Pernambuco completou três meses registrando mais de 90% de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os dados são referentes à rede pública dedicada a pessoas com sintomas de Covid-19. Os altos índices de pessoas internadas ocorreram mesmo diante de um aumento de 72% na oferta de vagas, já que, em cinco meses, houve 118% de aumento no número de doentes.

A última vez em que Pernambuco teve menos que 90% de ocupação das UTIs foi em 25 de fevereiro de 2021. Nesse dia, havia 998 vagas de terapia intensiva disponíveis na rede pública, das quais 888 estavam sendo utilizadas. Isso representava 89% do total.

Na terça-feira (25), de acordo com o boletim mais recente da Secretaria Estadual de Saúde (SES), havia 1.718 leitos e, desse total, 98% estavam ocupados. Isso significa que foram abertas cerca de 720 novas vagas em três meses.

No entanto, mesmo com a ampliação da rede de saúde, o estado tem batido recordes de pessoas na fila por uma vaga de UTI. Na manhã desta quarta-feira (26), havia 360 pessoas esperando vagas em UTIs. Dessas, 23 são crianças, 14 são recém-nascidos e 323 são adultos.

De acordo com o governo do estado, apesar de a ocupação de leitos ser menor que 100%, existe fila nas UTIs porque as vagas remanescentes, que compõem o percentual, geralmente já estão reservadas para doentes graves.

Os dados divulgados pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), com base nos boletins da Secretaria Estadual de Saúde, também mostram que, até então, o maior período em que o estado havia registrado ocupação continuamente maior que 90% foi entre 16 de abril e 13 de junho de 2020. Foram 58 dias consecutivos.

Essa época era considerada pelo governo de Pernambuco a primeira fase aguda da pandemia. Os patamares, no entanto, eram consideravelmente menores do que os deste ano. Havia, em 13 de junho de 2020, 721 leitos, dos quais 678 utilizados. A ocupação era de 94%.

Ampliação da rede de saúde

Por meio de nota, a SES afirmou que, atualmente, Pernambuco tem 1.718 leitos de UTI para pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e que este é o 6º maior quantitativo de leitos desse tipo na rede pública do país e o maior entre os estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Na terça-feira (25), segundo a SES, mais 10 vagas de UTI entraram em funcionamento no Agreste, para atendimento aos pacientes com a Covid-19.

“Do total de leitos, quatro foram disponibilizados no Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru, e seis no Hospital Jesus Pequenino, em Bezerros. A Central de Regulação já está fazendo o encaminhamento de pacientes para esses serviços. Outras 20 vagas serão abertas nos próximos dias em Caruaru, Bezerros e Garanhuns”, diz o texto.

O governo também afirmou que, diante da aceleração da doença no estado, “tem pressionado a rede de saúde, impactando na fila e no tempo de espera por um leito” e mencionou que novas medidas restritivas foram anunciadas na segunda-feira (24).

Além disso, a SES informou que mantém o diálogo com as gestões municipais, “reforçando a importância de leitos de retaguarda nos serviços locais, e apoiando com o envio de equipamentos, como concentradores de oxigênio, que começaram a ser enviados na terça-feira (25) para o Agreste”.

Por fim, a Secretaria Estadual de Saúde declarou que continua ativa a ferramenta Atende em Casa, disponível na internet, “para auxiliar o atendimento à população” e “garante orientações virtuais de profissionais capacitados sobre o novo vírus, por meio de videochamada”.

Com a ferramenta, um médico pode orientar o paciente a buscar uma unidade próxima de casa, “evitando que a população procure as unidades de saúde desnecessariamente, diante do atual cenário causado pela pandemia da Covid-19”. (Via: G1 PE)