa da necessidade de armazenamento especial.

O imunizante da Pfizer exige refrigeração a baixíssimas temperaturas, entre -90°C e -60°C. A vacina tem validade de seis meses. Também em abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o armazenamento entre -25°C e -15°C, mas por no máximo 14 dias.

 

Com retorno de Daniel Alves, Tite convoca seleção brasileira para Eliminatórias da Copa

Na manhã desta sexta-feira (14), o técnico Tite fez a convocação da seleção brasileira para os próximos dois confrontos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. O grupo escolhido vai se preparar para enfrentar as seleções do Equador, no dia 4 de junho, e do Paraguai, no dia 8.

Entre os nomes convocados, a novidade fica por conta do retorno de Daniel Alves, que apesar de atuar no São Paulo no meio campo, foi chamado para lateral direita. Além dele, os únicos que jogam no Brasil convocados, foram o meia Everton Ribeiro e o atacante Gabigol, ambos do Flamengo.

Convocação

Goleiros: Alisson (Liverpool) Ederson (City) Weverton (Palmeiras)

Laterais: Dani Alves (São Paulo) Danilo (Juventus) Alex Sandro (Juventus) Renan Lodi (Atlético de Madrid)

Zagueiros: Eder Militão (Benfica) Lucas Veríssimo (Benfica) Marquinhos (PSG) Thiago Silva (Manchester United)

Meias: Casemiro (Real Madrid) Douglas Luiz (Aston Villa) Everton Ribeiro (Flamengo) Fabinho (Liverpool) Fred (Manchester United) Lucas Paquetá (Lyon)

Atacantes: Everton (Benfica) Firmino (Liverpool) Gabigol (Flamengo) Gabriel Jesus (City) Neymar (Lyon) Richarlison (Everton) Vini Jr (Real Madrid)

 

 

 

Grupo majoritário da CPI da Covid já vê provas de crimes de Bolsonaro na gestão da pandemia

A comissão pode, no relatório final, pedir ao MPF (Ministério Público Federal) o indiciamento do mandatário por ilícitos que entendem que ele cometeu.

Nesta sexta, o jornal Folha de S.Paulo mostrou cálculo de Hallal, segundo o qual pelo menos 5 mil mortes teriam sido evitadas se o governo tivesse aceitado a oferta da Pfizer em agosto do ano passado. (Foto: reprodução)

– Técnicos e integrantes do grupo majoritário da CPI da Covid, formado por senadores independentes e oposicionistas, acreditam que já há elementos que levam à incriminação do presidente Jair Bolsonaro por crime sanitário, ou seja, contra a saúde pública.

A comissão pode, no relatório final, pedir ao MPF (Ministério Público Federal) o indiciamento do mandatário por ilícitos que entendem que ele cometeu. A existência de crime sanitário é uma das vertentes de investigação do grupo majoritário da CPI, formado por parlamentares independentes e oposicionistas.

O principal objetivo dos depoimentos e coleta de evidências daqui para frente será atestar que o chefe do Executivo também cometeu crime contra a vida. Os senadores acreditam que os depoimentos prestados até o momento no âmbito da comissão confirmaram que Bolsonaro e seus comandados tinham real consciência do impacto da pandemia do novo coronavírus no Brasil e que deveriam ter agido para minimizar os efeitos à população brasileira, incluindo com uma mudança na postura pessoal do próprio presidente.

A CPI realizou até o momento seis oitivas. Compareceram como testemunha à comissão os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, o atual ocupante da pasta, Marcelo Queiroga; o diretor presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres; o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten e o gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo.

Os parlamentares do grupo majoritário da CPI consideram que pelo menos três falas em depoimentos podem ser consideradas provas da omissão e negligência do governo. Citam inicialmente a apresentação na comissão de uma carta, pelo ex-ministro Mandetta, que teria entregue ao presidente da República, ainda em março, alertando para os riscos da pandemia e mostrando estimativas de que o Brasil poderiam chegar a 180 mil mortes pela Covid-19 até o fim de 2020, se medidas, principalmente políticas de isolamento social, não fossem adotadas.

Outro fato encarado como prova de negligência é a informação de que a oferta de venda de vacinas da Pfizer ficou parada no governo por dois meses, que veio à tona no depoimento de Fabio Wajngarten. A informação foi em seguida confirmada e sua gravidade ampliada com a fala de Carlos Murillo, que apontou que a empresa fez ao Brasil ao menos cinco ofertas de doses de vacinas contra o coronavírus e que o governo federal ignorou proposta para comprar 70 milhões de unidades do imunizante.

