Internautas cobram aprovação do PL 2630 ‘contra hate e fake’ e tema vai aos trends

Movimento atraiu desde políticos do campo progressista até fã clubes de celebridades pop

Internautas cobram aprovação do PL 2630 ‘contra hate e fake’ e tema vai aos trends · Ouvir artigo

Internautas se organizaram em uma campanha virtual nesta segunda-feira (15) para promover a defesa do PL 2630, conhecido como ‘PL das Fake News’, e o assunto tornou-se um dos mais comentados do Twitter no dia, garantindo lugar nos ‘trending topics’ da rede com a frase “2630 contra Fake e Hate”.

O movimento envolveu desde internautas isolados, que se engajaram organicamente no movimento, até perfis de fã clubes de celebridades pop, como da ex-BBB Juliette e da cantora Anitta. Políticos do campo progressista, como Guilherme Boulos (PSOL-SP), e o relator do projeto, Orlando Silva (PCdo-SP), também participaram. Confira alguns dos principais tweets:

CGU aponta R$ 3,89 bilhões em pagamentos indevidos do Auxílio Brasil de Bolsonaro

Relatórios publicados mostram falhas no CadÚnico: além de 470 mil famílias beneficiadas de forma irregular, também estavam cadastrados 1 milhão de mortos

CGU aponta R$ 3,89 bilhões em pagamentos indevidos do Auxílio Brasil de Bolsonaro · Ouvir artigo

 A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou nesta segunda-feira (15) um relatório em que identifica pagamentos indevidos no valor de R$ 3,89 bilhões no Programa Auxílio Brasil do governo Bolsonaro (PL), informa o portal 

De acordo com os auditores, durante o período de janeiro a outubro de 2022, uma média mensal de aproximadamente R$ 218 milhões foi paga a 468 mil famílias que excediam o limite de renda estabelecido pelo Auxílio Brasil.

Além disso, cerca de R$ 171 milhões foram liberados para aproximadamente 367 mil famílias que deveriam estar bloqueadas ou desligadas do programa devido a questões como trabalho infantil na família ou pendências no cadastro.

Levando em conta o tamanho médio das famílias beneficiadas, estima-se que aproximadamente 2,17 milhões de pessoas receberam indevidamente o benefício durante o período analisado.

Os auditores apontam que uma das possíveis causas desse problema são as falhas na atualização e verificação do Cadastro Único (CadÚnico), o qual é preenchido por informações autodeclaradas pelos inscritos. Outro relatório divulgado hoje demonstra que, ao cruzar os CPFs registrados no cadastro com a base de dados de óbitos, foram encontradas 1.078.736 pessoas que já faleceram, mas ainda estavam registradas no sistema.

Compartilhe: