Centenas de pessoas da comunidade LGBTI+ foram às ruas da Cidade do México neste sábado (26) para exigir a eliminação de expressões homofóbicas.

People take part in the annual Pride March in Mexico City on June 26, 2021. (Photo by Rodrigo ARANGUA / AFP)

“Que tremam, que tremam os machistas!”, repetiam, em coro, os participantes da Marcha do Orgulho, que partiu do emblemático Anjo da Independência e terminou no Zócalo, a principal praça do país.
A 43ª edição da marcha, que no ano passado não foi celebrada por causa da pandemia de covid-19, teve uma modalidade híbrida, pois com as hashtags #ProudToBe #LoveIsLove #Pride2021 #Orgullo2021 também foi celebrada nas redes sociais.
“Estamos aqui para exigir que se eliminem já todas as expressões de homofobia e que o governo garanta medicamentos para os doentes com o HIV”, disse à AFP Marven, uma indígena ativista e transexual.
Marven, conhecida como “Lady Tacos de Canasta”, uma conhecida vendedora de rua da tradicional iguaria mexicana, que apareceu em um documentário da Netflix, disputou sem sucesso uma vaga no Congresso na Cidade do México pelo partido Elige nas legislativas de 6 de junho passado.
Usando vestido estampado com flores grandes e longos cílios postiços, Marven denunciou que “todos os dias no México a comunidade LGBTI sofre agressões, muitas delas mortais, e isso deve parar”.
Em 2020, pelo menos 79 pessoas da comunidade LGBTI foram assassinadas, o que significa uma média de 6,5 vítimas por mês, segundo a organização não governamental Letra S.

Vice na chapa de Lula em 1989, ex-senador José Paulo Bisol morre aos 92 anos

Bisol sofria de insuficiência renal crônica e teve suas condições agravadas por choque cardiogênico e séptico.

Bisol era desembargador aposentado, ex-senador pelo Rio Grande do Sul (1987-1995), ex-deputado estadual (1983-1987) e ex-secretário de Justiça do RS (1999-2002). (Foto: Reprodução)

 

 O ex-senador José Paulo Bisol morreu na manhã deste sábado (26) aos 92 anos em Porto Alegre (RS), vítima de falência orgânica múltipla.

Ele havia sido transferido para o CTI do hospital Moinhos de Vento no dia 31 de maio, após um infarto. Bisol sofria de insuficiência renal crônica e teve suas condições agravadas por choque cardiogênico e séptico.

Bisol era desembargador aposentado, ex-senador pelo Rio Grande do Sul (1987-1995), ex-deputado estadual (1983-1987) e ex-secretário de Justiça do RS (1999-2002).

Em 2009, recebeu a medalha do Mérito Farroupilha, mais alta honraria concedida pelo parlamento gaúcho.

Então no PSB, Bisol foi vice de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 1989.
Bisol nasceu em Porto Alegre, em 22 de outubro de 1928. Ele deixa a esposa, Vera Lúcia Zanette, três filhos, Tula, Ricardo e Jairo, nove netos e um bisneto.

Após o final da sua gestão na Secretaria de Justiça do Rio Grande do Sul, em 2003, Bisol deixou a política institucional.

Segundo o Cpdoc da FGV, o ex-governador do Rio Grande do Sul Olívio Dutra e Bisol foram acusados de proteger o jogo do bicho pelo relatório da CPI da Segurança Pública no Estado instalada na Assembleia Legislativa gaúcha. As denúncias, porém, foram arquivadas pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul em 2002.

Em nota, Lula lamentou a morte de Bisol, a quem se referiu como um “homem público ético”, defensor dos direitos humanos e da democracia.

“A campanha de 1989 foi a primeira da Nova República e de uma geração de brasileiros que podiam finalmente escolher seu presidente, e foi certamente a mais emocionante da minha vida. E Bisol foi o melhor companheiro que eu poderia ter naquela jornada”, diz o texto.