Mulher é vítima de estupro coletivo praticado por policiais militares em São Paulo

Uma mulher de 33 anos foi vítima de um estupro coletivo cometido por policiais militares no Guarujá, litoral de São Paulo. O caso aconteceu em meados de agosto de 2023 e foi formalmente denunciado pela vítima na primeira quinzena de dezembro.

De acordo com apuração do portal de notícias G1, o caso aconteceu durante uma festa. Ao todo, segundo o site, 12 homens violentaram a mulher, sendo 11 agentes da corporação, após dopá-la. 

Procurada pela Agência Brasil, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que a corporação instaurou sindicância para apurar o caso, enquadrado pelas autoridades como estupro de vulnerável. O estupro de vulnerável é uma classificação que inclui tanto estupro em que a vítima é menor de 14 anos de idade como o praticado contra vítimas que não tenham condições de manifestar resistência ao ato, como é o caso de pessoas embriagadas ou dopadas por substâncias. Ainda segundo a pasta, foram requisitados exames sexológico e médico da vítima. 

A vítima, acrescentou a secretaria, registrou boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital paulista. A queixa foi encaminhada à DDM do Guarujá, que dá sequência às providências. “Diante da gravidade da denúncia, a Polícia Militar informa que instaurou uma sindicância para apurar a participação de policiais militares no crime”, finaliza em nota encaminhada à Agência Brasil.

O estado de São Paulo alcançou, no ano passado, um número recorde de estupros. Foram 14.504 casos, o maior patamar atingido desde 2001, quando se iniciou a série histórica da SSP. De acordo com o órgão de segurança, do total de casos notificados no ano passado, 11.133 (76,7%) foram praticados contra vulneráveis. 

Agência Brasil

Sertão: Casal é encontrado morto em residência na zona rural de Petrolina

Na tarde de ontem, quarta-feira (31), um homem e uma mulher foram encontrados sem vida em uma residência no distrito de Izacolândia, localizado na Zona Rural de Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

Os indivíduos ainda não foram identificados, e os corpos estavam em avançado estado de decomposição. As autoridades que responderam à cena relataram que ambos os corpos apresentavam evidências de ferimentos causados por tiros, levantando a possibilidade de homicídio.

A Polícia Civil (PC) está programada para iniciar as investigações detalhadas sobre o ocorrido. Até o momento, não há informações adicionais disponíveis sobre os antecedentes das vítimas ou possíveis motivos para o incidente.

Compartilhe: