As cidades de Carpina, Vitória de Santo Antão e Arcoverde, no interior de Pernambuco, sediarão a partir de agosto as primeiras lojas da rede Novo Atacadão – Atacado e Varejo.

 Parte do grupos mineiros SFA e Super Cidades, a nova rede supermercadista nasce com DNA pernambucano e é fruto de um investimento total de R$ 500 milhões, a serem desembolsados ao longo dos próximos quatro anos. Em 2019, o aporte previsto é de R$ 120 milhões. Neste ano, as primeiras lojas devem gerar um total de 4,5 mil empregos, sendo 1,5 mil diretos e 3 mil indiretos, beneficiando principalmente a população local e garantindo um aporte de R$ 120 milhões. 

A chegada da rede supermercadista foi anunciada na tarde de ontem (08) pelo presidente da rede Novo, Daniel Costa, em reunião com o governador Paulo Câmara, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, e o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD-Diper), Roberto Abreu e Lima. 

Para a escolha do Estado, Daniel Costa e seu sócio, o diretor comercial Victor Bretas, fizeram um levantamento com base em indicadores socioeconômicos em mais de 50 municípios. “Eu mesmo já me mudei aqui para o Estado. A gente é do interior e sabe o que o povo do interior gosta. Sabemos das dificuldades das pessoas dessa região e, por isso, estamos pensando num trabalho diferenciado, levando tudo o que há de bom nas grandes redes para o interior, com preços acessíveis e uma maior qualidade de serviço”, afirma Daniel Costa. 

Segundo ele, além de Carpina, Vitória e Arcoverde, outro município no interior do Estado já está em fase final de negociação para receber mais uma loja ainda este ano. A primeira unidade será inaugurada em Carpina já no mês de agosto, as outras três lojas, respectivamente, serão abertas em setembro, outubro e novembro. “Nossa empresa nasce 100% pernambucana. Em princípio, iremos investir só em Pernambuco. Dos R$ 500 milhões, são R$ 120 milhões para a abertura das primeiras quatro lojas, mas o projeto para os próximos quatro anos é investir mais R$ 380 milhões para abertura de outras unidades, inclusive na Região Metropolitana e no Recife”, reforça o presidente da rede Novo. O aporte inicial, por operação, é de R$ 30 milhões, bancados com recursos próprios. 

Embora os empresários sejam de Minas Gerais, a rede de supermercados Novo contará com um escritório central no Recife, com uma equipe de pelo menos 50 profissionais. Só para o escritório, foram avaliados cinco mil currículos. Já para as primeiras quatro lojas, que demandarão 1,5 mil vagas, o processo seletivo será iniciado em junho, nos respectivos municípios que receberão os empreendimentos. Nos quatro anos, a expectativa é chegar à marca de 20 lojas. 

“É uma empresa que irá investir muito no Estado, trazendo empregos sobretudo para o interior. Cada loja deve gerar mais de 300 postos de trabalho diretos, e o poder estadual tem feito sua parte ajudando em todo o processo de desburocratização. Como não se trata de um investimento industrial, não há incentivos fiscais, mas estamos colaborando no andamento do licenciamento ambiental e na Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe)”, comenta o presidente da AD-Diper, Roberto Abreu e Lima.

PERFIL

As lojas da rede Novo serão construídas em terrenos de 20 mil metros quadrados, sendo 12 mil m² construídos, com 500 vagas de estacionamento por unidade. O objetivo dos investidores é casar a venda do atacado com o varejo, trazendo a expertise do grupo com a gerência de supermercados em Minas Gerais, bem como a parceria com fornecedores regionais e locais para competitividade de preços e produtos mais frescos. 

O Grupo SFA é uma empresa com sede em Belo Horizonte. Além do varejo, atua nas áreas de construção civil, gestão de shopping centers, hotéis e loteamentos de terra. Oficialmente, o SFA foi constituído em 2010, após a venda da rede de supermercado Bretas, também mineira, para o Cencosud, consórcio empresarial multinacional chileno que no Brasil compete com as redes GPA, Carrefour e Walmart. Já a rede Super Cidades, também criada em 2010, responde por cerca de 500 funcionários. Possui três supermercados em Minas Gerais, sob a marca “Mais Você”, nos municípios de Conceição do Mato Dentro, Serro e Capelinha, com faturamento anual de R$ 80 milhões.

Empreendedores de origem mineira estimam geração de 1,5 mil empregos diretos ainda este ano

 

Uma decisão do Papa Francisco deixou Frei Damião de Bozzano, missionário que atuou no Nordeste no século XX, mais perto da beatificação. Um decreto do sumo pontífice, editado no Vaticano, reconheceu como venerável o frade capuchinho, que nasceu na Itália e morreu em Recife.

De acordo com Frei Jaciel Gomes, postulador da causa e responsável pelo acompanhamento do processo de beatificação e canonização de Frei Damião, a decisão de tornar o capuchinho venerável foi tomada no último sábado (06).

“Houve o reconhecimento pela Comissão dos Bispos e Cardeais. É o penúltimo passo antes da beatificação”, afirmou.

Gomes informa também que o decreto do Papa Francisco reconhece para a comunidade da Igreja Católica que Frei Damião exerceu, em grau heroico, as virtudes cristãs.

A decisão saiu durante em um encontro entre o papa e o prefeito da Congregação da Causa de Todos os Santos, cardeal Angelo Becciu.

“Falta, agora, o reconhecimento de um milagre para ele ser considerado beato”, acrescentou Gomes. Para Frei Damião ser considerado santo, é preciso comprovar mais um milagre.

Diante da notícia do decreto papal, os postuladores da causa de Frei Damião planejam uma celebração de ação de graças, na Zona Sul de Recife. “Estamos organizando as celebrações, na sede dos Capuchinhos, no Pina”, observou.

Processo

O processo de beatificação e canonização de Frei Damião foi aberto em 2003. O primeiro passo foi dado quando a Igreja Católica reconheceu o capuchinho como Servo de Deus.

Em 2012, os postuladores da causa levaram documentos para o Vaticano. Seis anos depois saiu o parecer da Comissão dos Teólogos, na Congregação da Causa de Todos os Santos, que aprovou o processo de beatificação.

Para o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, é preciso manter a cautela no processo de beatificação e santificação de Frei Damião. Segundo ele, os católicos devem rezar para que a Igreja conceda ao capuchinho o título de santo.

História

Segundo informações da Igreja Católica, Frei Damião chegou ao Brasil, em 1931, e passou a morar no Recife. Pio Giannotti, seu nome de batismo, participou de “Santas Missões” durante 66 anos de vida religiosa.

Ele nasceu em Bozzano, na Itália, em 5 de novembro de 1898. Aos 13 anos ingressou na vida religiosa, e em 1915, aos 17 anos, emitiu os primeiros votos religiosos e recebeu o nome de Damião.

Frei Damião morreu em Recife, em 1997, aos 98 anos. Ele ficou internado, por vários dias, em um hospital particular.