Bruce Willis é diagnosticado com demência

Ator se aposentou em 2022 depois de diagnóstico de afasia. Desde então, condição progrediu para demência frontotemporal, diz a família em comunicado.

 

Bruce Willis no lançamento de um filme em Nova York em outubro de 2019 (Foto: Charles Sykes/Invision/AP)

 

A família de Bruce Willis anunciou nesta quinta-feira (16) que o ator de 67 anos foi diagnosticado com demência frontotemporal (DFT).

A condição é resultado da progressão da afasia, que havia sido anunciada em março de 2022 e que motivou sua aposentadoria como ator.

“Infelizmente, desafios com comunicação são apenas um sintoma da doença que Bruce enfrenta. Enquanto isso é doloroso, é um alívio finalmente chegar a um diagnóstico claro”, afirmou a família do ator em comunicado no site da Associação para a Degeneração Frontotemporal.

“DFT é uma doença cruel que muitos de nós nunca ouvimos falar e que pode atingir qualquer um. Para pessoas com menos de 60 anos, DFT é a forma mais comum de demência, e como o diagnóstico pode levar anos, DFT é provavelmente muito mais dominante do que sabemos. Atualmente, não há tratamentos para a doença, uma realidade que esperamos poder mudar nos anos à frente.”

Nascido na Alemanha, mas criado nos Estados Unidos, Bruce Willis estourou na televisão ao lado de Cybill Shepherd na série “A gata e o rato”.

Em uma das pausas da série, ele foi convidado para atuar em “Duro de matar” (1988). Foi quando a carreira em Hollywood decolou. O filme de ação teve quatro continuações.

Ele também ficou muito conhecido em filmes como “Pulp Fiction: Tempo de Violência” (1994), “Armageddon” (1998) e “O Sexto Sentido” (1999).

Willis e a atriz Demi Moore foram casados por 13 anos e tiveram três filhas (Rumer, Tallulah e Scout). Com sua atual esposa, a modelo Emma Heming Willis, ele tem outras duas filhas (Evelyn e Mabel).

O ator americano ganhou dois Emmys: um foi pela série “A gata e o rato”, em 1987; e outro por uma participação em “Friends”, em 2000.

 

Compartilhe: