A Inteligência Artificial impactará significativamente a educação e nossas vidas

Extraordinária foi a repercussão do lançamento do ChatGPT em novembro de 2022, que representa apenas a ponta do iceberg do que teremos pela frente. Conforme já amplamente divulgado, o ChatGPT é uma Inteligência Artificial (AI) em linguagem natural capaz de compreender e gerar textos de modo muito similar aos dos humanos. A mais recente versão lançada é o ChatGPT 4, desenvolvida pela OpenAI, uma empresa fundada em 2015 por Sam Altman e outros colaboradores em São Francisco, Califórnia.

De início modesto, a OpenAI foi avaliada em US$ 29 bilhões em janeiro de 2023. As perspectivas são avassaladoras, tanto para o bem quanto potencialmente para o mal. As bigtechs, em peso, entraram de corpo e alma em pesquisas e desenvolvimento da Inteligência Artificial, mas foram todas surpreendidas, assim como nós, pela qualidade do ChatGPT, que sem dúvidas saiu na frente e tem uma bela dianteira.

Este chatbot da OpenAI não pode ser comparado unicamente a um site de buscas, como Google ou Bing, por desenvolver textos descritivos e analíticos sobre qualquer pergunta, já divididos em parágrafos ou em outra forma de organização solicitada pelo usuário. Oferece informações e argumentos a partir de um extenso treinamento de machine learning (aprendizado de máquina) lhe dá condições de interligar, aplicar e expressar esse conhecimento como se humano fosse. Uma mesma pergunta formulada por pessoas distintas gera respostas diferentes – pois leva em conta o contexto e o interlocutor –, o que torna quase impossível para um professor, por exemplo, detectar que a resposta a um exercício ou trabalho escolar foi gerada por uma máquina.

A Inteligência Artificial impactará significativamente a Educação e todo o nosso modus vivendi et operandi. E justificadamente nós, educadores, estamos perplexos, como se estivéssemos diante do despertar de um gigante desconhecido. Uma boa parte dos analistas considera que a Inteligência Artificial promoverá transformações ainda mais significativas que aquelas produzidas pela eletricidade no início do século XX – e estamos apenas transpondo o primeiro umbral. O ecossistema para essa inovação se tornou propício com a aceleração da internet, da conectividade e da capacidade de processamento. Basta pensar que em nossos bolsos carregamos celulares com memória, velocidade de conexão e processamento maiores (e melhores) do que os computadores de mesa de apenas 10 anos atrás, bem como dezenas de vezes superiores ao computador que ajudou a guiar a Apolo 11 à Lua, em 1969.

E a Educação não escapará das transformações a serem promovidas por essa revolução provavelmente mais disruptiva que as evoluções de tecnologia educacional anteriores. E serão transformações profundas, pois atingirão o conteúdo, a forma e os objetivos do ensino. Afinal, a vida pessoal e a profissional que o educando enfrentará na sua fase adulta serão amplamente influenciadas pelo uso massivo da Inteligência Artificial. No século 21, a escola deve melhor equilibrar a qualificação acadêmica e técnica com habilidades emocionais e comportamentais. O professor não mais deve ser um expositor de conteúdos, mas se transfigurar em mediador, mentor, motivador. É preciso flexibilizar o modelo tradicional de sala de aula, e metodologias ativas serão cada vez mais necessárias.

Neste cenário desafiador, a maioria dos docentes se sente despreparada para uma boa mediação tecnológica, porém muito apreciaria receber capacitação na instituição de ensino, indica pesquisa. Evidentemente, transformar essa realidade das escolas demanda uma política consistente de curto, médio e longo prazo em uma intensa capacitação de professores e gestores – estes muitas vezes ironicamente vítimas da mesma falta de preparo digital agora incumbidos de solucionar.

De fato, pouco se fará sem o reforço na formação das pessoas que fazem a escola e a Educação, mesmo que haja uma boa disponibilidade na infraestrutura de hardware, software e conectividade. Durante o percurso escolar, fundamental é propiciar aos estudantes a fluência digital, uma das mais importantes e básicas competências do mundo contemporâneo. Atualmente, relegamos ao segundo plano a decoreba, a memorização, uma vez que tudo está ao alcance de um teclado.

E agora, com a aplicação da Inteligência Artificial na Educação? Textos serão produzidos sobre qualquer tema em segundos, tendo por base todo o acervo da internet. Uma equação do 3º grau ou um determinante de 4ª ordem podem ser resolvidos em um piscar de olhos. O ChatGPT foi inscrito no exame da OAB, sendo aprovado na fase a que se submeteu. E disso advém um grande desafio: nesse novo ecossistema, como desenvolver o raciocínio lógico, o esforço mental, o espírito crítico, a criatividade, o estímulo para uma boa preparação? Defrontar-se com uma tarefa mais complexa faz bem aos neurônios, desenvolve a autonomia intelectual e autoconfiança para superar outros reptos e problemas.

