Get Adobe Flash player

Panificadora Samuel

 
 

Cidades acessando blog

Escola Monteiro Lobato



 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!


Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

site: emonteirolobato.com.br

 

Login

Dr. Jamildo Carvalho

Blog MM

 

 

 

Tudo posso naquele que me fortalece.

Email:blogmarcosmontinelly@gmail.com

  (87) 9 -9680-8985 

 

 

Desfile Cívico da Escola M. L.

 

Formatura do ABC Monteiro

Yane Marques

Vozes do Forro

AABB

 

Login Form

Fotos Bloco a Onda

Canaval 2016

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!

 

A Polícia Federal em Pernambuco tendo em vista o comércio aquecido em eventos tais como: Carnaval, São João, Copa do Mundo, Natal e Ano Novo, principalmente NAS CIDADES DO INTERIOR, em eventos, shows e casas noturnas, quando se percebe que a movimentação e aglomeração de pessoas no comércio é crescente atraindo assim grande circulação de dinheiro, ALERTA a população para redobrar o cuidado com relação ao perigo de recebimento de notas falsas. Em tempos de liquidações e queima de estoque o consumidor e comerciantes devem ficar atentos na hora receber valores em dinheiro porque uma das grandes táticas utilizadas pelos criminosos é usar notas de valores altos para comprar itens baratos, em busca do troco.
 

 

Algumas pessoas já passaram pela situação constrangedora de serem informadas pelo caixa do banco ou do comércio que o dinheiro usado para pagar é falso. Muitas dessas falsificações são bem grosseiras e de fácil identificação, mas nem sempre é assim; algumas exigem uma análise mais detalhada, para que seja constatada a fraude. Se uma pessoa recebe uma nota falsa quase sempre vai ter de arcar com o prejuízo, porque não existe uma legislação que garanta a troca por dinheiro verdadeiro. Se o saque for feito em caixa eletrônico, a recomendação é que o consumidor tire um extrato que comprove o saque e procure o gerente da agência afim de que possa haver um entendimento mútuo acerca do ressarcimento dos valores. Quem receber uma nota falsa nunca deve passá-la adiante com o objetivo de livrar-se do prejuízo – pois poderá ser preso em virtude de incorrer no mesmo crime. A nota falsa deve ser entregue a um banco, que a encaminhará ao Banco Central ou procurar a Polícia Federal para que seja iniciada uma investigação. O crime atribuído de guardar, adquirir ou colocar moeda falsa em circulação está contido no artigo 289, § 1º do Código Penal cujas penas variam de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa!
 
DICAS DE SEGURANÇA PARA EVITAR O RECEBIMENTO DE NOTAS FALSAS:
 
 
 
1. CONHEÇA BEM A NOTA VERDADEIRA: Geralmente pessoas que lidam diariamente com dinheiro, como os caixas de banco e comerciantes, sabem facilmente identificar uma nota falsa - essa experiência em manusear diariamente o dinheiro verdadeiro faz com que eles se tornem especialistas em identificar notas falsas.
 
2. COMERCIANTE: NÃO TENHA PRESSA NO ATENDIMENTO: Geralmente essas notas são passadas em locais de grande concentração de pessoas, feiras, lojas, supermercados, comércio ambulante, e muitas vezes a pressa do comerciante para atender um maior número de clientes faz com que ele não tome o devido cuidado em verificar a nota que está recebendo.
 
3. VERIFIQUE SE AS NUMERAÇÕES DAS NOTAS NÃO SÃO IGUAIS: Ao receber duas notas de igual valor verifique se as numerações não são iguais, os falsários não costumam fazer notas falsas com numeração diferente porque isso acarreta em custos com impressão por ter que mudar a matriz da impressão.
 
 
4. OBSERVE A TEXTURA DA NOTA: Outra cautela que pode ser tomada é reparar na textura do papel das notas que estão sendo recebidas, as notas falsas tendem a ser lisas, enquanto as notas verdadeiras são ásperas e possuem um alto relevo e saliência nos itens de segurança que pode ser percebido pelo tato. Sinta com os dedos o papel e a impressão.

5. OBSERVE A IMPRESSÃO DA NOTA: - Nas cédulas legítimas, as tonalidades de cores são firmes – as notas falsas têm cores com pouca nitidez e costuma haver borramento das cores.

 

6. VERIFIQUE A MARCA DÁGUA E OS ITENS DE SEGURANÇA COLOCANDO A NOTA CONTRA A LUZ.
 
7. NO CASO DE DÚVIDA, COMPARE A NOTA SUSPEITA COM UMA NOTA VERDADEIRA.
 
8. BAIXE O APP GRÁTIS “DINHEIRO BRASILEIRO” NO SEU SMARTPHONE - O aplicativo que foi desenvolvido pelo Banco Central não analisa a autenticidade da cédula, apenas ajuda a identificar onde estão os itens de segurança.
 
ESTATÍSTICAS EM PERNAMBUCO
 
EM 2018 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:
 
03 (três) apreensões significativas; R$ 12.300,00 (doze mil e trezentos reais); 2 (dois) presos;
 
EM 2017 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:
 
05 (cinco) apreensões significativas; R$ 49.900,00 (quarenta e seis mil e quatrocentos reais); 7 (sete) presos;
 
EM 2016 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:
 
02 (duas) apreensões significativas; R$ 11.620,00 (onze mil, seiscentos e vinte reais); 02 (dois) presos;
 
 
A maior apreensão realizada pela Polícia Federal no Estado de Pernambuco aconteceu no dia 14.09.2009 através da “Operação Contenção” realizada nas cidades de Canhotinho/PE, Agrestina/PE e Caruaru/PE quando foram presas 04(quatro) pessoas e apreendidas R$ 44.900,00 (quarenta e quatro mil e novecentos) reais em notas falsas.

 

Buchudo, um dos criminosos mais procurados de PE, é preso no Espírito Santo

 
 
Um dos criminosos mais procurados de Pernambuco - e que tinha sete mandados de prisão em aberto - foi preso na cidade de Serra, no estado do Espírito Santo. Para a polícia, a captura do traficante e homicida Antônio Carlos da Silva, 32 anos, mais conhecido como Buchudo, deve pôr fim a uma onda de violência na Mata Sul que tinha como pano de fundo do tráfico de drogas por território e que apenas entre janeiro e fevereiro deste ano provocou 11 homicídios. 

 

As mortes de maior repercussão atribuídas ao criminoso foram um triplo assassinato, no dia 15 de fevereiro, e uma chacina de cinco pessoas, dois dias depois. Em ambos os casos, e em mais dois homicídios registrados em 12 de fevereiro, Buchudo, que liderava uma gangue da cidade de Barreiros, foi o mandante das mortes. Ele também era foragido da Penitenciária Barreto Campelo havia dois anos. O preso, até a tarde de ontem, ainda aguardava a transferência para Pernambuco, onde ficará à disposição da Justiça. 
 
O delegado seccional de Palmares, Frederico Marcelo, explicou que a onda de assassinatos começou ainda em janeiro, quando a organização criminosa comandada por Wanderson José dos Santos, vulgo Moure, 23, preso em Igarassu desde 2015, tentou ampliar a área de atuação de tráfico concentrada em São José da Coroa Grande para Barreiros, que era domínio de Buchudo. Na ocasião, homens de Moure mataram Jonas Vieira, 27, apelidado de Bactéria, que era cunhado de Buchudo. 

O assassinato foi filmado e um recado de guerra foi enviado. “Havia duas gangues e cada uma comandava o tráfico em uma cidade. A partir do momento que uma das facções decidiu entrar na área de território da outra houve essa morte que foi filmada e divulgada nas redes sociais. A partir disso, a facção de Barreiros decidiu se vingar e teve início esses múltiplos homicídios. Nessa represália, Antônio Carlos foi o mandante de dez mortes em sequência”, contou o delegado. A maioria das vítimas era pequenos traficantes que trabalhavam para as organizações ou os chamados “aviõezinhos” (pessoas que fazem o transporte e droga). Uma delas, uma adolescente de 12 anos, morreu porque estava na companhia do namorado de 17 durante a chacina. 

“A prisão do Antônio Carlos é muito importante para a Polícia Civil Pernambucana. Ele era o homem mais procurado do Estado e houve um trabalho incessante de investigação com apoio fundamental da inteligência para encontrá-lo. Com sua prisão a gente desarticula a quadrilha por ele chefiada”, reforçou Frederico Marcelo. Ao longo das investigações, que duraram quatro meses, outros cinco integrantes das duas quadrilhas também foram presos entre eles homens apontados com os executores materiais dos assassinatos. 

Há dois meses, o setor de inteligência da PC identificou que Buchudo havia se mudado para uma casa no Espirito Santo, onde morava com a esposa e uma filha, e foi montado o cerco. O homem não ofereceu qualquer resistência à prisão. O chefe de Polícia Civil, Joselito do Amaral, destacou que a identificação de outros integrantes das gangues ainda deve acontecer, mas que a retirada de circulação dos cabeças das facções já gerou impactos na segurança da Mata Sul. “Com o fim dessas duas quadrilhas já diminui bastante o número de mortes nessa região”, afirmou. (Via: Folha PE)