A primeira imagem da ex-deputada federal Flordelis dos Santos de Souza na prisão começou a circular pela internet nesta terça-feira (31). Acusada de envolvimento na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, ela foi presa no último dia (13).

Na foto, Flordelis aparece em um fundo azul, padrão utilizado pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Ela está de blusa branca e sem peruca.

A ex-parlamentar foi alocada na penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio. Ela foi presa dois dias após o plenário da Câmara dos Deputados cassar seu mandato na Casa.

Detento é encontrado morto dentro de cela no Presídio Regional de Salgueiro

Foto: reprodução

A Polícia Civil de Pernambuco informou que o homem de 53 anos foi vítima de homicídio.

Um detento foi encontrado morto na terça-feira (31) dentro da cela no Presídio Regional de Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. A Polícia Civil de Pernambuco informou que o homem de 53 anos foi vítima de homicídio.

O corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) e um inquérito foi instaurado para apurar o crime.  |G1 Petrolina|

Papa desmente rumores e garante que nunca pensou em renunciar

 (Foto: Tiziana FABI / AFP)
O papa Francisco, que se submeteu a uma cirurgia de cólon há dois meses, garantiu que não “passou por sua cabeça” renunciar, negando assim rumores a este respeito em uma entrevista na qual também anunciou uma viagem à Grécia, Chipre e Malta.
“Nem passou pela minha cabeça”, declarou o papa em uma longa entrevista transmitida nesta quarta-feira (1º) pela rádio espanhola Cope.
“Não sei de onde tiraram na semana passada que eu iria apresentar minha demissão!”, exclamou.
“Sempre que um papa fica doente, há uma brisa ou um furacão de conclave”, acrescentou ele, rindo, ao explicar que mantém distância dos boatos e que só lê um jornal italiano e nunca assiste televisão.
Ao ser questionado sobre como ele estava, o papa respondeu com um sorriso que “ainda está vivo” e prestou uma homenagem especial a um enfermeiro italiano “com muita experiência”.
“Ele salvou a minha vida! Me disse: ‘Você tem que ser operado’. Havia outras opiniões”, como o uso de antibióticos, contou o pontífice argentino, acrescentando que o enfermeiro lhe deu explicações claras sobre a sua saúde.
Francisco lembrou ainda que uma enfermeira já havia salvado sua vida uma vez em 1957 na Argentina ao dobrar a quantidade de antibióticos que seu próprio chefe havia prescrito para tratar uma infecção pulmonar grave.
O papa argentino, de 84 anos, foi submetido a uma cirurgia em 4 de julho para remover uma parte de seu cólon, em uma intervenção que estava programada e realizada sob anestesia geral.
Além disso, Francisco sofre de ciática crônica que o faz mancar e que lhe causa fortes dores, motivo pelo qual teve de renunciar em várias ocasiões a cerimônias oficiais.
Viagem à Grécia, Chipre e Malta
Ainda na entrevista, o papa anunciou que visitará em breve Grécia, Chipre e Malta.
“Agora está no programa a Eslováquia. Depois Chipre, Grécia e Malta”, afirmou o pontífice, que reiterou a decisão de priorizar “os países menores” da Europa, adotada desde o início de seu papado em 2013.
Ao ser questionado sobre uma possível visita à Espanha em 2022 para o Ano Jubilar de Santiago de Compostela, Francisco não descartou a possibilidade, mas tomou a precaução de explicar que isto não garante uma visita de Estado.
O papa viajou, por exemplo, a Estrasburgo para pronunciar um discurso no Parlamento Europeu, sem fazer uma visita oficial à França.
“Fui a Estrasburgo, mas não fui à França. A Estrasburgo eu fui pela UE. E, se vou a Santiago, vou a Santiago, mas não para a Espanha, que fique claro”, declarou à rádio do episcopado espanhol.
Francisco, simpatizante das “periferias” e das comunidades católicas pequenas mas fervorosas, recordou que sua primeira viagem na Europa foi para a Albânia.
“Primeiro a Albânia e depois todos os países pequenos. Eu quis fazer esta opção: primeiro para os países menores”, comentou.
O papa já havia anunciado a viagem à Eslováquia, que visitará de 12 a 15 de setembro, após uma escala de algumas horas em Budapeste, durante a qual presidirá a missa de encerramento do 52º Congresso Eucarístico Internacional.
A breve escala na Hungria não é uma visita de Estado, mas está prevista uma reunião com o presidente Janos Ader e com o primeiro-ministro Viktor Orban.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Salário mínimo é estimado pelo governo em R$ 1.169

O governo prevê que o salário mínimo subirá para R$ 1.169 a partir de janeiro de 2022. Hoje, o piso salarial é de R$ 1.100 por mês.

O valor, porém, tende a ser elevado nos próximos meses, pois, para calcular o aumento, a equipe econômica usou uma estimativa de inflação defasada.

A conta do reajuste considera que a inflação (medida pelo INPC) será de 6,2% até dezembro. No entanto, as projeções do mercado já apontam para uma inflação acima de 7%.

A nova estimativa para o salário mínimo foi incluída na proposta de Orçamento de 2022, enviada ao Congresso nesta terça-feira (31).

O projeto orçamentário foi elaborado num cenário que é considerado por economistas como irreal.

Para a elaboração das contas do ano que vem, a equipe econômica optou por manter as projeções econômicas divulgadas em julho. No entanto, diante das oscilações do mercado nas últimas semanas, as previsões para os indicadores tiveram mudanças significativas.

No caso do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que baliza o reajuste do salário mínimo –também é usado em acordos e negociações coletivas de trabalho–, a previsão do Ministério da Economia apresentada em julho considera uma alta de 6,2% no ano, enquanto o mercado e também integrantes do governo esperam um crescimento mais forte.

Em agosto, o secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Bruno Funchal, apresentou um cenário de inflação mais forte e disse que as estimativas do mercado já apontam para um patamar de 7,2% para o INPC no ano.

O Ibre FGV (Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas) estima que o índice encerrará o ano em 8%.

A Constituição determina que o salário mínimo deve garantir a manutenção do poder de compra do trabalhador. Por isso, o valor tem que ser corrigido pela inflação.

Para 2021, o governo anunciou o aumento para R$ 1.100, considerando uma projeção do comportamento dos preços no fim do ano passado. Só que a inflação, medida pelo INPC (e divulgado pelo IBGE), foi mais acelerada.

Por isso, o governo precisa ainda conceder um aumento adicional de aproximadamente R$ 2 no piso salarial.

O governo ainda não contabilizou esse reajuste retroativo de R$ 2 no salário mínimo ao construir o projeto de Orçamento do próximo ano. No entanto, essa mudança no valor também deverá ser feita até dezembro.

Isso deve causar uma pressão ainda maior no Orçamento de 2022. Em abril, quando o governo apresentou da LDO (lei que dá as bases para que o Orçamento seja elaborado), a projeção era que o salário mínimo iria para R$ 1.147, mas o valor precisou ser corrigido por causa da aceleração da inflação.

Segundo dados do governo, a cada aumento de 0,1 ponto percentual no INPC, há uma expansão de R$ 771,9 milhões nas despesas públicas.

Gastos do governo, como aposentadorias, pensões e seguro desemprego, são atrelados ao valor do salário mínimo. Se o valor do piso sobe, os recursos necessários para bancar essas despesas também precisam subir.