","datePublished":"2021-03-01T10:14:59+00:00","dateModified":"2021-03-02T10:35:11+00:00","commentCount":0,"mainEntityOfPage":{"@id":"http://blogmarcosmontinely.com.br/blog/reino-unido-identifica-seis-casos-da-variante-brasileira-do-coronavirus/#webpage"},"publisher":{"@id":"http://blogmarcosmontinely.com.br/blog/#person"},"image":{"@id":"http://blogmarcosmontinely.com.br/blog/reino-unido-identifica-seis-casos-da-variante-brasileira-do-coronavirus/#primaryimage"},"articleSection":"Not\u00edcia"},{"@type":["Person"],"@id":"http://blogmarcosmontinely.com.br/blog/author/blogmarcosmontinely/#author","name":"blogmarcosmontinely","image":{"@type":"ImageObject","@id":"http://blogmarcosmontinely.com.br/blog/#authorlogo","url":"http://1.gravatar.com/avatar/741fbe9a49c88b9369ea415700e80192?s=96&d=mm&r=g","caption":"blogmarcosmontinely"},"sameAs":[]}]}

É a primeira vez que a variante, identificada como P.1, foi detectada no país.

O Reino Unido atingiu neste sábado (27) a marca de 20 milhões de doses da vacina contra o coronavírus aplicadas em sua população. (Foto: Reprodução)

O governo britânico anunciou neste domingo (28) que identificou seis casos de contaminação pela variante brasileira do coronavírus.

É a primeira vez que a variante, identificada como P.1, foi detectada no país. Segundo o jornal, pelo menos dois dos casos, na região de South Gloucestershire, têm histórico de viagens para o Brasil. Outro caso na mesma região ainda segue sob investigação. O governo anunciou que testará pessoas próximas aos casos identificados.

Reino Unido confirma primeiros casos da variante brasileira do coronavírus
Reino Unido confirma primeiros casos da variante brasileira do coronavírus

Histórico de contato

O Public Health England (PHE), agência do Departamento de Saúde do Reino Unido, está traçando o histórico de todos os passageiros de um voo vindo de São Paulo, via Zurique, que pousou em Londres no dia 10 de fevereiro.

Outros três casos com a variante foram identificados na Escócia, mas segundo o PHE, não têm ligação com os outros três casos.

O Reino Unido atingiu neste sábado (27) a marca de 20 milhões de doses da vacina contra o coronavírus aplicadas em sua população.

Prefeitura de Afogados inaugurou passagens molhadas na Carnaubinha e em Dois Riachos

O final de semana foi de inaugurações na zona rural de Afogados da Ingazeira. Dando sequência às inaugurações e entregas dentro do plano de cem dias, o Prefeito Alessandro Palmeira inaugurou duas das treze passagens molhadas que constam no plano.

No sábado, o Prefeito inaugurou a passagem molhada da comunidade de carnaubinha. No local, a Prefeitura ampliou também o sangradouro do açude e construiu muros de arrimo para dar mais segurança à obra. O agricultor Edilberto Gomes, agradeceu pela ação. “Nas chuvas do ano passado, com o sangramento do açude, a água chegou na porta da minha casa. Agora com essa contenção que a Prefeitura fez, estamos bem mais tranquilos para o inverno,” destacou.
No domingo (28), o Prefeito foi até à comunidade de dois riachos para inaugurar a segunda passagem molhada. A obra tem 25 metros de comprimento e fica na divisa com o município de Solidão. As duas obras tiveram um custo aproximado de 40 mil Reais, realizadas com recursos próprios.
O Prefeito Alessandro Palmeira esteve acompanhado do vice, Daniel Valadares, e do Secretário de Agricultura, Rivélton Santos. “A gente vem trabalhando em várias comunidades, com recuperação das estradas e reformas de passagens molhadas como essa de Dois Riachos, com o objetivo de melhorar o acesso das comunidades rurais aqui de Afogados da Ingazeira,” destacou Rivélton. O Vice-Prefeito, Daniel Valadares, enalteceu as ações direcionadas para a zona rural nesse primeiros cem dias de gestão. “Foi um compromisso que assumimos em campanha, e que vamos honrar durante todo o mandato,” finalizou.
“Fizemos a entrega de duas das treze passagens molhadas que constam no nosso plano de 100 dias. São obras importantes, que garantem a trafegabilidade dos moradores de nossa zona rural, e também trazem mais segurança para que possamos enfrentar o inverno que se aproxima. E vamos continuar na luta em busca de mais recursos para que a gente possa continuar esse ritmo de ações que estamos realizando nos cem primeiros dias de governo,” destacou Alessandro Palmeira, Prefeito de Afogados da Ingazeira. Durante a programação, o Prefeito visitou as obras da passagem molhada do sítio alça de peia, que deverá ser entregue à população nos próximos trinta dias.

Papa Francisco espera morrer em Roma: ‘Não volto para a Argentina’

Foto: reprodução

A entrevista, feita em fevereiro de 2019, foi divulgada neste sábado, 27, pelo jornal ‘La Nación’; o pontífice, no entanto, não explica os motivos da recusa

Papa Francisco disse que espera morrer em Roma, capital da Itália. A declaração do pontífice foi feita durante uma entrevista em 16 de fevereiro de 2019, mas teve seu conteúdo divulgado pelo jornal argentino “La Nación” apenas neste sábado, 27. Durante a conversa, o Papa falou sobre temer a morte e descartou possível retorno para a Argentina, seu país de origem. “Sendo papa, seja em exercício ou emérito. E em Roma. Não volto para a Argentina”, disse ao ser questionado sobre como imaginava a sua própria morte.

A publicação, no entanto, não traz explicações ou mais informações sobre o motivo do líder religioso recusar o possível retorno para a terra natal. A conversa aborda temas como saúde e problemas que Francisco teve durante ao longo da vida, como um “quadro pulmonar severo” em 1957 e a ansiedade. “Controlei bastante a minha ansiedade. Quando sou confrontado com uma situação ou um problema que me deixa ansioso, lido com ele. Tenho métodos diferentes, um deles é ouvir Bach. Isso me acalma e me ajuda a analisar os problemas de uma forma melhor. Confesso que ao longo dos anos tenho conseguido colocar uma barreira à entrada da ansiedade no meu espírito. Seria perigoso e prejudicial para mim tomar decisões sob um estado de ansiedade.”

Para o Papa, é importante que uma pessoa “conheça as suas neuroses”, já que elas são companheiras da vida. “É muito importante poder saber onde os ossos estão rangendo. Onde eles estão e quais são os nossos males espirituais. Com o tempo, a pessoa conhece as suas neuroses”, comentou, explicando ainda que estuda psicologia e contando quando recorreu à ajuda de uma psiquiatra durante momentos da ditadura. “Como Provincial dos Jesuítas, durante os terríveis dias da ditadura, quando tive de levar pessoas a se esconderem para tirá-las do país e salvar as suas vidas, tive de lidar com situações com as quais não sabia como lidar. Fui ver uma senhora – uma grande mulher – que tinha me ajudado na leitura de alguns testes psicológicos para as noviças. Depois, durante seis meses, a consultei uma vez por semana.” *Com EFE

Presidente da Amupe disse não entender anúncio da FNP para criação de consórcio por vacinas

Segundo José Patriota, problema não é por onde comprar, mas onde, de quem e quando receber as vacinas.

Por André Luis

Em entrevista ao a Rádio Pajeú, na última sexta-feira (26), o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota, disse não ter entendido anuncio da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), na última terça-feira (23), sobre liderar a criação de um consórcio público com a finalidade específica de comprar vacinas contra Covid-19.

A FNP fez o anúncio em seu Twitter, após o Supremo Tribunal Federal decidir liberar à estados e municípios a importação e distribuição de vacinas contra Covid registradas por órgãos reguladores estrangeiros previstos em lei caso a Anvisa não avalie um eventual pedido apresentado no Brasil em até 72 horas.

Para Patriota, a iniciativa da FNP é louvável, mas acredita que o processo pode ser realizado usando os meios que já existem, sem a necessidade de se criar mais um consórcio, o que pode ajudar a acelerar o processo. 

Para José Patriota, o grande questionamento a ser feito é onde, de quem e quando receber as vacinas. “O que tem de prefeitura e governo de estado disposto a entrar na cota e comprar mais vacina… todo mundo está disposto, o problema não é nem por onde comprar, nos temos instrumentos. O problema é ter fornecedor, o mundo está procurando a mesma coisa”, destacou.

Patriota lembrou que o processo é demorado. “Isso demora. Tanto a negociação como a entrega. Tudo tem que ser feito com muita antecedência, que é o que Ministério da Saúde deveria ter feito quanto antes e no volume adequado pela população brasileira”, lembrou.

O presidente da Amupe destacou que, grandes e médias empresas estão dispostas a adquirir vacinas e pagar. “O problema é que não tem fornecedor suficiente para entregar agora, mas toda a inciativa nesse sentido é louvável”, afirmou. 

Ele afirmou que Pernambuco está com tudo pronto para vacinar a população. “Nós temos capacidade, hoje, aqui em Pernambuco, de aplicar 1 milhão de doses por mês. As prefeituras estão preparadas para fazer essa vacinação, o problema é que não tem o principal que é a vacina”, afirmou Patriota.

O presidente da Amupe acredita que pode ter uma acelerada na disponibilização de vacinas e voltou a comentar o anúncio da FNP. “ A decisão é de querer fazer isso é louvável. Nós estamos estudando, se for necessário se tiver espaço para a aquisição… estamos pesquisando, conversando com governadores do Nordeste, de outros estados no Brasil todo, em busca de soluções”, afirmou.

Reunião com presidente do Senado – Na última quinta-feira (25), Patriota participou de uma reunião por videoconferência com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). 

Segundo ele, o senador causou boa impressão. “Nós ficamos com uma boa impressão do novo presidente do Senado Federal, nos atendeu muito bem, eu tive a oportunidade de falar com ele, de dizer do desespero que nós estamos por conta disso tudo. Ele também está muito preocupado e tem colocado a vacina como a preocupação número 1 do Brasil, para a economia, para a saúde, para a vida e para que voltemos a normalidade”, pontuou.

Corrida por vacina – No Pajeú, o município de Carnaíba saiu na frente e encaminhou oficios com intenção de compra de vacinas para três farmacêuticas: Pfizer, fabricante da vacina Pfizer/BioNTech; Johnson & Johnson, fabricante da vacina de mesmo nome e a União Química, fabricante da vacina Sputnik V.

Neste domingo, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou que iniciou o processo de negociação para a compra de vacinas com a União Química, fabricante da Sputnik V.

O laboratório protocolou na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa),  o pedido para uso emergencial no Brasil de 10 milhões de doses da vacina. A iniciativa é uma ação conjunta do Fórum de Governadores do Brasil.

Deixe uma resposta