Promotor abre mão de investigar Queiroz e Flávio Bolsonaro; ouça o comentário de Vera Magalhães

Claudio Calo não deveria nem ter sido designado para esse caso
  • Por Jovem Pan

O promotor Claudio Calo, do Ministério Público do Rio de Janeiro, abriu mão de investigações relacionadas a relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras(Coaf) que envolvem o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Foi bem melhor assim. Claudio Calo não deveria nem ter sido designado para esse caso. Ele fez várias declarações favoráveis à família Bolsonaro e chegou a se reunir com Flávio Bolsonaro.

Ele já tinha retuitado manifestações de Carlos Bolsonaro favoráveis ao irmão neste caso. Ele se disse impedido e foi melhor assim.

O MP tem trabalhado de maneira inusual neste caso. Todos já faltaram a depoimentos para investigação do caso, que segue devagar quase parando.