Get Adobe Flash player

Panificadora Samuel

 
 

Cidades acessando blog

Escola Monteiro Lobato



 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!


Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

site: emonteirolobato.com.br

 

Login

Dr. Jamildo Carvalho

Blog MM

 

 

 

Tudo posso naquele que me fortalece.

Email:blogmarcosmontinelly@gmail.com

  (87) 9 -9680-8985 

 

 

Desfile Cívico da Escola M. L.

 

Formatura do ABC Monteiro

Yane Marques

Vozes do Forro

AABB

 

Login Form

Fotos Bloco a Onda

Canaval 2016

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!

 

http://imagens4.ne10.uol.com.br/blogsjconline/pingafogo/2015/08/FH070815182.jpg

JC

Para ele, “o pequeno empresário tem sentido muito essa pressão”. Anunciado oficialmente como pré-candidato ao Palácio do Campo das Princesas pelo grupo Pernambuco Vai Mudar, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) mirou o discurso no pequeno empreendedor durante debate na Rádio Jornal, ontem (18). Para Armando, o pacote fiscal em Pernambuco foi caracterizou pelo aumento da carga tributária e elevação de alíquotas de ICMS. 

“Houve sim um aumento de carga tributária em Pernambuco. O pequeno empresário tem sentido muito essa pressão do aumento. Há uma relação entre tributação e estímulo à atividade econômica. Quando você carrega na mão, no sentido de definir pautas arbitrárias, e fixa uma margem que o empresário não realiza efetivamente a margem, ele termina pagando mais imposto do que devia. Você tem que definir tratamento tributário que equilibre a necessidade de arrecadação com estímulo à atividade produtiva”, disse o senador.

O petebista destacou que o imposto que mais pesa é o ICMS e é necessário fazer um arranjo que não tribute demais os principais insumos, que são telecomunicações, combustível e energia.

Armando também criticou os gastos com pessoal do governo Paulo Câmara (PSB) e admitiu que deve cortar cargos comissionados, se eleito em outubro. “Do lado do gasto, se verifica que a despesa com pessoal ultrapassou o limite prudencial e se aproxima do limite máximo permitido na Lei de Responsabilidade Fiscal. Há sempre espaços para racionalizar gastos, temos muita coisa de cargos comissionados, de coisas infladas na estrutura do governo, tem muita gente que fica enchendo linguiça, pesando para o Estado”. 

Para o senador, a redução de cargos pode ser obtida através da digitalização e a melhoria de processos.