As autoridades birmanesas queimaram neste sábado ópio, heroína, metanfetaminas e outras drogas com valor de mercado superior a 500 milhões de dólares. As operações foram organizadas em Yangon e outras cidades, como Mandalay e Taunggyi, no estado de Shan. A ação coincidiu com o dia internacional de combate ao abuso e tráfico de drogas.
Apesar das restrições de deslocamento impostas pela pandemia de coronavírus, “um aumento constante do tráfico de metanfetaminas no leste e sudeste da Ásia” foi registrado, afirmou a ONU recentemente. 
De acordo com as Nações Unidas, o estado birmanês de Shan continua sendo o principal ponto de origem desta droga, que é enviada geralmente para para mercados como Austrália e Japão. O estado integra o chamado Triângulo de Ouro, a fronteira entre Mianmar, Laos e Tailândia, epicentro da produção de droga no sudeste asiático.