Para governador de São Paulo, PSDB deveria assumir-se como oposição ao governo no Congresso Nacional.

 

Doria é o principal rival estadual do presidente e disputa as prévias do PSDB com Eduardo Leite (RS) para ser o candidato do partido ao Planalto em 2022.

O governador de São Paulo, João Doria, defende que o seu partido, o PSDB, deve apoiar um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. A sigla irá se reunir nesta quarta (8) para discutir o caso.

“Nossa posição em São Paulo é de que o PSDB deve ser oposição ao governo e apoiar o impeachment”, afirmou ao jornal Folha de S.Paulo o tucano. Os tucanos consideram “gravíssimas” as declarações golpistas de Bolsonaro no ato do 7 de Setembro em Brasília.

Doria é o principal rival estadual do presidente e disputa as prévias do PSDB com Eduardo Leite (RS) para ser o candidato do partido ao Planalto em 2022. Há expectativa sobre o grau de agressividade do discurso que Bolsonaro pretende fazer às 16h na concentração de seus apoiadores na avenida Paulista.

Fux fará discurso em resposta a ataques de Bolsonaro ao STF

Carolina Brígido – Colunista do UOL

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, vai fazer um discurso no plenário nesta quarta-feira (8), antes da sessão de julgamentos, em resposta aos ataques do presidente Jair Bolsonaro.

Pela manhã, em Brasília, o presidente disse que Fux deveria enquadrar os ministros para o Judiciário não “sofrer aquilo que não queremos”. À tarde, em São Paulo, Bolsonaro disse que não cumprirá ordens do ministro Alexandre de Moraes.

Fux prepara um discurso dando aviso claro que ordens do Supremo devem ser cumpridas e que a Corte não se curvará a ameaças.

O presidente do Supremo teve a ideia de responder institucionalmente às falas de Bolsonaro e conversou na tarde de ontem, individualmente com os demais ministros.

Todos concordaram que seria importante o tribunal marcar uma posição diante da atitude do mandatário.

Apesar de terem visto como ameaça as falas de Bolsonaro, ministros do STF falaram reservadamente à coluna que seguem não acreditando em possibilidade de golpe de Estado ou de ruptura institucional.

Um dos ministros ponderou que uma coisa é o discurso do presidente, outra coisa é a atitude que ele adota. Esse ministro lembrou que Bolsonaro já anunciou que descumpriria ordem do Supremo, mas, até agora, não fez isso.

 

Investigado, Queiroz vai a manifestação bolsonarista no Rio de Janeiro

Fabrício é ex-assessor de Flávio Bolsonaro; Ministério Público o acusa de ser o operador do esquema criminoso de ‘rachadinhas’.

Queiroz vai a manifestação bolsonarista em Copacabana (Foto: Reprodução)

 

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz, participou do ato bolsonarista que ocorreu nesta terça-feira (07) em Copacabana, no Rio de Janeiro. Nas rede sociais, o ex-policial compartilhou imagens usando uma camisa do Brasil ao lado de seu filho.

Enquanto esteve na orla, Queiroz foi tietado por apoiadores do governo federal que pediram por fotos e registros do encontro com o Fabrício – apontado pelo Ministério Público como operador de um esquema de desvio de dinheiro público na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Junto ao bolsonarisa estava o deputado federal Otoni de Paula (PSL-RJ) – que recentemente foi alvo de buscas expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), investigado por incitar atos violentos e antidemocráticos

Acidente na noite de ontem na BR-232, em São Caetano, envolvendo dois carros, leva três vítimas a óbito

Um grave acidente ocorreu na noite desta terça-feira (07), no km 154 da BR 232, em São Caetano. Uma colisão frontal entre dois carros (Sandero e Corolla), deixou três pessoas mortas.

Pelos vestígios verificados no local, presume-se que o veículo Renault Sandero entrou na contramão da rodovia.

No Sandero havia um homem e duas meninas, de 12 e 2 anos (enteada e sobrinha do condutor). Os três faleceram no local. Sendo que a criança de 2 anos estava sem a cadeirinha. As crianças foram projetadas para fora do carro.

No Corolla havia um casal. Eles ficaram feridos e foram socorridos para o Hospital de São Caetano.

Além da PRF, o Instituto de Criminalística, o IML e o Corpo de Bombeiros estiveram no local prestando socorro e retirando os corpos das vítimas. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Dias Toffoli vota para rejeitar ação que pede para barrar tramitação do Código Eleitoral

https://exame.com/wp-content/uploads/2020/09/declaracao_a_imprensa_1803200953_toffoli-1.jpg

G1

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, votou nesta quarta-feira (08) pela rejeição de um pedido de parlamentares para suspender a tramitação do projeto de lei do novo Código Eleitoral, em discussão na Câmara dos Deputados.

O ministro é o relator de uma ação apresentada por parlamentares do Novo, PSB e do Podemos, que tentam suspender a análise da proposta sob argumento de irregularidades na tramitação – entre elas, a adoção do regime de urgência, fato que permite a votação do projeto diretamente em plenário, sem passar por votações prévias em nenhuma comissão da Casa.

O tema vai ficar em julgamento no plenário ao longo desta quarta-feira – faltam ainda os votos de nove ministros. O plenário virtual é um formato de deliberação em que os ministros apresentam seus votos por escrito, no sistema eletrônico da Corte.

O projeto de lei questionado propõe a criação um novo Código Eleitoral – que unificaria as normas que, atualmente, estão “espalhadas” em outras legislações. No dia 31, o plenário da Câmara aprovou, por 322 votos a 139, o regime de urgência para tramitação do projeto. O presidente Arthur Lira (Progressistas-AL) anunciou que a proposta vai começar a ser votada também nesta quarta-feira.

Em seu voto, o ministro concluiu que não há ilegalidades na tramitação do projeto na Câmara. Sendo assim, não há motivo para que o Supremo interfira no processo que se desenrola na Casa Legislativa.

Para Toffoli, a Constituição não exige que a proposta tramite como um projeto de código – que não admite votação em regime de urgência.

“Não há, portanto, na Carta Magna, exigência de que a tramitação de projeto de lei complementar que busque reformar e sistematizar a legislação eleitoral observe as regras regimentais de tramitação dos Códigos, o que, por si só, já esvazia os demais argumentos dos impetrantes”.

Ler mais

Vigilância Sanitária e Polícia Militar encerram festa clandestina em chácara de Afogados da Ingazeira

Na noite desta terça-feira (07), a Vigilância Sanitária e a Polícia Militar, após denúncia anônima, encerraram uma festa clandestina numa chácara no caminho da comunidade de Monte Alegre, zona rural de Afogados da Ingazeira, conhecida como Chácara da Playcell.

Na festa, foram flagrados os descumprimentos aos protocolos de prevenção e segurança sanitária.

A vigilância também esteve, no início da noite, na Chácara Vitória, onde estava funcionando o bar, de forma adequada. A equipe da vigilância esteve lá depois, mas constatou o local fechado, sem movimentação e com todas as luzes apagadas.