A dentista Andrea Barbosa, ex-companheira do general da ativa Eduardo Pazuelo, que comandou o Ministério da Saúde por dez meses durante a pandemia da Covid-19, diz que ouviu “coisas bárbaras” do ex-marido durante a crise do oxigênio em Manaus, em 2021.

Segundo a Revista Fórum, entre as frases que Barbosa diz ter escutado Pazuelo está a pérola: “Se fosse por mim comprava só saco preto”. “Minhas questões são pessoais, mas também são coletivas, vi o descaso com que ele tratou as pessoas”, afirmou à publicação.

A dentista vive em Manaus desde maio do ano passado por causa do ex-marido, que em seguida foi assumir o ministério em Brasília.

Também em entrevista à Fórum, Barbosa conta que recebeu muitas ameaças e mensagens após o colunista Lauro Jardim, do O Globo,  publicar que ela havia procurado a CPI da Pandemia para dizer que gostaria de prestar depoimento – algo que ela nega ter feito.

Ao contrário, a dentista diz que foi procurada por uma assessora. “Não quero minha vida exposta, não vou depor. Primeiro porque estou fragilizada, segundo, porque criaram um factoide de mim, da mulher vingativa e traída”, disse.

Barbosa tinha um relacionamento com Pazuello há 16 anos e tem uma filha de 13 anos. Contudo, desde agosto do ano passado está separada do general. 

Ela conta que naquele mês, recebeu prints e fotos que diziam que o ministro estava a traindo com a 1º tenente Laura Triba Appi, que é médica. Triba foi nomeada para o cargo de assessora da Secretaria-Executiva por Pazuello em maio de 2020.

Segundo Andrea, na época ela se revoltou e postou tudo nas redes sociais. “Confirmo que ela é namorada dele, e além de receber pelo Exército recebe pelo cargo no ministério. E vai a todas as reuniões reverberando cloroquina e ivermectina”, disse.

Na avaliação de Barbosa, a 1ª tenente divulgou mais o tratamento  sem eficácia para a Covid-19 do que a médica Mayra Pinheiro, conhecida como “capitã cloroquina”. 

“Tenho pena dessa moça, quer alavancar a carreira dela, com um velho gordo, misógino e abusivo, coitada”, opina. Segundo Andrea, após receber as fotos, ela foi questionar Pazuello e ouviu do ex-ministro que as pessoas iriam rir dela e foi chamada de “comunista e louca”. 

Andrea conta que sempre se considerou uma pessoa “de esquerda”, e que Pazuello sempre fez “pouco caso” da situação, e brincava que a levaria para a Venezuela. Mas as coisas mudaram quando Bolsonaro surgiu com força nas eleições presidenciais de 2018.

“Ele me respeitava, até 2018. Daí comecei a ver o Eduardo muito arredio comigo, quando Bolsonaro se elegeu ele ficou extremamente reativo, não podia mais falar nada do Bolsonaro dentro de casa e a nossa relação já estava desgastada”, conta. (Via: Agência Senado)

Sertão: Suspeitos de homicídio na noite de São João em Tabira são presos

Na noite de ontem dia (28), as forças de segurança em Tabira prenderam os suspeitos do homicídio de um homem às margens da estrada vicinal que liga o Bairro Barreiros II à Rodovia PE-320, próximo ao Motel Castelão ocorrido na noite do dia 24 de junho (noite de São João).

À redação do blog, o delegado regional Ubiratan Rocha, informou que os suspeitos já vinham sendo monitorados e foram presos após tentativa de roubo.

Com eles foram apreendidos valores em dinheiro, armas, drogas e uma moto roubada, que os suspeitos usavam para praticar os crimes.

Ainda de acordo com o Blog Nill Júnior, o delegado ainda informou que além do homicídio, eles são suspeitos de roubos, latrocínios e associação criminosa.

Relembre o caso – Na noite desta quarta-feira, o Grupamento Rondas de Apoio ao Cidadão (RONDAC), da Guarda Municipal de Tabira, foi informado via Central e Comunicações (CECOM) de que uma pessoa havia dado entrada no Hospital Municipal de Tabira, provavelmente vítima de disparo de arma de fogo.

De imediato, a guarnição fez-se presente no local onde uma técnica de enfermagem informou que um popular foi até o hospital e solicitou socorro, pois às margens da estrada vicinal que liga o Bairro Barreiros II à Rodovia PE-320, próximo ao Motel Castelão, havia um homem caído.

Segundo informações o homem de 19 anos, solteiro, desocupado, estava agonizando e perdendo muito sangue após ser ouvido um disparo de arma de fogo e uma motocicleta passando em alta velocidade pelas proximidades do local do crime.

Diante dos fatos, uma equipe dirigiu-se até o local onde foram realizados os procedimentos de primeiros socorros. Ele foi encaminhado para o hospital onde o médico de plantão identificou uma perfuração de arma de fogo na região da nuca. A vítima foi transferida para o Hospital Regional de Afogados da Ingazeira em estado grave. Porém, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Lázaro Barbosa levava armas, biscoito, remédios e faca na mochila antes de ser morto

A polícia encontrou vários itens dentro da mochila de Lázaro Barbosa, que foi morto durante troca de tiros na manhã desta segunda-feira (28) depois de 20 dias fugindo de uma força-tarefa com mais de 270 agentes, em Águas Lindas de Goiás.

Aos 32 anos, ele tinha uma extensa ficha criminal, fugiu três vezes da prisão e era acusado de diversos crimes. Consta no boletim de ocorrências que, entre os objetos estavam duas armas, biscoitos, remédios e uma faca.

Confira:

1 pistola;
1 revólver calibre 38;
Carregador de pistola;
Isqueiro;
R$ 4,4 mil em espécie
Gandola Camuflada;
Balaclava;
Luva de pano;
Frasco branco com óleo;
Vidro branco com antibiótico Amoxicilina;
Macarrão instantâneo;
Tempero pronto;
Cebola;
Biscoito;