Também mencionam a pressão para ampliar o uso da hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19. Para integrantes da CPI, está claro que o governo Jair Bolsonaro boicotou a aquisição de vacinas, pois acreditava na imunização natural, ou imunidade de rebanho, que aponta que a imunidade coletiva é atingida quando um percentual da população é infectado.

“Vemos que o crime contra a saúde pública já está caracterizado”, afirma o senador Rogério Carvalho (PT-SE), membro suplente da CPI e um dos principais nomes do grupo independente e oposicionista, em relação a questões de saúde.

“Quando você deixa de adotar medidas, você está de forma culposa cometendo crime contra a saúde pública. Mas, quando você tem os meios e não age, então existe dolo”, completou.
A equipe do relator e os senadores próximos a ele, portanto, consideram que já há elementos suficientes para sustentar a tese de negligência deliberada no enfrentamento à pandemia e nos esforços para evitar uma escalada das mortes, configurando crime sanitário.

Legalmente, trabalha-se com duas hipóteses em relação a esse eventual crime. Administrativamente, Bolsonaro pode ser acusado de crime de responsabilidade por atuar contra o direito à saúde, que é um direito fundamental garantido pela Constituição.

Em outra esfera, os parlamentares próximos a Renan Calheiros mencionam o crime de epidemia, previsto no Código Penal e que seria praticado pela ação de promover de maneira deliberada a transmissão da doença. Carvalho explica que o próximo passo seria provar o crime contra a vida, o que, na prática, seria demonstrar que o crime contra a saúde pública resultou nas mortes de pessoas, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. 

Por isso os integrantes do grupo majoritário preveem que, após a série de oitivas com autoridades, ex-integrantes do governo e atuais, a CPI vai entrar numa segunda etapa de depoimentos, para ouvir especialistas. “Em relação ao crime contra a vida, precisa ser provado quantas mortes poderiam ter sido evitadas se tivessem sido tomadas as medidas adequadas. Sabemos que o vírus é matemático, tem alta capacidade de propagação. Mas, para provar que houve o crime contra a vida, agora precisamos trazer para a comissão especialistas, investigar estudos epidemiológicos, que possam sustentar essa tese”, afirmou o senador.

Um dos estudos em análise pela comissão foi publicado pela revista acadêmica Lancet, cujo título é SOS Brazil: Science Under Attack (tradução live: SOS Brasil: a ciência sob ataque), do epidemiologista Pedro Hallal, da UFPel (Universidade Federal de Pelotas). Nesta sexta, o jornal Folha de S.Paulo mostrou cálculo de Hallal, segundo o qual pelo menos 5 mil mortes teriam sido evitadas se o governo tivesse aceitado a oferta da Pfizer em agosto do ano passado. A conta do pesquisador estima que 14 mil óbitos poderiam não ter ocorrido, com uma margem de erro de 5 mil a 25 mil mortes.

Outra pesquisa que vem sendo acompanhada pelos membros da comissão investiga o “excesso de mortes”, o aumento de mortes no Brasil em tempos de Covid-19. Uma das autoras é a epidemiologista da Vita Strategies Fátima Marinho. Ela explica que a pesquisa leva em conta uma estimativa de mortes anual, mais ou menos fixa, que varia levemente por causa do envelhecimento da população.

Um dos impactos que pode ser medido é justamente a vacinação, em particular do grupo acima de 80 anos. “Com o início da vacinação de idosos, a gente já começou a registrar em abril não apenas uma redução nas mortes, não apenas por Covid, mas também a redução do excesso de mortes entre eles. Ou seja, tem o impacto direto e também o impacto indireto”, afirmou Marinho.

Na semana que vem, serão ouvidos o ex-ministro de Relações Exteriores Ernesto Araújo (18) e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, no dia 19. O atual ministro, Marcelo Queiroga, foi ouvido pela comissão, mas terá de voltar porque os parlamentares avaliaram que o depoimento dele foi inconclusivo. Na oitiva, Queiroga se omitiu de questões sobre o que ele acha do uso da hidroxicloroquina contra a Covid-19 e também a opinião dele a respeito de declarações negacionistas de Bolsonaro.

Ao contrário dele, o depoimento de Barra Torres, presidente da Anvisa, defendeu a vacinação, medidas de isolamento social, uso de máscaras, além de criticar o uso da cloroquina para tratar Covid. Apesar da proximidade com Bolsonaro, disse que o comportamento negacionista não deve ser seguido pela população.

Compartilhe:

Em evento no Mato Grosso do Sul, Bolsonaro dispara: ‘Lula só ganha na fraude ano que vem’

O discurso ocorre após uma pesquisa do Datafolha que aponta que Lula venceria Bolsonaro em um eventual segundo turno das eleições de 2022.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira (14) que Luiz Inácio Lula da Silva só ganharia uma eleição de maneira fraudulenta, durante cerimônia de entrega de 1.128 títulos de propriedade rural no assentamento Santa Mônica, em Terenos (30 km de Campo Grande). 

“Um bandido foi posto em liberdade e tornado elegível, no meu entender, para ser presidente na fraude. Ele só ganha na fraude no ano que vem”, declarou ele em uma cerimônia no Mato Grosso do Sul. 

A CNN entrou em contato com o ex-presidente Lula e aguarda posicionamento. Na quinta-feira (13), ele se referiu ao ex-presidente como “ladrão de nove dedos” em agenda em Alagoas, um dia após uma pesquisa do Datafolha apontar que Lula venceria Bolsonaro em um eventual segundo turno das eleições de 2022. 

O presidente também voltou a defender o voto impresso. “Se o Congresso Nacional votar e promulgar uma PEC do voto impresso, teremos no ano que vem. Eleições dali para a frente, só com voto impresso”, disse. 

Bolsonaro também voltou a criticar a condução da CPI da Pandemia. “Se fazem uma CPI em Brasília, não é para apurar propina na vacina”, falou. “Fazem uma CPI com aquela composição para apurar omissões do governo federal. Mas na hora de convocar governadores, ela é contra”.

Uso de hidroxicloroquina

O presidente disse ter pedido a seu médico para usar hidroxicloroquina quando contraiu Covid-19, no ano passado. “Chamei [meu médico], ele falou: ‘você está com todos os sintomas’. Aí eu peguei a cloroquina, ele disse para esperar um pouco mais. Aí, eu disse: ‘você quer voltar para a tropa ou quer que eu tome cloroquina agora?’. A saúde é minha”.

“É uma doença que ninguém sabe quase nada sobre ela. No dia seguinte [ao tomar o remédio], estava bom. Muita gente tomou isso, ivermectina. Chegou outro e salvou muitas vidas”, declarou.

Não há comprovação científica da eficácia desses medicamentos em pacientes com a Covid-19.

Compartilhe:

Auxílio Emergencial 2021: Caixa libera saques e transferências a nascidos em novembro

Para quem faz parte do Bolsa Família, os pagamentos foram até 30 de abril. (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal (Caixa) libera nesta quarta-feira (12) os saques e transferências da primeira parcela do Auxílio Emergencial aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em novembro, que receberam a parcela em poupança social digital no dia 28 de abril.

O pagamento da primeira parcela do auxílio para este público terminou em 29 de abril. Para quem faz parte do Bolsa Família, os pagamentos foram até 30 de abril.

Os pagamentos da segunda parcela do benefício começam em 18 de maio para o público do Bolsa Família, e em 16 de maio para os demais beneficiários (veja nos calendários mais abaixo).

  • trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em novembro

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo

Compartilhe:

Datafolha: 51% reprovam desempenho de Bolsonaro na pandemia; 21% aprovam

Os índices são piores que os da avaliação do Ministério da Saúde e dos governadores, que tiveram queda na rejeição.

Na pesquisa anterior, realizada em janeiro, esse índice era de 54%. (Foto: Reprodução)

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira (13), no site da “Folha de S.Paulo”, aponta que 51% dos entrevistados avaliam como ruim ou péssimo o desempenho do presidente Jair Bolsonaro na gestão da crise provocada pelo novo coronavírus. Na pesquisa anterior, realizada em janeiro, esse índice era de 54%. Os índices são piores que os da avaliação do Ministério da Saúde e dos governadores, que tiveram queda na rejeição.

O Ministério da Saúde foi avaliado como ruim ou péssimo por 32%, e ótimo ou bom por 30%. Já o desempenho do governador do estado do entrevistado foi considerado ótimo ou bom por 35%, enquanto 29% avaliaram como ruim ou péssimo.

Segundo o levantamento, ainda em relação a Bolsonaro, 21% consideram ótima ou boa a performance do presidente na condução do enfrentamento à pandemia. O índice anterior era de 22%.

A pesquisa nacional do instituto foi realizada por telefone nos dias 11 e 12 de maio e ouviu 2.071 pessoas. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Avaliação do desempenho de Bolsonaro na pandemia

  • Ótimo/Bom: 21% (março de 2021: 22%; janeiro de 2021: 26%; dezembro: 30%; agosto: 30%; junho: 27%; maio: 27%; abril: 27%; abril: 36%; abril: 33%; março: 35%)
  • Ruim/Péssimo: 51% (março de 2021: 54%; janeiro de 2021: 48%; dezembro: 42%; agosto: 43%; junho: 49%; maio: 50%; abril: 45%; abril: 38%; abril: 39%; março: 33%)
  • Regular: 27% (março de 2021: 24%; janeiro de 2021: 25%; dezembro: 27% agosto: 25%; junho: 23%; maio: 22%; abril: 25%; abril: 23%; abril: 25%; março: 26%)
  • Não sabe: 1%

De acordo com a pesquisa, 39% dos entrevistados acreditam que Bolsonaro é o principal culpado pela situação da crise sanitária. Nesta quinta, o Brasil ultrapassou 430 mil mortes por Covid, com 2.340 registradas em 24 horas.

  • Jair Bolsonaro: 39%
  • Governadores: 20%
  • Prefeitos: 10%
  • População: 3%
  • Todos: 10%
  • Nenhum: 9%
  • Outros: 3%
  • Não sabe: 6%

O levantamento também informou, na quarta (12) o desempenho geral de Bolsonaro até o momento. Os resultados:

  • Ótimo/bom: 24%
  • Regular: 30%
  • Ruim/péssimo: 45%
  • Não sabe: 1%

Avaliação do desempenho do Ministério da Saúde

  • Ótimo/bom: 30% (março: 28%)
  • Regular: 37% (março: 32%)
  • Ruim/péssimo: 32% (março: 39%)
  • Não sabe: 1% (março: 1%)

Avaliação do desempenho do governador do estado do entrevistado

  • Ótimo ou bom: 35% (março: 34%)
  • Regular: 35% (março: 30%)
  • Ruim ou péssimo: 29% (março: 35%)
  • Não sabe: 1% (março: 1%)

Afogados registra 34 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira (13)

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta quinta (13) foram registrados 34 casos novos para a COVID – 19.

São 13 pacientes do sexo feminino, com idades de 13, 16, 30, 30, 30, 32, 35, 36, 44, 51, 57, 66 (1 dose) e 77 anos (2 doses); e 21 pacientes do sexo masculino, com idades de 7 meses, 02, 08, 13, 15, 20, 20, 24, 28, 28, 30, 33, 35, 36, 37, 38, 56, 57, 59, 60 (1 dose) e 61 anos (doses em investigação). Entre as mulheres: 02 aposentadas, 03 donas de casa, 04 agricultoras, 02 estudantes (rede pública), 01 auxiliar de escritório e 01 cabeleireira. Já entre os homens: 04 agricultores, 02 menores, 04 autônomos, 04 estudantes (01 rede privada e 03 pública), 01 motorista, 01 cabeleireiro, 01 pensionista, 01 pedreiro, 01 servidor público, 01 balconista e 01 desempregado.

Hoje, 02 pacientes do sexo masculino, 13 e 22 anos, entram como novos casos em investigação.
88 pacientes apresentaram resultados negativos para a covid -19.

Óbito: Paciente do sexo masculino, 52 anos, autônomo, hipertenso, diabético, apresentava quadro de obesidade, foi a óbito em decorrência de complicações da COVID – 19 no Hospital Regional Emília Câmara em 11/05 e a SES confirmou na data de hoje. Nossos sentimentos aos familiares e amigos (as)!

Nesta quinta, 31 pacientes apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 3.962 pessoas (93,02 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 241 casos estão ativos.

Afogados atingiu a marca de 16.683 pessoas testadas para covid-19, o que representa 44,77% da nossa população.

Casos leves x SRAG/covid- 19:
Leves (4.121 casos), 96,75%
Graves (138 casos), 3,25%.

Compartilhe:

Impactante: Brasil passa dos  430.417  mil mortes e 74.592 novos casos da doença por Covid-19

O Brasil bateu a marca das 430 mil vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus. Nas últimas 24 horas foram registradas 2.383 novas mortes. Com isso, o total de vítimas que não resistiram à covid-19 chegou a 430.417.

Ainda há 3.671 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

A quantidade de pessoas infectadas pelo vírus desde o início da pandemia alcançou 15.433.989. Entre ontem e hoje, foram confirmados por secretarias estaduais de saúde 74.592 novos diagnósticos positivos da doença. Até ontem, o sistema de informações do Ministério da Saúde marcava 15.359.397 pessoas contaminadas desde o início.

Ainda há no país 1.024.243 casos em acompanhamento. O termo é empregado para as pessoas infectadas e com casos ativos de contaminação pelo novo coronavírus.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 desde o início da pandemia alcançou 13.979.329. Isso equivale a 90,6% do total de pessoas que foram infectadas com o vírus.

Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (102.934). Em seguida vêm Rio de Janeiro (47.355), Minas Gerais (36.753), Rio Grande do Sul (26.442) e Paraná (24.185). Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.564), Amapá (1.606), Acre (1.607), Tocantins (2.693) e Alagoas (4.446).

Vacinação

Até o momento, foram distribuídos a estados e municípios 82,8 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, foram aplicadas 49,6 milhões de doses, sendo 33,6 milhões da 1ª dose e 15,9 milhões da 2ª dose.

Prova de vida do INSS volta a valer a partir de junho nas agências 
Quem não atender convocação terá benefício bloqueado

Previdência Social_ABrA partir de junho, os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que deixarem de realizar a prova de vida voltarão a ter o benefício cortado, informou hoje o órgão. A exigência estava suspensa desde março de 2020, por causa da pandemia de covid-19.

Inicialmente, a retomada da prova de vida estava prevista para maio, mas foi adiada em um mês pela Portaria 1.299 do Ministério da Economia, publicada hoje (13) no Diário Oficial da União.

Em maio, ocorrerá o bloqueio de 160 mil beneficiários que deveriam ter feito a prova de vida em fevereiro de 2020, antes do início da pandemia. Estes devem ir à agência regularizar a situação. De março de 2020 em diante, os prazos serão retomados de forma gradual, para evitar aglomerações nas agências bancárias.

A portaria estabeleceu o seguinte calendário de transição para a prova de vida para os segurados do INSS.

tabelas-prova-de-vida

Os beneficiários escolhidos para a comprovação digital por reconhecimento facial e que não fizeram o procedimento no aplicativo Meu Gov.br terão o benefício cortado neste mês. Neste caso, o desbloqueio do pagamento poderá ser feito por reconhecimento facial no próprio aplicativo. Segundo o INSS, cerca de 340 mil pessoas selecionadas que fizeram a prova de vida digital nos últimos meses não correm o risco de ter o benefício bloqueado.

Agência Brasil

Afogados: homem esconde drogas em máscara de proteção contra a covid

Por volta das 16h50 desta quinta (06), a equipe GCVLI realizava rondas quando se deparou com um homem em atitude suspeita, ao proceder a abordagem foi encontrado na sua máscara de proteção um cigarro de maconha, pesando aproximadamente 01g (um grama).

Diante do exposto, a ocorrência foi apresentada na Delegacia de Polícia local, onde foi lavrado um TCO.

Calado é um poeta: ” Bolsonaro diz “que sem voto impresso”, não vai ter eleição em 2022

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira, em tom de ameaça, que não vai ter eleição em 2022 no Brasil caso o Congresso aprove uma regra que valide o voto impresso, mas eventualmente a mudança não entre em vigor, após tecer duras críticas ao presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso.

Em sua transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais, Bolsonaro citou trecho de entrevista recente dada por Barroso na qual o magistrado disse que seria um “caos” a adoção do voto impresso. Ele chamou o presidente do TSE de “dono do mundo”, “homem da verdade absoluta” e que “não pode ser contestado”.

“Ninguém aceita mais este voto que está aí, como vai falar que é preciso, é legal, é justo e não é fraudado? Única republiqueta do mundo, acho que talvez a única, é a nossa que aceita essa porcaria desse voto eletrônico, isso tem que ser mudado”, disse.

“E digo mais, se o Parlamento brasileiro, por maioria qualificada, em três quintos na Câmara e no Senado, aprovar e promulgar, vai ter voto impresso em 2022 e ponto final. Não vou nem falar mais nada. Vai ter voto impresso, porque se não tiver voto impresso, sinal de que não vai ter a eleição. Acho que o recado está dado”, ameaçou.

Bolsonaro disse que os defensores da democracia, que querem que o voto “valha de verdade”, têm de ser favoráveis a adotar a medida para tornar o voto auditável. Ele parabenizou a presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Bia Kicis (PSL-DF), e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), por darem prosseguimento à tramitação de uma proposta de emenda à Constituição nesse sentido.

Sem ter apresentado provas, o presidente tem dito que as eleições de 2018 –realizadas no sistema de voto eletrônico– foram fraudadas e que não fosse isso teria vencido ainda no primeiro turno.

Desde então, Bolsonaro tem feito a defesa da adoção de um voto eletrônico em que posteriormente haja um comprovante impresso para que seja auditável, mesmo diante do fato de o Brasil ter um dos sistemas de votação mais seguros do mundo, conforme especialistas.

O presidente insinuou que os contrários à adoção do voto impresso poderiam estar com medo do resultado da votação, ironizando que podem acreditar em “Papai Noel” ou que teriam interesse em se beneficiar com o resultado. (R7)

Compartilhe:

CPI: gerente-geral da Pfizer confirma que empresa ofereceu 70 milhões de doses de vacina, rejeitadas por Bolsonaro 

Carlos Murillo, gerente-geral da Pfizer na América Latina, concedeu depoimento à CPI e confirmou que o governo de Jair Bolsonaro rejeitou 70 milhões de doses da vacina. País hoje encontra-se à beira de um apagão de vacinas, com poucos insumos e imunizantes.

O gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, afirmou em depoimento à CPI da Covid-19 nesta quinta-feira (13) que a empresa fez ao menos quatro ofertas de doses de vacinas contra a Covid-19 em 2020 que não foram fechadas. Segundo o representante da Pfizer, as negociações começaram em maio e em agosto foi feita a primeira oferta ao Brasil, com dois quantitativos disponíveis: 30 milhões e 70 milhões de doses. A primeira leva de imunizantes chegaria no final de abril.

O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), questionou o representante sobre a oferta de vacinas: “A oferta feita pelo governo em 2020 foi de 6 milhões de doses, como disse o ministro Pazuello, ou de 70 milhões?”. “Foram 70 milhões de doses”, respondeu Murillo.

O dirigente afirmou que o laboratório fez mais duas ofertas, em 18 de agosto e 26 de agosto. Nesta última também foram ofertas 30 e 70 milhões de doses, mas o governo brasileiro ignorou a proposta.

“A proposta de 26 de agosto tinha validade de 15 dias. Passados 15 dias, o governo não rejeitou e nem aceitou a oferta”, explicou o técnico da Pfizer. Calheiros também perguntou sobre as cláusulas do contrato que o governo classificou como “leoninas” e Murillo respondeu que “não concordamos com esse posicionamento”.

“Começamos as reuniões em maio e junho. Foram reuniões iniciais e exploratórias. Como resultados, no mês de julho, fornecemos uma expressão de interessa, em que resumimos as condições do processo que a Pfizer estava realizando em todos os países no mundo”, acrescentou.

“Tivemos outras reuniões no mês de agosto. Em 6 de agosto, o ministério manifestou interesse. Em 14 de agosto, oferecemos nossa primeira oferta – de 30 milhões de doses e de 70 milhões de doses. O cronograma de entrega era o final de 2020 e inicio de 2021. Em 26 de agosto, fizemos uma terceira oferta (por 30 e 70 milhões de doses), mas tínhamos conseguido mais doses para o final de 2020”, continuou.

Doses negadas, apagão de vacinas

Em depoimento na CPI, nessa quarta-feira (12), o ex-secretário de Comunicação da Presidência da República Fabio Wajngarten afirmou que, em setembro de 2020, a Pfizer encaminhou ao governo Jair Bolsonaro a Pfizer encaminhou ao governo brasileiro, em setembro de 2020, uma carta dizendo estar disposta a colaborar com a oferta de vacina ao Brasil.

O ex-chefe da Secom disse que soube da carta somente no dia 9 de novembro e que, até então, o Executivo federal não tinha tomado providência alguma. Wajngarten afirmou que, nesse dia, procurou Bolsonaro para avisá-lo da correspondência. Wajngarten também disse que iniciou tratativas com Murillo, à época representante da Pfizer no Brasil, com quem teve uma reunião. O governo alegou entraves burocráticos e necessidade de mudança na legislação brasileira para atender cláusulas do contrato oferecido pela farmacêutica norte-americana.

O depoimento de Fábio Wajngarten à CPI da Covid indicando que Bolsonaro negligenciou o país ao rejeitar a oferta da Pfizer por vacinas, aliado a falas xenofóbicas do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a China que arranharam ainda mais a relação já desgastada com o país, o Brasil deu mais um passo para o que os gestores de saúde estão temendo que é o “apagão das vacinas” provocado pela escassez de insumos. 

Essa escassez de insumos vem da gestão do general Eduardo Pazuello, segundo coluna do jornal O Estado de S. Paulo, que ordenou que estados e municípios não guardassem a segunda dose da vacina distribuída em março, quando a orientação inicial era guardar metade para a segunda dose.

Brasil 247

Compartilhe:

Com 3.195 casos da Covid-19 em 24h, Pernambuco registra recorde desde o início da pandemia

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), nesta quinta-feira (13), Pernambuco registrou, nas últimas 24 horas, 3.195 novos casos da Covid-19. É o mais alto número de infectados confirmados desde o ínicio da crise sanitária, em março de 2020.

Entre os confirmados hoje, 207 (6,5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 2.988 (93,5%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 434.808 casos confirmados da doença, sendo 42.155 graves e 392.653 leves.

Ainda de acordo com o Portal Folha PE, também foram confirmados 79 óbitos, ocorridos entre 07/12/2020 e essa quarta-feira, 12 de maio de 2021. Com isso, o Estado totaliza 14.798 mortes pela Covid-19. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela SES-PE.

Total de casos confirmados em 24h em 2021:

3.195 (13 de maio de 2021)
3.074 (6 de maio de 2021)
2.987 (1º de abril de 2021) 
2.965 (7 de abril de 2021) 
2.884 (8 de abril de 2021) 
2.786 (25 de março de 2021) 

Total de casos confirmados em 24h desde o início da pandemia, em março de 2020:
1º) 3.195  (13 de maio de 2021)
2º) 3.074 (6 de maio de 2021)
3º) 2.987 (1º de abril de 2021) 
4º) 2.965 (7 de abril de 2021) 
5º) 2.884 (8 de abril de 2021)
6º) 2.843 (20 de abril de 2021)

Câmara aprova lei que acaba com o licenciamento ambiental no Brasil

O licenciamento é um dos principais instrumentos de proteção do meio ambiente e das populações afetadas por empreendimentos como a construção de hidrelétricas, barragens e rodovias.

A proposta de Geller transforma o licenciamento em mera burocracia, reduzindo a participação das populações impactadas e trazendo insegurança jurídica para os próprios empreendedores. (Foto: reprodução)

Deputados votaram na última quarta-feira (12) pelo fim do licenciamento ambiental no país. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, colocou o PL 3.729/2004 para votação no plenário da Câmara, sem debate público. O licenciamento é um dos principais instrumentos de proteção do meio ambiente e das populações afetadas por empreendimentos como a construção de hidrelétricas, barragens e rodovias. 

A versão do PL 3.729 aprovada ontem foi proposta pelo deputado Neri Geller (PP-MT). O texto aprovado foi apresentado na semana passada, quando foi solicitada a tramitação em regime de urgência, ou seja, sem transparência sobre seu conteúdo e sem debate público. A proposta de Geller transforma o licenciamento em mera burocracia, reduzindo a participação das populações impactadas e trazendo insegurança jurídica para os próprios empreendedores. 

Para a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), extinguir o licenciamento ambiental trará significativos e irreversíveis danos socioambientais ao Brasil, e ferirá o art. 225 da Constituição. Se o licenciamento ambiental for extinto, será potencializado o colapso hídrico e o País ficará ainda mais vulnerável às mudanças climáticas. O Brasil também terá graves consequências na política internacional e a agricultura familiar sofrerá efeitos danosos, pois é quem mais depende de um meio ambiente equilibrado para viver e produzir.

De acordo com Thais Bannwart, porta-voz de Políticas Públicas do Greenpeace, a aprovação do texto-base do PL 3.729/2004 no plenário da Câmara demonstra que a maior parte dos deputados trabalha para atender a interesses particulares e do agronegócio, em prejuízo da coletividade.

Polícia e o Sefaz-PE apreende carga com 17 toneladas de queijo mussarela em Arcoverde

Ação realizada pela equipe de Delmiro Gouveia teve apoio de agentes da Polícia Rodoviária Federal

Em ação experimental de monitoramento de cargas suspeitas de sonegação fiscal, a equipe da unidade de Delmiro Gouveia, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal de Garanhuns, conseguiu rastrear o deslocamento de um veículo com uma carga de 17 toneladas de queijo mussarela. 

A carga, oriunda do Paraná, foi apreendida na terça-feira (11) no município de Arcoverde, onde 60% estavam destinados a dois contribuintes laranja em Pernambuco.

A equipe da Sefaz-PE realizou a abordagem do veículo e conferência da carga, fazendo ainda  as diligências nos endereços fictícios dos dois contribuintes. 

Com as ações tomadas, foi lavrado os Termos de Constatações, bem como a lavratura do auto de apreensão e a negociação para o pagamento do mesmo. 

O Auto de Apreensão teve como objeto 10 toneladas de Queijo mussarela, avaliada em R$ 286 mil reais, onde foi integralmente pago no valor de R$ 74.744,40.

Globo: Juliette não será apresentadora  “É de Casa” na emissora e diz que contrato não foi renovado

A notícia de que a paraibana campeã do BBB21 seria apresentadora no É de Casa foi dada pelo apresentador Nelson Rubens, da Rede TV, nessa quarta-feira (12).

“O contrato de Juliette Freire não foi renovado e não procede a informação de que ela será apresentadora do É de Casa”, declarou a Globo. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Juliette não será apresentadora do É de Casa, segundo nota da Globo, enviada ao colunista Léo Dias, nesta quinta-feira (13). A notícia de que a paraibana campeã do BBB21 seria apresentadora no É de Casa foi dada pelo apresentador Nelson Rubens, da Rede TV, nessa quarta-feira (12).

A emissora desmentiu a declaração e disse que o contrato de Juliette Freire nem foi renovado após o Big Brother Brasil. “O contrato de Juliette Freire não foi renovado e não procede a informação de que ela será apresentadora do É de Casa”, declarou a Globo.

Juliette tem sido sondada por gravadoras para emplacar a carreira musical, após encantar muitos fãs cantando músicas de Chico César, Maria Gadu e outros artistas dentro do BBB21.

Quem já teve contrato renovado com a Globo foi Gil, o pernambucano último eliminado do BBB21 antes da final do reality show, conforme apurou o ClickPB.

Compartilhe:

João Pessoa registra 189,4 milímetros de chuva nas últimas 24 horas; confira os pontos de alagamentos nesta sexta-feira

Chove em João Pessoa quase 200 milímetros em 24 horas (Foto: Reprodução)

João Pessoa, capital paraibana, já registrou 189,4 milímetros de chuva nas últimas 24 horas. A informação foi dada nesta manhã de sexta-feira (14), pela Defesa Civil, que o ClickPB teve acesso. 

O volume de chuva registrado equivale a mais do que esperado para todo o mês de maio, que é de 150 milímetros. Nas últimas seis horas choveu mais de 90 milímetros na capital paraibana. 

Vários pontos de alagamento foram registrados na manhã desta sexta-feira (14), em diversos bairros da capital paraibana. A Defesa Civil monitora pontos de alagamentos e de possíveis deslizamentos, como a ladeira do Castelo Branco que dá acesso a BR-230.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, é esperado chuvas nas próximas horas na capital paraibana, podendo se estender para os próximos dias.

A Polícia Rodoviária Federal também registrou problemas nas rodovias e pede atenção aos motoristas.

Confira os pontos de alagamentos:

  • Bairro da Torre, nas imediações do mercado;
  • Bairro Esplanada, nas imediações da Praça Esplanada;
  • Bairro do Valentina de Figueiredo;
  • Comunidade São José;
  • BR 230, km 15, sentido Cabedelo para João Pessoa, na descida do viaduto do Forrock, buraco na vida na faixa da direita;
Compartilhe: