Monthly Archives: outubro 2018

Os candidatos interessados em participar do concurso público da Prefeitura de Petrolina têm até o próximo domingo (4) para garantir a participação no certame que oferecerá 455 vagas para professores.  As vagas são para as áreas de ensino infantil, fundamental anos inicias e finais, nas disciplinas de matemática, língua portuguesa, história, geografia, inglês, ciências e educação física, para atuação na sede e no interior.
As inscrições devem ser feitas, exclusivamente, pela internet no site: www.upenet.com.br. A inscrição para o concurso tem um valor de R$80 para todos os cargos.
As provas da primeira etapa serão realizadas no dia 6 de janeiro de 2019. De caráter eliminatório e classificatório, a prova objetiva será composta por 50 questões de múltipla escolha (10 de matemática, 10 de língua portuguesa e 30 de conhecimentos específicos), com cinco alternativas e apenas uma resposta correta,  sobre assuntos do Conteúdo Programático constante em anexo do edital.

A Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) Dom Francisco de Mesquita Filho, em Afogados da Ingazeira, está ofertando uma vaga de emprego para o cargo de enfermeiro(a). A vaga consta de carga horária de 44h semanais, trabalhando de segunda a sexta-feira.

Os interessados devem enviar um currículo para o e-mail selecao@upaeafogados.org.br , até o próximo dia 6 de novembro. O resultado do processo seletivo será divulgado no dia 08 de novembro.

Caro da juíza foi cercado por manifestantes. (Foto: Reprodução Portal Jaguarari)
Eleitores do prefeito afastado de Jaguarari, no norte da Bahia, Everton Rocha (PSDB), fizeram uma manifestação na tarde desta terça-feira (30) e vaiaram e xingaram a juíza Maria Luíza Nogueira Muritiba na saída do fórum local.

O motivo é que Everton Rocha conseguiu anular na Justiça duas cassações no total de três e continua fora do cargo. De acordo com o site Jaguarari Online, partidários do gestor afastado foram até o fórum e cercaram o carro da juíza, que é responsável pelas decisões em 1° grau referente a Everton. Mesmo com a presença da Polícia Militar, a magistrada enfrentou dificuldades para deixar o local. Ainda conforme o Jaguarari Online, o veículo saiu na contramão.

Segundo o Bahia Notícias, as ações que julgam o gestor afastado agora correm no Tribunal de Justiça do estado (TJ-BA). Após a confusão na porta do fórum, Rocha discursou para os eleitores, pedindo calma e afirmando que a situação estaria favorável para a volta dele.

Resultado de imagem para imagem duque blog marcos montinely

O Prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), avaliou em entrevista a Juliana Lima na Serra FM a votação de Fernando Haddad em seu município e disse, entre outras coisas, que está decepcionado e sinalizou que pode deixar o PT.

“Estou bastante animado com a vitória consagradora do candidato do nosso partido em Serra Talhada. Nossa expectativa é que fosse um resultado mais acirrado. Ele passou a não ser visto mais como candidato do PT, mas de uma frente política. Eleitores demonstraram maturidade e votaram contra o retrovisor, vendo as conquistas do PT”, disse.

Sobre os erros do PT, afirmou que o partido tem que começar a discutir internamente seus erros. “O afastamento da presidenta Dilma é um deles. Não se deve a uma decisão política do partido. Foi incapacidade de construir a política. Faltou uma presidente que fosse mais política. Não creio muito nos políticos que não dialogam. Haddad começou a tentar dialogar com todas as forças políticas”.

Duque revelou que está decepcionado e sinalizou que pode deixar o PT. “Estou repensando a minha vida. O PT entrou com processo de expulsão e não assimilei essa postura da Direção Estadual. O partido é que hegemonicamente tomou a decisão de apoio a Marília Arraes e essa posição – da nacional – foi desrespeitosa em favor de um acordo nacional que foi um fracasso”, criticou. Duque decidiu apoiar Armando à revelia do partido no Estado, que esteve na coligação com Paulo Câmara e foi alvo de processo de exclusão ainda em curso.

E seguiu: “o respeito à democracia interna foi desrespeitado. Não concordo com a posição partidária. Esse resultado é uma prova cabal de que não devemos desrespeitar a vontade do povo”.

Sobre sua sucessão, em 2020, Luciano Duque disse que seu tempo estava chegando ao fim e que irá discutir com a sociedade os erros e acertos cometidos por seu governo, sinalizando que é o debate que irá definir o apoio a um nome do grupo.

 

O homem que exibiu uma arma de fogo durante uma carreata pela vitória de Jair Bolsonaro (PSL), na cidade de Piracuruca, foi assassinado a tiros na tarde desta segunda-feira (29/10). O suspeito do crime já foi identificado e o caso se deu após discussões no WhatsApp.

 Rodrigo Magalhães, de 29 anos, exibiu a arma de dentro de um carro durante a carreata neste domingo (28/10) e teria sido morto por Neto Tertulino, policial militar, após provocações em grupos do WhatsApp.

Rodrigo estava desafiando os policias nas redes sociais e teria chegado a ir em um quartel exibindo a arma, quando foi perseguido. Ele ainda desceu do carro, apontou a arma para os policiais, mas foi alvejado com dois tiros, morrendo no local.

Vários áudios, que foram enviados ao 180, mostram que Rodrigo estava muito chateado com as críticas que recebeu após a repercussão da exibição da arma e teria desafiado Tertulino.

“O policial militar teve foi sorte, ele desceu do carro para atirar, estava com uma 12, se não fosse isso, ele tinha matado o policial”, disse uma agente ao 180.

Rodrigo é de São Paulo e havia voltado para Piracuruca há pouco tempo, onde seus pais moram. O policial que efetuou os disparos já se apresentou e o caso é investigado.

ASSISTA AO VÍDEO

Através das redes sociais, Rodrigo exibiu várias fotos com armas e mostrou seu apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

Fonte: 180graus

Resultado de imagem para imagem blog marcos montinely marcilio pires tabira

Fato que chocou a populção em 1º de novembro de 2016, foi a morte Érica de Souza Leite (Conhecida por Paulinha), ela foi assassinada a facadas na porta de casa, em Tabira no Sertão de Pernambuco na região do Pajeú. A vítima era esposa do dentista e vereador  Marcílio Pires. Caso  teve  uma repercusão em todo todo estado e a forma como se apresentou a justiça a acusada ao chegar no forum populares revoltados faziam  manisfestação a “Paquita”  ao descer do veículo com os agentes penenticiarios simplemente sorriu para os presentes, em seu depoimento disse que pagou R$ 1 mil para José Tenório executar o crime.

 O Tribunal do Júri de Tabira julgará a fisioterapeuta Silvia Silvaneide da Silva Patrício ( Paquita), acusada como mandante e José Tenório da Silva (O Popular Zé Galego), de 60 anos, citado como executor será no próximo dia 22 de novembro.

O Juiz Direito da Comarca de Tabira, Dr. Rodrigo Barros Tomaz do Nascimento presidirá o Tribunal do Júri. 

 

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira já começou a pagar seus servidores no início desta terça (30), referente salário dos servidores públicos municipais, mês de Outubro.

A realização do pagamento da folha serão injetados R$ 2,9 milhões que será circulado no comercio local isso referentes ao pagamento de 1.438 servidores, incluindo aposentados e pensionistas.

O secretário de Finanças Ney Quidute,  disse  “Estamos mais uma vez garantindo o pagamento em dia dos nossos servidores, com muito planejamento e muito esforço tendo em vista as dificuldades financeiras”..

Outra notícia positiva é que, tendo em vista o feriado do funcionário público ter sido comemorado no último domingo (28), o Prefeito José Patriota decidiu decretar ponto facultativo nesta quinta (01).

A única excepcionalidade neste caso será a Secretaria de Educação. Haverá aula normalmente, uma vez que precisamos cumprir a meta de 200 dias letivos.

Confira o calendário:

Terça dia 31, recebem as  Secretarias de Administração, Agricultura, Assistência Social, Controle Interno, Cultura e Esportes, Finanças, Infraestrutura, Transportes, Gabinete, Ouvidoria, Coordenadoria da Mulher e Procuradoria.

Quarta dia 31, Secretaria de Educação.

Quinta dia 01, de novembro, Secretaria de Saúde, aposentados e pensionistas.

“Aplicando a estratégia de Choque e Pavor das guerras modernas, Bolsonaro tem pressa total para aprovar a reforma da Previdência e a liberação do comércio de armas, impedindo que a população possa se organizar para derrotar projetos que sempre rejeitou”, escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247.  “Enquanto a liberação do comércio de armas é recusada por uma parcela importante de eleitores do PSL, a única esperança de ressuscitar a reforma do sistema de aposentadorias reside no apoio de 51% dos atuais deputados, que não conseguiram renovar o mandato nas urnas e podem fazer qualquer coisa para arrumar um novo rumo na vida.” – No Brasil da reforma Trabalhista de Michel Temer (MDB-SP) falta emprego para 27,3 milhões de pessoas, segundo a Pnad, do IBGE; presidida por Vagner Freitas, a CUT afirma que a geração de vagas formais de trabalho estagnou e deu lugar a criação de postos informais, sem direitos e em condições precárias de trabalho.

Já o  Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avaliou nesta terça-feira que as condições para aprovação da reforma da Previdência ainda estão distantes da realidade e disse que neste momento seria precipitado fazer uma previsão de quando a medida pode ser votada na Casa; Maia avaliou também que ela não é de simples aprovação entre os parlamentares e que não pode criar expectativas um cenário em que não controla todas as condições.

 

A Petrobras anunciou hoje (30), no Rio de Janeiro, a redução de 6,2% no preço da gasolina.

O litro do combustível passará a ser negociado a R$ 1,8623 nas refinarias da estatal a partir de amanhã (31), 12 centavos a menos do que o preço atual.

No mês, a gasolina teve uma queda de preço acumulada de 15,96%, já que, em 30 de setembro, o litro do combustível era negociado a R$ 2,2159, ou seja, 35 centavos a mais do que o preço que será aplicado a partir de amanhã.

Hoje o óleo diesel já sofreu uma redução de preço de 10,07% e passou a ser vendido a R$ 2,1228 por litro. (Agência Brasil)

Volta a chover no Sertão do Araripe

Em Araripina, as precipitações começaram por volta das 9 da manhã desta terça (30)

Por Roberto Gonçalves / Foto: Blog do Roberto

Após duas semanas sem registrar precipitações, na manhã desta terça-feira (30), diversos municípios do Sertão araripeano estão sendo agraciados com uma bela chuva, que graças a Deus veio sem ventos fortes, raios e trovões.

Em cidades como Ouricuri e Bodocó, já chove desde a noite de ontem. Em Trindade e Araripina, as precipitações começaram por volta das 9 da manhã de hoje. O sertanejo agradece.

No Estado Pernambuco reduto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva nasceu, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) venceu em apenas em uma cidade Santa Cruz do Capibaribe, a terceira maior do Agreste, Bolsonaro  23.044 votos ou 53,83% e a Fernando Haddad, candidato do PT, 19.765 votos ou 46,17%.

Dos 185 municípios, Bolsonaro recebeu 1. 661.163 votos (33,50%). Haddad teve 3.297.944 votos (66,50%) no segundo turno.

No primeiro turno, Bolsonaro havia vencido em nove cidades pernambucanas: além de Santa Cruz do Capibaribe, na capital Recife, em Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Carpina, Caruaru, Taquaritinga do Norte e Camaragibe.

Em Caetés na terra de Lula

No primeiro turno, o primeiro colocado de Caetés foi Haddad com 10.013 votos, ou 82,73%. O candidato Ciro Gomes (PDT) ficou em segundo com 966 votos ou 7,98%. Bolsonaro teve 869 votos ou 7,18%.

No 2º  turno, Haddad foi a 12.333 votos, ou 91,73%. Bolsonaro teve 1.112 votos, ou 8,27%.

Em seu primeiro recado ao PT depois do final das eleições, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao partido para ter calma, esperar a poeira baixar e não se precipitar na avaliação do cenário pós-eleição, e reafirmou a posição de liderança no partido que o presidenciável da sigla, Fernando Haddad, conquistou depois do segundo turno.

Convocada pela presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann, a Executiva da sigla, acrescida de parlamentares e outros petistas graúdos, se reúne nesta terça-feira em São Paulo para fazer uma primeira avaliação de cenário. No entanto, embalada pelo recado de Lula, a tendência Construindo um Novo Brasil (CNB) —da qual o ex-presidente e Haddad fazem parte— ecoa a posição lulista.

“A maioria (da CNB) avaliou que a reunião de amanhã é precipitada. Vamos recomendar que não se tenha nenhuma avaliação. Precisamos ter calma”, defendeu o presidente do PT do Rio, Washington Quaquá. “Todo mundo que ganha uma eleição tem legitimidade democrática. Precisamos fazer oposição a coisas concretas.”

Um dos coordenadores da campanha de Haddad, o deputado Emídio de Souza esteve nesta segunda-feira com Lula em Curitiba e fez um relato aos membros da CNB em uma reunião nesta tarde. O recado do ex-presidente foi entendido.

Sua avaliação foi de que o resultado eleitoral não foi bom, obviamente, pela derrota, mas permitiu ao PT liderar um processo que reuniu gente para além dos partidos, em uma frente que envolveu a sociedade, e ir além do que se esperava em uma eleição em que Lula foi impedido de concorrer pela Lei da Ficha Limpa.

Antes de definir um discurso de atuação, o partido tem que decidir como trabalhar para manter isso, contou uma fonte.

Haddad foi derrotado no segundo turno da eleição presidencial para Jair Bolsonaro (PSL), que teve 55,1 por cento dos votos válidos, contra 44,9 por cento do petista. Apesar da derrota, foram 47 milhões de votos.

O ex-presidente coloca Haddad, que foi seu substituto na chapa, no centro das discussões daqui para frente. Recomendou que o ex-prefeito de São Paulo seja consultado sobre seus planos e como planeja liderar essa frente de oposição ao governo Bolsonaro.

Alinhada com os desejos do ex-presidente, a CNB —e outros petistas aliados diretamente a Haddad— avaliam que o ex-candidato conquistou um espaço que precisa ser usado para que o PT possa continuar liderando essa frente de oposição.

“Haddad saiu como uma grande liderança, saiu com estatura para ser uma liderança nacional. Antes só tinha Lula”, disse Quaquá. “Haddad passa a ser um grande interlocutor com a sociedade e se credenciou para liderar uma frente democrática. Essa é a posição do Lula também.”

O tamanho e o papel que Haddad irá desempenhar nesse futuro PT está no centro das preocupações de Lula e do próprio partido. Seus defensores crêem que o tempo de resistências ao ex-prefeito acabou e reconhecem que foi a capacidade dele de conversar com diferentes setores que levou o partido a conseguir ampliar seu leque de apoios —além, claro, da rejeição a Bolsonaro.

Ainda assim, reconhecem fontes petistas, há setores no partido que temem a perda de liderança e de holofotes para um “novato”.

“A discussão é mais complexa que uma avaliação de cenário. Que papel Haddad terá? Isso terá que ser discutido mais profundamente. Que espaço tem? Para cumprir esse papel virá para a estrutura do partido?”, disse uma das fontes. “Precisa pensar o que vai ser feito… as coisas precisam ter um compasso.”

Em seu discurso depois do anúncio da eleição de Bolsonaro, Haddad se colocou à disposição para liderar uma oposição mas, lembra a fonte, não foi conversado com ele ainda até que ponto pretende colocar seu envolvimento.

Nesta segunda, o ex-prefeito não foi à reunião da CNB. Pela manhã, saiu de casa apenas para ir até o Insper, onde dá aulas, e perguntado sobre o que faria daqui para frente, disse que voltaria a trabalhar porque tinha apenas tirado uma licença de 90 dias para a campanha(Reuters)

 O Tribunal de Contas publicou em seu Diário Oficial a Resolução TC Nº 37/2018 relativa à execução de serviços contábeis, de natureza permanente e continuada, na administração pública municipal.

A resolução foi elaborada a partir, dentre outras razões, de uma representação do Ministério Público de Contas, devido à recorrente prática de contratação temporária de contadores e escritórios de contabilidade, não respeitando a natureza técnica e contínua dos serviços de contabilidade na Administração Pública. 
A norma estabelece que os serviços contábeis de natureza permanente e continuada no âmbito da administração pública municipal devem ser realizados por servidores ocupantes de cargos efetivos constantes do quadro permanente de pessoal, devidamente habilitados e em situação de regularidade perante o Conselho Regional de Contabilidade.

Essa exigência não afasta a possibilidade de que atividades auxiliares aos mencionados serviços sejam desempenhadas por outros servidores, bem como por profissionais ou empresas de consultoria contábil, desde que justificadamente, mediante regular procedimento licitatório, observadas as regras constantes da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, Lei de Licitações e Contratos da Administração Pública.
Dentre os serviços mencionados está a elaboração dos demonstrativos contábeis do órgão ou entidade, bem como os respectivos relatórios exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, aplicando-se, além de prefeituras, às Câmaras Municipais, Fundos Municipais entidades da Administração Indireta dos Municípios (Autarquias, Fundações, Empresas Públicas, Sociedades de Economia Mista e Consórcios Públicos).
De acordo com a resolução, os órgãos terão até 30 de junho de 2020 para adequar-se aos parâmetros definidos, sob pena de responsabilização do respectivo gestor.

Na semana passada foi firmado um convênio entre a Prefeitura de Ibimirim, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Governo de Pernambuco, através da Secretaria Executiva de Recursos Hídricos, para liberação de kits de irrigação aos pequenos agricultores do município. Os sistemas do tipo gotejo deverão melhorar o padrão alimentar e renda das famílias beneficiadas.

Além de Afogados da Ingazeira, a ação contempla outros 29 municípios do Agreste e Sertão, entre eles, Serra Talhada, São José do Egito, Salgueiro, Custódia, Inajá, Ibimirim, Floresta, Tacaratu, Itacuruba, São José do Belmonte, Araripina, Passira, Cumaru, Buíque, Tupanatinga, Águas Belas, Pedra, Jupi, Lagoa do Ouro, Pesqueira, Sanharó e Bom Jardim.

Os kits são formados por caixas d´água de mil litros, bombas, mangueiras, adaptadores, torneiras, tubos, abraçadeiras galvanizadas e outros itens necessários para a instalação do sistema de gotejamento.

A definição do ministério do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) deverá se acelerar nos próximos dias, mas os primeiros nomes foram confirmados hoje por ele. No poderoso ministério da Fazenda, que poderá ser renomeado para Economia, figura desde o início o economista Paulo Guedes. Para a estratégica Casa Civil, foi escolhido o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS). E para o Ministério da Defesa, a escolha recaiu sobre o general reformado Augusto Heleno.
Paulo Guedes comandará o Ministério da Fazenda – Ferrnando Frazão/Agência Brasil
Na pasta de Ciência e Tecnologia, o astronauta brasileiro Marcos Pontes, que é tenente-coronel da Aeronaútica, também foi confirmado por Bolsonaro e ele próprio admitiu que aceitaria a missão. 
A meta máxima de 15 ministérios, por exemplo, já não é uma certeza. A primeira polêmica surgiu com a tão anunciada e propagada pelo candidato fusão entre as pastas da Agricultura e Meio Ambiente. Após receber visitas de empresários, exportadores, e de representantes do agronegócio, ficou claro que é preciso analisar eventuais prejuízos na economia internacional com as possíveis mudanças. Hoje, o principal discurso de Bolsonaro é afirmar que irá ouvir e avaliar todas as vertentes políticas e econômicas antes de tomar qualquer decisão.
Civis
Paulo Guedes é carioca, tem 69 anos, é formado em economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e com mestrado pela Universidade de Chicago. É conhecido no meio acadêmico, tendo lecionado na PUC-Rio e na Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foi um dos fundadores, em 1983, do Banco Pactual.
Também foi sócio-fundador e diretor executivo da JGP Gestão de Recursos, onde era um dos responsáveis pela supervisão da gestão do Fundo JGP Hedge e pela estratégia das operações. Tornou-se membro do conselho diretor da PDG Realty Empreendimentos e Participações, da Abril Educação e da Localiza Rent a Car. Ajudou a fundar o Instituto Millenium, um centro de pensamento econômico, e também foi sócio-fundador do grupo financeiro BR Investimentos, que se tornaria parte da Bozano Investimento.
Onyx Lorenzoni será ministro da Casa Civil – Fernando Frazão/Agência Brasil
O deputado gaúcho Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi escolhido para a Casa Civil pelo trabalho de articulação legislativa desempenhado com sucesso no Congresso, meses antes do início da campanha, arregimentando maioria parlamentar de sustentação a Bolsonaro.
Onyx tem 64 anos, nascido em Porto Alegre, formado em medicina veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Está em seu quarto mandato como deputado federal, depois de exercer dois mandatos como deputado estadual.
No Congresso, Onyx é apontado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) como um dos parlamentares mais influentes. Participou de 12 CPIs, com destaque para a dos Correios, e a da Petrobras. Em 2016, foi relator do projeto que transforma as 10 Medidas contra Corrupção, propostas pelo Ministério Público Federal (MPF), em lei.
Generais na Esplanada
O general Heleno tem 70 anos, é nascido em Curitiba e formado na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman). É considerado uma das pessoas que gozam do maior prestígio e respeito por parte de Bolsonaro.
Heleno foi o primeiro comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), de junho de 2004 a setembro de 2005. Antes disso, no início de sua carreira, foi primeiro colocado de sua turma de cavalaria na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) e na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme).
No posto de major, integrou a missão militar brasileira de instrução no Paraguai. Como coronel, comandou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), em Campinas, e foi adido militar da Embaixada do Brasil em Paris, acreditado também em Bruxelas.
General Augusto Heleno comandará o Ministério da Defesa – Arquivo/Agência Brasil
Como oficial-general, foi comandante da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada e do Centro de Capacitação Física do Exército, chefe do Centro de Comunicação Social do Exército e do Gabinete do Comandante do Exército. O general também foi comandante militar da Amazônia.
O tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB) Marcos Pontes tem 55 anos e é natural de Bauru (SP). Notabilizado como o primeiro astronauta brasileiro, que atingiu o espaço em março de 2006, à bordo de uma nave russa, após anos treinando na Nasa, irá comandar a pasta de Ciência e Tecnologia.
Formou-se no Colégio Liceu Noroeste, em Bauru em 1980. Em 1984, recebeu o bacharelado em tecnologia aeronáutica da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga. Em 1989, iniciou o curso de engenharia aeronáutica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos, recebendo o título de engenheiro em 1993. Em 1998, obteve o mestrado em engenharia de sistemas pela Naval Postgraduate School, em Monterrey, Califórnia.
Marcos Pontes comandará Ciência e Tecnologia – Divulgação/Nasa
Em junho de 1998, foi selecionado para o programa espacial da Nasa, para a candidatura a que o país tinha direito no programa espacial do governo americano, pelo fato de integrar o esforço multinacional de construção da Estação Espacial Internacional.
Iniciou o treinamento obrigatório em agosto daquele ano no Centro Espacial Lyndon Johnson, em Houston. Em dezembro de 2000, ao
concluir o curso, foi declarado oficialmente astronauta da Nasa.
Cotados
Também aparece cotado para um ministério da Infraestrutura o general da reserva Oswaldo de Jesus Ferreira, 64 anos, que atuou em Brasília como um dos coordenadores do plano de governo de Bolsonaro. O general, que chegou ao posto máximo da carreira como chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, tem como meta retomar as obras paralisadas, o que exigirá aumento das verbas para investimentos, hoje reduzidas.
Na área de educação e comunicações, surge o nome do general Aléssio Ribeiro Souto, que tem coordenado esta área do programa de governo, mas há políticos do DEM cotados para ser ministro da Educação – como o próprio ex-ministro Mendonça Filho

Com 98,38% das urnas apuradas já se sabe que quase um terço da população preferiu lavar as mãos. A abstenção chegou a 21,25%, os votos brancos, a 2,15%, e os nulos, a 7,44%. Ou seja, mais de 30% dos eleitores brasileiros não escolheram nenhum dos dois candidatos à Presidência da República.
Essa é a maior soma de brancos e nulos desde 1989. A partir do cenário de redemocratização, com eleição em dois turnos, a média de votos nulos ficou em 4,45%, com pico de 4,7% em 2006, ante 7,38% hoje. A média de votos brancos foi de 1,72%. 
O resultado mostra que, além dos dois blocos polarizados, há uma terceira força no país que simplesmente não se sente representada. Praticamente um em cada três brasileiros preferiu ficar de fora da decisão mais importante de uma democracia.

Araripina – Capital da região do Araripe, o candidato a presidente Fernando Haddad (PT) manteve a liderança, obtendo 33.843 votos, enquanto Jair Bolsonaro (PSL) que foi eleito presidente do Brasil, obteve apenas 7.083 votos.

No primeiro turno Haddad também foi o mais votado em Araripina e no segundo turno ele só aumentou sua votação.

Segundo dados do TSE o número de votantes em Araripina foi de: 43.334 eleitores (78,21%).

Abstenção: 12.072 eleitores (21,79%).

Brancos: 432 eleitores (1%).

Nulos: 1.976 (4,56%).

Total válidos: 40.926 (94,44%).

 

Recebido entre palmas de correligionários, lideranças de PT, PROS, PCdoB, PSOL e movimentos sociais, o candidato derrotado à presidente da República, Fernando Haddad, agradeceu na noite de hoje (28) os 46 milhões de votos no segundo turno das eleições.
Em tom firme, Haddad discursou por cerca de dez minutos e garantiu que se manterá na oposição parafraseando o hino nacional. “Verás que um professor não foge à luta. Nem teme quem adora a liberdade a própria morte”, afirmou, ao lado da esposa, Ana Estela Haddad, seus filhos Bernardo e Ana Carolina, sua mãe, e irmãs.
Democracia 
Haddad ressaltou que há um longo período as “instituições são colocadas à prova a todo instante” e que soberania nacional e a democracia são valores que estão “acima de todos nós”.
“Temos uma tarefa enorme no país, que é em nome da democracia, defender o pensamento, as liberdades desses 45 milhões de brasileiros”, argumentou. “Parte expressiva do povo brasileiro precisa ser respeitada nesse momento”, completou.
Haddad subiu ao palco acompanhado da vice, Manoela d’Ávila, que carregava sua filha Laura no colo, do ex-candidato à presidência pelo PSOL, Guilherme Boulos, da ex-presidente Dilma Rousseff e de outros políticos de esquerda.
Coragem
Haddad afirmou que tem um compromisso com os brasileiros e pediu para que seus eleitores não aceitem provocações e ameaças. “Não vamos deixar esse país para trás. Vamos colocar o nosso ponto de vista”, assegurou. “Coloco a minha vida à disposição desse país. Não tenham medo, nós estaremos aqui. A vida é feita de coragem.”, garantiu.
Antes de discursar, houve um minuto de silêncio em homenagem às mortes de Marielle Franco, Moa do Catendê e Charlione Albuquerque.
Derrota
O candidato do PT foi derrotado por Jair Bolsonaro por uma diferença de cerca de 11 milhões de votos. Por meio do Twitter, a candidata à vice na chapa de Haddad, Manoela d’Ávila, disse que “a tristeza tem que se transformar rapidamente em resistência.”
“O espírito desses últimos dias, nos quais milhares foram para as ruas pra virar votos de um modo tão bonito precisa se manter e se multiplicar. Eles venceram, mas a luta vai continuar. Vamos permanecer juntos, resistir e defender a democracia e a liberdade”, afirmou.

Em nota, Paulo disse que “a retórica agressiva deve ficar no passado. Bolsonaro precisa ser presidente de todos e não apenas de uma parcela do Brasil”. O governador, que apoiou Fernando Haddad (PT) e foi apoiado no pleito estadual pelo Partidos dos Trabalhadores, também elogiou o “desempenho irrepreensível” do petista, o considerando um “guerreiro, correto, leal e que fez o que esteve ao seu alcance nessa curta campanha eleitoral”. 

“Espero que o presidente eleito Jair Bolsonaro governe para todos, respeitando a Constituição Federal, as instituições democráticas e a Federação. A retórica agressiva deve ficar no passado. Bolsonaro precisa ser presidente de todos e não apenas de uma parcela do Brasil. Quero também elogiar o desempenho irrepreensível de Fernando Haddad, que foi um guerreiro, correto, leal e que fez o que esteve ao seu alcance nessa curta campanha eleitoral. Torço para que Haddad se mantenha atuante, pois é um importante quadro político que tem muito ainda a oferecer ao Brasil”.

Governador Paulo Câmara


O presidente da República eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste domingo (28), ao ler o discurso da vitória na porta da casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, que o novo governo será um “defensor da Constituição, da democracia e da liberdade”.

Jair Bolsonaro derrotou Fernando Haddad (PT) no segundo turno e tomará posse como presidente da República em 1º de janeiro de 2019. De acordo com a apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com 96,27% das urnas apuradas, ele havia recebido 56,1 milhões de votos (55,49%).

“Faço de vocês minhas testemunhas de que esse governo será um defensor da constituição, da democracia e da liberdade. Isso é uma promessa, não de um partido, não é a palavra vã de um homem, é um juramento a Deus”, afirmou.

Antes do discurso da vitória, Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo pelo Facebook na qual disse que pretende “resgatar o Brasil”.

“Estou muito feliz, e missão não se escolhe nem se discute, se cumpre. Nós juntos cumpriremos a missão de resgatar o nosso Brasil”, declarou o presidente eleito.

Bolsonaro afirmou que terá condições de governabilidade e cumprirá todos os compromissos assumidos.

“Temos tudo para sermos uma grande nação. Temos condições de governabilidade dados aos contatos que fizemos nos últimos anos com parlamentares, todos os compromissos assumidos serão cumpridos com as mais variadas bancadas, com o povo em cada local do Brasil que me estive presente”, declarou.

Depois da transmissão no Facebook, Bolsonaro participou de uma corrente de oração conduzida pelo senador Magno Malta, na porta da casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

 

1-Serra Talhada:   Haddad  33.354. Bolsonaro 9.809 votos.

2-Tabira:   Haddad obteve 13.138 votos contra 2.083 votos de Bolsonaro.

3- Afogados da Ingazeira:  Fernando Haddad  14.965  Bolsonaro  4.729 .

No primeiro turno em Afogados, Haddad obteve 11.674 votos e Bolsonaro, 3.979. O candidato do prefeito Patriota  cresceu 3.291 votos e o candidato do PSL,  750 votos.

 4- IguaracyHaddad  5.217  Bolsonaro 866 

5- Flores Haddad 10.591  Bolsonaro 1.266 

6- Carnaíba:  Haddad   9.624 votos Bolsonaro  1.163 

 7- Quixaba: Haddad 4.169 – Bolsonaro  329

8- Ingazeira:  Haddade 2.637   Bolsonaro  377

9- Solidão:  Haddad 3.588  – Bosolnaro 400

10- Calumbi: Haddad4.270 – Bolsonaro  424

11- Triunfo:  Haddad7.109  Bolsonaro 1.286

12 Santa Cruz da Baixa Verde:   Haddad 6.019 – Bolsonaro 917 

 13- São José do Egito: Haddad  12.970 –  Bolsonaro  3.576 .

 14- Tuparetama: Haddad  5.203 – Bolsonaro 637

15- Itapetim : Haddad 7.053- Bolsonaro  1.485 

16- Santa Terezinha: Haddad  4.733  – Bolsonaro  808 

17- Brejinho: Haddad 4.174  – Bolsonaro  732

 

Em percentual de votos: 

 

 Quixaba  92,69%

Calumbi:  90,97%

Solidão:  89,97%

Flores:  89,32%

Carnaíba:  89,22%

Tuparetama:  89,09%

 Ingazeira: 87,49%

 Santa Cruz da Baixa Verde86,78%

Tabira:  86,31%

Iguaracy 85,97%

Santa Terezinha:  85,42%)

Brejinho:  85,08%

 Itapetim:  82,61% 

São José do Egito: 78,39% 

Serra Talhada:  77,27% 

Afogados da Ingazeira: 77,25% 

 

 

seções apuradas: 94876 de 96328
TOTAL
25.442.317
VÁLIDOS
20.915.927 (82,21%)
BRANCOS
1.039.131 (4,08%)
NULOS
3.487.259 (13,71%)
ABSTENÇÕES
7.091.739 (21,80%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br

Apuração ao longo do tempo

última atualização em 19:34:48h de 28/10/2018 (Horário de Brasília)

2º TURNO
1º TURNO

Candidatos

  1. Jair Bolsonaro

    Jair Bolsonaro

    PSL ELEITO

    55,54%

    55.205.640 votos

  2. Fernando Haddad

    Fernando Haddad

    PT

    44,46%

    44.193.523 votos

TOTAL
109.936.946
VÁLIDOS
99.399.163 (90,41%)
BRANCOS
2.371.683 (2,16%)
NULOS
8.166.100 (7,43%)
ABSTENÇÕES
29.519.904 (21,17%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br

 

96,04%

2º TURNO
1º TURNO

Governador

  1. Wilson Witzel

    Wilson Witzel

    PSC ELEITO

    59,66%

    4.475.784 votos

  2. Eduardo Paes

    Eduardo Paes

    DEM

    40,34%

    3.026.841 votos

TOTAL
9.044.736
VÁLIDOS
7.502.625 (82,95%)
BRANCOS
332.937 (3,68%)
NULOS
1.209.174 (13,37%)
ABSTENÇÕES
2.861.055 (24,03%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br
TOTAL
10.157.979
VÁLIDOS
8.182.917 (80,56%)
BRANCOS
402.618 (3,96%)
NULOS
1.572.444 (15,48%)
ABSTENÇÕES
3.055.984 (23,13%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br

Apuração ao longo do tempo

última atualização em 18:50:46h de 28/10/2018 (Horário de Brasília)
Antonio AnastasiaRomeu Zema

 

 

2º TURNO
1º TURNO

Governador

  1. Comandante Moisés

    Comandante Moisés

    PSL ELEITO

    71,35%

    2.392.129 votos

  2. Gelson Merísio

    Gelson Merísio

    PSD

    28,65%

    960.517 votos

TOTAL
3.799.028
VÁLIDOS
3.352.646 (88,25%)
BRANCOS
137.131 (3,61%)
NULOS
309.251 (8,14%)
ABSTENÇÕES
766.912 (16,80%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br

Apuração ao longo do tempo

última atualização em 18:45:13h de 28/10/2018 (Horário de Brasília)
Comandante MoisésGelson Merísio17:3018h18:300%20%40%60%80%

17:38

Comandante Moisés66,53%
Gelson Merísio33,47%
2º TURNO
1º TURNO

Governador

  1. Ibaneis

    MDB ELEITO

    69,98%

    993.441 votos

  2. Rodrigo Rollemberg

    PSB

    30,02%

    426.159 votos

TOTAL
1.603.236
VÁLIDOS
1.419.600 (88,55%)
BRANCOS
55.390 (3,45%)
NULOS
128.246 (8,00%)
ABSTENÇÕES
374.694 (18,94%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br
G1

 

2,51%

seções apuradas: 850 de 33901
2º TURNO
1º TURNO

Governador

  1. Wilson Witzel

    Wilson Witzel

    PSC

    63,93%

    108.845 votos

  2. Eduardo Paes

    Eduardo Paes

    DEM

    36,07%

    61.399 votos

TOTAL
203.245
VÁLIDOS
170.244 (83,76%)
BRANCOS
7.172 (3,53%)
NULOS
25.829 (12,71%)
ABSTENÇÕES
68.921 (25,32%)
Eleito / 2º Turno (resultados matematicamente definidos).
A fonte das informações desta página é o Tribunal Superior Eleitoral. Segundo esclarece o TSE, o candidato que aparece com 0 (zero) voto pode não ter tido seus votos validados devido à sua situação jurídica ou à do seu partido. Para consultar a situação do candidato, acesse http://divulgacandcontas.tse.jus.br

Apuração ao longo do tempo real 

 

IBOPE – Votos válidos

  • – João Doria (PSDB): 52 %
  • – Marcio França (PSB): 48 %

Abaixo o percentual encontrado de votos brancos/nulos e indecisos, mas esse não deve ser somado aos votos válidos apresentados acima.

  • – Brancos/Nulos/Indecisos 12 %
Boca de urna em São Paulo segundo o Ibope

Boca de urna em São Paulo segundo o Ibope (Foto: TV Globo/Reprodução)

Período de campo: 28/10

Tamanho da amostra: 6.800 votantes.

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos

Nível de confiança: 99%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 99% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral

Solicitante: IBOPE

Registro Eleitoral: TRE_SP Nº SP-00714/2018 e no TSE Nº BR06398/2018

Foto: Divulgação/PSB

Vice-presidente nacional do PSB, o governador reeleito Paulo Câmara destacou o crescimento do presidenciável Fernando Haddad (PT) nos últimos dias e falou da importância do Nordeste na votação deste domingo (28), dia da escolha do representante que irá governar o país pelos próximos quatro anos. Acompanhado do prefeito Geraldo Julio (PSB), da primeira-dama Ana Luiza Câmara, da vice-governadora eleita Luciana Santos (PCdoB) e de correligionários, o socialista votou, na manhã de hoje, no Centro de Educação Comunitária e Social do Nordeste (Cecosne), no bairro da Madalena, Recife.

“Hoje é mais um dia em favor da democracia. As eleições estão ocorrendo muito bem em Pernambuco e a gente espera que ocorra assim ao longo do dia. Nosso candidato teve um crescimento consistente nos últimos dias. O Nordeste está muito unido e, com certeza, vai dar uma grande vitória a Fernando Haddad”, destacou o governador reeleito. No primeiro turno, o presidenciável foi o candidato majoritário em Pernambuco e ganhou em oito dos nove estados nordestinos, com exceção apenas do Ceará.

Durante entrevista, Paulo Câmara ainda falou sobre os desafios do próximo presidente da República, que deverá ter um olhar especial para a região e trabalhar pela redução das desigualdades. “O presidente precisa conversar com os governadores, como os governadores têm que conversar com os prefeitos e prefeitas. Isso faz parte da Federação e a gente espera que isso seja feito da forma correta. Ou seja, olhando o Brasil por inteiro, olhando as regiões com todas as suas peculiaridades. O desafio do próximo presidente é diminuir as desigualdades regionais, que é fundamental para o Brasil que a gente quer”, defendeu o gestor.

O prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, votou  na sessão 03 no Colégio Normal Estadual

Prefeito de Afogados da Ingazeira teve a resposta da população afogadense que participaram voluntariamente de uma das maiores carreatas já vista na história do município  em apoio a candidatura de Fernando Haddad.

(Fotos:Cláudio Gomes/MarcosMontinelly)

“Votar é fazer uma escolha racional. Eu, por exemplo, sopesei os aspectos positivos e os negativos dos dois candidatos que restam na disputa. Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad”, postou Joaquim Barbosa, que foi presidente do Supremo Tribunal Federal. Jair Bolsonaro vem sendo apontado pela imprensa global como uma ameaça ao Brasil e ao mundo.

Abaixo, tweet de Joaquim Barbosa e reportagem da Reuters sobre a sucessão:

(Reuters) – O presidenciável do PT, Fernando Haddad, afirmou nesta sexta-feira que o seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), estimula pessoas violentas a saírem do armário.

“Ele estimula as milícias, os capangas, as pessoas violentas a saírem do armário, ele é a expressão da violência”, disse Haddad durante coletiva de imprensa em João Pessoa, na Paraíba.

“É muito comum na história dos povos que um covarde seja o agente da violência social. Em geral, são pequenos homens que estimulam a violência, até em função dos seus problemas psicológicos”, continuou.

“Por isso que os pequenos homens com problemas psicológicos são tratados respeitosamente, mas não chegam ao poder, porque são perigosos no poder. Não são perigosos fora do poder”, afirmou o ex-prefeito de São Paulo.

Segundo o petista, Jair Bolsonaro não tem um projeto, mas sim uma “retórica da violência”.

“A gente sabe como essa retórica da violência começa, mas a gente não sabe até onde vai. Nós precisamos cortar esse mal pela raiz”, afirmou o candidato.

Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto para o segundo turno da eleição presidencial marcado para domingo.

MAIS ACERTOS DO QUE ERROS

Ao defender o projeto que representa, Haddad voltou a reconhecer que o PT cometeu erros, embora tenha feito mais acertos.

“Eu represento um projeto que tem muito mais acertos do que erros. Mudou a vida de metade da população brasileira. E os erros eu estou aqui assumindo e disposto a corrigir”, disse.

O candidato também se mostrou otimista nesta reta final antes da eleição de domingo e disse acreditar que uma virada irá acontecer, acrescentando que “segunda-feira já começamos a trabalhar na equipe de governo”.

O petista também voltou a comentar que espera um apoio do pedetista Ciro Gomes, derrotado no primeiro turno da disputa presidencial e cujo partido decidiu dar “apoio crítico” à candidatura do PT.

“Acredito que, chegando no Ceará, ele (Ciro) vai fazer um gesto importante pelo Brasil. Não é por mim, é pelo Brasil… Ele sabe o que está em jogo, ele sabe o que está em risco”, disse Haddad. (247)

 

Enquanto os irmãos que pregam ódio:

Pesquisa Vox 247 realizada neste sábado 27 aponta empate entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), apontando para uma virada real neste domingo 28, data da votação do segundo turno.

Nos votos totais, as intenções de voto são de exatamente a 43% a 43%. Ninguém/Brancos/Nulos são 9% e “não sabe” ou “não respondeu”, 5%.

Nos votos válidos, os percentuais são de exatamente 50% a 50%.

Os votos espontâneos para presidente, quando os eleitores citam o nome do candidato espontaneamente, são de 51% a 49% para Bolsonaro.

Esta pesquisa foi registrada junto à Justiça Eleitoral no dia 21 de outubro, sob o número BR-09614/2018. Foram entrevistados 2.000 eleitores de 16 anos ou mais, em 121 municípios. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

A pesquisa Vox 247 foi a segunda encomendada pela Editora 247 ao instituto Vox Populi financiada totalmente por eleitores, membros da comunidade 247, assinantes solidários ou não do portal e da TV 247. Para isso, foi aberta uma campanha de financiamento coletivo no site Catarse, ainda aberta.

A pesquisa Vox 247 do dia 6 de outubro, véspera da votação do primeiro turno, foi a que mais se aproximou do resultado das urnas no primeiro turno das eleições de 2018, em comparação às dos outros dois institutos de pesquisa mais tradicionais do país, o Ibope e o Datafolha. (247)

Ciro Gomes, que disputou a presidência da República pelo PDT, já voltou ao Brasil e deixou claro que repudia Jair Bolsonaro. Sem falar com a imprensa, Ciro reservou apenas um grito de “Ele não” antes de sair do Aeroporto Internacional Pinto Martins, numa referência a Bolsonaro, o candidato da extrema direita. Ciro, no entanto, ainda não fez uma declaração de apoio mais enfática a Fernando Haddad, que representa o campo democrático.

Durante a semana, Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, chegou a afirmar que Ciro iria gravar um vídeo em apoio a Haddad. “Agora nós (do PDT) queremos guardar o direito de não precisar fazer campanha, porque o PT nos machucou muito neste processo eleitoral”, disse ele ao jornal O Povo. (247

O debate que faltou entre Haddad e Jair Bolsonaro

 

Resultado de imagem para bozo e haddadColuna Fogo Cruzado 

Almir Reis, Alexandre Vasconcelos e Flávio Bonfim debateram a reforma previdenciária

A campanha eleitoral se encerra hoje, pelo menos no rádio e na TV, sem que os dois candidatos a presidente tenham apresentado à nação o que propõem para enfrentar seu mais grave problema na atualidade, talvez até mais grave que o desemprego: a reforma previdencária. Isso vale também para os estados, onde os candidatos eleitos e não eleitos passaram ao largo dessa questão. Alega-se que é um tema “impopular” e que quem tocasse nele perderia votos. Pode ser. Porque o PT demonizou essa reforma dizendo que ela tiraria direitos dos trabalhadores. Porém, nada é mais popular e urgente do que um debate em torno de um problema que diz respeito à vida de todos os brasileiros. Adiar o enfrentamento do problema, aí sim, obrigar o governante de plantão, seja ele quem for, a tomar medida duras, pois o dinheiro do OGU não pode ser integralmente destinado ao pagamento de aposentadorias e pensões. Essa reforma não foi debatida em Pernambuco nem por Paulo Câmara nem por Armando Monteiro, pelo menos com a profundidade que merecia. E foi tratada superficialmente por Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. Enquanto isso, ela foi debatida ontem nos estúdios da Rádio CBN, com objetividade, profundidade e seriedade por três especialistas em Direito Previdenciário – Almir Reis, Alexandre Vasconcelos e Flávio Bonfim. Os dois presidenciáveis teriam tirado bom proveito se porventura tivessem assistido ao debate, travado em alto nível do início ao fim.

A favor da democracia

Historicamente antipetistas, os ex-governadores Jarbas Vasconcelos (PE) e Alberto Goldman (SP) decidiram votar em Haddad neste 2º turno da eleição presidencial. Alegam que o outro candidato, Jair Bolsonaro, é uma “ameaça à democracia”. Goldman é um dissidente no PSDB de SP. Votará em Márcio França (PSB,) e não em Doria (PSDB), com quem brigou em 2016.

A costura – Deve-se aos três senadores de Pernambuco o acordo celebrado com as bancadas da Bahia na Câmara e no Senado que permitiu a prorrogação, até 2025, dos incentivos fiscais às montadoras instaladas no Nordeste. Sem eles, Pernambuco poderia perder a Fiat e, a Bahia, a Ford.

O diálogo – O ministro Dias Toffoli, presidente do STF, chamou para uma reunião hoje em Brasília os ministros do TCU e todos os presidentes de Tribunais de Contas. O de Pernambuco, Marcos Loreto, viajou ontem. Toffoli deseja aproximar o STF dos órgãos de controle.

Bodas de prata – Batizada com o nome de Joaquim Arcoverde, a Inspetoria do TCE localizada em Arcoverde completa hoje 25 anos de fundação. Joaquim Arcoverde, nascido na vila de Cimbres, então município de Pesqueira, foi o primeiro cardeal da América Latina.
A gratidão – Reeleito deputado estadual com mais de 60 mil votos, Lucas Ramos (PSB) começou a visitar seus municípios para agradecer os votos recebidos. O primeiro foi Surubim, onde foi majoritário, após 35 dias de campanha, com apoio da prefeita Ana Célia Farias (PSB).

O comício – Haddad encerrará sua campanha hoje, no Recife, no mesmo local em que se realizou em 1989 o maior comício da história da cidade nos últimos 50 anos, quando se enfrentaram Lula e Collor. Lula, estrela do comício, tinha o apoio de Arraes, então governador.

Oposição – Para o deputado estadual Alberto Feitosa, o melhor caminho para o PSB, PDT e outros partidos que apoiam Fernando Haddad, é que o petista seja derrotado por uma larga margem. Isso permitirá que o PT perca a prerrogativa de liderar a oposição a um eventual governo Bolsonaro, e dará chance para o PSB e o PDT assumam o protagonismo político pelos próximos quatro anos na oposição ao provável governo do PSL.

Fernando Dueire – Suplente de Jarbas Vasconcelos, Fernando Dueire teve atuação destacada durante o governo Jarbas como secretário de Infraestrutura e na eleição deste ano não foi diferente, quando o senador não podia ir a eventos de campanha, o suplente estava lá atuando firmemente para que o titular chegasse ao mandato. Dueire está sendo lembrado para integrar o primeiro escalão de Paulo Câmara na secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Governista – Reeleito com mais do que o dobro de votos em relação ao primeiro mandato, Joel da Harpa está sendo visto como provável governista por setores palacianos. Como ele se reelegeu sem depender exclusivamente dos votos da PM, o deputado terá mais liberdade para abordar outras pautas e naturalmente integrar a base aliada do governador Paulo Câmara na Alepe.

Nome para 2020 – Mais votado proporcionalmente num único município pela segunda eleição consecutiva, o deputado estadual Álvaro Porto (PTB) reafirma sua condição de maior liderança de Canhotinho, no Agreste Meridional. Além de ter recebido 68,13% dos votos válidos (7.557 votos) e ter assegurado o primeiro lugar para André Ferreira (PSC) – 5.644 ou mais de 50% dos votos – na corrida pela Câmara dos Deputados, Porto se constitui no principal cabo eleitoral para a disputa da prefeitura de Canhotinho em 2020. E o que já se comenta na cidade é que Sandra Porto, esposa do deputado, é o nome da vez para o Executivo municipal. Ex primeira-dama atuante quando Álvaro ocupou a prefeitura, ela conquistou a confiança e o coração dos canhotinhenses. Já se fala até mesmo que, dificilmente, alguém da oposição se animará a entrar na disputa com ela.

Petrolina – Após uma lacuna de quase doze anos sem obras de mobilidade de alto impacto, a população de Petrolina poderá usufruir do novo sistema viário da Avenida Sete de Setembro. Nesta sexta-feira (26), às 10h, o prefeito Miguel Coelho e o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, inauguram a duplicação do corredor de tráfego de veículos situado na porta de entrada da cidade sertaneja. As obras da avenida levaram nove meses para serem concluídas com um investimento de mais de R$ 11 milhões, incluindo a nova rede de iluminação em LED.

Inocente quer saber – Jair Bolsonaro vai vetar ministros de Temer para a sua equipe como seus aliados estão afirmando?

Resultado de imagem para ÁUREO CISNEIROS

Sou policial, sou trabalhador e sou cristão. Os valores que obtive na minha formação balizam o meu voto para presidente.

Defendo um modelo de sociedade com mais justiça social e respeito aos mais humildes.

Defendo uma segurança pública cidadã, onde a proteção a vida é a principal prioridade.

Defendo e continuarei a defender o policial enquanto trabalhador e, como tal, com direitos e deveres. O policial não pode ser capataz , capitão do mato ou jagunço de políticos ou de governo. O policial deve servir ao povo, respeitar e fazer valer a lei igualmente para todos.

Defendo e votarei no candidato que revogará o teto de gastos que proíbe por 20 anos investimentos na saúde, educação e segurança.

Defendo e votarei no candidato que revogará a reforma trabalhista que diminuiu salários, aumentou a carga horária, enfim, tornou a vida do trabalhador ainda mais difícil.

Defendo e votarei no candidato que vai investir e não retirar orçamento da educação.

Defendo e votarei no candidato que não vai demitir professores, merendeiras e demais profissionais da educação para implantar “ensino a distância”.

Defendo e votarei no candidato que vai gerar empregos e não no que defende retirar direitos.

Defendo e votarei no candidato que propõe isonomia salarial entre homens e mulheres e não no que defende salários inferiores às mulheres.

Defendo e votarei no candidato que respeita às mulheres, os negros, indígenas e todas as diversidades da raças humanas.

Sou Policial Civil, sou servidor público do Estado, sou contra diminuir os serviços estatais. Sou contra privatizações, pois quem sofre com a diminuição do estado são os mais humildes.

Defendo e votarei no candidato nacionalista e não em candidato que presta continência a bandeira dos EUA e que pretende vender o patrimônio nacional aos estrangeiros.

Defendo e votarei no candidato que irá taxar as grandes fortunas, hoje não pagam impostos no Brasil. Logo, Cobrar mais impostos dos milionários ajudaria o Brasil a equilibrar as contas do governo e melhorar os serviços públicos oferecidos à população.

Por fim, os valores que obtemos, em nossa formação, nos acompanha para toda vida. Como disse, sou cristão e Jesus foi covardemente torturado. Não voto em quem defende a tortura.

Pelos valores cristãos que tenho, pela luta por uma sociedade mais justa, por um Brasil com mais educação, mais amor e menos ódio, eu vou de Haddad. É 13!

Áureo Cisneiros(Foi Candidato a Deputado Estadual em Pernambuco pelo PSOL,  obteve 18.914 votos totalizados)
Membro do Movimento Nacional dos Policiais Antifascismo.
Presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco.

No início da noite desta sexta-feira (26), um grupo formado por apoiadores do candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), percorreu as ruas de Afogados da Ingazeira.

Organizado pelo PSL de Afogados da Ingazeira, o ato, intitulado de “Carreata da Família” percorreu as principais ruas do município, saindo da concentração no estacionamento do estádio Vianão, passando pelo São Braz, bairro São Francisco, Centro e finalizando na Avenida Rio Branco.

Motos e carros seguiram em fila acompanhados pelo som de quatro paredões que tocavam músicas da campanha do capitão reformado. O presidente do PSL em Afogados, Toninho Valadares, seguiu em cima de um dos carros, puxando o discurso em defesa de seu candidato.

Toninho é filho do ex-prefeito Totonho Valadares e ligado a Luciano Bivar, responsável por atrair o candidato à presidência ao PSL. Bivar ainda é cotado para presidir a Câmara caso Bolsonaro seja eleito domingo.

 

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta sexta-feira, 26, que toda interferência na autonomia das universidades é, de início, “incabível”, ao comentar sobre decisões judiciais que coibiram supostas propagandas eleitorais irregulares em instituições de ensino pelo País. Marco Aurélio ressaltou que a universidade é “campo do saber“, característica que pressupõe “liberdade no pensar e de expressar ideias“. Foram ao menos 17 intervenções em nove Estados.

Apesar de ressalvar que seu pronunciamento não se refere especificamente sobre a atuação da Justiça Eleitoral nos casos, Marco Aurélio destacou que a “quadra é de extremos” e “perigosa”. Para o ministro, é preciso que a Justiça tenha cautela, para que a situação não chegue a extremos.

Universidade é campo do saber. O saber pressupõe liberdade, liberdade no pensar, liberdade de expressar ideias. Interferência externa é, de regra, indevida. Vinga a autonomia universitária. Toda interferência é, de início, incabível. Essa é a óptica a ser observada. Falo de uma forma geral. Não me pronuncio especificamente sobre a atuação da Justiça Eleitoral. Mas reconheço que a quadra é de extremos. Por isso é perigosa, em termos de Estado Democrático de Direito. Esse é o meu pensamento“, afirmou Marco Aurélio.

Outro ministro do STF ouvido em caráter reservado pelo Estadão/Broadcast Político definiu os episódios como um “um horror”.

Um integrante do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que preferiu não ser identificado destacou à reportagem que manifestações partidárias em prédios públicos são proibidas, mas lembrou que isso não se aplica a atos genéricos, sem conteúdo partidário, que discutam política. Para este ministro, a atuação de Tribunais Regionais Eleitorais nestes casos apresenta um “rigor excessivo“. Ele também destacou, por outro lado, que é preciso entender se há alguma ação organizada, o que pode ensejar algum rigor maior da Justiça.

Outro ministro da Corte Eleitoral ouvido pela reportagem acredita que as decisões judiciais causam estranhamento, lembram os anos de chumbo da ditadura e, dependendo da motivação, houve abuso de autoridade.

Nota pública

Nesta sexta-feira, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão do Ministério Público Federal (MPF), lançou nota pública em que ressalta que a vedação de uso de bens públicos para propaganda eleitoral não se confunde com a proibição do debate de ideias. “Nem mesmo a maior ou menor conexão ou antagonismo de determinada agremiação política ou candidatura com alguns dos valores constitucionais pode servir de fundamento para que esses valores deixem de ser manifestados e discutidos publicamente”.

Questionado se seria responsável por algum tipo de orientação ou direcionamento nos casos, o TSE apenas destacou em nota que tais decisões não partiram da Corte Eleitoral. (Fonte: Estadão)