Herdeira do Novo Cangaço: Viúva de líder do PCC assume posto do marido

A viúva de Ronildo Alves dos Santos, o Magrelo, apontado pela Polícia Federal (PF) como um líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), assumiu os negócios do companheiro depois que ele foi morto em uma suposta troca de tiros com a Polícia Militar, em maio do ano passado, no Tocantins.

A informação consta em uma investigação da PF sobre o planejamento de um mega assalto frustrado que teve como alvo cerca e R$ 30 milhões guardados em um cofre da empresa de transporte de valores Brinks, em abril do ano passado, na cidade de Confresa, no Mato Grosso.

A ação criminosa seria feita por meio da prática conhecida como Novo Cangaço, quando uma quadrilha toma o controle de uma pequena cidade para praticar um grande assalto. Magrelo e mais 17 suspeitos morreram em supostas trocas de tiro, com a polícia, nas semanas posteriores à empreitada criminosa mal sucedida.

“Viúva e comparsa”

 

A investigação da PF afirma que Karen Abreu dos Santos (foto em destaque) “não é só viúva” de Magrelo, mas também sua “comparsa e integrante do PCC”. Desde 2018, ela posta fotos nas redes sociais, ao lado do chefão do crime, com quem teve um filho.

Investigadores checaram, com testemunhas, que Karen herdou o “patrimônio ilícito” de Magrelo e assumiu um posto de liderança na organização criminosa.

Ela, ainda de acordo com a PF, é vista “frequentemente” em contato com membros do PCC. Além disso, Karen usa as redes sociais para compartilhar fotos ostentando carros e motos de luxo, os quais, segundo a polícia, são adquiridos pelos lucros do crime.

Os perfis de Karen não são públicos. Em um deles, único com acesso livre, ela se apresenta como esteticista, destoando dos registros compartilhados, de forma restrita, nas suas contas privadas. Isso é destacado pela PF no relatório.

“Tudo indica que Karen Abreu dos Santos assumiu a função de Ronildo [Magrelo] no PCC, além de continuar se beneficiando do proveito do crime deixado pelo seu ex-marido”, destaque trecho da investigação.

Karen foi procurada pelo Metrópoles, na tarde dessa sexta-feira (21/6). Ela não havia se posicionado, nem indicado um advogado, até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto para manifestação.

Novo Cangaço

Como mostrado pelo Metrópoles, o PCC planejou, organizou e financiou uma mega tentativa de assalto, a uma transportadora de valores, em abril do ano passado no Mato Grosso. Ao todo, 18 suspeitos foram mortos, entre eles Magrelo, e nenhum centavo levado pela quadrilha.

A investigação o aponta como a liderança da facção paulista responsável em cooptar e organizar criminosos para o roubo, que pretendia levar R$ 30 milhões dos cofres da empresa Brinks.

Chamadas de Novo Cangaço, essas empreitadas são feitas pelo PCC para levantar recursos financeiros em situações de crise, quando a facção sofre grandes prejuízos financeiros com apreensões de cargas de drogas pela polícia.

Para a tentativa de assalto no Mato Grosso, o PCC movimentou R$ 2 milhões na conta de Magrelo. Ele acabou morto cerca de um mês após o crime, em um suposto confronto com a polícia, em uma estrada rural na região de Pium (TO). Com ele, a Polícia Militar (PM) afirmou ter encontrado um fuzil calibre 762, armamento usado em guerra.

“Domínio de cidades”

A empreitada atribuída a Magrelo é chamada pela PF de “domínio de cidades”, ação mais perigosa e planejada do Novo Cangaço.

Prova disso é que a quadrilha alugou imóveis, no estado do Pará, cerca de 15 dias antes do ataque à transportadora no Mato Grosso, ocorrido em 9 de abril do ano passado. Na ocasião, os criminosos, fortemente armados, chegaram à Confresa, onde se dividiram.

Parte do bando foi até a uma base da PM, que foi alvo de tiros. Os bandidos também conseguiram impedir a transmissão de câmeras de segurança e a comunicação policial, após destruírem transformadores de energia.

PCC completa 30 anos com exército de 100 mil a serviço do tráfico

A sede da Brinks foi atacada em seguida. Os bandidos tentaram acessar o cofre usando explosivos, sem sucesso. Durante a fuga, os criminosos promoveram uma onda de terror na região, dando tiros nas ruas.

Cerca de 350 policiais, de cinco estados, foram mobilizados para “caçar” a quadrilha. Até 17 de maio, quando as ações foram desmobilizadas, o saldo de mortos era de 18.

Investimento milionário

Em um relatório de inteligência financeira, a PF identificou 19 comunicações de transações “atípicas” na conta de Magrelo, em pouco mais de um ano. Em cerca de seis meses, no período que antecedeu o ataque à base de valores da Brinks, Magrelo movimentou R$ 1,9 milhão em sua conta corrente.

“Essas operações foram consideradas incompatíveis com o patrimônio a capacidade financeira dele, tendo em vista que declarou uma renda mensal de R$ 4.290,00”, destacou a PF.

O dinheiro foi repassado por meio de dois laranjas, também investigados pela PF e cujas contas bancárias movimentaram, juntas, cerca de R$ 10 milhões. Um desses laranjas, inclusive, recebia benefícios assistenciais do governo. (Via: Metrópoles)

Prefeito Sandrinho Palmeira comemora aprovação por unanimidade de suas contas referentes a 2021 e 2022

O Tribunal de Contas do Estado, importante órgão de fiscalização da administração pública, aprovou, por unanimidade, as contas do Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, referentes ao exercício do ano fiscal 2022. As contas de 2021 também já haviam sido aprovadas recentemente.

Os números apontam recordes de investimentos do município nas áreas de educação e de saúde. Foram investidos 28,85% do total dos recursos arrecadados pelo município na área de educação, percentual acima do exigido pela constituição. A maior média histórica de destinação à educação dos últimos 10 anos.

Em saúde, foram investidos 18,28% da arrecadação, também acima da exigência constitucional, sendo o maior valor destinado à saúde em toda a série histórica apresentada pelo relatório de auditoria: R$ 13.237.521,15.

“Fico muito feliz em poder coordenar os maiores investimentos em saúde e educação da história recente de Afogados da Ingazeira, levando obras e serviços que tem melhorado a vida da nossa população,” afirmou o Prefeito Alessandro Palmeira, destacando obras e serviços importantes como o Centro de Telemedicina, a Escola Ana Melo e a implantação da unidade básica do bairro Planalto, para ficar em alguns exemplos.

“A aprovação mostra que temos uma gestão transparente, zelosa com o recurso público, e que, acima de tudo, tem entregado ações e obras importantes. Quero aproveitar para convidar a todos para a inauguração, no próximo dia cinco de julho, da ponte Antônio Mariano de Brito, que vai ligar os bairros São Cristóvão e São Francisco, dando uma nova dinâmica ao desenvolvimento daquela parte da cidade,” finalizou Sandrinho.

Mototaxista é assassinado a tiros no bairro Cohab, em Serra Talhada

O mototaxista Albino Alves de Souza Júnior, 29 anos, foi assassinado a tiros nessa sexta-feira, 21, na Rua Andrelino José de Lima, no bairro Cohab, em Serra Talhada. Dois homens de moto o perseguiram e efetuaram vários disparos de arma de fogo, praticando o crime em plena via pública.

Segundo o site Farol de Notícias, o mototaxista se dirigia para casa, na referida rua, no momento que foi executado. Câmeras de segurança registraram o homicídio e podem ajudar a polícia na identificação dos assassinos.

Esse foi o 11° homicídio de 2024 em Serra Talhada. O 10° caso teve como vítima o empresário César Adriano Leite de Lima, 54 anos, morto dentro de seu carro na PE-365,

Prefeitura de Juazeiro-BA está com inscrições abertas para concurso público com salário de R$ 13.105

A Prefeitura de Juazeiro-BA abriu inscrições para concurso público com quatro vagas imediatas para o cargo de Procurador, que exige graduação de Direito e inscrição regular na OAB. O salário inicial é de R$ 13.105 mais honorários.

Quem quiser concorrer pode se inscrever no site do Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (IDIB) até o dia 22 de julho, pagando taxa de R$ 145. Os candidatos farão provas no dia 8 de setembro em Juazeiro-BA, cidade vizinha a Petrolina-PE.

O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois, a depender da necessidade da administração municipal de Juazeiro-BA.

Saiba quais as penalidades para quem não fez a declaração do MEI

logo mei

Mais de 7,2 milhões de microempreendedores individuais (MEIs) não entregaram a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-Simei) no prazo, que terminou em 31 de maio. Isso significa que  47% dos microempreendedores individuais estão em débito com a Receita Federal.

Os empreendedores que não entregaram estão sujeitos a multa de, no mínimo, R$ 50 ou de 2% do total de faturamento por mês atrasado até o limite de 20%. Além da multa, os MEIs que não apresentaram o documento no prazo estão sujeitos a outras penalidades, de acordo com o vice-presidente de operações da Contabilizei, Charles Gularte.

Quais são as penalidades aplicadas aos MEIs que não enviaram a declaração?

O MEI que não apresentou a Declaração Anual DASN- Simei no prazo estará sujeito a multa no momento da entrega, e enquanto não entregá-la estará sujeito às seguintes penalidades:

  • bloqueio de acesso ao DAS mensal;
  • perda de benefícios do INSS;
  • interrupção de benefícios previdenciários: aposentadoria por idade ou invalidez, auxílio doença ou reclusão, licença-maternidade ou pensão por morte;
  • impossibilidade de parcelar os débitos relativos ao período abrangido pela declaração;
  • suspensão ou cancelamento do CNPJ MEI.

Além disso, caso fique por 2 anos consecutivos sem realizar a DASN-Simei, o CNPJ do MEI será cancelado pela Receita Federal.

Qual o valor da multa?

O MEI não entregar a DASN-Simei no prazo receberá uma multa no valor mínimo de R$ 50. O documento para pagamento da penalidade é emitido no momento da entrega da DASN-Simei, com o valor final da multa já calculado pelo sistema do Fisco.

Para estimar o valor da multa o microempreendedor deverá levar em consideração 2 cenários:

  • empresa sem faturamento: o valor da multa será o valor mínimo de R$ 50 somado a juros de 2% para cada mês de atraso na entrega;
  • empresa com faturamento: o valor da multa varia de R$ 50 a 20% sob o valor do faturamento anual, acrescidos dos mesmos juros mensais de 2% para cada mês de atraso.

Em ambos os cenários, caso o pagamento seja feito em até 30 dias depois da emissão da multa, o valor será reduzido em 50%, ou seja, R$ 25.

Como regularizar a situação?

A entrega atrasada pode ser feita de maneira simples e rápida pelo aplicativo MEI ou pelo Portal do Empreendedor.

Leia o passo a passo do portal:

  • selecionar a aba “Já sou MEI”;
  • escolher a opção “Declaração Anual de Faturamento”;
  • digitar o CNPJ do MEI;
  • na sequência, o empreendedor deve escolher o ano que deseja declarar e preencher os dados com as receitas obtidas mensalmente;
  • em seguida, o MEI será apresentado a um resumo dos valores dos impostos pagos naquele ano;
  • clicar em transmitir a declaração.

Caso o microempreendedor tenha dificuldades no acesso a internet, a recomendação é procurar uma agência da Receita Federal ou buscar auxílio de um contador.

Declaração é obrigatória

O envio da DASN-Simei é obrigatório para todos os microempreendedores individuais, independente do faturamento no ano anterior. O prazo se encerrou em 31 de maio, mas os MEIs do Rio Grande do Sul tiveram a data prorrogada para 31 de julho por conta das chuvas.

O documento tem como objetivo prestar contas ao Fisco de que a empresa está operando dentro das regras e limites de faturamento, que é de R$ 81.000 ao ano. O empreendedor deve informar suas operações, mesmo que não tenha faturado nada durante o ano calendário de 2023.

Eis o manual completo do DASN-SIMEI

Compartilhe: