Nesta quarta-feira (24), pilotos, copilotos e comissários decidiram, em assembleia, decretar greve em todo o país a partir da próxima segunda-feira (29). Segundo o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), a paralisação é por tempo indeterminado, até que o pedido de reajuste salarial que contemple a reposição das perdas inflacionárias nos últimos dois anos seja atendido.
 
 
Para manter o serviço mínimo exigido para serviços essenciais em caso de greve, os tripulantes decidiram trabalhar por escala, com metade da categoria parada e a outra metade cumprindo a jornada de trabalho. Assim, vão intercalando. “Em respeito à sociedade e aos usuários do sistema de transporte aéreo, os aeronautas farão a paralisação de 50% dos tripulantes por dia, enquanto os outros 50% permanecerão em serviço”, disse o SNA em nota.
Como justificativa para a paralisação, o sindicato relembrou que, desde o início da pandemia, a categoria nunca parou de trabalhar, tendo enfrentado graves riscos de contaminação pela Covid-19, além de ter contribuído no transporte das vacinas, insumos e equipamentos.  “Pilotos e comissários deram colaboração importante para a recuperação das empresas aéreas ao aceitar, de maneira correta, reduções salariais e remuneratórias que perduram até hoje”, afirmou, em comunicado.
Em live realizada nesta quarta, o presidente do sindicato, Odino Dutra, prestou esclarecimentos sobre a decisão. “O objetivo do movimento grevista é sensibilizar as empresas para virem para uma negociação de verdade, tentando buscar uma solução negociada. Nosso movimento tem em vista a legalidade, eficiência, segurança e comunicação e eu espero que ele seja efetivo”, pontuou Dutra. “Na minha avaliação, sob o ponto de vista financeiro, vale a pena aumentar 1% do custo e conceder o nosso reajuste do que parar a aviação, que é o que vai terminar acontecendo”, completou.

Aplicativo Preço da Hora reforça histórico de preços para orientar consumidores na Black Friday

O serviço de histórico de preços, que vai trazer os valores comercializados dos últimos seis meses de cada produto, visa facilitar a vida do consumidor que vai às compras durante a Black Friday.

 

O aplicativo Preço da Hora, ferramenta que disponibiliza ao cidadão paraibano em tempo real os menores preços dos produtos comercializados no Estado, reforçou o botão de Histórico de Preços de cerca de 800 mil itens como forma de melhor orientar a decisão dos consumidores paraibanos no ato da compra durante a semana da Black Friday, maior evento de compras promocionais da internet e de lojas físicas, que acontece nesta sexta-feira (27) e movimenta todo o comércio do Brasil.

O serviço de histórico de preços, que vai trazer os valores comercializados dos últimos seis meses de cada produto, visa facilitar a vida do consumidor que vai às compras durante a Black Friday.

HISTÓRICO DE 6 MESES – “Com esse serviço disponível no Preço da Hora, o cidadão paraibano terá como comparar os valores atuais com os dos últimos seis meses para saber se aquele produto está com preço promocional nesta semana da Black Friday. Ou seja, além da pesquisa de preço atualizada a cada cinco minutos, que é alimentada pelas notas fiscais enviadas pela Sefaz-PB, o aplicativo  agrega mais um serviço importante para o período promocional, que é o histórico de preços comercializados dos últimos seis meses. Essa pesquisa histórica servirá para uma tomada de decisão do cidadão mais assertiva nesta semana de compras. Outro fator muito importante é que o aplicativo traz uma informação confiável e real de preços dos itens porque o produto já foi comercializado com aquele valor”, explicou o secretário de Estado da Fazenda (Sefaz-PB), Marialvo Laureano.       

APLICATIVO É UMA PARCERIA – O Preço da Hora, que é um aplicativo desenvolvido pela parceria do Governo da Paraíba, por meio da Sefaz-PB, Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) e Universidade Federal da Paraíba (UFPB), oferece buscas rápidas de preços de itens comercializados nos estabelecimentos comerciais do Estado, atualizados e, assim, gerando economia no bolso das famílias paraibanas.

O aplicativo pode ser baixado em smartphones;  tablets e nos computadores e está disponível nos sistemas IOS e Android. Outra opção é a pesquisa direta no portal. 

Acessando o site, o consumidor pode também fazer consultas de todos os produtos comercializados nos estabelecimentos do Paraíba em tempo real, sem necessidade de baixar o aplicativo.

47 ATUALIZAÇÕES – O auditor de contas públicas do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), Aguinaldo Macedo, responsável pela manutenção e atualizações do aplicativo Preço da Hora, revelou que o aplicativo desde quando foi lançado, em junho de 2019, já recebeu 47 atualizações, mostrando que o serviço do aplicativo gratuito oferecido ao cidadão tem recebido aperfeiçoamento e melhoramento de forma contínua.

“Em 36 meses, desde o lançamento, já fizemos 47 atualizações, ou seja, a ideia era fazer um aplicativo dinâmico, atualizado e sempre com ajustes para os novos modelos de smartphones tanto androide com o do iphone, tornando, com o tempo de resposta das pesquisas de preços de itens já vendidos ainda mais rápido”, declarou o auditor do TCE, acrescentando que o aplicativo já atingiu a marca de 250 mil downloads e recebe cerca de 150 mil visitas por mês no portal.

PROGRAMA VIROU REFERÊNCIA – O Preço da Hora, que é uma tecnologia 100% paraibana, despertou interesse de outros Estados do Nordeste, que veio à Paraíba para fazer visitas técnicas e implantá-lo em seus estados, por meio do Consórcio Nordeste. O exemplo mais evidente é o do Estado da Bahia. A ferramenta já foi implantada pelo Governo da Bahia e sendo utilizada por mais de 500 mil usuários daquele Estado, enquanto os Estado do Piauí e Sergipe já solicitaram o código fonte para implantar em seus estados.

SISTEMA ABRANGE 223 MUNICÍPIOS – Qualquer mercadoria que seja comprada em nota fiscal do consumidor nos estabelecimentos comerciais dos 223 municípios do Estado terá o seu preço publicado no aplicativo, desde uma simples caixa de fósforo a um veículo “0 KM”. Essas compras por notas fiscais servem para atualizar os preços no programa que são ranqueados do menor ao maior. Ou seja, todos os produtos comercializados em lojas formais via nota fiscal podem ser encontrados no sistema, com endereço da loja, histórico de seis meses de preço, telefone e o mapa do local.

 

 

Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena acumula em R$ 7 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.431 da Mega-Sena, realizado na noite desta quarta-feira (24) no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

Veja as dezenas sorteadas: 08 – 11 – 22 – 25 – 26 – 36.

A quina teve 46 apostas vencedoras; cada uma receberá R$ 35.595,61. A quadra teve 2.988 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 782,84.

O próximo concurso (2.432) será no próximo sábado (27). O prêmio é estimado em R$ 7 milhões.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50

Canadá inicia vacinação anticovid para crianças de 5 a 11 anos

 (Foto: Andrej Ivanov / AFP )

A vacinação contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos começou nesta quarta-feira (24) no Canadá, que segue a linha de Estados Unidos e Israel de reduzir a idade de acesso às vacinas para combater a pandemia.  
No palácio do Congresso, no centro de Montreal, dezenas de crianças de Quebec foram as primeiras a receber a vacina Pfizer, autorizada para eles desde a sexta-feira.  
Para receber as crianças, estão previstas algumas pequenas adaptações: decalques em forma de unicórnio, espaços maiores do que para os adultos, e um cachorro acostumado a receber carícias, que circula para acalmar as crianças.  
“Realmente eu não senti medo, mas estava preocupado”, contou à AFP o jovem Víctor, de 10 anos, que levava em suas mãos uma frase colorida: “Bravo, você recebeu sua vacina”.   
A marcação de atendimentos para a vacinação de crianças em Quebec disparou desde que o governo aprovou a imunização pediátrica, “um indicador de que a resposta da população é genuinamente excelente”, comentou Jean-Nicolas Aubé, porta-voz das autoridades de saúde em Montreal.  
O primeiro-ministro do Quebec, François Legault, comemorou no Twitter após constatar durante a manhã desta quarta-feira que foram realizados “115.300 atendimentos” em poucas horas. “Juntos podemos fazer a diferença!”, exclamou.  
Já na vizinha Ontário, muitas crianças foram inoculadas ontem em Toronto, apesar de a campanha de vacinação só começar oficialmente nesta província, a mais populosa do Canadá, na quinta-feira.  
O Canadá é um dos países com maiores índices de vacinação contra a Covid-19 do mundo, com mais de 85% dos maiores de 12 anos inoculados com ao menos duas doses.  
Nesta quarta, o país norte-americano aprovou o uso da vacina de dose única da Johnson & Johnson para os maiores de 18 anos.