Uma médica brasileira tornou-se destaque internacional ao vencer um prêmio considerado o Oscar da oncologia mundial. A psico-oncologista Cristiane Bergerot, 39 anos, do Centro de Câncer de Brasília (Cettro), foi agraciada com o Global Oncology Young Investigator Awards 2021, oferecido pela Conquer Cancer Foundation. A premiação foi feita em um dos maiores congressos mundiais sobre oncologia, o Asco Annual Meeting 2021, que aconteceu no início deste mês, entre os dias 04 e 08.

 
De 2018 a 2021, 23 pesquisadores receberam o prêmio, sendo apenas dois brasileiros. Além de Cristiane, Pedro Isaacsson, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, foi agraciado em 2019, com uma pesquisa sobre câncer de próstata. Cristiane destaca que a concorrência é grande e que foi a primeira vez que ela se inscreveu no prêmio. “Não estive sozinha. Tenho o apoio do meu coinvestigador principal (Paulo Bergerot) e dos meus mentores, os doutores William Dale (City of Hope, EUA), Enrique Soto (Instituto Nacional de Ciencias Medicas y Nutricion Salvador Zubiran, México) e João Nunes (Cettro)”, reitera a médica, em forma de agradecimento.
A área de Cristiane, a psico-oncologia, tem como principal objetivo tratar dos aspectos emocionais dos pacientes com câncer para reduzir o sofrimento durante o processo do adoecimento. O trabalho apresentado pela médica foi uma análise de um programa de avaliação geriátrica, por meio de um sistema de telemedicina, em pacientes idosos que começaram tratamento quimioterápico contra o câncer.
Como prêmio do Asco Annual Meeting 2021, a psicóloga ganhou U$ 50 mil, quantia que patrocinará o estudo com duração de aproximadamente um ano. “Recebemos o grant (premiação) agora. Obtivemos a autorização do comitê de ética para realização do estudo na semana passada. Estamos iniciando a coleta de dados”, comenta Cristiane.
De acordo com os estudos de Cristiane, o número de pessoas com idade igual ou superior a 65 anos crescerá, mundialmente, de 703 milhões, em 2019, para 1,5 bilhão, em 2050. Essa população representa um grande desafio global na assistência oncológica (mais de 60% de todos os adultos diagnosticados com câncer têm idade igual ou superior a 60 anos).
O estudo
A médica destaca que existem diversos estudos que demonstram o benefício da avaliação oncogeriátrica para direcionamento do tratamento oncológico. O estudo premiado de Cristiane tem por objetivo avaliar a viabilidade de um programa de avaliação oncogeriátrica via telessaúde, que segue as diretrizes propostas pela Asco, em pacientes com câncer, com idade igual ou superior a 65 anos, em início de tratamento quimioterápico. “Um planejamento terapêutico será proposto e discutido com o médico assistente e o paciente. Três meses após o início do tratamento, reavaliaremos esses pacientes”, explica a premiada. O estudo será feito com 61 pacientes.
A professora Edvane Birelo Lopes, 53 anos, supervisionou Cristiane no seu pós-doutoramento no Programa de Pós -graduação em Ciências da Saúde, da Unifesp, e também trabalhou lado a lado na assistência de pacientes e familiares e ensino de residentes em oncologia.
“A doutora Cristiane Decat Bergerot trilha uma trajetória brilhante como pesquisadora na área da oncologia, e foi muito merecido receber o Global Oncology Young Investigator Awards 2021, na Asco. Eu tive o privilégio de ver as pesquisas conduzidas pela doutora. Elas trazem repercussões importantes para as boas práticas assistenciais em oncologia no Brasil, como demonstra o estudo com a população geriátrica em tratamento antineoplásico. Esperamos que ela continue a inovar e retroalimentar as evidências científicas na oncologia, contribuindo para a excelência da assistência e visibilidade internacional de nosso país”, comenta a professora.
O coordenador do serviço de oncologia do Cettro, Murilo Buso, 52 anos, conta que conheceu Cristiane quando ela ainda era estagiária em psicologia assistencial, “Doutora Cristiane começou a trabalhar conosco como estagiária, e ali a gente já percebia uma pessoa com um perfil muito peculiar. Focava em objetivos e resultados, uma pessoa extremamente resiliente e bastante dedicada”, relata Buso.
Outros prêmios
A brasiliense voltou de Los Angeles (EUA) em maio de 2020 para assumir o serviço de psico-onco e integrar a equipe do Cettro. Desde então, a doutora tem se destacado na área. “Esse é o segundo grant internacional que recebo, em menos de um ano, desde meu retorno ao Brasil”, declara.
No início deste ano, a médica foi premiada por uma pesquisa que avalia o uso de um aplicativo baseado na intervenção mindfulness para pacientes com câncer renal metastático no Brasil. O valor de subsídio foi de U$ 125 mil, oferecido pela Kure It Cancer Research. Para Cristiane, são várias as evidências de que a intervenção via internet reduz sintomas de depressão e ansiedade, além de melhorar efeitos colaterais do tratamento e sintomas da doença, como dor e fadiga, por exemplo.