Além disso, foram registrados 64.126 casos da doença, elevando o de pessoas infectadas desde o início da pandemia para 8.639.868.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 983. (Foto: Reprodução)

 O Brasil registrou 1.382 mortes por Covid-19, nesta terça-feira (20). É o maior número de óbitos desde 4 de agosto, quando foram registradas 1.394 mortes. Com isso, o país chega a 212.893 vítimas do Sars-CoV-2.

Além disso, foram registrados 64.126 casos da doença, elevando o de pessoas infectadas desde o início da pandemia para 8.639.868.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 983. O valor da média representa um aumento de 35% em relação ao dado de 14 dias atrás.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

“Estamos preparados para vacinar toda a nossa população. Precisamos urgentemente de mais vacinas”, afirma prefeito de Afogados

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, afirmou que o município está mais do que preparado para vacinar toda a sua população, bastando para isso a chegada de mais doses da vacina. Segundo ele, Afogados já tem em estoque todos os insumos necessários à vacinação, suficientes para atender toda a população, faltando apenas a liberação de mais doses de vacinas pelo Ministério da Saúde.

“A grande questão hoje é a disponibilidade de vacinas. Estamos acompanhando com bastante apreensão o que está ocorrendo a nível nacional e torcendo para que todo esse imbróglio seja resolvido o mais rápido possível, para que mais doses de vacina cheguem e mais pessoas sejam vacinadas, não só em Afogados, mas nos demais municípios,” avaliou o Prefeito Alessandro Palmeira.
O Prefeito fez ainda questão de destacar que Afogados sempre ultrapassou as metas de vacinação estipuladas pelo Ministério da Saúde, muitas vezes atingindo mais de cem por cento do público-alvo preconizado. Isso porque, em decorrência da defasagem no número de habitantes da cidade, e do crescimento contínuo, os agentes de saúde sempre encontravam e vacinavam novos moradores, ainda não inclusos nos dados populacionais do IBGE, que norteiam as ações dos ministérios.
A declaração do Prefeito Alessandro Palmeira foi feita durante a vacinação dos profissionais do Hospital Regional Emília Câmara que atuam na linha de frente no combate a covid-19. A vacinação atendeu rigorosamente às normas e protocolos exigidos para essa primeira etapa. A vacinação foi acompanhada também por Sebastião Duque, diretor do hospital, além de diversos integrantes da coordenação da unidade.
“Fiz questão de vir aqui acompanhar a vacinação no nosso hospital regional, que tantos bons serviços tem prestado a nossa população, oferecendo um serviço de excelência reconhecido por todos que necessitam de atendimento,” finalizou Palmeira.

Dólar é cotado a R$ 5,3128 nesta de quinta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,43 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,7531.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta quinta-feira (21), está cotado no valor de R$ 5,3128. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,5450.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,43 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,7531. 

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

O Portal ClickPB apura de segunda à sexta-feira a cotação do dólar e euro.

Bancários protestam nesta quinta-feira contra demissões e fechamento de agências do Banco do Brasil na Paraíba e ameaçam entrar em greve

Na Paraíba, serão três agências fechadas, em João Pessoa e Campina Grande.

O Dia Nacional de Lutas é uma das iniciativas aprovadas em reunião da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB). (Foto: Reprodução)

Bancárias e bancários do Banco do Brasil em João Pessoa realizam nesta quinta-feira (21) um Dia Nacional de Lutas contra a reestruturação anunciada pela direção do banco que vai demitir mais de 5 mil funcionários e fechar mais de 300 agências em todo o país. Na Paraíba, serão três agências fechadas, em João Pessoa e Campina Grande. Além de atos nas unidades do banco, os trabalhadores também realizam tuitaço, a partir das 11h com a hashtag #MeuBBValeMais. 

O Dia Nacional de Lutas é uma das iniciativas aprovadas em reunião da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB). Também está sendo proposta uma paralisação nacional dia 29 com decretação do estado de greve. A indicação da CEBB é que no dia 29 seja realizada uma paralisação nacional de 24 horas. 

Na Paraíba, atualmente, apenas 67 agências funcionam, juntamente com 36 postos de atendimentos (PAAs). O banco não revela quantas agências serão fechadas no estado, mas segundo os próprios funcionários, a previsão é que os locais encerrados sejam: a agência Parque Solon de Lucena, localizada no bairro de Tambiá e a agência do Jardim Cidade Universitária, ambas em João Pessoa. Já em Campina Grande, a agência Jardim Paulistano, na Avenida Assis Chateaubriand será encerrada.

