MEC suspende criação de novos cursos EAD; veja áreas afetadas

A suspensão é por 90 dias e afeta 17 áreas de ensino à distância (Foto: Reprodução/MEC)

O Ministério da Educação publicou, nesta quinta-feira, 30, uma portaria que suspende a criação de novos cursos de Ensino Superior na modalidade a distância, também conhecido como EAD. A suspensão é por 90 dias e afeta 17 áreas de ensino. São elas:

  • Biomedicina;
  • Ciências da Religião;
  • Direito;
  • Educação Física;
  • Enfermagem;
  • Farmácia;
  • Fisioterapia;
  • Fonoaudiologia;
  • Geologia / Engenharia Geológica;
  • Medicina;
  • Nutrição;
  • Oceanografia;
  • Odontologia;
  • Psicologia;
  • Saúde Coletiva;
  • Terapia Ocupacional;
  • Licenciaturas em qualquer área.

A portaria não afeta todas as faculdades e universidades. Está suspenso o credenciamento de novos cursos na modalidade a distância por instituições de Ensino Superior que tenham tido nota no Conceito Institucional para EAD inferior a 4.
Segundo a portaria, durante o período da suspensão, o MEC deve concluir uma proposta de regulamentação de oferta de cursos de graduação na modalidade.

Crescimento do ensino a distância

O crescimento desenfreado da modalidade de ensino a distância é uma preocupação para o ministro da Educação, Camilo Santana. Em 10 anos, segundo o último Censo da Educação Superior, o número de cursos ofertados nessa modalidade no Brasil cresceu 700%.

Após a divulgação do Censo, Santana disse que quer prezar pela qualidade de oferta desses cursos.

Suspeito de assassinar mãe e filhas já matou jornalista enforcado

Preso por suspeita de assassinar uma mãe e três filhas em Sorriso (MT), Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, também era considerado foragido por cometer um latrocínio contra um jornalista, que teria tentado se relacionar amorosamente com ele.

O crime aconteceu em Mineiros, no sudoeste goiano, em 22 de dezembro de 2013. Segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público de Goiás, após autor e vítima se conhecerem e conversarem um bar na cidade, o jornalista Osni Mendes ofereceu carona ao acusado para irem até a outro bar.

Os dois entraram no carro e, durante o trajeto, o jornalista alegou que queria fazer xixi. Após parar o veículo, ele convidou Gilberto para descer também. Já do lado de fora do automóvel, Osni tentou beijar o homem, que reagiu com empurrões e socos no rosto da vítima.

A partir disso, eles começaram a entrar em luta corporal, até que Gilberto enforcou Osni com a camisa da vítima, até a morte. Na sequência, Gilberto roubou o carro da vítima.

De acordo com inquérito policial, Gilberto se escondeu na chácara de um amigo. No entanto, ele passou a usar o veículo na cidade e acabou encontrado pela polícia cinco dias após o crime, em um bar de Mineiros.

Ao ser abordado pelos policiais e questionado sobre a origem do carro, Gilberto não reagiu e confessou o crime. Ele foi preso em flagrante e levado para a delegacia.

Gilberto ficou preso por mais de 160 dias, mas conseguiu um relaxamento da prisão em junho de 2014, em razão do excesso de prazo na conclusão do inquérito policial.

O caso foi encaminhado para juízo em 6 de janeiro de 2014, mas o Ministério Público decidiu encerrar prematuramente a diligência policial.

O inquérito do caso só foi devolvido ao tribunal em 21 de maio de 2014, cerca de quatro meses desde a sua remessa inicial. Durante todo esse período, a prisão preventiva do acusado continuou em vigor.

Gilberto voltou à liberdade e, quando intimado novamente para prestar esclarecimentos, não foi mais encontrado. A Justiça decidiu expedir novamente mandado de prisão preventiva contra ele, em 24 de janeiro de 2018, mas a ordem nunca chegou a ser cumprida.

Com a prisão dele após o assassinato da mãe e as três filhas, na segunda (27), a Justiça de Goiás atualizou o processo da morte de Osni para réu preso.

Naiara Azevedo pede medida protetiva contra ex-marido e diz não ter acesso a contas bancárias

No registro na Polícia Civil, cantora contou que já foi vítima de agressão e ameaças. Defesa dos irmãos diz que não vai se manifestar por não ter conhecimento de todos os fatos.

 

Cantora relatou sofrer constrangimentos mesmo após separação e pediu medida protetiva (Foto: Reprodução)

 

A cantora Naiara Azevedo registrou um boletim de ocorrência contra o ex-marido e o ex-cunhado por constrangimento após ter equipamentos de show retirados de dentro do caminhão que era preparado para seguir para uma apresentação. No registro, a sertaneja diz que já foi vítima de agressão e ameaças. A defesa dos dois disse que não vai comentar sobre o caso.

No boletim ao qual o g1 teve acesso, Naiara conta que foi casada por dez anos, mas está separada desde julho. Porém, ela e o ex seguem como sócios nos equipamentos usados nos shows. Segundo Naiara, na quarta-feira (29), a carreta usada nos shows estava sendo preparada para um show quando o ex-cunhado determinou que equipamentos fossem retirados e trancados em um galpão sem que a sertaneja pudesse ter acesso. Ela recebeu um recado dizendo que deveria locar o material se quisesse usar.

O ex-cunhado de Naiara, Fernando Alves Cabral, disse que não tem conhecimento das denuncias feitas pela sertaneja.

O advogado Guilherme Capanema, que representa Fernando e Raphael, informou que os dois não foram intimados e não têm conhecimento de todos dos fatos. “Estamos apurando e levantando todas as questões, razão pela qual, no momento, não temos nada a declarar quanto a tal ponto”, disse.

A assessoria de imprensa da cantora confirmou que a Naiara esteve na delegacia. “O caso em questão está em segredo de justiça”, afirma a nota.

Naiara contou à polícia que não tem acesso às informações das contas bancárias, que são movimentadas pelo ex e a família dele. Além disso, afirmou que vários de seus bens, como casas e veículos de luxo não estão no nome dela, e sim de Raphael.

Além disso, relatou que “inúmeras vezes” Rafael a ameaçou, dizendo que acabaria com sua carreira e até “a ameaçou com os seguintes termos: vou acabar com a sua vida, com a sua carreira e você nunca mais vai me ver”.

Em nota, a Polícia Civil informou que “registrou boletim de ocorrência relativo ao fato ocorrido com a cantora vítima, a qual foi prontamente atendida, e que a Deaem [Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher] já está tomando todas as medidas de investigação em conformidade com o previsto na Lei Maria da Penha”.

Naiara ficou nacionalmente conhecida pelo hit ’50 reais’. Ela também participou do BBB 22, sendo a terceira eliminada.

Compartilhe: