Afogados: Confira os secretários anunciado pelo prefeito Sandrinho Palmeira

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Sandrinho Palmeira (PSB),  divulga os nomes que irão constituir as pastas para compor a equipe de seu governo. 

Sandrinho deixa alguns nomes da equipe atual do prefeito José Patriota, mas trouxe algumas surpresas, como Lúcia Gomes nas Finanças,  o ex-vereador Augusto Martins na pasta de Cultura e Esportes e a ex-primeira dama, Madalena Leite, na Assistência Social. Rivelton Santos foi anunciado na pasta de Desenvolvimento Agrário e Sustentabilidade. Também são novos nomes Alexandre Morais (Governo) e Igor Mariano (Assessoria Especial).

Migração de pastas, Ney Quidute que foi de Finanças para Administração, Desenvolvimento Econômico e Turismo. Como já fora anunciado, o vice-prefeito Daniel Valadares não ocupará função na gestão. segundo o próprio Sandrinho, será um colaborador em todas as áreas da gestão.

Foram mantidos:

Silvano Jackson , o Bombinha (Infraestrutura), Arthur Amorim (Saúde), Flaviana Rosa, que foi para Trânsito,  Mobilidade Urbana e Transportes, Rodrigo Lima (Imprensa) e Ney Quidute que foi para outra pasta.

Dentre os que deixam a titularidade de pastas na gestão, Joana Darck (era Secretária de assistência Social), Veratânia Morais (era Secretária de Educação mais entra seu esposo Alexandre Moraes como Sec. de Governo), Ademar Oliveira (era Secretário de Agricultura) e Edygar Santos (era Secretário titular de Cultura e Esportes).

 

Afogados: Nasce Eulália, filha do prefeito Sandrinho Palmeira e Lélis Vasconcelos

O nome da criança é uma homenagem de Sandrinho a a sua avó, a criança nasceu de parto cesáreo e mãe e filha passam bem.
Vem vinda Eulália, que com certeza se apressou em nascer para ver a posse do pai. Parabéns prefeito e Lélis (nossa querida enxadrista) pelo nascimento da filha e em hospital público.

2021 terá três feriados nacionais prolongados

O primeiro feriado nacional prolongado já acontece nesta sexta-feira, 1º de janeiro, dia da Confraternização Universal e celebração do ano novo.

Primeiro feriado prolongado será o do ano novo (Foto: Reprodução)

Em meio a uma pandemia e expectativa da chegada de vacinas, o ano de 2021 terá três feriados prolongados nacionais, sem considerar os feriados estaduais e municipais e festejos como carnaval e Corpus Christi, que são pontos facultativos – e não feriados – em diversas cidades. Feriados prolongados são os que caem às segundas ou sextas-feiras, podendo ser emendados com os fins de semana.

O primeiro feriado nacional prolongado já acontece nesta sexta-feira, 1º de janeiro, dia da Confraternização Universal e celebração do ano novo.

Já em fevereiro haverá o carnaval, que não é feriado em todo o Brasil. Apenas algumas cidades o adotam como feriado; outras o consideram ponto facultativo. Em 2021, a tradicional celebração carnavalesca é dúvida em muitos locais do país.

Em algumas cidades, como São Paulo, ele não será celebrado em fevereiro. Para evitar a formação de aglomerações em meio à pandemia do novo coronavírus, o prefeito Bruno Covas determinou que o carnaval terá nova data em 2021 e será celebrado em meados do ano.

Além do dia 1º de janeiro, também são considerados feriados nacionais, estabelecidos na lei federal 10.607/2002, os dias 21 de abril (Tiradentes), 1º de maio (Dia do Trabalho), 7 de setembro (Independência do Brasil), 2 de novembro (Finados), 15 de novembro (Proclamação da República) e 25 de dezembro (Natal). Dois destes feriados vão cair em fins de semana em 2021.

Na Câmara dos Deputados tramitam dois projetos de lei (PL) que, caso aprovados, podem trazer mudanças ao calendário de feriados. Um deles, o projeto de lei 1.222/20, do deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), quer transformar o carnaval em feriado nacional.

O outro, o PL 5.129/20, do deputado Luiz Antonio Teixeira Jr (PP-RJ), pretende decretar ponto facultativo no dia 3 de julho (um sábado) e transformar em feriado nacional os dias 5 e 6 de julho de 2021. O objetivo, segundo o deputado, é estimular os setores ligados ao turismo, ajudando a gerar empregos.

Confira os feriados nacionais prolongados de 2021

China detecta a chegada de nova cepa do Coronavírus

O centro de pesquisas considera que essa mutação representa “uma séria ameaça à prevenção e ao controle da Covid-19 no país”.

Após a descoberta dessa variante do coronavírus, várias medidas de controle foram tomadas. (Foto: Reprodução)

A mutação altamente contagiosa do coronavírus detectada no Reino Unido foi identificada na China. O Centro para Controle e Prevenção de Doenças de Pequim informou nesta quinta-feira, 31, que uma estudante, que estava no Reino Unido e retornou a Xangai no dia 14 de dezembro foi contaminada pela nova cepa.

No mesmo dia, Pequim anunciou a suspensão de seus voos com a Grã-Bretanha. A jovem de 23 anos foi colocada em isolamento. O centro de pesquisas considera que essa mutação representa “uma séria ameaça à prevenção e ao controle da Covid-19 no país”.

Após a descoberta dessa variante do coronavírus, várias medidas de controle foram tomadas. Os contatos da estudante foram rastreados, incluindo os passageiros e tripulantes do avião em que ela viajou. “Os locais específicos pelos quais ela passou foram totalmente desinfetados”, asseguraram as autoridades chinesas.

A variante britânica do coronavírus já foi encontrada em vários países, como Canadá, Estados Unidos, Portugal, França, Itália, Jordânia, Coréia do Sul e Chile. De acordo com os especialistas, ela é 50% a 74% mais contagiosa do que outras existentes. Após o seu aparecimento, cerca de 50 países suspenderam a chegada de viajantes oriundos da Inglaterra nas últimas semanas.

Nesta quinta-feira, o governo chinês também aprovou “sob condições” a comercialização de uma primeira vacina contra o coronavírus: o imunizante desenvolvido pela Sinopharm em parceria com o Instituto de Produtos Biológicos de Pequim. Essa vacina demonstrou 79% de eficácia contra a Covid-19.

O vice-ministro da Saúde, Zeng Yixin, esclareceu que a autorização permitirá generalizar a vacinação em grupos de risco, principalmente idosos e pessoas com doenças crônicas, e que o próximo passo “será vacinar toda a população”, disse.   Segundo ele, uma vacinação “de 60% a 70%” dos 1,4 bilhão de chineses será necessária para garantir “a proteção de toda a população”. Yixin prometeu que a vacina será “fornecida gratuitamente a todos”.

Zeng ainda informou que milhões de vacinas já foram aplicadas em chineses em risco de saúde, desde 15 de dezembro, sem especificar quais vacinas foram usadas. De acordo com o Ministério da Saúde chinês, 5 milhões de pessoas já receberam diversas vacinas em desenvolvimento no país e apenas algumas reações alérgicas leves foram observadas. As autoridades consideram que agora o uso das vacinas pode ser generalizado.

Pequim, que erradicou em grande parte a epidemia em seu território, havia aplicado doses de vacinas em caráter de emergência desde o verão, principalmente para equipes médicas ou para estudantes e diplomatas que precisavam viajar para o exterior.

A China, país onde o coronavírus apareceu no final de 2019, busca estar na vanguarda global do desenvolvimento de vacinas contra a doença. À custa de enormes aportes financeiros do Estado, a China realiza atualmente 14 testes em humanos, incluindo cinco deles em fase final (fase 3) de testes, incluindo a vacina que acaba de ser aprovada.

O gigante asiático promete fazer das vacinas chinesas “um bem público global” oferecido a “um preço razoável” ou mesmo “oferecido”. O país já começou a entregar as doses a algumas nações como Indonésia e Emirados Árabes Unidos.

No entanto, a taxa de eficácia da vacina da Sinopharm é menor do que as alegadas por seus concorrentes Pfizer / BioNTech (95%) e Moderna (94,1%).

Nova variante do coronavírus, mais transmissível, é identificada no Brasil

A nova variante do Sars-CoV-2, potencialmente mais transmissível que a versão atual, detectada na Inglaterra e em diversos países da Europa e da Ásia, acaba de ser identificada no Brasil.

A informação foi divulgada nesta quinta (31) pela Dasa, líder brasileira em medicina diagnóstica, que fez a identificação. A empresa diz que já comunicou a descoberta ao Instituto Adolfo Lutz e à Vigilância Sanitária.
Segundo o ECDC (European Centre for Disease Prevention and Control), estima-se que nova linhagem tenha uma transmissibilidade até 70% superior ao que se tem como parâmetros atualmente. Mas não há indícios de que ela seja mais letal.
As agências de saúde, especialistas e autoridades científicas do Reino Unido afirmam, porém, que tal linhagem não deve afetar a eficácia das vacinas que foram desenvolvidas contra a Covid-19.
Segundo a Dasa, o estudo que levou à detecção da variante no Brasil começou logo após o Reino Unido ter anunciado a detecção da nova linhagem em 13 de dezembro último.
A variante se caracteriza por apresentar grande número de mutações, oito delas ocorrendo na proteína da espícula viral (spike).
Foram analisadas 400 amostras de RT-PCR de saliva, método que identifica três alvos distintos e não apenas o gene S, da proteína spike, e dentre elas, duas amostras apresentaram a linhagem B.1.1.7.
“A spike é a proteína que o vírus usa para se ligar à célula humana e, portanto, alterações nela podem tornar o vírus mais infeccioso. Os cientistas ingleses acreditam que seja essa a base de sua maior transmissibilidade”, explica o virologista da Dasa, José Eduardo Levi.
A confirmação da cepa em dois pacientes foi feita por meio de sequenciamento genético realizado em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMT-FMUSP).
“O sequenciamento confirmou que a nova cepa do vírus chegou ao Brasil, como estamos observando em outros países. Dado seu alto poder de transmissão esse resultado reforça a importância da quarentena, e de manter o isolamento de 10 dias, especialmente para quem estiver vindo ou acabado de chegar da Europa”, diz Ester Sabino, pesquisadora do IMT-FMUSP.
Mutações em vírus são normais. Por isso, já eram esperadas alterações no RNA (material genético) do Sars-CoV-2. Hoje, no Reino Unido, a nova linhagem B.1.1.7 já representa mais de 50% dos novos casos diagnosticados, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).
“A prevenção ainda é o método mais eficaz para barrar a propagação do vírus: lavar as mãos, intensificar o distanciamento físico, usar máscaras e deixar os ambientes sempre ventilados. Apesar das festas de fim de ano e das férias que se aproximam, é imperativo reforçar os cuidados”, diz o diretor médico da Dasa, Gustavo Campana.
Além do sequenciamento, a Dasa está com outra pesquisa em andamento em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da USP. Trata-se do isolamento e cultivo dessa nova linhagem do vírus em meio de cultura, no laboratório, para gerar material que permita testar a eficiência dos testes de diagnósticos que só se baseiam em proteína S com esta variante.
“Alguns testes de imunologia e de sorologia que só identificam a proteína S podem apresentar resultados falso negativos nos diagnósticos dessa nova variante. Estamos antecipando a avaliação para definir os exames que sofram menos interferência em seu desempenho de diagnóstico, numa eventual expansão dessa variante no Brasil”, explica Campana. (Folha de Pernambuco)

 

 

Empresa da Dinamarca investe R$ 510 milhões na produção de energia eólica em PE

Foto: divulgação

Com foco em fortalecer e expandir sua atuação no Nordeste do Brasil, a dinamarquesa European Energy inicia, em fevereiro de 2021, a construção dos primeiros parques eólicos da empresa em Pernambuco.

As três unidades, instaladas nos municípios de Macaparana (Zona da Mata) e Poção (Agreste), vão receber investimentos de R$ 510 milhões, sendo R$ 358 milhões viabilizados pelo Banco do Nordeste (BNB).

“Este investimento reforça nosso compromisso com o Brasil, trazendo a longa experiência da European Energy com projetos eólicos e colaborando com o desenvolvimento destes municípios. Estamos otimistas com as oportunidades do setor elétrico em 2021 e com as parcerias que estamos desenvolvendo”, afirma Jens-Peter Zink, Vice-Presidente Executivo da empresa.

Em Pernambuco, o projeto, que está sendo desenvolvido em conjunto com a empresa pernambucana Eólica Tecnologia, integra o leilão A-6 de 2017.

Os municípios foram escolhidos principalmente pela disponibilidade de recurso natural. Um estudo assinado pela AWS Truepower constatou o atrativo potencial da localização dos parques.

“O estudo demonstra o potencial do interior do Estado, que no futuro podem vir a receber novos investimentos da European Energy ou de outras empresas interessadas em investir em energia renovável”, ressalta Jens-Peter Zink.

Com previsão para operação em outubro de 2022, os parques Ouro Branco I, Ouro Branco II e Quatro Ventos vão ter, juntos, capacidade para gerar um total de 94,5 MW, volume equivalente ao consumo de 65 mil famílias.

Essa energia gerada será adicionada e comercializada à rede de distribuição do mercado regulado de Pernambuco, aumentando a disponibilidade de energia limpa e sustentável.

Juntos, os parques vão somar 21 aerogeradores.

O Quatro Ventos terá capacidade de gerar 22,5 MW, e os demais, 36 MW cada um. Toda essa energia gerada vai contribuir para a redução de mais de 500 mil toneladas de emissões de gases de efeito estufa durante a sua operação e para o desenvolvimento dos municípios.

O projeto possui todas as licenças ambientais para o início das obras, que contarão com mão de obra prioritariamente local. Os projetos eólicos contam com o apoio do governo dinamarquês por meio do Investment Fund for Developing Countries (IFU), um fundo de investimento países em desenvolvimento que requer atendimento a diversos critérios internacionais de melhores práticas.

“Além de potencializar o mercado de trabalho, com contratação de profissionais e de empresas da região, a European Energy realizou levantamento de perfis sociais dos três municípios. Esses estudos vão nortear as políticas sociais que serão oferecidas aos moradores dos três lugares”, diz a empresa.

Bolsonaro anuncia aumento do salário mínimo para R$ 1.100 a partir do dia 1º

O presidente Jair Bolsonaro assinou medida provisória nesta quarta-feira (30) elevando o salário mínimo de R$ 1.045 para R$ 1.100.

Em mensagem, nas redes sociais, o presidente afirmou que o novo valor, que representa um aumento de 5,26%, terá vigência a partir da sexta-feira (1º).
“O valor de R$ 1.100,00 se refere ao salário mínimo nacional. O valor é aplicável a todos os trabalhadores, do setor público e privado, e também para as aposentadorias e pensões”, escreveu.
No dia 15, o Ministério da Economia havia projeto um salário mínimo para o próximo ano de R$ 1.088. Segundo relato feito à Folha, o presidente pediu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que o valor fosse arredondado para R$ 1.100.
Após análise da equipe técnica, o ministro concordou com o novo valor. Segundo um assessor palaciano, o aumento é uma tentativa do presidente de diminuir o impacto negativo com o fim do pagamento do auxílio emergencial, que não será estendido para o próximo ano.
O aumento para R$ 1.088 representaria uma elevação de R$ 14,4 bilhões nas despesas públicas do próximo ano, como aposentadorias e pensões.
Em agosto, a previsão do Ministério da Economia era que o piso salarial tivesse um aumento ainda menor, para R$ 1.067. A estimativa foi atualizada diante do aumento da inflação nos últimos meses. A previsão do governo para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2021 é de uma alta de 3,2%.

Laboratório detecta primeiros casos da nova variante do coronavírus em São Paulo

Vírus é da mesma ‘família’ que surgiu no Reino Unido. Empresa que encontrou variante comunicou a descoberta ao Instituto Adolfo Lutz e à Vigilância Sanitária.

No Reino Unido, ela já representa mais de 50% dos novos casos diagnosticados, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. (Foto: Reprodução/TV Globo)

O laboratório de diagnóstico Dasa informou nesta quinta-feira (31) que encontrou dois casos da nova variante do coronavírus em São Paulo. A empresa disse que essa é a mesma cepa que surgiu no Reino Unido e que comunicou a descoberta ao Instituto Adolfo Lutz e à Vigilância Sanitária.

A variante, chamada de B.1.1.7, já foi registrada em pelo menos outros 17 países. Ela tem mutações que afetam a maneira como o vírus se fixa nas células humanas e é 56% mais contagiosa. Não há evidências de que a variante provoque casos mais graves ou com maior índice de mortes, nem mesmo que seja resistente às vacinas.

No Reino Unido, ela já representa mais de 50% dos novos casos diagnosticados, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

O estudo do laboratório brasileiro que identificou essa versão do coronavírus foi iniciado em meados de dezembro, quando o Reino Unido publicou as primeiras informações científicas sobre a variante.

A empresa afirmou que foram analisadas 400 amostras de RT-PCR de saliva e que a confirmação da cepa foi feita por meio de sequenciamento genético, em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMT-FMUSP). Dois pacientes tiveram a nova variante.

Preocupação com testes

O laboratório disse que está trabalhando com o Instituto de Medicina Tropical da USP para gerar material que permita testar a eficiência dos testes de diagnósticos do coronavírus.

A preocupação é que os testes atuais possam apresentar falsos negativos, quando uma pessoa está doente mas o exame não aponta a presença do vírus.

Polícia divulga detalhes da morte de egipciense que comandava quadrilha de roubos na região

O efetivo do 23° BPM recebeu informações que Vitor Manoel Alves Pereira, conhecido por Vitinho, 18 anos, natural de São José do Egito,, o qual possui mandado de prisão em aberto pelo crime de roubo oriundo da comarca de Tabira –PE, bem como é suspeito de vários crimes na região do Pajeú, como roubos de motocicletas, homicídios e latrocínio, estaria homiziado na residência de um outa pessoa.

As Equipes do 23º BPM e da 20º DESEC/167ª Circunscrição diligenciaram no intuito de averiguar a veracidade do informe. Ao realizar o cerco na casa, o policiamento notou quando Vitinho se evadiu pulando os muros de residências diversas e tomando momentaneamente destino ignorado.
Durante as diligências, a equipe do Malhas da Lei do 23º BPM flagrou Vitinho nas margens da PE 320, próximo ao Conjunto Habitacional Junior Valadares com uma pistola (arma de fogo) em punho, dentro do automóvel de um outro envolvido, circunstância em que foi dada ordem de forma verbal e através de sirenes da viatura, só sendo possível a abordagem momentos depois.
No ato da abordagem, o outro envolvido logo desceu do automóvel e obedeceu ás ordens policiais, enquanto Vitinho, saiu do carro e tentou se evadir a pé para o matagal, parando logo em seguida e fingindo que iria obedecer as ordens do policiamento, mas, repentinamente, sacou uma arma de fogo, tipo pistola, marca Taurus, .40 calibre, capacidade 10+1, vindo a disparar contra a equipe policial, que não foi atingida por vontades alheias a Vitinho, momento em que o policiamento reagiu a injusta agressão de maneira proporcional e necessária, também, com arma de fogo, tendo atingido Vitinho na região do tórax, abdômen e braço, o qual logo largou a sua arma de fogo e caiu no chão.
A equipe policial que se encontrava no local acionou as demais guarnições de área, solicitou a presença do corpo de bombeiros para socorrer o mesmo, já que ele apresentava sinais vitais, todavia em virtude da clara necessidade de urgência no socorro, foi socorrido por uma viatura policial para o hospital municipal, mas após dar entrada no socorro, veio a óbito durante o atendimento médico hospitalar.
No imóvel, foi localizada e apreendida uma motocicleta Honda Bros, preta, de propriedade de Vitinho, a qual apresentava visíveis sinais de adulteração, sendo suspeita de clonagem e roubo/furto.
No interior do automóvel conduzido pelo outro envolvido, foi apreendido o aparelho celular de propriedade de Vitinho.
O outro envolvido afirmou ao policiamento ter sido rendido e sequestrado pelo homem que estava na casa com Vitinho, que de arma em punho o obrigou a dar fuga.
A ocorrência foi passada à disposição da Delegacia de Polícia de São José do Egito onde será instaurado um inquérito.

Miguel e Maria Eduarda foram nomes mais registrados da última década 

Levantamento foi divulgado hoje pela Arpen-Brasil

Miguel e Maria Eduarda foram os nomes masculino e feminino mais registrados nos cartórios do Brasil nos últimos dez anos, de acordo com levantamento divulgado hoje (29) pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil).

Entre 2010 e 2020, foram 321.644 bebês registrados com o nome Miguel, que também foi o preferido deste ano (27.371). Nessa mesma década, Maria Eduarda foi registrado 214.250 vezes. Em 2020, esse nome feminino composto ficou em nono (9.856).

Arthur (287.886), Davi (248.066) e Gabriel (223.899) vêm a seguir de Miguel como os nomes mais registrados da década, numa lista única de nomes masculinos e femininos. Depois vem Maria Eduarda e Alice (193.788).

As listas de nomes masculinos e femininos mais registrados na última década confirma uma preferência do brasileiro por nomes simples para seus filhos. Dos dez primeiros, há apenas dois nomes compostos: Maria Eduarda, em quinto, e Pedro Henrique, em oitavo.

Confira abaixo as listas dos nomes de bebês mais registrados no Brasil neste ano e na última década:

10 nomes mais frequentes entre 2010 e 2020

Miguel – 321.644
Arthur – 287.886
Davi – 248.066
Gabriel – 223.899
Maria Eduarda – 214.250
Alice – 193.788
Heitor – 154.237
Pedro Henrique – 154.232
Laura – 153.557
Sophia – 147.579

10 nomes masculinos mais frequentes entre 2010 e 2020

Miguel – 321.644
Arthur – 287.886
Davi – 248.066
Gabriel – 223.899
Heitor – 154.237
Pedro Henrique – 154.232
Bernardo – 143.046
Samuel – 140.695
Lucas – 140.683
Guilherme – 131.634

10 nomes femininos mais frequentes entre 2010 e 2020

Maria Eduarda – 214.250
Alice – 193.788
Laura – 153.557
Sophia – 147.579
Maria Clara – 140.043
Julia – 138.675
Helena – 132.342
Valentina – 125.813
Ana Clara – 121.920
Ana Julia – 110.123

10 nomes mais frequentes em 2020

Miguel – 27.371
Arthur – 26.459
Heitor – 23.322
Helena – 22.166
Alice – 20.118
Theo – 18.674
Davi – 18.623
Laura – 17.572
Gabriel – 17.096
Gael – 16.667

10 nomes masculinos mais frequentes em 2020

Miguel – 27.371
Arthur – 26.459
Heitor – 23.322
Theo – 18.674
Davi – 18.623
Gabriel – 17.096
Gael – 16.667
Bernardo – 16.558
Samuel – 14.069
João Miguel – 12.746

10 nomes femininos mais frequentes em 2020

Helena – 22.166
Alice – 20.118
Laura – 17.572
Valentina – 12.653
Heloisa – 12.077
Maria Clara – 10.121
Sophia – 10.044
Maria Julia – 10.023
Maria Eduarda – 9.856
Lorena – 9.414

Agência Brasil

Dólar é cotado a R$ 5,1878 nesta quarta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,35 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,6722.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta quarta-feira (30), está cotado no valor de R$ 5,1878. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,4145.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,35 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,6722. 

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

O Portal ClickPB apura de segunda à sexta-feira a cotação do dólar e euro.

Senado da Argentina aprova legalização do aborto no país

O texto aprovado hoje estabelece que as mulheres têm direito a interromper voluntariamente a gravidez até a 14ª semana de gestação. (Foto: Reprodução)

O Senado da Argentina aprovou, na madrugada desta quarta-feira (30), após 12 horas de debate, o projeto de lei de autoria do governo do presidente Alberto Fernández para legalizar o aborto no país. Foram 38 votos a favor da legalização, 29 contra e uma abstenção.

“É aprovado, vira lei e vai para o Executivo”, declarou a vice-presidente Cristina Kirchner, que preside o Senado.

O texto aprovado hoje estabelece que as mulheres têm direito a interromper voluntariamente a gravidez até a 14ª semana de gestação. Após este período, o aborto será permitido apenas em casos de risco de vida para a gestante ou quando a concepção é fruto de um estupro.

Pelo Twitter, Fernández comemorou a aprovação do projeto:

“O aborto seguro, legal e gratuito é lei. Hoje somos uma sociedade melhor, que amplia os direitos das mulheres e garante a saúde pública”, escreveu o presidente argentino na rede social.

O projeto de lei havia sido aprovado pela Câmara em 11 de dezembro, quando recebeu 131 votos favoráveis e 117 contrários dos deputados. Seis parlamentares se abstiveram.

‘O aborto sempre existiu na Argentina. Agora saiu do armário’, diz ativista de 91 anos
Segundo informações da agência AP, abortos clandestinos já causaram a morte de mais 3 mil mulheres no país desde 1983. Todos os anos, cerca de 38 mil mulheres são hospitalizadas por conta deste procedimento.

É a segunda vez em menos de três anos que o tema volta à pauta. O projeto, de autoria do governo Fernández, chegou ao Congresso semanas atrás, seguindo uma promessa do então candidato da oposição a Mauricio Macri.

Em 2018, ainda no governo Macri, uma proposta de legalizar o aborto na Argentina passou na Câmara, mas acabou rejeitada no Senado.

O projeto de lei
A lei atual previa a interrupção voluntária da gravidez só em caso de risco de vida para a mãe ou quando a concepção é fruto de um estupro.

Isso muda agora: o projeto aprovado nesta quarta autoriza a interrupção da gravidez até a 14ª semana de gestação. O procedimento deverá ser feito no prazo de até dez dias do pedido ao serviço de saúde.

O texto prevê que os médicos que são contra o aborto não são obrigados a executar o procedimento, mas os serviços de saúde precisam apontar um outro profissional que se disponha a fazê-lo. Se a paciente tiver menos de 16 anos, ela precisará de consentimento dos pais.

O que acontece com as grávidas com mais de 16 anos e menos de 18 foi tema de debate. Inicialmente, o texto dizia que elas mesmas poderiam pedir o procedimento. Depois de uma discussão, adicionou-se um parágrafo em que se diz que, nessa situação, se houver conflito de interesses com os pais, as pacientes receberão auxílio jurídico.

Brasil registra 1.075 óbitos por Covid nas últimas 24 h; Rio Grande do Sul bate recorde de mortes

Chega a 7.564.209 de pessoas infectadas 192.716 óbitos

As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. (Foto: Reprodução)

O Brasil registrou 1.075 óbitos pelo novo coronavírus e 57.319 casos da doença nas últimas 24 horas. O país, assim, chega a 192.716 óbitos e a 7.564.209 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.Os números desta terça-feira (29) representam mais que o dobro do número de óbitos e casos divulgados no dia anterior. Números mais baixos aos feriados, domingos e segundas são comuns devido ao atraso de notificação das secretarias estaduais.O estado do Rio Grande do Sul registrou o mais alto número de novas mortes por Covid-19 em um dia: foram 144. O último recorde tinha sido apenas uma semana antes, no dia 22 de dezembro, quando o estado registrou 101 óbitos pelo novo coronavírus – o único registro acima de cem óbitos até então.O RS acumula até o momento 8.680 mortes por Covid-19 e 438.458 casos, sendo o quinto estado mais afetado pela pandemia, atrás somente de SP (1.440.229 casos), MG (529.653), BA (487.691) e SC (485.935).Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.De acordo com os dados coletados até as 20h desta terça-feira (29), a média de mortes nos últimos sete dias é de 633, um aumento de 2,5% em relação ao dia anterior. O estado atual da doença no país é acelerado, depois de um breve intervalo de estabilidade, com alta de mortes desde o final de novembro.A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (29) aponta 58.718 novos casos confirmados da Covid-19 nas últimas 24h, com 1.111 novas mortes.
Desde o início da epidemia, segundo dados do ministério, são 7.563.551 novos casos e 192.681 mortes pela doença. Há, ainda, 2.508 mortes ainda em investigação.

Jurista Adriana Rocha é anunciada para comandar Secretaria do Trabalho e Qualificação do Recife

 (Internet / Reprodução)

Publicado em: 29/12/2020 21:48

Dando prosseguimento aos anúncios de seu secretariado, o prefeito eleito do Recife João Campos (PSB) oficializou o nome da jurista Adriana Rocha para assumir, a partir de janeiro, a Secretaria do Trabalho e Qualificação do Recife. 

Por meio de redes sociais, o socialista reforçou que “Vamos estar sempre buscando formas de impulsionar a geração de emprego e renda, para nos ajudar a superar esse momento desafiador que foi agravado pela pandemia. E a Secretaria de Trabalho e Qualificação contará com instrumentos importantes para criarmos essas condições”. 

Formada em direito pela Univeridade Federal de Pernambuco, Adriana possui mestrado em Relações Sociais pela PUC-SP e é professora de direito constitucional na Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). 

Campos (PSB) finalizou da seguinte maneira “Ela vai atuar para reforçar iniciativas já existentes e estruturar novas políticas com capacidade de ampliar fortemente a qualificação da mão de obra da nossa cidade e de endereçar cada vez mais recifenses ao mercado de trabalho”. 

 

Veja restrições em todas as praias do litoral de Pernambuco para o Ano Novo

O Governo de Pernambuco publicou, no dia 8 de dezembro, um decreto que proibia a realização de shows e festas de final de ano em espaços públicos ou privados, como condomínios, clubes, hotéis e estabelecimentos afins, com ou sem cobrança de ingresso, no intuito de evitar a disseminação do novo coronavírus. Com a aproximação do réveillon de 2021, diversas prefeituras endureceram as medidas e anunciaram como será feita a fiscalização nas praias do Estado. O litoral é um dos principais destinos para assistir à chegada de um novo ano. Confira, na lista abaixo, as ações divulgadas pelas gestões municipais para conter aglomerações nas orlas:

Recife

  • Praia do Pina
  • Praia de Brasília Teimosa
  • Praia de Boa Viagem

A Prefeitura do Recife proibiu a instalação de mesas, cadeiras, bancos, toldos, coolers ou qualquer outro objeto no dia 31 de dezembro ao longo de toda a praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, para a festa de virada do ano. O comércio na praia, seja dos quiosques, barracas ou ambulantes, poderá acontecer apenas até 17h da quinta-feira (31). Segundo a gestão, equipes vão fiscalizar, conscientizar a população e distribuir máscaras de proteção. No dia 1º de janeiro, eles poderão reabrir às 6h, desde que seguindo as normas sanitárias vigentes

Jornalista Eduardo Ramos Jordão é morto a pauladas em chácara de Abadia de Goiás

Ele também era artista plástico e cantor. Polícia Civil foi ao local onde aconteceu o crime para levantar mais informações sobre a morte.
Jornalista Eduardo Ramos Jordão foi encontrado morto aos 77 anos. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O jornalista Eduardo Ramos Jordão, de 77 anos, foi encontrado morto na noite de segunda-feira (28) na chácara dele em Abadia de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi assassinada a pauladas e teve alguns objetos roubados.

O delegado Arthur Fleury informou que o caso já foi registrado. “Ainda estamos fazendo os levantamentos no local de crime, mas já é possível afirmar que houve um homicídio. A vítima foi morta a pauladas”, explicou.

O corpo de Eduardo foi encontrado próximo à cama dele, por um morador da região que estranhou o fato de o jornalista não atender as ligações.

“Não temos o laudo ainda do local de crime, mas a casa estava bem desorganizada. Foram levados alguns objetos dele, como o som e o carro. Agora, estamos ouvindo algumas pessoas que o conheciam para traçar nossa linha de investigação”, disse o delegado.

Além de jornalista, Eduardo era artista plástico, poeta e cantor. Ele foi o criador do Concurso de Poesia Falada, em Goiás. Suas telas já foram expostas na Câmara de Goiânia e na Assembleia Legislativa.

Durante a sessão na Câmara nesta terça-feira (29), o vereador Paulo Magalhães (PSD) lamentou a morte do amigo. “Ele venceu a ditadura, mas foi vítima da violência urbana”, disse.

O velório e sepultamento serão no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia.

 

Administrador Murilo Cavalcanti é anunciado Secretário de Segurança Cidadã do Recife na gestão João Campos (PSB)

Dando continuidade às noemações de seu secretariado, o prefeito eleito do Recife, João Campos (PSB) anunciou outro nome na sua equipe. Na Secretaria de Segurança Cidadã do Recife, Campos (PSB) anunciou o administrador Murilo

Por meio de redes sociais, João destacou que ” Os municípios podem e devem ter um papel ativo na prevenção social do crime, com políticas próprias e integradas com outros entes, mas, sobretudo, alinhadas com a necessidade da promoção de cidadania, cultura de paz e não violência”.

“Sempre dialogando com outras estruturas da gestão, para avançar em conquistas como o Compaz, mas com o olhar em novas medidas, como a redefinição do papel da Guarda Municipal na segurança ostensiva e experiências ajudem a garantir mais segurança cidadã e inclusão social” , concluiu ao anunciar seu novo secretário. 

 

Afogados registra 21 novos casos de covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta terça (29) foram registrados 21 casos para covid – 19 em nosso município. Desses, 16 já estavam em investigação.

São 10 pacientes do sexo feminino, com idades de 13, 14, 28, 32, 39, 41, 42, 42, 50 e 56 anos; e 11 pacientes do sexo masculino, com idades de 08, 13, 21, 24, 25, 30, 33, 45, 50, 51 e 60 anos. Entre as mulheres: 03 sem informação, 02 auxiliares de serviços gerais, 02 estudantes (rede pública), 01 profissional da saúde, 01 autônoma e 01 vendedora. Já entre os homens: 05 estudantes (03 rede privada e 02 pública), 02 professores (01 rede pública e 01 rede privada), 01 agricultor, 01 pedreiro, 01 empresário e 01 autônomo. 
Entram em investigação os casos de 22 homens, com idades entre 03 e 58 anos; e os casos de 26 mulheres, com idades entre 17 e 86 anos. 
Hoje, 71 pacientes apresentaram resultados negativos para a COVID – 19, e 102 pacientes apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 1.955 pessoas (94,76%) recuperadas para covid-19. Atualmente, 85 casos estão ativos. 
Afogados atingiu a marca de 9.509 pessoas testadas para covid-19, o que representa 25,52 % da nossa população. 
Casos leves x SRAG/covid- 19: 
Leves (1993 casos), 96,60% Graves (70 casos), 3,40%.

Antônio Figueira é desligado do governo Paulo Câmara

Desligado do Governo, ontem, por meio de uma carta em caráter irrevogável ao governador Paulo Câmara, o agora ex-chefe da Assessoria Especial, médico Antônio Carlos Figueira, volta a se dedicar ao Imip – Instituto Materno e Infantil de Pernambuco. Há quem possa ter estranhado a sua saída depois de dez anos no poder, mas Figueira, na verdade, fez uma espécie de sacrifício para entrar na vida pública atendendo a uma convocação do ex-governador Eduardo Campos. Volta ao Imip para incrementar a faculdade por excelência da instituição.

Saída lamentada – Mesmo não sendo da área, médico por vocação e ofício, Figueira chegou a cuidar da área política do Governo, assumindo a Casa Civil. Abriu o gabinete para as lideranças do Interior com tamanha disposição que logo passaram a aduzir que ele seria candidato a senador, mas o tempo se encarregou de mostrar que sua passagem pelo Governo se traduziu apenas num grande aprendizado. Resta saber se o seu sucessor terá tamanha capilaridade. “Fará muita falta”, diz um interlocutor do governador que tem por Figueira enorme admiração. Por Magno Martins

Afogados: Mototaxista morre vítima de parada cardíaca 

O mototaxista, Adriano da Silva Macena, conhecido por Diogo Mototaxi, de 35 anos, faleceu na tarde desta terça-feira (29), No Hospital Regional Emília Câmara, em Afogados da Ingazeira.

Segundo informações, Diogo teve uma parada cardíaca, foi socorrido para a unidade hospitalar, foi reanimado, mas não resistiu, vindo a óbito por volta das 15h. 

Ele trabalhou durante muitos anos no ponto ao lado do Banco do Brasil, ultimamente estava com um ponto no bairro São Braz, onde residia. Diogo deixa esposa e dois filhos, uma menina de 9 anos  e um menino de 1 ano e um mês.

Prefeita eleita Nicinha Melo encontra Governador Paulo Câmara em Afogados da Ingazeira

Na tarde dessa terça-feira (29) a prefeita eleita de Tabira Nicinha Melo (MDB), esteve participando da comitiva que recepcionou o governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB).

“Na oportunidade, conversei com ele sobre nossa amada Tabira, a primeira conversa de várias que teremos ao longo de nosso mandato, sempre buscando melhorias para nossa terra”, afirmou Nicinha Melo em suas redes sociais.

Paulo Câmara descarta medidas restritivas mais duras para combater a Covid-19

O overnador Paulo Câmara descartou temporariamente medidas restritivas mais duras no Estado para combater a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Câmara destacou as medidas mais duras como o fechamento do comércio não essencial, logo no início da pandemia foi necessário, para dar tempo de estruturar a rede hospitalar no Estado.

“Temos tido essa preocupação desde o mês de março, quando o primeiro caso da Covid-19 chegou a Pernambuco, de buscar dar as respostas necessárias. Precisávamos naquele momento fazer toda uma política de isolamento, porque a ciência assim exigia e o mundo mostrou ser necessário as medidas que foram tomadas. Depois preparamos toda a nossa rede hospitalar para cuidar das pessoas que ficassem doentes. Isso foi feito com muita enfase, principalmente nos primeiros meses e montamos estruturas, principalmente de leitos de enfermaria e leitos de UTI em todas as regiões do estado de Pernambuco”, destacou Câmara.

O governador falou sobre o aumento de casos que volta a preocupar a todos no estado. “A partir dos meses de julho e agosto a situação melhorou um pouco, ou seja, o número de casos caíram, mas infelizmente temos visto agora, principalmente a partir do mês de novembro, um retorno. Não da mesma forma do início dessa pandemia, mas com números que ascendem preocupações adicionais”, frisou. 

Paulo Câmara destacou as ações que estão sendo tomadas a partir da percepção do aumento dos casos no Estado. Como a reabertura de quase 200 leitos de UTI durante este mês de dezembro. “Inclusive estamos abrindo aqui na próxima segunda-feira (4), em Afogados da Ingazeira, mais dez novos leitos de UTI no Hospital Regional Emília Câmara, fora os leitos que já foram abertos em Serra Talhada, no Hospital Governador Eduardo Campos e que novos serão abertos lá também pra gente cuidar melhor da população que ficar doente”, destacou.

Questionado se Pernambuco acompanha o Plano Nacional de Imunização (PNI), ou se segue agenda de imunização própria, Câmara enfatizou ser preciso que a vacina chegue de uma forma nacional.

“Não temos condições, nem logísticas, nem técnicas de comprar vacinas no varejo. Elas não existem, pelo contrário as vacinas não têm nem registro ainda, precisam ser registradas e estarem no Plano Nacional de Imunização (PNI). Isso nos conversamos com o próprio ministro da Saúde [Eduardo Pazuello]. Ele garantiu que todas as vacinas autorizadas pelo governo Federal serão distribuídas por todos os estados e municípios, e vão fazer isso com muita responsabilidade”, informou Câmara.

Voltando a falar sobre o Plano de Combate a Covid-19, o governador disse que o monitoramento continua. “Vamos avaliar, a cada semana fazemos uma avaliação maior e a cada dia acompanhamos os números. No mês de dezembro as medidas já foram tomadas e infelizmente tivemos que restringir as questões das festividades de Natal e réveillon em todo o Pernambuco. Não vamos ter carnaval também, que é uma festa que tem toda a sua tradição aqui no estado, isso já foi anunciado. E vamos ao longo do mês de janeiro verificar se precisar ter um tipo a mais de restrição”, informou.

Só 10% das notas de R$ 200 encomendadas pelo Banco Central estão em uso

 (Foto: ED ALVES/CB/D.A Press)

Criada sob o argumento de que poderia faltar dinheiro em espécie no país em meio à pandemia de covid-19, a cédula de R$ 200 ainda não foi vista por muitos brasileiros. É que pouco mais de 10% das notas encomendadas pelo Banco Central (BC) estão em circulação. O BC, que investiu R$ 142 milhões no projeto, por sua vez, garante que a distribuição das novas cédulas está correndo como o esperado.

O BC lançou a nota de R$ 200, estampada com o lobo-guará, no início de setembro. À época, a autoridade monetária explicou que a pandemia de covid-19 ampliou o entesouramento — o hábito de guardar dinheiro em espécie. E, ao mesmo tempo, aumentou a demanda por papel moeda por conta dos pagamentos do auxílio emergencial. O BC resolveu, então, produzir a cédula de R$ 200 para evitar que faltasse dinheiro em papel durante os pagamentos do benefício.

Como informado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o BC investiu R$ 142 milhões para produzir 450 milhões de cédulas de R$ 200, o que representa R$ 90 bilhões. E a expectativa era de que boa parte dessas cédulas entraria em circulação ainda em 2020, mesmo que de forma gradual, devido ao auxílio emergencial e ao entesouramento. Hoje, no entanto, só 11% desse montante estão acessíveis à população: de acordo com os dados mais recentes do meio circulante nacional, havia 50,3 milhões de cédulas de R$ 200 em circulação no último dia 24, o que representa R$ 10 bilhões.

 

Espanha fará cadastro de quem recusar vacina contra Covid-19

Um dos países europeus mais atingidos pela pandemia, principalmente na primeira onda, a Espanha registra até esta terça (29) mais de 50 mil mortes.

 O governo espanhol pretende registrar os nomes dos residentes que recusarem a vacina contra a Covid-19 e compartilhar a lista com outros países da União Europeia, afirmou o ministro da Saúde, Salvador Illa, em entrevista a uma TV do país.

Um dos países europeus mais atingidos pela pandemia, principalmente na primeira onda, a Espanha registra até esta terça (29) mais de 50 mil mortes, com a oitava maior taxa de óbitos por habitantes entre os principais países do mundo (107/100 mil, no acumulado da pandemia).

Na segunda onda, o índice vem caindo sistematicamente e fechou a semana passada em 55/100 mil, uma das mais baixas entre 50 países europeus. Mas, como em vários outros vizinhos do continente, a Espanha tem visto a adesão à vacina cair.

A mais recente pesquisa do Fórum Econômico Mundial-Ipsos sobre a confiança na vacina mostra que, em média, em 15 países, a intenção de vacinação caiu 4 pontos entre agosto e setembro. Na Espanha, a queda foi de 8 pontos: eram 72% os que diziam que se imunizariam quando a vacina estivesse disponível; passaram a 64%, à frente apenas da França (54%) entre os países pesquisados.

A porcentagem de pessoas que precisam ser vacinadas para que toda a população fique protegida (a chamada imunidade de rebanho) varia de acordo com a eficácia do imunizante, mas cientistas têm falado em um número em torno de 70%.

Como na maioria dos países europeus, a vacinação na Espanha não é obrigatória, mas, segundo o ministro da Saúde, “todos vemos que a melhor forma de derrotar o vírus é vacinar todos. Quanto mais, melhor”. Issa afirmou também que tomar o imunizante é “um ato de cidadania e solidariedade para com entes queridos”.

Nas próximas semanas, o país estará em sua primeira de três etapas da imunização, que inclui idosos, funcionários de asilos e profissionais de saúde. De janeiro a março, a Espanha espera vacinar cerca de 2,5 milhões de residentes, que serão convocadas pelo sistema público de saúde.

O comparecimento será acompanhado pelo governo, mas o registro das recusas, segundo o ministro, “não será um documento público e será feito com o maior respeito pela privacidade de dados”. “As pessoas que decidem não se vacinar, o que consideramos um erro, estão dentro de seus direitos”, disse ele.

Illa afirmou que o ministério tentará reduzir dúvidas e restrições em relação aos imunizantes, pois o governo considera que a vacinação é o melhor caminho para retomar as atividades. Até maio, o governo decretou toque de recolher das 23h às 6h.
A Espanha está usando a vacina produzida pela Pfizer-BioNTech, que recebeu aprovação emergencial da agência de vigilância da União Europeia (EMA). 

Preocupações com a pressa nos ensaios clínicos foi o motivo mais citado pelos espanhois que relutam em se vacinar, de acordo com a pesquisa do Fórum Mundial: 48% deles deram essa resposta.

A desconfiança em relação à aceleração dos testes também é uma das principais razões dos céticos na média dos 15 países, ao lado do medo de efeitos colaterais. Os dois motivos apareceram em 33% e 34% das respostas, respectivamente.

Globalmente, um em cada dez afirma ser contra as vacinas em geral, afirma que o risco de contrair Covid-19 é baixo e não acha que uma vacina será eficaz (taxa que chega a 15% na Alemanha). Cerca de um em cada quatro adultos (24%), em todos os 15 países, acha que a chance de obter Covid-19 é tão baixa que uma vacina não é necessária.

blogmarcosmontinely

Fetos não pegam covid de mães infectadas, mas herdam menos defesa, diz Harvard

Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA, constatam que gestantes diagnosticadas com covid-19 não transmitiram o Sars-CoV-2 para os fetos.

No estudo, os investigadores acompanharam 127 grávidas, todas no terceiro trimestre de gestação, que receberam atendimento em três hospitais da cidade de Boston, entre 2 de abril e 13 de junho. (Foto: Reprodução)

Apesar de a comunidade científica ter dedicado praticamente o ano inteiro a entender o novo coronavírus, essa enfermidade ainda não é bem compreendida por especialistas. Para ajudar na difícil tarefa de decifrar as características do Sars-CoV-2 e suas consequências, um grupo de pesquisadores americanos investiu no estudo sobre o impacto da covid-19 na gravidez. Em análises feitas com mais de 100 gestantes, cientistas da Universidade de Harvard observaram que as mulheres contaminadas não transmitiram o patógeno para o feto. Porém, também constataram que a transferência de anticorpos protetores, que é feita por meio da placenta, é menor do que era esperado.

As descobertas foram publicadas na última edição da revista especializada Jama e podem contribuir para o desenvolvimento de estratégias de vacinação mais eficazes para as gestantes. Autoridades de saúde de vários países têm encarado com reservas o uso de vacina nas grávidas. A Agência de Medicamentos Europeia (EMA), por exemplo, ao autorizar o imunizante do consórcio Pfizer/BioNTech, recomendou que deve haver uma avaliação caso a caso.

Os pesquisadores já desconfiavam que grávidas infectadas com novo coronavírus não o transmitem aos fetos, mas decidiram realizar investigações mais apuradas para entender melhor o comportamento do vírus no organismo delas. “Imaginávamos que o vírus Sars-CoV-2 não teria força o suficiente para chegar até a criança, principalmente devido à proteção da placenta. Porém, sabemos muito pouco sobre a resposta imune a esse patógeno nesse grupo de pacientes”, destacaram os cientistas no artigo.

No estudo, os investigadores acompanharam 127 grávidas, todas no terceiro trimestre de gestação, que receberam atendimento em três hospitais da cidade de Boston, entre 2 de abril e 13 de junho. Entre as 64 com teste positivo para a covid-19, os cientistas não encontraram vírus no sangue materno ou no cordão umbilical, apesar da detecção do patógeno no sistema respiratório das mulheres. Também não foram registrados sinais do agente infeccioso nas placentas.

“Suspeitamos que a transmissão para o feto é bloqueada devido à ausência de vírus no sangue das mães, mas, também, porque as principais moléculas usadas por esse agente infeccioso, para entrar nas células (receptor ACE2 e enzima TMPRSS2) ,não estão presentes na placenta”, destacou, em um comunicado à imprensa, Andrea Edlow, professora-assistente de Obstetrícia, Ginecologia e Biologia Reprodutiva na Universidade de Harvard, e principal autora do estudo.

Anticorpos

Na segunda parte da pesquisa, os cientistas focaram na transferência de anticorpos que agem contra o novo coronavírus das mães para os bebês. Eles se surpreenderam ao constatar números mais baixos do que seria considerado normal.

Os cientistas também compararam a quantidade de células de defesa do Sars-CoV-2 transferida aos fetos com as taxas de anticorpos da gripe (influenza), e coqueluche. “As células protetoras específicas para esses dois vírus, que foram herdadas pelos bebês, atingiram índices relativamente normais. Já as do novo coronavírus foram significativamente menores, além de terem se mostrado menos funcionais do que os anticorpos contra a gripe”, detalhou Edlow.

Os cientistas explicaram ainda que a transferência transplacentária de anticorpos para o feto é tipicamente mais alta no terceiro trimestre, o que surpreendeu ainda mais o grupo. Edlow revelou que essa redução pode ter ocorrido devido a alterações em ligações de carboidratos (glicosilação) presentes nos anticorpos do Sars-CoV-2, que não foram vistas nas células de proteção da influenza e da coqueluche.

“Essa alteração pode fazer com que essas moléculas fiquem ‘presas’ na circulação materna, em vez de serem transferidas pela placenta por meio de receptores de anticorpos placentários”, acrescentou a principal autora do estudo.

Imunização

Na avaliação de José Gomes Moura, médico ginecologista do Hospital Anchieta, em Brasília, os dados vistos no trabalho contribuem para um melhor entendimento do comportamento do novo coronavírus em gestantes, o que pode ajudar a lidar melhor com a enfermidade no futuro. “Estamos todos os dias antenados com essas novidades relacionadas à covid. A cada hora, temos mais uma contribuição importante, como as fornecidas por esse estudo. Essa pesquisa, agora, deixa bem claro que temos uma baixa transmissão de anticorpos durante o terceiro trimestre. Precisamos ficar atentos a isso, pois, até agora, achávamos que a proteção dos bebês a essa enfermidade era maior”, frisou.

Para Moura, os estudos devem prosseguir para, por exemplo, verificar os possíveis motivos dessa limitação. “A pesquisa fala dessas falhas nas ligações de carboidratos como uma possível causa, mas é necessário ter certeza quanto a isso. São dados importantes que precisam ser considerados em pesquisas futuras”, completou.

Os pesquisadores de Harvard estão certos de que os resultados da pesquisa poderão impactar no desenvolvimento de estratégias de vacinação. “Precisamos de imunizantes para gestantes que sejam capazes de trabalhar com esse padrão distinto de glicosilação. Será a medida ideal para gerar uma maior proteção aos recém-nascidos”, defendeu Andrea Edlow. “Nossas descobertas também levantam questões sobre o momento ideal de administração da vacina”, assinalou Edlow.

O ginecologista brasileiro concorda. Para Moura, os dados do estudo americano precisam ser levados em consideração para traçar campanhas de imunização de gestantes. “Com essas informações, temos argumentos que justificam ainda mais a necessidade de vacinar grávidas e também qual é o melhor momento. Possivelmente, durante o terceiro trimestre de gestação, o mesmo período em que os pesquisadores observaram essas alterações”, opinou. “Só com o tempo teremos respostas mais sólidas e seguras”, reconheceu.

Em meio à segunda onda da covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou, ontem, que os países devem se preparar para outras pandemias ainda piores. “É apenas um sinal de alarme”, alertou Michael Ryan, diretor de Emergências da agência internacional, durante a última coletiva de imprensa do ano sobre a pandemia do novo coronavírus, responsável por mais de 1,7 milhão de mortes em todo o mundo.

“Essa pandemia tem sido muito difícil. Circulou muito rapidamente e afetou todos os cantos do planeta, mas não necessariamente foi a pior”, advertiu Ryan. O diretor da OMS ressaltou que o novo coronavírus tem uma transmissibilidade muito alta, e pode ser letal, mas ressalvou que “seus níveis de mortalidade são relativamente baixos em comparação com outras doenças emergentes”.

O epidemiologista Bruce Aylward, também membro da agência de saúde das Nações Unidas, apoiou a tese ao afirmar que, apesar dos avanços científicos no combate à covid-19, como o desenvolvimento de vacinas em tempo recorde, a humanidade ainda está muito despreparada para a ameaça de futuras pandemias.

“Estamos na segunda e terceira ondas do vírus e ainda não somos capazes de controlá-lo”, lamentou Aylward, ao lado de Ryan. “Embora estejamos mais bem organizados, os avanços ainda não são suficientes para a atual (pandemia) e menos ainda para as futuras”, acrescentou o especialista.

Enquanto isso, a vacinação para a covid-19 avança em vários países, embora enfrente problemas de logística em alguns deles, causados, sobretudo, pelas exigências de armazenamento das doses. A empresa americana Pfizer anunciou que entregaria, com um pequeno atraso, carregamentos de seu imunizante — desenvolvimento em parceria com a alemã BioNTech — para oito países europeus, previstos, inicialmente, para ontem.

A farmacêutica informou às autoridades europeias que as encomendas vão chegar hoje ao destino. “A Pfizer foi informada por sua fábrica em Puurs (Bélgica) sobre atrasos nos embarques para outros países, inclusive Espanha, devido a um problema com o processo de carregamento e embarque”, afirmou o Ministério da Saúde espanhol, em comunicado.

Madri anunciou que fará um cadastro com os dados das pessoas que se recusam a ser vacinadas contra a covid e que o compartilhará com outros países da União Europeia — as informações não serão divulgadas. “Não é um documento a ser tornado público e será feito com o maior respeito pela proteção de dados”, declarou, em uma entrevista à emissora de televisão La Sexta, Salvador Illa, ministro da Saúde do país europeu. Os espanhóis não serão obrigados a receber as doses contra o novo coronavírus.

Mais uma moto tomada de assalto em Afogados da Ingazeira

Na manhã desta terça-feira (29) mais uma motocicleta foi roubada na zona rural de Afogados da Ingazeira.

Desta vez uma moto uma Bros 160 cilindradas, placa QYA 9J97, foi tomada de assalto próximo ao lixão, na estrada que dar acesso a Ibitiranga.
A vítima um jovem trabalhador conhecido por Jerry Silva, filho de Genildo, proprietário de uma banca de carnes na feira livre.

Mariana Rios e Gusttavo Lima negam affair após colunista confirmar romance

Segundo a assessoria do cantor sertanejo, os dois não viajaram juntos para Angras dos Reis, no Rio de Janeiro.

Segundo informações da colunista, os dois chegaram na região da Costa Verde do Rio, no mesmo dia. (Foto: Reprodução)

 Tanto Mariana Rios, 35, quanto Gusttavo Lima, 31, negam a história de romance e envolvimento, confirmada pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia. Segundo a assessoria do cantor sertanejo, os dois não viajaram juntos para Angras dos Reis, no Rio de Janeiro.

Mas a coincidência do destino chamou a atenção de internautas, já que ambos estão solteiros. O sertanejo anunciou o fim do seu casamento com a modelo Andressa Suita, com quem tem dois filhos e estava junto desde 2012, e a atriz terminou seu noivado com o empresário Lucas Kalil em novembro deste ano.

Segundo informações da colunista, os dois chegaram na região da Costa Verde do Rio, no mesmo dia. Eles teriam se aproximado no último dia 12 de dezembro, durante os bastidores da live nº1 do Villa Mix. Na ocasião, também rolou piadas e cantadas de Gusttavo para Mariana.

A atriz também negou os boatos e tem usado as redes sociais para mostrar o lugar paradisíaco. Recentemente, através dos Stories, ela deu algumas atualizações da sua viagem. “Oi pessoal, tudo bem? Eu tô num hotel tão lindo, fui tão bem recebida. E está muito gostoso, tem chovido bastante aqui”, disse.

Em nota encaminhada pela sua assessoria de imprensa, Gusttavo Lima disse que o fim do casamento com Andressa Suita ocorreu após “um desgaste normal da relação”. 
“Informamos que não houve nenhuma briga ou traição e que qualquer informação que esteja circulando nesse sentido é inverídica.”

Mas ao contrário do que foi afirmado pelo músico, a influenciadora digital e modelo disse que foi pega de surpresa com o término. “A gente tinha acabado de chegar de uma viagem familiar, assim como postei aqui para vocês. Na madrugada de domingo para segunda [5] fui acordada e comunicada que não dava mais para a gente continuar como um casal. Sem qualquer queixa, sem nenhum motivo e sem abertura para eu poder salvar o nosso casamento”, disse em um vídeo.

Já quanto Mariana Rios, 2020 também foi um ano de dificuldades. Isso porque a atriz e cantora engravidou do seu primeiro filho, mas perdeu devido um aborto espontâneo. Ela também se casaria com Lucas Kalil, de quem está noiva desde novembro de 2018, mas por conta da pandemia do novo coronavírus, não pode realizar a cerimônia.

Brasil passa de 191,6 mil mortos pela Covid-19

— O Brasil registrou 495 óbitos pelo novo coronavírus e 25.490 casos da doença nas últimas 24 horas. O país, assim, chega a 191.641 óbitos e a 7.506.890 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Com o novo aumento, o país se coloca cada vez mais próximo de passar as 200 mil mortes antes do início de 2021. Os números, no entanto, podem ser menores devido a atrasos de notificação das secretarias estaduais. Registros do tipo costumam acontecer em feriados, domingos e segundas.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h desta segunda-feira (28), a média de mortes nos últimos sete dias é de 617. O estado atual da doença no país é acelerado, depois de um breve intervalo de estabilidade, com alta de mortes desde o final de novembro.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (28) aponta 20.548 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, com 431 novas mortes. Os dados do governo federal somam ainda 7.504.833 casos e 191.570 mortes desde fevereiro. Há ainda, 2.439 mortes em investigação.

Pagamentos do Auxílio Emergencial chegam ao fim nesta terça-feira

O ciclo de pagamentos chega ao fim e até o momento não há qualquer nenhuma indicação de que haverá um novo auxílio em 2021.

De acordo com o Ministério da Cidadania, em 2021, só serão efetuados pagamentos resultantes de contestações administrativas e extrajudiciais e de decisões judiciais. (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta terça-feira (29) a última parcela do Auxílio Emergencial a 3,2 milhões de pessoas – e, com isso, encerra o calendário de pagamentos do programa lançado em abril deste ano para apoiar trabalhadores autônomos e desempregados afetados pela pandemia, e que socorreu um total de 68 milhões de brasileiros.

O ciclo de pagamentos chega ao fim e até o momento não há qualquer nenhuma indicação de que haverá um novo auxílio em 2021 ou lançamento de um novo programa social ou substituto do Bolsa Família.

De acordo com o Ministério da Cidadania, em 2021, só serão efetuados pagamentos resultantes de contestações administrativas e extrajudiciais e de decisões judiciais.

Parlamentares seguem defendendo a prorrogação do auxílio por dois ou três meses em 2021, por meio da ampliação do estado de calamidade pública, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem reafirmado que o programa irá acabar no final de 2020.

Último lote de pagamentos

Recebem nesta terça os trabalhadores nascidos em dezembro, que não fazem parte do Bolsa Família: 3,2 milhões vão receber uma parcela do Auxílio Emergencial extensão, de R$ 300; enquanto outros cerca de 50,3 mil mil ainda vão receber parcela de R$ 600.

Para os trabalhadores do Bolsa Família, os pagamentos da última parcela do auxílio emergencial se encerraram em 23 de dezembro. A partir de janeiro, esse público volta a receber o bolsa.

VEJA QUEM RECEBE NESTA TERÇA:

Cerca de 50,3 mil trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em dezembro:

– aprovados que receberam 4 parcelas recebem a última parcela de R$ 600
– aprovados que receberam de 1 a 3 parcelas recebem parcelas de R$ 600 restantes até a 5ª

3,2 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em dezembro:

– aprovados que já receberam todas as parcelas de R$ 600 (e qualquer número de parcelas de R$ 300) recebem a última parcela de R$ 300

A ajuda paga nesta terça será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta segunda serão liberados no dia 27 de janeiro.

Vale lembrar que, ao longo de janeiro, prossegue apenas o calendário de liberação de saques em dinheiro e transferências bancárias para os trabalhadores que até então só puderam movimentar a última parcela do auxílio através do aplicativo Caixa TEM. 

Pelas regras do programa, os valores não sacados das poupanças digitais abertas e não movimentadas no prazo de 270 dias retornarão para a União.

Números do programa
O Auxílio Emergencial socorreu 68 milhões de cidadãos diretamente, totalizando um gasto público sem precedentes de mais R$ 300 bilhões em pagamentos. Para dimensionar o impacto do programa, basta comparar com o Bolsa Família, que tem orçamento de cerca de R$ 35 bilhões ao ano.

O auxílio apoiou trabalhadores que se viram de uma hora para a outra sem renda e foi decisivo para oferecer algum alívio à população de menor renda e para evitar um tombo ainda maior da economia em 2020.

“O benefício sempre esteve presente em cerca de 40% das residências do país. Em julho, esse número chegou ao pico de 44,1% dos domicílios”, informou o Ministério da Cidadania.

Os beneficiados receberam ao menos 5 parcelas de no mínimo R$ 600. Em setembro, o governo decidiu prorrogar o auxílio até dezembro no valor de R$ 300, mas o governo redefiniu as regras e só 56% dos aprovados fora do Bolsa Família tiveram direito a receber mais 4 parcelas extras.

Segundo o Ministério da Cidadania, o balanço final só será divulgado após a finalização de todos os processos de contestação ainda em análise.

Em balanço feito pela Caixa até o dia 28 de dezembro, foram pagos R$ 291,8 bilhões a 67,9 milhões de beneficiários. Os números devem subir com os pagamentos desta terça.

Renda Cidadã e chance de novo auxílio
A equipe econômica tem reafirmado que o governo não pretende estender o Auxílio Emergencial para além de 2020, mas permanecem as pressões para uma prorrogação do programa ou algum tipo de benefício adicional para a parcela mais pobre da população brasileira.

No dia 23 de novembro, Guedes disse que, “do ponto de vista do governo”, não existe prorrogação do auxílio emergencial, mas admitiu a possibilidade na hipótese de um forte aumento no número de mortes por Covid-19.

Integrantes do governo têm defendido a criação de um novo programa social, que inicialmente foi batizado de Renda Brasil e agora tem sido chamado de Renda Cidadã. A principal dificuldade, porém, é encontrar uma fonte de receita para financiar o novo programa sem furar o teto de gastos (regra que não permite o crescimento das despesas acima da inflação do ano anterior).

Guedes tem reafirmado que o governo vai continuar com o Bolsa Família se não encontrar espaço fiscal para criar um novo programa social.

Nas contas do especialista em contas públicas da consultoria Tendências, Fábio Klein, uma ampliação do programa, com tíquete médio de R$ 300 e 17,5 milhões de famílias atendidas, representaria um gasto extra de R$ 32 bilhões no próximo ano.

Em entrevista ao jornal “Valor Econômico”, o líder governista e senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que o governo só deverá avaliar um novo programa social ou a retomada do auxílio emergencial a partir de fevereiro do próximo ano, após o recesso parlamentar.

Afogados registra 13 novos casos para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta segunda (28) foram registrados 13 casos para covid – 19 em nosso município. Desses, 08 já estava em investigação.
São 09 pacientes do sexo feminino, com idades de 24, 25, 25, 40, 40, 43, 47, 81 e 89 anos, e 04 pacientes do sexo masculino, com idades de 30, 31, 45 e 73 anos. Entre as mulheres: 02 profissionais da saúde, 02 aposentadas, 02 autônomas, 01 cabeleireira , 01 sem informação e 01 dona de casa. Já entre os homens: 01 sem informação, 01 ajudante de pedreiro, 01 profissional da segurança e 01 aposentado. 
 
Entram em investigação os casos de 17 homens, com idades entre 16 e 68 anos, e de 19 mulheres, com idades entre 03 e 68 anos. 
Hoje, 80 pacientes apresentaram resultados negativos para a COVID – 19 e 41 pacientes apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 1.853 pessoas (90,74 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 166 casos estão ativos. 
 
Afogados atingiu a marca de 9.399 pessoas testadas para covid-19, o que representa 25,22 % da nossa população. 
Casos leves x SRAG/covid- 19: 
Leves (1972 casos), 96,57% Graves (70 casos), 3,43%.
Semana epidemiológica: Encerrou-se no último sábado a Semana Epidemiológica (SE) 52, com um total de 87 casos e média móvel de 12,14 casos/dia. Analisando as 04 últimas semanas anteriores, nota-se: SE 51 (137 casos) e média móvel (19,57 casos/dia); SE 50 (136 casos) e média móvel (19,42); SE 49 (143 casos) e média móvel (20,42 casos/dia); SE 48 (64 casos) e média móvel (9,14 casos/dia).

Dólar é cotado a R$ 5,24 nesta terça-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,40 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,7175.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta terça-feira (29), está cotado no valor de R$ 5,24. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,4795.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,40 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,7175.  

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

O Portal ClickPB apura de segunda à sexta-feira a cotação do dólar e euro.

Petrobras eleva diesel em 4% e gasolina em 5% a partir de terça-feira

Refinaria da Petrobras em Paulínia (SP). (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

A Petrobras informou nesta segunda-feira (28) que vai elevar em 4% o preço médio do diesel em suas refinarias e em 5% o da gasolina a partir de terça-feira (29), em meio a uma alta do petróleo nas últimas semanas e uma desvalorização do real frente ao dólar nas últimos dias.

A nova alta no preço dos combustíveis foi a segunda anunciada em duas semanas. Em 15 de dezembro, a estatal elevou o preço do diesel e da gasolina.

Com a alta de 4%, o preço médio do combustível mais vendido do Brasil passará a ser de R$ 2,02 por litro. No acumulado do ano, a redução do valor é de 13,2%, segundo informou a Petrobras.

Já o preço médio da gasolina da Petrobras para as distribuidoras será de R$ 1,84 por litro, acumulando no ano redução de 4,1%.

Apesar da alta das cotações dos combustíveis da Petrobras na terça-feira, especialistas apontam a permanência de uma defasagem ante a paridade de importação.

“Faz cerca de três semanas que a Petrobras trabalha com defasagem de mais de 10 centavos em relação ao mercado internacional e segue bem próxima a esse nível mesmo com o ajuste de hoje”, afirmou à Reuters o chefe da área de óleo e gás da consultoria INTL FCStone, Thadeu Silva.

“O ajuste atual foi menos da metade do necessário para termos paridade de importação”, acrescentou ele, comentando que tem havido atrasos nos repasses da alta do petróleo para os combustíveis da Petrobras.

O presidente da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom), Sérgio Araújo, também ressaltou a defasagem nos preços ante ao mercado externo e frisou que “as importações por agentes privados continuam inviabilizadas”.

A Petrobras defende que seus preços seguem a chamada paridade de importação, impactada por fatores como as cotações internacionais do petróleo e o câmbio.

O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos não é garantido, e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro e biodiesel.

Maioria dos brasileiros esperam alta da inflação, diz Datafolha

Segundo o levantamento, 72% dos entrevistados afirmam que a inflação vai aumentar. Em agosto deste ano, eram 67%.

 A expectativa de aumento da inflação atingiu em dezembro o maior patamar registrado no governo Jair Bolsonaro (sem partido) pelas pesquisas do Datafolha.

Segundo o levantamento, 72% dos entrevistados afirmam que a inflação vai aumentar.
Em agosto deste ano, eram 67%. Naquele mês, a inflação em 12 meses medida pelo IPCA estava em 2,44%. Em novembro, chegou a 4,31%.

Em dezembro do ano passado, pouco mais da metade dos entrevistados (52%) fazia essa avaliação, apesar da disparada nos preços naquele mês, principalmente, por causa do aumento no custo das carnes. Na pesquisa de abril do ano passado, eram 45% os que previam alta da inflação nos meses seguintes.

A parcela dos que esperam ver uma queda da inflação recuou de 17% em dezembro do ano passado para 11% em agosto deste ano e para 10% na pesquisa mais recente. Os demais entrevistados dizem que a inflação ficará como está.

O Datafolha ouviu 2.016 pessoas por telefone entre os dias 8 e 10 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A percepção dos brasileiros está em linha com as projeções de mercado para os índices de preços durante o primeiro semestre de 2021.

Também reflete um momento em que o custo de alimentos e insumos à produção está em alta, por causa de fatores como falta de produtos, aumento de exportações e repasse cambial.

A expectativa dos economistas consultados pelo Banco Central é que o IPCA, índice de preços ao consumidor que serve como meta de inflação, deva passar dos atuais 4,31% (registrados em novembro) em 12 meses para algo próximo de 6% até maio de 2021.

Depois, espera-se um recuo ao longo do segundo semestre do próximo ano, para 3,34%.

O Banco Central prevê inflação de 3,40% no final de 2021. O número está abaixo do centro da meta de 3,75%.

Outro indicador de inflação, o IGP-M, composto por preços no atacado, ao consumidor e da construção, está em patamar bem mais alto: subiu quase 25% nos últimos 12 meses.

Como mostrou reportagem do jornal Folha de S.Paulo os preços de insumos que servem de base para a cadeia produtiva brasileira registram a maior alta desde o início do Plano Real, de quase 70%, segundo dados do FGV Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas) até outubro.

Alimentos acumulam alta no IPA (índice de preços no atacado da FGV) de 25%, sendo que metade desse aumento já bateu no IPC (índice de preços ao consumidor da FGV).
O arroz, produto cuja alta provocou até reação por parte do governo, subiu quase 120% no atacado e 62% no varejo, o que mostra o risco de continuidade desses repasses.

A concentração da inflação em alimentos também faz com que o índice de preços seja sentido de maneira diferente pela população.

Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), para famílias com renda domiciliar mensal menor que R$ 1.650,50, a inflação acumulada em 12 meses está em 5,80%. Entre as famílias com ganho maior que R$ 16.509,66, o indicador está em 2,69%.

Para o Banco Central, o choque inflacionário atual é temporário, mas o índice de preços poderá subir mais em caso de uma falta de confiança na sustentabilidade da dívida pública que resulte em desvalorização adicional do real, com impacto nos preços. Nesse caso, o IPCA subiria 6,4% em 2021, acima do limite de 5,25%.

Também foi analisada a situação de prolongamento da pandemia, em que as pessoas ficariam mais tempo em distanciamento social, o que contribuiria para reduzir a inflação a 2,4%.

A recuperação da economia e seus impactos sobre as projeções de inflação para os próximos anos devem levar o BC a elevar os juros no próximo ano ou no seguinte, de acordo com as projeções de mercado.

Coreia do Sul detecta nova variante do coronavírus e acelera esforços por vacina

 

A nova mutação, considerada mais transmissível do que outras que circulam atualmente, foi encontrada em três pessoas que entraram na Coreia do Sul vindas de Londres.


A Coreia do Sul tem um total de 57.680 casos de coronavírus, com 819 mortes desde o início da pandemia. (Foto: Reprodução)

As autoridades da Coreia do Sul prometem acelerar os esforços para lançar um programa público de vacinação contra o coronavírus, uma vez que o país detectou seus primeiros casos da nova variante do vírus, primeiramente detectada no Reino Unido.

A nova mutação, considerada mais transmissível do que outras que circulam atualmente, foi encontrada em três pessoas que entraram na Coreia do Sul vindas de Londres no dia 22 de dezembro, disse a Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia nesta segunda-feira (28).

A Coreia do Sul estenderá a proibição de voos vindos da Grã-Bretanha por mais uma semana, até dia 7 de janeiro, e exigirá que todos os passageiros que chegarem desse país ou da África do Sul – onde também há uma variante – façam testes antes do embarque, segundo as autoridades.

O país asiático registrou 808 novos casos de Covid até a meia-noite deste domingo (27), menos do que os recordes dos dias 24 e 25 de dezembro, quando teve 1.237 e 1.132 infecções, respectivamente.

As autoridades sul-coreanas alertaram que a queda pode ser devido a redução de testes realizados no fim de semana e no feriado de Natal. As medidas de distanciamento social estão valendo no país até o início de janeiro.

O governo da Coreia do Sul tem enfrentado muitas críticas sobre seus planos de aquisição e distribuição de vacinas, que preveem que as primeiras vacinações comecem apenas no primeiro trimestre de 2021, meses depois de países como os Estados Unidos e a União Europeia, que começou a imunizar a população em massa neste domingo.

Opiniões negativas sobre os planos de vacina foram uma das principais razões que levaram a taxa de desaprovação do presidente Moon Jae-in a um recorde histórico de quase 60%, segundo a pesquisa de opinião pública ‘Realmeter’.

Os reguladores da Coreia do Sul vão diminuir o tempo necessário para aprovar vacinas de 180 para 40 dias, segundo o Ministério de Alimentos e Segurança de Medicamentos. Um processo de aprovação adicional para a distribuição e venda de vacinas, que geralmente leva vários meses, será reduzido para cerca de 20 dias.

Em fevereiro, trabalhadores do sistema de saúde e idosos começarão a receber as doses da vacina, segundo Moon.

“Há preocupações de que nosso país não tenha assegurado vacinas suficientes ou que as vacinações sejam adiadas. Isso não é verdade”, disse Moon em uma reunião com seus principais assessores, de acordo com um comunicado. “Estamos nos esforçando para adiantar o cronograma de adoção das vacinas”, completou o presidente.

Os planos da Coréia do Sul preveem a compra de doses suficientes para vacinar 46 milhões de pessoas, ou mais de 85% de sua população.

As autoridades disseram esperar que a população sul-coreana alcance um nível de imunidade coletiva por meio das vacinas mais rápido do que em outros países.

A Coreia do Sul tem um total de 57.680 casos de coronavírus, com 819 mortes desde o início da pandemia.

Secretário diz que tem expectativa que aeronave apreendida com cocaína fique na Paraíba

Governo do Estado aguarda decisão da Justiça e espera que o avião permaneça, pois será utilizado em ações de combate ao crime organizado e distribuição de vacinas.

Aeronave foi interceptada pela polícia paraibana após investigação. Cinco pessoas estão presas. (Foto: Divulgação/Secom-PB)

A aeronave que foi apreendida com 752 quilos de cocaína no município de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba no dia 09 de dezembro, está custódia do Governo do Estado após decisão da justiça. Há uma grande expectativa que, após o término das investigações, o avião fique na Paraíba para ser usado em ações de combate ao crime organizado, tráfico de drogas e também pela Secretaria de Estado da Saúde – na distribuição de vacinas, por exemplo. 

“Há um pleito do Governo do Estado nesse sentido, nos autos do processo na Justiça Federal. Nós estamos aguardando a decisão da judicial nesse sentido. Há uma grande expectativa, tendo em vista que a aeronave foi apreendida com a prática de crimes, com o tráfico de drogas e a lei é clara nesse sentido”, afirmou Jean Nunes, secretário de Estado da Segurança e Defesa Social.

Ainda de acordo com o secretário, que foi entrevistado desta segunda-feira (28), no programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM, a aeronave irá servir a diversas ações do Governo do Estado. “Possa servir, aqui no estado, no combate ao crime organizado, no combate ao tráfico de drogas e armas e também apoiando a Secretaria de Saúde e todos aqueles envolvidos no combate ao covid-19, principalmente agora com iminência da chegada de vacinas a gente vai precisar ter uma estrutura de distribuição. então essa aeronave será muito bem-vinda”, reforçou como o ClickPB acompanhou. 

Afogados registra 10 novos casos para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que neste domingo (27), foram registrados 10 casos para covid – 19 em nosso município. Todos já estavam em investigação.

São 07 pacientes do sexo feminino, com idades de 26, 28, 34, 39, 42, 53 e 62 anos, e 03 pacientes do sexo masculino, com idades de 05, 23 e 39 anos. Entre as mulheres: 04 agricultoras, 01 aposentada, 01 professora (rede pública) e 01 estudante (rede pública). Já entre os homens: 01 menor, 01 autônomo e 01 profissional de segurança. 
Hoje não temos novos casos em investigação e 14 pacientes apresentaram resultados negativos para COVID – 19. 
O município atingiu a marca de 1.812 pessoas (89,30 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 194 casos estão ativos. 
Afogados atingiu a marca de 9.279 pessoas testadas para covid-19, o que representa 24,90 % da nossa população.
Casos leves x SRAG/covid- 19: 
Leves (1959 casos), 96,55% Graves (70 casos), 3,45%.

Auxílio Emergencial: Caixa paga última parcela a 3,2 milhões nesta segunda-feira

Os pagamentos serão para trabalhadores nascidos em novembro, que não fazem parte do Bolsa Família.

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta segunda-feira (28) a última parcela do Auxílio Emergencial a 3,2 milhões de trabalhadores.

Os pagamentos serão para trabalhadores nascidos em novembro, que não fazem parte do Bolsa Família: 3,2 milhões vão receber uma parcela do Auxílio Emergencial extensão, de R$ 300; enquanto outros cerca de 50 mil ainda vão receber a parcela de R$ 600. O calendário para beneficiários deste grupo vai até esta terça-feira, 29 de dezembro.

Para os trabalhadores do Bolsa Família, os pagamentos da última parcela do auxílio emergencial se encerraram em 23 de dezembro. A partir de janeiro, esse público volta a receber o bolsa.

A ajuda paga nesta segunda será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta segunda serão liberados no dia 25 de janeiro.

VEJA QUEM RECEBE NESTA SEGUNDA:

Cerca de 50,3 mil trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em novembro:

– aprovados que receberam 4 parcelas recebem a última parcela de R$ 600
– aprovados que receberam de 1 a 3 parcelas recebem parcelas de R$ 600 restantes até a 5ª

3,2 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em novembro:

– aprovados que já receberam todas as parcelas de R$ 600 (e qualquer número de parcelas de R$ 300) recebem a última parcela de R$ 300

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Hamilton Mourão testa positivo para Covid-19

Vice-presidente da República ficará em isolamento no Palácio do Jaburu. Resultado foi confirmado na tarde deste domingo, de acordo com nota divulgada.

O vice-presidente, Hamilton Mourão, durante cerimônia no Planalto. (Foto: Adriano Machado/Reuters)

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, 67 anos, testou positivo para Covid-19 neste domingo (27), segundo nota divulgada pela assessoria.

De acordo com a Vice-Presidência o resultado foi confirmado na tarde deste domingo. A nota foi divulgada pela assessoria à noite e não contém detalhes sobre o estado de saúde de Mourão. Ele ficará em isolamento no Palácio do Jaburu, residência oficial destinada ao vice-presidente.

Com o diagnóstico, Mourão passa a integrar uma extensa lista de políticos que contraíram o coronavírus.

Todos os chefes de Poderes já foram infectados e se recuperaram da doença. O presidente Jair Bolsonaro anunciou resultado positivo para a Covid-19 em julho.

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, contraiu a doença em março e, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, em setembro.

Também em setembro, Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), foi diagnosticado com o coronavírus.

Nota

Veja nota divulgada pela assessoria do vice-presidente:

Na tarde de hoje, domingo, 27 de dezembro, foi confirmado o teste positivo para Covid-19 do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que permanecerá em isolamento na residência oficial do Jaburu.

 

 

Salgueiro perde nos pênaltis e dá adeus ao sonho de voltar a Série C

Foto: reprodução

Acabou o sonho do Salgueiro de continuar brigando para chegar à Série C do Campeonato brasileiro em 2021. Na disputa de pênaltis, o time sertanejo foi derrotado agora há pouco pelo Altos-PI no Estádio Felipão, em Ceará-Mirim, por 4×2. A partida valia uma vaga às quartas de final da Série D.

No tempo normal o jogo foi bastante disputado, e foi o Altos quem abriu o placar logo aos 7 minutos do primeiro tempo com o atacante Juninho Arcanjo. Mas o Carcará nem deixou os anfitriões comemorarem direito. Aos 9 Ciel cobra falta, o goleiro Marcelo faz um golpe de vista falho e fica tudo igual: 1×1.

As duas equipes se alternaram em boas chances perdidas no restante da partida, deixando o placar assim até o final. Nos pênaltis, Ciel – que havia empatado o jogo para o Carcará – desta vez parou no goleiro Marcelo. Já Hugo Freitas bateu a cobrança no travessão. Pelo Altos, apenas Juninho Arcanjo desperdiçou sua cobrança. A equipe piauiense fica aguardando agora seu adversário das quartas, enquanto o Salgueiro volta para casa e deve começar a se planejar para a próxima temporada.

 

 

https://img.r7.com/images/ae-inss-23082019103518641?dimensions=460x305

A virada do ano trará mudanças em regras de acesso a aposentadorias do INSS, obrigando trabalhadores que ainda não têm direito ao benefício a comprovarem mais tempo de contribuições previdenciárias ou a esperar mais tempo para pedir a renda.

As alterações ocorrem nas chamadas regras de transição, criadas pela reforma da Previdência de 2019 para evitar o aumento repentino das exigências de idade mínima e tempo de contribuição, principalmente para cidadãos que já estavam perto da aposentadoria quando a nova legislação passou a valer.

Para a maior parte dos trabalhadores da iniciativa privada, são duas as modificações mais importantes: a das regras progressivas de pontos e a das idades mínimas.

No sistema de pontos, os segurados do INSS podem se aposentar sem a necessidade de cumprir a idade mínima de 62 anos, para mulheres, e de 65 anos, para homens.

Para ter essa vantagem, porém, é necessário atingir o período de recolhimentos previdenciários exigidos na antiga aposentadoria por tempo de contribuição, de 30 anos, para mulheres, e de 35 anos, para homens. Além disso, é necessário que a soma da idade aos anos contribuídos resultem em uma pontuação obrigatória, que sobe a cada ano.

Em 2020, os pontos exigidos são 87, para mulheres, e 97, para homens. Em 2021, a pontuação subirá para 88 e 98 para, respectivamente, mulheres e homens. Essa progressão continuará a ser de um ponto por ano até chegar a 92 (mulher) e 100 (homem). Cada ponto equivale a um ano, seja de idade ou de contribuição.Continue lendo →

 

O MDB quer o domínio do Congresso de volta

.Foto: reprodução

O MDB velho de guerra quer voltar a dominar o Congresso Nacional. Desde a reabertura democrática que o partido descobriu que dominar Câmara e Senado é conter e dirigir o governo seja qual for o presidente da República. Foi assim que Ulysses Guimarães infernizou o governo Sarney e dirigiu atos importantes dentro e fora do Palácio do Planalto. Só Antônio Carlos Magalhães, então do PFL tirou o PMDB do comando do Senado e pronto, os Jucás, Barbalhos, Renans, Sarneys, Eunícios e Garibaldis deram as cartas nas relações políticas.

No Senado atual, foi um acidente. Renan Calheiros tentando pela quinta vez voltar à presidência, deixou escapar a eleição para o iniciante no grupo do cafezinho do Senado, o Davi Alcolumbre, uma espécie de vereador nacional, do Amapá, mas apoiado pelo então ministro influente, chefe da Casa Civil da Presidência, Onyx Lorenzoni. Apoiado pelo grupo contra Renan, Davi derrotou o gigante político, entrou para o comando e se instalou como camaleão. Agradou as raposas da política e só não foi reeleito porque o Supremo decidiu dizer não e ficar com a Constituição, mas esteve perto da reeleição inconstitucional. Foi assim que o DEM chegou de forma surpreendente ao comando do Senado.

Na Câmara, não foi tão difícil. Vindo de dois mandatos de presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia construiu uma maioria com base em vários partidos, inclusive esquerda. O primeiro mandato foi tampão em substituição a Eduardo Cunha e os outros dois reeleições já permitidas. Foi uma organização por metas e inércia que é uma forte arma na política. O DEM saiu de partido pequeno, quase em extinção para ocupar cinco ministérios e as presidências da Câmara e Senado. A situação agora se inverte e o MDB, ex-PMDB, pode ocupar as presidências da Câmara e do Senado e voltar a ditar as normas políticas.

A estratégia do MDB é diferente do jeito político do DEM. Nada de gritarias, palavras de ordem e oposição dura, mas força política de bastidores. O Congresso é poder dominante na política e no momento está em baixa. A promessa de campanha do candidato Baleia Rossi é exatamente a retomada do poder. Não é o debate aberto e raso de oposição ou adesão ao governo, mas a discussão sobre dividir o poder. É doçura ou travessura, como se diz nas festas das bruxas. Pelo jeito do governo Bolsonaro, a opção pode ser travessuras. Neste caso o partido come pelas beiradas, sem os discursos estridentes nem críticas diretas ao presidente. Mas nunca se esqueça de que foi deste partido que partiram as articulações para impeachments de dois presidentes da República.

O deputado Arthur Lira é o candidato polarizado com o candidato Baleia Rossi, do grupo do presidente da Câmara. Líder da entidade chamada Centrão, Arthur Lira não é criança e nem calouro na política. A promessa é a mesma: uma nova terra onde jorra pão e mel, mas para o colegas parlamentares. Aí a linguagem é a mesma, troca, retorno do governo e a garantia de reeleição, a linguagem que vale ouro no Congresso. Seja Lira ou Baleia, na Câmara, ou MDB no Senado, o presidente Jair Bolsonaro vai enfrentar um novo ritmo de trabalho, menos estridente, mas profissional na política. É a volta dos métodos antigos. Os aposentados foram chamados para por ordem na casa. Sim, o DEM quer evitar a eleição de um representante do MDB no Senado, mas não será fácil.

Cartão de inscrição do Enem será entregue a partir de 5 de janeiro

 

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirma que vai disponibilizar, a partir de 5 de janeiro de 2021, o cartão de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. O documento contém número de inscrição, data, hora e local do exame, entre outras informações. 

O cartão poderá ser acessado na página do participante no site do Inep. Por meio dele, também será informado se o inscrito contará com determinado atendimento especializado, assim como tratamento pelo nome social.

Mais de 5,7 milhões de pessoas se inscreveram para o Enem 2020, que foi adiado por conta da pandemia da Covid-19. Não é obrigatório levar o cartão de inscrição nos dias da prova, mas o Inep recomenda que os participantes estejam com o documento.

A versão impressa das provas do Enem 2020 ocorrerá nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. A versão digital está prevista para 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021.

Brasil chega a 190.815 óbitos pela Covid-19, mostra consórcio de imprensa

Os números menores podem ser explicados por atrasos de notificação das secretarias estaduais relacionados ao Natal. Registros do tipo costumam acontecer em feriados, domingos e segundas.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 636, uma queda de 1% em relação a 14 dias atrás. (Foto: Pixabay/Imagem ilustrativa)

 O Brasil registrou 276 mortes pela Covid-19 e 16.995 casos da doença, neste sábado (26). Com isso, o país chegou 190.815 óbitos e 7.464.620 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Os números menores podem ser explicados por atrasos de notificação das secretarias estaduais relacionados ao Natal. Registros do tipo costumam acontecer em feriados, domingos e segundas.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, a Folha de S.Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 636, uma queda de 1% em relação a 14 dias atrás. O cenário configura uma situação de estabilidade. Durnate a última semana, a situação era de crescimento.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.