A remessa completa o envio de 3 milhões de imunizantes provenientes do acordo com o governo americano.

Imunizantes da Janssen chegam ao Brasil (Foto: Reprodução)

O Brasil recebeu, na manhã deste sábado (26), um lote com 942 mil de doses da vacina da Janssen contra Covid-19, doadas pelos Estados Unidos, sem relação com o consórcio Covax Facility. A remessa completa o envio de 3 milhões de imunizantes provenientes do acordo com o governo americano. A aeronave pousou no Aeroporto Internacional de Viracopos às 6h29.

Inicialmente, o Ministério da Saúde havia informado que as 3 milhões de doses doadas pelos Estados Unidos chegariam ao Brasil em um único voo. No entanto, a logística foi alterada e a pasta disse que o lote precisou ser fracionado por conta do peso. Por isso, foram enviadas 2,05 milhões de vacinas na sexta-feira (25) e outras 942 mil neste sábado.

Na sexta, a chegada das vacinas da Janssen doadas pelo governo americano teve a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, além do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), e outras autoridades. As 3 milhões de doses serão distribuídas em todas as unidades da federação.

A vacina da Janssen, do grupo Johnson & Johnson, é aplicada em dose única. Ela pode ser armazenada por pelo menos 3 meses, em temperaturas de 2°C a 8°C, equivalente a geladeiras normais. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial do imunizante da Janssen no Brasil em 31 de março de 2021.

A doação das 3 milhões de doses ao Brasil é a maior já feita pelo governo americano a qualquer país até agora. O principal assessor do presidente Joe Biden para a América Latina afirmou que a doação ao Brasil reflete “o foco dos EUA para combater a Covid numa das regiões mais afetadas pela pandemia”. A intenção da Casa Branca é compartilhar 55 milhões de vacinas em todo o mundo.

Além do lote de doação que desembarca nesta sexta, o Brasil já recebeu 300 mil imunizantes da Janssen na quinta-feira e 1,5 milhão na terça. As doses foram compradas pelo governo brasileiro, que prevê a entrega de 38 milhões provenientes do acordo com a farmacêutica. A vacina começa a ser aplicada no Brasil nesta sexta.

Como é a vacina
Janssen é a vacina desenvolvida pela divisão farmacêutica do grupo Johnson&Johnson, que leva o mesmo nome. O imunizante apresentou eficácia de 66% para os casos moderados a graves, e de 85% para os casos graves.

A eficácia mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Anvisa é de 50%. O imunizante usa a tecnologia de vetor viral e funcionou contra a variante da África do Sul, a mais contagiosa. A companhia diz ter o objetivo de fornecer 1 bilhão de doses da vacina em todo o mundo em 2021.

Prazo de validade ampliado
A chegada das doses da Janssen impacta nas estratégias de vacinação de todo o país. Isto porque os lotes têm prazo de validade até agosto.

A validade inicialmente considerada pelo governo federal era de até 27 de junho. No entanto, uma avaliação técnica da Anvisa identificou que os imunizantes podem ser utilizados até 8 de agosto, desde que armazenados em temperatura de 2° a 8°C.

A agência de regulação sanitária norte-americana (FDA) também já havia prorrogado a validade das doses da Janssen, de três meses para quatro meses e meio.

Como o imunizante é aplicado em dose única, uma aplicação da vacina da Janssen equivale a duas doses das demais vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil (Pfizer, CoronaVac e AstraZeneca).