O Brasil registrou 460 mortes pela Covid-19 e 29.133 casos da doença, nesta segunda-feira (18). Com isso, o país chega a 210.328 óbitos e a 8.512.238 de pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2.

O Ceará não disponibilizou dados atualizados.

Por um erro de digitação no número de mortes por Covid no Rio de Janeiro em 16 de janeiro, os dados de sábado e de domingo estavam incorretos. No último sábado, portanto, foram registradas 164 mortes no RJ e 1.039 em todo o Brasil. No domingo, foram 36 mortes no estado e 538 no país. A média móvel nos dois dias não sofreu alterações.

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, a Folha de S.Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 959. O valor da média representa um aumento de 36% em relação ao dado de 14 dias atrás.

Quase todas as regiões do país apresentam aumento da média móvel de mortes em relação ao dado de 14 dias atrás. Somente o Centro-Oeste e o Sul se encontram em situação de estabilidade, o que não signficado um quadro de tranquilidade.

Alagoas, Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, São Paulo, Sergipe e Tocantins apresentam aumento da média móvel de mortes em relação a 14 dias atrás.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes. blogmarcosmontinelly

Prefeito Sandrinho Palmeira prestigia apresentação do elenco e reafirma parceria com o Afogados FC

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, prestigiou, na tarde desta segunda, a apresentação de parte do elenco – por conta da pandemia – do Afogados da Ingazeira Futebol Clube. 

Acompanhado do vice-prefeito, Daniel Valadares, do vereador Raimundo Lima e do secretário municipal de cultura e esportes, Augusto Martins, o Prefeito conversou com a diretoria, com os jogadores e com o treinador Sérgio China. 
“Vim prestigiar a apresentação do elenco para renovar os nossos compromissos de parceria com o Afogados, que tem levado o nome de nossa cidade não só para Pernambuco mas para todo o Brasil,” afirmou. 
Palmeira lembrou também toda a mídia local e nacional gerada pela participação do Afogados na Copa do Brasil, quando derrotou o poderoso Atlético Mineiro. “Nenhuma cidade do porte de Afogados teria dinheiro suficiente para pagar a mídia espontânea gerada pela participação do nosso clube na copa do Brasil. Afogados ficou conhecida em todo o País,” finalizou Alessandro Palmeira. (Fotos: Antônio Gomes)

Duas primeiras moradoras do Rio de Janeiro são vacinadas no Cristo Redentor

Idosa, enfermeira e profissional de saúde pública do programa de imunização foram vacinadas após atrasos na distribuição das doses.

Duas primeiras moradoras do RJ vacinadas aos pés do Cristo Redentor. (Foto: Reprodução/TV Globo)

As três primeiras moradoras do Rio vacinadas contra a Covid-19 receberam a imunização nesta segunda-feira (18), no Cristo Redentor. Elas são Teresinha da Conceição, de 80 anos, Dulcineia da Silva, 59 anos e Adélia Maria dos Santos.

Teresinha foi acolhida pelos serviços da Prefeitura em 2015 já que estava em situação de vulnerabilidade depois que sua casa, em más condições e perto de uma ribanceira, foi demolida pela Defesa Civil.

Já Dulcineia é técnica de enfermagem no Ronaldo Gazola, unidade especializada em tratamento da Covid-19 no Rio. Trabalha há 8 meses na linha de frente do combate à pandemia no Rio.

Elas receberam as primeiras doses de Adélia Maria dos Santos, de 71 anos, que trabalha na Secretaria Municipal de Saúde desde 1979 e é uma das fundadoras do Programa de Imunização da cidade, trabalhando nas primeiras campanhas de vacinação contra o sarampo e poliomielite. Diabética e hipertensa, trabalhou em regime de home office durante a pandemia. Adélia também foi vacinada.

Atraso

Com quatro horas de atraso, chegaram pouco antes das 17h, no Aeroporto Santos Dumont, as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 no Rio de Janeiro.

Uma aeronave comercial trouxe parte do primeiro lote, e o governo confirmou que a imunização começa ainda nesta segunda-feira (18).

De lá, foram levadas de helicóptero para o Palácio Guanabara, de onde algumas doses serão transportadas para o Cristo Redentor.

Morte de jovem empresário comove São José do Egito e região

Faleceu agora a noite o jovem empresário João Bosco Júnior, o Júnior do PASC, após sofrer um grave acidente de moto. A cidade de São José do Egito está em choque.

Segundo as primeiras informações a moto colidiu com um animal na estrada próximo à cidade de Santa Terezinha. Ele veio a óbito no local.
Júnior tinha 28 anos e era um dos três irmãos sócios da empresa, um plano assistencial pós morte, com atuação em cidades do Alto Pajeú e Paraíba. Casado, deixa esposa e filha se 4 anos.
Nas redes sociais, deixava claro seu amor pelo ciclismo, clubes de tiro e montagem sobre cavalos. Também sua paixão pelo motociclismo e postagens de sua atividade profissional.
A empresa foi fundada em 1993, pelo pai João Bosco de Lima(falecido em dezembro de 2009) no Ramo de Funerária e depois em 2003 passou a ser PASC-Plano de Assistência Familiar. Hoje a empresa atua em 9 cidades e tem 30 funcionários. Atua no Pajeú e no Cariri Paraibano : Tuparetama, São José do Egito, Itapetim, Brejinho, Santa Terezinha em PE e na PB; Patos, Prata, Ouro Velho e Teixeira. Marcelo Patriota