No Twitter, o diretor da polícia do condado de Miami-Dade, Alfredo Ramirez, afirmou que os criminosos “atiraram indiscriminadamente” nas pessoas.

Três suspeitos abriram fogo contra uma multidão que estava em frente a um buffet na cidade de Hialeah, na Flórida, no começo da madrugada deste domingo (30), matando ao menos duas pessoas e deixando mais de 20 feridos.

No Twitter, o diretor da polícia do condado de Miami-Dade, Alfredo Ramirez, afirmou que os criminosos “atiraram indiscriminadamente” nas pessoas.

Segundo a rede de TV norte-americana ABC News, o trio chegou em um veículo SUV portando rifles e revólveres, entre meia-noite e 1h.

Não há informações sobre o estado de saúde dos demais baleados, já que eles foram levados a diversos hospitais da região.

O jornal local Miami Herald afirma que este foi o segundo tiroteio na área de Miami neste feriadão do Memorial Day.

Na sexta-feira, uma pessoa foi morta e seis ficaram feridas a bala no distrito de Wynwood.

Não ponha em sua boca o nome do meu irmão’, diz irmã de Paulo Gustavo para Bolsonaro

Amaral afirma na carta que soube das condolências enviadas por Bolsonaro após a morte do ator, em 4 de maio, em decorrência da Covid-19, mas só agora conseguiu responder.

A irmã do humorista Paulo Gustavo (1978-2021), Ju Amaral, publicou em suas redes sociais, na noite deste sábado (29), uma carta ao presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

 A irmã do humorista Paulo Gustavo (1978-2021), Ju Amaral, publicou em suas redes sociais, na noite deste sábado (29), uma carta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recusando suas condolências. “Nunca mais ponha na sua boca o nome do meu irmão”, afirmou ela.

“Essa boca que disse não à vacina e condenou tantos à morte, essa mesma boca que debochou imitando pessoas com falta de ar, pessoas que viveram o horror que meu irmão viveu, não pode ser usada para pronunciar o nome dele nem lamentar a morte de todos os vitimados pela Covid”, continuou.

Amaral afirma na carta que soube das condolências enviadas por Bolsonaro após a morte do ator, em 4 de maio, em decorrência da Covid-19, mas só agora conseguiu responder: “Espero que o senhor não despeje sobre minha família os seus mais sinceros sentimentos, pois eu não os aceito”, disse.

“Meu irmão e você não tinham nada em comum. Vocês trafegam em vias opostas. Enquanto ele ia na estrada da vida, do afeto, da generosidade e empatia, o senhor vem pelas trevas, trazendo escuridão e morte. O Brasil que o senhor comanda carrega nas costas quase 500 mil filhos mortos, e dentre eles o meu irmão.”

Paulo Gustavo morreu aos 42 anos, após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação da morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível.

“Meus votos de pesar pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo, que com seu talento e carisma conquistou o carinho de todo Brasil. Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a Covid”, disse o presidente na ocasião.

A mensagem de Bolsonaro foi publicada quase duas horas depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou a morte. “Recebi com muita tristeza a notícia da morte de Paulo Gustavo. A covid levou hoje mais um de nós. Um grande brasileiro, que brindou nosso país com tanta alegria. Descanse em paz. Seu talento jamais será esquecido”, escreveu Lula.

SAUDADES

Neste sábado, o marido do ator, o médico Thales Bretas, usou as redes sociais neste sábado (29) para desabafar sobre a saudade que sente: “As noites são mais difíceis sem você, meu amor”, afirmou.

“Que saudade que eu estou de viver com você. Viajar, rir das suas palhaçadas, dessa alegria que preenchia todo e qualquer cômodo a todo momento”, completou ele, que postou um vídeo do ator brincando sobre seu traje durante uma viagem à Austrália.

Bretas já tinha usado as redes sociais nessa semana para criticar os boatos de que ele estaria tendo um novo romance. “Fico impressionado como as pessoas são oportunistas e maldosas! Não respeitam nada nem ninguém!”, afirmou na ocasião.

Esposa exigiu que marido matasse amante ao descobrir traição; corpo foi carbonizado

O Ministério Público denunciou um casal suspeito de matar uma jovem de 20 anos, no início de abril, na cidade de Praia Grande, no litoral de São Paulo. De acordo com o MP, a esposa do homem exigiu de seu companheiro a morte de Vitória Luiza da Silva, com quem ele mantinha uma relação extraconjugal, como condição para a continuidade da relação entre eles. O corpo de Vitória foi encontrado carbonizado.

Após a denúncia do Ministério Público, acatada pela Justiça, os suspeitos tiveram a prisão preventiva decretada. O MP havia pedido a mudança da prisão, inicialmente temporária (30 dias), após o inquérito policial apresentar fortes indícios de que o casal cometeu o crime em conjunto.

De acordo com a denúncia, o assassinato de Vitória foi premeditada pelo casal. Ao descobrir que o homem era casado, a jovem se distanciou dele. Entretanto, a esposa teria pedido a morte da vítima para que continuasse com ele. 

Ainda conforme o MP, eles teriam atraído Vitória sob o pretexto de um encontro amoroso, sem que a vítima soubesse da presença da esposa. Os suspeitos levaram a um local afastado, onde o homem teria efetuado um disparo com arma de fogo que atingiu a vítima na região da cabeça. Acreditando terem matado Vitória, eles fugiram, porém, retornaram para se livrar do celular dela. Ao chegar no local novamente, eles notaram que ela ainda estava viva, momento em que teriam decidido atear fogo na jovem