Esta quinta-feira (18) não foi um dia fácil para o empresário bolsonarista Luciano Hang. Pela terceira vez, o dono da rede de lojas Havan foi derrotado na Justiça em um processo contra o youtuber Felipe Neto. Ele teve o segundo recurso rejeitado em uma ação que moveu contra a celebridade por criticar a empresa por comercializar alimentos essenciais para driblar as regras de fechamento do lockdown, no início da pandemia.
Para piorar, Neto fez questão de publicizar a derrota. Nas redes sociais, o youtuber marcou o perfil de Luciano e disse que “já podia pedir música” pela vitória tripla. “Oi Luciano, tudo bom? Perdeu o processo, perdeu o recurso, perdeu o segundo recurso. Três derrotas na justiça pra mim. Já posso pedir música, né? Beijo, querido”, disse.
Em seguida, Felipe publicou um vídeo com um apanhado de várias manchetes que noticiavam as derrotas. Ao fundo, toca a música tema de abertura da novela O Rei do Gado, da TV Globo, em referência ao termo utilizado para se referir aos eleitores e apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro. “Pedi música. Beijão, Luciano”, debochou o também empresário.
Hang respondeu duas horas depois em um vídeo postado no Twitter. No registro, o empresário fala que Felipe Neto “dorme e acorda pensando nele” e disse para o adversário “não comemorar muito”, porque o “processo ainda não acabou”.
“Esse é só o primeiro, já tem outro encaminhado. Sempre que falarem mentiras e injúrias a meu respeito não aceitarei calado. Se não te deram educação, espero que a Justiça o faça”, declarou. O bolsonarista mostra prints de postagens em que Neto fala sobre o empresário e diz que ele tem que aprender que “não pode falar o que quer”.
Quase que imediatamente, o youtuber respondeu Hang com mais deboche. “Te senti meio pra baixo nesse vídeo, meio amuado, uma expressão de tristeza. Não fica assim não”, disse. Por fim, Neto ainda lembrou uma denúncia do jornal El País de que Hang dribla o pagamento dos impostos brasileiros.

Colunista da Folha e professor em universidades internacionais diz que Lula é o político brasileiro mais popular do mundo 

Zeidan_LULA_Macron
Rodrigo Zeidan e Lula com Macron (Foto: Reprodução/Twitter | Ricardo Stuckert)

Rodrigo Zeidan, que é colunista do jornal Folha de S.Paulo e professor em universidades internacionais usou suas redes sociais para dizer que “Lula é o político brasileiro mais popular do mundo’.

“O Lula é disparado o político brasileiro mais popular no mundo. Na opinião do gringo médio, Lula foi perseguido pelo sistema da sua República de banana e é um dos maiores líderes do século 21”, disse.

Rodrigo Zeidan é professor da New York University Shanghai e da Fundação Dom Cabral. Ele também é pesquisador sênior do Center for Sustainable Business (NYU Stern) e editor associado da Revista Brasileira de Finanças, Journal of Sustainable Finance and Investments e Journal of Economic Surveys.

Zeidan_Twitter

Brasil 247

Operação policial prende 16 integrantes de quadrilha que reunia servidores e ex-funcionários públicos de PE

Foto: ilustração

Uma operação realizada nesta quarta-feira (17) pela Polícia Civil prendeu 16 pessoas por crimes como homicídio, tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Entre os presos, estão servidores e ex-funcionários do governo de Pernambuco, do Ministério Público de Pernambuco e do Poder Judiciário.

Esta é a segunda fase da Operação Tarrafa, deflagrada em 2017, quando 41 pessoas foram detidas ao longo de nove meses de investigação. Desta vez, foram cumpridos 15 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão em cidades do Grande Recife, Agreste e Sertão de Pernambuco.

Carro, moto e armas foram apreendidos pelos policiais. Houve também uma prisão em flagrante, além do bloqueio de recursos dos investigados.

Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial

Sétima parcela havia sido depositada em 31 de outubro.

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), nascidos em dezembro, podem sacar, a partir de hoje (19), a sétima parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 31 de outubro.

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta-corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro apenas podia ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda-feira a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

39,2 milhões de famílias atendidas

A liberação do dinheiro em espécie marca o fim da segunda rodada do auxílio emergencial, que começou em abril. Neste ano, o programa atendeu a 39,2 milhões de famílias, dos quais 23,9 milhões de trabalhadores informais, dez milhões inscritos no Bolsa Família e 5,3 milhões inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Os beneficiários do Bolsa Família foram migrados para o Auxílio Brasil, novo programa social do governo federal. Os trabalhadores informais e inscritos no CadÚnico deixaram de receber o benefício. Uma vez por mês, os inscritos no CadÚnico que mantiverem os dados atualizados serão selecionados para receberem o Auxílio Brasil, dependendo do espaço no Orçamento do governo.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a rodada de pagamentos teve sete parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, receberam R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebeu R$ 375; e pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio foi pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa fosse inferior a meio salário mínimo. O beneficiário precisava ter sido considerado elegível até dezembro de 2020, pois não houve nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continuou valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício.

Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.

Colaborou Andreia Verdélio

Edição: Kleber Sampaio

(Agência Brasil).