O  fechamento de agências terá um forte impacto social e econômico. Uma preocupação especial recai sobre os idosos e demais clientes que precisam das agências físicas e serão direcionados para atendimentos  online, ou agências em outras localidades, o fechamento de agências do Banco do Brasil em muitas cidades, representa a estagnação econômica, fim de muitos negócios locais, aumento na precarização dos serviços, entre outros. 
“O Banco do Brasil é um das estatais mais antigas do país. Tem uma história de 212 anos de serviços prestados à sociedade brasileira, é uma empresa pública que tem uma função social bem definida, gera lucros para o governo e não pode ser atacado assim dessa maneira, através de uma reestruturação que vai prejudicar o povo, a economia e o desenvolvimento das cidades. O seu quadro funcional está defasado e não pode abrir mão de 5 mil funcionários. Se as filas já são enormes, imagine quando o BB tiver menos funcionários, menos caixas e menos agências. Então, qualquer mudança no seu quadro funcional tem de ser negociada com os sindicatos da categoria, conforme o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente”, explicou o presidente do Sindicado dos Bancários da Paraíba.

 

Nos devolveram a esperança’, migrantes confiam em mudança da política com Biden

 (Foto: Andrew Harnik / POOL / AFP)

Migrantes que aguardam no México seus trâmites para se radicarem nos Estados Unidos disseram nesta quarta-feira (20) confiar em que o novo presidente americano, Joe Biden, flexibilizará sua política após as duras medidas implementadas no governo de Donald Trump.

“Estamos muito alegres, contentes, nos devolveram a esperança”, disse à AFP a nicaraguense Jessica Valles, que está há 18 meses em Ciudad Juárez (norte), esperando uma resposta favorável à sua solicitação.

Com este sentimento, Valles acompanhava pela TV a posse de Biden em um abrigo que acolhe migrantes bloqueados.

“Nos faz sentir mais confiantes e estamos vendo que o novo presidente não nos está deixando de lado e acho que sim, está pensando em nós”, disse Fátima, uma salvadorenha que está há dois anos no México e não quis dar seu sobrenome.

A migração foi um tema central do governo Trump, que tomou medidas polêmicas como a separação de famílias em situação irregular ou a construção de um muro na fronteira com o México, de quase 3.200 km.

Sob o governo de Trump, os Estados Unidos enviaram também ao México uns 60.000 migrantes, a maioria da América Central, no âmbito do programa “Quédate en México” (Fica no México).

Essa política determina que os solicitantes de asilo que chegam à fronteira sul americana devem esperar em território mexicano a solução de seus casos.

Biden assinou nesta quarta-feira um decreto determinando parar o muro – cujas obras continuavam nesta quarta em Juárez – e apresentará um projeto ao Congresso que permitirá a naturalização de uns 700.000 jovens que chegaram como ilegais em sua infância, acompanhando seus pais, grupo conhecido como “Dreamers”.

Ele também projeto um plano de assistência para El Salvador, Guatemala e Honduras, de onde se origina a maioria dos migrantes, assim como recursos adicionais para a vigilância e o controle de fronteira.

“É uma esperança, não posso dizer que vá acontecer porque os políticos prometem muito, mas temos a esperança de que seja assim, que nos dê a oportunidade”, comentou, por sua vez, Dennys López, um cubano que está há quatro anos no México e há três meses em Ciudad Juárez.

Após as multitudinárias caravanas migratórias do fim de 2018 e começo de 2019, Trump ameaçou o México com sanções comerciais se não tomasse medidas para deter a onda migratória.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, mobilizou, então, 26.000 militares em suas fronteiras norte e sul.

 

Bolsonaro cumprimenta Biden e diz que enviou carta para o americano

“Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos”, escreveu o presidente no Twitter.

Em uma Washington sitiada, Joe Biden fez seu juramento em frente ao Congresso americano nesta quarta-feira (20) e tomou posse como o 46º presidente dos EUA, colocando fim à era de Donald Trump. (Foto: Reprodução)

 No dia da posse de Joe Biden como novo líder dos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro cumprimentou o americano e disse que lhe enviou uma carta expondo um “excelente futuro para a parceria Brasil-EUA”.

“Cumprimento Joe Biden como 46º Presidente dos EUA. A relação Brasil e Estados Unidos é longa, sólida e baseada em valores elevados, como a defesa da democracia e das liberdades individuais. Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos”, escreveu o presidente no Twitter.

“Para marcar essa data, enderecei carta ao Presidente dos EUA, Joe Biden, cumprimentando-o por sua posse e expondo minha visão de um excelente futuro para a parceria Brasil-EUA”.

Em uma Washington sitiada, Joe Biden fez seu juramento em frente ao Congresso americano nesta quarta-feira (20) e tomou posse como o 46º presidente dos EUA, colocando fim à era de Donald Trump.

O democrata, segundo presidente católico na história do país, jurou sobre a Bíblia, como é tradição nos EUA, diante do presidente da Suprema Corte americana, John Roberts. A cerimônia não contou com a presença de Trump – o republicano não aceitou totalmente sua derrota e se tornou o quarto presidente da história do país a não comparecer à posse do sucessor, o que não acontecia há 152 anos.

Biden assume uma nação dividida e devastada por uma pandemia que já matou mais de 400 mil pessoas nos EUA. Por isso, em seu primeiro discurso como presidente, pediu aos americanos o fim do que chamou de “guerra incivil”. Seus principais desafios, além da polarização, serão recuperar a economia, controlar o coronavírus e pacificar um país ameaçado pelo terrorismo doméstico.

Joe Biden chega à Casa Branca após posse no Capitólio

Recém-empossado, ele deve ainda nesta quarta assinar uma série de medidas em relação à pandemia, meio ambiente e economia, revertendo políticas de Trump.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a primeira-dama, Jill, acenam ao chegar à Casa Branca, na tarde de quarta-feira (20). (Foto: Patrick T. Fallon/AFP)

O novo presidente dos EUA, Joe Biden, e a primeira-dama, Jill Biden, chegaram à Casa Branca por volta das 18h (hora de Brasília) desta quarta-feira (20), após percorrerem a pé o trecho final do trajeto até a sede da presidência americana.

Mais tarde, ainda nesta quarta, espera-se que entre suas primeiras medidas no gabinete presidencial, Biden assine 17 atos executivos, inclusive desfazendo uma série de ações de seu antecessor, Donald Trump.

Biden assumiu a presidência no Capitólio, a sede do Congresso americano, numa cerimônia sem presença de Trump. Ele fez um discurso em que defendeu a união do país e destacou desafios como a pandemia da Covid-19.

Depois passou tropas em revista e homenageou os soldados americanos mortos no cemitério de Arlington, seguindo tradições das posses nos Estados Unidos.

Entre os principais atos que ele deve assinar mais tarde estão medidas sanitárias e econômicas de combate à pandemia de Covid-19, além do retorno dos EUA à OMS (Organização Mundial da Saúde) e ao Acordo de Paris para o Clima.

Também devem ser revertidas decisões como a construção do muro na fronteira com o México e o veto à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA.

Antes mesmo da assinatura do retorno ao Acordo de Paris, a medida já foi saudada pelo presidente francês, Emmanuel Macron.

“Estamos juntos. Seremos mais fortes para enfrentar os desafios de nosso tempo. Mais fortes para construir nosso futuro. Mais fortes para proteger nosso planeta. Bem-vindos de volta ao Acordo de Paris. Muitas felicidades neste dia tão significativo para o povo americano”, disse Macron em uma mensagem.

Veja as principais ações de Biden como presidente que, espera-se, sejam assinadas ainda nesta quarta:

Meio ambiente

  • Retorno ao Acordo de Paris para o Clima;
  • Reverter as ações ambientais de Trump “para proteger a saúde pública e o meio ambiente e restaurar a ciência”;

Saúde

  • Acabar com o processo de saída dos EUA da OMS (Organização Mundial da Saúde);
  • Obrigar o distanciamento social e o uso de máscaras em prédios e áreas federais e por funcionários públicos do governo e terceirizados;

Política externa

  • Parar a construção do muro na fronteira com o México;
  • Reverter o veto de Trump à entrada de cidadãos de países muçulmanos nos EUA;

Economia

  • Estender a moratória para despejos até 31 de março;
  • Estender a pausa no pagamento de financiamentos estudantis até 30 de setembro;

Outras medidas

  • Lançamento de uma série de iniciativas governamentais para promover a igualdade racial;
  • Prevenir e combater a discriminação com base no gênero ou na orientação sexual;

Biden promete ainda para os 100 primeiros dias de governo vacinar 100 milhões e mudar completamente a abordagem de combate à pandemia, para reduzir seu impacto econômico e social.

Bolsonaro cumprimenta Biden e diz que enviou carta para o americano

“Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos”, escreveu o presidente no Twitter.

Em uma Washington sitiada, Joe Biden fez seu juramento em frente ao Congresso americano nesta quarta-feira (20) e tomou posse como o 46º presidente dos EUA, colocando fim à era de Donald Trump. (Foto: Reprodução)

No dia da posse de Joe Biden como novo líder dos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro cumprimentou o americano e disse que lhe enviou uma carta expondo um “excelente futuro para a parceria Brasil-EUA”.

“Cumprimento Joe Biden como 46º Presidente dos EUA. A relação Brasil e Estados Unidos é longa, sólida e baseada em valores elevados, como a defesa da democracia e das liberdades individuais. Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos”, escreveu o presidente no Twitter.

“Para marcar essa data, enderecei carta ao Presidente dos EUA, Joe Biden, cumprimentando-o por sua posse e expondo minha visão de um excelente futuro para a parceria Brasil-EUA”.

Em uma Washington sitiada, Joe Biden fez seu juramento em frente ao Congresso americano nesta quarta-feira (20) e tomou posse como o 46º presidente dos EUA, colocando fim à era de Donald Trump.

O democrata, segundo presidente católico na história do país, jurou sobre a Bíblia, como é tradição nos EUA, diante do presidente da Suprema Corte americana, John Roberts. A cerimônia não contou com a presença de Trump – o republicano não aceitou totalmente sua derrota e se tornou o quarto presidente da história do país a não comparecer à posse do sucessor, o que não acontecia há 152 anos.

Biden assume uma nação dividida e devastada por uma pandemia que já matou mais de 400 mil pessoas nos EUA. Por isso, em seu primeiro discurso como presidente, pediu aos americanos o fim do que chamou de “guerra incivil”. Seus principais desafios, além da polarização, serão recuperar a economia, controlar o coronavírus e pacificar um país ameaçado pelo terrorismo doméstico.

Jovem é morto à tiros em Tabira na noite desta quarta (20)

Segundo informações chegadas ao nosso blog, um jovem de aproximadamente 25 anos, conhecido por Lucas, filho de Maria, foi morto a tiro nessa quarta-feira (20), por volta das 20:30 no Bairro da COHAB em Tabira, ainda segundo informações dois indivíduos em uma moto chegaram e atiraram no mesmo, que veio a óbito no local.

Não sabe ainda o motivo que ocasionou a morte do jovem. (J Campos)

Afogados registra 19 novos casos e 10 curas para covid-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta quarta (20), foram registrados 19 casos novos para a COVID – 19. Desses, 15 já estavam em investigação.  

São 15 pacientes do sexo feminino, com idades de 10, 13, 17, 20, 25, 28, 30, 38, 39, 41, 47, 49, 51, 55 e 101 anos; e 04 pacientes do sexo masculino, com idades de 09, 34, 57 e 58 anos. Entre as mulheres: 02 donas de casa, 03 agricultoras, 02 estudantes (rede pública), 04 sem informação, 01 profissional da saúde, 01 autônoma, 01 aposentada e 01 professora (rede pública). Já entre os homens: 02 comerciantes, 01 sem informação e 01 agricultor. 

Hoje, os casos de 05 homens, com idades  entre 11 meses e 74 anos; e 16 mulheres, com idades entre 01 e 74 anos, entram em investigação. 

Nesta quarta, 23 pacientes apresentaram resultados negativos para COVID -19, e 10 pacientes apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 2.266 pessoas (95,33%) recuperadas para covid-19. Atualmente, 87 casos estão ativos.  

Afogados atingiu a marca de 10.423 pessoas testadas para covid-19, o que representa 27,97% da nossa população. 

Casos leves x SRAG/covid- 19:  

Leves ( 2302 casos), 96,84 % Graves ( 75 casos), 3,16 %.

Serra Talhada e Carnaíba tem alta de casos de Covid-19

Serra Talhada confirmou 76 novos casos e Carnaíba 31 nas últimas 24 horas.

A Secretaria de Saúde de Serra Talhada informa no boletim epidemiológico desta quarta-feira (20) que o município atingiu a marca dos 6.029 pacientes recuperados da Covid-19. 

Foram confirmados  76 novos casos positivos da doença nas últimas 24 horas, diagnosticados através de 19 testes rápidos, 47 resultados de Swab e 10 exames particulares, sendo 27 pacientes do sexo masculino e 49 do sexo feminino, com idades entre 2 e 72 anos.

O município tem 343 casos em investigação, 27.436 descartados, 6.233 casos confirmados,     101 pacientes em isolamento domiciliar, 16 pacientes em internamento hospitalar, 117 casos ativos e 87 óbitos. 

A Secretaria de Saúde de Carnaíba informou em seu boletim epidemiológico, desta quarta-feira (20), que foram confirmados 31 novos casos de covid-19 no município. Segundo o boletim, são resultados que estavam em investigação já há algumas semanas.

Neste quarta, foram liberados 50 resultados de exames PCR, dos quais 25 exames são positivos, o que corresponde a 50% do total liberado hoje.

Outros 6 exames (teste rápido) realizados também testaram positivo, do total de 26 realizados na Unidade Hospitalar Dr. José Dantas Filho.

Foram realizadas e encaminhadas ao laboratório 24 novas coletas de Swab nasofaringe, somando aos casos em investigação.

Sobre o perfil dos casos positivos temos 14 do sexo masculino, com idades entre 3 e 75 anos, e outros 17 do sexo feminino com idades entre 9 e 78 anos.

O município conta agora com 792 casos positivos, 124 em investigação, 622 recuperados e 20 óbitos.

Pernambuco volta a proibir eventos sociais e corporativos a partir de segunda-feira

O governo de Pernambuco anunciou, na tarde desta quarta-feira (20), que vai voltar a proibir eventos sociais e corporativos, a partir da segunda-feira (25). A previsão é de que a proibição ocorra por, pelo menos, 30 dias. Também está sendo estudado o fechamento de parques, devido à piora da pandemia no estado.

O anúncio foi feito em pronunciamento transmitido pela internet, devido a um aumento no número de casos graves de pacientes com Covid-19 e de internações. A primeira vez que os eventos foram proibidos foi em março de 2020, com a chegada da pandemia ao estado. A medida durou até setembro.

Atualmente, segundo o secretário estadual de Saúde, André Longo, há mil pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) das redes pública e privada, em Pernambuco. Na semana anterior, o estado anunciou a proibição de som, ao vivo ou mecânico, em bares, restaurantes, praias, boates e em qualquer outro local que possa provocar aglomerações.

“Entendemos pela suspensão dos eventos sociais e corporativos a partir da segunda-feira (25), pelo prazo de 30 dias. Eles podiam ser realizados, até então, com 150 pessoas”, declarou o secretário de Turismo, Rodrigo Novaes.

De acordo com André Longo, houve aumento de 17% na comparação de 15 dias nos registros de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) – foram registrados 787 casos na segunda semana de janeiro.

“Ainda precisamos manter os cuidados e reforçar a fiscalização. Podemos fechar os parques, onde o abandono do uso da máscara tornou-se quase que uma normalidade, caso não haja mudança de atitude. O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 vai avaliar essa questão”, disse André Longo.

Incêndio na sede da maior fabricante de vacinas do mundo na Índia

 (Foto: Reprodução)
Um incêndio foi declarado nesta quinta-feira (21) no Serum Institute of India, maior fabricante mundial de vacinas, de acordo com imagens da televisão local, mas a imprensa indiana disse que a produção de vacinas contra a Covid-19 não foi afetada.
Os canais de televisão indianos exibiam imagens de uma enorme nuvem de fumaça cinza sobre as instalações do Serum Institute of India, em Pune (oeste), onde milhões de doses da vacina contra o coronavírus Covishield, desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, estão sendo produzidas atualmente.

Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena vai a R$ 22 milhões

A Quina teve 75 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 32.688,93. A Quadra teve 4.701 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 745,02.

O prêmio acumulou e o próximo sorteio, que será realizado no sábado (23) pode pagar R$ 22 milhões para a aposta vencedora. (Foto: Reprodução)

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.336 da Mega-Sena, sorteados nesta quarta-feira (20) em São Paulo. O prêmio acumulou e o próximo sorteio, que será realizado no sábado (23) pode pagar R$ 22 milhões para a aposta vencedora.

Confira: 08 – 10 – 20 – 27 – 28 – 50

A Quina teve 75 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 32.688,93. A Quadra teve 4.701 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 745,02.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.