Por essas e outras razões, estimular o raciocínio e desenvolver o espírito crítico devem ser as principais incumbências dos pais e professores, em especial no ambiente escolar. Compreender e produzir bons textos e ser capaz de expô-los com clareza, síntese e lógica são importantes legados que a instituição de ensino deve oferecer aos nossos educandos. A neurociência está aí para provar que novas redes neurais se formam por meio de atividades que exijam raciocínio, abstração, análise mais profunda. É um desafio gigantesco, pois pode gerar mais acomodação aos estudantes, ainda mais pelos estudos recentes da Universidade de Harvard, segundo os quais a saúde mental e o bem-estar dos jovens de hoje estão piores do que há 20 anos. E eles enfrentarão não mais “apenas” a feroz concorrência entre humanos, mas também com as máquinas.

Dois PMs são detidos pelo assassinato de esposa e sogra de tenente-coronel no Ceará

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) emitiu nota de pesar pelo crime. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Dois policiais militares foram detidos suspeitos de participação no duplo assassinato que vitimou a advogada Rafaela Vasconcelos de Maria, de 34 anos, e a mãe dela Maria Socorro Vasconcelos de Maria, de 78 anos, crime ocorrido no último dia 24 no Litoral Norte do Ceará. Segundo apurou o ClickPB, os dois suspeitos foram encaminhados na noite de ontem (25) ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do Ceará. 

Rafaela era esposa de um tenente-coronel da Polícia Militar. Ela e a mãe foram sepultadas na tarde deste sábado, no município de Morrinhos (CE), onde ocorreu o crime. O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) emitiu nota de pesar pelo crime.

“O Ministério Público repudia a ocorrência de mais um ato de violência brutal registrado no interior do Ceará e reafirma o compromisso de continuar atuando com firmeza na prevenção e combate à criminalidade, junto aos demais órgãos do Sistema de Justiça do Estado”.

Prefeitura de Afogados promove ação na semana mundial da água

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira realizou, durante a semana passada em que se celebrou o Dia Mundial da Água, uma série de atividades alusivas ao tema.

Na quinta-feira (23), em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, a Vigilância Ambiental do Município realizou uma palestra com orientações sobre os cuidados com a água. A palestra foi direcionada para os agricultores e agricultoras familiares do município.

Foram debatidos temas como doenças transmitidas pela água, a limpeza adequada dos recipientes utilizados para o seu armazenamento, uso do hipoclorito de sódio e a manutenção/preservação das nossas matas ciliares. 

“Abordamos esses temas que são bem pertinentes à rotina das nossas comunidades rurais. Tivemos uma participação bem ativa de todos, já que eles dependem diretamente da água para produção, não apenas para o consumo humano. E estamos a melhor forma de atender a um pedido deles que é o controle da salinidade de muitos poços existentes nas pequenas propriedades”, destacou Pedro Brito, coordenador da Vigilância Ambiental de Afogados, instância gestora vinculada à secretaria municipal de saúde. 

A ação reuniu líderes de associações e conselhos de diversas comunidades rurais e contou a presença da coordenadora da Vigilância em Saúde, Aline Alves, e do vereador César Tenório.

Brasil de Ramon vai mal na defesa contra Marrocos e perde 1º jogo pós-Copa 2×1

O Brasil perdeu por 2 a 1 para o Marrocos neste sábado, em Tânger, no primeiro jogo depois da Copa do Mundo do Qatar. O time do interino Ramon Menezes teve muita dificuldade diante do time que surpreendeu e foi quarto lugar no Mundial.

– Ramon escolheu Rony como titular e deixou Antony no banco. No gol, Weverton jogou por causa do desconforto estomacal de Ederson.

– O Marrocos começou pior, equilibrou o jogo e abriu o placar aos 28 minutos do primeiro tempo, com Boufal. O lance teve erros de Rony e Emerson Royal.

– O Brasil melhorou no segundo tempo, empatou com Casemiro e parecia perto de virar, mas desperdiçou chances e deixou Marrocos no jogo.

– Os donos da casa desempataram na parte final do amistoso, com bonita finalização de Sabiri. Allah cruzou e Militão errou na interceptação.

– O Brasil teve alguns bons momentos ofensivos, mas foi sempre inseguro na defesa, perdendo a característica principal do trabalho de Tite.

O novo Brasil do técnico interino Ramon Menezes sofreu contra o entrosamento do time do Marrocos, quarto lugar da Copa do Mundo do Qatar.

A partida teve mais de 60 mil pessoas e muita festa nas arquibancadas, mas no campo se viu disputas acirradas, discussões e uma arbitragem confusa.

Fonte: UOL

Compartilhe: