IRPF: Neste domingo é o último dia para garantir restituição no primeiro lote

Os contribuintes que se enquadram nos critérios para restituição do Imposto de Renda (IRPF) e desejam receber a restituição ainda em maio precisam se apressar. Domingo (12) é data limite para envio da declaração e inclusão do pagamento da restituição no primeiro lote, que será pago no dia 31 de maio. Depois disso, serão mais quatro lotes, sempre no último dia útil de cada mês: 28 de junho, 31 de julho, 30 de agosto e 30 de setembro.
O pagamento das restituições do IRPF segue critérios legais, na seguinte ordem de prioridade: idosos a partir de 80 anos, idosos com 60 anos ou mais, pessoas com deficiência ou do
ença grave e aqueles cuja principal fonte de renda seja o magistério. Em caso de empate, a data de entrega da declaração é o critério determinante. Além disso, é possível antecipar o recebimento da restituição ao escolher a declaração pré-preenchida ou a modalidade de recebimento via PIX.
“Contudo, a prioridade para a restituição  do IRPF via PIX apenas se aplica àqueles contribuintes cuja chave pix seja o CPF e vale ressaltar que o não cumprimento do prazo estipulado para a submissão da declaração pode acarretar em penalidades financeiras, com multa corresponde a 1% ao mês sobre o imposto devido, sendo o valor mínimo fixado em R$ 165,74 e o máximo em 20% do imposto devido”, 
explica o contador e diretor da Rui Cadete, Gustavo Vieira.
São obrigadas a declarar o IRPF pessoas que tiveram rendimentos tributáveis superiores a R$ 2.112 por mês em 2023 (ou R$ 30.639,90 ao ano), além daquelas que receberam rendimentos classificados como “isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte” que tenham ultrapassado R$ 200 mil, como indenização trabalhista ou rendimento de poupança, por exemplo.
Outras situações que exigem a apresentação da declaração incluem obtenção de receita bruta anual proveniente de atividade rural acima de R$ 153.199,50; intenção de compensar prejuízos de atividade rural deste ou de anos anteriores; realização de operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e similares; mudança para a condição de residente no Brasil em qualquer mês de 2023, mantendo essa condição em 31 de dezembro de 2023; opção pela isenção de imposto sobre o ganho de capital 
na venda de imóveis residenciais, seguida pela aquisição de outro em até 180 dias; e obtenção de ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeitos à incidência do IRPF.
Além dessas obrigatoriedades, a lei das offshores adicionou
 outras três: quem possui investimentos em trust no exterior, deseja atualizar valor de mercado de bens no exterior e/ou optou por detalhar bens do exterior da entidade controlada 

como se fossem da pessoa física.
“É fundamental que os contribuintes estejam atentos aos prazos e obrigações para evitar complicações e garantir a regularidade de sua situação fiscal perante a Receita Federal”, alerta Gustavo.

Empresário da construção civil, Bruno Veloso é eleito o novo presidente da FIEPE

Foto: divulgação

Ricardo Essinger deixa o cargo depois de ter se dedicado por dois mandatos consecutivos

O empresário Bruno Veloso foi o nome escolhido para assumir a presidência da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) para o próximo quadriênio (2024-2028). A decisão unânime dos 32 sindicatos votantes aconteceu nesta quinta-feira (9), em eleição na Casa da Indústria, em Santo Amaro. Ricardo Essinger deixa o cargo depois de ter se dedicado por dois mandatos consecutivos e permanece, juntamente com Veloso, como delegado representante no Conselho da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Nascido no Recife em 1959, Bruno Veloso é formado em engenharia civil pela Universidade Católica. Sócio de uma indústria de concreto chamada Goiana Pré-moldados, ele fundou a empresa em 1998 depois de ter passado por grandes empresas do ramo da construção civil. Casado, pai e avô, Veloso chegou à FIEPE depois de ter se associado ao Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento de Pernambuco (Sinprocim-PE), antigo Sindocal, há 15 anos, tendo presidido a entidade por dois mandatos. Sua trajetória na FIEPE tem passagem pelas diretorias administrativa e financeira durante os mandatos de Jorge Côrte Real e Ricardo Essinger. Ele também foi conselheiro do SESI-PE.

“Me sinto honrado e feliz por ter sido escolhido pelos meus pares para representar o setor industrial nos próximos anos. Posso garantir que a confiança que a mim foi depositada será retribuída com trabalho em defesa do nosso segmento, com a certeza de que vamos fazer o possível para dar continuidade aos projetos construídos até aqui. Ricardo Essinger foi um exemplo de integridade, retidão e gestão. Então, inspirados nisso, queremos dar prosseguimento ao que está sendo feito e também construir novas iniciativas”, disse Bruno Veloso.

Segundo Essinger, Bruno Veloso sempre foi um empresário ativo em defesa das necessidades do setor e enxerga a escolha do seu nome como natural, pela sua trajetória dentro do Sistema FIEPE. “É importante destacar que a renovação faz parte desta Casa, e Bruno sempre esteve empenhado e atento às demandas do setor. Tenho certeza de que fará um excelente trabalho”, destacou.

Além de Bruno Veloso, compõem a chapa os empresários Massimo Cadorin como 1º vice-presidente; José Antônio de Lucas Simón como 2º vice-presidente; e Renato Cunha como 3º vice-presidente. São vice-presidentes ainda Alexandre Valença, Alfredo Salazar, Anísio Coelho, João Bezerra, Luiz Grimaldi, Milton Reis, Paulo Pereira e Renato Celso. Sebastião Pontes será o 1º diretor Administrativo e Ricardo Heráclio o 2º. Como 1º e 2º diretores Financeiros estão Caroline Souto Maior e Hugo Gonçalves, respectivamente. Armando Monteiro Neto e Jorge Côrte Real estão como delegados suplentes junto ao Conselho da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os diretores adjuntos são André Zarzar, Antonio Carlos Pereira da Silva, Antonio Marcos Tavares Barbosa, Camillo José Loureiro Moutinho, Celso Maia Duarte, Daniel Antônio de Lima, Fábio José de Oliveira Falcão, Fernando Carlos Albuquerque Teixeira, Francisca Maria da Conceição Campos Costa, Francisco Corrêa de Araujo Luna, Gilberto Duque de Souza Filho, Pedro Paulo de Medeiros Moraes, Reginaldo José do Nascimento, Rodrigo Lócio Veloso da Silveira, Rubem Flávio Martins Neto e Samoel José Gomes da Silva.

CONSELHO FISCAL

No Conselho Fiscal, estão os empresários Edgard Wanderley, José Oliveira Pacífico e João D’arru como efetivos e Érico Furtado Filho, Jefferson Duarte e Carlos Albérico Bezerra como suplentes.

Compartilhe: