Pâmela Nascimento estava em casa e os vizinhos informaram à Polícia que ouviram quando ela foi espancada.

Pâmela foi espancada até a morte (Foto: Reprodução)

Uma grávida de 27 anos foi espancada até a morte na noite desta segunda-feira (07), na cidade de Poço José de Moura, na Paraíba. Pâmela Nascimento estava em casa e os vizinhos informaram à Polícia que ouviram quando ela foi espancada. 

O Samu foi acionado para socorrer à gestante, mas ao chegar no local apenas constatou o óbito. 

O corpo dela foi levado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) para ser feita uma perícia mais minuciosa.

O companheiro dela é o principal do feminicídio. Ele foi levado até a delegacia, mas negou as acusações. O homem foi liberado após depoimento.

O caso segue sendo investigado. 

De máscara e frasco de álcool em gel na mochila escolar, as crianças voltaram aos colégios e conheceram um novo ambiente.

Antes de entrar, todos tinham a temperatura medida e só alunos e funcionários são permitidos dentro da escola. (Foto: Reprodução)

 Depois de quase seis meses fechadas, parte das escolas particulares de Sorocaba voltou a funcionar nesta terça (8).

De máscara e frasco de álcool em gel na mochila escolar, as crianças voltaram aos colégios e conheceram um novo ambiente. Antes de entrar, todos tinham a temperatura medida e só alunos e funcionários são permitidos dentro da escola.

O governador João Doria liberou a reabertura das escolas para atividades de reforço e acolhimento a partir desta terça em cidades que estivessem há mais de 28 dias na fase amarela. Elas só podem funcionar com até 35% dos alunos.

A maioria das cidades paulistas, no entanto, optou por não retomar as aulas presenciais nessa data. Além de Sorocaba, outras quatro cidades liberaram a reabertura das escolas, mas apenas para a rede particular.

“Foi pela vontade dela de ver os amigos que eu decidi que ela voltaria para a escola nesse primeiro momento. Além de que ela já não estava mais isolada em casa, sempre brincava com os vizinhos”, disse a delegada Ana Paula Saribe, 39, mãe de uma aluna de 5 anos.

Pelo convívio com outras crianças durante a pandemia, Saribe disse acreditar que a menina já está bem adaptada ao uso de máscara e manter o distanciamento dos colegas.

Como teve de trabalhar presencialmente durante todo o período de suspensão das aulas, Saribe também disse que a reabertura da escola permite que a filha receba um acompanhamento mais adequado. “Minha motorista foi quem virou a professora dela, era quem acompanhava as aulas virtuais com ela.”

A médica Ana Carolina Swensson, 43, também não parou de trabalhar presencialmente, por isso, optou por fazer parte do primeiro grupo de pais a enviar os filhos para a escola. “Meu marido também é médico e a gente se revezava no cuidado das meninas, mas elas estavam sentindo muita falta do ambiente escolar”.

Mãe de dois alunos de 4 e 6 anos de idade, Swensson disse que a retomada é importante para as crianças nesse momento. “Qual recado estamos passando aos nossos filhos ao dizer que podemos ir ao shopping e restaurantes, mas não para a escola?”

Para a volta às aulas presenciais, o colégio Uirapuru consultou os pais para saber quantos tinham interesse em enviar os filhos. Dos cerca de 1.900 alunos, um terço optou pelo retorno. Nesta terça, só voltaram as crianças da educação infantil (dos 0 aos 5 anos) e dos anos iniciais do ensino fundamental (do 1o ao 5o ano).

“A volta é opcional para os alunos, mas não para os professores e funcionários. A não ser, claro, aqueles que são do grupo de risco e que vão permanecer em casa”, disse Arthur Fonseca, diretor do colégio.

Depois de terem a temperatura medida, as crianças entram na escola, mas precisam tirar os sapatos para ficar em sala de aula. O colégio pediu para que os pais enviassem chinelos ou meias extras.

O colégio também orientou aos pais para que enviassem os filhos com máscaras brancas, sem desenhos. A medida é para evitar que as crianças queiram trocar o equipamento com os colegas.

Além da máscara branca, as crianças também tiveram de levar outras duas unidades, uma branca e outra cinza. Para que fossem trocadas a cada duas horas.

“Eles explicaram que as cores diferentes são para que os professores possam controlar se houve mesmo a troca”, contou Lúcia Nakano, 47, mãe de uma aluna de 10 anos.

Nas salas de aulas, todas as janelas e portas devem ficar abertas durante todo o tempo, as carteiras também foram organizadas para que as crianças fiquem a 1,5 metros de distância uma das outras.

Ao todo, são cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, todos na capital paulista.

A PF ainda afirma que o grupo executava os saques indevidos dos benefícios em diversas agências bancárias de São Paulo (Foto: Reprodução)

A Polícia Federal de São Paulo realiza, na manhã desta terça-feira (8), a Operação Parasitas, contra fraudes relativas a saques indevidos no auxílio emergencial.

Ao todo, são cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, todos na capital paulista. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo.

Segundo a PF, os crimes eram cometidos por uma associação criminosa que atuava há cerca de quatro anos em fraudes contra diversos programas sociais. Dentre eles, o Seguro Desemprego e Bolsa Família.

De acordo com a investigação, o grupo teria se apropriado de pelo menos 45 auxílios emergenciais. Os investigados irão responder por furto qualificado e associação criminosa, podendo pegar até 11 anos de prisão.

Ainda segundo a PF, a operação foi denominada “parasitas” por conta da forma como organização criminosa atuava, se apropriando de recursos destinados pelo Governo Federal à população de baixa renda.

O esquema
Segundo as investigações, os agentes públicos com acesso ao CadÚnico eram cooptados pela associação criminosa para alterarem os dados de pessoas de baixa renda constantes do referido sistema de cadastramento, em especial, os nomes das mães e endereços.

Os membros da associação criminosa ligavam no canal de atendimento da Caixa Econômica Federal e solicitavam o encaminhamento dos cartões para os endereços fictícios e em comum cadastrados pelos agentes públicos cooptados.

Com a ajuda de um carteiro dos Correios, os cartões chegavam à posse dos membros da associação criminosa.

Com a posse dos cartões desviados, os membros da associação telefonavam para a URA (Unidade de Resposta Audível) da Caixa Econômica e realizavam o pré-cadastramento de suas senhas.

Os membros dessa associação se dirigiam a uma lotérica situada na Zona Sul e efetivavam a confirmação daquelas senhas, com o auxílio de uma funcionária do estabelecimento, que recebia cerca de R$ 30,00 por senha confirmada.

A PF ainda afirma que o grupo executava os saques indevidos dos benefícios em diversas agências bancárias de São Paulo, sempre no exato dia e na primeira hora em que os benefícios eram liberados (dependendo do último número do NIS), para evitar que os reais beneficiários identificassem as fraudes a tempo e os benefícios fossem bloqueados.

Monção fez as declarações ao criticar o atual ocupante do cargo, Rubens Vieira (PSDB).

Moção foi preso em 2009, acusado de desviar R$ 2,6 milhões do Fundo de Educação Básica (Foto: Reprodução)

O ex-prefeito da cidade de Cocal, no Piauí, José Maria Monção (PTB), admitiu ter roubado do município durante uma convenção realizada na cidade. Monção fez as declarações ao criticar o atual ocupante do cargo, Rubens Vieira (PSDB).

As declarações foram aplaudidas por correligionários e gerou risadas na plateia.”Tem político que rouba, mas rouba pra dar pro povo. Esse daí (Vieira) não, roubou pra ele”, concluiu.

Moção foi preso em 2009, acusado de desviar R$ 2,6 milhões do Fundo de Educação Básica e, em 2015, foi acusado de falsificar documentos da Câmara de Vereadores para poder concorrer ao cargo de deputado.

 

 

 

Terremoto de magnitude 6,6 é registrado no oceano ao norte do Ceará

Epicentro do fenômeno foi a aproximadamente 1.219 km a norte-nordeste de Acaraú e a 1.277 km a norte de Fortaleza.

Tremor de magnitude 6,6 é registrado no oceano ao Norte do Ceará neste domingo (6). — (Foto: Rede Sismográfica Brasileira/Divulgação)

As estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR), operadas pelo Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) registraram neste domingo (7) um tremor de magnitude 6,6 na dorsal meso-oceânica no Oceano Atlântico, ao norte do Ceará.

Conforme o LabSis, o epicentro do fenômeno foi a aproximadamente 1.219 quilômetros a norte-nordeste do município de Acaraú e a 1.277 quilômetros a norte da cidade de Fortaleza.

Todas as estações da Rede Sismográfica registraram o evento, sendo a estação mais próxima a da cidade de Morrinhos.

Ainda segundo o LabSis, o terremoto ocorrido no leito do oceano não causa risco de tsunami.

 

O país chegou a 4,2 milhões de infecções pelo novo coronavírus, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que têm mais de 6,4 milhões de casos confirmados.

A Índia conseguiu conter em um primeiro momento a expansão do novo coronavírus com um rígido confinamento, que durou 70 dias. (Foto: Reprodução)

A Índia ultrapassou o Brasil e se tornou nesta segunda-feira (7) o segundo país do mundo com mais casos de Covid-19, de acordo com dados do Ministério da Saúde indiano.

O país chegou a 4,2 milhões de infecções pelo novo coronavírus, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que têm mais de 6,4 milhões de casos confirmados.

O Brasil tem 4,13 milhões de infectados, mas é um dos países que menos testam no mundo, o que contribui para que o número de casos notificados seja menor do que os que existem de fato. Além disso, a população da Índia é cerca de 6 vezes maior que a do Brasil: são 1,3 bilhão de habitantes, contra 210 milhões no Brasil.

No domingo (6), a Índia bateu o recorde diário global de novos casos de Covid-19, com mais de 90 mil notificações de infecções pelo coronavírus. No mesmo dia, o Brasil teve 16,4 mil casos confirmados.

O número de óbitos causados pela doença na Índia passa de 70,6 mil. O país é o terceiro com mais mortes, atrás de EUA (188,5 mil mortes) e Brasil (126 mil), de acordo com a universidade americana Johns Hopkins.

Segunda onda

A Índia conseguiu conter em um primeiro momento a expansão do novo coronavírus com um rígido confinamento, que durou 70 dias. Desde julho, cerca de um mês depois do início da reabertura, o país vem registrando uma aceleração no número de casos de Covid-19. Em 17 de julho, o país ultrapassou a marca de 1 milhão de infecções.

Especialistas dizem que a pandemia vive uma segunda onda em algumas partes do país, que é o segundo mais populoso do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes. O número de casos aumentou, porque mais exames estão sendo feitos e houve uma liberação parcial das locomoções da população.

Na capital, Nova Déli, os serviços de metrô serão parcialmente retomados a partir desta segunda-feira.

O vírus se espalhou de grandes cidades para outras partes do país, disse Randeep Guleria, diretor do Instituto de Ciências Médicas da Índia em Nova Déli, em entrevista ao India Today TV. O número de casos pode continuar a aumentar antes que a curva se estabilize, disse.

Afogados da Ingazeira confirma mais 31 novos casos de covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que neste domingo (06.09), 31 casos apresentaram resultado positivo para covid-19. Desses, 30 já estavam em investigação. 

São quinze pacientes do sexo feminino (5, 28, 29, 30, 33, 32, 35, 36, 36, 44, 45,  47, 58, 70 e 86 anos) e dezesseis pacientes do sexo masculino (12, 19, 30, 35, 37, 37, 37, 38, 40, 40, 44, 53, 55, 61, 67 e 71 anos). 

Entre os homens: dois aposentados, três de profissão não informada, dois agricultores, um estudante, um vendedor, dois profissionais da saúde,  um profissional de segurança,  um técnico de manutenção, um vendedor, um padeiro, um motorista.  

Já entre as mulheres: duas agricultoras, duas professoras, duas aposentadas, uma repositora, uma gerente,  uma caixa, uma comerciante, uma autônoma,  uma motorista, uma advogada, uma promotora de vendas e um estudante.  

Entra em investigação o caso de um paciente do sexo masculino, 64 anos.  Vinte e seis casos foram descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. Já são 410 (74,81%) recuperados para covid-19 no município. Atualmente, 128 casos estão ativos. Hoje, o município atingiu a marca de 3.234 pessoas testadas para a covid-19.

 

 

 

Araripina registra mais uma morte e 9 novos casos de Covid-19; número de infectados chega a 1581

O município de Araripina confirmou mais 9 novos casos da Covid-19, segundo o boletim apresentado nesta sábado (05) pela Secretaria Municipal de Saúde. Agora, o número de pacientes diagnosticados com a doença subiu para 1581.

Ainda de acordo com o boletim, foi registrada mais uma morte. A vítima foi o empresário Humberto Pereira. Até o momento 900 pessoas já se recuperaram da doença e 33 casos estão em investigação

O município já realizou 4.565 testes, sendo 836 pelo Laboratório Estadual de Saúde (Lacen) e 3.729 por testagem rápida.

No Sertão do Araripe já foram registradas 94 mortes decorrentes do novo coronavírus. Foram 31 em Araripina, 20 em Ipubi, 13 em Trindade, 12 em Ouricuri, 09 em Exu, 08 em Bodocó e 01 em Moreilândia.

Pernambuco totaliza 132.420 confirmações e 7.721 óbitos por covid-19

Pernambuco registrou mais 268 casos da Covid-19 e 19 mortes causadas pela doença, nesta segunda-feira (7). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), com as novas confirmações, o estado totaliza 132.420 casos e 7.721 óbitos, registrados desde março, quando ocorreram as primeiras confirmações.

Do total de novos casos, 38 são quadros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), número que representa 14% do total. Os outros 230, que representam 86% do total, são casos leves, de pacientes que não precisaram de internação hospitalar ou que já estavam curados quando receberam a confirmação para a doença.

No total contabilizado desde março, são 25.589 casos graves e outros 106.831 leves.

As mortes confirmadas no boletim desta segunda-feira ocorreram desde o dia 30 de maio, 100 dias atrás. Seis desses óbitos (32%) ocorreram nesse mês de setembro, sendo dois casos registrados no domingo (6), dois no sábado (5) e dois na sexta-feira (4).

Os outros 13 registros (68%) ocorreram entre os dias 30 de maio e 24 de agosto.

 

Briga entre policial penal e PM termina com duas pessoas mortas e cinco feridas em Boa Viagem

Tiroteio aconteceu na Banca do Primo, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. (Foto: Tarciso Augusto/Esp. DP.)

Uma briga entre dois servidores da segurança pública de Pernambuco resultou em tragédia na noite desse sábado (5), em um bar de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. O policial penal Ricardo de Queiroz Costa, 40 anos, e o major da PM José Dinamérico Barbosa da Silva Filho, 48, trocaram tiros após uma discussão. Cinco pessoas ficaram feridas e duas morreram. Ricardo e Dinamérico foram autuados em flagrante por homicídio e tentativa de homicídio, mas ambos permanecem internados em hospitais da capital pernambucana.

O caso aconteceu por volta das 18h30 na Banca do Primo, localizada na Rua Professor José Brandão. Segundo apurado pela reportagem com as polícias Civil e Militar, além de outras fontes, Ricardo chegou ao local acompanhado do filho, da esposa e de sua irmã. Posteriormente, Dinamérico chegou acompanhando de dois sobrinhos e dois amigos – um deles o policial militar Diogo Francisco Vieira dos Santos. 
Em dado momento, Dinamérico e Ricardo iniciaram uma discussão. Ambos teriam puxado a arma e começado a trocar tiros, mesmo estando em um local público e movimentado. Ficaram feridos George Mauro de Carvalho Vasconcelos, 70; Eduardo Bernardo Pereira Gomes Insfran, 55; e Eva Valéria Alves do Nascimento, 55. No momento do tiroteio, um homem identificado como Renato Távora Machado, 34, que passava de carro pela rua com a família teve a lataria do veículo atingida por uma das balas
A briga também resultou em duas mortes. O corretor de imóveis Ekel de Castro Pires, 64, foi atingido e morreu no local. Já o empresário Claudio Bandeira de Melo Sobrinho, 57, chegou a ser socorrido e levado para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife, mas não resistiu e faleceu ainda no sábado.
Amigo de Claudio, o engenheiro Roberto Carvalho foi uma das últimas pessoas a verem ele com vida. “Era uma pessoa super descontraída, do bem. Filho de uma família tradicional, teve dois bisavôs governadores. Um cara absolutamente amável e pacífico. Qualquer pessoa podia morrer de bala perdida, menos ele. Eu tinha ido para a academia nesse sábado e, quando estava voltando para casa, quando passei na banca, vi que ele estava bebendo com amigos e tomei uma cerveja com ele”, conta.
“Em dado momento, deixei o bar porque precisava voltar para minha casa. Fiz algumas coisas e voltei para o estabelecimento, para pagar minha cerveja. Percebi um clima estranho, as pessoas estavam muito alcoolizadas no local. Paguei minha conta e saí. Não deu nem dez minutos, recebi uma ligação informando que meu amigo tinha morrido. Uma tragédia lamentável”, acrescenta Roberto, que conviva com Claudio desde o final da década de 80. O corpo do empresário foi velado na tarde deste domingo, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. O sepultamento ocorreu por volta das 17h.
Socorro

Assim como Claudio, George Mauro de Carvalho Vasconcelos foi levado para o HR. Ele foi baleado no olho. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), ele passou por cirurgia no sábado e está na sala de recuperação do hospital, aguardando nova evolução. Seu estado é considerado grave e não há previsão de alta

 (Foto: Reprodução/WhatsApp.)
Eduardo Bernardo Pereira Gomes Insfran e Eva Valéria Alves do Nascimento foram socorridos e encaminhados para o Hospital Português, no Paissandu. A assessoria da unidade médica não divulgou o estado de saúde de ambos. Mas segundo apurado pela reportagem, Eva passou por uma cirurgia e Eduardo permanece em estado estável.
Os responsáveis pelos tiros, segundo a polícia, também estão internados. O major da PM José Dinamérico Barbosa da Silva Filho está no Hospital Português e o policial penal Ricardo de Queiroz Costa no Hospital Santa Joana. As duas unidades não comentaram o estado de saúde deles.
Mas no caso de Ricardo, seu advogado de defesa, Eduardo Morais, explica que ele precisou passar por três cirurgias e permanece internado na UTI. “Ele teve fratura exposta no joelho e um dos tiros acabou atingindo o intestino dele. O que aconteceu foi uma lamentável tragédia envolvendo dois profissionais de segurança pública e que resultou na morte de outras pessoas”, lamenta.
Oficialmente, a Polícia Civil não confirma a motivação da briga nem quem puxou primeiro o gatilho. O advogado de Ricardo sustenta que foi o major Dinamérico quem começou a história. Ele teria dado em cima da esposa de Ricardo, com olhares. “Houve discussão, o major mandou o Ricardo tomar naquele canto, se levantou e começou a atirar. Ricardo levou um tiro no abdômen e revidou à agressão”, afirma.

Na ocorrência, foram apreendidas as armas que estavam com os homens. Uma pistola 9mm e 12 munições, pertencentes a José Dinamérico, e uma pistola .40, com cinco munições, do Ricardo. Ainda, foi apreendida uma terceira arma, .380, pertencente ao PM Diogo, que estava no momento da ocorrência.

Diario não conseguiu entrar em contato com a família ou representante legal do major.

Histórico
O major Dinamérico estava emprestado pela PM ao Tribunal de Justiça de Pernambuco. Em seu histórico na corporação, consta uma punição expedida em fevereiro de 2017 pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Na ocasião, ele foi punido com 30 dias de prisão após uma apuração da Corregedoria entender que ele empurrou um oficial superior durante uma festa de confraternização, em um bar do Espinheiro em março de 2013. 
Em nota oficial, a SDS informa que “estão sendo adotadas todas providências cabíveis, nas esferas criminal e administrativa, acerca da ocorrência envolvendo servidores da segurança pública” e que “estão sob custódia Polícia Militar e, tão logo tenham condições de saúde, prestarão depoimento à Polícia Civil”. As autoridades estão coletando elementos de prova como testemunhas, imagens e perícias criminais para ajudar nas investigações.
“Por serem servidores públicos, os envolvidos responderão a Processo Administrativo Disciplinar, conduzido pela Corregedoria Geral da SDS. As corporações às quais eles pertencem, a Polícia Militar e a Secretaria Executiva de Ressocialização, também instauraram sindicância para apurar possíveis infrações administrativas”, acrescenta a pasta.
“A Segurança Pública, assim como os demais órgãos que integram o Pacto pela Vida, lamentam profundamente que servidores públicos cuja missão é proteger a sociedade possam estar envolvidos em um fato tão trágico para as vítimas fatais, feridos e demais presentes no momento da ocorrência. Não apenas nos solidarizamos com os familiares, amigos e entes queridos, como reiteramos o empenho e a seriedade das Forças de Segurança, atuando de forma integrada, na investigação dos fatos e responsabilização dos envolvidos, tanto no âmbito criminal como no administrativo disciplinar”, conclui a nota da SDS.

Afogados: Morre aos 71 anos Siqueira Pescador

Faleceu neste domingo o líder comunitário José Siqueira Marques, conhecido por Siqueira Pescador, ele estava residindo atualmente em Pesqueira e estava internado na cidade de Garanhuns, Siqueira sofria com problemas cardíacos e no fígado, no hospital ele contraiu o Covid 19 e infelizmente não resistiu.

Siqueira tinha 71 anos, ele foi o primeiro presidente da Associação dos Pescadores, foi também líder comunitário na antiga Vila Vitória e no Conjunto Miguel Arraes, foi também candidato a vereador em 2000. ( Mário Martins)

Pandemia elevou preços de medicamentos para os hospitais em até 92,6%

 (Foto: Gerard Julien/AFP)

A pandemia da Covid-19 levou a um aumento de até 92,6% nos preços dos medicamentos adquiridos pelos hospitais de março a julho deste ano.

Os dados são de uma pesquisa inédita realizada pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisa Econômica) em parceria com a Bionexo. O instituto criou um índice para calcular o preço dos medicamentos hospitalares, o IPM-H (Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais).

Na avaliação geral, o aumento foi de 16,44% entre março e julho. Isso porque a pesquisa, que levou em consideração mais de 1.500 tipos de medicamentos, avalia medicamentos tão distintos como remédios para dor de cabeça até aqueles que atuam em órgãos e sistemas diretamente afetados pelo coronavírus.

Os medicamentos que mais tiveram alta nesse período foram utilizados no tratamento de pacientes com Covid-19 para ajudar no sistema cardiovascular (+92,6%), sistema nervoso ( 66%) e aparelho digestivo e metabolismo ( 50,4%).

Outros remédios indiretamente usados no tratamento de pacientes, mas que tiveram aumento expressivo, foram aqueles para o sistema hormonal ( 21,8%) e para músculos e ossos ( 18,2%).

Para calcular o índice, os pesquisadores utilizaram a base de dados da empresa de soluções digitais em saúde Bionexo, cuja rede conta com mais de 20 mil fornecedores de medicamentos e suprimentos hospitalares no Brasil, Argentina, Colômbia e México.

Tendo como base as transações realizadas entre hospitais e fornecedores nos últimos doze meses, os pesquisadores observaram um aumento no período de março a julho, justamente quando teve início e se agravou a pandemia da Covid-19 no país. Em todo o período, o aumento foi de 19,83%.

Fazendo o monitoramento mês a mês, os autores chegaram a um índice cujo uso pode ajudar a pautar decisões dos administradores de hospitais na compra de medicamentos, bem como repassar aos fornecedores qual a atual demanda para cada tipo de medicamento.

Para o coordenador de pesquisas da Fipe e um dos autores do estudo, Bruno Oliva, é a primeira vez que uma base de referência para preços de medicamentos hospitalares é calculada no Brasil. “A Fipe trabalha com esse tipo de informação há bastante tempo e esse é mais um passo em trazer informação a um setor específico, nesse caso o de hospitais.”

Agora, diferentemente de outros índices calculados que avaliam as alterações nos preços ano a ano, o IPM-H é calculado mensalmente.

Segundo Rafael Barbosa, CEO da Bionexo, a cada um segundo e meio são realizadas transações entre fornecedores e administradores de hospitais, e essas informações ficam todas registradas na plataforma. A atualização dos preços é constante, e permite avaliar em tempo real a oferta e demanda e poder ter uma informação mais correta do preço.

“Essa nova informação é uma ferramenta importante pois dá ao setor uma referência mensal. Se um gestor precisa comprar um medicamento e vê que o preço no mês anterior estava 50% mais baixo, caso ele não tenha necessidade imediata, pode aguardar um pouco. Se precisar muito, pode comprar uma quantidade mínima, mas não precisa estocar. É uma forma de tomar a decisão de maneira consciente”, diz.

Os dados começaram a ser levantados em dezembro de 2014, mas o índice só foi concluído agora. Olhando de modo mais geral a mudança de preço, fica evidente a interferência da pandemia no preço dos medicamentos hospitalares.

Na visão de Oliva, são dois fatores que explicam esse aumento. “Existe um componente que é a variação do câmbio, que afeta drasticamente o preço dos medicamentos principalmente aqueles que são importados ou produzidos com insumos importados. Outro componente foi o aumento brusco da demanda de medicamentos devido à Covid-19, em especial aqueles relacionados ao tratamento de pacientes graves internados com a doença.”

Agora no último mês de julho, para o qual os pesquisadores têm dados finalizados -não há ainda informações para agosto-, houve uma leve desaceleração. A taxa variou apenas 1,74%, frente à 4,58% no mês anterior, que pode em parte estar relacionada a uma queda no número de internações no país e em parte a uma maior organização do setor de fornecimento de medicamentos.

Os autores acreditam que com o índice em mãos virá muito mais transparência para o setor, inclusive para hospitais que possuem demandas distintas. Barbosa vê ainda uma outra vantagem do índice que é auxiliar o poder público na criação de políticas públicas em saúde e gestão a longo prazo.

“No início da pandemia, a demanda global por medicamentos e insumos foi alta, e durante os meses mais graves na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil, com a Ásia produzindo apenas internamente, houve uma corrida por remédios, o que gerou uma demanda muito agressiva. Isso nos mostra também que ficar totalmente dependente de uma produção externa não é viável. Seguramente o setor nacional vai se preparar, vai expandir a produção e espero que a gente leve isso para a frente como uma questão de segurança nacional.”

O índice IPM-H não reflete a variação dos preços de medicamentos vendidos em farmácias para o consumidor final. Ele também não é uma medida de variação de custos de tratamentos em hospitais ou planos de saúde, que envolvem outros gastos, como equipamentos, recursos humanos e demais materiais.

Flordelis emprega no seu gabinete filho com o qual é proibida pela Justiça de ter contato

Gerson, que também é pastor e tem comandado os cultos da igreja de Flordelis, foi nomeado para o cargo de secretário parlamentar no início do mandato, em fevereiro de 2019.

Gerson chegou à casa de Flordelis em 2006, quando foi colhido como filho afetivo da pastora. (Foto: Reprodução)

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza mantém lotado em seu gabinete na Câmara dos Deputados, em Brasília, um de seus filhos afetivos com o qual é proibida pela Justiça de manter contato. Gerson Conceição de Oliveira, que é secretário parlamentar e recebe R$ 15,6 mil, está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo por suspeita de participação na morte do pastor Anderson do Carmo. No último dia 24, Flordelis foi denunciada por ser mandante do crime.

Gerson, que também é pastor e tem comandado os cultos da igreja de Flordelis, foi nomeado para o cargo de secretário parlamentar no início do mandato, em fevereiro de 2019. Como o EXTRA revelou, outros dois filhos afetivos da parlamentar – Carlos Ubiraci e André Luiz de Oliveira – que também eram lotados no gabinete foram exonerados após terem sido presos acusados de participação na morte de Anderson. Gerson, entretanto, foi mantido no cargo.

Como Flordelis não pode ser presa, em razão de sua imunidade parlamentar, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou que a pastora cumpra algumas medidas cautelares. Uma delas é a proibição de manter contato com qualquer testemunha da morte de Anderson, outros réus no processo e também aqueles que ainda estão sendo investigados, como é o caso de Gerson.

Após conclusão da segunda fase das investigações, na qual Flordelis, sete filhos e uma neta foram indiciados, a Polícia Civil abriu um novo inquérito para continuar apurando a participação de outras pessoas no crime. Além de Gerson, estão sendo investigados a neta biológica de Flordelis, Lorrane dos Santos Oliveira, a empregada da família, Gilcinéa Teixeira do Nascimento, e o motorista da pastora, Márcio da Costa Paulo, conhecido como Buba.

Gerson chegou à casa de Flordelis em 2006, quando foi colhido como filho afetivo da pastora. Ele morou na casa até 2013, quando se casou. Filhos afetivos são aqueles nunca adotados formalmente, e que por isso não possui Flordelis como mãe em suas certidões de nascimento. Apesar disso, a Polícia Civil do Rio e o Ministério Público estadual viram indícios de nepotismo – prática pela qual um agente público usa de sua posição para nomear ou contratar parentes – no gabinete da deputada, por isso provas foram encaminhadas para a Procuradoria Geral da República.

Em julho do ano passado, o EXTRA questionou Flordelis sobre filhos afetivos possuírem cargos em seu gabinete. Na ocasião, a assessoria de imprensa da deputada afirmou que não havia impedimento legal para as escolhas e nomeações de Flordelis.

Mulher morre e três pessoas ficam feridas após acidente entre Bodocó e Ouricuri

Uma mulher morreu e outras três pessoas ficaram feridas após um acidente de trânsito na manhã desta segunda-feira (7), na PE 545, que liga os municípios de Ouricuri a Bodocó, no Sertão.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o veículo onde as quatro pessoas estavam capotou.

A mulher, que não teve idade revelada, morreu na hora. Os outros três ocupantes foram encaminhados para o hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri.

Por: Correio Braziliense

Sergio Moro não se surpreende com os ataques à Lava-Jato. Considera uma reação esperada o sistema político se voltar contra operações de enfrentamento à corrupção, a fim de restabelecer a lei da impunidade. Ele cita como exemplo a Operação Mãos Limpas, na Itália, defendida e depois golpeada pelo governo de Silvio Berlusconi, político populista que caiu em descrédito após ser associado a ilícitos. Moro considera Lava-Jato a maior operação anticorrupção efetuada no país, e por essa única razão, deveria ser mantida. Representa um marco no Brasil porque mostrou que é possível modificar a realidade política nacional. Ele já vê avanços éticos no setor privado, mas não observa a mesma transformação no meio político. Nesse sentido, Moro afirma que o governo Jair Bolsonaro abandonou a agenda anticorrupção, deixando de lado questões importantes como a prisão de um condenado em segunda instância.

Alvo de frequentes ataques da classe política e de integrantes do Judiciário, Moro diz estar acostumado a ouvir críticas. Lamenta e repudia ataques pessoais, mas não pretende rebater no mesmo nível. “Não fiz e não pretendo fazer críticas pessoais ao presidente ou aos seus filhos”. Ele também demonstra altivez em relação às calúnias veiculadas nas redes sociais. “Tenho conhecimento de muitas fake news distribuídas a meu respeito, o que é lamentável. Não posso afirmar de onde vêm. Eu, particularmente, só trabalho com a verdade e penso ser este o primeiro dever de qualquer pessoa pública.” Em meio à polarização que insiste em se manter no país, Moro entende que o Brasil é maior do que uma querela entre partidários de Bolsonaro ou de Lula. “O mundo não se resume a esses dois grupos. O Brasil é grande, diversificado e conta com muitas pessoas qualificadas.”

Por muito tempo considerado sério candidato a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), Sergio Moro vê com bons olhos a atuação de Luiz Fux como próximo presidente da mais alta Corte de Justiça. O rigor técnico e o discernimento para preservar o tribunal de questões políticas constituem, segundo o ex-ministro, importantes trunfos do magistrado que estará à frente do STF a partir do dia 10. Para Moro, os integrantes da instância máxima da Justiça — incluindo o substituto do ministro Celso de Mello — só podem ter compromisso com a lei, e não com inclinações políticas e religiosas. E, mais uma vez, cobra retidão do homem com quem trabalhou para levar adiante a causa anticorrupção. “Se o presidente quiser ser coerente com o discurso de campanha, deveria indicar um substituto com viés favorável à Lava Jato e linha-dura contra o crime.”

Dedicado ao ensino de direito em Brasília e em Curitiba, Sergio Moro se mantém reticente sobre projetos políticos. “Estou focado em 2020”, diz, atarefado em recompor a vida profissional após a passagem por Brasília e o abandono da magistratura. Mas o ex-ministro e ex-juiz não se furta a tomar posições contundentes, com recados a diversos atores na capital da República. “Não existe lavajatismo”, esclarece, e sim servidores que prezam o “respeito à lei e ao contribuinte”. Leia, a seguir, a entrevista de Sergio Moro ao Correio.
A Lava-Jato chegou ao fim?

A Lava-Jato foi a maior operação contra a corrupção na história no Brasil e, infelizmente, tem sofrido reveses neste momento. A continuidade e as condições de trabalho das forças-tarefas do Ministério Público estão ameaçadas. Reverter esse quadro depende muito da Procuradoria-Geral da República.

Com a saída do procurador Deltan Dallagnol da coordenação da Operação Lava-Jato em Curitiba, o trabalho será prejudicado?
O procurador Deltan Dallagnol fez um excelente trabalho na Operação Lava-Jato. É um brasileiro que merece respeito e reconhecimento por sua dedicação e comprometimento com a causa pública. O procurador Alessandro Oliveira, que deve substituí-lo, é um profissional sério. Espera-se que dê continuidade ao trabalho.
Dallagnol alegou um assunto de família, com a questão do tratamento da filha. Acredita que, em outras circunstâncias, seria possível para ele continuar na Lava-Jato?
A questão familiar deve ter sido central. Mas acredito que as dificuldades de trabalho da força-tarefa e os vários procedimentos injustos abertos contra ele no CNMP tornaram sua permanência cada vez mais penosa.
Está se repetindo no Brasil o que aconteceu com a Operação Mãos Limpas, na Itália?
Estamos vivendo um processo semelhante. O sistema está reagindo com o intuito de dificultar a investigação e a punição dos crimes de corrupção e para tentar que tudo volte a ser como antes, tendo a impunidade como regra. Mas acredito que a Lava-Jato mostrou aos brasileiros que as coisas podem ser diferentes, a depender da pressão social. O setor privado brasileiro, aliás, já mudou bastante.
Não é uma ironia que a Lava-Jato seja bombardeada justamente no governo de um político eleito com a bandeira do combate à corrupção?

É bem peculiar, mas não é incomum. Na Itália, o governo de Silvio Berlusconi foi eleito com essa bandeira e agiu contra a Operação Mãos Limpas. Berlusconi é, hoje, um dos políticos com a imagem mais associada a irregularidades. Aqui o atual governo também foi eleito com a bandeira de defesa da Lava-Jato e do combate a alianças com políticos envolvidos em irregularidades, mas tudo indica que tenha sido apenas uma promessa de campanha.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que é hora de “corrigir rumos” para que o “lavajatismo não perdure”. O que achou dessa declaração?
Não existe “lavajatismo”. O que existe são servidores públicos que respeitam o salário pago com dinheiro público e tiveram o cuidado de fazer bem seu trabalho, levando os responsáveis por graves crimes de corrupção a serem punidos de acordo com o devido processo legal. O nome disso é “respeito à lei e ao contribuinte”.
Como avalia a investigação da PF até o momento sobre suas denúncias acerca da interferência de Bolsonaro na corporação?
Não cabe a mim avaliar o trabalho da PF. O Judiciário vai se manifestar sobre isso. Cabe lembrar que essa apuração foi aberta a pedido do Procurador-Geral da República e não por mim.
A decisão do STF de suspender a produção do dossiê antifascista, sem a punição dos responsáveis pela investigação ilegal, foi correta?
É preocupante que o Ministério da Justiça esteja associado à produção de um levantamento com parâmetros que soaram político-ideológicos. Mas não tenho detalhes e não acompanhei o caso a fundo para tecer comentário a respeito.
Foi um erro fazer parte do governo Bolsonaro?

Minha participação no governo trouxe resultados efetivos e concretos para a sociedade, como uma integração efetiva entre as diferentes forças de segurança. Essa mudança resultou em um combate sem precedentes contra o crime organizado e na diminuição da criminalidade em 2019. Políticas de minha gestão, como o controle rigoroso das fronteiras pelo programa Vigia e o fortalecimento do Banco Nacional de Perfis Genéticos, continuam a render frutos depois de minha saída.

Arrepende-se de ter encerrado a carreira de juiz?
Minha escolha foi acertada e os bons resultados que consegui no Ministério, apesar das dificuldades, reforçam isso. Nem tudo saiu como planejado, mas a vida é assim. É preciso persistência. Tomei aquela decisão com o objetivo de contribuir ainda mais para combater a corrupção, o crime organizado e a criminalidade violenta. Essa causa ainda é minha.
Sua vida profissional mudou totalmente depois que decidiu largar a magistratura. Tem algum arrependimento?
Não foi a primeira nem a última vez que encontrei obstáculos em minha vida. Servi o Brasil de forma correta e sempre buscando um resultado de excelência. Isso não me causa arrependimento. Pelo contrário, tenho orgulho de ter me dedicado ao Ministério e ao ofício de distribuir justiça.
Bolsonaro foi uma decepção?
Ele deveria honrar as promessas de campanha, seria o correto a ser feito. Para isso, ele deveria, por exemplo, retomar a agenda anticorrupção. Isso demanda não só operações da Polícia Federal, mas também reformas legais que melhorem a estrutura de prevenção e de repressão. É fundamental, por exemplo, retomar o projeto da execução após condenação em segunda instância. Não tenho visto o governo apoiar ou trabalhar por essas medidas.
Quando o senhor realmente percebeu que sua permanência no Ministério da Justiça e Segurança Pública seria insustentável e a relação com o presidente estava ruim?

Foi um processo progressivo ao longo de 2019 e 2020, até que chegou a um ponto insustentável.

Os filhos do presidente Bolsonaro fazem críticas públicas a seu trabalho. Eles atrapalham o governo?
Não conheço essas críticas, mas é muito possível que sejam passionais. Críticas são sempre possíveis e, quando construtivas, são bem-vindas. Da minha parte não fiz e não pretendo fazer críticas pessoais ao presidente ou aos seus filhos.
Mandetta e o senhor são alvos constantes de críticas diretas do presidente. Ele mudou ou vocês não enxergavam quem é Bolsonaro?
O debate público tem se deteriorado de forma grave e acelerada. Ao invés de se discutirem ideias ou políticas, não raramente se parte para críticas pessoais. Não entro nesse jogo de ofensas. Quanto ao ministro Mandetta, penso que ele fez um grande trabalho, sobretudo porque teve que agir sob condições adversas, com o próprio governo adotando uma postura negacionista em relação à pandemia.
Acredita que a PF trabalhou bem no inquérito sobre a facada no presidente Jair Bolsonaro? Houve muita pressão para a conclusão do inquérito?
A PF fez um trabalho técnico, com autonomia e independência. No primeiro semestre de 2019, o delegado responsável pelo caso fez, inclusive, uma apresentação para o presidente de toda a investigação e das conclusões acerca do atentado e do possível envolvimento de terceiros. A investigação foi exaustiva e não apontou provas de que haveria cúmplices. O fato de eu ter saído do Ministério da Justiça e Segurança Pública nada mudou quanto a essas conclusões até o momento. Também não vi o novo ministro que assumiu já há algum tempo discordar das conclusões da PF.
Com a licença médica do ministro Celso de Mello, decisões da Segunda Turma do STF têm beneficiado o réu em razão do empate na votação dos ministros. Foi o que aconteceu na sua sentença sobre o caso Banestado. Como avalia essa situação?

Apesar da anulação da decisão por empate, nada houve de irregular na sentença. Apenas determinei antes da sentença a juntada de alguns documentos, como a lei expressamente autoriza no artigo 234 do Código de Processo Penal. Esse trecho do Código diz que “se o juiz tiver notícia da existência de documento relativo a ponto relevante da acusação ou da defesa, providenciará, independentemente de requerimento de qualquer das partes, para sua juntada aos autos, se possível”. Eu havia também tomado o depoimento de um colaborador na fase de investigação, isso a pedido da defesa dele mesmo e do Ministério Público Federal, já que havia dúvidas, na época, sobre a validade de diligências probatórias feitas diretamente pelo MPF. Isso tudo foi por volta de 2005, bem antes da Lei 12.850, de 2012, que mudou o procedimento da colaboração premiada.

Acredita que o presidente Bolsonaro vai nomear um substituto para o ministro Celso de Mello no STF com uma visão crítica à Lava-Jato?
Se o presidente quiser ser coerente com o discurso de campanha, deveria indicar um substituto com viés favorável à Lava Jato e linha-dura contra o crime.
O que pensa da tese do ministro Fachin, que propõe a adoção do princípio in dubio pro reu somente para casos de habeas corpus?
Concordo totalmente com o ministro Fachin. Nesses casos, penso que seria preciso esperar ter o quórum completo para terminar o julgamento.
Ex-integrantes da magistratura devem passar por quarentena antes de se lançar na política, como defende o ministro Toffoli?

Sim. Todo juiz deve passar por essa quarentena. Inclusive, isso já acontece, já existe a quarentena para magistrados que querem ser candidatos ou até para os que queiram se tornar advogados. A lei fixa que, por seis meses após a saída do cargo público, o juiz não pode concorrer a qualquer eleição. Não há razão para ampliar esse prazo e equiparar os juízes a criminosos condenados, por exemplo, por improbidade e corrupção, que ficam inelegíveis por diversos anos.

O Brasil está em segundo lugar no ranking do número de mortes por covid. O que estamos fazendo de errado?
Essa é uma pergunta mais apropriada para médicos e infectologistas. Como leigo, vejo que falta coordenação das políticas necessárias por parte do governo federal, com muita disparidade de mensagens transmitidas à população quanto a medicamentos e medidas sanitárias.
Como será seu trabalho como professor no Uniceub? Qual a sua expectativa?
Já sou professor também na Unicuritiba. O contato com os alunos sempre é gratificante, é um aprendizado de mão dupla, então a expectativa é muito boa. Fico feliz em voltar às salas de aula, mesmo que virtualmente.
Seu nome aparece bem colocado nas pesquisas para a Presidência da República. Pensa em concorrer?
Estou focado em 2020, principalmente no meu reposicionamento profissional. Fui servidor público, com muito orgulho, por mais de duas décadas, preciso agora continuar trabalhando para sustentar minha família. Essa suposta candidatura é mera especulação.
O Brasil vai continuar dividido entre Lula e Bolsonaro, ou vai aparecer um novo nome para as próximas eleições?
Pessoalmente, penso que a polarização política excessiva fomenta ódio e raiva e não ajuda o debate concreto de programas e políticas públicas, mais importante do que slogans, marketing ou ofensas. Acredito que devem aparecer outros nomes fora dos extremos. Espero que apareçam nomes melhores do que esses.
“Ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina”, disse o presidente Bolsonaro. Qual o limite entre a liberdade do cidadão e o direito coletivo à saúde?

Esse assunto foi debatido à exaustão nas primeiras décadas do século 20 e também depois disso. Hoje, a lei já estabelece que o governo pode obrigar. Mas é desejável que o governo faça uma ampla campanha de conscientização para demonstrar a necessidade da vacina aos cidadãos. Isso é fundamental para preservar sua própria saúde, como para não se tornar um transmissor da doença para terceiros.

Como está a reação nas ruas ao senhor?
Muito tranquila. Sou bem tratado pelas pessoas.
O gabinete do ódio dentro e fora das cercanias do Palácio do Planalto trabalha pra desconstruir a sua imagem?
Tenho conhecimento de muitas fake news distribuídas a meu respeito, o que é lamentável. Não posso afirmar de onde vêm. Eu, particularmente, só trabalho com a verdade e penso ser este o primeiro dever de qualquer pessoa pública. Penso que temos sempre que fazer o que é certo.
Hoje o senhor atrai o ódio dos discípulos de Lula e de Bolsonaro. O que sobrou?
O mundo não se resume a esses dois grupos. O Brasil é grande, diversificado e conta com muitas pessoas qualificadas nas mais diferentes ocupações e campos ideológicos.
O governador Wilson Witzel está pagando por se tornar inimigo da família Bolsonaro?

Não conheço detalhes do caso concreto. A maioria da Corte Especial do STJ manteve o afastamento do governador do Rio de Janeiro, e acredito que a decisão tenha tido base nas provas apresentadas.

O Rio tem solução?
O Rio foi a capital do país. É destino de turistas de todo o mundo que vêm visitar o Brasil. A cidade tem uma história rica e um povo aguerrido, trabalhador. Políticas públicas consistentes podem reduzir a violência e melhorar a urbanização e condições de bem-estar da população, que merece um serviço público de melhor qualidade. Mas os eleitores têm que fazer sua parte e escolher bem seus representantes, baseando-se no histórico de vida deles e nos programas.
Qual a sua expectativa sobre a gestão do ministro Fux, que toma posse na próxima semana na presidência do STF?
Tenho uma grande admiração pelo ministro Luiz Fux, que fez carreira na magistratura. Acredito que ele fará uma gestão técnica, equilibrada e discreta, e buscará afastar o Tribunal das questões políticas.
O Congresso está às voltas com a discussão sobre a reforma administrativa, e parece que não vai priorizar a discussão sobre temas defendidos pelo senhor, como a prisão em segunda instância. Como vê esse movimento?
Acredito que deixar essa pauta de lado vai trazer um prejuízo para a população, principalmente a mais vulnerável, já que é ela a maior vítima dos crimes praticados por pessoas poderosas politicamente e economicamente. Para citar um exemplo que tem acontecido durante a pandemia, vejamos o caso das suspeitas de desvios na compra de respiradores. Vão permanecer impunes sem a execução da condenação em segunda instância.

Teste do foguete auxiliar foi realizado em uma área específica localizada em Promontory, no estado do Utah. A viagem será a primeira missão tripulada rumo à lua em 50 anos.

Engenheiros da Nasa (agência aeroespacial norte-americana) testaram um foguete auxiliar que será utilizado para levar astronautas à lua em 2024. O teste foi realizado em uma área específica localizada em Promontory, no estado do Utah. A viagem será a primeira missão tripulada com destino ao satélite natural em 50 anos.

Os foguetes integram o Sistema de Lançamento Espacial (SLS), considerado o maior lançador desde a construção do Saturno V, na década de 1960. Os motores serão responsáveis para fornecer a maior do impulso necessário aos primeiros dois minutos da missão.

Custo da cesta básica aumenta em 13 capitais em agosto, diz Dieese 

O preço da cesta básica aumentou, no mês de agosto, em 13 das 17 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), na comparação com o mês anterior. Em quatro capitais (Curitiba, Brasília, Natal e João Pessoa), o custo da cesta básica diminuiu.

Os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos levam em conta os preços do conjunto de alimentos básicos, necessários para as refeições de uma pessoa adulta – conforme Decreto-Lei 399/38 – durante um mês.

O tempo médio de trabalho necessário para adquirir os produtos da cesta nas capitais pesquisadas, em agosto, foi de 99 horas e 24 minutos, maior do que em julho, quando ficou em 98 horas e 13 minutos.

O Dieese verificou também que o trabalhador comprometeu, em agosto, na média, 48,85% do salário-mínimo líquido – ou seja, após o desconto referente à Previdência Social – para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta. Em julho, o percentual foi de 48,26%.

Cesta mais cara

Entre as capitais analisadas, a cesta básica mais cara foi a de São Paulo, onde o preço médio ficou em R$ 539,95; seguida por Florianópolis, com R$ 530,42. As cestas mais baratas foram as de Aracaju, com preço médio de R$ 398,47; e de João Pessoa, R$ 414,50.

Em São Paulo, houve alta de 2,9% na comparação com julho. No ano de 2020, o preço do conjunto de alimentos aumentou 6,6% e, nos últimos 12 meses, 12,15%. Na cidade de São Paulo, especificamente, o tempo médio de trabalho necessário para adquirir os produtos da cesta, em agosto, foi de 113 horas e 40 minutos, e o valor da cesta corresponde a 55,86% do salário-mínimo líquido.

Com base na cesta mais cara de agosto, que foi a da capital paulista, o Dieese estima que o salário-mínimo necessário para o sustento de uma família de quatro pessoas (dois adultos e duas crianças) deveria ser a R$ 4.536,12, o que corresponde a 4,34 vezes o mínimo vigente de R$ 1.045.

Percentualmente, a maior alta mensal ocorreu em Vitória, com 5,08% de aumento, o que deixou o valor da cesta em R$ 509,45. Considerando a variação no ano de 2020, Salvador teve a maior alta (16,15%), deixando o preço da cesta em R$ 418,72. Já nos últimos 12 meses, a maior alta foi registrada no Recife, um aumento de 21,44%, resultando na cesta de R$ 439,19.

Contas de água e esgoto no Brasil penalizam quem consome menos, diz estudo da UFPB 

Modelo tarifário dificulta acesso de famílias de baixa renda à água tratada e saneamento

água_
O consumo brasileiro médio diário de água por pessoa é de 154,9 litros e está acima do que a ONU considera razoável, que deveria ficar entre 50 e 110 litros por dia.

A pesquisa “Implicações Socioambientais do Modelo Tarifário dos Serviços de Água e Esgoto no Brasil”, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), revela que a estrutura tarifária de saneamento brasileira atual penaliza residências que consomem menos os serviços de água e esgoto.

Os pesquisadores atestaram, no estudo, que o modelo atual traz consequências socioambientais, dificulta o acesso de famílias de baixa renda aos serviços e estimula um consumo desequilibrado.

O estudo foi realizado pelos pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Prodema), Filipe Campos Magalhães e Gustavo Ferreira. Foi avaliada, na pesquisa, a estrutura tarifária residencial de companhias estaduais de saneamento no Brasil.

De acordo com Filipe Magalhães, as taxas das contas de água e esgoto possuem algumas características predominantes. Há tarifas mínimas e multipartes, com faixas de consumo que, diz o pesquisador, teoricamente encarecem a cobrança dos serviços de água e esgoto para quem consome mais.

“Porém, através de pesquisa inédita no Brasil, foi constatado que a estrutura tarifária atual está penalizando as residências que consomem menos. Essas circunstâncias podem provocar sobrecarga da rede e dos mananciais”.

Além disso, o pesquisador da UFPB alerta sobre a constatação da deficiência na prestação dos serviços de água e esgotos. Segundo Filipe, esse fato gera o agravamento de doenças relacionadas ao saneamento inadequado e ligações clandestinas.

Também foi possível evidenciar, na pesquisa da UFPB sobre o modelo atual das taxas, a queda de arrecadação das companhias e a contribuição para a desigualdade socioeconômica.

“A pesquisa abrangeu 25 companhias estaduais e foram coletados dados das estruturas tarifárias residenciais. Simulamos o consumo em quatro níveis: 5m³, 15m³, 25m³ e 30m³. O valor da fatura para cada nível foi dividido pelo volume consumido, resultando no valor proporcional pago por cada metro cúbico”, explica Filipe Magalhães.

O pesquisador da UFPB conta que, por exemplo, na Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o valor de cobrança do metro cúbico para o nível de consumo de 5m³ chega a ser quase o dobro de quem consome 15m³. Fica acima até, enfatiza Filipe, de quem consome 30m³ e isso demostra regressividade de cobrança.

Para viabilizar outro cenário, Magalhães elaborou um modelo sustentável de tarifas nos serviços de água e esgoto. Ele utilizou o “Fator de Ajuste Socioambiental”, que leva em conta condições socioeconômicas e consumo. Além de incentivos para quem consome menos água e cobrança progressiva para quem consome mais água.

Em seu trabalho, o pesquisador da UFPB também alerta que, no Brasil, o consumo médio diário de água por pessoa é de 154,9 litros. Ele afirma que esse valor está “bem acima” do consumo que a Organização das Nações Unidas (ONU) considera razoável: entre 50 e 110 litros diários.

“A pesquisa de Filipe mostrou que a forma tarifária de cobrança da água não é justa. Pessoas com menor poder aquisitivo, e gastam menos água, deveriam ser incentivadas a pagar contas menores. No entanto, elas pagam proporcionalmente e pagam mais do que as outras”, destaca a professora Cristina Crispim, que esteve na banca de defesa do pesquisador da UFPB.

Ascom/UFPB

O Brasil encerrou mais uma semana epidemiológica em altos patamares, com incremento no número de casos, mas queda nos óbitos. Neste sábado (5/6) foram acrescentadas 682 mortes e 30.168 casos ao balanço do Ministério da Saúde, totalizando 126.203 óbitos e 4.123.000 infecções.
A semana epidemiológica 36 encerrou com incremento no número de casos, mas queda nos óbitos. No acumulado dos últimos sete dias foram contabilizadas novas 276.847 infecções, um aumento de quase 5%. Na avaliação das mortes, a diminuição foi de 7,58%, com o registro de 5.741 fatalidades. A média móvel semanal foi de 820 mortes e mais de 39,5 mil casos por dia, patamares considerados altos pelos especialistas.
Atualmente são 22 unidades federativas com a confirmação de mais de mil mortes cada. Quem lidera o ranking negativo é São Paulo, com 31.313 óbitos pelo novo coronavírus, acumulando mais de um quarto das mortes brasileiras. O Rio de Janeiro é o segundo com mais fatalidades, com 16.526 vítimas da covid. Os dois são os únicos estados que têm mais de 10 mil mortes.
Em seguida estão: Ceará (8.565), Pernambuco (7.670), Pará (6.240), Minas Gerais (5.708), Bahia (5.627), Amazonas (3.841), Rio Grande do Sul (3.714), Maranhão (3.499), Paraná (3.537), Goiás (3.450), Espírito Santo (3.242), Mato Grosso (2.893), Distrito Federal (2.700), Paraíba (2.529), Santa Catarina (2.400), Rio Grande do Norte (2.285), Alagoas (1.924), Sergipe (1.885), Piauí (1.884) e Rondônia (1.180). No pé da tabela estão: Mato Grosso do Sul (953), Tocantins (745), Amapá (671), Acre (624), Roraima (598).

Os valores eventualmente mantidos ali não foram declarados à Justiça Eleitoral quando Carlos se candidatou à reeleição na Câmara Municipal do Rio, em 2008.

SÃO PAULO, SP, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) manteve ao menos de 2007 a 2009 um cofre particular para guarda de bens no Banco do Brasil, indicam extratos bancários do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os valores eventualmente mantidos ali não foram declarados à Justiça Eleitoral quando Carlos se candidatou à reeleição na Câmara Municipal do Rio, em 2008. De acordo com as regras do banco da época, os cofres particulares eram destinados à guarda de papéis, moedas, documentos ou joias.

A existência do cofre é indicada em extratos bancários entregues à Justiça de São Paulo pelo próprio vereador num processo em que pede indenização por prejuízos causados por uma corretora em investimentos na Bolsa de Valores.

Foi nesta ação que o vereador declarou ter pago R$ 15,5 mil em dinheiro vivo em junho de 2009 para cobrir prejuízos com o investimento.

Os documentos foram anexados à ação para comprovar as transferências realizadas à corretora. Estão nos autos os extratos de 14 dos 22 meses entre maio de 2007 e fevereiro de 2009. Em todos eles há referência à “tarifa de aluguel de cofre”, que custava mensalmente ao vereador R$ 115 até abril de 2008, quando foi reajustada para R$ 123.

Os papéis não indicam os bens ali guardados e sua avaliação. Os locatários, contudo, são obrigados a declarar o valor do que é mantido no local no termo de adesão –documento que não consta no processo.

No período em que mantinha um cofre, Carlos tinha como único rendimento o salário como vereador, cuja remuneração variou entre R$ 5.500 e R$ 7.000 (ou R$ 11 mil e R$ 13 mil, em valores atualizados).

À Justiça Eleitoral em 2008 ele declarou ter um patrimônio de R$ 260 mil, composto por um apartamento e um carro. Ele não informou nada sobre seus investimentos na Bolsa nem sobre os bens eventualmente guardados no banco. Também não descreveu seu saldo em conta, que variou entre R$ 1.300 e R$ 32 mil no ano do pleito.

Carlos não foi o único integrante da família Bolsonaro a manter um cofre no banco. A ex-mulher do presidente, Ana Cristina Siqueira Valle, alugou o serviço ao menos entre 2005 e 2007, período em que vivia com Bolsonaro.

Ela declarou à polícia em 2007, quando notou um arrombamento do cofre, que havia no local R$ 200 mil e US$ 30 mil em espécie, além de joias avaliadas em R$ 600 mil. Até abril de 2008, Valle era chefe de gabinete de Carlos na Câmara Municipal.

A revista Veja revelou em outubro de 2018 que, na ocasião, ela atribuiu o roubo a Bolsonaro, de quem estava se separando em processo litigioso. A acusação contra o presidente, porém, não foi registrada na polícia.

O cofre de Ana Cristina ficava na agência do Banco do Brasil na rua Senador Dantas, a 250 metros da Câmara Municipal. Ela também mantinha um escritório de advocacia próximo ao local. Os extratos não permitem identificar onde ficava o de Carlos –a agência em que tinha conta também ficava no centro da cidade, a cerca de 500 metros da sede do Legislativo municipal.

O uso de cofre já foi mencionado em casos de corrupção como forma de ocultar dinheiro ilegal. Um dos delatores da Lava Jato chegou a processar um banco após um roubo numa agência onde mantinha cerca de R$ 8 milhões em notas de euro e dólar. O ex-governador do Rio Sérgio Cabral manteve em cofres na Suíça barras de ouro e diamantes.

Carlos é alvo de investigação no Ministério Público do Rio de Janeiro sob suspeita de empregar funcionários fantasmas na Câmara Municipal.

Investigadores acreditam que havia no gabinete do vereador um esquema semelhante ao da “rachadinha” que a Promotoria aponta entre ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A prática conta, em alguns casos, com circulação e acumulação de dinheiro vivo.

Uma das estratégias usadas para alimentar o esquema, segundo o MP-RJ, é justamente o emprego de funcionários fantasmas. No gabinete de Flávio, diz a investigação, esses servidores devolviam seus salários a Fabrício Queiroz, apontado como operador financeiro.

A devolução ocorria por transferências ou saques e depósitos subsequentes na conta de Queiroz. Outra modalidade, suspeita o MP-RJ, era o saque do salário da conta do assessor e entrega em mãos ao suposto operador financeiro. Esta modalidade, porém, não deixa registros bancários, dificultando a investigação.

O jornal O Globo revelou na última quarta-feira (2) que um dos ex-assessores de Carlos sacava quase a totalidade de seus vencimentos na Câmara Municipal. Trata-se de Márcio Gerbatim, ex-marido de Márcia Aguiar, mulher de Queiroz.

Os dados constam da quebra de sigilo bancário feita na investigação contra Flávio, que atingiu todos seus ex-assessores no período de janeiro de 2007 e dezembro de 2018. Neste 12 anos, Gerbatim foi funcionário do vereador (abril de 2008 a abril de 2010) e do senador (abril de 2010 a maio de 2011), motivo pelo qual foi possível verificar sua movimentação financeira obtida na Câmara Municipal.

A prática de saques é a mesma de outros ex-assessores de Flávio investigados. Entre eles estão nove parentes da ex-mulher do presidente, Ana Cristina. O grupo sacou, em média, 84% dos seus salários recebidos na Assembleia.

Os promotores afirmam que este dado corrobora informação publicada pela revista Época segundo a qual alguns parentes de Ana Cristina Valle devolviam até 90% de seus salários a Flávio.

Carlos empregou em seu gabinete na Câmara sete parentes de Valle, além da própria ex-mulher do presidente. Ela também é investigada no procedimento contra o vereador.

A defesa de Carlos não se pronunciou sobre a existência do cofre.

Em relação aos saques de seu ex-assessor, o vereador disse, em suas redes sociais, que “a pessoa sacar seu salário nunca foi crime”.

“Fato ocorrido há 10 anos! A narrativa destes é tão normal quanto dizer que homem pode ser mulher se quiser! O objetivo sempre foi um só: atingir o presidente!”, escreveu o vereador.

 

 

O Estado divulgou neste sábado (5) a 7ª avaliação do Plano Novo Normal, a qual indica as recomendações para os 223 municípios paraibanos a serem tomadas a partir da segunda-feira (7).

A Paraíba avançou na flexibilização e teve aumento de municípios com bandeira verde. O Estado divulgou neste sábado (5) a 7ª avaliação do Plano Novo Normal, a qual indica as recomendações para os 223 municípios paraibanos a serem tomadas a partir da segunda-feira (7).

A análise mostra que a Paraíba permanece estável, porém destaca uma discreta diminuição dos municípios na bandeira amarela e um pequeno aumento no quantitativo de bandeiras verdes. As recomendações quanto à sustentação das medidas preventivas para impedir o aumento do número de casos e de óbitos em todo Estado permanecem vigentes e estão disponíveis na página oficial do Governo do Estado.

O levantamento aponta que 22 (10%) municípios encontram-se em bandeira laranja, 187 (84%) estão em bandeira amarela, 14 (6%) com a classificação verde e nenhum está na condição vermelha. Dos municípios com a classificação de bandeira amarela, observou-se uma redução de 3% em relação ao levantamento anterior. É possível constatar transições de alguns municípios sendo 6 da bandeira verde para a bandeira amarela e 3 municípios da bandeira laranja para a bandeira amarela. Outros 6 municípios transitaram da bandeira amarela para a bandeira laranja. Outros 9 municípios transitaram da bandeira amarela para a bandeira verde, que demonstrou o crescimento de 2% entre os municípios paraibanos.

João Pessoa, Campina Grande, Catolé do Rocha, Capim, Pombal, Piancó, São Bento, Serra Branca e Umbuzeiro estão na classificação de bandeira amarela. Dentre os municípios que estão em bandeira verde figuram: Belém do Brejo do Cruz, Bernardino Batista, Lagoa, Parari, São José da Lagoa Tapada, Serra Grande, Tenório, Tacima e Zabelê. Já entre os municípios que estão sob a bandeira laranja estão Bayeux, Cachoeira dos Índios, Cuité de Mamanguape, Cruz do Espírito Santo, Fagundes, Santa Rita, Manaíra, Prata, Princesa Isabel, Sapé, Uiraúna.

É importante lembrar que as retomadas devem ocorrer preferencialmente de acordo com os protocolos definidos pelas Secretaria de Estado da Saúde (SES), que disponibiliza um conjunto de protocolos destinado à prevenção da Covid-19.

Ministro do STJ decreta prisão preventiva de Pastor Everaldo

Everaldo foi detido no último dia 28, durante a Operação Tris in Idem. Inicialmente, o ministro havia determinado sua prisão temporária (de cinco dias).

Pastor Everaldo teve prisão preventiva decretada (Foto: Reprodução)

 O ministro Benedito Gonçalves, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), decretou nesta sexta-feira (4) a prisão preventiva de Pastor Everaldo, presidente nacional do PSC, suspeito de participar do suposto esquema de corrupção que ensejou o afastamento do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC).

Everaldo foi detido no último dia 28, durante a Operação Tris in Idem. Inicialmente, o ministro havia determinado sua prisão temporária (de cinco dias). Agora, com a conversão em preventiva, não há prazo para que ele seja solto.

A medida foi tomada a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), que indicou indícios de que os crimes praticados pelo pastor são graves e contemporâneos. A decisão do ministro está em sigilo, mas foi confirmada pelo STJ.

A reportagem não conseguiu neste sábado (5) contato com a defesa de Everaldo. Em nota divulgada no dia da operação, a assessoria do pastor disse que ele foi surpreendido com a ação e que “reitera sua confiança na Justiça”.

Artífice da candidatura de Witzel, Everaldo é suspeito de integrar um dos núcleos criminosos investigados. Segundo a PGR, ele instituiu uma caixinha única no governo, com a cobrança de pedágio no pagamento a fornecedores do estado. Uma das suspeitas está em pagamentos em espécie, como o uso de dinheiro vivo, na compra de um imóvel avaliado em R$ 2 milhões.

Em sua delação, o ex-secretário de Saúde Edmar Santos conta que Witzel deu R$ 15 mil nas mãos de Everaldo, um dia antes da Operação Placebo, em uma suposta tentativa de impedir que investigadores encontrassem o dinheiro.

Santos também afirmou que Everaldo recebia 20% dos recursos desviados na área de saúde. Segundo investigadores, o pastor “age em sofisticada teia de relações que envolve muitas pessoas físicas e jurídicas”.

Além de decretar a prisão preventiva do presidente do PSC, o ministro Benedito Gonçalves mandou soltar alvos da Operação Mercadores do Caos, deflagrada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para apurar possíveis desvios na saúde. Entre os beneficiados, está o ex-secretário de Saúde do Rio Gabriell Neves.

 

Acusado de estupro com repercussão nacional em SP é preso em Carnaíba

O serviço de inteligência do 23° BPM em conjunto com o serviço de inteligência do 14° BPM, a polícia chegou a um acusado de estupro com repercussão nacional em 2012.

Marcos Vilanes de Oliveira, 60 anos, casado, natural de Belo Jardim, estava na cidade de Carnaíba, na Rua Padre Cícero, sem número, bairro Bela Vista.

Ele tem em seu desfavor um mandado de prisão do processo n° 0112300-32.2012.8.26.0050, pelo crime de estupro,  que teve repercussão a nível nacional com reportagens em rede de televisão, como o programa de Datena.

Após cometer o crime de estupro no estado de São Paulo no ano de 2012, foragiu para o estado de Pernambuco, para o município de Belo Jardim.

Com medo de ser descoberto se escondeu no município de Carnaíba sendo identificado, localizado e preso no dia de hoje, e apresentado na DP de Afogados da Ingazeira,  através do B.O n° M-11558464/2020-23° BPM.

A Frente Popular de Afogados da Ingazeira promoverá a sua convenção partidária no próximo dia 15 de Setembro.
O objetivo é escolher os candidatos a Prefeito e Vice-Prefeito, nas eleições majoritárias, assim como os candidatos a vereador, nas eleições proporcionais, previstas para ocorrer em 15 de Novembro.
A Frente Popular reúne seis partidos: Partido Socialista Brasileiro (PSB), Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Partido Democrático
Trabalhista (PDT), Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Verde (PV) e Partido Social Democrático (PSD). 
A convenção será realizada virtualmente, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), com início às 16h e previsão de término às 22h.

A Lava-Jato fechou dois acordos de não persecução penal para recuperar R$ 150 milhões no âmbito da Operação Câmbio, Desligo, que mirou “grandioso esquema” de movimentação de US$ 1,6 bilhão de recursos ilícitos no Brasil e no exterior por meio de dólar-cabo, operação que burla mecanismos de fiscalização financeira.

Os valores são referentes a multas por crimes de sonegação fiscal e evasão de divisas cometidos por dois empresários e uma herdeira que eram clientes dos doleiros Vinícius Claret (Juca Bala), Cláudio de Souza (Tony) e do “doleiro dos doleiros” Dario Messer.

O trio era beneficiário de quatro empresas offshores mantidas ilegalmente. Eles confessaram os crimes e descreveram as circunstâncias em que recorreram aos “serviços” dos doleiros. As contas foram descobertas durante as investigações da Câmbio, Desligo e nas delações premiadas de Juca Bala e Tony.

O sistema dos doleiros contava com mais de 3 mil empresas offshores, sediadas e com contas bancárias em mais de 50 países. As investigações foram aprofundadas por meio de procedimentos de cooperação jurídica internacional com os países nos quais são sediadas as empresas ou em que elas têm contas bancárias.

Os acordos de não persecução penal já foram homologados pela 7ª Vara Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro.

Um dos termos é referente a uma dupla de empresários que admitiram ter remetido ilicitamente valores ao exterior – a maior parte nas décadas de 1980 e 1990, mas se estendendo até 2012. Os valores eram referentes à sonegação de impostos de sua empresa, que atuava no setor de impressões industriais.

 

Afogados registra mais um caso positivo e uma cura para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que neste sábado (05), foi detectado 01 novo caso de covid-19 em nosso município. O mesmo já estava em investigação. 
O caso novo é o de uma paciente do sexo feminino, 81 anos, aposentada. 
Um novo caso entra em investigação. Trata-se de uma paciente do sexo feminino, 41 anos. 
Hoje tivemos 32 casos descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. 
Neste sábado, 01 paciente apresentou cura após avaliação clínica e epidemiológica. Já são 410 (79,30%) recuperados para covid-19 em nosso município. Atualmente, 97 casos estão ativos em Afogados da Ingazeira.
Hoje o município atingiu a marca de 3.228 pessoas testadas para a covid-19.

Aprovados em concurso da Polícia Militar de Pernambuco devem ser convocados em 2021

Foto: reprodução

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, afirmou, nesta sexta-feira (04), que há uma expectativa de convocar candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar de Pernambuco no início de 2021. Segundo ele, o cronograma previa que isso acontecesse em agosto deste ano, mas a pandemia do novo coronavírus impediu.

“Hoje existe uma proibição de convocação de candidatos, porque a gente precisa estabelecer protocolos em academias de cursos de instrução. Não dá para fazer uma academia virtual. Quero crer que em janeiro seria nossa data máxima para a convocação”, disse Pádua. A declaração foi dada em uma live comandada pelo jornalista Romoaldo de Souza, da Rádio Jornal.

Segundo o secretário, há cerca de 1,5 mil candidatos da PM aguardando a convocação. Aprovados no concurso da Polícia Civil também devem ser chamados para o curso de formação. Há 140 aprovados no cargo de delegado à espera.

Atualmente, Pernambuco conta com pouco mais de 17 mil policiais militares na ativa, segundo o Portal da Transparência. O ideal, no entanto, é que o efetivo fosse superior a 26 mil profissionais nas ruas.

STJ converte em preventiva a prisão de empresário considerado o ‘homem do dinheiro’ na operação que afastou Witzel

O empresário chegou a ficar foragido por três dias, desde a prisão, em 28 de agosto, do Pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC, e outras oito pessoas.

O diferencial de José Carlos era sempre possuir dinheiro em espécie. (Foto: Reprodução)

O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), transformou em preventiva a prisão do empresário José Carlos de Melo, apontado pela Procuradoria-Geral da República como um dos integrantes da organização criminosa revelada na Operação Tris in Idem, que levou ao afastamento do governador Wilson Witzel (PSC).

Segundo a denúncia, José Carlos de Melo – que está preso desde segunda-feira (31), quando se entregou à Polícia Federal – seria o “homem do dinheiro” do grupo.

O empresário chegou a ficar foragido por três dias, desde a prisão, em 28 de agosto, do Pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC, e outras oito pessoas.

Nesta sexta-feira (4), em outra decisão, o ministro Benedito Gonçalves já havia convertido de temporária para preventiva a prisão de Pastor Everaldo. Gonçalves atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República.

José Carlos de Melo e os outros presos foram citados na delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos.

Além de ser considerado o homem do dinheiro, ele já foi pró-reitor da Universidade Iguaçu (Unig). Segundo as denúncias do MPF, o empresário seria chefe de um dos três grupos que disputavam poder e obtinham vantagens ilícitas dentro do governo.

O diferencial de José Carlos era sempre possuir dinheiro em espécie. De acordo com a delação de Edmar Santos, ele agenciava as empresas que prestariam serviço para a pasta, recebendo valores em função essa intermediação.

Cartão de R$ 20 mil
Em julho do ano passado, Edmar Santos afirmou que se queixou da dificuldade de receber propina em uma reunião com Edson Torres e Victor Hugo Cavalcante, o doleiro do Pastor Everaldo.

O resultado da reunião foi um “presente”: um cartão de crédito com limite mensal de R$ 20 mil para Edmar Santos gastar como quisesse.

O ex-secretário afirma que outras pessoas também usavam cartão semelhante, como Edson Torres e o secretário estadual das cidades, Juarez Filho, que teria até lhe mostrado o cartão.

Ainda de acordo com a delação, Edmar Santos recebeu duas vezes R$ 300 mil oferecidos a ele por José Carlos de Melo, apontado como chefe de um dos núcleos da organização criminosa.

Da primeira vez, Edmar Santos levou o dinheiro em uma mochila de José Carlos — e depois foi cobrado a devolvê-la. A outra, teria sido entregue em duas parcelas: uma por Carlos Frederico Loretti, o operador financeiro de José Carlos, e outra por Claudio Marcelo, que teria sido o responsável de guardar os valores em um cofre em Portugal.

Ironia dodestino: Médico criador do ‘Kit Covid’ morre após 45 dias internado com a doença

Guido Céspedes ficou conhecido por criar o “Kit Covid-19”, que continha medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina

Por: Luiz Philippe Tassy/Correio Braziliense

O médico Guido Céspedes, de 46 anos, morreu vítima de coronavírus em Sinop, cidade a 479 km de Cuiabá. Ele estava internado havia mais de um mês em uma unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sinop.

O profissional de saúde ficou conhecido por criar e protocolar o ‘Kit Covid-19’ em Sinop, que era composto por medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina, zinco, ivermectina, AAs e ibuprofeno.

O estado de saúde do médico foi agravado por comorbidades e ele não acabou resistindo, na última quarta-feira (2/9). Guido tinha um histórico de diabetes, sobrepeso e pressão alta. Ele era um dos profissionais de saúde que mais atuavam na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Em nota nas redes sociais, a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, lamentou a morte do médico.

“Depois de alguns meses de luta, o médico Guido Céspedes veio a falecer esta tarde. Um servidor dedicado, corajoso que fez muito por todos nós. Na linha de frente, assinou o protocolo do Kit Covid e deu o seu melhor ao nosso município. Neste momento de dor, me solidarizo com a família e deixo aqui um abraço apertado.”, escreveu a prefeita.

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) também lamentou a perda do profissional.

“O Corpo de Conselheiros do Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso (CRM-MT) recebeu com bastante pesar a notícia do falecimento do médico Guido Vaca Cespedes, na tarde desta quarta-feira (02), em Sinop”, declara a nota.

Mil pessoas protestaram, neste sábado (5), no centro de Roma contra a obrigação de vacinar crianças em idade escolar ou usar máscara em meio à pandemia de coronavírus.
“Não à obrigação de vacinar, sim à liberdade de escolha”, “não às máscaras nas escolas, não ao distanciamento”, “a liberdade pessoal é inviolável” e “viva a liberdade”, eram alguns dos slogans nos cartazes.
A maioria dos participantes não usava máscara, confirmou a AFP.
Um deles carregava uma foto do papa Francisco com a palavra Satã escrita, bem como a cifra 666, considerada um símbolo do diabo.
O chefe do governo italiano, Giuseppe Conte, havia expressado sua posição dias antes desta reunião de militantes antivacinas: “mais de 274.000 doentes e 35.000 mortos [pelo coronavírus]. Ponto final”.
Conte expressou sua esperança de que o outono não leve a um novo confinamento geral, mas apenas a “intervenções específicas” quando necessário.

Explosão de gás mata 16 pessoas em mesquita em Bangladesh

Pelo menos 16 pessoas morreram em uma explosão de gás em uma mesquita na capital de Bangladesh, informou a polícia neste sábado (5).
Os fiéis estavam na oração de sexta-feira, quando as chamas causadas pela deflagração se espalharam pela mesquita no distrito central de Narayanganj, anunciaram os serviços de emergência. 
Os investigadores suspeitam que uma faísca no sistema de ar condicionado causada por uma queda de energia tenha sido a causa da explosão de gás.
“Houve um vazamento de gás na mesquita”, disse o chefe dos bombeiros de Narayanganj, Abdullah Al Arefin, à AFP.
“Quando fecharam as janelas e portas e ligaram o ar condicionado, houve uma faísca que causou a explosão dentro da mesquita”, explicou.
Os mortos estão entre as 37 pessoas transferidas para o hospital de queimados de Daca em estado crítico, disse a porta-voz do centro, Samanta Lal Sen, acrescentando que todos sofreram queimaduras em 70-80% do corpo. 
Pelo menos 45 pessoas ficaram feridas na explosão e testemunhas relataram cheiro de gás na área afetada.
Em Bangladesh, as construções muitas vezes violam as normas de segurança, com centenas de pessoas morrendo a cada ano neste país de 168 milhões de habitantes. 
Em fevereiro do ano passado, em um antigo bairro da capital, 78 pessoas morreram em um incêndio e um mês depois, 25 perderam a vida em outro incêndio declarado em um prédio comercial.
A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, neste sábado (5), 731 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 37 (5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os outros 694 (95%) são leves, ou seja, pacientes que não demandaram internamento hospitalar. Agora, Pernambuco totaliza 131.961 casos confirmados, sendo 25.502 graves e 106.459 leves.
Também foram confirmados 25 óbitos, ocorridos desde o dia 2 de junho. Do total de mortes do informe de hoje, 5 (20%) ocorreram neste mês de setembro, sendo três registradas em 2 setembro e duas no dia 1° de setembro. As outras 20 mortes (80%) ocorreram entre os dias 2 de junho e 31 de agosto. Com isso, o Estado totaliza 7.670 óbitos pela Covid-19. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde.

STF terá perfil progressista até pelo menos 2029; veja histórico de votos


Por
Leonardo Desideri
Brasília

Plenário do STF.| Foto: Rosinei Coutinho/STF
Ouça este conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro poderá indicar um novo ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF) em novembro, que ocupará o lugar do decano Celso de Mello. No atual mandato, ele ainda será responsável pela nomeação de um segundo novo ministro, para substituir Marco Aurélio Mello, em julho de 2021.

Bolsonaro já manifestou sua intenção de indicar ministros com tendência conservadora e fazer a balança pender um pouco menos para o progressismo em pautas de costumes, em um tribunal que hoje é dominado por esse viés. Mesmo que o presidente cumpra sua promessa, o caminho para montar um STF com maioria conservadora deverá ser longo.

Se todos os indicados daqui para frente forem juristas com viés conservador, provavelmente será necessário esperar quase uma década – até abril de 2029 – para que seis dos onze ministros tenham esse tipo de posicionamento em pautas de costumes, tais como defesa da vida, descriminalização das drogas e ideologia de gênero.

Dos ministros que estão no tribunal hoje, nenhum tem tendência claramente conservadora. O que mais se aproxima disso é Ricardo Lewandowski – que, ainda assim, tem um histórico de votos ambíguo: foi contra a criminalização da homofobia em 2019 e contra o aborto de anencéfalos em 2012, mas a favor de pesquisas com células-tronco embrionárias em 2008 (apresentando algumas ressalvas) e a favor do reconhecimento da união estável homoafetiva em 2011 (também com ressalvas). De qualquer forma, resta pouco tempo para Lewandowski no STF: ele é o terceiro na lista dos futuros aposentados, com saída prevista para maio de 2023.

Depois dele, seguem três ministros com viés progressista (permissivo nos costumes): Rosa Weber, que deverá se aposentar em outubro de 2023, Luiz Fux, que deverá permanecer no STF até abril de 2028, e Cármen Lúcia, que deverá deixar o cargo em abril de 2029.

VEJA TAMBÉM:
Como pensa Fux, novo presidente do STF, sobre 6 pautas de costumes
O aborto e o ativismo no STF
Drogas, STF e ativismo judicial
Como votaram os atuais ministros em algumas pautas de costumes
Pesquisas com células-tronco embrionária (2008)

Celso de Mello: a favor
Marco Aurélio: a favor
Ricardo Lewandowski: a favor
Cármen Lúcia: a favor
Gilmar Mendes: a favor
Rosa Weber: não era membro
Luiz Fux: não era membro
Edson Fachin: não era membro
Roberto Barroso: não era membro
Dias Toffoli: não era membro
Alexandre de Moraes: não era membro

Reconhecimento da união estável homoafetiva (2011)

Celso de Mello: a favor
Marco Aurélio: a favor
Ricardo Lewandowski: a favor
Rosa Weber: não era membro
Luiz Fux: a favor
Cármen Lúcia: a favor
Gilmar Mendes: a favor
Edson Fachin: não era membro
Roberto Barroso: não era membro
Dias Toffoli: não era membro
Alexandre de Moraes: não era membro

Aborto de anencéfalos (2012)

Celso de Mello: a favor
Marco Aurélio: a favor
Ricardo Lewandowski: contra
Rosa Weber: a favor
Luiz Fux: a favor
Cármen Lúcia: a favor
Gilmar Mendes: a favor
Edson Fachin: não era membro
Roberto Barroso: não era membro
Dias Toffoli: não era membro
Alexandre de Moraes: não era membro

Criminalização da homofobia (2019)

Celso de Mello: a favor
Marco Aurélio: contra
Ricardo Lewandowski: contra
Rosa Weber: a favor
Luiz Fux: a favor
Cármen Lúcia: a favor
Gilmar Mendes: a favor
Edson Fachin: a favor
Roberto Barroso: a favor
Dias Toffoli: contra
Alexandre de Moraes: a favor

Proibição da ideologia de gênero em escolas (2020)

Celso de Mello: contra
Marco Aurélio: contra
Ricardo Lewandowski: contra
Rosa Weber: contra
Luiz Fux: contra
Cármen Lúcia: contra
Gilmar Mendes: contra
Edson Fachin: contra
Roberto Barroso: contra
Dias Toffoli: contra
Alexandre de Moraes: contra
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/tempo-minimo-stf-deixar-maioria-progressista/
 Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Em seu governo, Bolsonaro chegou a provocar tensão entre os Poderes com ataques a decisões do Supremo.

Bolsonaro afirmou ainda que “ordens absurdas não se cumprem” e que “temos que botar limites”. (Foto: Reprodução)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, afirmou nesta sexta-feira (4) não ter visto em nenhum momento alguma atitude do presidente Jair Bolsonaro ou de seus ministros contrárias ao regime democrático.

“De todo relacionamento que tive com o presidente Jair Bolsonaro e com seus ministros de Estado, nunca vi da parte deles nenhuma atitude contra a democracia. Meu diálogo com ele sempre foi direto, sempre foi franco, sempre foi respeitoso”, afirmou.

“Tive um diálogo com ele intenso no sentido de manter a independência entre os Poderes e fazer ele compreender que cabe ao Supremo declarar inconstitucionais determinadas normas, porque essa é nossa função e a dele é respeitar — e ele respeitou ao fim e ao cabo”, completou Toffoli.

A declaração foi dada em entrevista de balanço da sua gestão à frente do STF e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Na próxima quinta-feira (10), Toffoli deixará o posto e dará lugar ao ministro Luiz Fux no comando do Supremo.

Em seu governo, Bolsonaro chegou a provocar tensão entre os Poderes com ataques a decisões do Supremo.

Após uma operação ordenada pela corte ter atingido empresários, políticos e ativistas bolsonaristas, o presidente chegou a dizer: “Não teremos outro dia como ontem, chega”.

Bolsonaro afirmou ainda que “ordens absurdas não se cumprem” e que “temos que botar limites”.

Esse e outros ataques do presidente da República já foram criticados por ministros do STF. O próprio Dias Toffoli afirmou em junho que ações de Bolsonaro e de seu governo tinham “trazido dubiedades que impressionam e assustam não só a sociedade brasileira, mas também a comunidade internacional”.

Nesta sexta, Toffoli elogiou Bolsonaro pela demissão do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, que afirmou na reunião ministerial de 22 de abril que, por ele, mandaria prender todos integrantes do Supremo.

“Não podemos deixar as nossas instituições caírem. E a nossa reação foi, não só do STF, foi do Congresso, foi de integrantes do governo, e o próprio presidente fez troca de ministros que diziam que era necessário prender ministros do Supremo. Mandou embora, demitiu”, destacou.

Nesse sentido, Toffoli ressaltou a importância do inquérito das fake news. Segundo ele, há movimentos, não só Brasil, que querem ver o caos e o descrédito das instituições.

O presidente do STF também afirmou nesta sexta que a Lava Jato escolhe quem vai investigar e deixa apurações na gaveta para fazer vazamento de informações com interesse político.

O ministro disse a operação só existiu por causa do Supremo, mas ressaltou que em alguns momentos a corte toma decisões que contrariam os investigadores para proteger a Constituição e garantias individuais.

“O que não se pode ter é abuso, o que não se pode ter é escolher quem você vai investigar e deixar investigações na gaveta que deveriam sair ou então deixar investigações na gaveta para que, conforme a pessoa alce um cargo, ela seja vazada para imprensa.”

Toffoli ressaltou a importância da imprensa e frisou que os jornalistas cumprem seu papel ao noticiar informações sigilosas vazadas por investigadores. Ele afirmou, no entanto, que se tratam de vazamentos com nítido “interesse político e não institucional”.

“Não haveria Lava Jato se não houvesse o STF. Se houve uma ou outra decisão residual contrária, é porque entendeu-se que houve a ultrapassagem dos limites da Constituição.”

Toffoli citou a “dramaticidade de ser juiz” ao falar sobre a decisão de suspender as investigações de primeira instância contra o senador José Serra (PSDB-SP). “Não são decisões fáceis, a gente sabe que vai ser criticado, mas como dizer que ali não estaria havendo um avanço no período do mandato dele?”

O ministro também classificou a abertura do inquérito das fake news, que apura uma rede de disseminação de notícias falsas e ataques a ministros do Supremo, como a decisão “mais difícil” de sua gestão.

A investigação foi criticada por ter sido instaurada sem provocação da PGR (Procuradoria-Geral da República) e porque Toffoli indicou o ministro Alexandre de Moraes como relator sem realização de sorteio, como geralmente ocorre.

Foi neste inquérito, por exemplo, que Moraes mandou tirar do ar uma reportagem da revista Crusoé que envolvia Toffoli.

“Em julgamento histórico em junho passado, o inquérito foi declarado constitucional, reafirmando a imprescindibilidade de um Judiciário forte e independente.”

Após mirar aliados do presidente Jair Bolsonaro, a apuração foi criticada pela base do governo porque violaria a liberdade de expressão.

Na entrevista desta sexta-feira, porém, Toffoli afirmou que o Supremo, na sua gestão, tomou diversas decisões para preservar a liberdade de expressão da população.

Como exemplo, citou o julgamento que permitiu a livre circulação de ideias nas universidades e a revogação da decisão que permitia a apreensão de livros que tratavam do tema da homossexualidade na Bienal do Livro do Rio de Janeiro.

O ministro criticou também o fato de não ter havido desde o início da pandemia do novo coronavírus uma cooperação entre os três Poderes e os demais entes da Federação.

“Infelizmente, não sei por qual razões, essa coordenação demorou a sair. E saiu hoje. Hoje já tem uma coordenação mais efetiva, mas deveria ter saído antes”, disse.

Chamada de CoronaVac, a vacina chinesa está em fase 3 de testes clínicos, inclusive sendo testada com cerca de 9.000 voluntários no Brasil.

O governo de São Paulo fez um acordo com a farmacêutica Sinovac para transferência de tecnologia e produção da vacina junto com o Instituto Butantan no país. (Foto: Reprodução)

 A China aprovou no final de agosto a vacina contra o coronavírus da fabricante Sinovac para uso emergencial em profissionais de saúde, sujeitos a maior risco para contaminação da Covid-19.

Chamada de CoronaVac, a vacina chinesa está em fase 3 de testes clínicos, inclusive sendo testada com cerca de 9.000 voluntários no Brasil. O governo de São Paulo fez um acordo com a farmacêutica Sinovac para transferência de tecnologia e produção da vacina junto com o Instituto Butantan no país.

A informação sobre a aprovação na China foi divulgada no último dia 28 de agosto pela agência de notícias Reuters em Pequim, que ouviu uma fonte próxima à farmacêutica.

Os resultados das fases 1 e 2 da vacina já mostraram bons resultados, com uma proteção acima de 97% após 28 dias. Foram avaliadas 148 pessoas entre 18 e 59 anos na fase 1 e mais 600 pessoas na fase 2. Os efeitos adversos reportados foram brandos. Não houve nenhum efeito colateral grave que pudesse indicar uma possível falha na segurança da vacina.

O estudo randomizado e duplo-cego contou com duas doses do imunizante, uma no primeiro dia de testes e outra 14 dias após. A quantidade de anticorpos no organismo foi medida 14 dias após cada dose.

Uma boa notícia é que a vacina induziu à produção de anticorpos neutralizantes, cuja função é justamente impedir a entrada do vírus nas células, sugerindo que a vacina pode ser eficaz em conter a infecção, não apenas o desenvolvimento da doença.

Os autores, no entanto, afirmam ser necessário aguardar os resultados da fase 3 para ter certeza da eficácia do imunizante.

A CoronaVac é feita a partir de vírus inativados. A ideia é modificar o Sars-CoV-2 tornando-o não infectante. Os cientistas inserem o coronavírus em células Vero – linhagem de células comumente utilizadas em culturas microbiológicas, sintetizadas a partir de células isoladas dos rins de uma espécie de macaco na década de 60 e usadas até hoje – para multiplica-lo em laboratório. A partir daí, o vírus é inativado e incorporado na vacina.

A produção de vacina com o vírus total inativado é semelhante à utilizada para a produção da vacina da raiva. Esse tipo de vacina, porém, necessita de grandes testes de segurança. A fase 3 que está em andamento no Brasil deve prosseguir por, no mínimo, seis meses.

Segundo o diretor do Instituto Butantan Dimas Tadeu Covas, caso os resultados da fase 3 sejam favoráveis a intenção é começar a vacinação já em janeiro.
O Butantan, que pretende produzir 120 milhões de doses até 2021, enfrentará um obstáculo logístico: a CoronaVac necessitade duas doses para imunização. Ou seja, o total produzido poderá atender 60 milhões de pessoas, menos de 1/3 da população do país.

Além da Sinovac, outras duas grandes farmacêuticas chinesas já possuem vacinas com uso restrito aprovado. A primeira a receber a aprovação foi a CanSino em julho, cuja vacina, feita a partir de adenovírus, tecnologia similar à da vacina da Oxford e AstraZeneca, foi aprovada para uso em militares no país.

A vacina da CanSino está atualmente desenvolvendo a fase 3 de ensaios clínicos na Arábia Saudita.

A gigante farmacêutica estatal Sinopharm, por meio do Grupo Nacional Chinês de Biotecnologia (CNBG, na sigla em inglês), também anunciou que teve autorização para o uso emergencial de uma de suas candidatas à vacina contra o coronavírus em estudo, segundo divulgou em redes sociais no último domingo (30).

A CNBG tem duas candidatas à vacina em fase 3 de ensaios, mas não divulgou qual das duas teve o uso aprovado.

Segundoa agência Xinhua, o governo chinês tem aprovado vacinas para uso emergencial como medida de bloquear possíveis novos surtos de Covid-19 durante o outono e inverno. O governo, no entanto, não divulgou maiores informações sobre como essas vacinações ocorrerão e a quantidade de pessoas a ser vacinada.

Arcoverde registra 22 confirmados, 38 curados, um óbito e divulga boletim geral da Covid-19

Arcoverde registra 22 confirmados, 38 curados, um óbito e divulga boletim geral da Covid-19

A Secretaria de Saúde de Arcoverde informa que, nesta sexta-feira, 04 de setembro, até às 18 horas, foram registrados mais vinte e dois (22) casos confirmados de Covid-19, além de trinta e oito (38) curados e um (01) óbito. O boletim diário, portanto, fica com quatrocentos e vinte e nove (429) suspeitos, dois mil quinhentos e vinte e um (2.521) descartados, mil cento e noventa (1.190) confirmados, quarenta e quatro (44) óbitos, e novecentos e cinquenta e um (951) recuperados.
A repartição ressalta que a taxa de recuperação dos confirmados atualmente é de 74,25%, enquanto que a taxa de letalidade está em 3,52%. Estão sendo testadas aproximadamente 100 pessoas por dia. Arcoverde está tendo nos resultados de testagens promovidas, o seu maior número de casos positivos.
Vale lembrar, que dentro dos 1.190 casos confirmados, estão contabilizados os 44 óbitos e 951 curados. No total, a cidade tem quatro (04) pacientes em UTI e cinco (05) em enfermaria.
No Hospital Regional Ruy de Barros Correia, há três (03) pacientes de Arcoverde na UTI e três (03) na enfermaria. No Hospital de Campanha há dois (02) internados. No Hospital Memorial Arcoverde há um (01) paciente na UTI.
Nas barreiras sanitárias das entradas da cidade foram abordados 1.282 carros de fora.
Boletim Geral – De acordo com o balanço geral dos dados de Covid-19, Arcoverde tem 4.140 notificações do Coronavírus, o que significa o total de pessoas suspeitas, desde a investigação até o descarte ou confirmação.
Dos 1.190 casos confirmados, 670 são mulheres e 520 são homens. Já dos 44 óbitos, 17 casos são de mulheres e 27 são de homens.
Confira o mapeamento pelos bairros da cidade e outros detalhes em nosso site.

Afogados registra 09 novos casos positivos e 6 curas para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta sexta (04) tivemos o registro de 09 casos positivos para covid-19 em nosso município. Desses, 06 já estavam em investigação. 
São 05 pacientes do sexo feminino (18, 33, 33, 39 e 68 anos) e 04 pacientes do sexo masculino (19, 26, 39 e 53 anos). Entre as mulheres, 01 dona de casa, 01 aposentada, 01 aux. administrativo, 01 promotora de vendas e 01 estudante.  Já entre os homens, 02 de profissão não informada,  01 jovem aprendiz e 01 comerciante.  
Entram em investigação os casos de 27 homens, com idades entre 05 e 89 anos, e os de 49 mulheres, com idades entre 06 e 89 anos. O grande número de investigados no dia de hoje é resultado das coletas realizadas ontem na ASAVAP em parceria com o Rotary Club de Afogados da Ingazeira. 
Hoje tivemos 23 casos descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. 
Hoje, 06 pacientes receberam alta após avaliação clínica e epidemiológica. Já são 409 (79,26%) recuperados para covid-19 em nosso município. Atualmente, 97 casos estão ativos em nosso município. 
Atingimos, nesta sexta, a marca de 3.201 pessoas testadas para a covid-19 em Afogados da Ingazeira.

Acusada de esconder milhões, Shakira é investigada por ter doze empresas ‘fantasmas’

O jornal El País informou que segundo as investigações realizadas, o desfalque em impostos espanhóis por parte da cantora chega a US$ 17.3 milhões.

Ela está sendo acusada de ‘esconder seus milhões de dólares’ nesses lugares, para não pagar os impostos fiscais espanhóis correspondentes. (Foto: Reprodução)

Shakira está no meio de uma investigação na Espanha. Segundo o jornal El País, as autoridades descobriram que a cantora tem mais de 12 ‘empresas fantasmas’ em paraísos fiscais. Ela está sendo acusada de ‘esconder seus milhões de dólares’ nesses lugares, para não pagar os impostos fiscais espanhóis correspondentes.

Por meio de investigações, realizadas por uma inspetora da Fazenda espanhola, foram reconstruídos os milhões que a cantora recebeu de lucro. Shakira tem 14 empresas que não possuem trabalhadores e materiais, a maioria no paraíso fiscal das Ilhas Virgens britânicas.

Como exemplo, nas investigações foi revelado que a colombiana cede seus direitos de imagem a uma dessas empresas por US$ 1 e para outra que está registrada em Luxemburgo, outro paraíso fiscal na Europa, ela pagou apenas 2% de seus lucros com a turnê Sale el Sol, e quase todo o valor das entradas vendidas foram parar nas Ilhas Virgens, e depois a uma empresa das Ilhas Caymã, para finalmente chegarem ao bolso de Shakira. O jornal El País informou que segundo as investigações realizadas, o desfalque em impostos espanhóis por parte da cantora chega a US$ 17.3 milhões.

Os advogados de Shakira estão tentando desvencilhar a intérprete dessas acusações, que pode até levá-la à prisão se não pagar o que deve ao fisco espanhol no caso de ser condenada.

Processo contra 2 rappers – Ainda falando em Shakira, a cantora vai processar dois rappers, de acordo com a imprensa espanhola. Segundo o jornal El País, a colombiana decidiu abrir uma ação legal contra os músicos, o alemão Kalazh44 e o libanês Samra por causa de uma música que gravaram, ofendendo a artista e seu país.

Assim que soube do tema, que leva seu nome, ela ordenou que seus advogados iniciassem o processo. No tema, eles a chamam de uma maneira rude e a relacionam com drogas.”Desenha coca colombiana como Shakira”, é uma das frases da canção que irritou a artista. Kalazh44 disse em um clipe que ele postou no Instagram: “Shakira, caso você veja isso, eu quero que você saiba que nós a admiramos muito. 

Nós realmente gostamos da sua música e não queremos problemas. Ah, e Piqué, você joga muito bem”. A suposta capa da música chamada ‘Shakira’ se tornou viral nas redes, onde a artista aparece sentada com uma nota enrolada com os olhos fixos no que parecem ser várias linhas de cocaína em uma mesa. 

De acordo com a imprensa internacional, os rappers podem enfrentar uma disputa milionária se não puderem se retratar do que disseram na música.

Araripina registra 35 novos casos de Covid-19 e número de infectados chega a 1572

O município de Araripina, no Sertão de Pernambuco, registrou 35 novos casos de Covid-19 e mais 70 curas clínicas na sexta-feira (4). Com isso, a cidade contabiliza 1.572 casos, com 900 curas clínicas, 30 óbitos e 642 casos ativos da doença.

Ao todo, foram realizados 4.563 exames no município, sendo 3.727 testes rápidos e 836 exames laboratoriais.

No Sertão do Araripe já foram registradas 93 mortes decorrentes do novo coronavírus. Foram 30 em Araripina, 20 em Ipubi, 13 em Trindade, 12 em Ouricuri, 09 em Exu, 08 em Bodocó e 01 em Moreilândia.

Auxílio Emergencial e FGTS: Caixa libera saques e transferências de novas parcelas neste sábado

Também terão saques e transferências liberados os trabalhadores, nascidos em abril, que tiveram o depósito de até R$ 1.045 do FGTS feito em poupança social digital do banco no último dia 20 de julho.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br. (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal (CEF) libera neste sábado (5) saques e transferências de novas parcelas do Auxílio Emergencial para 4 milhões de beneficiários do programa nascidos em setembro e que estão nos lotes 1 a 6, que tiveram o dinheiro creditado em poupança social digital no último dia 17 de agosto.

Também terão saques e transferências liberados os trabalhadores, nascidos em abril, que tiveram o depósito de até R$ 1.045 do FGTS feito em poupança social digital do banco no último dia 20 de julho.

Para fazer os pagamentos, a Caixa vai abrir 770 agências das 8h às 12h. Veja aqui a lista de agências.

Todos já podiam usar os recursos para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual.

Parcelas extras de R$ 300

Na última quinta-feira (3), o governo oficializou a prorrogação do Auxílio Emergencial, com mais 4 parcelas de R$ 300. Veja aqui como vão ficar os pagamentos e tire dúvidas.

VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTE SÁBADO:

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app poderão sacar ou transferir:

4 milhões de nascidos em setembro:

– aprovados no primeiro lote poderão sacar a terceira e a quarta parcelas;
– aprovados no segundo lote poderão sacar a segunda e a terceira parcelas;
– aprovados no terceiro e quarto lotes poderão sacar a segunda parcela;
– aprovados no quinto lote poderão sacar a primeira parcela
– aprovados no sexto lote poderão sacar a primeira parcela
– aprovados no primeiro lote, mas que tiveram o benefício suspenso, poderão sacar a terceira e quarta parcelas

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

SAQUE EMERGENCIAL DO FGTS

Poderão sacar ou transferir:

Trabalhadores nascidos em abril que tiveram o crédito do valor em poupança social digital

As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

 O Brasil chegou a 125.584 mortos pela Covid-19 e a 4.085.840 casos da doença. Nesta sexta (4), foram registrados 855 novos óbitos e 40.566 infecções.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

Além dos dados diários do consórcio, a Folha de S.Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 856, o que mantém uma posição de estabilidade nos dados, embora com números elevados.

O Brasil tem uma taxa de cerca de 60 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos, e o Reino Unido, ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 57,4 e 62,6 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

O México, que ultrapassou o Reino Unido em número de mortos, tem 52,6 mortes para cada 100 mil habitantes. A Índia, com 68.472 óbitos, também passou o Reino Unido em mortos pela Covid-19.

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena muito mais rígida, o índice é de 21,3 mortes por 100 mil habitantes.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (4) aponta 51.194 novos casos de Covid-19 confirmados nas últimas 24h, com 907 novas mortes.
Com isso, o total registrado no país desde o início da epidemia já chega a 4.092.832 casos, com 125.521 óbitos.

Os números podem ser maiores, já que há ainda 2.492 mortes em investigação, por exemplo.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Presos deverão pagar pelas tornozeleiras eletrônicas, garante Lei aprovada em PE

Foto: Josué Filho 

Projeto de Lei nº 394/2019 aprovado na Alepe é de autoria do deputado estadual Gustavo Gouveia (DEM)

Por maioria de votos, foi aprovado o Projeto de Lei nº 394/2019, de autoria do deputado estadual Gustavo Gouveia (DEM), determinando que os presos do Sistema Prisional do Estado paguem pelo uso da tornozeleira eletrônica. A proposta tem como objetivo regulamentar o ressarcimento, ao Estado, das despesas realizadas com a aquisição dos equipamentos de monitoramento.

De acordo com o PL, os presos terão que pagar os custos totais de forma proporcional ao tempo de utilização das tornozeleiras eletrônicas, e em caso de não possuir recursos próprios para realizar a restituição, deverão realizar o pagamento através de trabalho. Se descumprir com a despesa será inscrito na Dívida Ativa do Estado de Pernambuco, deixando de existir apenas em caso de não ter renda fixa.

“Transferindo para o preso o custo para aquisição das tornozeleiras eletrônicas o sistema penitenciário poderá melhorar e direcionar esses custos economizados para outras áreas. É grave a situação do sistema prisional brasileiro, com a aprovação da medida, o Estado terá uma grande economia”, explicou o parlamentar, que prevê uma economia de até um milhão de reais.

Segundo dados da Secretaria de Ressocialização de Pernambuco (SERES), o estado conta com 34 mil prisioneiros, um déficit de 20 mil, e cada um deles custa cerca de mil reais aos cofres públicos. Ainda de acordo com a SERES, o custo de uma tornozeleira eletrônica é de aproximadamente R$ 236,00.

O Projeto de Lei nº 394 /2019 segue em tramitação conjunta com o PL nº 439/2019, de autoria do deputado estadual Delegado Erick Lessa. Os projetos estão na Comissão de Redação Final e posteriormente receberão sanção do Governo do Estado, tornando-se Lei em Pernambuco.

Apreensão de menor responsável por incêndio na delegacia de Ipubi, restaura a dignidade, honra e glória da Polícia Civil de PE

Foto: reprodução

Por volta das 04h30 da manhã desta sexta-feira, dia 04/09/2020, um incêndio criminoso de grandes proporções atingiu a Delegacia de Polícia Civil de Ipubi-PE, expondo a perigo a vida dos Policiais Civis que no momento encontravam-se no interior daquela Delegacia e vindo a causar a destruição total de diversos veículos e motocicletas que estavam no pátio e na frente da Delegacia, inclusive a viatura caracterizada da Delegacia. No momento em que os Policiais Civis perceberam as primeiras chamas nos veículos, logo evacuaram o prédio, acionando o Corpo de Bombeiros de Araripina-PE e solicitaram apoio das demais Delegacias da região.

Equipes de Policiais Civis das Delegacias de Araripina, Trindade, Ouricuri e da 24ª DPH-Delegacia de Homicídios deslocaram-se até a cidade de Ipubi a fim de dar apoio e iniciar as investigações deste aviltante crime contra a instituição Polícia Civil.

Assim, de imediato, as investigações tiveram início, estendendo-se ao longo da manhã e já no período da tarde fora identificado o autor deste afrontoso crime, sendo apreendido em flagrante e conduzido para a Delegacia de Polícia de Araripina, onde foi autuado e encontra-se à disposição da Promotoria e da Justiça do Estado de Pernambuco.

Dessa forma, com a união, o incansável esforço e a bravura de toda a Polícia Civil da 24ª DESEC, sob o comando dos Delegados: Dr. Francisco Waldo de Meneses Uchôa, Delegado Titular da Delegacia de Ipubi-PE, Dr. George Dantas Saraiva, Delegado Titular da 24ª DPH – Delegacia de Polícia de Homicídios, e sob Coordenação da Delegada Seccional Drª Katyanna Alencar Muniz Leite, seguindo toda a legalidade e de forma imediata, fora restaurada a dignidade, honra e glória de nossa briosa Polícia Civil, preservando o império da Lei e da Justiça diante da sanha da mão criminosa.

Nomes de servidores estaduais e municipais que ‘fraudaram’ auxílio emergencial não serão divulgados, diz MPPE

Foto: reprodução

O  promotor  de Justiça  e membro  do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Frederico Magalhães,  afirmou durante coletiva realizada na quinta-feira (03), que os nomes dos servidores municipais e estaduais que receberam ilegalmente o auxílio emergencial serão preservados.

“Os nomes não serão divulgados, por não termos certeza se as pessoas envolvidas são realmente culpadas. O número é tão alto que quero acreditar que muitas delas tenham sido vítimas de terceiros”,destacou.

A investigação mostra que 14.170 servidores (nativos e inativos)  receberam o auxílio, que totaliza R$ 9.965.400,00.

O setor de eventos começa a retomar as atividades, de forma gradual, a partir da próxima segunda-feira (07), quando será autorizada a realização de eventos corporativos com limite máximo para 100 pessoas ou 30% da capacidade dos estabelecimentos, e no horário entre 6h e 22h. Apesar de as regiões de Pernambuco estarem em fases diferentes do plano de flexibilização das atividades econômicas, a medida será válida para todo o estado, já que a liberação foi antecipada para a sexta etapa e contemplará todos os municípios. O governo do estado também anunciou ontem que os eventos sociais e culturais poderão retomar as atividades na etapa nove, ainda sem data prevista. Já na etapa 10 o limite para todos os tipos de eventos será ampliado 300 pessoas ou 50% da capacidade do espaço.

Os eventos foram divididos em três categorias para que a retomada seja feita de forma gradual. “Existem os eventos corporativos e institucionais, que são os promovidos por pessoas jurídicas, empresas e instituições, como capacitações, treinamentos, reuniões, palestras, congressos e seminários; os eventos sociais, com objetivo de socialização e comemoração, como casamentos, batizados, aniversários e festas; e os eventos culturais, que são as apresentações, shows, teatros, museus e similares. Nos baseamos nessa segmentação para fazer uma atualização no plano de convivência”, detalhou Bruno Schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

Cada segmento de eventos deverá seguir protocolos específicos de segurança a serem seguidos, baseados na higienização e distanciamento. “Conseguimos graduar os tipos de eventos para garantir o retorno das atividades, mas sempre seguindo os protocolos, sem descuidar do risco que cada atividade pode trazer”, afirmou Schwambach.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta quinta (03), foram detectados 20 casos para covid-19 em nosso município. Desses, 18 já estavam em investigação e aguardavam resultados de exames. 
São 09 pacientes do sexo feminino (24, 29, 36, 38, 39, 41, 49, 55 e 56 anos) e 11 pacientes do sexo masculino (06, 28, 30, 32, 35, 35, 40, 41, 55, 70 e 76 anos). Entre as mulheres são 02 agricultoras, 02 do lar, 01 aposentada, 01 comerciante, 01 operadpra de loja, 01 assistente social e 01 promotora de vendas. Já entre os homens, são 02 profissionais da saúde, 02 de profissão não informada, 01 aposentado, 01 agricultor, 01 estudante, 01 serralheiro, 01 auxiliar de serviços gerais, 01 auxiliar de escritório e 01 motoboy. 
Entram em investigação os casos de 12 homens, com idades entre 12 e 73 anos, e 18 mulheres, com idades entre 05 e 70 anos. 
Nesta quinta também tivemos 52 casos descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. 
Hoje, 10 pacientes receberam alta após avaliação clínica e epidemiológica. Já são 403 (79,48%) recuperados para covid-19 em nosso município. Atualmente, 94 casos estão ativos em Afogados. 
Hoje, o município atingiu a marca de 3.106 pessoas testadas para a covid-19.

O texto da medida provisória estabelece que não receberá a ajuda federal, por exemplo, brasileiros que residam no exterior e presos que cumpram regime fechado.

A iniciativa que prevê o pagamento de parcelas de R$ 300 foi publicada na edição desta quinta-feira (3) do Diário Oficial da União. (Foto: Reprodução)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — A medida provisória que prorrogou por mais quatro meses o auxilio emergencial impõe mais restrições ao recebimento do benefício, estendido até dezembro.

A iniciativa que prevê o pagamento de parcelas de R$ 300 foi publicada na edição desta quinta-feira (3) do Diário Oficial da União. Para garantir o benefício, foi aberto crédito extraordinário de R$ 68 bilhões.

O texto da medida provisória estabelece que não receberá a ajuda federal, por exemplo, brasileiros que residam no exterior e presos que cumpram regime fechado.

Eles chegaram a receber parcelas anteriores do auxílio, mas, em julho, foram excluídos por decisão do governo federal.

Ela ainda determina que quem já é beneficiário não precisará requerer o pagamento das quatro parcelas, contanto que continue a atender os critérios de recebimento.

A media provisória manteve regra da iniciativa anterior, editada em abril, que limita o recebimento das parcelas a dois integrantes da mesma família.

O novo benefício só é previsto a maiores de 18 anos, com a exceção de mães adolescentes. Ele ainda é vetado a jovens com menos de 24 anos matriculados em unidades de ensino superior ou de ensino técnico.

O valor e o período de extensão do benefício foram definidos na segunda-feira (31), em reunião do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

No encontro, o ministro, que defendia novas parcelas de R$ 200, cedeu ao apelo do presidente por uma quantia de R$ 300.

A prorrogação deve ampliar os gastos da União neste ano em mais R$ 100 bilhões. A despesa extra leva o governo a encostar em uma marca inédita, um rombo nas contas públicas de R$ 1 trilhão em 2020.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta quarta-feira (02.09), 1.437 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, apenas 47 (3%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os outros 1.390 (97%) são leves, ou seja, pacientes que não demandaram internamento hospitalar. Agora, Pernambuco totaliza 128.724 casos confirmados, sendo 25.609 graves e 103.115 leves.

Também foram confirmados 42 óbitos, ocorridos desde o dia 15 de abril. Do total de mortes do informe de hoje, 17 (40%) ocorreram nos últimos três dias, sendo 4 óbitos registrados no dia de ontem (terça-feira, 1º/08), 9 em 31/08 e 4 em 30/08. As outras 25 mortes (60%) ocorreram entre os dias 15/04 e 29/08. Com isso, o Estado totaliza 7.656 óbitos pela Covid-19

Paraíba confirma 779 novos casos de Covid-19 em 24h; total de mortos chega a 2.483​ e 107.384​ infectados​​

A Paraíba registrou 779 novos casos de Covid-19 e 18 óbitos confirmados desde a última atualização, 03 deles ocorridos nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde divulgado nesta quarta-feira (2), 107.384 pessoas já contraíram a doença, 77.950 já se recuperaram e 2.483, infelizmente, faleceram. Até o momento, 320.973 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados. 

  • Casos Confirmados: 107.384
  • Casos Descartados: 139.132
  • Óbitos confirmados: 2.483
  • Casos recuperados: 77.950
  • Total de municípios: 223

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 33%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 36%. Em Campina Grande estão ocupados 27% dos leitos de UTI adulto e no sertão 41% dos leitos de UTI para adultos.

Os casos confirmados estão distribuídos por todos os 223 municípios paraibanos:
Água Branca (55); Aguiar (23); Alagoa Grande (1063); Alagoa Nova (319); Alagoinha (969); Alcantil (65); Algodão de Jandaíra (20); Alhandra (640); Amparo (17); Aparecida (98); Araçagi (499); Arara (224); Araruna (247); Areia (460); Areia de Baraúnas (11); Areial (50); Aroeiras (216); Assunção (45); Baia da Traição (638); Bananeiras (370); Baraúna (140); Barra de Santa Rosa (80); Barra de Santana (104); Barra de São Miguel (60); Bayeux (1790); Belém (1063); Belém do Brejo do Cruz (54); Bernardino Batista (15); Boa Ventura (8); Boa Vista (113); Bom Jesus (22); Bom Sucesso (23); Bonito de Santa Fé (65); Boqueirão (388); Borborema (41); Brejo do Cruz (441); Brejo dos Santos (57); Caaporã (975); Cabaceiras (82); Cabedelo (2782); Cachoeira dos Índios (100); Cacimba de Areia (9); Cacimba de Dentro (322); Cacimbas (47); Caiçara (443); Cajazeiras (1676); Cajazeirinhas (34); Caldas Brandão (268); Camalaú (21); Campina Grande (12376); Capim (152); Caraúbas (43); Carrapateira (52); Casserengue (365); Catingueira (18), Catolé do Rocha (466); Caturité (102); Conceição (580); Condado (146); Conde (780); Congo (91); Coremas (142); Coxixola (35); Cruz do Espírito Santo (286); Cubati (78); Cuité (268); Cuité de Mamanguape (128); Cuitegí (400); Curral de Cima (32); Curral Velho (3), Damião (40); Desterro (59); Diamante (250); Dona Inês (100); Duas Estradas (84); Emas (52); Esperança (511); Fagundes (111); Frei Martinho (19); Gado Bravo (101); Guarabira (4144); Gurinhém (441); Gurjão (31); Ibiara (112); Igaracy (11); Imaculada (61); Ingá (1370); Itabaiana (1094); Itaporanga (391); Itapororoca (869); Itatuba (345); Jacaraú (306); Jericó (37); João Pessoa (27089); Joca Claudino (19); Juarez Távora (425); Juazeirinho (228); Junco do Seridó (73); Juripiranga (499); Juru (162); Lagoa (6); Lagoa de Dentro (139); Lagoa Seca (712); Lastro (25); Livramento (107); Logradouro (152); Lucena (456); Mãe d’Água (19); Malta (112); Mamanguape (2269); Manaíra (13); Marcação (405); Mari (1163); Marizópolis (34); Massaranduba (339); Mataraca (215); Matinhas (72); Mato Grosso (17); Matureia (41); Mogeiro (221); Montadas (50); Monte Horebe (39); Monteiro (567); Mulungu (407); Natuba (67); Nazarezinho (47); Nova Floresta (79), Nova Olinda (15); Nova Palmeira (82); Olho D´Água (42); Olivedos (111); Ouro Velho (3);  Parari (6); Passagem (30); Patos (3613); Paulista (268); Pedra Branca (5); Pedra Lavrada (39); Pedras de Fogo (1307); Pedro Régis (63); Piancó (188); Picuí (289); Pilar (445); Pilões (132); Pilõezinhos (321); Pirpirituba (320); Pitimbu (619); Pocinhos (204);  Poço Dantas (21); Poço de José Moura (30); Pombal (598); Prata (9); Princesa Isabel (106); Puxinanã (288);  Queimadas (1231); Quixaba (35); Remígio (253); Riachão (77); Riachão do Bacamarte (237);  Riachão do Poço (94); Riacho de Santo Antônio (30); Riacho dos Cavalos (20); Rio Tinto (1115); Salgadinho (31); Salgado de São Felix (261); Santa Cecília (79); Santa Cruz (61); Santa Helena (19); Santa Inês (70);  Santa Luzia (264); Santa Rita (3122); Santa Terezinha (57); Santana de Mangueira (17); Santana dos Garrotes (22); Santo André (14); São Bentinho (70); São Bento (2131); São Domingos (11); São Domingos do Cariri (63);  São Francisco (34);  São João do Cariri (106); São João do Rio do Peixe (317); São João do Tigre (17); São José da Lagoa Tapada (61); São José de Caiana (50); São José de Espinharas (68); São José de Piranhas (212); São José de Princesa (6); São José do Bonfim (59); São José do Brejo do Cruz (16); São José do Sabugi (253); São José dos Cordeiros (45); São José dos Ramos (258); São Mamede (49); São Miguel de Taipu (145); São Sebastião de Lagoa de Roça (247); São Sebastião do Umbuzeiro (20); São Vicente do Seridó (49); Sapé (1123); Serra Branca (184); Serra da Raíz (50); Serra Grande (13); Serra Redonda (267); Serraria (170); Sertãozinho (302); Sobrado (190); Solânea (675); Soledade (183); Sossego (15), Sousa (1776); Sumé (264); Tacima (124); Taperoá (109); Tavares (166); Teixeira (176); Tenório (32); Triunfo (85); Uiraúna (170); Umbuzeiro (79); Várzea (19); Vieirópolis (9); Vista Serrana (18), Zabelê (33).

*Dados oficiais preliminares (fonte: SIM, e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 02/09, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Até hoje, 154 cidades registraram óbitos por Covid-19. Os 18 óbitos registrados nesta quarta ocorreram entre 20 de maio e 02 de setembro, 04 deles nas últimas 48 horas, entre residentes de 08 municípios. Os pacientes tinham idade entre 46 e 103 anos, sendo 05 deles com menos de 65 anos. Diabetes foi a comorbidade mais frequente. Dos locais, um ocorreu em hospital privado, um em residência e os demais em hospitais públicos.

Mulher, 91 anos, residente em Logradouro. Diabética e cardiopata. Início dos sintomas em 10/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 02/09/2020.

Mulher, 84 anos, residente em Santa Rita. Hipertensa e diabética. Início dos sintomas em 11/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 01/09/2020.

Homem, 78 anos, residente em Campina Grande. Hipertenso e diabético. Início dos sintomas em 13/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 01/09/2020.

Homem, 77 anos, residente em João Pessoa. Diabético, portador de doença respiratória, ex-tabagista. Início dos sintomas em 17/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 31/08/2020.

Homem, 103 anos, residente em Alagoa Grande. Cardiopata, portador de doença renal. Início dos sintomas em 21/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020.

Mulher, 63 anos, residente em Jacaraú. Obesa e portadora de doença renal. Início dos sintomas em 29/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020.

Mulher, 61 anos, residente em Campina Grande. Cardiopata. Início dos sintomas em 23/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020.

Mulher, 68 anos, residente em Campina Grande. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 06/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 15/08/2020.

Mulher, 75 anos, residente em Juarez Távora. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 06/08/2020. Foi a óbito em residência no dia 06/08/2020.

Homem, 77 anos, residente em Mamanguape. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 10/06/2020. Foi a óbito em hospital privado no dia 01/08/2020.

Homem, 85 anos, residente em Campina Grande. Portador de doença respiratória. Início dos sintomas em 28/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 14/07/2020.

Homem, 46 anos, residente em Campina Grande. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 28/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 10/07/2020.

Mulher, 60 anos, residente em Juarez Távora. Hipertensa e diabética. Início dos sintomas em 26/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 06/07/2020.

Homem, 91 anos, residente em Campina Grande. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 23/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 01/07/2020.

Mulher, 90 anos, residente em Campina Grande. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 21/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 28/06/2020.

Mulher, 90 anos, residente em Campina Grande. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 07/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 17/06/2020.

Mulher, 72 anos, residente em Campina Grande. Diabética. Início dos sintomas em 06/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 21/05/2020.

Mulher, 61 anos, residente em Campina Grande. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 04/05/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 20/05/2020.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta quarta (02) foram detectados 12 casos para covid-19 em nosso município. Desses, 11 já estavam em investigação e aguardavam resultados de exames. 
São 07 pacientes do sexo feminino (12, 23, 28, 28, 35, 59 e 69 anos) e 05 pacientes do sexo masculino (16, 20, 26, 37 e 88 anos). Entre as mulheres, 02 aposentadas, 02 contadoras, 01 dona de casa, 01 aux. serviços gerais e 01 estudante. Já entre os homens, 02 estudantes, 01 aposentado, 01 autônomo e 01 ajudante de pedreiro. 
Entram em investigação os casos de 13 homens com idades entre 7 e 74 anos; e os de 18 mulheres, com idades entre 27 e 76 anos. 
Tivemos 17 casos descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. 
Hoje, 05 pacientes receberam alta após avaliação clínica e epidemiológica. Já são 393 (80,6%) recuperados para covid-19 em nosso município. Atualmente, 84 casos estão ativos. 
Infelizmente, o município recebeu a confirmação do resultado positivo para covid-19 da paciente do sexo feminino, 99 anos, que foi a óbito na última segunda e aguardava resultado do exame. Um outro óbito, ocorrido hoje, também foi confirmado. Trata-se um paciente do sexo masculino, 81 anos, que estava internado no Hospital Regional Emília Câmara com diagnóstico positivo para covid-19. Nós nos solidarizamos com as famílias nesse momento de dor. Que Deus conforte a todos. 
Hoje, o município atingiu a marca de 3.030 pessoas testadas para a covid-19.

MPPE descobre mais de 14 mil servidores estaduais e municipais recebendo auxílio emergencial

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Núcleo de Inteligência do MPPE (Nimppe), órgãos do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio de levantamentos realizados em bases de dados, apuraram uma grande quantidade de auxílios emergenciais concedidos pelo Governo Federal a cidadãos por causa da pandemia de Covid-19 estão irregulares. 

As investigações revelaram indícios de que 14.170 servidores estaduais e municipais (ativos e inativos) obtiveram o auxílio emergencial.

Segundo as investigações, servidores com vínculos municipal ou estadual, e que integravam a folha de pagamento do poder público em abril de 2020, teriam sido contemplados com o auxílio emergencial. 

Estima-se que o pagamento indevido do auxílio teria chegado a um montante de R$ 9.965.400,00.

“A partir de notícias recebidas sobre a possibilidade de existência de servidores receberem indevidamente o auxílio emergencial, o Gaeco e o Nimppe partiram para um levantamento e um cruzamento de dados a fim de aferir as denúncias. Ainda é um levantamento preambular, que será disponibilizado aos promotores de Justiça de cada município para que deem continuidade às apurações, sempre com auxílio do Gaeco e do Nimppe”, afirmou o coordenador do Gaeco, o promotor de Justiça George Diógenes Pessoa.

O MPPE, entretanto, alerta que as pessoas identificadas podem ter sido vítimas de fraudadores, que usaram seus dados. “Há um indício de fraude, quer seja por parte do servidor ou de alguém que usou indevidamente os dados dele”, salientou George Diogenes Pessoa.

Petrolina, Pesqueira, Garanhuns e Saloá são os municípios que possuem o mais elevado número de servidores que receberam auxílio emergencial. Também foi constatado pelo MPPE que em 155 municípios pernambucanos, pelo menos um servidor recebe auxílio emergencial.

O levantamento realizado será encaminhado aos promotores de Justiça dos municípios em que foram identificados a presença dos mencionados servidores, para o aprofundamento das investigações sobre a possível fraude.

No fim de agosto, a Petrobras aumentou os preços médios do diesel em 5% e os da gasolina em 6% em suas refinarias.

O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos, no entanto, não é garantido. (Foto: Reprodução)

A Petrobras informou nesta quarta-feira (2) que reduzirá o preço do diesel em 6% e o da gasolina em 3% a partir de quinta-feira (3), após consecutivas altas aplicadas nos valores dos combustíveis em suas refinarias.

A redução do diesel, combustível mais consumido do país, ocorrerá após sete altas seguidas no valor do produto. A gasolina terá queda após duas altas consecutivas, com os últimos reajustes promovidos em 21 de agosto.

No fim de agosto, a Petrobras aumentou os preços médios do diesel em 5% e os da gasolina em 6% em suas refinarias.

O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos, no entanto, não é garantido, e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro.

As cores predominantes da cédula são cinza e sépia e o formato é igual ao da cédula de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm). (Foto: Reprodução/Banco Central)

O BC (Banco Central) apresentou nesta quarta-feira (2) a nova nota de R$ 200, estampada com a imagem do lobo-guará.

As cores predominantes da cédula são cinza e sépia e o formato é igual ao da cédula de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm).

De acordo com o BC, a nota começou a ser produzida em agosto deste ano e, até o final de 2020, 450 milhões de unidades devem entrar em circulação no mercado brasileiro, com o custo de R$ 113,4 milhões aos cofres públicos e injeção de R$ 90 bilhões na economia.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, afirmou que “a nova cédula passa a ter valor legal a partir de hoje e vai entrar em circulação a medida que houver demanda”. A partir de agora, começará uma campanha de divulgação sobre a nova cédula, que custará R$ 20 milhões e será veiculada até dia 28 de setembro.

O BC afirma que, entre os motivos para a maior demanda por cédulas e moedas, está o fato das pessoas guardarem mais dinheiro em casa e que, com a redução da atividade econômica, “mesmo os valores pagos em espécie aos beneficiários dos auxílios governamentais não retornaram com a velocidade esperada, porque há uma diminuição do volume de compras no comércio em geral”.

Além disso, em momentos de crise, pode haver saques para formação de reservas. A nota foi criada com o objetivo de atender o aumento da demanda por dinheiro em espécie durante a pandemia de covid-19.

Segurança

As cédulas vão conter os elementos de segurança para evitar falsificações, que estão explicados em um site criado pelo Banco Central. Alguns deles são marca d’água, número escondido e fio de segurança.

Também há elementos para que pessoas com deficiência visual consigam identificar qual o valor da nota que estão segurando. Atualmente, o Real tem seis cédulas: R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100.

Escolha do lobo-guará

A nova cédula é a sétima da família do real e a escolha da estampa de lobo-guará foi feita com base em uma pesquisa realizada em 2001. Na época, os dois animais mais votados para impressão foram a tartaruga marinha, usada na nota de R$ 2, e o mico-leão-dourado, na de R$ 20. O lobo-guará ficou em terceiro.

O BC diz que esta não é a primeira vez que o animal aparece no dinheiro brasileiro. Entre dezembro de 1993 e setembro de 1994, o mamífero estampou a moeda de cem Cruzeiros Reais.

Nota de R$ 200 é menor que a de R$ 100

Marca d’água do lobo-guará aparece na nota de R$ 200

Veja elementos de segurança da nota de R$ 200

Notas têm elementos táteis para acessibilidade

Em agosto, o TCU (Tribunal de Contas da União) concluiu em auditoria que faltam critérios técnicos para a distribuição de verbas publicitárias a TVs abertas.

Bolsonaro apresenta sintomas da covid-19

Durante a cerimônia de posse, em julho, o ministro fez um aceno aos veículos de comunicação, constantemente atacados por Bolsonaro. (Foto: Reprodução)

 Alvo de investigação, a verba do governo federal para publicidade oficial pode ser três vezes maior em 2021 do que neste ano.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quer reservar R$ 495,5 milhões no Orçamento do próximo ano para comunicação institucional. Isso representa uma forte expansão frente às despesas previstas inicialmente para 2020 (R$ 124,5 milhões).

Com a recriação do Ministério das Comunicações, gesto para agradar uma ala do Congresso, o dinheiro para ações publicitárias do governo passou para as mãos de Fábio Faria, deputado do PSD que deixou a Câmara para assumir o cargo em junho.

Faria é ligado a partidos do centrão -grupo que se aproximou de Bolsonaro após a liberação de emendas e cargos- e é genro do empresário Silvio Santos, dono do SBT.
Além disso, Fabio Wajngarten foi deslocado para a secretaria-executiva do novo ministério com a tarefa de continuar cuidando da comunicação oficial da gestão Bolsonaro. Wajngarten era chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação), antes ligada ao Palácio do Planalto.

Em agosto, o TCU (Tribunal de Contas da União) concluiu em auditoria que faltam critérios técnicos para a distribuição de verbas publicitárias a TVs abertas.
Reportagens publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo mostraram uma mudança de padrão na destinação do dinheiro para as emissoras, inclusive revelando que Wajngarten é sócio, com 95% das cotas, da FW Comunicação, empresa que recebe dinheiro de TVs e de agências contratadas pela antiga Secom.

Ele, porém, nega que haja favorecimento às clientes de sua empresa ou conflito de interesses em sua atuação. O caso é investigado pela Polícia Federal e pelo TCU em um processo específico.

Em abril, a juíza Solange Salgado, da Primeira Vara da Justiça Federal em Brasília, negou liminar para afastar Wajngarten do cargo. O pedido havia sido feito pelo PSOL, alegando que a presença dele na Secom refletia “o predomínio de interesses privados sobre o interesse público”.

A magistrada acolheu argumentos do secretário e afirmou não ver razões fáticas e jurídicas para suspender a nomeação. Em 2019, o orçamento para publicidade oficial foi de aproximadamente R$ 230 milhões -valor inferior ao que Bolsonaro deseja para o próximo ano. A área de propaganda institucional foi alvo de uma nova polêmica recentemente. Dessa vez, relacionada a manobras para conseguir mais dinheiro.

Há um ano, quando apresentou o projeto de Orçamento de 2020, o governo previa R$ 124,5 milhões com esse tipo de despesa. Em discussão com o Congresso, no fim do ano passado, chegou a pedir um reforço de R$ 200 milhões, mas a solicitação foi rejeitada.

Ao longo de 2020, Wajngarten mudou de estratégia e passou a enviar ofícios ao Ministério da Economia para conseguir mais recursos. Em maio, ele conseguiu mais R$ 14 milhões num remanejamento de verba que era de outros ministérios, como Saúde e Educação. Com isso, o orçamento para publicidade subiu para quase R$ 138 milhões.

Em junho, portanto antes da recriação do Ministério das Comunicações, foram retirados R$ 83,9 milhões do programa Bolsa Família e, então, o valor foi transferido para a comunicação institucional da Presidência da República.

Pressionado pelo TCU, o governo recuou. Havia uma suspeita de que a operação feria a regra que limita o crescimento de despesa públicas (o teto de gastos). Além disso, a oposição usava a movimentação orçamentária para atacar a imagem do Planalto.
Para 2021, a proposta é, de partida, já reservar R$ 495,5 milhões -praticamente a soma do que foi gasto nesta área do Orçamento em 2018 e 2019.

Procurado, o Ministério das Comunicações não quis comentar a reportagem nem explicar como pretende usar a verba para comunicação institucional pedida.
A chegada de Faria no governo teve como objetivo melhorar a relação do presidente com as emissoras de televisão, inclusive com aquelas que Bolsonaro considera desafetos de sua gestão, como a Globo.

Embora seja líder de audiência, a emissora, tida como inimiga por Bolsonaro, passou a ter fatia menor dos recursos na gestão do presidente. Record e SBT aumentaram expressivamente sua participação.

Durante a cerimônia de posse, em julho, o ministro fez um aceno aos veículos de comunicação, constantemente atacados por Bolsonaro. “A mídia continua a estar entre as prioridades deste governo”, disse Faria.

Ele é do PSD, partido de Gilberto Kassab, ex-ministro do governo de Michel Temer (MDB). Desde que assumiu a pasta, Faria vem atuando para reforçar a articulação política do governo já que tem interlocução com diversos partidos do Congresso.

Em anúncio nesta terça-feira (1º), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) oficializou a prorrogação de mais quatro parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial.

Bolsonaro se reuniu no Palácio da Alvorada, em Brasília, com líderes e presidentes de partidos do Centrão antes de anunciar a prorrogação do benefício. Havia expectativa em relação ao valor das parcelas desta prorrogação. O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendia R$ 200.

O Auxílio Emergencial foi criado em abril para ajudar trabalhadores informais afetados pela pandemia de Covid-19. A previsão inicial era de três parcelas de R$ 600. A primeira prorrogação estendeu o benefício por mais duas parcelas de R$ 600. Com a nova prorrogação, o auxílio terá ao todo nove parcelas – sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300.

Nesta terça, o presidente se reuniu, no Palácio da Alvorada, com líderes partidários para defender que o valor não seja alterado pela Câmara. Para estabelecer o novo valor, o presidente enviará uma medida provisória ao Congresso. Isso porque a lei que rege o auxílio emergencial permite a prorrogação por ato do Executivo sem a necessidade de validação do Legislativo, mas desde que fosse mantido o valor original de R$ 600.

A medida provisória tem força de lei imediata, embora o Congresso possa mudar o valor durante a tramitação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), porém, já sinalizou a Bolsonaro que o Congresso aceitaria o novo valor a ser proposto pelo governo. “Nós [os congressistas] temos responsabilidade”, afirmou Maia neste mês. Segundo ele, a análise deve considerar o impacto da medida nas contas públicas.

A prorrogação do auxílio emergencial ocorre em meio às dificuldades da equipe econômica de criar um novo programa social que represente uma expansão em relação ao Bolsa Família. O auxílio emergencial foi criado originalmente para durar três meses (tendo como base os meses de abril, maio e junho). Depois, o governo prorrogou por duas parcelas (julho e agosto). O valor de R$ 600 foi mantido em todo esse período. Inicialmente, Guedes propôs parcelas de R$ 200 por beneficiário. O Congresso pressionou por um aumento para R$ 500, mas o valor acabou fechado em R$ 600 após aval do presidente Jair Bolsonaro.

O auxílio emergencial é a medida mais cara do pacote anticrise, e já demanda R$ 254,4 bilhões em recursos considerando as cinco primeiras parcelas. O programa foi instituído após o agravamento da crise de saúde, com o objetivo de dar assistência a trabalhadores informais, fortemente impactados pelas políticas de isolamento social e restrições de circulação nas cidades.

As discussões sobre os próximos passos do auxílio emergencial foram ligadas ao ritmo de abertura das atividades econômicas pelo país. Diferentes estados e cidades relaxaram as medidas de isolamento, permitindo a volta ao trabalho.

O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, já afirmou que o tamanho do auxílio emergencial é menor hoje. “Certamente a necessidade dessa dimensão é muito menor do que em março, no início [da pandemia], quando o Brasil praticamente parou”, disse Funchal recentemente.

Embora o Legislativo tenha liberado o governo para ampliar gastos relacionados à pandemia do novo coronavírus neste ano, a equipe econômica busca evitar uma explosão de gastos e, por consequência, de endividamento público. Com o cenário atual, técnicos já esperam que a dívida bruta do governo vai ficar perto de 100% do PIB (Produto Interno Bruto) ao fim do ano. No encerramento do ano passado, o patamar estava em 75,8% do PIB. (Folha-PE)

O Grand Hotel Sonnenbichl, localizado nos alpes de Garmisch-Partenkirchen, foi o destino escolhido pelo rei.

Maha Vajiralongkorn foi nomeado príncipe herdeiro em 1972 e ascendeu como rei da Tailândia em 2016, após a morte do pai. (Foto: Reprodução)

 O rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, 68, também conhecido como Rama X, está isolado em um resort de luxo na Alemanha em meio à pandemia do novo coronavírus, com mais de 20 mulheres. O Grand Hotel Sonnenbichl, localizado nos alpes de Garmisch-Partenkirchen, foi o destino escolhido pelo rei.

A informação foi dada pelo jornal alemão Bild, que afirmou a libertação da ex-amante e consorte real (cônjuge do monarca) Sineenat Bilaskalayani, 35, presa no ano passado sem motivos aparentes — após se envolver publicamente com o monarca, casado com ex-comissária de bordo Suthida Tidjai — para se juntar ao grupo de mulheres.

Ainda segundo a mídia alemã, a ex-amante de Rama X desembarcou em Munique, na Alemanha, no último sábado (29) e foi levada para os aposentos da realeza, que reservou um andar inteiro no hotel e armou um forte esquema de segurança. Há relatos que a administração do local construiu uma “sala de prazer” para o monarca.

Sineenat treinou como piloto na Tailândia e no exterior, serviu na unidade real de guarda-costas do rei e, em 2019, foi premiada com o posto de major-general. No entanto, a ex-amante do monarca deixou o posto após três meses da nomeação. Ela foi acusada por deslealdade e ambição de tomar a posição da rainha, Suthida Tidja.

Maha Vajiralongkorn foi nomeado príncipe herdeiro em 1972 e ascendeu como rei da Tailândia em 2016, após a morte do pai. Entretanto, Rama X vive na Alemanha desde 2007. Ele também é pai de sete filhos e atualmente está no seu 4º casamento.

Reynaldo Gianecchini sobre definições de sua sexualidade: “Não me considero gay”

“Todo mundo tem muitos lados dentro de si mesmo e que a sexualidade reflete muito isso”, disse o artista.

Gianecchini ainda falou sobre os rótulos sexuais. “Dizem que sou gay, mas não me considero assim.” (Foto: Reprodução)

O ator Reynaldo Gianecchini, de 47 anos, abriu o coração e fez algumas revelações íntimas sobre sua sexualidade. Em entrevista a EFE, ele defendeu a liberdade para as pessoas serem o que quiser: “Nunca quis levantar nenhuma bandeira. Acredito na liberdade de ser o que cada um quiser ser. Todo mundo tem muitos lados dentro de si mesmo e que a sexualidade reflete muito isso”, disse o artista.

Gianecchini ainda falou sobre os rótulos sexuais. “Dizem que sou gay, mas não me considero assim. Eu me considero tudo ao mesmo tempo. Se existir uma palavra para mim, então é ‘pan’ [pansexual] – termo que se refere a quem tem atração física, amor e desejo sexual por outras pessoas, independentemente de sua identidade de gênero ou sexo biológico-  porque ‘pan’ é tudo’”, concluiu.

Vale lembrar que em março deste ano, Reynaldo Gianecchini deu uma entrevista para a revista imprensa Pop-se e desabafou: “Não assumi que sou gay. Falei que sou tudo”, contou o ator abertamente sobre a sua opção sexual. Cabe tudo dentro de mim, não me encaixo em nenhuma gaveta. É uma atitude política falar isso hoje em dia. A sociedade é muito careta. O Brasil é um país preconceituoso, racista e reprimido

‘Era perceptível que eles mantinham relações sexuais entre irmãos, entre pai e filha, entre mãe e filhos’, diz a pessoa. Defesa da deputada não se manifestou.

Pessoa que conviveu com família diz que eles viviam mentira (Foto: Reprodução)

Uma pessoa que morou na casa da deputada federal Flordelis (PSD) afirmou que ela e o ex-marido assassinado, pastor Anderson do Carmo, mantinham relações sexuais com filhos e filhas.

A pessoa, que prefere se manter no anonimato, disse ao RJ2 que tem medo de sofrer represálias da família da deputada.

Como mostrado pela equipe de reportagem nessa segunda-feira (31), a pessoa afirmou que morou na casa de Flordelis – informação que é reforçada por testemunhas ouvidas na investigação sobre a morte do pastor Anderson, crime do qual Flordelis é acusada de ser a mandante.

No relato exclusivo ao RJ2, as histórias desconstroem a imagem de mãe amorosa e mulher bem-intencionada que Flordelis exibia.

“O que era perceptível é que ela mantinha um número para manter o marketing pessoal dela, de 50 crianças adotadas”, afirmou a pessoa.

Também segundo o depoimento, o “Ministério Flordelis” – uma espécie de congregação – servia para arrecadar dinheiro e sustentar os luxos da deputada.

“Tanto Flordelis quanto Anderson do Carmo não tinham nenhum tipo de emprego, nenhum tipo de renda. E este marketing, das 50 crianças, praticamente era a única fonte de renda que eles possuíam.”

E o dinheiro recebido, segundo o depoimento, não era pouco.

“Ela cantava nas igrejas, recebia as ofertas. O dinheiro circulava em grande quantidade, na verdade, na casa. (…) Regalias e carro do ano, bons restaurantes, era isso que era destinado.”

Só que os privilégios não eram para toda a família.

“Tinha diferença de tratamento. Algumas crianças tinham certos privilégios. Outros não tinham tantos privilégios quanto os primeiros”, detalhou a pessoa.

“Existia na casa, sim, uma geladeira que não ficava, na época, no quarto da missionária Flordelis. Essa geladeira ficava na cozinha, porém ela tinha cadeado e grade. Ficava trancada e só quem tinha acesso à chave era Anderson, missionária Flordelis e Carlos, que era quem cuidava de toda a alimentação da casa”, acrescentou.

Seguindo o relato, alguns integrantes da família de Flordelis comiam determinados alimentos, mas a grande maioria tinha outro tipo de refeição.

“Batata frita para os mais privilegiados, bife… E para outras crianças sempre era frango, sempre era uma comida um pouco de menos valor.”

Os relatos são confirmados por outros depoimentos. Um obreiro da igreja disse à polícia que a casa recebia doações de comida e que percebeu que a melhor parte ia para determinado núcleo familiar.

Linguagem em código

As investigações da polícia também mostraram que muitas informações precisavam ser mantidas em segredo pelo principal núcleo da família.

Foi aí que surgiu a ideia de usar uma linguagem comum entre crianças e adolescentes nas décadas de 1970 e 1980. O recurso virou um importante código de comunicação: a língua do “P”.

“Existia uma comunicação interna entre eles, onde eles não queriam que uma outra pessoa soubesse. Eles falavam a língua do P, mas de uma maneira bem acelerada, que era bem impossível uma pessoa sem prática reconhecer ou identificar”, detalhou.

A conversa ocorria geralmente entre Flordelis e Simone, uma das filhas biológicas. E a polícia também foi informada disso. Uma testemunha afirmou que a comunicação através de códigos era comum no grupo.

Relações sexuais

A pessoa ouvida pelo RJ2 também relatou práticas sexuais envolvendo moradores da casa.

“Durante o convívio, era perceptível que eles mantinham relações sexuais entre irmãos, entre pai e filha, entre mãe e filhos. Isso era nítido, notório, e inclusive contado pelos próprios.”

De acordo com o relato, a história de amor do casal Flordelis e Anderson começou a mudar quando o pastor começou a mandar mais do que a deputada nos negócios da família.

“Anderson se tornou uma pedra no sapato pra Flordelis. E ela fez com ele exatamente o que ela faz com todos: retira do caminho.”

Ao desabafar, a pessoa afirmou ter percebido as mentiras de Flordelis – e do pastor.

“O que eles pregam não é exatamente o que eles vivem. Eles vivem uma vida de mentira, uma vida de omissões, uma vida sem amor, uma vida voltada praticamente pra si, pelo dinheiro, riqueza e fama.”

Procurada, a defesa da deputada não retornou aos contatos do RJ2.

Índice que mede o ritmo de contágio (Rt) do novo coronavírus no Brasil caiu de 1 para 0,94.

Especialistas pedem cautela na análise, mas dizem que número reforça tendência de estabilização da pandemia. (Foto: Reprodução)

A taxa de transmissão do novo coronavírus no Brasil caiu de 1 para 0,94, o menor índice desde abril, mostra relatório semana do Imperial College London. O número, também chamado de ritmo de contágio (Rt), reforça a tendência de estabilização da pandemia.

Esse patamar abaixo de 1 tinha sido registrado em 16 de agosto, quando a taxa estava em 0,98.

Também simbolizado por Rt, o “ritmo de contágio” é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança.

Segundo o relatório, os dados levam em conta a média das estimativas de mortes na comparação das duas semanas. Pelas estatísticas, essa taxa pode ser ainda maior (até Rt = 1,01) ou menor (até Rt = 0,90).

A atualização desta semana se refere a números totalizados no domingo (30).

Cautela na interpretação

O relatório do Imperial College London pondera que os números sobre o Brasil vêm passando por mudanças na maneira de divulgação e que, portanto, os resultados precisam ser interpretados com cautela.

O Brasil aparece com uma taxa menor do que outros países sul-americanos, como Chile (0,97), Venezuela (1,06), Argentina (1,09) e Paraguai (1,32).

Números do Brasil

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, o Brasil registrava mais de 121 mil mortes por Covid-19 até as 8h desta terça. O total de casos acumulados do novo coronavírus passava de 3,9 milhões.

Na segunda, a média móvel de novas mortes em 7 dias foi de 866 óbitos, uma variação de -12% em relação aos dados registrados 14 dias antes. Essa foi a média mais baixa desde o dia 20 de maio, quando a média móvel foi de 804 novas mortes confirmadas por dia.

Aumento será menor que o previsto na LDO

A queda da inflação fez o governo reduzir o reajuste do salário mínimo para o próximo ano. Segundo o projeto do Orçamento de 2021, enviado hoje (31) ao Congresso, o mínimo subirá para R$ 1.067 em 2021.

O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, enviado em abril, fixava o salário mínimo em R$ 1.075 para o próximo ano. O valor, no entanto, pode ser revisto na proposta de Orçamento da União dependendo da evolução dos parâmetros econômicos.

Segundo o Ministério da Economia, a queda da inflação decorrente da retração da atividade econômica impactou o reajuste do mínimo. Em abril, a pasta estimava que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) encerraria 2020 em 3,19%. No projeto do Orçamento, a estimativa foi revisada para 2,09%.

A regra de reajuste do salário mínimo que estabelecia a correção do INPC do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) de dois anos antes perdeu a validade em 2019. O salário mínimo agora é corrigido apenas pelo INPC, considerando o princípio da Constituição de preservação do poder de compra do mínimo.

PIB

O projeto do Orçamento também reduziu as estimativas de crescimento econômico para o próximo ano na comparação com os parâmetros da LDO. A projeção de crescimento do PIB passou de 3,3% para 3,2% em 2021. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado como índice oficial de inflação, caiu de 3,65% para 3,24%.

Outros parâmetros foram revisados. Por causa da queda da Selic (juros básicos da economia), a proposta do Orçamento prevê que a taxa encerrará 2021 em 2,13% ao ano, contra projeção de 4,33% ao ano que constava na LDO. O dólar médio chegará a R$ 5,11 em 2021, contra estimativa de R$ 4,29 da LDO.

 

Em maio, a Vice também anunciou a decisão de abandonar a produção editorial própria no Brasil. Ambas as empresas foram duramente atingidas pela crise.

Segundo o editor Graciliano Rocha, em nota pública de despedida, a decisão de descontinuar a operação do BuzzFeed News Brasil foi tomada ao longo deste ano e é um efeito direto da crise econômica desencadeada pela pandemia. (Foto: Reprodução)

 O BuzzFeed anunciou nesta segunda-feira (31) o encerramento de sua operação de notícias jornalísticas no Brasil, iniciada em maio de 2016.

Segundo o editor Graciliano Rocha, em nota pública de despedida, a decisão de descontinuar a operação do BuzzFeed News Brasil foi tomada ao longo deste ano e é um efeito direto da crise econômica desencadeada pela pandemia.

Ainda conforme o editor, as demais franquias da empresa no país nas áreas de entretenimento (BuzzFeed Brasil) e gastronomia (Tasty Demais) continuam com suas atividades. O BuzzFeed News em inglês também segue normalmente.

Em maio, a Vice também anunciou a decisão de abandonar a produção editorial própria no Brasil. Ambas as empresas foram duramente atingidas pela crise.

Com o encerramento da operação, Rocha e sua equipe de quatro repórteres —Tatiana Farah, Mauro Albano, Severino Motta e Guilherme Lúcio da Rocha — deixam a empresa. A equipe foi comunicada da descontinuidade do site de notícias na semana passada.

Em abril, o BuzzFeed já havia anunciado a intenção de vender suas operações no Brasil e na Alemanha, em decorrência da perda global de receitas publicitárias devido à pandemia.

“Nós entramos em 2020 como uma empresa lucrativa e estávamos preparados para investir em nosso negócio no Brasil, mas infelizmente não temos mais capacidade para isso”, disse à época Matt Drinkwater, vice-presidente sênior da área internacional do BuzzFeed, ao Meio e Mensagem.

Segundo uma pessoa com conhecimento da operação, no Brasil a empresa segue no processo de negociação para busca de um novo parceiro de negócios. Já a operação de notícias seria descontinuada de qualquer forma, independentemente da venda ou não.

A operação jornalística não gerava receitas próprias, sendo integralmente bancada pela empresa, que se financia através de publicidade e criação de conteúdo por encomenda para marcas (branded content, na expressão em inglês).

“Jornalismo é uma atividade essencial em uma democracia e seu pleno exercício, tal como o concebemos, pressupõe independência editorial em relação a governos, partidos e interesses político-ideológicos. Mantivemo-nos fiéis a este compromisso”, escreveu Rocha no comunicado de encerramento.

Na nota, o editor lembra ainda de uma das reportagens de maior repercussão do site. Nela, o repórter Chico Felitti contou com delicadeza a trajetória de Ricardo Corrêa da Silva, figura emblemática das ruas de São Paulo, conhecido pelo apelido Fofão da Augusta.

“Por aptidão e escolha, voltamos a nossa atenção principalmente a histórias de pessoas”, escreve Rocha. “Ao contar a história de uma única pessoa, pode-se enxergar as marcas da história e as escolhas políticas de uma cidade ou um país, mas sem perder a beleza da singularidade.”

O político Ciro Gomes (PDT-CE) disse não acreditar na notícia de que o Partido dos Trabalhadores (PT) vá disputar as eleições de 2022 sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ciro é cotado como candidato à Presidência nas eleições de 2022. 
“Ele diz que pode haver outro candidato se houver outro nome com mais voto. Ora, então Lula é candidatíssimo. Essa frase é aperfeiçoamento do engodo”, afirmou Ciro para a coluna do jornalista Guilherme Amado, na revista ÉPOCA.
Segundo ele, uma candidatura  de Lula só fortaleceria o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido).”A candidatura dele (de Lula) aperfeiçoa o antagonismo que Bolsonaro precisa para se eleger”, afirmou.
Recentemente, Ciro Gomes foi atacado pelo filho 02 de Bolsonaro, Carlos Bolsonaro nas redes sociais. O vereador do Rio de Janeiro vem utilizando o Twitter para compartilhar ofensas e memes contra o político. 

Conforme o presidente da Abrace, o texto que está no Congresso é de convergência, resultado de anos de negociação, que conta com apoio do governo, da indústria e de produtores e transportadores de gás. (Foto: Reprodução)

 Prevista para ser votada nesta semana, possivelmente na terça-feira (1º), a nova Lei do Gás pode gerar 4 milhões de empregos em cinco anos, reduzindo o preço do combustível à metade e acrescentando 0,5 ponto percentual de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) por ano nos próximos dez anos.

Nesse cenário, o país pode triplicar a produção industrial nacional a partir do gás, retomando a fabricação de produtos hoje importados e ganhando competitividade nas exportações. O ambiente de liquidez de capital abundante deve permitir investimentos privados e até mesmo a Petrobras tende a se beneficiar.

A avaliação é de Paulo Pedrosa, presidente da Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e Consumidores Livres) e ex-secretário executivo do Ministério de Minas e Energia durante o governo Michel Temer.

Pedrosa foi o convidado desta segunda-feira (31) do Em Casa, série de entrevistas promovidas pela TV Folha. Ele foi entrevistado pelo repórter especial Fernando Canzian.

Para Pedrosa, o Brasil se encontra nesse momento numa encruzilhada, e a decisão que será tomada possivelmente nesta semana deverá determinar se o país seguirá num caminho de diversificação da sua economia através da oferta de gás competitivo, aumento da arrecadação para os governos e consolidação de um ambiente de investimento privado ou se vai seguir pelo mesmo modelo do setor elétrico, fortalecendo interesses localizados, favorecendo monopólios e repetindo a história do passado.

Canzian lembrou que o gás natural representa hoje 12% da matriz energética do país. E que a estimativa é de que o novo marco regulatório gere investimentos entre R$ 50 bilhões e R$ 60 bilhões, com a produção de gás triplicando até 2030, nas estimativas da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), dos 50 milhões de metros cúbicos por dia atuais para quase 150 milhões.

Pedrosa destacou que a produção de gás do Brasil deve crescer muito com a exploração do pré-sal e o país pode ainda se beneficiar do gás barato no mundo, vindo da Bolívia por tubos ou por navios, através dos terminais de regaseificação.

“Temos uma grande oportunidade com o nascimento do mercado de gás, que não deve nascer com os vícios que estamos combatendo no setor elétrico”, disse Pedrosa, destacando que, em energia elétrica, o país tem fontes renováveis abundantes, mas uma tarifa cara, devido a penduricalhos, ineficiências e subsídios que foram incluídos na tarifa.

“Há essa onda do pré-sal e precisamos oferecer um mercado com regras claras num prazo rápido, porque, se não, os produtores do pré-sal vão reinjetar o gás ou liquefazer para exportar”, alertou. “Esse é um momento muito importante, em que o Brasil está fazendo escolhas, se vamos repetir os caminhos do passado ou criar um grande mercado de preços competitivos.”

Conforme o presidente da Abrace, o texto que está no Congresso é de convergência, resultado de anos de negociação, que conta com apoio do governo, da indústria e de produtores e transportadores de gás.

Já o segmento de distribuição e alguns investidores querem mudanças no texto que, na sua visão, podem deformar a proposta, favorecendo a formação de monopólios locais e encarecendo tarifas aos consumidores.

Questionado se há ambiente para atração de investimento privado, em meio aos desafios macroeconômicos e políticos atravessados, Pedrosa avaliou que o cenário é de muita liquidez de capital no mundo e até mesmo no Brasil, diante do novo ambiente de juros baixos.

Reforçou ainda que é preciso fugir do ímpeto de usar dinheiro público. “Todo esse movimento tem que ser privado, temos que fugir de usar dinheiro público”, afirmou. “A ideia, por exemplo, de usar recursos do Fundo Social para pagar a construção de gasodutos não cabe no Brasil de hoje, com 100 milhões de brasileiros sem saneamento básico.”

Pedrosa estima que, como a aprovação da nova lei, o preço do gás pode cair a uma faixa de US$ 4 a US$ 8 por milhão de BTU (unidade térmica britânica, que mede o volume de gás), ante faixa atual entre US$ 12 e US$ 14.

Com isso, produtos hoje importados como fertilizantes e metanol poderiam voltar a ser produzidos no Brasil. E indústrias como a siderúrgica, que atualmente chega a importar carvão da Austrália para alimentar seus alto-fornos, ganhariam competitividade.

Além desses setores, também as indústrias de vidros, cerâmica, química e de cimentos estariam entre os maiores beneficiados pelo gás mais barato.

“O que o brasileiro quer? Casa própria e carro próprio. Tudo isso consome aço, cimento, vidro, cerâmica, borracha. Esse novo mercado de gás vai baixar o custo de produção e dar competitividade aos produtos nacionais”, afirmou. “Se prevê a geração de 4 milhões de empregos em cinco anos, mas fundamentalmente, vamos triplicar a produção industrial nacional a partir de gás.”

Quanto ao papel da Petrobras nesse novo mercado onde ela deve perder o monopólio, o presidente da Abrace avaliou que ela pode ser protegida da ingerência de futuros governos.

Ele lembrou que, no passado, a empresa foi usada pelo governo, muitas vezes de forma contrária aos interesses dos acionistas minoritários, para fazer investimentos desnecessários ou segurar preços de produtos para controlar a inflação.

“Entendo que a Petrobras é uma grande ganhadora com a criação de um mercado competitivo de gás no Brasil, porque isso protege a empresa de todos os futuros governos que possam querer interferir no mercado”, disse, avaliando que tentativas de controle de preços, por exemplo, serão inibidas pela existência de competidores.

Além disso, segundo o executivo, a Petrobras poderá desinvestir de áreas que não são sua vocação, tendo a segurança de que aquela área não será apropriada por um monopólio privado. “Nesse novo sistema, talvez ela venda mais gás do que vende hoje, mas com uma fatia menor do mercado.”.

Com mais 45.961 confirmações de novas infecções do novo coronavírus, o Brasil se aproxima da marca de quatro milhões de diagnósticos positivos. Com os novos números divulgados nesta segunda-feira (31) pelo Ministério da Saúde, o país já soma 3.908.272 casos do novo vírus. Além disso, a pasta também adicionou ao balanço mais 553 vítimas da Covid-19. Com isso, 121.381 óbitos já foram confirmados dentro do país.
Apesar de continuar registrando mortes e casos pela doença, na última semana epidemiológica finalizada, a 35ª, o Brasil observou uma pequena redução tanto no número de novos casos, quanto no número de novos óbitos, em relação à semana anterior, a 34º. Foram registrados 1.475 infecções e 806 mortes a menos entre as duas. É a segunda semana que o país observa uma queda na curva de casos.
Mesmo com a breve descida vista na curva nacional, os dados dos estados ainda preocupam especialistas. Atualmente são 22 unidades federativas com a confirmação de mais de mil mortes cada. Quem lidera o ranking negativo é São Paulo, com 30.014 óbitos pelo novo coronavírus, acumulando quase um quarto das mortes brasileiras.
O número de vítimas do estado é maior do que o de alguns países como França e Espanha, que segundo a Universidade Johns Hopkins têm 30.640 e 29.094 mortes pela doença, respectivamente.
Apesar dos altos números, governo de São Paulo anunciou hoje que o estado registrou a terceira semana seguida de queda de óbitos e internações por covid-19. Entre os dias 23 e 29 de agosto, houve redução de 4% nos óbitos e de 4,4% nas internações em relação à semana anterior, entre os dias 16 a 22 de agosto.
“É uma continuidade de bons indicadores que já se prolongam por três semanas no Estado de São Paulo. Mas volto a repetir com muita ênfase, temos que ter extrema precaução. Não há nada para celebrarmos. A celebração só virá após a imunização com a vacina. Até lá temos que ter resiliência, paciência, compreensão e proteção à vida”, alertou o governador João Doria.
Outros estados
O Rio de Janeiro é o segundo com mais fatalidades, com 16.065 vítimas da covid. Os dois (SP e RJ) são os únicos estados que têm mais de 10 mil mortes.
Em seguida estão: Ceará (8.409), Pernambuco (7.593), Pará (6.146), Bahia (5.397), Minas Gerais (5.335), Amazonas (3.649), Maranhão (3.446), Rio Grande do Sul (3.435), Paraná (3.290), Espírito Santo (3.158), Goiás (3.094), Mato Grosso (2.751), Distrito Federal (2.521), Paraíba (2.450), Rio Grande do Norte (2.256), Santa Catarina (2.260), Alagoas (1.887), Sergipe (1.857), Piauí (1.825) e Rondônia (1.148).
No pé da tabela estão: Mato Grosso do Sul (862), Tocantins (673), Amapá (661), Acre (612), Roraima (587).

Até o momento, 314.664 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados. ​

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 31%. (Foto: Reprodução)

A Paraíba registrou 117 novos casos de Covid-19 e 15 óbitos confirmados desde a última atualização, 08 deles ocorridos nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde divulgado nesta segunda-feira (31), 105.778 pessoas já contraíram a doença, 75.521 já se recuperaram e 2.450, infelizmente, faleceram. Até o momento, 314.664 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados. 

  • Casos Confirmados: 105.778
  • Casos Descartados: 132.880
  • Óbitos confirmados: 2.450
  • Casos recuperados: 75.521
  • Total de municípios: 223

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 31%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 29%. Em Campina Grande estão ocupados 32% dos leitos de UTI adulto e no sertão 37% dos leitos de UTI para adultos.

Os casos confirmados estão distribuídos por todos os 223 municípios paraibanos:
Água Branca (54); Aguiar (23); Alagoa Grande (1036); Alagoa Nova (314); Alagoinha (952); Alcantil (64); Algodão de Jandaíra (19); Alhandra (631); Amparo (17); Aparecida (87); Araçagi (498); Arara (221); Araruna (246); Areia (445); Areia de Baraúnas (11); Areial (50); Aroeiras (216); Assunção (45); Baia da Traição (627); Bananeiras (341); Baraúna (140); Barra de Santa Rosa (78); Barra de Santana (104); Barra de São Miguel (58); Bayeux (1753); Belém (1042); Belém do Brejo do Cruz (51); Bernardino Batista (13); Boa Ventura (6); Boa Vista (102); Bom Jesus (16); Bom Sucesso (23); Bonito de Santa Fé (47); Boqueirão (385); Borborema (41); Brejo do Cruz (423); Brejo dos Santos (53); Caaporã (965); Cabaceiras (81); Cabedelo (2764); Cachoeira dos Índios (101); Cacimba de Areia (9); Cacimba de Dentro (318); Cacimbas (47); Caiçara (443); Cajazeiras (1645); Cajazeirinhas (34); Caldas Brandão (245); Camalaú (20); Campina Grande (12303); Capim (150); Caraúbas (43); Carrapateira (52); Casserengue (354); Catingueira (19), Catolé do Rocha (420); Caturité (103); Conceição (578); Condado (139); Conde (775); Congo (85); Coremas (136); Coxixola (35); Cruz do Espírito Santo (286); Cubati (78); Cuité (263); Cuité de Mamanguape (125); Cuitegí (399); Curral de Cima (31); Curral Velho (3), Damião (40); Desterro (59); Diamante (245); Dona Inês (98); Duas Estradas (84); Emas (53); Esperança (507); Fagundes (111); Frei Martinho (19); Gado Bravo (101); Guarabira (4107); Gurinhém (439); Gurjão (31); Ibiara (84); Igaracy (11); Imaculada (61); Ingá (1350); Itabaiana (1081); Itaporanga (362); Itapororoca (862); Itatuba (344); Jacaraú (300); Jericó (37); João Pessoa (26885); Joca Claudino (19); Juarez Távora (421); Juazeirinho (220); Junco do Seridó (65); Juripiranga (485); Juru (151); Lagoa (6); Lagoa de Dentro (138); Lagoa Seca (705); Lastro (25); Livramento (104); Logradouro (150); Lucena (448); Mãe d’Água (19); Malta (109); Mamanguape (2261); Manaíra (12); Marcação (391); Mari (1155); Marizópolis (33); Massaranduba (332); Mataraca (212); Matinhas (72); Mato Grosso (17); Matureia (38); Mogeiro (219); Montadas (50); Monte Horebe (38); Monteiro (546); Mulungu (402); Natuba (64); Nazarezinho (45); Nova Floresta (71), Nova Olinda (15); Nova Palmeira (80); Olho D´Água (41); Olivedos (105); Ouro Velho (3);  Parari (6); Passagem (30); Patos (3585); Paulista (263); Pedra Branca (4); Pedra Lavrada (35); Pedras de Fogo (1301); Pedro Régis (56); Piancó (185); Picuí (270); Pilar (430); Pilões (131); Pilõezinhos (313); Pirpirituba (312); Pitimbu (619); Pocinhos (200);  Poço Dantas (23); Poço de José Moura (30); Pombal (583); Prata (9); Princesa Isabel (94); Puxinanã (281);  Queimadas (1204); Quixaba (35); Remígio (249); Riachão (77); Riachão do Bacamarte (235);  Riachão do Poço (94); Riacho de Santo Antônio (30); Riacho dos Cavalos (17); Rio Tinto (1107); Salgadinho (31); Salgado de São Felix (259); Santa Cecília (79); Santa Cruz (60); Santa Helena (19); Santa Inês (69);  Santa Luzia (264); Santa Rita (3079); Santa Terezinha (57); Santana de Mangueira (11); Santana dos Garrotes (20); Santo André (13); São Bentinho (70); São Bento (2051); São Domingos (11); São Domingos do Cariri (61);  São Francisco (34);  São João do Cariri (105); São João do Rio do Peixe (309); São João do Tigre (11); São José da Lagoa Tapada (61); São José de Caiana (50); São José de Espinharas (67); São José de Piranhas (196); São José de Princesa (3); São José do Bonfim (59); São José do Brejo do Cruz (16); São José do Sabugi (252); São José dos Cordeiros (44); São José dos Ramos (255); São Mamede (47); São Miguel de Taipu (143); São Sebastião de Lagoa de Roça (247); São Sebastião do Umbuzeiro (20); São Vicente do Seridó (49); Sapé (1116); Serra Branca (179); Serra da Raíz (43); Serra Grande (11); Serra Redonda (265); Serraria (170); Sertãozinho (302); Sobrado (190); Solânea (656); Soledade (179); Sossego (15), Sousa (1667); Sumé (261); Tacima (123); Taperoá (99); Tavares (157); Teixeira (174); Tenório (32); Triunfo (78); Uiraúna (159); Umbuzeiro (78); Várzea (19); Vieirópolis (9); Vista Serrana (15), Zabelê (32).

*Dados oficiais preliminares (fonte: SIM, e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 31/08, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Até hoje, 154 cidades registraram óbitos por Covid-19. Os 15 óbitos registrados nesta segunda ocorreram entre 20 e 31 de agosto, 13 deles nas últimas 48 horas, entre residentes de 09 municípios. Os pacientes tinham idade entre 58 e 93 anos, sendo 02 deles com menos de 65 anos. Hipertensão foi a comorbidade mais frequente. Dos locais, três ocorreram em hospitais privados e os demais em hospitais públicos.

Homem, 83 anos, residente em Marcação. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 20/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 31/08/2020. 

Mulher, 78 anos, residente em Guarabira. Portadora de doença respiratória. Início dos sintomas em 24/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020. 

Homem, 58 anos, residente em Itaporanga. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 06/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020. 

Mulher, 79 anos, residente em João Pessoa. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 21/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020. 

Mulher, 89 anos, residente em João Pessoa. Hipertensa e cardiopata. Início dos sintomas em 26/06/2020. Foi a óbito em hospital privado no dia 30/08/2020. 

Mulher, 63 anos, residente em João Pessoa. Hipertensa e cardiopata. Início dos sintomas em 29/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020.

Homem, 90 anos, residente em João Pessoa. Hipertenso e cardiopata. Início dos sintomas em 03/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020. 

Homem, 87 anos, residente em Santa Rita. Diabético e cardiopata. Início dos sintomas em 23/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 30/08/2020.

Homem, 65 anos, residente em Belém. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 20/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 29/08/2020. 

Mulher, 93 anos, residente em Campina Grande. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 14/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 29/08/2020. 

Homem, 78 anos, residente em João Pessoa. Hipertenso e cardiopata. Início dos sintomas em 25/06/2020. Foi a óbito em hospital privado no dia 29/08/2020. 

Mulher, 71 anos, residente em João Pessoa. Comorbidade não informada. Início dos sintomas em 22/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 29/08/2020. 

Mulher, 80 anos, residente em Nazarezinho. Hipertensa e diabética. Início dos sintomas em 29/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 29/08/2020. 

Mulher, 73 anos, residente em Bayeux. Hipertensa, diabética, cardiopata, portadora de doença neurológica e respiratória. Início dos sintomas em 26/06/2020. Foi a óbito em hospital privado no dia 27/08/2020.

Mulher, 75 anos, residente em João Pessoa. Hipertensa, diabética, cardiopata e ex-tabagista. Início dos sintomas em 04/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 20/08/2020.

 

Leia também:

Bolsonaro será submetido a cateterismo devido a quadro de cálculo renal

Bolsonaro apresenta sintomas da covid-19

O presidente Jair Bolsonaro foi diagnosticado com cálculo renal nesta segunda-feira (31/8) e terá de ser submetido a uma cirurgia de cateterismo para remover a pedra que se formou no rim. As informações são da CNN Brasil.
De acordo com o canal de televisão, o presidente descobriu a deformidade após o expediente desta segunda. Antes de voltar para o Palácio da Alvorada, ele foi levado ao serviço médico da Presidência da República. Lá, foi submetido a uma ultrassonografia, que constatou a presença do cálculo.
À reportagem da CNN Brasil, Bolsonaro comentou que a pedra é “do tamanho de um grão de feijão”, mas disse estar se sentindo bem. “Senti um incômodo e fui fazer o exame. Mas estou bem. Isso é coisa da idade”, declarou o presidente.
Após o exame, Bolsonaro retornou à residência oficial e conversou com apoiadores por cerca de sete minutos. A um dos seus eleitores, o presidente comentou que estava se sentindo “cansado”, mas não deu mais detalhes.
O Correio entrou em contato com a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, que ainda não se manifestou sobre o quadro de saúde do presidente.

Cacique Raoni é internado após testar positivo para a Covid-19, mas passa bem

O cacique Raoni, uma das maiores lideranças na defesa dos povos indígenas no país, foi diagnosticado com a Covid-19. As informações são do instituto que leva o seu nome. Em nota oficial divulgada nesta segunda-feira (31), a entidade afirmou que ele está internado com sintomas de pneumonia em um hospital de Sinop, a 503 km de Cuiabá, porém encontra-se em um quadro estável.

“Após um mês de alta, Raoni foi novamente internado com sintomas de pneumonia. Exames realizados e sorologia confirmaram Covid-19. Seu estado é bom, sem febre, respirando normalmente e sem ajuda de oxigênio. Raoni teve Covid-19 e os exames mostram presença de anticorpos e (que ele está) fora de perigo”, afirmou o instituto.

No último mês, o líder foi internado após um quadro de hemorragia digestiva e chegou a fazer o teste para o novo coronavírus, mas o resultado deu negativo. Em junho, sua esposa, Bekwyjkà Metuktire, faleceu e, desde então, Raoni apresenta sintomas de depressão.

Liderança

Ícone na defesa dos povos indígenas, o cacique Raoni ganhou notoriedade fim dos anos 1980. Após uma série de viagens pela amazônia, em 1987 o músico britânico Sting conheceu o líder e a amizade entre os dois levou o cantor a se engajar na luta ecológica e pela demarcação das terras indígenas no Xingu. A parceria levou à criação da Rainforest Foundation, entidade que atua para proteger as florestas e os povos originários do país. Em 2019, o líder da tribo dos Caiapós foi indicado ao prêmio Nobel da Paz.

O jornal afirma que Nicole Poturalski, 27, com quem o ator foi fotografado recentemente, tem um relacionamento aberto com o marido, Roland Mary, 68, que também é pai do filho dela, Emil, de 7 anos.

Não só o relacionamento seria bem aceito pelo marido como ele a teria conhecido em agosto de 2019 justamente no restaurante Borchardt, em Berlim, que é de propriedade de Mary. (Foto: Reprodução)

 Brad Pitt, 56, está namorando uma mulher casada, de acordo com o tabloide britânico “Daily Mail”. O jornal afirma que Nicole Poturalski, 27, com quem o ator foi fotografado recentemente, tem um relacionamento aberto com o marido, Roland Mary, 68, que também é pai do filho dela, Emil, de 7 anos.

Não só o relacionamento seria bem aceito pelo marido como ele a teria conhecido em agosto de 2019 justamente no restaurante Borchardt, em Berlim, que é de propriedade de Mary. Ele já havia estado no local em 2009, durante as filmagens de “Bastardos Inglórios” na Alemanha, e voltou no ano passado, enquanto promovia o filme “Era Uma Vez em Hollywood”.

“Brad foi apresentado à esposa de Roland, Nicole [Poturalski], e ela lhe passou o próprio número”, disse um amigo da modelo ao jornal. “Roland é um cara muito filosófico”, disse sobre o marido dela. “Ele foi casado várias vezes e tem cinco filhos. Ele não está interessado em negatividade ou ciúme.”

“Eles ainda são casados”, garantiu. “Mas você poderia descrever seu relacionamento como um casamento aberto.”

A publicação diz ainda que Nicole viajou para Los Angeles algumas semanas depois desse primeiro encontro. A modelo foi fazer uma sessão de fotos na cidade, mas aproveitou para ir com Pitt a um show de Kanye West, onde os foram fotografados juntos.

Recentemente, o novo casal foi visto a caminiho do Chateau Miraval, no sul da França, onde ele e Angelina Jolie se casaram em 2014.

O jornal tentou falar com Roland Mary sobre o assunto, mas ele não quis responder. A assessoria de Brad Pitt disse que não fala sobre a vida pessoal do ator.

Netflix libera filmes e séries de graça; confira lista

É possível assistir aos conteúdos gratuitamente mesmo sem ter qualquer assinatura

Mesmo sem pagar pela Netflix, qualquer internauta pode aproveitar títulos como Stranger Things, Elite, Bird Box e Dois Papas. (Foto: Reprodução)

A Netflix lançou, nesta segunda-feira (31), um site com filmes e séries gratuitos para quem não é assinante do serviço de streaming. O objetivo da empresa é conseguir novos adeptos à plataforma, e a novidade está disponível em 200 países, incluindo o Brasil. 

Mesmo sem pagar pela Netflix, qualquer internauta pode aproveitar títulos como Stranger Things, Elite, Bird Box e Dois Papas. Os filmes podem ser assistidos completamente, mas as séries só tiveram seus primeiros episódios disponibilizados. 

A Netflix não informa até quando o site fica no ar, e disse que “a seleção pode mudar de tempos em tempos”. 

Ao site TechCrunch, a empresa argumentou que “testa diferentes promoções de marketing para atrair novos membros e dar a eles uma ótima experiência com a Netflix”. Confira os títulos disponibilizados gratuitamente:

Filmes

  • Mistério no Mediterrâneo
  • Bird Box
  • Dois Papas

Séries

  • Stranger Things
  • Elite
  • O Chefinho – De volta aos negócios
  • Olhos que Condenam
  • Casamento às Cegas
  • Nosso Planeta
  • Grace and Frankie

Para assistir gratuitamente aos títulos, é preciso acessar a página especial da Netflix.

Os conteúdos podem ser acessados de qualquer navegador compatível no desktop e no Android; por enquanto, não é possível consumir as novidades no iOS.

O Serasa Experian informou que resolveu prorrogar a campanha para limpar nome de consumidores por R$ 100 até o próximo dia 8 de setembro. O movimento, lançado no fim de julho, se encerraria nesta segunda-feira (31).

Na prática, os endividados podem quitar débitos entre R$ 200 e R$ 1 mil por até R$ 100. O desconto chega a 98%, segundo o Serasa. Mais de 20 empresas participam da ação (veja lista no final desta matéria).

“A ação tem beneficiado muita gente. Resolvemos estender o prazo para que as pessoas possam aproveitar essa condição”, afirma Lucas Lopes, diretor do Serasa Limpa Nome.

Até o momento, mais de 2,5 milhões de débitos foram quitados. A ação tem potencial para que mais de 21,5 milhões de dívidas possam ser pagas.

O objetivo da campanha é ajudar pessoas que tiveram dificuldades para receber crédito de auxílio durante a pandemia do coronavírus.

Como fazer

Para ter acesso, o consumidor deverá entrar no site do Serasa Limpa Nome e verificar a condição de crédito utilizando o número do CPF.

Ao entrar na plataforma, todas as informações financeiras do consumidor aparecerão na tela, devidamente explicadas, incluindo as dívidas que tiver.

 

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta segunda (31) foram detectados 16 casos para covid-19 em nosso município. Desses, 03 são contatos de casos positivos e 11 já estavam em investigação, aguardando resultados de exames. 
São 09 pacientes do sexo masculino (23, 31, 32, 33, 46, 46, 54, 56 e 86 anos) e 07 pacientes do sexo feminino (17, 19, 34, 41, 57, 59 e 73 anos). As mulheres são: 02 aposentadas, 01 do lar, 01 aux. administrativa, 01 agricultora, 01 manicure e 01 estudante. Já entre os homens: 02 autônomos, 01 arquiteto, 01 mecânico, 02 profissionais da saúde, 01 aposentado, 01 agricultor e 01 recepcionista. 
Entram em investigação os casos de 10 homens, com idades entre 6 e 71 anos, e os de 14 mulheres, com idades entre 16 e 99 anos.
O óbito de um homem, 47 anos, que estava em investigação, foi descartado para covid-19. 
No entanto, hoje, uma paciente do sexo feminino, 99 anos, faleceu em casa e por ter tido contato com duas pessoas com sintomas sugestivos para covid-19, a equipe resolveu colher amostra da nasofaringe para investigar o caso. 
Tivemos 43 casos descartados após os pacientes apresentarem resultados negativos para covid-19. 
Hoje, 13 pacientes receberam alta após avaliação clínica e epidemiológica. Já são 381 (81,5%) recuperados para covid-19 em nosso município. Atualmente, 78 casos estão ativos em nossa cidade. 
O município atingiu hoje a marca de 2.956 pessoas testadas. 
Semana Epidemiológica: 
Os dados da SE ainda estão sendo compilados, pois alguns resultados de exames ainda não saíram. Assim, comparando a três últimas semanas, SE 33 (74 casos), SE 34 (83 casos), SE 35 (72 casos), notamos uma diminuição no número de casos na SE 35 que terminou no último sábado. A média móvel das semanas analisadas foram: SE 33 (10,57 casos/dia), SE 34 (11,85 casos/dia) e SE 35 (10,28 casos/dia). Um outro registro importante é a estabilização no número de casos graves confirmados, nós tivemos 01 caso grave nos últimos 14 dias.

Serra Talhada confirma 80 novos casos de covid-19 e mais dois óbitos

Foto: reprodução

A Secretaria de Saúde de Serra Talhada informa que foram registrados 80 novos casos positivos de Covid-19 nas últimas 72h, totalizando 3.335 casos confirmados. São 38 pacientes do sexo masculino e 42 do sexo feminino, com idades entre 0 e 96 anos. Os novos casos foram confirmados através de 58 testes rápidos, 12 resultados de Swab e 10 exames particulares.

Foram confirmados os óbitos de dois pacientes idosos do sexo masculino. O primeiro tinha 84 anos, era morador do Vila Bela, hipertenso, diabético e faleceu em casa no dia 28 de agosto; o segundo paciente tinha 96 anos, era morador do Tancredo Neves, estava internado no Hospam e veio a óbito no dia 29 de agosto.

O número de casos suspeitos caiu para 81 e o de casos descartados subiu para 14.554.

Quanto à evolução dos casos confirmados, são 2.985 pacientes recuperados, 283 em tratamento domiciliar, 17 em leitos de internamento e 50 óbitos. Em relação aos profissionais de saúde  são 119 recuperados e 2 em tratamento.

O boletim epidemiológico fica com 3.335 casos confirmados, 2.985 recuperados, 300 em recuperação, 81 casos suspeitos, 14.554 descartados e 50 óbitos.

Sertão: Casos de Covid-19 em Trindade chegam a 425

Foto: reprodução

Nesta segunda-feira (31), mais quatro casos de Covid-19 foram registrados em Trindade, no Sertão Pernambucano. Com isso, o município contabiliza 425 casos, 369 curas clínicas, 13 óbitos e 43 casos ativos da doença.

De acordo com o boletim divulgado pela prefeitura, do total de pacientes, quatro estão recebendo assistência hospitalar. Um está no Hospital Municipal Maria Veneri de Oliveira Leite, um no Hospital Regional de Ouricuri e dois pacientes estão no Hospital Santa Maria de Araripina.

O estado de Pernambuco tem 125.539 confirmações e 7.593 óbitos pela Covid-19, de acordo com o mais recente boletim divulgado.

Arcoverde confirma cinco novos casos de Covid-19, quatro recuperados e dois óbitos

A Secretaria de Saúde de Arcoverde comunica nesta segunda-feira, 31 de agosto, que até às 18 horas, foram confirmados mais cinco (05) casos de Covid-19, além de quatro (04) curados e dois (02) óbitos no município. O boletim diário, portanto, fica com quinhentos e quatorze (514) suspeitos, dois mil duzentos e setenta e dois (2.272) descartados, mil cento e cinquenta e um (1.151) confirmados, quarenta e um (41) óbitos, e novecentos e quatro (904) recuperados.

Segundo a repartição municipal, a taxa de recuperação dos casos confirmados atualmente é de 74,25%, enquanto que a taxa de letalidade no município está em 3,52%. Estão sendo testadas aproximadamente 100 pessoas por dia. Arcoverde está tendo nos resultados de testagens promovidas, o seu maior número de casos positivos ultimamente.

Vale lembrar, que dentro dos 1.151 confirmados, estão contabilizados os 41 óbitos e 904 curados. No total, a cidade tem quatro (04) pacientes em UTI e quatorze (14) em enfermaria.

No Hospital Regional Ruy de Barros Correia, há três (03) pacientes de Arcoverde na UTI e cinco (05) na enfermaria. No Hospital de Campanha há nove (09) internados. No Hospital Memorial Arcoverde há um (01) paciente na UTI.

Nas barreiras sanitárias das entradas da cidade, foram abordados 1.500 carros de fora. Não confunda flexibilização do comércio com cura do Covid-19. Não saia de casa, se não for necessário. Caso precise sair, use a proteção. Para dúvidas ou sugestões ligue para o Disk Coronavírus do município: 0800-281-55-89 e 3821-0082. 

São José do Egito registra mais 2 óbitos por covid-19

No início do mês de agosto, um senhor de 67 anos, residente no povoado Bonfim, apresentou sintomas gripais e foi orientado pela Equipe de Saúde da Família a procurar o serviço médico. Os seus filhos o levaram para Monteiro – PB, onde residem. Buscaram atendimento médico, em seguida o senhor foi transferido para Campina Grande – PB, onde veio a falecer no último dia 13. Apenas hoje, a secretaria de saúde de São José do Egito recebeu a documentação que comprova o falecimento em decorrência da covid-19.Nas últimas 24hs, 12 pacientes encerraram o tratamento e estão livres da doença. Só nessa segunda-feira (31), o Centro de Atendimento e Enfrentamento ao Covid-19 já realizou 33 testes, são 1.877 exames realizados desde o início da pandemia. Confirmamos o surgimento de 5 novos casos da doença. Atualmente, 26 pessoas que testaram positivo para o novo Coronavírus, estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhadas por nossa equipe multidisciplinar e duas estão internadas na UPA/COVID.
Na tarde de ontem (30), um senhor de 80 anos de idade, deu entrada na UPA/COVID com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), dispnéia, febre, saturação menor que 95%, tosse e desorientação. Apresentava um histórico de comorbidades, como: diabetes, hipertensão e sequelas de Acidente Vascular Cerebral (AVC). O paciente foi imediatamente atendido, internado num leito de UTI. Quando submetido ao teste de Swab ultrassensível, foi diagnosticado com a Covid-19. O paciente não resistiu e faleceu na madrugada de hoje.

 

Araripina: Após denúncia, polícia interrompe festa com aglomeração em residência

Foto: divulgação 9ª CIPM

Uma festa residencial com pelo menos 20 pessoas teve de ser interrompida por policiais militares da 9ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) em Araripina (PE), Sertão do Araripe, na noite de ontem (30).

Além de estar desobedecendo ao decreto estadual referente às medidas de combate ao novo coronavírus (Covid-19), o dono da casa foi denunciado por perturbação do sossego.

Segundo o boletim policial, o proprietário estava com o som do seu carro em alto volume, perturbando a vizinhança.

Ele foi conduzido à 200ª Delegacia de Polícia Civil (DPC), juntamente com o equipamento automotivo apreendido. (Com informações do Blog do Carlos Britto)

 

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Ministério da Saúde destinado à contratação de 4.117 profissionais com níveis médio, técnico e superior. Interessados podem se candidatar até o dia 7 de setembro através do site do órgão.

Há oportunidades para as funções de anestesiologista, cancerologista, cardiologista, infectologista, enfermeiro, assistente social, biomédico, técnico em radiologia, enfermeiro perfusionista, analista administrativo, técnico em enfermagem, entre outras. A seleção não está cobrando taxa de inscrição.

Os profissionais deverão atuar em várias unidades hospitalares espalhadas pelo País. Para selecionar os candidatos, haverá uma análise de títulos na qual será realizada uma somatória de pontos de experiências e habilitações.

Ao serem efetivados, os profissionais trabalharão de 24 a 40 horas semanais e terão uma remuneração que varia de R$ 1.700 a R$ 11 mil, a depender do cargo escolhido. Confira mais detalhes sobre o processo seletivo através do edital de abertura.

Paulo Câmara mantém bares, restaurantes e academias fechados no Sertão do Araripe

Foto: reprodução

Confirmando a sequência de quedas nos indicadores de saúde, Pernambuco atingiu a estabilidade no patamar baixo da curva de contágio e óbitos provocados pela Covid-19. Cinco meses após o registro do primeiro caso da doença no Estado, mais de 70 municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) e das Zonas da Mata Norte e Sul migraram para a “área verde”, o que significa a chegada a Macrorregião 1 ao nível 2 de risco, fase que antecede as novas condições de normalidade no convívio social.

Com 97% dos setores econômicos já com suas atividades retomadas, o Estado valida o planejamento adotado no andamento do Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19, iniciado em 1º de junho, dando a perspectiva de que a estabilidade se estenda para todo território pernambucano.

A medida permite o avanço da Macrorregião de Saúde 1 para a Etapa 8 do Plano. A partir desta segunda-feira, 31 de agosto, o Governo de Pernambuco autorizou a retomada do comércio de praia e a reabertura dos museus e espaços de exposições, sempre seguindo novos protocolos de higiene, saúde e comunicação. Além disso, os escritórios localizados nessa região já podem voltar a operar com 100% da capacidade.

Caruaru e outras 31 cidades do Agreste, por sua vez, vão para a etapa 7 do Plano. Desta forma, os serviços de alimentação e shopping centers podem ampliar seu horário de funcionamento para as 22h. Até o momento, os estabelecimentos estão funcionando das 10h às 20h (centros de compras) e das 6h às 20h (restaurantes, bares, lanchonetes, cafés e similares).

Garanhuns e outras 20 cidades que compõem seu entorno, também no Agreste, continuam na Etapa 6 do Plano de Convivência. Já estava autorizado o funcionamento de serviços de alimentação com 50% da capacidade, além de academias de ginástica, Feira e Polo de Confecções sob novos protocolos. A etapa 6 permitiu ainda a reabertura dos shoppings e comércio varejista de rua com limite de 10 metros quadrados para cada cliente.

Também não haverá avanço das regras de flexibilização, nesta próxima fase, para as seis regionais de Saúde que dividem 60 cidades do Sertão. Os municípios continuarão nas etapas em que estão atualmente, que seriam as seguintes:

VI GERES (Etapa 6) – Arcoverde, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Jatobá, Manarí, Pedra, Petrolândia, Sertânia, Tacaratu, Tupanatinga, Venturosa.

VII GERES (Etapa 6) – Belém do São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova, Verdejante.

VIII GERES (Etapa 6) –Afrânio, Cabrobó, Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista.

IX GERES (Etapa 4) – Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena, Trindade.

X GERES (Etapa 6) – Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Tuparetama.

XI GERES (Etapa 6) – Betânia, Calumbi, Carnaubeira da Penha, Flores, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada, Triunfo.

Afogados: agentes de saúde cobram responsabilidade da população

Por André Luis/Blog Nill

No Debate das Dez da Rádio Pajeú desta segunda-feira (31), os agentes de saúde, Maria Auxiliadora (coordenadora do Sindacs) de licença, Vera Lúcia (coordenadora substituta), Rogério Jesuíno de Oliveira, o Jota Oliveira e Alisson Tiago, falaram sobre as recentes críticas sofridas pela categoria com relação ao monitoramento dos pacientes positivados para a covid-19 no município.

Maria Auxiliadora, confirmou a pactuação com Ministério Público, para que os agentes comunitários de saúde, fizessem visitas em horas não marcadas e duas vezes por dia, à esses pacientes, para confirmar se estariam cumprindo com as recomendações sanitárias. Mas ela, informou que a pactuação só foi feita com os ACSs da zona urbana e não com os da zona rural.

Ela também levantou algumas questões como a de agentes que da zona rural que moram a dez quilômetros do paciente a ser monitorado e disse ser “humanamente impossível” esse monitoramento. 

“Imagina um agente sair duas vezes por dia da sua casa para ir visitar um paciente que já está orientado a ficar em casa, se tiver alguma suspeita procurar o hospital de campanha? Nosso trabalho no dia a dia está sendo assim”, explicou. 

Ela disse ainda que o agente tem outras funções: “não estamos monitorando somente as pessoas que estão com covid-19”.

Já o ACS Jota Oliveira, foi mais duro na sua cobrança. Para ele é o monitoramento é desnecessário.

“Eu acho desnecessário que todo dia eu tenho que estar na casa de um cidadão dizendo pra ele ficar em casa porque está com covid-19, será que… pelo amor de Deus, gente! Que sociedade é essa? Que ser humano é esse que precisa, de manhã e de tarde até nos meus domingos, nos meus feriados, eu ter que estar na sua residência, dizendo que precisa ficar em casa, se os meios de comunicação já dizem isso todos os dias. Quando você vai testar é orientado a ficar em casa”, questionou Jota.

Outra reclamação da classe é sobre a demora da informação chegar aos agentes se o paciente está confirmado ou não pra covid-19. 

“Eu fui à casa do cidadão dizer pra ele ficar em casa e não estava e, aí, o que eu faço? Prendo ele? Me dê uma solução. Liguei pra minha enfermeira e informei: ‘a paciente que você me disse que estava com covid-19, não está em casa’. Ela ligou pra vigilância e a resposta que eu tive foi que a mulher já estava de alta”, relatou Jota. 

“Eu tenho 268 casas, 635 pessoas para acompanhar mensalmente, e o trabalho não diminuiu não. Eu tenho que acompanhar se idoso está tomando a medicação, se gestante está fazendo pré-natal, se criança está vacinada, agora, a covid-19 sobrecarrega a gente. Jogam o problema, mas não procuram saber as nossas dificuldades”, desabafou o agente. 

Jota também reclamou da falta de condições para que agentes que tem pacientes longe possam estar fazendo as visitas. “Tem agente que não tem carro, não tem moto. Aí precisa pagar mototáxi pra ir dizer a pessoa que está doente que tem que ficar em casa”, reclamou.

O ACS Alisson, concordou com as colocações do colega Rogério e disse que a classe não pode ser responsabilizada por conta da covid-19.

“A gente não foge da nossa responsabilidade de orientar, e isso já foi dito aqui. Orientamos fazemos o nosso papel, inclusive não queremos nos esquivar da nossa responsabilidade nesse momento de pandemia, mas nos estamos fazendo um trabalho de auxiliar a Vigilância Sanitária do município, não somos os responsáveis, direto, mas orientar as pessoas, dizer que fiquem em casa, que faça o tratamento correto, que procure o centro de reabilitação quando estiver com alguns dos sintomas, isso a gente já faz todo dia”, disse Alisson.

“Sabemos que existem pessoas teimosas, que mesmo diante de um momento como esse são orientadas a ficar em casa, elas ainda vão pra rua, tem contato com outras pessoas, fazem viagens, ou seja, não somos nós que vamos mudar o estilo de vida dessas pessoas, mas a orientação está sendo feita” relatou Alisson.

Nesta terça-feira (01/09), O Ministério Público faz nova reunião com os ACSs, da zona urbana e rural, para tentar fechar a questão da pactuação do monitoramento.

 

https://www.jcnoticias.com.br/assets/uploads/files/1d7d5-recha.jpg

Um novo terremoto foi registrado em algumas cidades do Recôncavo baiano na madrugada desta segunda-feira (31). De acordo com a Defesa Civil do estado, o tremor foi sentido por volta das 3h40 da manhã por moradores dos municípios de Amargosa e São Miguel das Matas, Laje e Santo Antônio de Jesus. Não há registro de ocorrências graves ou feridos até o momento.

O fenômeno foi classificado com a magnitude 3.5 na escala Richter. Pesquisadores do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) informaram que a região do Recôncavo baiano tem histórico significativo de sismicidade, e que 9 tremores foram registrados entre 2018 e 2019. 

A região registrou no domingo (30) movimentações de terra em pelo menos 80 municípios, com magnitude de 4.6. Os relatos foram reportados na página do Centro de Sismologia da USP entre 7h e 9h. Pesquisadores informaram que o motivo do tremor está sob análise. Mais tarde, tremores mais leves foram registrados novamente.

Aderson Nascimento, coordenador do Laboratório de Sismologia (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), explicou o fenômeno e disse que episódios como este não são comuns no Brasil, o que pode afetar psicologicamente a população. No entanto, ele garantiu que o monitoramento é essencial para o acompanhamento das movimentações das placas tectônicas

Aglomerações continuam sendo flagradas na região do Pajeú

Apesar das medidas restritivas perdurarem na região, com risco inclusive de fechamento de estabelecimentos que já tiveram autorização para atuar, os órgãos de fiscalização tiveram trabalho neste fim de semana com denúncias de aglomerações em várias cidades da região. Alguns bares estavam descumprindo na sede e zona rural os protocolos de distanciamento social.

Segundo a Vigilância Sanitária e Secretaria de Saúde de Afogados da Ingazeira, uma chácara chegou a ser interditada por conta do total descumprimento das medidas de distanciamento. Estabelecimentos dessa natureza estão proibidos de funcionar. Em um vídeo nas redes sociais, uma briga é flagrada em um bar de um bairro da cidade. Uma pessoa teria sido esfaqueada.

Essa semana, ao condenar a aglomeração flagrada em um evento que deveria ser exclusivamente uma live da Chácara Vitóriah e teve flagrantes de aglomeração, o prefeito José Patriota  disse ainda que um erro não justifica outro. “O que não deve é porque fulano fez uma coisa errada eu também querer fazer”. Organizadores reconheceram em nota que o episódio não se repetirá.

Patriota mostrou preocupação justamente com a juventude e disse que o comércio em linhas gerais tem feito sua parte. “Os jovens transmitem mais adoecem também. Hoje eu não sei mais quem é de risco e quem não é”, disse. 

 

Sandrinho e Daniel Valadares na boca do povo e com a simpatia do grupo

Em Afogados da Ingazeira, segundo o que se comenta em todos os cantos é que a chapa majoritária da frente popular será composta por Alessandro Palmeira como pré-candidato a prefeito e o então Vereador Daniel Valadares como o seu Vice na chapa. 

Sandrinho já vinha sendo cotado a meses como o sucessor de Patriota mas ao decorrer do trabalho nomes foram sendo cotados tanto a sucessão como também a vice, chegando até o momento os nomes mais citados e que segundo se fala, já caiu na boca do povo. 
Hoje Daniel já conquistou a simpatia da maioria dos vereadores e dos partidos da Frente Popular ao seu favor, há o que se falar nessa eleição de 2020, pois contará com os maiores nomes da política Afogadense apoiando a chapa, o atual e duas vezes prefeito, presidente da AMUPE José Patriota e o seu aliado o Ex prefeito Totonho Valadares que foi por 3 vezes prefeito do município e outras várias lideranças no mesmo palanque, vamos aguardar os próximos capítulos dessa história.
Romero Mais PAJEÚ

O Banco Central informou que lançará, às 13h30 da próxima quarta-feira (2), a nova nota de R$ 200. A cédula, com a imagem do lobo-guará, começa a circular no mesmo dia.

A imagem da foto, no entanto, permanece sob sigilo. O desenho, a cor e as informações de segurança só serão revelados na quarta-feira, quando a cédula entrará em circulação.

Essa será a sétima cédula da família de notas do Real. O Banco Central encomendou à Casa da Moeda a produção, até dezembro, de 450 milhões de cédulas do novo valor.

Essa será a primeira cédula de um novo valor da família do real em 18 anos. A última cédula, a de R$ 20, tinha sido lançada em 2002.

Um ano antes, em 2001, surgiu a nota de R$ 2. No meio tempo, houve a aposentadoria da nota de R$ 1, em 2005.

Em comum, os lançamentos de cédulas têm um mesmo objetivo: diminuir as transações feitas com dinheiro vivo, economizando com impressão de papel moeda.

Outro motivo apontado é a necessidade de fazer frente ao pagamento do auxílio emergencial – estimado em mais de R$ 160 bilhões considerando as cinco parcelas aprovadas.

Boa parte dos beneficiários, sobretudo os de menor renda, preferiu sacar o benefício em espécie. Apenas segundo números da Caixa Econômica Federal, mais de 20 milhões de saques foram feitos até essa quarta-feira.

Foto: Heudes Regis/SEI – Data: 31-08-2020 – Covid-19 – O Coletiva com os Secreário de Pernambuco André longo e Fred Amancio

Retomada será escalonada, começando no dia 8 de setembro, e dividida em quatro etapas

Foto: Heudes Regis/SEI

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta segunda-feira (31.08), durante coletiva de imprensa, a autorização para o início do processo de retomada das aulas presenciais do ensino superior, incluindo as respectivas datas para cada etapa. A permissão contempla as macrorregiões 1, 2 e 4, valendo para esta última apenas a 8ª Gerência Regional de Saúde (Geres), sediada em Petrolina. Também foi anunciada a prorrogação do decreto de suspensão das aulas da educação básica até o dia 15 de setembro. É importante lembrar que aulas práticas e práticas de estágio curricular para o ensino superior já tinham sido liberadas pelo Governo do Estado.

A retomada das aulas presenciais do ensino superior acontecerá de forma escalonada, com a primeira etapa prevista para o dia 8 de setembro. Nessa fase, as instituições de ensino só poderão receber até 25% da sua capacidade, dando prioridade aos concluintes. No dia 14 de setembro, as faculdades e universidades poderão retomar as atividades com até 50% da capacidade de estudantes. O retorno às aulas presenciais deste segmento de ensino segue nos dias 21 e 28 de setembro, estando as instituições de ensino autorizadas a retomarem as atividades com 75% e 100% de sua capacidade, respectivamente.

As instituições devem seguir todas as normas estabelecidas no protocolo setorial da educação, respeitando orientações sobre distanciamento social, medidas de proteção e prevenção, bem como de monitoramento e orientação. Até o final da próxima semana, será publicada uma nova versão do protocolo setorial.

As instituições e os estudantes decidirão sobre o início do processo de retomada das aulas presenciais, desde que observem as regras estabelecidas pelo Governo do Estado. As unidades de ensino poderão optar pela manutenção das aulas à distância ou pela retomada das aulas presenciais e oferta de ensino híbrido, combinando atividades presenciais e não presenciais.

“O Comitê de Enfrentamento à Covid-19, após análise dos números da pandemia em Pernambuco, autorizou o início da retomada das aulas presenciais nas instituições de ensino superior. Também foi levada em consideração a faixa etária desses estudantes, a grande maioria com mais de 18 anos. Mas é importante ressaltar que o plano de retomada está diretamente ligado ao monitoramento do comitê e, se necessário, esse cronograma de evolução das etapas de retorno às atividades presenciais do ensino superior poderá ser reconsiderado a partir dos dados da Covid-19”, explicou o secretário de Educação e Esportes, Fred Amancio.

CURSOS LIVRES – O Governo de Pernambuco já tinha autorizado a retomada das aulas presenciais dos cursos livres (línguas, formação e qualificação profissional, música e outros). Esses cursos são atividades de ensino que não se enquadram como educação básica ou ensino superior. Não está autorizada ainda a retomada dos cursos preparatórios para o ENEM, SSA e outros vestibulares, ou cursos de disciplinas específicas da educação básica (matérias isoladas, por exemplo), assim como os cursos técnicos do nível médio.

A retomada das aulas presenciais dos cursos livres está acontecendo de forma escalonada desde o dia 17 de agosto, etapa em que as instituições de ensino estavam autorizadas a atender estudantes a partir de 18 anos e receber até 25% da sua capacidade. No dia 24 de agosto, as instituições ofertantes de cursos livres deram início à segunda etapa da retomada, atendendo até 50% da capacidade de estudantes, com idade mínima de 15 anos. A partir desta segunda-feira (31.08), as instituições poderão contar com 75% da capacidade do corpo discente, com alunos a partir de 11 anos de idade. No dia 8 de setembro, início da última etapa, os cursos livres poderão atender a 100% da capacidade de estudantes.

Ao todo, 25.009.250 pessoas foram infectadas pelo coronavírus Sars-Cov-2, e cerca de 842.702 morreram com a Covid-19.

Casos de coronavírus crescem no mundo (Foto: Reprodução)

Mais de 25 milhões de casos de Covid-19 foram registrados no mundo, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins até a madrugada deste domingo (30).

Ao todo, 25.009.250 pessoas foram infectadas pelo coronavírus Sars-Cov-2, e cerca de 842.702 morreram com a Covid-19.

O número oficial de casos de coronavírus ao redor do mundo agora é cinco vezes maior que o total de casos graves de influenza registrados anualmente, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Juntos, o Brasil e os Estados Unidos são responsáveis por quatro em cada dez infecções pelo coronavírus no mundo. Veja abaixo os cinco países com mais confirmações de Covid-19, segundo a instituição norte-americana:

Estados Unidos: 5.961.582
Brasil: 3.846.153
Índia: 3.542.733
Rússia: 982.573
Peru: 639.435

A marca de 25 milhões de casos foi batida no mesmo dia em que a Índia superou o recorde de infecções diárias, mantido até então pelos EUA. Foram 78.761 novos casos confirmados no país asiático neste domingo, excedendo as 77.299 infecções confirmadas em um só dia, em julho, nos EUA.

As infecções foram relatadas em mais de 188 países e territórios desde que os primeiros casos foram relatados em Wuhan, na China, ainda no final de dezembro de 2019.

Em relação às mortes no mundo, Brasil e EUA novamente lideram em números absolutos. Os dois têm 35% de todas as mortes registradas desde o início da pandemia, são 120.262 e 182.779, respectivamente, segundo os dados da Johns Hopkin

Cidades Acessando Blog

Panificadora Samuel

Escola Monteiro Lobato

 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!

Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

Siteemonteirolobato.com.br

Dr. Jamildo Carvalho

Desfile Cívico Escola M.L

AABB

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!