Com 554 novas confirmações nas últimas 24 horas, a média de óbitos nos últimos sete dias é de 1.038.

No total, 10.167.300 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o país, dos quais 29.035 foram contabilizados nas últimas 24 horas. (Foto: Pixabay/Imagem ilustrativa)

– O Brasil completa neste domingo (21) 32 dias consecutivos com média de mortes em decorrência da Covid-19 acima de mil, o período mais longo de toda a pandemia. Com 554 novas confirmações nas últimas 24 horas, a média de óbitos nos últimos sete dias é de 1.038.

O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde. Os números não indicam quando as mortes de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais.

Até então, o período mais longo de média acima de mil era de 31 dias entre 3 de julho e 2 de agosto de 2020. Neste ano, o país não só superou um marco do auge da primeira onda da pandemia, como registrou, em 14 de fevereiro, a pior média diária de mortes em toda a pandemia: 1.105.

No total, 10.167.300 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o país, dos quais 29.035 foram contabilizados nas últimas 24 horas. A soma total de mortos em decorrência de complicações da doença é de 246.560.

Os dados do consórcio de veículos de imprensa são levemente superiores aos divulgados no final da tarde pelo Ministério da Saúde. Nas contas do governo federal, foram confirmados 527 novos óbitos nas últimas 24 horas, totalizando 246.504 mortes.

Ainda segundo a pasta, foram confirmados 29.026 casos no período, com o país chegando a 10.168.174 infectados desde o começo da pandemia, em março do ano passado. Desses, 9.095.483 pessoas se recuperaram da doença, com outras 826.187 em acompanhamento.

ACELERAÇÃO APENAS NO NORDESTE

Apesar do elevado número de óbitos confirmados diariamente no último mês, a situação do país é considerada estável, com variação de 2% em comparação à média de 14 dias atrás.

São quatro regiões estáveis: Sul (15%), Centro-Oeste (9%), Norte (-3%) e Sudeste (-7%). Apenas o Nordeste (26%) registra aceleração.

A média dos últimos sete dias é considerada pelos especialistas a melhor forma de observar o cenário da covid-19. Aos fins de semana e feriados, por exemplo, os números costumam cair por causa da menor disponibilidade de equipes de saúde para atualizar os dados. A média dos últimos sete dias é uma forma de atenuar essas distorções.

Para definir se o cenário é de aceleração, estabilidade ou queda, é calculada a variação no período de 14 dias.

Dólar é cotado a R$ 5,3874 nesta manhã de segunda-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,53 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,8531.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta segunda-feira (22), está cotado no valor de R$ 5,3874. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,6355.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,53 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,8531.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

Prefeitura anuncia toque de recolher a partir das 22h em João Pessoa

A medida foi anunciada nesta manhã durante entrevista a uma rádio, conforme apurado pelo Portal ClickPB.

Toque de recolher em João Pessoa (Foto: ClickPB)

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, anunciou na manhã desta segunda-feira (22), que deverá adotar o toque de recolher na capital paraibana. A medida foi anunciada nesta manhã durante entrevista a uma rádio, conforme apurado pelo Portal ClickPB.

Segundo o prefeito, a nova regra determina que as pessoas devem ficar em casa das 22h às 5h. A medida tem como objetivo  evitar aglomerações e conter o aumento dos casos de Covid-19.

Ainda segundo o prefeito, os bares e restaurantes deverão fechar até as 22h e a comercialização de bebidas só até as 20h.

Cícero informou que irá se reunir com o governador da Paraíba, João Azevêdo, e demais prefeitos da Região Metropolitana de João Pessoa, para estudar a medida. Um anúncio oficial deverá ser realizado ainda hoje. 

O prefeito descartou fechamento de igrejas e academias, no entanto, reforçou que os protocolos sanitários devem ser respeitados.

Neste domingo (21), a Paraíba registrou 1.004  casos da Covid- 19. Agora o Estado totaliza 212.286 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. 

Pirataria põe produtores de leite à beira da falência

Produtores de leite e derivados estão reclamando de prejuízos causados pela comercialização de alimentos falsificados. Em Ingazeira, o produtor Rildo Belo conta que há quatro anos sofre com esse tipo de ação, que inviabiliza a venda de produtos pela competitividade desleal.

“Isso está quebrando todos nós. Os falsificadores vendem com o preço baixo, a gente não tem como acompanhar, perde as vendas e tem de diminuir a produção”, relata. Ainda de acordo com Rildo, o material pirata comercializado leva nata, margarina e óleo de soja, mais baratos do que os que utilizam leite puro.

Por esse motivo, ele apela para políticos da região, como deputados federais, e ao governador Paulo Câmara para que aumente a fiscalização para impedir a venda desses produtos falsos, que tornam a disputa desleal.