Três americanos e um japonês retornaram de uma missão científica na ISS. Viagem foi feita pela cápsula Dragon, da SpaceX, a primeira com novo meio de transporte que tira dependência dos EUA da Rússia.

Michael Hopkins é retirado da cápsula. (Foto: Reprodução/Nasa)

Quatro astronautas, três americanos e um japonês, que estavam na Estação Espacial Internacional (ISS) voltaram à Terra na madrugada deste domingo (2) após quase seis meses de missão científica, informou a Nasa.

A aterrisagem na costa de Panamá City, na Flórida, ocorreu às 2h56 (3h56, no horário de Brasília). Barcos se encaminharam para o local do pouso para recuperar a cápsula e seus tripulantes.

Os astronautas Michael Hopkins, Victor Glover, Shannon Walker e Soichi Noguchi estavam na ISS desde 17 de novembro do ano passado, quando foram levados pela cápsula Dragon, da SpaceX. Foi a primeira viagem do novo meio de transporte, após quase uma década de dependência da Rússia. A cápsula, denominada “Resilience”, foi lançada por um foguete Falcon 9.

A SpaceX tem outros dois voos tripulados programados em 2021 para a Nasa e quatro missões de reabastecimento da ISS nos próximos 15 meses. Também está prevista uma viagem 100% privada, por meio da sócia Axiom Space, para o fim de 2021. 

A Nasa insinuou que o ator americano Tom Cruise poderia visitar a ISS, o que não foi confirmado.

Rumo à Lua

A cápsula Dragon da SpaceX é, atualmente, o segundo dispositivo capaz de chegar à ISS, ao lado do russo Soyuz. Esta última leva todos os visitantes à estação desde 2011, depois que os Estados Unidos interromperam seus voos com ônibus espaciais há nove anos. Outro dispositivo, fabricado pela Boeing, pode estar em operação dentro de um ano.

A Nasa espera, no entanto, continuar cooperando com a Rússia. Para isso, a agência americana propôs facilitar lugares para seus cosmonautas em missões futuras e pretende que os americanos continuem a usar a Soyouz regularmente. As negociações se arrastam, porém.

Mas a realidade é que os laços entre Washington e Moscou no âmbito espacial, um dos raros setores em que a parceria continua produtiva, estão perdendo força.

Rompendo com mais de 20 anos de cooperação na ISS, a Rússia não participará da próxima miniestação idealizada pela Nasa em torno da Lua, a Gateway.

Para o Artemis, programa americano de retorno à Lua em 2024, a Nasa estabeleceu alianças com outras agências espaciais, incluindo Japão e Europa, mas o futuro não está claro. A agência espacial ainda não recebeu do Congresso americano a verba de dezenas de bilhões de dólares para financiar o projeto.

Foguete partiu da Flórida na noite de domingo (15) e chegou à ISS na terça-feira (17) — Foto: Reuters/Joe Skipper

Brasil não classifica duplas dos saltos ornamentais para Olimpíada

Copa do Mundo do Japão é também pré-olímpico para os Jogos de Tóquio.

Como o evento funciona como pré-olímpico da modalidade, o país não terá representantes nestas provas nos Jogos, que também serão na capital japonesa. (Foto: Reprodução/Twitter)

O primeiro dia da Copa do Mundo de saltos ornamentais, em Tóquio (Japão), não foi como o desejado pelos brasileiros. Na madrugada deste sábado (1º), Isaac Souza e Kawan Pereira (plataforma sincronizada dez metros masculina) e Anna Lúcia Santos e Luana Lira (trampolim sincronizado de três metros femininos) não se classificaram às respectivas finais. Como o evento funciona como pré-olímpico da modalidade, o país não terá representantes nestas provas nos Jogos, que também serão na capital japonesa.

Finalistas no Mundial de Esportes Aquáticos de 2019, em Gwangju (Coreia do Sul), Isaac e Kawan realizaram seis saltos sincronizados e concluíram a fase preliminar na 13ª posição, com 329.16 pontos, cerca de oito pontos atrás dos italianos Andeas Larsen e Eduard Gugiu, que ficaram em 12º e ficaram com a última vaga da final da plataforma de dez metros. Após o terceiro salto, a dupla brasileira chegou a estar em oitavo lugar, mas não conseguiu manter a boa sequência de notas.

A parceria britânica, entre Thomas Daley e Matthew Lee, foi campeã da Copa do Mundo, com os mexicanos Randal Willars e Ivan Garcia em segundo lugar e os canadenses Vincent Riendeau e Nathan Zsombor-Murray em terceiro. As duplas de México e Canadá, além das de Ucrânia (quarto lugar) e Coreia do Sul (quinto) se classificaram para Tóquio. A do Reino Unido já estava garantida pela terceira posição no Mundial, há dois anos.

Anna Lúcia e Luana, por sua vez, finalizaram a fase preliminar do trampolim de três metros na 16ª e última colocação. Elas se mantiveram entre as 12 primeiras após os três primeiros saltos. Nos dois últimos, as notas baixaram sensivelmente e as brasileiras caíram na classificação geral.

A prova teve as chinesas Yani Chang e Yiwen Chen como vencedoras, com as canadenses Jennifer Abel e Mélissa Citrini-Beaulieu em segundo. Com os dois países já assegurados na Olimpíada por conta do Mundial, a medalha de bronze às italianas Elena Bertocchi e Chiara Pellacani as classificou para a Olimpíada, juntamente das parcerias de Alemanha (quarto), Estados Unidos (quinto) e Reino Unido (sexto).

A Copa do Mundo continua para os brasileiros no domingo (2), às 21h (horário de Brasília), com eliminatórias do trampolim de três metros feminino. Anna Lúcia e Luana estão na disputa, que é individual. Em seguida, na madrugada de segunda-feira (3), a partir de 0h30, começa a fase preliminar da plataforma de dez metros masculina, com Isaac e Kawan representando o Brasil. As semifinais das duas provas estão marcadas, respectivamente, para 4h45 e 6h45 da própria segunda.

Afogados: morre moto-taxista Cicinho da Ponte

Faleceu neste último sábado (30), o moto-taxista Cícero Cordeiro da Silva, mais conhecido por Cicinho da Ponte, 47 anos.

Cicinho havia feito teste de covid, porém segundo informações deu negativo. Ele se sentiu mal na data de ontem e faleceu no Hospital Regional.

Araripina registra mais 3 mortes por covid-19; casos confirmados chegam a 5.496

Foto: Blog do Roberto

O município de Araripina registrou mais três mortes por covid-19 nas últimas 48 horas. As informações foram confirmadas no boletim apresentado na tarde desse sábado (01), pela Secretaria Municipal de Saúde. Não foram repassadas informações sobres as vítimas.

O número atualizado de diagnosticados com a doença agora está em 5.496, com 5.237 curas clínicas e 162 casos em investigação. O total de vítimas agora está em 114.

No Sertão do Araripe já foram registradas 354 mortes decorrentes do novo coronavírus, sendo 114 em Araripina, 65 em Ouricuri, 46 em Trindade, 45 em Ipubi, 32 em Exu, 24 em Bodocó, 09 em Santa Filomena, 07 em Santa Cruz, 04 em Moreilândia e 03 em Granito.

Deixe uma resposta