O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) defendeu, durante a sessão desta quinta (27) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), deve responder pelas mortes por coronavírus no País.

O parlamentar criticou a postura do líder do Executivo por adiar a formalização de contratos de fornecimento de vacinas com o Instituto Butantan e por apostar na chamada “imunidade de rebanho”.

“O presidente da República com sua emissão deliberada, acreditando na imunização de rebanho, ele deve responder por estas mortes”, declarou o senador.

“Não tenho dúvida de que todas essas pessoas [ligadas a Bolsonaro] devem responder por prevaricação. Quando ele deixa de assinar um contrato de vacinas, quem diretamente tem um nexo causal entre a conduta e resultado é o presidente da República, é o ex-ministro da Saúde, é o ex-Secom”, pontuou.