A GT ordinária e a equipe da ROCAM foram acionadas pela Central de Operações para atender uma ocorrência de roubo no Centro de Afogados da Ingazeira. 
O fato aconteceu  na  Av. Júlio Câmara, próximo a Academia Estação, o policiamento foi informado pela vítima, G. L., 39 anos, que três elementos não identificados haviam adentrado na residência onde a mesma trabalha como zeladora e que teria sido amordaçada pelos criminosos enquanto eles arrombavam várias portas da casa, informou ainda que os meliantes subtraíram 01 (uma) espingarda carabina cal. 1.55 e uma maleta contendo documentos pessoais e três relógios de marca, e em seguida se evadiram, tomando destino ignorado. A residência assaltada pertence ao senhor Vital de 75 anos.
O policiamento realizou várias diligências no intuito de localizar os suspeitos, porém, sem êxito. 
Diante disso, a ocorrência foi passada à disposição da delegacia local para adoção das medidas legais cabíveis.

 

Carro capota e cai em rio às margens da BR-316 em Petrolândia, no Sertão de PE

Um acidente surpreendente envolvendo um veículo de passeio aconteceu no início da manhã desse domingo (27) em Petrolândia, no Sertão de Pernambuco. 

A reportagem do Blog Petrolândia Notícias foi acionada na manhã desse domingo, por volta das 5h30 para registrar um acidente envolvendo um veículo de passeio, que segundo informações caiu após capotamento no Lago de Itaparica. 

Após as informações repassadas, estivemos no local e constatamos a veracidade dos fatos, onde um veículo modelo Corola de cor prata, caiu dentro do Lago Itaparica, após capotamento do veículo. Segundo informações de um dos três ocupantes do veículo, os mesmos estavam trafegando na BR-316, próximo da ponte na entrada da cidade quando o condutor cochilou no volante. As vitimas se dirigiam da Bahia para Teresina-PI, onde iriam ao seu destino final a trabalho.  Felizmente não houve vítimas. (Petrolândia Notícias)

Número de mortos em Brumadinho sobe para 65, e 279 pessoas continuam desaparecidas

A Defesa Civil de Minas Gerais informou, na noite desta segunda-feira (28), que há 65 mortos e 279 desaparecidos após tragédia provocada pelo rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Neste quarto dia de buscas – que teve reforço de militares enviados pelo governo israelense –, nenhuma vítima foi encontrada com vida, segundo o corpo de bombeiros.

Números da tragédia
65 mortos confirmados – 31 identificados
279 desaparecidos
192 resgatados
386 localizados

A barragem de rejeitos, que ficava na mina do Córrego do Feijão, se rompeu na sexta-feira (25). A lama varreu a comunidade local e parte do centro administrativo da empresa. Entre as vítimas, estão moradores e funcionários da Vale.

As equipes lideradas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais adotam diferentes estratégias para localizar sobreviventes e vítimas. Aos poucos, a lama fica mais sedimentada – ou seja, menos fofa. Por isso, as equipes precisaram tomar cuidados para não colocar em risco os possíveis sobreviventes ou os próprios bombeiros.

As buscas estão sendo feitas por 120 bombeiros de Minas Gerais e 160 enviados de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Espírito Santo e Goiás. Há outros 33 integrantes da Força Aérea Brasileira e 60 do Exército. Helicópteros são utilizados para resgatar os corpos.

A tropa da ajuda oferecida por Israel se concentrou no vale de lama perto do local em que a barragem estourou. Um dos equipamentos israelenses é capaz de encontrar pessoas com vida a 30 metros de profundidade. Apesar de a lama dificultar a sobrevivência, os bombeiros não descartam a possibilidade encontrar pessoas com vida.

Nesta segunda, os primeiros corpos começaram a ser enterrados. No cemitério Parque das Rosas, desde que a tragédia ocorreu 98 covas foram abertas, de acordo com funcionários. Trabalhadores da prefeitura foram deslocados de outros setores para ajudar no local, que, normalmente, conta com dois coveiros.

Além disso, a Vale anunciou a doação imediata de R$ 100 mil a cada família das vítimas da tragédia. A empresa também informou que deve manter a compensação financeira para o município, que não deve perder arrecadação.

Buscas
Os socorristas usam cajados para perfurar o solo em busca de corpos, sobreviventes ou veículos que possam estar soterrados. O trabalho é cansativo. Como a lama está fofa, os pés afundam. Alguns bombeiros usam roupas de mergulho.

Aihara afirmou que o refeitório – onde estavam trabalhadores da Vale no momento do rompimento da barragem – provavelmente foi arrastado pela lama e pode ter ido parar a “até quilômetros à frente”.

Equipes de busca localizam segundo ônibus submerso na lama

As equipes de busca que trabalham em Brumadinho (MG), onde uma barragem da mineradora Vale se rompeu, na última sexta-feira (25), localizaram um segundo ônibus submerso em meio à lama de rejeitos. O acesso ao local, entretanto, ainda não é possível. “Não temos confirmação do número de mortos que vamos encontrar no interior desse veículo”, informou o porta-voz do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara.

Segundo ele, uma vez que o acesso ao ônibus for aberto, as equipes precisam estabilizar o local com tapumes e fazer o escoramento correto para só então dar início à retirada das vítimas. “Se não, no momento em que a gente está acessando, pela própria característica da lama, às vezes, ela invade [o ônibus] e não possibilita o trabalho”, explicou. No último sábado (28), um primeiro ônibus foi encontrado soterrado na lama e sem sobreviventes.