O Brasil registrou 404 mortes e 16.451 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) neste sábado (09).

Desde o início da pandemia, o país registrou 600.829 óbitos por Covid-19 e 21.567.181 infectados. Todos com mais de um milhão de contaminados, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Santa Catarina são os estados mais afetados pela crise sanitária em números absolutos.

Queda de avião da Força Aérea da Bolívia provoca morte de 6 pessoas

A aeronave decolou da cidade de Riberalta, em direção a Cobija, capital do departamento de Pando.

Depois da queda, o avião pegou fogo, o que impediu a moradores, que tentaram ajudar no resgate, retirar os ocupantes da aeronave. (Foto: Reprodução)

 

Um avião da Força Aérea da Bolívia caiu na manhã deste sábado (9) no departamento de Pando, na região amazônica do país, e as seis pessoas que estavam a bordo morreram, entre elas quatro funcionárias do Ministério da Saúde.

A aeronave decolou da cidade de Riberalta, em direção a Cobija, capital do departamento de Pando, segundo disse o subcomandante da polícia nacional, Luis Cuevas, à emissora de televisão Unitel.

Cuevas relatou que o avião, com matrícula FAB-320, “se chocou contra uma árvore” e caiu perto da localidade de Agua Dulce, na mesma região.

“Sabemos que, nesse acidente, seis pessoas morreram. Estamos falando do piloto e do copiloto, que pertencem à Força Aérea Boliviana, assim como de quatro civis, lotados no Ministério da Saúde”, disse Cuevas.

Depois da queda, o avião pegou fogo, o que impediu a moradores, que tentaram ajudar no resgate, retirar os ocupantes da aeronave.

Bombeiros, policiais e equipes da Força Aérea foram deslocados para o local da tragédia, para atuar no recolhimento e transporte dos corpos, perícia, além de buscas pela caixa-preta da aeronave.

“Não roubarás”: 12 pastores são investigados por desvio milionário de dízimo de fiéis da Universal

O sétimo mandamento do Decálogo diz que todos devem temer e amar a Deus e, por isso, não tirar o dinheiro ou os bens do próximo por meio de mercadorias falsificadas ou negócios desonestos. Desvirtuando o que prega um dos Dez Mandamentos bíblicos, ex-pastores da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) são suspeitos de operar um esquema milionário de desvio de dízimos e ofertas dentro das unidades religiosas da capital federal.

A denúncia, que partiu da própria direção da Universal, é investigada pelo Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor), da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). A suspeita da Iurd é de que o grupo, supostamente liderado pelo ex-pastor regional Nei Carlos dos Santos, teria desviado, no mínimo, R$ 3 milhões. Os religiosos se organizaram para abrir empresas de fachada e lavar os recursos amealhados com os desvios, principalmente do chamado “Culto dos 318”, reunião de fiéis destinada a empresários e pessoas que desejam melhorar suas vidas financeiras.

Santos e os outros 11 religiosos também teriam ligação com o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, conhecido como Faraó dos Bitcoins, preso pela Polícia Federal em agosto deste ano. A PF acredita que as movimentações bilionárias feitas pelo Faraó teriam começado com o desvio de ofertas dos fiéis da Universal, supostamente facilitadas por Nei.

Os documentos que indicam a prática de delitos como organização criminosa, apropriação indébita e lavagem de dinheiro. A Universal, vítima dos pastores golpistas, acionou as autoridades policiais ao tomar conhecimento do desfalque milionário. Outra medida adotada pela igreja foi demitir os 12 suspeitos.

Enriquecimento ilícito

A jornada profissional de Nei dos Santos é marcada por extremos. Quando jovem, morava no Gama Leste e atuava como motoboy. Em 1997, foi consagrado pastor da Iurd. Seis anos depois, passou a conquistar a confiança da cúpula da igreja e começou a exercer atividade de pastor regional no Distrito Federal, função sensível, pois era o responsável por vários templos, não só dando suporte espiritual, mas também com acesso irrestrito às ofertas e doações, sendo responsável direto por prestar contas à direção.

A vida simples, mantida com o auxílio mensal de R$ 2,9 mil pagos pela Universal, sofreu uma reviravolta em 2020. Nei dos Santos mudou-se para um apartamento de luxo na Quadra 208 da Asa Norte, bairro nobre de Brasília. O prédio, de seis andares, tem apenas dois apartamentos por pavimento. Os imóveis são vazados e com amplo espaço na cobertura. Mesmo recebendo pouco mais de dois salários mínimos, Santos conseguiu adquirir um imóvel no sexto andar do edifício, por R$ 2,6 milhões, com parcela mensal de R$ 87,7 mil.

Para se ter uma ideia, mesmo somando os 23 anos de congregação, o rendimento do religioso não seria suficiente para arcar com a propriedade. Em documento enviado à polícia, os advogados da igreja ressaltam que uma das premissas da Universal é a dedicação integral à atividade religiosa. A entidade busca subsidiar necessidades básicas dos membros. Porém, “sem qualquer tipo de luxo ou ostentação”.

A vida de ostentação não se baseia apenas na moradia. Mesmo com a transação milionária, Nei dos Santos comprou, ao menos, três carros, totalizando R$ 248 mil.