Carga milionária de cocaína encontrada no porto de Santos.

 

Apreensão recorde de cocaína no porto impõe prejuízo milionário ao PCC

 

Exatos 882 quilos de cocaína localizados pela Receita Federal (RF) no Porto de Santos, litoral paulista, nessa terça-feira (2/7), representam a maior apreensão do ano no porto da cidade (veja abaixo). A droga estava oculta em sacas de açúcar, distribuída em 25 contêineres.

A carga milionária foi encontrada durante uma inspeção de rotina da Receita, escondida em 667 toneladas de açúcar com destino à África. Antes disso, a cocaína passaria pelo porto de Antuérpia, na Bélgica. Um cão farejador contribuiu para a identificação da droga.

O quilo da cocaína na Europa e África, segundo investigações, pode custar até 70 mil euros. Caso a droga apreendida em Santos chegasse ao seu destino, os traficantes do outro lado do Atlântico poderiam faturar até R$ 370 milhões.

Até essa terça-feira, a Receita apreendeu 1.243 quilos de cocaína no porto de Santos. A carga de 882 quilos representa 70% do total. No ano passado, a RF apreendeu na cidade do litoral paulista 7.143 quilos de cocaína. No ano anterior foram 16.075 e, em 2021, 16.917 quilos.

A queda das apreensões resulta das ações contínuas das autoridades no porto, para tentar sufocar a principal fonte de renda do PCC.

Por causa das ações policiais, a facção paulista usa outros portos para despachar a droga, inclusive em áreas dominadas por inimigos, como o porto do Rio de Janeiro, onde o Comando Vermelho controla as atividades ilegais.

Pernambuco registra sétima morte por dengue em 2024

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou nesta quarta-feira (3) o boletim epidemiológico semanal sobre as arboviroses, revelando um aumento preocupante nos casos de dengue no estado. Até o momento, foram confirmados 6.197 casos de dengue, dos quais 108 são considerados graves.

Desde a última atualização, houve mais uma morte confirmada por dengue, elevando o total de óbitos para sete em 2024. Além disso, o número de casos prováveis de dengue (casos em investigação somados aos confirmados) subiu para 26.380, um aumento significativo de 450,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O monitoramento epidemiológico revelou que 31 óbitos estão sendo investigados. A investigação começa com a equipe de Vigilância Epidemiológica do município onde ocorreu o óbito, seguida pela análise de um comitê técnico composto por diversos profissionais que avaliam a causa da morte.

Segundo os dados da SES-PE, cinquenta e cinco municípios em Pernambuco apresentam baixa incidência de casos de dengue, sessenta localidades têm incidência média e setenta cidades estão enfrentando alta incidência da doença.

Esses números alarmantes destacam a necessidade urgente de medidas preventivas e de controle para combater a dengue no estado. 

Dicas para combater o mosquito Aedes aegypti

O mosquito Aedes aegypti é o principal transmissor da dengue, zika e chikungunya. Combater a proliferação desse inseto é essencial para reduzir os casos dessas doenças. Aqui estão algumas dicas eficazes para combater o mosquito:

Elimine acúmulo de água:

Verifique e esvazie qualquer recipiente que possa acumular água, como pneus velhos, vasos de plantas, garrafas e latas.

Mantenha caixas d’água, tonéis e barris bem fechados.

Limpe semanalmente calhas de telhados para evitar entupimentos que possam acumular água.

Trate a água parada:

Use larvicidas em locais de difícil escoamento de água ou que não podem ser esvaziados com frequência.

Coloque areia grossa em pratos de vasos de plantas para evitar o acúmulo de água.

Cuide dos vasos de plantas:

Evite o uso de pratos sob vasos de plantas, mas se necessário, mantenha-os sempre secos ou com areia.

Troque a água dos vasos de plantas aquáticas e lave-os com escova, água e sabão semanalmente.

Manutenção de piscinas e fontes:

Mantenha a água das piscinas tratada com cloro e, se não for utilizá-las, cubra-as adequadamente.

Limpe e trate a água de fontes ornamentais regularmente.

Descartar lixo corretamente:

Coloque o lixo em sacos plásticos bem fechados e em lixeiras com tampa.

Descarte corretamente objetos que possam acumular água, como copos descartáveis e embalagens.

Cuidados com animais:

Lave frequentemente os recipientes de água dos animais de estimação, evitando o acúmulo de larvas de mosquitos.

Proteção pessoal:

Use repelentes em áreas expostas do corpo, especialmente ao amanhecer e ao entardecer, quando o mosquito é mais ativo.

Utilize mosquiteiros e telas em portas e janelas para evitar a entrada de mosquitos.

Mobilização da comunidade:

Participe de mutirões de limpeza em sua comunidade.

Informe e conscientize vizinhos e amigos sobre a importância de combater o mosquito Aedes aegypti.

Vistorias regulares:

Faça vistorias regulares em sua casa e quintal, procurando por focos de água parada que possam servir de criadouro para o mosquito.

Adotar essas medidas preventivas é essencial para proteger sua saúde e a de sua comunidade. Juntos, podemos combater o mosquito Aedes aegypti e reduzir a incidência de doenças transmitidas por ele.

Governo proíbe Meta de usar dados de usuários para treinamento de inteligência artificial no Instagram e Facebook

Governo proíbe Meta de usar dados de usuários para treinamento de inteligência artificial no Instagram e Facebook

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), autarquia vinculada ao Ministério da Justiça, emitiu nesta terça-feira (2) uma medida preventiva que determina à empresa Meta que suspenda imediatamente o uso de dados pessoais para treinamento de sistemas de inteligência artificial no Facebook, no Instagram e no Messenger. Caso a determinação seja descumprida, a empresa estará sujeita a uma multa no valor de R$ 50 mil por dia.

Na semana passada, a Meta atualizou a sua política de privacidade. O novo texto permite que a empresa utilize as informações publicamente disponíveis e conteúdos compartilhados pelos usuários para treinamento e aperfeiçoamento dos sistemas de inteligência artificial generativa. “Tal tratamento pode impactar número substancial de pessoas, já que, no Brasil, somente o Facebook possui cerca de 102 milhões de usuários ativos”, diz a ANPD.

A autarquia informa que instaurou o processo de fiscalização em razão de “indícios de violações à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)”. “Após análise preliminar, diante dos riscos de dano grave e de difícil reparação aos usuários, a Autoridade determinou cautelarmente a suspensão da política de privacidade e da operação de tratamento.”

A ANPD cita problemas na nova política de privacidade da meta que teriam justificado a medida protetiva: “uso de hipótese legal inadequada para o tratamento de dados pessoais; falta de divulgação de informações claras, precisas e facilmente acessíveis sobre a alteração da política de privacidade e sobre o tratamento realizado; limitações excessivas ao exercício dos direitos dos titulares; e tratamento de dados pessoais de crianças e adolescentes sem as devidas salvaguardas”.

Ainda segundo a autarquia, a Meta “não forneceu informações adequadas e necessárias para que os titulares tivessem ciência sobre as possíveis consequências do tratamento de seus dados pessoais para o desenvolvimento de modelos de IA generativa”. “A Autoridade averiguou, ainda, que, embora os usuários pudessem se opor ao tratamento de dados pessoais, havia obstáculos excessivos e não justificados ao acesso às informações e ao exercício desse direito.”

A autarquia acrescenta que “as informações disponíveis nas plataformas da Meta são, em geral, compartilhadas pelos titulares para relacionamento com amigos, comunidade próxima ou empresas de interesse.”

“Diante disso, em análise preliminar, não haveria necessariamente a expectativa de que todas essas informações – inclusive as compartilhadas muitos anos atrás – fossem utilizadas para treinar sistemas de IA, que sequer estavam implementados quando as informações foram compartilhadas.”

Outro problema citado é o fato de que, segundo a ANPD, “dados pessoais de crianças e adolescentes, como fotos, vídeos e postagens, também poderiam ser coletados e utilizados para treinar os sistemas de IA da Meta”.

“Segundo a LGPD, o tratamento de dados de crianças e de adolescentes deve ser sempre realizado em seu melhor interesse, com a adoção de salvaguardas e medidas de mitigação de risco, o que não foi verificado no âmbito da análise preliminar”, finaliza a autarquia.

Procurada, a Meta informou estar “desapontada” com a decisão da ANPD.

“Treinamento de IA não é algo único dos nossos serviços, e somos mais transparentes do que muitos participantes nessa indústria que têm usado conteúdos públicos para treinar seus modelos e produtos. Nossa abordagem cumpre com as leis de privacidade e regulações no Brasil, e continuaremos a trabalhar com a ANPD para endereçar suas dúvidas. Isso é um retrocesso para a inovação e a competividade no desenvolvimento de IA, e atrasa a chegada de benefícios da IA para as pessoas no Brasil”, disse a empresa.

CNN

Compartilhe: