Impactante: Enfermeira é condenada por assassinar sete bebês: ‘Matei de propósito’

 

“Eu os matei de propósito porque não sou boa o suficiente para cuidar deles. Sou uma pessoa horrível e má”, diz um trecho da nota. (Foto: Pixabay/Ilustrativa)

A enfermeira britânica Lucy Letby, 33 anos, foi considerada culpada pelo assassinato de sete bebês no hospital Condessa de Chester, em Liverpool, na Inglaterra, onde ela trabalhava. As mortes aconteceram entre 2015 e 2016.

Segundo a agência de notícias Reuters, Letby matou os recém-nascidos aplicando injeções de insulina e ar, enquanto estavam na UTI neonatal. Ela também alimentava as crianças à força com leite.

Em uma carta encontrada por policiais na casa da enfermeira após a prisão, ela disse que assassinou as crianças ‘de propósito’.

“Eu os matei de propósito porque não sou boa o suficiente para cuidar deles. Sou uma pessoa horrível e má”, diz um trecho da nota.

Embora a condenação tenha saído nesta sexta-feira, 18, a sentença só será lida na próxima segunda-feira, 21, com a presença de Letby.

“Estamos com o coração partido, devastados, zangados e entorpecidos, talvez nunca saibamos verdadeiramente por que isso aconteceu”, disseram as famílias das vítimas em um comunicado.

Investigações do caso

Conforme a Reuters, as suspeitas contra a enfermeira só vieram à tona meses após os crimes. Médicos ficaram preocupados com o número de mortes inexplicadas na unidade neonatal ao longo de 18 meses e chamaram a polícia.

Durante as investigações, os policiais perceberam que Letby sempre estava de plantão quando ocorriam as mortes. Na casa dela, os detetives encontraram documentos e anotações médicas sobre as crianças mortas. Ela também fez buscas nas redes sociais pelos pais dos bebês assassinados.

Em depoimento, a enfermeira disse que nunca tentou machucar os bebês e disse que o hospital tinha condições de higiene “inseguras”, e que isso causava as mortes. Ela também afirmou que os médicos estavam conspirando contra ela e que escreveu a carta em que afirma que é uma pessoa má porque se sentiu sobrecarregada.

Colisão de caminhão com ônibus escolar deixa três pessoas feridas em Ouricuri

Aconteceu um acidente envolvendo um caminhão e um ônibus do transporte escolar por volta do meio-dia dessa sexta-feira, 18, na BR-316, na zona rural de Ouricuri. O choque entre os dois veículos deixou a frente do caminhão destruída e três pessoas feridas, duas estudantes e o caminhoneiro.

Segundo informações do radialista e blogueiro Emanoel Cordeiro, o acidente foi registrado em frente ao Régis Bar, na comunidade do Teiú. Testemunhas relataram que o ônibus parou para o embarque de um aluno e ao retornar à BR foi atingido na traseira pelo caminhão.

O motorista do veículo de carga, identificado como Igor, natural de Campos dos Goytacazes-RJ, ficou preso às ferragens, foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros, mas não se feriu gravemente. No coletivo, duas alunas ficaram feridas e uma delas foi socorrida ao Hospital Regional de Ouricuri com suspeita de fratura exposta

Cartórios do Brasil registram 10.314 mudanças de nome após nova lei

Cartórios

Os cartórios brasileiros registraram 10.314 mudanças de nome desde julho de 2022. Naquele mês, foi sancionada a Lei Federal nº 14.382 de 2022. O texto dá permissão para que qualquer cidadão maior de 18 anos troque o nome sem a necessidade de processo judicial e independentemente de prazo.

Os dados são de um levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen Brasil).

Eis a íntegra dos números.

Os Estados que mais realizaram trocas foram: 

  • São Paulo: 2.639;
  • Minas Gerais: 1230;
  • Paraná: 957;
  • Bahia: 851;
  • Ceará: 338.

Para realizar o ato de mudança de nome, o cidadão maior de 18 anos precisa ir diretamente a um cartório de registro civil. Deve apresentar documentos pessoais, como Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF). O cartório comunicará aos órgãos expedidores sobre a alteração.

É necessário entrar com uma ação de juízo se a pessoa quiser mudar o nome uma 3ª vez ou retornar para a designação original.

Compartilhe: