Carlos Nobre prevê forte seca no Nordeste em 2024: “risco gigantesco”

De acordo com o estudioso, mudanças na gestão de políticas ambientais “é o maior desafio da história da humanidade”.

Carlos Nobre e a seca na Região Nordeste
Carlos Nobre e a seca na Região Nordeste (Foto: Agência Brasil)

 

O cientista Carlos Nobre prevê a ocorrência de uma forte seca entre os meses de fevereiro e maio de 2024 nos estados nordestinos. O estudioso alertou em entrevista à TV 247 para os ‘riscos gigantescos’ ao Brasil gerados pelo aquecimento global e afirmou que criar um novo modelo global de gestão de políticas ambientais “é o maior desafio da história da humanidade”. 

“O Oceano Atlântico ao Norte da Linha do Equador está muito quente, batendo recordes de temperatura, o que causa secas no Nordeste e na Amazônia. As secas de 2005 e 2010 na Amazônia foram causadas por isso, enquanto a desse ano foi causada também pelo El Niño muito forte. A seca no Nordeste ocorrerá de fevereiro a maio de 2024”, disse Nobre. 

Oito estados das regiões Norte e Nordeste já enfrentam neste ano a pior seca desde 1980, segundo o Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) – Amazonas, Pará, Acre, Amapá, Maranhão, Piauí, Bahia e Sergipe. A lista das unidades federativas em situação preocupante por causa da falta de chuvas foi divulgada no mês passado. 

No El Niño, os ventos alísios, que saem dos trópicos em direção à linha do Equador, sopram no sentido leste-oeste. Quando ocorre o fenômeno, os ventos perdem força. As correntes frias não sobem para a superfície do mar, levando as águas do Oceano Pacífico a se tornarem mais quentes. 

Nobre também alertou para os graves riscos à segurança das pessoas diante da ameaça de aumento nos níveis dos oceanos em decorrência do derretimento acelerado de geleiras. Ele defendeu a criação de mecanismos para combater esse desafio.

“Se continuarmos a aquecer o planeta, vamos derreter as geleiras e o nível do mar vai subir muitos metros. Em 500-1500 anos, vamos derreter grande parte das geleiras da Groenlândia e da Antártida. Esse risco é gigantesco. Temos que combater esse que é o maior desafio da história da humanidade”, disse.

 

 

Caruaru registrou a maior temperatura de Pernambuco este mês, diz Governo do Estado

As altas temperaturas que os salgueirenses estão sentindo na pele nas últimas semanas entraram para as estatísticas. Um ranking divulgado pelo Governo do Estado nessa sexta-feira, 17, aponta que o município registrou a segunda maior temperatura de Pernambuco este mês, com pico de 39,4 °C. Salgueiro ficou atrás apenas de Caruaru, que registrou 39,5 °C.

O governo estadual alerta que a temperatura extrema pode provocar estresse térmico (quando há uma sobrecarga de calor no corpo); desidratação (quando a água eliminada pelo organismo não é reposta de maneira adequada); e até câncer de pele (quando os raios ultravioletas atingem as camadas profundas da pele).

Devem ser adotados cuidados, como evitar atividades físicas ao ar livre, principalmente no período das 10h às 16h; beber bastante água, mantendo-se sempre hidratado; usar protetor solar, óculos escuro e chapéu, se precisar se expor ao sol; dar preferência aos alimentos leves; e usar roupas frescas e confortáveis

Compartilhe: