Notícia

Desde o dia 23 de fevereiro, o Butantan afirma que já disponibilizou 4,6 milhões de novas doses do imunizante ao governo federal, para distribuição no país.

A nova remessa corresponde à entrega de duas doses. (Foto: Reprodução)

O Instituto Butantan anunciou nesta quarta-feira (3) a liberação de mais 900 mil doses da vacina Coronavac, contra a Covid-19, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Desde o dia 23 de fevereiro, o Butantan afirma que já disponibilizou 4,6 milhões de novas doses do imunizante ao governo federal, para distribuição no país.

Com isso, o total de vacinas disponibilizadas ao PNI chegaram a 14,45 milhões desde o início das entregas, em 17 de janeiro, diz o governo de São Paulo.

As doses enviadas em fevereiro fazem parte do lote de imunizantes envasados no Butantan com o insumo farmacêutico ativo (IFA), enviado pelo laboratório chinês Sinovac Life Science.

O Instituto afirma que vem realizando uma força-tarefa para seguir envasando, em ritmo acelerado, novas doses da Coronavac para a entrega ao PNI. Uma das ações dessa força-tarefa foi dobrar seu quadro de funcionários na linha de envase para atender a urgência necessária para o momento.

“Até o final de março serão entregues 21 milhões de doses da vacina e, até 30 de abril o número de vacinas disponibilizadas ao PNI somará 46 milhões. O Butantan ainda trabalha para entregar outras 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até 30 de agosto”, disse nesta quarta (3) o comunicado oficial do instituto.

Doses da Coronavac entregues ao Ministério da Saúde em 2021

17 de janeiro: 6 milhões de doses
22 de janeiro: 900 mil doses
29 de janeiro: 1,8 milhão de doses
5 de fevereiro: 1,1 milhão de doses
23 de fevereiro: 1,2 milhão de doses
24 de fevereiro: 900 mil doses
25 de fevereiro: 453 mil doses
26 de fevereiro: 600 mil doses
28 de fevereiro: 600 mil doses
3 de março: 900 mil doses
Total: 14,45 milhões de doses

Distribuição ao país

Mais 2,5 milhões de doses da vacina CoronaVac estão sendo enviadas a todos os estados e ao Distrito Federal nesta quarta-feira (3), informou o Ministério da Saúde.

Segundo a pasta, o novo lote é destinado a “vacinar o restante dos trabalhadores da saúde, indígenas do estado do Amazonas e pessoas de 80 a 84 anos”.

A nova remessa corresponde à entrega de duas doses. Sendo assim, os estados e municípios precisam reservar a segunda dose da CoronaVac para garantir que ela seja aplicada de 2 a 4 semanas depois da primeira.

Aposta de Curitiba acerta as seis dezenas e leva mais de R$ 2,7 milhões

A Quina teve 59 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 25.587,57. A Quadra teve 3.150 apostas ganhadoras e cada uma ganhou R$ 684,65.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal (Foto: Reprodução)

Uma aposta de Curitiba (PR) acertou as seis dezenas do sorteio do concurso 2.349 da Mega-Sena, realizado nesta quarta-feira (3) em São Paulo, e levou R$ 2.780.964,58.

As dezenas sorteadas foram: 05 – 10 – 25 – 32 – 49 – 54.

A Quina teve 59 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 25.587,57. A Quadra teve 3.150 apostas ganhadoras e cada uma ganhou R$ 684,65.

Para o próximo sorteio, que será realizado no sábado (6), o prêmio previsto para quem acertar as seis dezenas é de 22 milhões.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

O total de mortos chegou a 259.271 e o de casos a 10.718.630, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde).

Coveiros trabalham no sepultamento de vítima da Covid-19 no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus, no dia 6 de janeiro de 2021 (Foto: P Photo/Edmar Barros)

O Brasil registrou 1.910 novas mortes pelo novo coronavírus e 71.704 casos da doença nesta quarta (3). Com isso, o total de mortos chegou a 259.271 e o de casos a 10.718.630, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

As 1.910 mortes registradas nas últimas 24 horas são o maior número diário desde o início da pandemia, de acordo com a pandemia. O número anterior era da terça desta semana (2), com 1.641 óbitos. Antes disso, o recorde era de 29 de julho de 2020, quando o país registoru 1.595 mortes em um único dia.

Na terça (2), o país tinha 257.361 mortes e 10.646.926 casos confirmados de Covid-19, de acordo com o conselho.

Os dados do Conass também viraram referência para o Congresso Nacional, que abandonou a contagem do Ministério da Saúde. A decisão foi anunciada pelo então presidente do Senado, Davi Alcolumbre, no início de junho de 2020.

 

 

Jair Bolsonaro Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

O Globo

Várias cidades pelo Brasil registraram panelaços contra o presidente Jair Bolsonaro na noite desta quarta-feira. No pior momento da pandemia, as manifestações aconteceram no dia em que o país bateu mais um recorde de mortes por Covid-19: foram 1.840 óbitos contabilizados em 24 horas, segundo as secretarias estaduais de saúde. Um pronunciamento do presidente em cadeia nacional de televisão e rádio era esperado para o horário em que começaram os protestos, às 20h30, mas o discurso foi cancelado.

No Rio de Janeiro, vídeos postados em redes sociais registraram o momento em que o panelaço começou em bairros como Laranjeiras, Leblon, Copacabana, Botafogo e Humaitá, todos na Zona Sul da cidade. Além das panelas, manifestantes também gritaram palavras de ordem contra Bolsonaro.

Na capital paulista também foram registrados panelaços em vários bairros como Higienópolis e Santa Cecília, região central; Jardins, Paraíso e Moema, na Zona Sul; Barra Funda e Pinheiros, na Zona Oeste. Em alguns lugares, além de bater panelas, moradores também gritavam “Fora, Bolsonaro”.

No decorrer do dia, grupos que fazem oposição ao presidente convocaram a população a participar do ato. Houve manifestações nas redes sociais da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Frente Brasil Sem Medo, ligados à esquerda, e do Movimento Vem Pra Rua, mais identificado com a direita.

A deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP) compartilhou nas redes sociais um vídeo mostrando as manifestações em São Paulo e provocou o presidente: “Bolsonaro fugiu do pronunciamento, mas não pode fugir da  indignação dos brasileiros”.

Houve também atos em Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba e Brasília. Na capital do país, o panelaço foi ouvido em áreas da Asa Sul e da Asa Norte, além de gritos como “Fora, Bolsonaro”, “Fora genocida” e “assassino”.

 

Feira livre de Afogados será antecipada nos próximos dois finais de semana

Comunicado:

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que tendo em vista as recentes medidas restritivas anunciadas pelo Governo de Pernambuco, resolve antecipar a feira livre municipal, do sábado para a sexta-feira, até o próximo dia 17. A medida visa minimizar os prejuízos das medidas restritivas ao comércio do nosso município.

De acordo com o projeto de lei, todos os imunizantes comprados por pessoas jurídicas precisam ser doados ao Sistema Único de Saúde (SUS) neste primeiro momento.

O texto aprovado permite ainda que estados e munícipios passem a ter o direito de adquirir os imunizantes (Foto: Reprodução)

A Câmara dos Deputados aprovou, na tarde desta terça-feira (2), um projeto de lei que permite a empresas comprarem vacinas contra o novo coronavírus. A matéria segue agora à sanção presidencial. 

De acordo com o projeto de lei, todos os imunizantes comprados por pessoas jurídicas precisam ser doados ao Sistema Único de Saúde (SUS) neste primeiro momento. 

Mas, após a vacinação dos grupos considerados prioritários, a iniciativa privada poderá “adquirir, distribuir e administrar vacinas” contra a doença”, se, “pelo menos 50% das doses forem doadas ao SUS” e as demais, “utilizadas de forma gratuita”.

O texto também autoriza que a União, os estados e os municípios possam assumir os riscos inerentes à responsabilização civil por eventuais efeitos colaterais de imunizantes. Para isso, o projeto permite que os entes federados contratem seguro privado nacional ou internacional para a cobertura dos riscos.

Na prática, a medida abre caminho para que o país assuma a responsabilidade pelos efeitos da vacina da Pfizer, como quer a empresa para vender doses do seu imunizante ao Brasil. Segundo o projeto de lei, essa responsabilidade pode ser assumida desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tenha concedido registro ou autorização temporária de uso emergencial.

“O nosso objetivo é acelerar a imunização da população brasileira e salvar vidas. Eu, como cidadão, não quero saber se a vacina é federal, estadual ou municipal. O que eu quero e a cura para essa doença e que o país possa avançar, retomar a economia e gerar empregos”, afirmou o relator do PL na Câmara, deputado Igor Timo, líder do Podemos na Casa.

O texto aprovado permite ainda que estados e munícipios passem a ter o direito de adquirir os imunizantes, “com recursos federais, ou, excepcionalmente, com recursos próprios, no caso de descumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 ou na hipótese de que este não proveja cobertura imunológica tempestiva e suficiente contra a doença”.

Na terça-feira (02), veterinária Pryscila Andrade, 31 anos, morreu em decorrência da síndrome de Haff, também conhecida como doença da “urina preta”. Ela estava internada em um hospital de Recife desde o dia 18 de fevereiro após se sentir mal por conta de ter ingerido peixe.

Estudos científicos apontaram que até o momento, no Brasil, foram relatados casos da síndrome após a ingestão de peixes como arabaiana, tambaqui, badejo, olho de boi, pirapitinga e pacu-manteiga.

Segundo os estudos, ainda não foi possível esclarecer o motivo de esses peixes terem se transformado em alimentos tóxicos. Porém, entre as hipóteses, os pesquisadores consideram a possibilidade de má conservação do alimento ou que os animais tenham consumido algum tipo de alga que pode provocar a síndrome.

Os sintomas da doença da “urina preta” podem aparecer nas 24 horas após o consumo do alimento. O principal sintoma é o escurecimento da urina, que pode apresentar cor de café. Outros sinais são dor, rigidez muscular, dormência, perda de força e falta de ar.

Após o diagnóstico, a síndrome deve ser tratada imediatamente, pois pode provocar insuficiência renal e falência múltipla de órgãos, levando a morte. As informações são do portal Metrópoles.

As seis dezenas do concurso 2.349 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet. (Foto: Reprodução)

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (3) o prêmio de R$ 2,5 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.349 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

O cartão, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Dólar é cotado a R$ 5,6633 nesta quarta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,84 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,187.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta quarta-feira (03), está cotado no valor de R$ 5,6633. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,9343.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,84 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,187. 

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

Menina de 9 anos morre após ser espancada durante ritual de exorcismo

De acordo com o UOL, a mãe da menina e a mulher responsável pela cerimônia brutal foram presas.

Estuprada pelo tio, menina de 10 anos teve que sair do ES para fazer aborto - Jornal Correio
Conforme o porta-voz da polícia, Ajith Rohana, o objetivo da mulher era tirar o “demônio” da filha. (Foto: Reprodução)

Uma criança de apenas 9 anos foi espancada até a morte durante um ritual de exorcismo realizado no último fim de semana na cidade de Delgoda, no Sri Lanka. De acordo com o UOL, a mãe da menina e a mulher responsável pela cerimônia brutal foram presas.

De acordo com as autoridades, que detiveram as mulheres nessa segunda-feira (1/3), a mãe da criança acreditava que ela possuía um espírito maligno dentro do corpo. Por isso, solicitou os serviços de uma exorcista.

Conforme o porta-voz da polícia, Ajith Rohana, o objetivo da mulher era tirar o “demônio” da filha. Porém, o ritual culminou na morte da menina, que foi banhada em óleo e espancada com uma bengala até desmaiar.

Levada ao hospital, a criança não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. Segundo Rohana, a mulher que conduziu a cerimônia é conhecida na região, mas este não é o primeiro caso que sai de controle. Ela e a mãe da vítima aguardam julgamento.

Ela disputava a eliminação desta terça-feira (2) com Projota (37,07%) e Arthur (1,62%).

Lumena foi eliminada na noite desta terça-feira (Foto: Reprodução)

Lumena foi a quinta eliminada no paredão do “Big Brother Brasil 21” com 61,31% dos votos. Ela disputava a eliminação desta terça-feira (2) com Projota (37,07%) e Arthur (1,62%).

Os eliminados anteriores desta edição foram:

Kerline
Arcrebiano
Nego Di
Karol Conká

Nego Di e Karol Conká, que eram próximos de Lumena na casa, foram eliminados com índices de rejeição que bateram recorde na história do programa: 98,73% e 99,17%. 

TRE-PE suspende todo atendimento presencial no Estado

Devido ao aumento de casos de covid-19 no Estado, o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) decidiu que todas as atividades no âmbito da Justiça Eleitoral de Pernambuco, inclusive nos cartórios eleitorais, serão realizadas exclusivamente de modo remoto. A partir desta terça-feira (2/03), está suspenso, portanto, todo o atendimento presencial nos 122 cartórios eleitorais do Estado, centrais e postos da Justiça Eleitoral.

Uma Portaria neste sentido, de número 147/2021, foi assinada na noite desta segunda-feira pelo presidente do Tribunal, desembargador Frederico Neves. A decisão se justifica pela necessidade de preservação da saúde e da vida de eleitores, servidores e colaboradores desta Justiça Especializada.

Até 1º de março, em Pernambuco, 299.475 foram contaminadas pelo novo coronavírus. Quase 11 mil pessoas morreram. Além disso, as UTIs do Estado registram índices de ocupação críticos, acima de 90%. O Tribunal entende que o momento exige todas as medidas para se preservar a saúde das pessoas.

Cumpre esclarecer que o eleitor que necessite de algum dos serviços prestados pelo TRE-PE não será prejudicado.

O cidadão poderá receber atendimento remoto clicando em https://www.tre-pe.jus.br/eleitor/atendimento-remoto/atendimento-remoto, sendo possível nesta área requerer a primeira via do título (alistamento), mudança de município (transferência), alteração de dados pessoais, entre outros serviços.

Para sanar dúvidas o eleitor poderá entrar em contato com a Ouvidoria do TRE, com a assistente virtual Julia, com o disque-eleitor ou com os cartórios eleitorais, que funcionarão com um servidor na modalidade presencial. Verifique as opções de canais de atendimento do TRE-PE clicando aqui (https://www.tre-pe.jus.br/o-tre/fale-conosco).

O país também registrou, pelo quarto dia consecutivo, a maior média móvel de óbitos pela doença, 1.274. A média de mortes já está há 41 dias acima de 1.000.

Enterro de vítimas de Covid-19 no cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus. (Foto: Sandro Pereira/Fotoarena/Agência O Globo/2-2-2021)

 O Brasil registrou 1.726 mortes por Covid-19, nesta terça-feira (2), o maior número diário de vidas perdidas de toda a pandemia. O país também registrou, pelo quarto dia consecutivo, a maior média móvel de óbitos pela doença, 1.274. A média de mortes já está há 41 dias acima de 1.000.

A média móvel é recurso estatístico que busca dar uma visão melhor da evolução da doença ao atenuar números isolados que fujam do padrão. Ela é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

O recorde anterior da média era de 1.223. Já o recorde anterior de mortes em 24 horas pertencia ao dia 25 de fevereiro 2021, com 1.582 mortes.

Os dados elevados podem, em parte, ser explicados por atrasos de notificação relativos a domingo e segunda. De toda forma, a última segunda-feira teve o 2º maior número de mortes de uma segunda durante toda a pandemia.

Além disso, o Brasil enfrenta o pior momento da pandemia, com situações críticas em praticamente todas as regiões do país. O cenário começou a piorar de forma contínua logo após as festas de fim de ano, momento que especialistas já alertavam que poderia provocar uma situação grave em 2021.

O país ainda tem a circulação de variantes potencialmente com maior potencial de infecção, como a identificada em Manaus, nomeada P.1.

Nesta terça, com 468 mortes, o estado de São Paulo também registrou recorde diário de mortes de toda a pandemia.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Câmara aprova texto-base de projeto que autoriza compra de vacinas por empresas privadas

As empresas devem ainda fornecer ao Ministério da Saúde todas as informações relativas à compra, incluindo os contratos de compra e doação, e à aplicação das vacinas contra a Covid-19.

Sessão da Câmara dos Deputados Foto: (Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados)

 A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (2) o texto-base do projeto que permite a compra de vacinas contra a Covid-19 pela iniciativa privada, desde que elas sejam autorizadas pela Anvisa e doadas integralmente ao SUS (Sistema Único de Saúde) para uso no Programa Nacional de Imunizações enquanto grupos prioritários estiverem sendo vacinados.

Quando acabar essa etapa, o setor privado poderá comprar, distribuir e administrar vacinas, mas deverá doar pelo menos metade ao SUS. O restante precisa ser utilizado de forma gratuita e não poderá ser comercializado.

O texto-base foi aprovado em votação simbólica. Os deputados vão analisar sugestões de mudanças ao projeto. Se todas forem rejeitadas, a proposta vai à sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“O nosso objetivo é acelerar a imunização da população brasileira e salvar vidas. Eu, como cidadão, não quero saber se a vacina é federal, estadual ou municipal. O que eu quero é a cura para essa doença e que o país possa avançar, retomar a economia e gerar empregos”, afirmou o relator do texto, o deputado Igor Timo (Podemos-MG). Ele não fez alterações ao projeto do Senado, de autoria do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Segundo o texto aprovado, as vacinas compradas pela iniciativa privada poderão ser aplicadas em qualquer estabelecimento ou serviço de saúde que possua sala para aplicação de injetáveis autorizada pelo serviço de vigilância sanitária local.

As empresas devem ainda fornecer ao Ministério da Saúde todas as informações relativas à compra, incluindo os contratos de compra e doação, e à aplicação das vacinas contra a Covid-19.

“Depois do veto do Bolsonaro à MP 1003 [de adesão à Covax Facility] tirando a possibilidade de aquisição de vacina por estados e municípios, o PL 534 é necessário”, afirmou a deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS). “Muito grave o momento que estamos vivendo, pior momento da pandemia e vacinação devagar quase parando. Agora para nós é fundamental fortalecer o SUS, que deve comandar a vacinação.”

Talíria Petrone (RJ), líder do PSOL na Câmara, concorda. “Nós entendemos que é preciso ampliar a compra e a oferta de vacinas num cenário que é o mais grave da pandemia desde o seu início. Esse projeto garante que estados e municípios possam ter autonomia para comprar essas vacinas.”

Segundo o texto, durante a emergência declarada por causa da crise sanitária do novo coronavírus, União, estados e municípios podem comprar vacinas e assumir os riscos de responsabilidade civil da aquisição, desde que a Anvisa tenha dado registro ou autorização temporária de uso emergencial.

A compra de vacinas será feita pela União, diz o projeto, mas estados e municípios estão autorizados a fazerem a aquisição de forma suplementar com recursos federais, ou, excepcionalmente, com recursos próprios, em caso de descumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 ou na hipótese de que este não proveja cobertura imunológica suficiente contra a doença.

A votação do texto foi confirmada na manhã desta terça pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), após reunião de líderes.

A vacina produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, chegou em uma aeronave no Aeroporto Castro Pinto, em João Pessoa.

A vacina chegou em João Pessoa nesta madrugada (Foto: Reprodução)

A Paraíba recebeu na madrugada desta quarta-feira (03), 56.400 mil doses da vacina Coronavac. A vacina produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, chegou em uma aeronave no Aeroporto Castro Pinto, em João Pessoa. 

Um veículo da Secretaria de Saúde foi responsável para realizar o transporte da vacina do aeroporto até o órgão. As vacinas deverão ser distribuídas para os municípios paraibanos ainda nesta quarta-feira (03).

A chegada da vacina foi anunciada pelo secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, na tarde desta terça-feira (02). 

Atualmente, estão vacinados idosos e profissionais de Saúde da linha de frente de combate ao coronavírus.

Esse alto nível de efetividade foi anunciado ontem, em estudo preliminar divulgado pelo Serviço de Saúde Inglês (PHE), que analisou dados coletados durante a campanha oficial de imunização no Reino Unido.

Estudo afirma que vacina da Pfizer reduz internação de idosos (Foto: Reprodução)

A vacina contra a covid-19 desenvolvida pelos parceiros britânicos Universidade de Oxford/AstraZeneca e o imunizante da Pfizer/BioNTech reduziram em 90% as hospitalizações de indivíduos acima de 70 anos após a aplicação da primeira dose. Esse alto nível de efetividade foi anunciado ontem, em estudo preliminar divulgado pelo Serviço de Saúde Inglês (PHE), que analisou dados coletados durante a campanha oficial de imunização no Reino Unido. 

Segundo especialistas, os resultados são importantes pelo efeito protetivo em uma das populações mais vulneráveis ao coronavírus e porque respondem a dúvidas quanto à eficácia da fórmula britânica nesse público — questões levantadas principalmente por países da Europa. O imunizante também é um dos usados no Brasil, que segue na fase de vacinação do grupo prioritário, do qual os idosos fazem parte.

Na análise da PHE, que já foi submetida à avaliação de especialistas (pares), os pesquisadores observaram que a proteção contra a covid-19 sintomática em pessoas com mais de 70 anos variou entre 57% e 61% para uma dose da vacina da Pfizer/BioNTech e entre 60% e 73% para a Oxford/AstraZeneca. Em ambos os casos, considerou-se o intervalo de quatro semanas após a vacinação. “Os dados detalhados mostram que a proteção obtida 35 dias depois de uma primeira injeção é, inclusive, ligeiramente melhor para a vacina da Oxford do que para a da Pfizer”, enfatizou, em comunicado, o ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock.

À rede de televisão BBC, Jonathan Van Tam, uma das autoridades médicas do governo britânico, disse que “não era imunologicamente plausível” que o imunizante da Oxford/AstraZeneca funcionasse em pessoas mais jovens e não em idosos. “Os dados do PHE justificaram claramente essa abordagem”, ressaltou. Autoridades de países como Alemanha, Espanha e França suspeitaram do efeito protetivo do fármaco alegando que havia poucos dados em estudos clínicos com indivíduos dessa faixa etária.

O estudo da PHE também mostrou que as duas vacinas foram mais de 80% eficazes na prevenção de hospitalizações em função da covid-19 em pessoas com mais de 80 anos. A equipe também considerou a aplicação de apenas uma dose. “Esses resultados podem ajudar a explicar por que o número de internações pelo novo coronavírus em unidades de terapia intensiva entre pessoas com mais de 80 anos no Reino Unido caiu nas últimas semanas”, declarou Hancock.

Ambiente real
Os dados analisados foram coletados desde o início da aplicação de vacinas na população do Reino Unido, em 8 de dezembro — hoje, mais de 20 milhões dos habitantes foram vacinados, o equivalente a cerca de 30% da população. Os pesquisadores adiantam que mais estudos precisam ser feitos, mas que uma pesquisa separada com profissionais de saúde já mostrou que uma dose de qualquer uma das duas vacinas pode reduzir em 70% o número de pessoas que contraem a covid-19 assintomática.

Segundo Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), os dados são extremamente animadores, pois avaliam, pela primeira vez, a vacina em um ambiente real. “Estudos controlados são diferentes do ambiente em que vivemos, em que vários elementos podem interferir. Nessas análises feitas na prática, temos ainda mais segurança dos dados obtidos, porque é o cenário que enfrentamos no dia a dia”, explicou.

Kfouri ressalta que a análise de eficiência da vacina britânica em idosos era bastante esperada por especialistas da área. “Esses eram os que nós mais aguardávamos, porque o número de idosos que participaram das análises clínicas finais foi bem limitado. As campanhas de imunização têm começado por essa parcela da população e, por isso, já podemos observar essa efetividade nesse grupo, o que é muito animador.”

OMS
Apesar das recentes notícias promissoras sobre o efeito das vacinações na vida real, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, ontem, que não é realista acreditar que o mundo vai derrotar a pandemia até o fim deste ano. “Seria muito prematuro e, eu diria, carente de realismo”, declarou Michael Ryan. O diretor de Emergências da agência ressaltou que o vírus continua ativo, levando em consideração que o número global de novos casos aumentou após sete semanas consecutivas de queda. “Mas acho que o que podemos interromper, se formos inteligentes, são as hospitalizações, as mortes e a tragédia que essa pandemia traz”, acrescentou.

Segundo Ryan, o objetivo da OMS é diminuir os níveis de contágio, ajudar a prevenir o surgimento de variantes e reduzir o número de pessoas que adoecem. Nesse sentido, afirmou, vacinar os profissionais de saúde mais expostos e as pessoas vulneráveis “reduz o medo e a tragédia”. A expectativa da agência é de que a imunização das equipes de saúde esteja em andamento em todos os países nos primeiros 100 dias de 2021.

A medida mais eficaz

“É importante deixar claro que não existe medida mais eficaz para passar por este momento difícil que não seja a vacina. É a principal ferramenta para conseguir controlar a evolução da doença, além de impedir que mais pessoas sejam infectadas. Isso é importante porque, quando fazemos isso, nós também diminuímos as chances de surgirem novas variantes, é uma corrente que se quebra. O mundo inteiro está neste momento priorizando os idosos, por serem mais suscetíveis, já que eles apresentam muitas comorbidades. Vemos, nesses novos estudos, que, nesse público, os resultados dos imunizantes têm sido positivos. Temos observado que, mesmo em tempo recorde, a performance dessas vacinas é a mesma da observada em laboratório durante os testes de desenvolvimento. Agora, há fatos que respondem a possíveis dúvidas relacionadas a essa eficiência, e isso é muito bom, pois faz com que as pessoas fiquem ainda mais abertas, aumentando, assim, o número de imunizados.” Luciano Lourenço, clínico geral e chefe da Emergência do Hospital Santa Lúcia, em Brasília.

Chegamos a 255.836 mil óbitos

Com isso, são 255.836 óbitos e 10.589.608 pessoas infectadas pela Covid-19 desde o início da pandemia. (Foto: Reprodução)

 O Brasil completou 40 dias com mais 1.000 mortes de média móvel, nesta segunda-feira (1º). O valor da média também foi recorde, pelo terceiro dia consecutivo, chegando a 1.223.

Os recordes dos dois dias anteriores tinham sido de 1.208 e 1.180. A média é recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

O Brasil enfrenta o seu pior momento na pandemia.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Nesta segunda, foram registradas 818 mortes pela Covid-19 e 40.479 casos da doença. Com isso, são 255.836 óbitos e 10.589.608 pessoas infectadas pela Covid-19 desde o início da pandemia.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

“Na prática, o projeto de lei possibilita a desestatização dos Correios”, informou o Ministério das Comunicações.

O texto permite que serviços postais, inclusive os prestados hoje pelos Correios em regime de monopólio, sejam explorados pela iniciativa privada. (Foto: Reprodução)

BERNARDO CARAM, RICARDO DELLA COLETTA E THIAGO RESENDE
Em mais um aceno ao mercado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entregou ao Congresso nesta quarta-feira (24) um projeto de lei que quebra o monopólio dos Correios e abre a empresa pública para o capital privado.

O texto permite que serviços postais, inclusive os prestados hoje pelos Correios em regime de monopólio, sejam explorados pela iniciativa privada. O objetivo é eliminar a restrição de entrada de empresas no setor, ampliando a competição. Hoje, os Correios têm o monopólio do envio de cartas, telegramas e outras mensagens.

A medida ainda estabelece que os Correios serão transformados em sociedade de economia mista (pública e privada). Hoje, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é 100% pública.

“Na prática, o projeto de lei possibilita a desestatização dos Correios”, informou o Ministério das Comunicações.

Segundo a pasta, em paralelo à tramitação do projeto, o governo vai estudar o melhor modelo de desestatização, que pode ser por venda direta, venda do controle majoritário ou de parte da empresa.

De acordo com o Planalto, a exigência constitucional de manutenção dos serviços postais pela União será respeitada. Para isso, será criado o Serviço Postal Universal, com prestação garantida pelo governo federal em todo o país e com modicidade de preços.

A Secretaria-Geral da Presidência afirma que o projeto, por si só, não significa uma decisão pela extinção dos Correios ou desestatização dos serviços postais. A pasta afirma que o objetivo é abrir o setor à iniciativa privada, com concessões ou parcerias.

Pelo texto, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) passará a se chamar Agência Nacional de Telecomunicações e Serviços Postais, ficando responsável por regular e fiscalizar o mercado.

Assim como na terça-feira (23), quando entregou a medida provisória sobre a capitalização da Eletrobras, o presidente foi pessoalmente ao Congresso.

Participaram do ato os ministros Paulo Guedes (Economia), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fábio Faria (Comunicações), além do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). No tumulto provocado pela a chegada das autoridades, uma porta de vidro próxima ao gabinete de Lira foi quebrada.

A possibilidade de venda dos Correios está em debate no governo desde 2019. Na equipe econômica, são usados argumentos como problemas de eficiência e casos de corrupção que atingiram a companhia no passado.

Em declarações no fim de 2020, Faria afirmou que a proposta foi elaborada para permitir a venda da estatal e estabelecer a organização e a manutenção do sistema nacional de serviços postais.

Diante de forte turbulência provocada pelo presidente no mercado nos últimos dias, o Palácio do Planalto vem tentando dar sinais de que segue priorizando a agenda liberal comandada por Guedes.

Os ruídos começaram na quinta-feira (18), quando Bolsonaro anunciou a isenção de tributos federais por dois meses sobre o diesel e definitivamente sobre o gás de cozinha. A medida terá validade a partir de 1º de março e foi apresentada sem que o Ministério da Economia tivesse encontrado uma forma de compensar essa perda de arrecadação.

No dia seguinte, após demonstrar irritação com a alta nos preços dos combustíveis e sugerir que faria mudanças na Petrobras, Bolsonaro pediu a saída do presidente da estatal, o liberal Roberto Castello Branco, indicando em seu lugar o general Joaquim Silva e Luna.

Diante da forte reação negativa do mercado, com deterioração de indicadores do país, o presidente foi ao Congresso na terça para entregar a MP que tenta destravar a privatização da Eletrobras, pauta prioritária de Guedes e que segue travada no Legislativo desde a gestão Michel Temer.

No caso da Eletrobras, o governo já havia enviado um projeto de lei sobre o tema, mas o texto não avançou no Congresso. Com isso, o Planalto optou pela edição da MP, que tem validade imediata e recebeu compromisso de votação pelos presidentes da Câmara e do Senado.

Para os Correios, o governo escolheu o formato de projeto de lei, que não passa a valer imediatamente. O texto só entrará em vigor após aprovação na Câmara e no Senado e a sanção do presidente.

A pauta de privatizações é um dos pilares da gestão de Guedes. Desde o início do governo, no entanto, o ministro não conseguiu vender nenhuma estatal.

Em um atrito entre Poderes no fim do ano passado, Guedes acusou o então presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de ter feito um acordo com a esquerda para travar as privatizações.

Com a vitória de aliados do Planalto para o comando da Câmara e do Senado e a aproximação de Bolsonaro com partidos do centrão, a equipe econômica aposta que a agenda de privatizações pode ser destravada.

Explosão assusta moradores de Triunfo

Policiais Militares do 14° BPM durante patrulhamento no Parque Via Verde, Centro, foram informados por populares que um cilindro de oxigênio, o qual estava em cima de um veículo Montana, conduzido pelo envolvido 01 estava pegando fogo, que o envolvido 01 teria tentado controlar o fogo, porém sem êxito, vindo a ficar com algumas lesões.

Houve uma forte explosão causando alguns danos em um estabelecimento comercial pertencente a envolvida 02 e uma residência do local. 
O local do fato foi isolado até a chegada do Corpo de Bombeiros. 
Diante do ocorrido foi preenchido o B.O e entregue na Delegacia de Polícia local para serem tomadas as medidas cabíveis.

 

 

 

 

 

 

Dólar é cotado a R$ 5,4207 nesta manhã de quinta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,59 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,9153.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta quinta-feira (25), está cotado no valor de R$ 5,4207.  Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,6632.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,59 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,9153.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

Hospitais de Serra Talhada abrem processos seletivos

O Hospital do Tricentenário abriu novo processo seletivo, para formação de cadastro reserva para ASSISTENTE ADMINISTRATIVO, AUXILIAR EM MANUTENÇÃO, FISIOTERAPEUTA, MÉDICO UTI e TÉCNICO EM ENFERMAGEM.

Os candidatos selecionados trabalharão no Hospital Eduardo Campos e Hospital de Campanha (área externa), ambos na BR 232, s/n, em Serra Talhada. 
A equipe vai atuar com pacientes suspeitos/portadores do novo coronavírus (COVID 19 / Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG), em leitos clínicos e leitos de UTI. Os interessados em participar têm entre os dias 25 de fevereiro de 2021 e 03 de março de 2021 para enviarem seus currículos, para o e-mail (selecaocovid19sertao@gmail.com). O assunto do e-mail deve constar o nome completo do candidato e a função pleiteada. O resultado final será divulgado no dia 24 de março de 2021. Mais informações estão disponíveis no EDITAL (http://hecpe.org.br/index.php/editais/category/227-editais-2021).

