A confirmação foi dada pela prefeita do condado de Miami-Dade, onde fica localizado o condomínio residencial, Daniella Levine Cava, na manhã de hoje.

De acordo com as autoridades, o edifício, localizado no condomínio Champlain Towers South, tinha 136 apartamentos e 55 foram destruídos. (Foto: Reprodução)

Subiu para quatro o número de mortos no desabamento parcial de um prédio em Miami, na madrugada de ontem. A confirmação foi dada pela prefeita do condado de Miami-Dade, onde fica localizado o condomínio residencial, Daniella Levine Cava, na manhã de hoje. Segundo ela, há 159 desaparecidos.

“Tragicamente, acordei e recebi a notícia de que três corpos foram retirados dos escombros durante a noite”, disse ela. Ontem, um corpo já havia sido encontrado. “Temos agora 120 pessoas localizadas, o que é uma notícia muito, muito boa, mas nosso número de não localizados subiu para 159”, completou Cava.

A prefeita afirmou que as operações de busca e resgate continuarão “porque ainda temos a esperança de encontrar pessoas com vida”. Ela destacou que aos integrantes das equipes de resgate “estão motivados com a perspectiva de encontrar pessoas”.

De acordo com as autoridades, o edifício, localizado no condomínio Champlain Towers South, tinha 136 apartamentos e 55 foram destruídos. Ainda não há informações sobre as causas do desmoronamento. Na véspera, uma moradora relatou ter ouvido estalos.

As autoridades enfatizaram que “desaparecido” não significa necessariamente que essas pessoas estavam no prédio no momento do colapso. Entre desaparecidos estão venezuelanos e argentinos, e ainda parentes da primeira-dama do Paraguai, Silvana López-Moreira.

De acordo com o jornal paraguaio Ultima Hora, trata-se da irmã da primeira-dama, Sophia López Moreira, do seu marido, Luis Pettengill, dos três filhos menores de idade do casal e da babá Leidy Luna Villalba.

As autoridades estão colhendo amostras de DNA dos familiares dos desaparecidos para facilitar a identificação de possíveis corpos. Devido à tragédia, o governador da Flórida, Ron de Santis, decretou estado de emergência no condado.