Brasil registra 562 mortes pela Covid-19 e mais de 22 mil casos, mostra consórcio de imprensa

Os números são relativamente baixos em comparação aos registros recentes. Isso pode ser explicado por atrasos de notificação pelas festas de fim de ano.

De acordo com os dados coletados até as 20h deste sábado (2), a média de mortes nos últimos sete dias é de 707. (Foto: Reprodução)

 O Brasil registrou 562 mortes pela Covid-19 e 22.489 casos da doença, nesta segunda-feira (4). Com isso, o país chega a 196.591 óbitos e a 7.754.560 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o começo da pandemia.

Os números são relativamente baixos em comparação aos registros recentes. Isso pode ser explicado por atrasos de notificação pelas festas de fim de ano. Além disso, às segundas, domingos e feriados os números de mortes e casos costumeiramente são menores.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h deste sábado (2), a média de mortes nos últimos sete dias é de 707. O valor da média, apesar de uma pequena queda em relação ao dado de 14 dias atrás, configura uma situação de estabilidade.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Assessor diz que Tanya Roberts está viva, depois de divulgar morte da atriz

De acordo com a agência AP, o mesmo assessor que anunciou morte da atriz no domingo (3) voltou atrás nesta segunda-feira (4).

Tanya Roberts chega à premiação TV Land em 2007. (Foto: Chris Delmas/AFP)

A atriz americana Tanya Roberts está viva, depois de seu assessor divulgar sua morte neste domingo (3).

De acordo com o site TMZ, a mesma pessoa que havia anunciado a notícia voltou atrás nesta segunda-feira (4) e corrigiu a informação.

A agência de notícias AP também corrigiu a informação e disse que o erro foi causado pela informação divulgada pelo assessor.

No domingo, o assessor Mike Pingel afirmou que Roberts estava internada desde 24 de dezembro, quando sofreu uma queda enquanto caminhava com seus cães.

Segundo Pingel, a morte tinha sido informada por Lance O’Brien, marido da atriz.

A revista “Variety” afirma que O’Brien recebeu um telefonema do hospital na manhã desta segunda para avisar que ela está internada em condição crítica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas que ainda está viva.

Roberts é conhecida por sua participação no filme de James Bond “007 – Na Mira dos Assassinos” (1985), o último protagonizado por Roger Moore.

Nascida em Nova York em 1955, Roberts foi modelo antes de iniciar a carreira como atriz na temporada final da série “As Panteras”.

Ela protagonizou o filme “Sheena, a Rainha da Selva” (1984). Mais recentemente, esteve no elenco da série “That ’70s Show”, na qual interpretava a mãe de Donna (Laura Prepon).

Morre Padre Cristino Medeiros, vigário da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, aos 72 anos

De acordo com a Arquidiocese da Paraíba, o velório acontece na funerária Sempre, na Av. João Machado, e a Missa de Corpo Presente será realizada às 9h30 desta terça-feira (5).

Padre Cristino que se dedicou-se 13 anos ao Santuário Nossa Senhora da Conceição, chegou como Seminarista, foi ordenado diácono e anos depois Padre, aonde foi vigário paroquial por 1 ano. (Foto: Reprodução/Redes sociais)

O padre Cristino Medeiros, Vigário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, faleceu nesta segunda-feira (4). O padre veio a óbito no Hospital da Unimed, em João Pessoa, após uma cirurgia de urgência, que constatou um câncer em estágio avançado. 

Natural de Patos, no Sertão da Paraíba, o padre Medeiros tinha 72 anos.

De acordo com a Arquidiocese da Paraíba, o velório acontece na funerária Sempre, na Av. João Machado, e a Missa de Corpo Presente será realizada às 9h30 desta terça-feira (5). 

Padre Cristino dedicou-se 13 anos ao Santuário Nossa Senhora da Conceição, chegou como Seminarista, foi ordenado diácono e anos depois Padre, aonde foi vigário paroquial por 1 ano.

Compartilhe: