Vergonha: Médico, enfermeira e gandulas se recusam a trabalhar por falta de pagamento

 

O jogo entre Serrano e Caruaru City, pela 2ª divisão do Campeonato Pernambucano, nesta quinta-feira (30), em Afogados da Ingazeira, atrasou 26 minutos e por um motivo bem curioso. O médico, a enfermeira e os gandulas escalados para a partida, se recusaram a trabalhar por falta de pagamento.

Eles estavam no estádio Vianão, mas disseram que o Serrano, clube mandante, devia o valor de R$ 595. O médico, por exemplo, não quis informar o número do CRM até que o valor fosse pago. Sem os profissionais, a partida não poderia começar. Perto do prazo limite de tolerância pelo atraso, que era de 30 minutos, a diretoria do Caruaru City se ofereceu para bancar as despesas e também custeou a parte dos maqueiros e do porteiro do estádio.

O Serrano é da cidade de Serra Talhada, mas, manda os jogos em Afogados da Ingazeira. O time foi goleado por 4 a 0 e está eliminado da Série A2. O presidente do Caruaru City, Evandro Marinho, disse que o presidente do Serrano não tinha o dinheiro e iria deixar acontecer o W.O.

– Mandei uma mensagem para o presidente da Federação Pernambucana de Futebol imediatamente, é um absurdo que isso aconteça. Não sei como é a questão do regulamento nesse sentido, mas caberiam ser banidos do futebol. Saímos de Caruaru com 33 pessoas, um custo elevado, e chegar aqui e não ter o jogo porque simplesmente o outro time resolveu que não ia pagar, não pode, disse Evandro.