Alvo de investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, a Precisa Medicamentos, representante do laboratório indiano Bharat Biotech no Brasil, solicitou nesta terça-feira (29) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a autorização para o uso emergencial da vacina Covaxin.
O órgão regulador anunciou que recebeu o pedido e iniciou a triagem dos documentos enviados pela empresa. “As primeiras 24 horas serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e verificar se os documentos necessários para avaliação estão disponíveis”, informou em nota.
A partir dai, com todos os documentos necessários em mãos, a Anvisa pode levar de sete a 30 dias para definir se autoriza ou não o uso emergencial da vacina no Brasil.
Importação
Segundo a Precisa Medicamentos, a autorização para uso emergencial “é a única etapa que falta para que 20 milhões de doses comecem a ser importadas e aplicadas no Brasil”. O Ministério da Saúde assinou contrato com a farmacêutica indiana Bharat Biotech para a compra do imunizante em 25 de fevereiro, mas até o momento o Brasil não recebeu nenhuma dose do imunizante, que até o início deste mês não tinha autorização para ser importado ao país. 
Em 4 de junho, a Anvisa aprovou a importação excepcional de 4 milhões de doses da Covaxin pelo Ministério da Saúde, que deve aplicar o imunizante somente sob condições específicas determinadas pela Anvisa. Mesmo com a aprovação da importação da vacina, o governo federal ainda não recebeu nenhuma dose da Covaxin.
O contrato de R$ 1,6 bilhão para aquisição de 20 milhões de doses da Covaxin é alvo de investigação da CPI da Covid. 

Tesouro anuncia emissão de títulos no mercado internacional 

dólares_ABr

O Tesouro Nacional informou hoje (29) que concedeu mandato para emissão de títulos em dólares no mercado internacional. Será realizada a emissão de um título de referência com vencimento em 10 anos e haverá reabertura de um título com prazo de 30 anos, o Global 2050.

“O objetivo da operação é dar continuidade à estratégia do Tesouro Nacional de promover a liquidez da curva de juros soberana em dólar no mercado externo, provendo referência para o setor corporativo, e antecipar financiamento de vencimentos em moeda estrangeira”, diz o Tesouro, em nota.

A operação será liderada pelos bancos Bradesco BBI, Goldman Sachs e HSBC. Os títulos serão emitidos no mercado global e o resultado será divulgado ao final do dia de hoje.

Por meio do lançamento de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais com o compromisso de devolver os recursos com juros.

Os recursos captados no exterior são incorporados às reservas internacionais. De acordo com o Tesouro Nacional, as emissões de títulos no exterior não têm como objetivo principal reforçar as divisas do país, mas fornecer um referencial para empresas brasileiras que pretendem captar recursos no mercado financeiro internacional.

Agência Brasil

Prefeito de Itapissuma-PE é afastado em operação contra corrupção

Foto: ilustração

A Polícia Civil de Pernambuco afastou o prefeito de Itapissuma, Zé de Irmã Teca (PSD), na manhã dessa terça-feira (29). A Operação Dragão do Mar 2 investiga crimes de corrupção, fraude em licitação, dentre outros crimes, e também resultou no afastamento de outros 23 servidores do município.

Zé de Irmã Teca já havia sido afastado por outra operação da Polícia Civil em 2019, que investigou um desvio de R$ 10 milhões. Mesmo assim, foi reeleito em 2020 para um segundo mandato à frente do município.

O Tribunal de Justiça de Pernambuco expediu 24 mandados de suspensão do exercício de cargos, empregos ou funções públicas, que deve durar 180 dias. Além disso, foram expedidos 26 mandados de busca e apreensão em Paulista, Igarassu e Itapissuma.

Municípios pernambucanos se destacam na produção de frutas e hortaliças

Os municípios pernambucanos de Vitória de Santo Antão, Camocim de São Félix, Vicência, São Vicente Ferrer, Floresta, Cabrobó, Petrolândia e Petrolina tem algo em comum quando o assunto é frutas e hortaliças. Os oito figuram na lista dos vinte maiores produtores do Brasil. Alguns deles, como Camocim e Vitória de Santo Antão no ramo das hortaliças. Outros, a exemplo de Petrolina, tanto em hortaliças quanto frutas.

A produção dois oito municípios, segundo o Boletim Hortifrutigranjeiro deste mês da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), foi de 12.788,4 toneladas de frutas e hortaliças em maio. As nove principais centrais de abastecimento (Ceasas) do país contabilizaram 7.335 toneladas de cebola, tomate e alface vindas de quatro destes municípios pernambucanos e 5.453 toneladas de melancia, banana e maçã, de cinco.

Os dados, explica o boletim, “são tabulados e validados pelo próprio entreposto e encaminhados mensalmente à Conab, por meio de um arquivo previamente parametrizado, ou ainda, alimentados de um sistema de lançamento específico”. Em síntese, as informações são recebidas pela equipe técnica da companhia, que revisa os dados e disponibiliza de forma compilada, em seguida, “para acesso público”.

Petrolina responde por mais de um terço de toda a produção de frutas e hortaliças no estado. Ao todo, os produtores do município distribuíram, 4.528 toneladas, sendo 3.605,9 de cebola; 443,6 de melancia; e 479 de maçã. No ranking montado pela Conab, este município do Sertão do São Francisco aparece na segunda colocação de entrega de cebola, sendo o primeiro lugar o produto importado.

Cebola Nordestina

A oferta de cebola foi grande em maio. Não só de Petrolina, mas também de Cabrobó, o 12º maior produtor da hortaliça do país, e de municípios baianos, como o município vizinho de Petrolina, Juazeiro. Os números refletiram nos preços. “Em maio, houve reversão da alta de preços. A queda foi provocada pela intensificação da oferta da região Nordeste, notadamente Bahia e Pernambuco”, diz o boletim.