Pernambuco recebe novo lote com 48 mil vacinas e termina o dia com mais 130 mil doses contra a Covid-19

Foto: reprodução

Ontem pela manhã já haviam sido entregues 82 mil unidades, destinadas a idosos entre 80 e 84 anos de idade. À noite, chegaram outras 48 mil, que serão utilizadas para imunizar trabalhadores da saúde

Pernambuco recebeu, na noite desta quarta-feira (24.02), mais 48 mil unidades da vacina Sinovac/Butantan, o que possibilitará avançar na proteção dos trabalhadores de saúde em ambas as doses, beneficiando todo o território pernambucano. Com os imunizantes que chegaram ao Aeroporto Internacional dos Guararapes às 20h, Pernambuco finalizou o dia com mais 130 mil doses de vacinas contra a Covid-19. Pela manhã, já haviam chegado 82 mil unidades da farmacêutica AstraZeneca/Universidade de Oxford, desenvolvidas em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e produzidas pelo Instituto Serum, na Índia, que garantirão a primeira dose para idosos entre 80 e 84 anos de idade, em todos os municípios do Estado.

“Seguimos trabalhando firmes na distribuição. Nosso sistema de logística é extremamente rápido, possibilitando que as remessas das doses cheguem a todas as regiões e todas as cidades do Estado. Isso vai permitir a vacinação dos grupos prioritários com agilidade e eficiência”, destacou o governador Paulo Câmara.

O secretário de Saúde do Estado, André Longo, reforçou a importância de dar prosseguimento à imunização dos trabalhadores de saúde. “As doses da AstraZeneca seguiram para todas as Gerências Regionais de Saúde nesta quarta-feira. Já o quantitativo do Butantan será encaminhado a partir da manhã desta quinta-feira. Importante lembrar que o lote do Butantan é para ambas as doses, e os municípios receberão as duas já nessa entrega”, explicou.

Nas remessas anteriores, o Estado recebeu do Ministério da Saúde mais de 593 mil unidades de vacinas contra a Covid-19, sendo 427.560 unidades da Sinovac/Butantan, utilizadas para ministrar as duas doses, e 166 mil da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, apenas para a primeira dose. O Ministério informou que encaminhará a segunda dose posteriormente.

Esse é o terceiro aumento somente nesses dois primeiros meses de 2021.

O preço do gás de cozinha sofreu um novo reajuste de 5,31% e passa a valer a partir desta terça-feira (02), na Paraíba. Esse é o terceiro aumento somente nesses dois primeiros meses de 2021. 

Ao ClickPB, o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás GLP da Paraíba (Sinregás), Marco Antônio Bezerra, disse que a previsão é de um reajuste de 5,31%. No momento, um botijão de gás de cozinha de 13 kg está sendo vendido, a vista, por R$ 90, na Paraíba. 

A expectativa das companhias era de que houvesse uma diminuição do preço do gás, como foi feito um anúncio do residente da República, Jair Bolsonaro, no início de fevereiro. No entanto, a redução, que seriam dos 3% dos impostos federais, não foi feita para este momento. Por conta disso, um novo reajuste no preço do botijão.  

Twitter vai desativar conta que desrespeitar 5 vezes as regras de desinformação sobre Covid-19

Rede social adotou sistema que aumenta penalidades de acordo com quantidade de vezes que pessoa infringe termos de uso relacionados à doença. Restrições vão de 12 horas de bloqueio a suspensão permanente.

Ícone do Twitter, em smartphone. (Foto: Thomas White/Reuters)

O Twitter anunciou nesta segunda-feira (1º) uma atualização em sua política sobre informações falsas sobre Covid-19.

A partir de agora, as penalidades sobre as contas aumentam conforme a quantidade de vezes que um usuário desrespeita as regras sobre desinformação que resultam na marcação ou remoção de um tuíte:

  • Uma violação: Não será realizada nenhuma ação na conta (apenas a marcação do tuíte)
  • Duas violações: 12 horas de bloqueio
  • Três violações: 12 horas de bloqueio
  • Quatro violações: 7 dias de bloqueio
  • Cinco ou mais violações: Suspensão permanente

As pessoas serão notificadas diretamente quando um aviso ou a solicitação de remoção de um tuíte “resultar em uma aplicação adicional de medidas na conta”, explica o Twitter.

A rede social atualizou em dezembro as regras de desinformação sobre a pandemia para remover mentiras sobre vacinas. Na ocasião, a plataforma disse que a prioridade seria a remoção de “informações enganosas que pudessem causar dano”.

Tuítes que fossem “potencialmente enganosos” deveriam receber um selo apontando para uma página com dados oficiais.

A partir desta segunda (1º), serão incluídos avisos e alertas em posts que “possam conter informações potencialmente enganosas sobre as vacinas de Covid-19”, segundo a plataforma.

Publicações relacionadas com a pandemia feitas pelo Ministério da Saúde já foram sinalizadas como enganosas pelo Twitter.

No início de janeiro, a pasta publicou um tuíte pedindo que o tratamento precoce fosse solicitado por quem apresentar sintomas da Covid-19, o que não é endossado por especialistas.

O Twitter colocou um alerta no post, apontando que houve “a publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais” relacionadas à doença.

Pelo mesmo motivo, o Twitter já fez alertas na conta do presidente Jair Bolsonaro e nos perfis dos deputados federais Carla Zambelli e Daniel Silveira.

O G1 perguntou ao Twitter se a progressão de penalidades nas contas vale somente para desinformação relacionada à Covid-19 ou se será aplicada em regras mais amplas sobre saúde ou outros temas.

A rede social também foi questionada se infrações passadas contariam para a progressão. A plataforma não retornou até a última atualização da reportagem.

Receita espera receber 32,6 mi de declarações até 30 de abril

Receita Federal

A partir das 8h de hoje (1º), o contribuinte pode começar a prestar contas com o Leão. Nesta segunda-feira começa o prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 (ano-base 2020). O programa para computador está disponível na página da Receita Federal na internet desde a última quinta-feira (25).

O prazo de entrega vai até as 23h59min de 30 de abril. Neste ano, o Fisco espera receber 32.619.749 declarações. No ano passado, foram enviadas 31.980.146 declarações.

Pelas estimativas da Receita Federal, 60% das declarações terão restituição de imposto, 21% não terão imposto a pagar nem a restituir e 19% terão imposto a pagar.

Assim como no ano passado, serão pagos cinco lotes de restituição. Os reembolsos serão distribuídos nas seguintes datas: 31 de maio (primeiro lote), 30 de junho (segundo lote), 30 de julho (terceiro lote), 31 de agosto (quarto lote) e 30 de setembro (quinto lote).

Novidades

As regras para a entrega da declaração do Imposto de Renda foram divulgadas na semana passada pela Receita. Entre as principais novidades, está a obrigatoriedade de declarar o auxílio emergencial para quem recebeu mais de R$ 22.847,76 em outros rendimentos tributáveis e a criação de três campos na ficha “Bens e direitos” para o contribuinte informar criptomoedas e outros ativos eletrônicos.

O prazo para as empresas, os bancos e demais instituições financeiras e os planos de saúde fornecerem os comprovantes de rendimentos acabou na última sexta-feira (26). O contribuinte também deve juntar recibos, no caso de aluguéis, de pensões, de prestações de serviços, e notas fiscais, usadas para comprovar deduções.

Agência Brasil

Nesse período foram registradas as quedas de nove árvores e algumas fendas se abriram nas ruas, assim como no terminal rodoviário de João Pessoa.

Na sexta-feira, alguns carros chegaram a ficar boiando na Avenida Pedro II (Foto: Reprodução)

Os últimos três dias foram de tempestade em João Pessoa e a cidade já acumula mais de 280 mm de chuva em 72 horas, incluindo a sexta, o sábado e o domingo. A previsão é de que continue chovendo nesta segunda-feira (1), porém com menos intensidade. Com muito mais água do que o esperado, alguns danos ocorreram na cidade, mas não houve vítimas, de acordo com o coordenador da Defesa Civil, Coronel Kelson Chaves.

Segundo o Coronel Kelson, além dos alagamentos que atrapalharam o trânsito em diversos pontos da cidade, nesse período foram registradas as quedas de nove árvores e algumas fendas se abriram nas ruas, assim como no terminal rodoviário de João Pessoa.

Alguns exemplos são a cratera que se abriu na Rua das Acácias, no bairro do Miramar, e na ciclovia no final da orla do Cabo Branco. Além disso, parte do asfalto e da calçada do Terminal de Integração do Varadouro cederam.

Apesar disso, o Coronel Kelson afirmou que não houve deslizamento de barreiras ou desabamentos e nenhuma família está desabrigada. Ele explicou que em torno de meia dúzia de famílias tiveram problemas de alagamentos em suas residências, sendo algumas delas devido a defeitos no telhado. Essas pessoas, porém, optaram por hospedar-se nas casas de parentes ou amigos até o período chuvoso passar.

”Nesse momento de pandemia, temos muito cuidado com realocações, para não haver aglomerações de famílias em ginásios, mas até agora não foi necessário”, comentou o coordenador da Defesa Civil.

O Coronel Kelson afirmou que João Pessoa oito comunidades ribeirinhas e 23 trechos de rio que estão sempre passando por desassoreamento, para evitar enchentes. Uma série de fatores, porém, levou aos grandes alagamentos da última sexta-feira. ”Foram mais de 160 mm de água”, disse. O volume é 64% maior do que o esperado para todo o mês de fevereiro. Além disso, a maré estava alta. ”No Porto do Capim, a maré mais baixa estava em 2.4”, afirmou.

Outro problema apontado pelo coordenador da Defesa Civil é que a rede de escoamento de água é subdimensionada em diversos bairros da cidade. É o caso da Torre, por exemplo, um dos bairros mais atingidos por alagamentos e onde alguns moradores foram flagrados passeando de caiaque pelas vias cheias de água. A rede do bairro é antiga e por isso não suporta grandes volumes de chuva.

Dólar é cotado a R$ 5,6047 nesta manhã de segunda-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,77 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1078.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta segunda-feira (1°), está cotado no valor de R$ 5,6047. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,8426.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,77 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1078. 

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

O Portal ClickPB apura de segunda à sexta-feira a cotação do dólar e euro.

É a primeira vez que a variante, identificada como P.1, foi detectada no país.

O Reino Unido atingiu neste sábado (27) a marca de 20 milhões de doses da vacina contra o coronavírus aplicadas em sua população. (Foto: Reprodução)

O governo britânico anunciou neste domingo (28) que identificou seis casos de contaminação pela variante brasileira do coronavírus.

É a primeira vez que a variante, identificada como P.1, foi detectada no país. Segundo o jornal, pelo menos dois dos casos, na região de South Gloucestershire, têm histórico de viagens para o Brasil. Outro caso na mesma região ainda segue sob investigação. O governo anunciou que testará pessoas próximas aos casos identificados.

Reino Unido confirma primeiros casos da variante brasileira do coronavírus
Reino Unido confirma primeiros casos da variante brasileira do coronavírus

Histórico de contato

O Public Health England (PHE), agência do Departamento de Saúde do Reino Unido, está traçando o histórico de todos os passageiros de um voo vindo de São Paulo, via Zurique, que pousou em Londres no dia 10 de fevereiro.

Outros três casos com a variante foram identificados na Escócia, mas segundo o PHE, não têm ligação com os outros três casos.

O Reino Unido atingiu neste sábado (27) a marca de 20 milhões de doses da vacina contra o coronavírus aplicadas em sua população.

Prefeitura de Afogados inaugurou passagens molhadas na Carnaubinha e em Dois Riachos

O final de semana foi de inaugurações na zona rural de Afogados da Ingazeira. Dando sequência às inaugurações e entregas dentro do plano de cem dias, o Prefeito Alessandro Palmeira inaugurou duas das treze passagens molhadas que constam no plano.

No sábado, o Prefeito inaugurou a passagem molhada da comunidade de carnaubinha. No local, a Prefeitura ampliou também o sangradouro do açude e construiu muros de arrimo para dar mais segurança à obra. O agricultor Edilberto Gomes, agradeceu pela ação. “Nas chuvas do ano passado, com o sangramento do açude, a água chegou na porta da minha casa. Agora com essa contenção que a Prefeitura fez, estamos bem mais tranquilos para o inverno,” destacou.
No domingo (28), o Prefeito foi até à comunidade de dois riachos para inaugurar a segunda passagem molhada. A obra tem 25 metros de comprimento e fica na divisa com o município de Solidão. As duas obras tiveram um custo aproximado de 40 mil Reais, realizadas com recursos próprios.
O Prefeito Alessandro Palmeira esteve acompanhado do vice, Daniel Valadares, e do Secretário de Agricultura, Rivélton Santos. “A gente vem trabalhando em várias comunidades, com recuperação das estradas e reformas de passagens molhadas como essa de Dois Riachos, com o objetivo de melhorar o acesso das comunidades rurais aqui de Afogados da Ingazeira,” destacou Rivélton. O Vice-Prefeito, Daniel Valadares, enalteceu as ações direcionadas para a zona rural nesse primeiros cem dias de gestão. “Foi um compromisso que assumimos em campanha, e que vamos honrar durante todo o mandato,” finalizou.
“Fizemos a entrega de duas das treze passagens molhadas que constam no nosso plano de 100 dias. São obras importantes, que garantem a trafegabilidade dos moradores de nossa zona rural, e também trazem mais segurança para que possamos enfrentar o inverno que se aproxima. E vamos continuar na luta em busca de mais recursos para que a gente possa continuar esse ritmo de ações que estamos realizando nos cem primeiros dias de governo,” destacou Alessandro Palmeira, Prefeito de Afogados da Ingazeira. Durante a programação, o Prefeito visitou as obras da passagem molhada do sítio alça de peia, que deverá ser entregue à população nos próximos trinta dias.

Papa Francisco espera morrer em Roma: ‘Não volto para a Argentina’

Foto: reprodução

A entrevista, feita em fevereiro de 2019, foi divulgada neste sábado, 27, pelo jornal ‘La Nación’; o pontífice, no entanto, não explica os motivos da recusa

Papa Francisco disse que espera morrer em Roma, capital da Itália. A declaração do pontífice foi feita durante uma entrevista em 16 de fevereiro de 2019, mas teve seu conteúdo divulgado pelo jornal argentino “La Nación” apenas neste sábado, 27. Durante a conversa, o Papa falou sobre temer a morte e descartou possível retorno para a Argentina, seu país de origem. “Sendo papa, seja em exercício ou emérito. E em Roma. Não volto para a Argentina”, disse ao ser questionado sobre como imaginava a sua própria morte.

A publicação, no entanto, não traz explicações ou mais informações sobre o motivo do líder religioso recusar o possível retorno para a terra natal. A conversa aborda temas como saúde e problemas que Francisco teve durante ao longo da vida, como um “quadro pulmonar severo” em 1957 e a ansiedade. “Controlei bastante a minha ansiedade. Quando sou confrontado com uma situação ou um problema que me deixa ansioso, lido com ele. Tenho métodos diferentes, um deles é ouvir Bach. Isso me acalma e me ajuda a analisar os problemas de uma forma melhor. Confesso que ao longo dos anos tenho conseguido colocar uma barreira à entrada da ansiedade no meu espírito. Seria perigoso e prejudicial para mim tomar decisões sob um estado de ansiedade.”

Para o Papa, é importante que uma pessoa “conheça as suas neuroses”, já que elas são companheiras da vida. “É muito importante poder saber onde os ossos estão rangendo. Onde eles estão e quais são os nossos males espirituais. Com o tempo, a pessoa conhece as suas neuroses”, comentou, explicando ainda que estuda psicologia e contando quando recorreu à ajuda de uma psiquiatra durante momentos da ditadura. “Como Provincial dos Jesuítas, durante os terríveis dias da ditadura, quando tive de levar pessoas a se esconderem para tirá-las do país e salvar as suas vidas, tive de lidar com situações com as quais não sabia como lidar. Fui ver uma senhora – uma grande mulher – que tinha me ajudado na leitura de alguns testes psicológicos para as noviças. Depois, durante seis meses, a consultei uma vez por semana.” *Com EFE

Presidente da Amupe disse não entender anúncio da FNP para criação de consórcio por vacinas

Segundo José Patriota, problema não é por onde comprar, mas onde, de quem e quando receber as vacinas.

Por André Luis

Em entrevista ao a Rádio Pajeú, na última sexta-feira (26), o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota, disse não ter entendido anuncio da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), na última terça-feira (23), sobre liderar a criação de um consórcio público com a finalidade específica de comprar vacinas contra Covid-19.

A FNP fez o anúncio em seu Twitter, após o Supremo Tribunal Federal decidir liberar à estados e municípios a importação e distribuição de vacinas contra Covid registradas por órgãos reguladores estrangeiros previstos em lei caso a Anvisa não avalie um eventual pedido apresentado no Brasil em até 72 horas.

Para Patriota, a iniciativa da FNP é louvável, mas acredita que o processo pode ser realizado usando os meios que já existem, sem a necessidade de se criar mais um consórcio, o que pode ajudar a acelerar o processo. 

Para José Patriota, o grande questionamento a ser feito é onde, de quem e quando receber as vacinas. “O que tem de prefeitura e governo de estado disposto a entrar na cota e comprar mais vacina… todo mundo está disposto, o problema não é nem por onde comprar, nos temos instrumentos. O problema é ter fornecedor, o mundo está procurando a mesma coisa”, destacou.

Patriota lembrou que o processo é demorado. “Isso demora. Tanto a negociação como a entrega. Tudo tem que ser feito com muita antecedência, que é o que Ministério da Saúde deveria ter feito quanto antes e no volume adequado pela população brasileira”, lembrou.

O presidente da Amupe destacou que, grandes e médias empresas estão dispostas a adquirir vacinas e pagar. “O problema é que não tem fornecedor suficiente para entregar agora, mas toda a inciativa nesse sentido é louvável”, afirmou. 

Ele afirmou que Pernambuco está com tudo pronto para vacinar a população. “Nós temos capacidade, hoje, aqui em Pernambuco, de aplicar 1 milhão de doses por mês. As prefeituras estão preparadas para fazer essa vacinação, o problema é que não tem o principal que é a vacina”, afirmou Patriota.

O presidente da Amupe acredita que pode ter uma acelerada na disponibilização de vacinas e voltou a comentar o anúncio da FNP. “ A decisão é de querer fazer isso é louvável. Nós estamos estudando, se for necessário se tiver espaço para a aquisição… estamos pesquisando, conversando com governadores do Nordeste, de outros estados no Brasil todo, em busca de soluções”, afirmou.

Reunião com presidente do Senado – Na última quinta-feira (25), Patriota participou de uma reunião por videoconferência com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). 

Segundo ele, o senador causou boa impressão. “Nós ficamos com uma boa impressão do novo presidente do Senado Federal, nos atendeu muito bem, eu tive a oportunidade de falar com ele, de dizer do desespero que nós estamos por conta disso tudo. Ele também está muito preocupado e tem colocado a vacina como a preocupação número 1 do Brasil, para a economia, para a saúde, para a vida e para que voltemos a normalidade”, pontuou.

Corrida por vacina – No Pajeú, o município de Carnaíba saiu na frente e encaminhou oficios com intenção de compra de vacinas para três farmacêuticas: Pfizer, fabricante da vacina Pfizer/BioNTech; Johnson & Johnson, fabricante da vacina de mesmo nome e a União Química, fabricante da vacina Sputnik V.

Neste domingo, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou que iniciou o processo de negociação para a compra de vacinas com a União Química, fabricante da Sputnik V.

O laboratório protocolou na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa),  o pedido para uso emergencial no Brasil de 10 milhões de doses da vacina. A iniciativa é uma ação conjunta do Fórum de Governadores do Brasil.

Os aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que são obrigados a declarar o Imposto de Renda (IR) 2021 não podem se esquecer de informar corretamente o benefício recebido, além de declarar bens, dívidas e despesas que possam garantir dedução do imposto.

O prazo de entrega da declaração começa nesta segunda-feira (1º). É obrigado a prestar contas neste ano quem, em 2020, teve renda tributável acima de R$ 28.559,70, recebeu rendimentos isentos e não tributáveis de mais de R$ 40 mil e tinha, em 31 de dezembro, bens e direitos acima de R$ 300 mil, entre outras regras da Receita.

Para declarar o benefício, o aposentado deve ter o informe de rendimentos do INSS. Esse é o documento mais importante, no qual consta detalhadamente toda a renda recebida no ano, e pode ser obtido no Meu INSS ou no site extratoir.gov.br. O próximo passo é baixar o programa de preenchimento e entrega do IR.

Neste ano, dentre as principais novidades da Receita está uma facilidade para quem tem a partir de 65 anos. Por lei, este aposentado tem direito a uma isenção extra do IR a partir do mês do aniversário. Ele deve informar a parte isenta na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

O que for tributável será preenchido automaticamente na ficha de “Rendimentos Tributáveis Recebidos de PJ”. Valdir Amorim, coordenador editorial da IOB, afirma que o aposentado que declara o IR não pode se esquecer de nenhuma outra renda.

“Quando você faz a declaração do Imposto de Renda você tem que declarar bens, direitos e obrigações, que são dívidas e despesas. Você está declarando todo o seu patrimônio, não pode esquecer de nada”, afirma. O prazo de envio termina em 30 de abril. A multa mínima para quem atrasa a declaração é de R$ 165,74.

Os idosos a partir de 60 anos têm prioridade na restituição do IR. Eles recebem a grana nos primeiros lotes. Daniel Nogueira, especialista em IR da Crowe, lembra que, mesmo tendo prioridade, o ideal é não deixar para o final.

Além disso, orienta o aposentado a estar com todos os documentos antes de começar a declarar. “Se teve despesa médica, comprou ou vendeu imóvel ou veículo e tomou algum empréstimo tem que declarar tudo certo

Os testes clínicos em humanos têm custo de R$ 30 milhões nas duas primeiras fases: preparação dos laboratórios da Funed (Fundação Ezequiel Dias), em Belo Horizonte, para a escala industrial e avaliação da resposta de um grupo de 40 pessoas ao imunizante.

Os testes clínicos em humanos têm custo de R$ 30 milhões nas duas primeiras fases: preparação dos laboratórios da Funed (Fundação Ezequiel Dias), em Belo Horizonte, para a escala industrial e avaliação da resposta de um grupo de 40 pessoas ao imunizante. (Foto: reprodução)

Com tecnologia semelhante à da vacina de Oxford/AstraZeneca que opera com vetores virais (vírus não patogênicos para os seres humanos) capazes de codificar proteínas do novo coronavírus sem causar a doença, mas estimulando a produção de anticorpos e de células de defesa, o Centro de Tecnologia em Vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais terminou a primeira etapa da pesquisa de uma vacina contra a covid-19 que será a primeira totalmente brasileira. A segunda fase, que testa o imunizante em humanos, começa em março. 

Dividida em três fases, deve durar entre 12 e 14 meses, para que a vacina possa ser aprovada e ter início a produção em escala industrial. Mas isso depende do fluxo de investimentos.

Segundo a coordenadora do CT-Vacinas, Ana Paula Fernandes, o grande diferencial da vacina da UFMG, em relação àquelas produzidas pelo Instituto Butantan, em São Paulo, e pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio, é o fato de os insumos necessários —o chamado IFA (ingrediente farmacêutico ativo)— serem todos produzidos no Brasil.

Os testes clínicos em humanos têm custo de R$ 30 milhões nas duas primeiras fases: preparação dos laboratórios da Funed (Fundação Ezequiel Dias), em Belo Horizonte, para a escala industrial e avaliação da resposta de um grupo de 40 pessoas ao imunizante.

O desenvolvimento da vacina da UFMG teve início em fevereiro de 2020, quando começou a pandemia no Brasil. Foram gastos R$ 5 milhões, bancados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, com participação de 30 profissionais da universidade e apoio de pesquisadores da Fiocruz, da USP (Universidade de São Paulo) e da própria Funed.

O elevado número de mortes fica ainda mais claro na média móvel de óbitos dos últimos sete dias: 1.148. Com isso, o país completa 37 dias com a média acima de 1.000.

O consórcio também atualizou informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19 por 23 estados. (Foto: Reprodução)

O Brasil registrou 1.327 mortes pela Covid-19 e 63.908 casos da doença, nesta sexta-feira (26). Com isso, o país alcança 252.988 óbitos e 10.457.794 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

O elevado número de mortes fica ainda mais claro na média móvel de óbitos dos últimos sete dias: 1.148. Com isso, o país completa 37 dias com a média acima de 1.000. A média é recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

Na quinta, o país atingiu o recorde da média móvel de mortes, 1.150.

O Brasil enfrenta o seu pior momento na pandemia.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O consórcio também atualizou informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19 por 23 estados.

Foram aplicadas no total 8.289.978 doses de vacina (6.422.545 da primeira dose e 1.870.032 da segunda dose), de acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde. Nesta quinta, foram 84.408 primeiras doses e 119.251 segundas.

As vacinas disponíveis no Brasil são a Coronavac, do Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e a Covishield, imunizante da Fiocruz desenvolvido pela parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Afogados registra 7 novos casos para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta sexta (26) foram registrados 07 casos novos para a COVID – 19.
São 03 pacientes do sexo feminino, com idades de 32, 62 e 39 anos; e 04 pacientes do sexo masculino, com idade de 18, 24, 29 e 34 anos. Entre as mulheres: 01 aposentada, 01 assessora parlamentar e 01 agricultora. Já entre os homens: 01 estudante (rede pública), 01 vendedor, 01 balconista e 01 sem informação.
Hoje não temos novos casos em investigação.
46 pacientes apresentaram resultados negativos para COVID -19.
O município atingiu a marca de 2.703 pessoas (95,78 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 89 casos estão ativos.
Afogados atingiu a marca de 11.683 pessoas testadas para covid-19, o que representa 31,35 % da nossa população.
Casos leves x SRAG/covid- 19:
Leves ( 2.738 casos), 97,02% Graves ( 84 casos), 2,98%.

Governo proíbe atividades não essenciais entre 22h e 5h em todo o território de Pernambuco

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta sexta-feira (26), a restrição de atividades não essenciais em todo o território do Estado entre 22h e 5h.

A medida, tomada por causa da alta da pandemia de Covid-19, vale deste sábado (27) até 10 de março. Apesar das restrições anunciadas nesta sexta, seguem em vigor as outras anunciadas para 63 municípios das gerências de Saúde com sedes em Caruaru, Limoeiro e Ouricuri.
A decisão, anunciada pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara, tem como objetivo conter o novo avanço da doença no Estado. De acordo com o governador, a taxa de ocupação da UTI atingiu 90% nesta sexta-feira.
“A polícia e os órgãos de fiscalização estarão nas ruas para observar o cumprimento desse novo decreto. Vamos monitorar os dados minuto a minuto neste fim de semana e, caso os índices permaneçam piorando, novas medidas restritivas podem ser anunciadas já no início da próxima semana”, advertiu Paulo Câmara.
Novos leitos de UTI e vacinas: Além das novas restrições, o governo anunciou a abertura, já neste fim de semana, de mais 30 leitos de UTI dedicados à Covid-19 no Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, no Recife.
“Este é mais um momento decisivo na nossa luta contra a Covid. Já ficou claro que cada um precisa fazer a sua parte, usando máscara, higienizando as mãos e evitando aglomerações”, completou o governador.
O governo ainda divulgou que irá ampliar as equipes de logística para diminuir o prazo de entrega de vacinas aos municípios pernambucanos a partir da chegada no Recife. (Folha PE)

Urgente: PEC da ‘Imunidade’ é retirada da pauta da Câmara

Foto: reprodução

Arthur Lira (PP-AL) acaba de anunciar que retirou da pauta do plenário a PEC da Imunidade, proposta lançada nesta semana para aumentar a blindagem dos parlamentares contra prisões e investigações. Sem garantia de aprovação, o texto será agora discutido numa comissão especial.

Desde ontem, o Centrão percebeu que a proposta poderia não ter os 308 votos suficientes. (O Antagonista)

Presidente criticou governadores que adotam medidas mais restritivas.

Presidente Jair Bolsonaro discursa em Caucaia, na Grande Fortaleza. (Foto: Kid Junior/SVM)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse em visita a Caucaia (CE), nesta sexta-feira (26), que, daqui para a frente, o governador que fechar seu estado é que deve bancar o auxílio emergencial.

“A pandemia nos atrapalhou bastante mas nós venceremos este mal, pode ter certeza. Agora, o que o povo mais pede, e eu tenho visto em especial no Ceará, é para trabalhar. Essa politicalha do ‘fica em casa, a economia a gente vê depois’ não deu certo e não vai dar certo. Não podemos dissociar a questão do vírus e do desemprego. São dois problemas que devemos tratar de forma simultânea e com a mesma responsabilidade. E o povo assim o quer. O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e, daqui para frente, o governador que fechar seu estado, o governador que destroi emprego, ele é quem deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do Presidente da República essa responsabilidade”, disse o presidente.

A declaração ocorre em um momento em que governadores e prefeitos tomam medidas mais rígidas para conter o avanço da Covid-19 em várias partes do País. O Brasil teve nesta quinta-feira (25) recorde de mortes registradas em um único dia: 1.582. Diversos estados estão sofrendo com falta de leitos de UTI para atender os doentes.

“Esses que fecham tudo e destroem empregos estão na contramão daquilo que seu povo quer. Não me critiquem, vão para o meio do povo mesmo depois das eleições”, afirmou o presidente.

A visita ao Ceará também ocorre em meio ao aumento de casos de coronavírus no estado e, por isso, foi alvo de crítica do governador Camilo Santana (PT), que informou que não iria participar do evento. O Ministério Público Federal apontou risco de aglomeração. Nesta sexta-feira (26), Santana anunciou a ampliação do horário do toque de recolher em todo o estado.

Visita ao Ceará

O presidente participou da assinatura da retomada de obras viárias em Tianguá, no Norte do Ceará, e visitou a duplicação da BR-222 em Caucaia nesta sexta-feira.

Nos dois momentos da visita, houve aglomeração de apoiadores e pessoas sem uso de máscara. Bolsonaro discursou para uma multidão aglomerada na praça principal de Tianguá. Grades que cercavam o local foram retiradas um pouco antes da cerimônia, e o público correu para próximo da tenda em que foi assinada a ordem de serviço da obra de travessia urbana, na BR-222, no município.

Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Parnaíba, no Piauí, por volta das 11h; lá, conversou com apoiadores que se aglomeravam ao seu redor. Em seguida, a comitiva presidencial partiu em dois helicópteros para Tianguá.

Sem presença do governador

Na quinta-feira (25), o governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou em redes sociais que não estaria presente no evento e, sobre a visita, disse “não compactuar com o que considera um grave equívoco”.

Já o Ministério Público Federal no Ceará recomendou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e às prefeituras de Fortaleza, Horizonte e Tianguá que evitassem multidões na visita do presidente. “Os números da pandemia em todo estado inspiram atenção redobrada, permanecendo o isolamento social como política pública mais eficiente e indispensável no combate à disseminação do vírus”, disse o MPF.

Esta foi a segunda visita de Bolsonaro ao Ceará como presidente. Em setembro de 2020, já durante a pandemia, o presidente participou de ato sem usar máscara e em meio a uma multidão. Em visitas presidenciais recentes, como a que fez no Acre na quarta (24), também houve aglomeração de pessoas: em Sena Madureira, a comitiva presidencial circulou em carro aberto e a população acompanhou o trajeto.

‘São 2 Poderes no Brasil’, diz presidente

No discurso, o presidente elogiou parlamentares e a proximidade entre o Executivo e o Legislativo.

“Quando me refiro a vocês, eu digo que não somos três poderes do Brasil, somos dois poderes, o Executivo e Legislativo trabalham juntos, um nada faz sem o outro”, disse Bolsonaro.

Sem citar diretamente o governador Camilo Santana, Bolsonaro disse: “Aos políticos que me criticam, sugiro que façam o que eu faço.”

Também participaram do evento o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e o diretor-geral do Dnit, Antônio Leite dos Santos Filho, além de prefeitos e líderes regionais.

Obras no Ceará

Durante a cerimônia da qual participou Bolsonaro, foram assinadas as ordens de serviço das seguintes obras:

  • Continuidade do viaduto da BR-116 na cidade de Horizonte, obra parada há 16 anos. Valor: R$ 5,2 milhões
  • Duas obras de correção de curvas da BR-222 na cidade de Umirim, obra parada há 5 anos. Valor: R$ 16,7 milhões
  • Travessia urbana no trecho da BR-222 na cidade de Tianguá, parada há 10 anos. Valor: R$ 66.123.320,74
  • Duplicação do trecho da BR-222 entre o Porto de Fortaleza ao Porto de Pecém.
  • Em janeiro, a TV Verdes Mares mostrou em reportagem a buraqueira do trecho que vai receber melhorias em Tianguá. 

O presidennte do BB, André Brandão, em reunião com o ministro Paulo Guedes e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Alan Santos / PR

O presidente do Banco do Brasil, André Brandão, colocou o cargo à disposição do presidente Jair Bolsonaro. A informação é confirmada por fontes do Palácio do Planalto.

No início da semana, Brandão teve uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, quando manifestou o desconforto em permanecer no cargo, depois dos rumores de que Bolsonaro queria substitui-lo. O presidente do BB faltou ao jantar que a Febraban promoveu com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Foi pedido a ele, segundo fontes palacianas, que permaneça à frente do BB por mais um tempo até que se encontre um substituto.

Entre os nomes cogitados para substituir Brandão estão o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa, o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, e o presidente do BNDES, Gustavo Montezano.

A situação de Brandão está delicada desde janeiro, quando ele anunciou um plano de reestruturação do banco, com o fechamento de 361 agências em vários municípios  e programa de demissão voluntária. A medida desagradou Bolsonaro, que pediu a cabeça do executivo. Mas a demissão não se concretizou.  Bolsonaro fora alertado que a União poderia ser responsabilizada por acionistas minoritários se houvesse prejuízo na instituição.

Prefeitura de Afogados da sequência à vacinação contra covid-19

Embora a conta-gotas, e ainda distante da necessidade local, as vacinas distribuídas pelo Governo Federal estão servindo para imunizar a população mais idosa de Afogados da Ingazeira.
Nesta quinta chegaram ao município 350 doses da vacina da astrazeneca e 150 doses da coronavac. A primeira, precisa de um intervalo de três meses para aplicação da segunda dose. Por isso, todo o lote de 350 vacinas será utilizado agora, beneficiando os idosos.
Segundo informações da Secretaria de Saúde, nesta sexta estará concluída a imunização dos idosos com 85 anos ou mais. Hoje já começou a imunização dos idosos com 84 anos. A expectativa é que na próxima semana sejam vacinados os idosos com 84 e 83 anos. A medida que novas vacinas cheguem, novos grupos etários serão imunizados. As vacinas estão sendo aplicadas nas unidades básicas de saúde e nas residências, no caso dos pacientes acamados ou com mobilidade reduzida.
As 150 doses da coronavac irão servir para imunizar os profissionais de saúde que ainda não receberam a vacina. Nesse caso, as doses precisam ser aplicadas quinze dias após a primeira dose.
As enfermeiras da UBS mandacaru estiveram na manhã de hoje, dentre várias residências, na casa dos Afogadenses Maria Eunice Brandão, de 87 anos, e de Antônio Sabino de Souza, de 85 anos. Seu Antônio, além da vacinação, também recebeu a visita da fisioterapeuta Marília Isabel, que integra a equipe do AME-AB, atendimento médico especializado da atenção básica.

De acordo com a assessoria de imprensa do ex-integrante do grupo Olodum, ele guardava transferência para uma unidade de saúde de Salvador.

Irmão Lázaro está internado com Covid-19 (Foto: Reprodução)

O cantor gospel e vereador Irmão Lázaro (PL) foi internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na manhã desta quinta-feira (25), em um hospital de Feira de Santana, na Bahia. De acordo com a assessoria de imprensa do ex-integrante do grupo Olodum, ele guardava transferência para uma unidade de saúde de Salvador, que não foi possível devido ao agravamento da situação. As informações são do G1.

Na noite desta quinta-feira (25), a equipe do vereador atualizou o estado de saúde dele e informou que ele está intubado, porém o estado de saúde do cantor gospel é estável.

Assim, amigos e familiares do músico, explica a nota publicada, estão “em oração esperando que o quadro melhore”. “Pedimos a todos que continuem em orando”.

‘Transferência poderia ser perigosa’

Mais cedo, também nesta quinta-feira (25), a família de Iramão Lázaro conseguiu uma vaga de leito de UTI em um hospital da capital baiana, porém os médicos da unidade de saúde onde ele está internado, em Feira de Santana, consideraram que a transferência poderia ser perigosa.

“A família chegou a conseguir uma vaga no [Hospital] Aliança, em Salvador, mas devido ao agravamento da situação os médicos aqui em Feira acharam melhor ele ficar, por causa desse translado, podia ser perigoso. Ele está intubado aqui em Feira de Santana”, explicou a assessoria de imprensa do cantor gospel.

Também segundo a equipe do vereador, uma UTI móvel teria sido encaminhada para o hospital em que Irmão Lázaro está internado.

Sintomas

O cantor gospel começou a apresentar sintomas de Covid-19 há dez dias, mas o resultado positivo para a doença saiu no fim de semana. Na última segunda-feira (22), o músico foi internado em um leito clínico do hospital. Já na manhã desta quinta-feira (25), Irmão Lázaro teve piora no estado de saúde e precisou ser intubado.

Carreira

Em 2020, o vereador foi eleito com 4.273 votos. Irmão Lázaro já atuou como deputado federal entre 2015 e 2018, ano em que concorreu a uma vaga no Senado Federal, mas não ganhou.

Músico aclamado pelo público, Irmão Lázaro integrou o grupo Olodum nos anos 90, mas decidiu seguir carreira como cantor gospel depois de ter se convertido à religião evangélica. Um dos grandes sucessos na voz dele é a música “Eu sou de Jesus”, gravada em 2008.

 

Dólar é cotado a R$ 5,5129 nesta manhã de sexta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,72 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,0545.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta sexta-feira (26), está cotado no valor de R$ 5,5129. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,7504.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,72 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,0545.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

O Portal ClickPB apura de segunda à sexta-feira a cotação do dólar e euro.

A média móvel de mortes pela Covid foi recorde, pelo segundo dia consecutivo. O valor chegou a 1.150, nesta quinta, com crescimento de 7% em relação ao dado de 14 dias atrás.

As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. (Foto: Reprodução)

 Um ano depois do primeiro caso de Covid-19, o Brasil registrou o maior número de óbitos pela doença em 24 horas em toda a pandemia. Nesta quinta-feira (25), foram registradas 1.582 mortes de brasileiros pela Covid. Com expansão da doença em diversos locais, os dados apontam que o país vive o pior momento da pandemia.

O recorde anterior de mortes (1.554) tinha ocorrido em 29 de julho do ano passado, seguido por 4 de junho, com 1.470 óbitos. O ranking, porém, já é dominado por 2021. Sete dos dez dias com mais mortes na pandemia ocorreram em 2021.

A média móvel de mortes pela Covid foi recorde, pelo segundo dia consecutivo. O valor chegou a 1.150, nesta quinta, com crescimento de 7% em relação ao dado de 14 dias atrás, o que representa uma situação de estabilidade. Na quarta, o valor era de 1.129. Essa média é recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

blogmarcosmontinely

O final mais inacreditável da história do Brasileirão aconteceu na noite de quinta-feira, na soma do que aconteceu no Morumbi e no Beira Rio. No mesmo dia 25 de fevereiro, data em que Careca marcou na última bola do jogo em Campinas e levou a decisão Guarani x São Paulo para os pênaltis, o Flamengo foi campeão com derrota e assistindo ao gol anulado de Edenílson, aos 51 do segundo tempo, e ao gol perdido pelo Internacional aos 52.

O Internacional não teve competência para vencer o Corinthians. Houve um pênalti desmarcado pelo VAR, num toque no braço de Bruno Méndez, um gol bem anulado de Yuri Alberto, outro também em impedimento bem marcado de Edenílson.
Enquanto isso, o Flamengo controlou o jogo no primeiro tempo contra o São Paulo, no primeiro tempo, levou gol de falta de Luciano, no primeiro chute a gol são-paulino, empatou com Bruno Henrique e levou 2 x 1 em seguida.
O segundo campeão com derrota na partida decisiva – o Corinthians ganhou assim em 2005 — mereceu por ser o time mais ofensivo, o ataque mais positivo.
Mesmo que seja de modo completamente diferente de 2019. Com Jorge Jesus, o melhor campeão em número de pontos (90). Em 2020, 71 pont

Prefeitura de Afogados conhece experiência exitosa em gestão de SAMU

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, participou nesta quinta (25), de uma reunião no Recife para tratar da implantação do SAMU no Sertão do Pajeú. Além do Prefeito de Afogados, participaram também os demais Prefeitos que integram a diretoria do CIMPAJEÚ: Luciano Torres (Ingazeira) e Márcia Conrado (Serra Talhada). A reunião contou ainda com a presença do Secretário de Saúde de Afogados, Artur Amorim.

A reunião foi coordenada pelo Presidente da AMUPE, José Patriota, e serviu para discutir o processo de implantação do serviço na região. Os Prefeitos puderam conhecer o trabalho e a expertise da OZZ saúde, empresa que atua na gestão de saúde, coordenando o SAMU em todo o Estado de Santa Catarina, no norte do Paraná e nas cidades de Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Ponta Grossa (PR). São 396 municípios e mais de 18 milhões de habitantes em sua área de atuação.
Na próxima semana o CIMPAJEÚ dará o “start” para a implantação do serviço, com a elaboração do termo técnico de referência para a contratação do serviço. A estimativa é que, esse primeiro momento de implantação seja realizado com recursos exclusivamente dos municípios. Com o serviço em funcionamento, há a previsão de que Estado e União cheguem com suas respectivas contrapartidas.
“Foi uma reunião de trabalho bastante produtiva, com boas perspectivas para que possamos, muito em breve, colocar o SAMU em funcionamento para atender à população dos municípios que integram o CIMPAJEÚ,” destacou o Prefeito de Afogados, Alessandro Palmeira.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha Foto: Daniel Marenco

O governador Ibaneis Rocha (MDB-DF) informou na noite desta quinta-feira, no Twitter, que vai decretar lockdown no Distrito Federal a partir de segunda-feira, de 20h às 5h. A decisão, segundo ele, foi tomada por recomendação da Secretaria de Saúde.

Em seu post, Ibaneis afirma que “queria muito evitar” a medida, “mas não temos outras opções mais fortes”.

Desde o início da pandemia, o Distrito Federal registrou 293.782 casos e 4.805 óbitos por Covid-19. A média móvel de ocorrências é de 917, um aumento de 74% em relação ao visto 14 dias atrás. Já a média móvel de óbitos é de 11, 8% superior àquela vista no mesmo período.

Ibaneis é um dos governadores mais alinhados com o presidente Jair Bolsonaro nas discussões sobre a pandemia do coronavírus. Assim como Bolsonaro, ele combateu medidas de restrição ao comércio, e também posicionou-se publicamente a favor da exoneração do ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que criticava a resistência de Bolsonaro a adotar políticas de isolamento social

 

Os pagamentos indevidos foram calculados em R$ 54,66 bilhões – cerca de 18% dos R$ 293 bilhões efetivamente destinados ao programa no ano passado.

Os pagamentos indevidos foram calculados em R$ 54,66 bilhões – cerca de 18% dos R$ 293 bilhões efetivamente destinados ao programa no ano passado. (Foto: Reprodução)

O Tribunal de Contas da União (TCU) estima que 7,3 milhões de pessoas podem ter recebido o auxílio emergencial de forma irregular e que outras 6,4 milhões de mulheres podem ter sido contempladas com a cota em dobro sem merecê-la. Os pagamentos indevidos foram calculados em R$ 54,66 bilhões – cerca de 18% dos R$ 293 bilhões efetivamente destinados ao programa no ano passado.

O balanço final das fiscalizações sobre o auxílio emergencial foi divulgado na quarta-feira (24) pela corte de contas. Os técnicos chamaram a atenção para o fato de que o valor desembolsado indevidamente pela União seria suficiente para bancar três parcelas adicionais de R$ 300 a 60 milhões de brasileiros.

Atualmente, está em discussão uma nova rodada do auxílio, com quatro parcelas de R$ 250 a até 40 milhões de brasileiros. Após resistir ao relançamento do benefício, a equipe econômica tem tentado limitar seu alcance para conter o impacto fiscal, já que a despesa será bancada com mais emissão de dívida pública e ficará fora do teto de gastos (que limita o avanço das despesas à inflação).

Desde o início da implementação do auxílio, notícias de pagamentos indevidos revoltaram a sociedade. Pessoas com renda mais elevada e até servidores civis e militares foram flagrados recebendo o benefício, deflagrando fiscalizações dos órgãos de controle.

O auxílio tinha como objetivo ajudar pessoas com renda familiar de até R$ 522,50 por pessoa (o equivalente a ¼ do salário mínimo em 2020), mas o TCU estima que 7,3 milhões de famílias estão fora desse critério de público-alvo. Os cálculos foram feitos a partir do cruzamento das informações do auxílio com a base de dados da Pnad Contínua de 2019, pesquisa do IBGE que traz os dados declarados pelas próprias famílias sobre emprego e rendimento.

Há ainda estimativa de que 8 milhões de pessoas receberam o auxílio mesmo quando já excediam o limite de até dois membros da família contemplados.

Ao longo dos últimos meses, o TCU abasteceu o governo com cruzamentos de dados que viabilizaram o cancelamento tempestivo de alguns benefícios. Segundo o relatório, foram efetivamente detectados 3,7 milhões de benefícios irregulares, economizando R$ 8,8 bilhões. “As irregularidades abordam pessoas que tinham emprego formal, outro benefício federal ou descumpriam limites de renda e membros por família que podem receber. Também integravam a base de dados pessoas falecidas ou que moram fora do Brasil”, diz o TCU.

Em tese, esse contingente estaria dentro dos 7,3 milhões de pagamentos indevidos que foram estimados, mas os técnicos da corte de contas consideram que a própria previsão é conservadora pois foi feito um ajuste nos dados considerando a queda abrupta na renda de trabalhadores formais. Se a renda caiu menos do que o estimado nesse ajuste, mais pessoas podem ter recebido indevidamente.

A prova disso é que os dados de cancelamentos vão até agosto, quando o auxílio emergencial tinha 64,9 milhões de beneficiários. Em dezembro, o auxílio emergencial residual tinha 56,8 milhões de beneficiários. Ou seja, saíram pelo menos 8 milhões entre setembro e dezembro.

Para ajudar a resolver o problema dos pagamentos indevidos, o TCU fez determinações e recomendações para atacar as causas, em especial a insuficiência das bases de dados, as falhas das regras de elegibilidade, a autodeclaração de informações de renda e composição familiar e, ainda, a não verificação periódica dos requisitos legais.

O TCU ainda determinou que o Ministério da Cidadania verifique, mensalmente, se os beneficiários continuam sem emprego formal ou sem receber algum outro benefício federal.

O número foi atingido às 18h03 deste dia 24, pouco mais de 24 horas antes de se completar 1 ano do registro oficial do primeiro caso no país, e ainda não incluía os dados de quatro estados.

Desde que foi declarada a pandemia de Covid-19, em 11 de março de 2020, boletins epidemiológicos têm mostrado com números o rastro de destruição deixado pela maior crise sanitária dos últimos cem anos. (Foto: Reprodução)

 Números dão a dimensão de uma tragédia. O desta quarta-feira (24) é: o Brasil atingiu a marca de 250.036 mortos por Covid-19, em uma contabilidade crescente e assustadora.

Os dados são aferidos com as secretarias estaduais de Saúde pelo consórcio dos veículos de imprensa formado pela Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia.

O número foi atingido às 18h03 deste dia 24, pouco mais de 24 horas antes de se completar 1 ano do registro oficial do primeiro caso no país, e ainda não incluía os dados de quatro estados.

Mas já era suficiente para afirmar que, em mortes diárias, o país vive agora o pior momento da pandemia. É como se toda a população de São José, cidade de Santa Catarina, tivesse desaparecido do mapa em menos de um ano.

Desde que foi declarada a pandemia de Covid-19, em 11 de março de 2020, boletins epidemiológicos têm mostrado com números o rastro de destruição deixado pela maior crise sanitária dos últimos cem anos.

Mas, por trás dos números, estão pessoas e suas famílias destroçadas pelo coronavírus, um impacto impossível de se medir por estatísticas numéricas. A reportagem ouviu essas famílias.

Os relatos trazem casos de tentativas de suicídio, sumiço de corpos, perda da única fonte de renda, e a dor de ver os familiares enterrados em valas comuns ou perdendo a vida, sozinhos, em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) bem longe de casa.

Elaborar o luto nestas condições tem sido a tarefa mais penosa na vida de Adrianne, Natália, Luiz, Sarah e Deucimara. A reportagem tentou reunir mais relatos, mas muitas pessoas não quiseram falar por ainda não conseguirem reviver em palavras a dor que carregam.

A pedagoga Adrianne Medeiros, 35, aceitou falar de seu luto com a condição de não ter sua foto divulgada nesta reportagem. Ela diz que após dez meses da morte de seu marido, o supervisor de vendas Diogo Guimarães, 38, completados nesta terça-feira (23), é hora de se autopreservar.

Adrianne diz não saber quando terá sua vida de volta sobre os trilhos. Diz ainda dormir ao lado das roupas do marido e, quando sai de casa, borrifa o perfume que ele mais gostava sobre ela mesma “para continuar sentindo ele perto”.

Pela casa, os porta-retratos de Diogo continuam no mesmo lugar. “E sou criticada por isso. Há uma pressão das pessoas que estão me vendo de fora para eu voltar a namorar, a trabalhar, a viver. Mas gente: eu estou vivendo. Me deixem”, diz ela, em tom de desabafo.

A carioca vive com a filha, de 15 anos, na cidade do Rio de Janeiro e ainda não conseguiu entender porque Diogo não resistiu à doença justamente quando ele havia sido tirado de um respirador, aparelho que mantinha a respiração dele estável.

Era 23 de abril, dia de São Jorge, o santo de devoção de Adrianne. O combinado era levar Diogo para casa depois da melhora de seu estado de saúde. “Mas eu o levei falecido para o cemitério”, diz ela, que também contraiu a Covid ao ter contato com o marido, mas manifestou sintomas leves, apesar de asmática.

Adrianne conta que, um dia, perdeu o controle, teve um surto e tentou tirar a própria vida. Foi resgatada por uma prima que mora bem perto da casa dela. “Eu só me lembro dos bombeiros na minha casa”, diz.

Nesses dez meses sem Lord, apelido de Diogo, Adrianne vem fazendo de seu corpo uma plataforma para elaborar o luto. Já são 15 tatuagens. Uma delas está assim grafada: IgG19.

As letras são uma referência ao exame que detecta a produção de anticorpos para a Covid, representada pelo número 19 da tatuagem. Ela também criou um grupo de WhatsApp chamado “Guerreiras da Pandemia”, que reúne mais quatro amigas que perderam maridos ou irmãos para o coronavírus.

“Eu sei que o nome do grupo é ruim. Mas é o lugar que temos para xingar, chorar e expressar nossas oscilações de humor porque é assim: só quem perdeu alguém muito próximo para a Covid é capaz de entender o que eu estou sentindo”, diz.

De Fortaleza, no Ceará, a família de Sarah Pereira Lucas Melo, 20, não conseguiu nem enterrar o corpo de dona Raimunda de Paula Melo, 90, um caso envolto em desrespeito e má gestão da pandemia.

A idosa morreu no dia 13 de maio de 2020 após dar entrada no serviço de saúde do bairro Itaperi, e seu corpo desapareceu depois disso. A reportagem acompanha o desenrolar do caso desde setembro do ano passado.

“É como uma história com começo e sem final. Isso vai martirizando a gente de um jeito. É desumano, é criminoso”, diz a neta. Em maio do ano passado, o sistema de saúde de Fortaleza beirava o colapso pelo aumento súbito de casos e mortes muito aquém da capacidade da rede instalada de leitos para atender a doença.

O que a família de Raimunda aguarda é o cumprimento de uma ordem judicial para saber se os restos mortais da idosa estão enterrados numa das covas do cemitério Parque Bom Jardim, um dos espaços públicos para enterros mais demandados na pandemia, como suspeita a família.

O advogado Valdir Neto, que representa a família de Raimunda, informou que a exumação ainda não foi realizada e, que a demora, “é um sinal claro de desrespeito dos direitos humanos”, afirma.

“O que me deixa mais triste é que se a minha avó tivesse sido atendida com dignidade ela talvez pudesse estar aqui conosco e já imunizada”, afirma a neta.

Prefeitura de Afogados divulga resultado de seleção para professores

A Secretária de Educação de Afogados da Ingazeira divulgou, no final da tarde desta terça (24), o resultado da seleção pública para professores da Escola Padre Carlos Cottart. Das doze vagas previstas, foram preenchidas onze, uma vez que houve apenas um aprovado na componente curricular língua estrangeira.

O prazo recursal do resultado final é a quinta (25), de 8 às 12h. O resultado dos recursos, caso haja algum, sai até às 17h da sexta (26).
Os candidatos que preencherão as vagas estão identificados como “classificados(as)”
Confira o resultado (Clique nas imagens para vê-las maior):

Amupe tem chapa única encabeçada por Patriota

A Comissão Eleitoral da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), divulgou nesta segunda-feira (21) a inscrição de apenas uma chapa para o pleito da Associação, marcado para acontecer de maneira remota na próxima segunda-feira, 1 de março. 

Na diretoria executiva, com José Patriota na presidência, a chapa possui ainda cinco prefeitas e dois prefeitos, a mais representativa na perspectiva de gênero da história, além de congregar a representação de 37 municípios pernambucanos. Este marco reflete a unidade institucional que hoje vive a Amupe e o movimento municipalista de Pernambuco, com participação de 15 partidos políticos (PSB, MDB, PP, PSD, PSDB, AVANTE, PT, SD, PL, PSL, PTB, CIDADANIA, PODEMOS, REPUBLICANOS, DEM) e um só objetivo: a melhoria da vida da população. 
O pleito está marcado para acontecer na próxima segunda-feira (01/03), das 08h às 17h, com sistema de votação eletrônico, com garantia à segurança do voto de cada participante finalizado o horário de votação, a chapa escolhida tomará posse logo após a divulgação do resultado, em assembleia extraordinária. (Rádio Vivo)

 (Foto: SEE/Divulgação)

O governo de Pernambuco anunciou, nesta terça-feira (23), a suspensão do retorno das aulas presenciais, na rede de ensino municipal, em todas as 184 cidades do estado. A proibição, em razão do avanço de casos da Covid-19 e alta ocupação de leitos em hospitais, se estende até o próximo dia 12 de março. Em decisões anteriores, as unidades escolares haviam sido liberadas para retorno gradual, a partir do dia 1º de março, com o retorno dos anos finais do Ensino Fundamental. Contudo, o cenário epidemiológico, analisado pelas autoridades de saúde, motivou o recuo.“A nova aceleração da doença tem superlotado os sistemas de saúde e vem repetindo o mesmo caminho de 2020, começando pelos Estados do Norte e, agora, chegando com força ao Nordeste”, afirmou o governador Paulo Câmara. Segundo ele, caso o índice de ocupação de leitos de UTI permaneça subindo, marca que já atinge 90%, será preciso a adoção de medidas ainda mais duras nos próximos dias. No panorama atual, as aulas presenciais para a Educação Infantil e Fundamental, na rede pública, estão suspensas desde 16 de março de 2020. Já a rede particular de ensino foi autorizada a retomar aulas no modelo presencial desde outubro de 2020. 

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) já havia denunciado um quadro de precariedade nas escolas municipais de Pernambuco. Em auditoria realizada, no último mês de dezembro, o órgão anunciou a conclusão de que as unidades de ensino, que recebem crianças e adolescentes dos ensinos Fundamental I e II, estão em péssimas condições de operação até mesmo se não houvesse uma pandemia. “Algumas dessas escolas não têm água e nem energia elétrica dentro do que se exige para o funcionamento, além de outros problemas estruturais. O que se verificou foi que, desde antes da pandemia, já havia problemas sérios”, disse, à época, o presidente, Dirceu Rodolfo de Melo Júnior.

De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, o novo calendário de retomada das aulas presenciais na rede pública deve seguir a seguinte programação: Os anos finais do Ensino Fundamental, autorizado o retorno em 15 de março, enquanto os anos iniciais, com volta em 22 de março. Já a Educação infantil, deve voltar a receber as crianças apenas no dia 29 de março. A posição não interfere no funcionamento das escolas privadas e das estaduais que oferecem Ensino Médio, onde permanece o ensino híbrido, com aulas remotas e presenciais.

Discussão
Diante das novas deliberações em Pernambuco, a Câmara Municipal do Recife anunciou que realizará uma audiência pública virtual, programada para a próxima quinta-feira (25), às 15h, para debater o retorno às aulas na rede pública de ensino. Proposta pela vereadora Liana Cirne (PT), a audiência foi aprovada por unanimidade na Casa. Também foi proposta, ainda cabendo avaliação, a criação de uma Comissão Especial Suprapartidária de Apoio, Acompanhamento e Fiscalização da Rede de Ensino Municipal do Recife. Segundo parlamentares, o objetivo é de avaliar as condições das escolas do Recife perante o cenário de pandemia.

Humberto Costa teria sido beneficiário de R$ 1 milhão para sua campanha eleitoral em 2010.

Por 3 votos a 2, o colegiado finalizou nesta tarde julgamento iniciado no ano passado e entendeu que, após seis anos de investigação, não foram reunidas provas suficientes para manutenção do inquérito. (Foto: Reprodução)

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (23) arquivar inquérito aberto contra o senador Humberto Costa (PT-PE) no âmbito da Operação Lava Jato.

A pedido da Procuradoria-Geral da República, o inquérito foi aberto em 2015, a partir do depoimento de delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Segundo o delator, Humberto Costa teria sido beneficiário de R$ 1 milhão para sua campanha eleitoral em 2010.

Por 3 votos a 2, o colegiado finalizou nesta tarde julgamento iniciado no ano passado e entendeu que, após seis anos de investigação, não foram reunidas provas suficientes para manutenção do inquérito.

Antes da decisão, a Polícia Federal (PF) pediu o arquivamento do inquérito. No relatório enviado ao Supremo em 2016, a PF afirmou que, “esgotadas as diligências vislumbradas, não foi possível apontar indícios suficientes de autoria e materialidade” que possam confirmar as declarações de Paulo Roberto Costa sobre o senador.

Em nota, o senador criticou a Operação Lava Jato e disse que sempre se colocou à disposição das autoridades.

“Hoje, seis anos depois do anúncio pirotécnico, midiático e criminoso daquela lista [Lista do Janot], mais um entre os tantos atos dessa natureza perpetrados pela Lava Jato, com uma perseguição investigatória praticamente inacabável por membros do Ministério Público sem que quaisquer elementos dispusessem contra mim, a Segunda Turma do STF decidiu, por fim, pelo arquivamento do inquérito, dado o imenso e infindável constrangimento ilegal a que estava submetido por essa persecução judicial interminável”, disse Humberto Costa.

Professor é encontrado morto dentro de casa em Tabira

O professor Luiz Carlos, o “Goiabinha”, foi encontrado morto na tarde desta terça-feira (23) em sua residência. 

Segundo informações, os amigos sentiram falta do mesmo e entraram por cima da casa onde o encontraram já sem vida.
Não se sabe ainda a causa da morte e o corpo será levado ao IML. 
Luiz Carlos professor da Escola Carlota.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Pernambuco determinou, nesta terça-feira (23), a proibição de atividades econômicas, das 20h às 5h, em 63 cidades das regiões de Limoeiro e Caruaru, no Agreste, e de Ouricuri, no Sertão. Essa medida, tomada por causa do agravamento da pandemia da Covid-19, vai vigorar entre a sexta-feira (26) e o dia 10 de março.

As novas medidas foram anunciadas pelo governador Paulo Câmara (PSB), em transmissão pela internet. A decisão foi tomada, segundo o estado, por causa da lotação das unidades de saúde, que chegaram, nas três regiões, a ter mais de 90% dos leitos ocupados.

De acordo com o governo, ficarão fechados, no período determinado, shoppings, bares, restaurantes, comércio de forma geral e academias. Estarão liberados os serviços essenciais, como supermercados, padarias, postos de gasolina e farmácias

Além da proibição das atividades econômicas, o governo prorrogou a proibição de eventos por mais 15 dias, valendo para todo o estado. Ainda segundo o governo, as aulas presenciais ficarão suspensas até o dia 12 de março, nas escolas públicas municipais em Pernambuco.

Com a determinação, a suspensão das atividades econômicas nas regiões definidas será ainda mais rigorosa nos próximos dois fins de semana. As restrições entrarão em vigor entre 17h e 5h, “quando apenas serviços essenciais poderão continuar funcionando”.

“A nova aceleração da doença tem superlotado os sistemas de saúde e vem repetindo o mesmo caminho de 2020, começando pelos estados do Norte e, agora, chegando com força ao Nordeste”, afirmou Paulo Câmara, durante o pronunciamento.

No vídeo, o gestor estadual afirmou, ainda, que o monitoramento dos casos da Covid-19 está sendo feito diariamente.

Segundo ele, caso o índice de ocupação de leitos de UTI permaneça subindo, será preciso “tomar medidas ainda mais duras nos próximos dias”.

“Durante esses 11 meses de luta contra os vírus, fizemos a segunda maior rede de UTI do país com leitos no Recife e em mais 15 cidades, do litoral ao Sertão. Mesmo assim, a situação atual mostra uma combinação perigosa e números crescentes da pandemia”, declarou.

A participante disputou o Paredão ao lado de Arthur e Gilberto. Os brothers permanecem no jogo.

Karol Conká foi eliminada com o maior índice de rejeição do programa (Foto: Reprodução)

Quem saiu do BBB21 nesta terça, 23/2, foi Karol Conká. A participante disputou o Paredão ao lado de Arthur e Gilberto e saiu da casa com 99,17% dos votos, recorde de rejeição do programa.

Os brothers permanecem no jogo. O instrutor de crossfit recebeu 0,54% dos votos, e Gilberto, 0,29%.

“Eu amei conhecer vocês! O que acontece aqui fica aqui. Lá fora é um outro rolê”, disse a sister após a Eliminação.

Karol recebeu o carinho dos outros participantes. Pocah e Projota se emocionaram muito. “Vou ficar com saudades”, disse a cantora para o amigo cantor.

“Jorge, mamãe está chegando”, disse Karol ao mandar um recado para o filho.
Os confinados cantaram a música mais famosa da cantora, “Tombei”, antes de ela sair pela porta da casa mais vigiada.

Em seguida, Karol conversou com Tiago Leifert no estúdio e comentou sobre sua trajetória no reality: “Eu me perdi dentro de mim”

A média móvel de mortes da doença é de 1.055. Já são 33 dias seguidos de valor acima de mil, o maior período da pandemia (o anterior era de 31 dias).

O consórcio também atualizou informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19 por 21 estados. (Foto: Reprodução)

— O Brasil registrou 716 mortes pela Covid-19 e 30.231 casos da doença, nesta segunda-feira (22). Com isso, o país chegou a 247.276 e a 10.197.531 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia. A média móvel de mortes da doença é de 1.055. Já são 33 dias seguidos de valor acima de mil, o maior período da pandemia (o anterior era de 31 dias).

Os dados do país são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 1.055, aumento de 4% em relação ao dado de 14 dias atrás (1.015). Isso representa uma situação de estabilidade.

O consórcio também atualizou informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19 por 21 estados.

Foram aplicadas no total 7.251.645 doses de vacina (5.982.640 da primeira dose e 1.269.005 da segunda dose), de acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde.

As vacinas disponíveis no Brasil são a Coronavac, do Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e a Covishield, imunizante da Fiocruz desenvolvido pela parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

As inscrições seguem até o dia 19 de março, exclusivamente pela internet.​ ​A taxa de inscrição é de R$ 25,77.

IBGE abre inscrições para concurso público (Foto: Reprodução)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começa a inscrever nesta terça-feira (23), para o concurso público com 3.365 vagas para recenseador na Paraíba. 

As inscrições seguem até o dia 19 de março,  exclusivamente pela internet. A taxa de inscrição é de R$ 25,77.

 As provas serão realizadas presencialmente em 25 de abril. 

Também estão abertas as inscrições para os cargos de agente censitário supervisor (ACS) e agente censitário municipal (ACM). As inscrições seguem até 15 de março pelo site. A taxa de inscrição é de R$ 39,49.

As provas objetivas serão aplicadas presencialmente no dia 18 de abril. 

As provas serão realizadas em todos os municípios onde houver vagas.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta segunda (22) foram registrados 11 casos novos para a COVID – 19.

O óbito que estava em investigação foi descartado para COVID -19.
Os casos positivos de hoje são 05 pacientes do sexo feminino, com idades de 24, 27, 54, 68 e 79 anos; e 06 pacientes do sexo masculino, com idade de 05, 33, 48, 49, 70 e 71 anos. Entre as mulheres: 02 aposentadas, 01 agricultora, 01 dona de casa e 01 profissional da segurança. Já entre os homens: 02 aposentados, 01 operador de sistema, 01 agricultora, 01 mototaxista e 01 estudante (rede pública).
Hoje não temos novos casos em investigação e 35 pacientes apresentaram resultados negativos para COVID -19.
10 pessoas apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 2.658 pessoas (96,06 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 79 casos estão ativos.
Afogados atingiu a marca de 11.419 pessoas testadas para covid-19, o que representa 30,64 % da nossa população.
Casos leves x SRAG/covid- 19:
Leves ( 2.683 casos), 96,96 % Graves ( 84 casos), 3,04%.
Semana Epidemiológica: Encerrou no último sábado a SE 07 com 53 casos e média móvel de 7,57 casos por dia. Analisando o cenário epidemiológico das 04 semanas anteriores, nota-se:
SE 06 (54 casos) e M. Móvel de 7,71 casos/dia;
SE 05 (83 casos) e M. Móvel de 11,85 casos/dia;
SE 04 (89 casos) e M. Móvel de 12,71 casos/dia;
SE 03 (62 casos) e M. Móvel de 8,85 casos/dia.
Ao analisar as duas
Acre decreta estado de calamidade pública devido a enchentes
enchentes_Acre

O governador do Acre, Gladson Cameli, decretou estado de calamidade pública em dez cidades do estado, em virtude das cheias dos rios. Cerca de 130 mil pessoas foram afetadas no estado até agora. O decreto, publicado hoje (22) em edição extra do Diário Oficial do estado, incluiu, além da capital, Rio Branco, os municípios de Cruzeiro do Sul, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Porto Walter, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Tarauacá.

De acordo com o governo do estado, alguns municípios têm registrado inundações históricas, com milhares de famílias desabrigadas. Cameli já havia decretado situação de emergência no estado. A diferença é que agora o estado reconhece a necessidade de ajuda financeira do governo federal para enfrentar a crise, bem como para prestação de assistência humanitária à população afetada.

O governo apontou ainda um recuo nas cheias dos rios em nove municípios. Entre os mananciais que apresentaram vazante estão o Rio Acre, em Rio Branco, com 15,43 metros (m); o Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, com 14,31m; o Rio Tarauacá, no município de Tarauacá, com 9,40m; o Rio Envira, em Feijó, com 14,49m; e o Rio Purus, em Santa Rosa, com 6,84m.

Os rios dos municípios de Jordão, Porto Walter, Mâncio Lima e Rodrigues Alves não têm medição por réguas, mas também apresentaram sinal vazante. O único rio ainda em ritmo de cheia é o Rio Iaco, em Sena Madureira, medindo 18,05m. Os registros são da Coordenação Estadual de Defesa Civil (Cepdec).

As enchentes não são a única crise enfrentada no estado, que enfrenta também aumento no número de mortes por covid-19, resultado de uma saturação no sistema público de saúde. A dengue também tem sido um problema. O governo estadual estima que a dengue seja responsável por 80% da demanda nas unidades de pronto atendimento de Rio Branco, chegando a 8,6 mil casos suspeitos.

Com o acúmulo de problemas vividos pelo Acre, o presidente Jair Bolsonaro decidiu visitar o estado na próxima quarta-feira (24). A visita ocorrerá a pedido do senador Márcio Bittar (MDB-AC)

Acidente na PE-320 entre Afogados e Tabira

Na tarde desta segunda-feira (22), aconteceu um acidente na PE-320, que liga Afogados à Tabira.

O acidente envolveu um Corola e uma F-4000 que se chocaram e felizmente ninguém se feriu.

As diretrizes também devem servir de base para os demais países que formam o Reino Unido.

Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em frente à residência oficial em Downing Street, Londres, em foto de 22 de fevereiro de 2021. (Foto: Hannah Mckay/Reuters)

 O premiê britânico, Boris Johnson, detalhou nesta segunda-feira (22) como serão os primeiros passos da saída gradual do lockdown imposto na Inglaterra para conter o avanço do coronavírus. As diretrizes também devem servir de base para os demais países que formam o Reino Unido.

A partir de 8 de março, as escolas devem reabrir no país e, no final do próximo mês, encontros entre amigos e familiares serão permitidos pelas autoridades, como resultado de uma queda nos casos de Covid-19, auxiliada por uma das campanhas de vacinação mais rápidas do mundo.

“Hoje traçarei um roteiro para nos tirar do lockdown com cautela”, escreveu Boris, em uma publicação no Twitter, antes de apresentar seu projeto ao Parlamento. “Nossa prioridade sempre foi trazer as crianças de volta à escola, que sabemos ser crucial para sua educação e bem-estar. Também priorizaremos maneiras de as pessoas se reunirem com seus entes queridos com segurança.”

Com mais de 120 mil mortes por Covid-19, o Reino Unido é o quinto país com o maior número de óbitos no mundo, atrás de Estados Unidos, Brasil, México e Índia. Mas o ritmo acelerado das vacinações no país associado a um rígido bloqueio nacional — o terceiro do tipo na Inglaterra, que já dura 49 dias — colaborou para uma queda significativa no número de novas infecções.

Quando Boris decretou o bloqueio, em 4 de janeiro, a média móvel de casos diários beirava os 55 mil. Cinco dias depois, alcançou o pico de 59 mil, o maior já registrado no Reino Unido desde o início da pandemia.

A partir de então, iniciou-se um declínio acentuado na curva de infecções e, segundo os dados mais recentes compilados pela Universidade Johns Hopkins, a média móvel estava em 11.200 no último sábado (20) — o que representa uma queda de aproximadamente 81% no período mencionado.

Ainda assim, o premiê britânico tem adotado uma postura mais cuidadosa se comparada ao que se viu no passado. “Nossas decisões serão tomadas com base nos dados mais recentes em cada etapa e seremos cautelosos quanto a essa abordagem para não desfazer o progresso que alcançamos até agora e os sacrifícios que cada um de vocês fizeram para se manterem seguros”, disse Boris.

Embora alguns detalhes do plano, como a reabertura das escolas inglesas, já tivessem sido antecipados por ministros, o premiê apresentou projeto completo ao Parlamento britânico na tarde desta segunda. Autoridades da Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, que são responsáveis por suas próprias políticas de saúde pública, também devem aliviar as restrições nos próximos meses.

O roteiro proposto por Boris tem quatro estágios, com intervalos de cinco semanas entre eles. A etapa final, quando quase todas as restrições estarão suspensas, deve começar, no mínimo, em 21 de junho.

Esses intervalos já haviam sido anunciados previamente pelo ministro da Saúde britânico, Matt Hancock. Segundo ele, as pausas servirão para reavaliar possíveis impactos dos relaxamentos, de modo que o cronograma pode ser alterado de acordo com o cenário epidemiológico do país.

Ao Parlamento, Boris disse que não há um caminho confiável para um Reino Unido livre da Covid-19, ou mesmo um mundo livre da doença. No entanto, segundo o premiê, o país não pode “persistir indefinidamente com restrições que debilitam nossa economia, nosso bem-estar físico e mental e as chances de vida dos nossos filhos”.

“E é por isso que é tão importante que este roteiro seja cauteloso, mas também irreversível”, prosseguiu Boris. “Estamos iniciando o que eu espero e acredito que seja uma estrada de mão única para a liberdade”.

Segundo Nadhim Zahawi, ministro responsável pela campanha de imunização britânica, a reabertura das escolas já está prevista para 8 de março. Desde 5 de janeiro, apenas alunos considerados vulneráveis e filhos de trabalhadores de setores essenciais estão tendo aulas presenciais, enquanto todo o restante permanece em ensino remoto.

Ainda de acordo com Zahawi, na mesma data da reabertura, duas pessoas de famílias diferentes terão autorização para se encontrarem ao ar livre. A permissão de socialização para grupos maiores, de até seis pessoas, está prevista para 29 de março, quando também poderão ser retomados os esportes ao ar livre.

Boris tem enfrentado dupla pressão no processo de reabertura. De um lado, colegas do Partido Conservador insistem em uma retomada da economia para recuperar a perda estimada em US$ 3 trilhões (R$ 16,5 trilhões), a pior do país em 300 anos. De outro, a comunidade científica teme novas ondas de contaminação por coronavírus se o fim do lockdown for acelerado demais.

Segundo o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, haverá pausas de algumas semanas depois de cada passo em direção à reabertura pra reavaliar possíveis impactos dos relaxamentos, de modo que o cronograma pode ser alterado de acordo com o cenário epidemiológico do país.

Espera-se que Boris também condicione a flexibilização a fatores como a velocidade e o sucesso do programa de imunização, os índices de infecção e o impacto provocado pelas variantes do coronavírus.

O Reino Unido aplicou cerca de 18,2 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 até o último sábado (20), o que coloca o país atrás apenas de Estados Unidos, China e União Europeia no ranking que compara o número absoluto de doses aplicadas.

Já na lista proporcional ao tamanho de cada população, o Reino Unido aparece na terceira posição, logo após Israel e Emirados Árabes Unidos.

O apresentador, a esposa e o filho estão com covid-19.

Carlos Alberto de Nóbrega e esposa estão com covid-19 (Foto: Reprodução Redes Sociais)

– Carlos Alberto de Nóbrega, 84, está internado no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, após receber diagnóstico de Covid-19. A mulher do humorista, Renata Domingues, usou o Stories neste domingo (21) para contar detalhes da internação de ambos, enquanto comentava o próprio resultado positivo que recebeu para a doença, descrevendo sintomas como dor no corpo, febre e sudorese.

“Acabei tendo diagnostico de Covid na quinta-feira. Como apresentei febre, vim para o [hospital] Sirio Libanês para me cuidar com a equipe do dr. Kalil [Roberto Kalil Filho]”, iniciou Domingues, emendando que o marido havia sido internado no quarto ao lado do seu. “Quem me aparece aqui no sábado? O digníssimo Carlos Alberto, mas está tudo bem graças a Deus”, disse, informando o estado de saúde do marido e mostrando um vídeo do reencontro entre os dois no hospital, no qual Nóbrega aparece sorrindo e bem disposto.

O humorista também usou o Instagram para acalmar os fãs em relação ao seu estado de saúde. “Estou ótimo. Já comecei o tratamento, estou sem dor, mal estar, nada. Pude ir ao quarto da Renata que está bem melhor, sem ter mais dores”, informou, atualizando também sobre o estado de saúde do filho caçula João Victor, 20.

“Ele está em isolamento em sua casa e não sente rigorosamente nada”, disse Nóbrega, em seguida, contando seus planos no SBT, onde apresenta “A Praça É Nossa”. “Deus vai me permitir estar gravando dia 24 de março. Com novidades e novos personagens. O SBT aprovou todos os meus pedidos e sugestões feitos na semana passada. Eu, sentado no novo banco, os comediantes consagrados e os novos convidados”, finalizou, agradecendo às mensagens que recebeu.

Governo do Piauí prorroga decreto e altera medidas restritivas contra a Covid-19

A governadora em exercício, Regina Sousa, assinou, nesta sexta-feira (19), a prorrogação do decreto que limita o funcionamento do comércio, bares e restaurantes.

A governadora em exercício, Regina Sousa, assinou, nesta sexta-feira (19), a prorrogação do decreto que limita o funcionamento do comércio, bares e restaurantes. As medidas que, inicialmente, valeriam até o próximo dia 22 de fevereiro, passam a valer até o dia 28 deste mês. O texto sofreu algumas alterações.

– Fica proibida, em todo o estado, a realização de festas ou eventos, em ambientes abertos ou fechados, promovidos por entes públicos ou pela iniciativa privada, do dia 22 ao dia 28 de fevereiro de 2021.

– Fica determinada a adoção das seguintes medidas:

  • Ficarão suspensas as atividades que envolvam aglomeração, eventos culturais, atividades esportivas e sociais, bem como o funcionamento de boates, casas de show e quaisquer tipos de estabelecimentos que promovam atividades festivas, em espaço público ou privado, em ambiente fechado ou aberto, com ou sem venda de ingresso;
  • Bares, restaurantes, trailers, lanchonetes, barracas de praia e estabelecimentos similares, bem como lojas de conveniência e depósito de bebidas, só poderão funcionar até às 23h, ficando vedada a promoção/realização de festas, eventos, confraternizações, dança ou quaisquer atividade que gere aglomeração, seja no estabelecimento, seja no seu entorno;
  • O comércio em geral poderá funcionar somente até às 17h e os shopping centers das 12h às 21h;
  • A permanência de pessoas em espaços públicos abertos de uso coletivo, como parques, praças, praias e outros, fica condicionada a estrita obediência dos protocolos específicos de medidas sanitárias das Vigilâncias Sanitárias Estadual e Municipais, especialmente quanto ao obrigatório de máscaras;
  • Bares e restaurantes poderão funcionar com a utilização de som mecânico, instrumental ou apresentação de músico até às 23h, desde que não geram aglomerações;
  • Lojas de conveniência e depósitos de bebidas poderão funcionar após às 23h exclusivamente para vendas na modalidade delivery.

– A fiscalização das medidas será exercida pelas vigilâncias sanitárias estadual e municipal, com o apoio da Polícia Militar, Polícia Civil e Guarda Municipal.

– Os órgãos envolvidos na fiscalização das medidas sanitárias deverão solicitar a colaboração da Polícia Federal e do Ministério Público Estadual.

-Fica determinado aos órgãos indicados que reforcem a fiscalização em relação às seguintes proibições:

  • aglomeração de pessoas;
  • consumo de bebidas em locais públicos nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro de 2021;
  • direção sob efeito de bebida alcoólica.

– O reforço da fiscalização deverá se dar também em relação ao uso obrigatório de máscaras nos deslocamentos em vias públicas ou permanência em locais onde circulem outras pessoas.

G1

Pelo menos 91 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (22) e reúnem 32.042 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 15.699,67 na Prefeitura de Florianópolis.

Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Entre os principais concursos federais abertos estão:

  • Aeronáutica, para 223 vagas de nível médio;
  • Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), para cadastro de reserva em cargos de nível superior;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para 22.409 vagas de nível médio em todo o país;
  • Marinha, com 980 vagas em vários estados;
  • Ministério da Economia, que oferece 590 vagas.

Nesta segunda-feira, pelo menos 14 órgãos abrem o prazo de inscrições para 1.262 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Só a Marinha oferece 980 vagas, divididas entre dois concursos. Os salários chegam a R$ 7.654,75 na Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Confira aqui a lista completa de concursos e oportunidades

Resultado de imagem para Avião com dois milhões de doses de vacina sai da Índia para o Brasil

O voo chegará a São Paulo amanhã de manhã e as vacinas seguirão para o Rio de Janeiro, onde serão levadas para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz).

Serão trazidos dois milhões de doses da vacina de Oxford (Foto: Reprodução)

Um avião da companhia Emirates, com remessa de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra covid-19 decolou na madrugada de hoje (22) de Mumbai, na Índia, e deve chegar a São Paulo às 6h55 desta terça-feira.

A aeronave deixou a cidade indiana por volta das 10h30 da manhã (horário local), o que equivale a 2h da madrugada de hoje no horário de Brasília. A carga fará escala em Dubai, nos Emirados Árabes, de onde decolará para São Paulo às 22h40 (horário local) – 15h40 de hoje (horário de Brasília).

O voo chegará a São Paulo amanhã de manhã e as vacinas seguirão para o Rio de Janeiro, onde serão levadas para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz).

As doses foram produzidas pelo Instituto Serum, parceiro da AstraZeneca na Índia e maior produtor mundial de vacinas. Mesmo prontas, as vacinas precisarão passar primeiro por Bio-Manguinhos para que possam ser rotuladas antes de serem distribuídas ao Programa Nacional de Imunizações.

A importação de doses prontas é uma estratégia paralela à produção de vacinas acertada entre a AstraZeneca e a Fiocruz. Para acelerar a disponibilidade de vacinas à população, 2 milhões de doses já foram trazidas da Índia em janeiro e está previsto um total de 10 milhões de doses prontas a serem importadas. Além dos 2 milhões que chegam amanhã ao país, mais 8 milhões estão previstas para os próximos dois meses.

Enquanto negocia a chegada das doses prontas, a Fiocruz trabalha na produção local das vacinas Oxford/AstraZeneca. Segundo o acordo com a farmacêutica anglo-sueca, a Fiocruz vai produzir 100,4 milhões de doses de vacinas até julho, a partir de um ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado. A primeira remessa desse insumo já chegou ao Bio-Manguinhos e o primeiro milhão de doses produzido na Fiocruz tem entrega prevista para o período de 15 a 19 de março.

De acordo com a fundação, os dois primeiros lotes estarão liberados internamente nos próximos dias. Esses lotes são destinados a testes para o estabelecimento dos parâmetros de produção.

“Com esses resultados, a instituição produzirá os três lotes de validação, cuja documentação será submetida à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esses lotes somarão cerca de 1 milhão de doses e seus resultados serão enviados à Anvisa até meados de março”.

Também está em andamento na Fiocruz o processo de transferência de tecnologia para a produção do IFA no Brasil, o que tornará a fundação autossuficiente na produção das vacinas. A previsão é que as primeiras doses com IFA nacional sejam entregues ao Ministério da Saúde em agosto, e, até o fim de 2021, seja possível entregar 110 milhões de doses, elevando o total produzido no ano pela Fiocruz para 210,4 milhões.

Prazo de entrega e regras serão anunciados nos próximos dias

Receita Federal

A partir do próximo mês, o contribuinte terá de cumprir a obrigação anual de prestar contas ao Leão. O prazo da entrega anual da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 (ano-base 2020) ainda não foi anunciado pela Receita Federal. Caso seja mantido o padrão dos últimos anos, o documento deverá ser enviado entre 1º de março e 30 de abril.

A Receita Federal também não anunciou as regras para a declaração deste ano. No entanto, sem perspectiva de correção da tabela do Imposto de Renda, a entrega será obrigatória para quem recebeu acima de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis em 2020 (o equivalente a um salário acima de R$ 1.903,98, incluído o décimo terceiro).

Também deverá entregar a declaração quem tenha recebido rendimentos isentos acima de R$ 40 mil em 2020, quem tenha obtido ganho de capital na venda de bens ou realizou operações de qualquer tipo na Bolsa de Valores, quem tenha patrimônio acima de R$ 300 mil até 31 de dezembro do ano passado e quem optou pela isenção de imposto de venda de um imóvel residencial para a compra de um outro imóvel em até 180 dias.

Adiantamento

Mesmo que as regras ainda não estejam definidas, o contribuinte pode adiantar o trabalho e juntar documentos para acelerar o preenchimento e a entrega da declaração. Primeiramente, o cidadão deve reunir todos os documentos que declarem os rendimentos tributáveis, independentemente de ter ou não havido retenção na fonte pagadora ao longo de 2020.

Entre os documentos de renda, estão os comprovantes de salários, de prestações de serviços, de aposentadorias e de previdência privada. Os empregadores são obrigados a entregar os documentos aos trabalhadores até o fim deste mês, mas o contribuinte pode juntar os contracheques acumulados no ano passado e somar os rendimentos. Cabe também incluir os rendimentos recebidos de pessoas físicas, como aluguéis, pensões e outros.

Para declarar dependentes e garantir deduções, é preciso reunir informações sobre os rendimentos tributáveis dos demais membros da família. Mesmo que os números não alcancem o limite de dedução estabelecido pela Receita, que ainda será divulgado, o contribuinte deve juntar todos os valores recebidos.

Para organizar os documentos que gerem outras deduções, como despesas médicas e educação, o contribuinte deve juntar os recibos, notas fiscais e comprovantes de gastos nessas duas áreas. Fornecer ou utilizar recibos médicos “frios” (falsos) é considerado crime contra a ordem tributária, sujeitando o infrator à multa de 150% e pena de reclusão de dois a cinco anos.

As informações bancárias e as aplicações financeiras com saldo a partir de R$ 140 devem ser informadas na declaração. Nesse caso, o cliente pode ir ao site ou ao aplicativo das instituições financeiras com que mantém relação e baixar os comprovantes de saldos, caso eles estejam disponíveis.

Arrendadores de imóveis rurais, pessoas físicas que recebem rendimentos de outra pessoa física ou do exterior e quem comprou ou alienou bens imóveis, móveis e direitos pelo valor real do bem também devem juntar os documentos. O contribuinte também deve juntar os comprovantes de pagamentos a profissionais liberais, como médicos, dentistas, advogados, veterinários, contadores, economistas, engenheiros, arquitetos, psicólogos, fisioterapeutas e os documentos de pagamento de aluguel, pensão alimentícia e juros. A falta de declaração dos pagamentos acima pode acarretar em multa de 20% sobre os valores não declarados.

Dicas úteis

A Receita Federal lembra que não é aconselhável emprestar o CPF a terceiros para aquisições de bens e direitos. Além disso, também não se deve permitir que terceiros utilizem a conta bancária do contribuinte que terá que justificar a origem dos recursos.

Após a declaração ser enviada à Receita Federal, o órgão cruza os dados informados pelas fontes pagadoras com os números enviados pelos contribuintes. Esse procedimento tem como objetivo verificar a correspondência de valores e evitar fraudes. No caso de erros apurados pela malha fina, a Receita pode sujeitar o contribuinte a multa e juros.

Produtores de leite e derivados estão reclamando de prejuízos causados pela comercialização de alimentos falsificados. Em Ingazeira, o produtor Rildo Belo conta que há quatro anos sofre com esse tipo de ação, que inviabiliza a venda de produtos pela competitividade desleal.

“Isso está quebrando todos nós. Os falsificadores vendem com o preço baixo, a gente não tem como acompanhar, perde as vendas e tem de diminuir a produção”, relata. Ainda de acordo com Rildo, o material pirata comercializado leva nata, margarina e óleo de soja, mais baratos do que os que utilizam leite puro.

Por esse motivo, ele apela para políticos da região, como deputados federais, e ao governador Paulo Câmara para que aumente a fiscalização para impedir a venda desses produtos falsos, que tornam a disputa desleal.

Com 554 novas confirmações nas últimas 24 horas, a média de óbitos nos últimos sete dias é de 1.038.

No total, 10.167.300 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o país, dos quais 29.035 foram contabilizados nas últimas 24 horas. (Foto: Pixabay/Imagem ilustrativa)

– O Brasil completa neste domingo (21) 32 dias consecutivos com média de mortes em decorrência da Covid-19 acima de mil, o período mais longo de toda a pandemia. Com 554 novas confirmações nas últimas 24 horas, a média de óbitos nos últimos sete dias é de 1.038.

O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde. Os números não indicam quando as mortes de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais.

Até então, o período mais longo de média acima de mil era de 31 dias entre 3 de julho e 2 de agosto de 2020. Neste ano, o país não só superou um marco do auge da primeira onda da pandemia, como registrou, em 14 de fevereiro, a pior média diária de mortes em toda a pandemia: 1.105.

No total, 10.167.300 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o país, dos quais 29.035 foram contabilizados nas últimas 24 horas. A soma total de mortos em decorrência de complicações da doença é de 246.560.

Os dados do consórcio de veículos de imprensa são levemente superiores aos divulgados no final da tarde pelo Ministério da Saúde. Nas contas do governo federal, foram confirmados 527 novos óbitos nas últimas 24 horas, totalizando 246.504 mortes.

Ainda segundo a pasta, foram confirmados 29.026 casos no período, com o país chegando a 10.168.174 infectados desde o começo da pandemia, em março do ano passado. Desses, 9.095.483 pessoas se recuperaram da doença, com outras 826.187 em acompanhamento.

ACELERAÇÃO APENAS NO NORDESTE

Apesar do elevado número de óbitos confirmados diariamente no último mês, a situação do país é considerada estável, com variação de 2% em comparação à média de 14 dias atrás.

São quatro regiões estáveis: Sul (15%), Centro-Oeste (9%), Norte (-3%) e Sudeste (-7%). Apenas o Nordeste (26%) registra aceleração.

A média dos últimos sete dias é considerada pelos especialistas a melhor forma de observar o cenário da covid-19. Aos fins de semana e feriados, por exemplo, os números costumam cair por causa da menor disponibilidade de equipes de saúde para atualizar os dados. A média dos últimos sete dias é uma forma de atenuar essas distorções.

Para definir se o cenário é de aceleração, estabilidade ou queda, é calculada a variação no período de 14 dias.

Dólar é cotado a R$ 5,3874 nesta manhã de segunda-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,53 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,8531.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta segunda-feira (22), está cotado no valor de R$ 5,3874. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,6355.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,53 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,8531.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

Prefeitura anuncia toque de recolher a partir das 22h em João Pessoa

A medida foi anunciada nesta manhã durante entrevista a uma rádio, conforme apurado pelo Portal ClickPB.

Toque de recolher em João Pessoa (Foto: ClickPB)

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, anunciou na manhã desta segunda-feira (22), que deverá adotar o toque de recolher na capital paraibana. A medida foi anunciada nesta manhã durante entrevista a uma rádio, conforme apurado pelo Portal ClickPB.

Segundo o prefeito, a nova regra determina que as pessoas devem ficar em casa das 22h às 5h. A medida tem como objetivo  evitar aglomerações e conter o aumento dos casos de Covid-19.

Ainda segundo o prefeito, os bares e restaurantes deverão fechar até as 22h e a comercialização de bebidas só até as 20h.

Cícero informou que irá se reunir com o governador da Paraíba, João Azevêdo, e demais prefeitos da Região Metropolitana de João Pessoa, para estudar a medida. Um anúncio oficial deverá ser realizado ainda hoje. 

O prefeito descartou fechamento de igrejas e academias, no entanto, reforçou que os protocolos sanitários devem ser respeitados.

Neste domingo (21), a Paraíba registrou 1.004  casos da Covid- 19. Agora o Estado totaliza 212.286 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. 

Pirataria põe produtores de leite à beira da falência

Produtores de leite e derivados estão reclamando de prejuízos causados pela comercialização de alimentos falsificados. Em Ingazeira, o produtor Rildo Belo conta que há quatro anos sofre com esse tipo de ação, que inviabiliza a venda de produtos pela competitividade desleal.

“Isso está quebrando todos nós. Os falsificadores vendem com o preço baixo, a gente não tem como acompanhar, perde as vendas e tem de diminuir a produção”, relata. Ainda de acordo com Rildo, o material pirata comercializado leva nata, margarina e óleo de soja, mais baratos do que os que utilizam leite puro.

Por esse motivo, ele apela para políticos da região, como deputados federais, e ao governador Paulo Câmara para que aumente a fiscalização para impedir a venda desses produtos falsos, que tornam a disputa desleal.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira dá sequência, a partir desta segunda (22), ao calendário de distribuição de merenda escolar com alunos que integram o cadastro do programa bolsa-família e que se encontram em condição de vulnerabilidade social. Serão 3.600 beneficiados, com cestas básicas que contem açúcar, arroz, macarrão, leite, flocos de cuscuz, biscoitos e sal. As escolas estarão abertas o dia inteiro para a distribuição, seguindo os protocolos de segurança sanitária.

Confira o calendário:
22/02 – Escolas Ana Melo, Domingos Teotônio e Padre Carlos Cottart;
23/02 – Centros de Educação Infantil Evangelina de Siqueira e São Sebastião, Escolas Petrolina de Siqueira e Dom Mota;
24/02 – Centro de Educação Infantil José Rodrigues;
26/02 – Escola Maria Gizelda Simões;
01/03 – Escola Letícia de Campos Góes.
Nas escolas Francisca Lira e Geraldo Cipriano, a distribuição ocorreu na última sexta-feira. No Centro de Educação Infantil, Maria Genedi Magalhães, a distribuição ocorrerá desta segunda até a próxima sexta (26). O calendário de distribuição na zona rural será divulgado nesta segunda.


Nota de pesar

Quero, em nome de todos os que fazem a Prefeitura de Afogados da Ingazeira, externar de público o nosso profundo pesar pelo falecimento prematuro de nosso amigo José Lourival de Brito, que atuava em nossa vigilância sanitária como agente de endemias.
Tinha com ele uma relação de antiga amizade, laços construídos desde a nossa infância. Recebi a notícia com tristeza e consternação.
Quero, em meio à profunda dor pela perda, desejar a Madalena Brito, e demais familiares e amigos, que Deus lhes traga o conforto e a paz necessárias para enfrentarem esse momento tão difícil. E que acolha nosso amigo José Lourival em sua infinita e misericordiosa morada.
Alessandro Palmeira
Prefeito

Seleção de professores em Afogados. Resultado final será divulgado nesta quarta (24)

A seleção pública para professores da Escola Municipal em tempo integral Padre Carlos Cottart está chegando

a sua reta final. Após as provas de conhecimento realizadas na última sexta (19) e a avaliação curricular dos candidatos,
a Prefeitura de Afogados da Ingazeira divulgará na próxima quarta-feira (24), o resultado final da seleção.
O prazo recursal do resultado final é a quinta (25), de 8 às 12h. O resultado dos recursos, caso haja algum, sai até às 17h da sexta (26).

huck_bolsonaro
Luciano Huck e Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação | Abr)

Apresentador da Globo protestou contra a demissão de Roberto Castello Branco na Petrobrás, que está cobrando uma gasolina caríssima dos brasileiros, deixando as donas de casa no fogão de lenha e quebrando os caminhoneiros.

O apresentador de programas de baixo nível Luciano Huck, que pode vir a ser o candidato da Globo e dos bilionários na eleição presidencial de 2022, mostrou mais uma vez que representa os interesses dos mais ricos. Em post nas redes sociais, ele protestou contra a demissão de Roberto Castello Branco, presidente entreguista da Petrobrás que está cobrando uma gasolina caríssima dos motoristas, quebrando os caminhoneiros, vendendo refinarias da Petrobrás e empurrando as donas de casa de volta para o fogão de lenha. No seu post, ele criticou o que chamou de “populismo”.

Brasil 247

Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 42 milhões

O próximo concurso (2347) será realizado na quarta-feira (24), às 20 horas (horário de Brasília).

Ninguém acertou as seis dezenas e a prêmio acumulou (Foto: Reprodução)

Nenhum apostador acertou as seis dezenas sorteadas no concurso 2346 da Mega-Sena sorteadas ontem (20), no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio acumulou e pode chegar a R$ 42 milhões.

As dezenas sorteadas foram: 03 – 04 – 11 – 40 – 42 – 58.

O próximo concurso (2347) será realizado na quarta-feira (24), às 20 horas (horário de Brasília), e pode ser conferido, ao vivo, pela internet, no canal oficial da Caixa no YouTube.

As apostas podem ser feitas até as 19h de quarta-feira em qualquer casa lotérica. A aposta mínima (6 números) custa R$ 4,50.

 

ttps://twitter.com/i/status/1363234605231349763

A cantora Anitta surpreendeu a internet ao aparecer em um vídeo fazendo uma tatuagem no ânus. A gravação, feita para a rede social adulta OnlyFans, foi amplamente compartilhada pelos fãs neste sábado (20).

Anitta tem compartilhado nudes, vídeos quentes e cobra uma mensalidade de US$ 4,99 (R$ 26,86) dos assinantes. Aos internautas, ela justificou a escolha do local. “É que não tinha mais espaço amiguinha…”, escreveu no Twitter ao responder um comentário da humorista GKAY.

 

 

Imagem

Fenômeno não fez vítimas nem provocou danos

Vulcão Etna, na Sicília, sul da Itália (Foto: IPA/Sipa USA / Reuters)

O vulcão Etna, situado na região italiana da Sicília, voltou a entrar em erupção na noite deste sábado (20), expelindo jatos de lava de até um quilômetro de altura, o dobro do registrado na última terça-feira (16).

O fenômeno ocorreu na cratera sudeste da montanha, que já havia sido palco de uma intensa atividade ao longo da semana passada, pouco antes da meia-noite.

A erupção durou cerca de duas horas e formou um rio de lava de 3,5 quilômetros na encosta do vulcão, terminando em um vale desabitado a 1,8 mil metros de altitude.

Apesar de visualmente impressionante, o fenômeno não fez vítimas nem provocou danos. “Não há perigo em eventos como esse, e graças ao vento fraco, a queda de material piroclástico [fragmentos resultantes da ação vulcânica] será extremamente limitada”, escreveu no Facebook o vulcanólogo Boris Behncke, do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV).

Na última quarta (17), a cidade de Catânia, maior centro urbano nos arredores do Etna, havia amanhecido coberta de cinzas devido à erupção do dia anterior. “O Etna está fazendo suas coisas habituais, às vezes um pouco mais intensamente, mas não há perigo nessa atividade”, acrescentou Behncke.