Afogados: Morre Marconi Edson do carro de som

Faleceu no início das tarde desta sexta-feira (2), Marconi Edson, conhecido por Marconi do Carro de Som.

A causa da morte foi complicações devido a diabetes e ocorreu no Hospital Regional Emília Câmara.

O corpo está sendo velado na Casa de Velório Plafam. Sepultamento acontecerá neste sábado (3), às  17h no Cemitério Parque da Saudade.

O prefeito Sandrinho enviou nota:

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, em nome de toda a gestão municipal, vem a público externar o profundo pesar pelo falecimento de Marconi Edson, figura tão conhecida quanto querida do povo de Afogados da Ingazeira.

Não há palavras que possam transmitir, nesse momento, a grandeza dessa figura humana cuja trajetória se confunde com a própria história da nossa cidade.

Nossos sentimentos a Dona Rosilda, aos filhos e a toda uma legião de amigos que Marconi Edson fez ao longo de sua vida.

Bispo da Diocese de Petrolina envia Carta de Renúncia ao Papa Francisco após completar 75 anos

O bispo da Diocese de Petrolina, Dom Francisco Palhano, enviou Carta de Renúncia ao Papa Francisco nessa quinta-feira, 1, após completar 75 anos. Conforme as disposições do Código de Direito Canônico da Igreja Católica, os bispos devem renunciar ao governo pastoral quando completam a referida idade.

A solicitação de renúncia não significa que ele deixará o cargo imediatamente. O bispo permanecerá na diocese, exercendo todas as suas responsabilidades inerentes à função, até que o papa analise as circunstâncias e aceite a renúncia.

Palhano foi nomeado para a Diocese de Petrolina em janeiro de 2018, assumindo o bispado que estava em vacância desde 2017, quando Dom Manoel renunciou. Natural do Rio Grande do Norte, ele também já foi bispo da Diocese de Bonfim-BA.

Carlos Bolsonaro deixa Polícia Federal no Rio de Janeiro após depoimento

Carlos Bolsonaro deixa Polícia Federal no Rio de Janeiro após depoimento

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) deixou a Superintendência da Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro após prestar depoimento sobre uma postagem feita por ele nas redes sociais em agosto do ano passado. O inquérito está em segredo de Justiça.

O depoimento atende a uma intimação da PF sobre uma postagem de Carlos Bolsonaro feita em 27 de agosto de 2023. A mensagem foi tida como ofensiva ao diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues.

O filho de Bolsonaro republica uma postagem do perfil “Dama de Ferro” que traz imagens de alusões ao pai morto em forma de sátira que afirma “zero busca e apreensão, zero inquérito, zero perfis bloqueados, zero reportagem em repúdio, pessoas presas: zero”. No título da postagem, a frase “tudo pela manutenção da democracia”.

Sobre esta imagem, Carlos Bolsonaro afirma “o seu guarda diretor aqui enxerga com outros olhos”, no que foi interpretado como alusão a investigações desequilibradas entre ameaças a Lula e a Bolsonaro.

 

O que diz a defesa de Carlos?

Fonseca diz que de acordo com o setor de inteligência da PF, a publicação do vereador “seria ofensiva ao atual diretor”, Andrei Rodrigues.

Nas palavras de Fonseca, Rodrigues “sequer tinha conhecimento do fato e foi instado a se manifestar e determinou a instauração do inquérito”.

O vereador deve falar da última operação?

A expectativa é de que, justamente por se tratar de outro inquérito, Carlos Bolsonaro não fale sobre a investigação de uma suposta Abin paralela, que está atrelada à Operação Vigilância Aproximada.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe: