O tenente estava internado há 4 meses em um hospital particular da Capital. (Foto: Reprodução)

O tenente do Corpo de Bombeiros da Paraíba, José Carlos da Silva Júnior, de 28 anos, morreu de complicações de Covid-19, na noite de terça-feira (07). Ele estava internado em um hospital particular da cidade de João Pessoa há quatro meses, mas não resistiu.

Durante esse período de internação, o tenente ficou intubado devido à gravidade da doença e chegou a ficar em tratamento com pulmão artificial (ECMO). Tenente José Carlos era lotado no Corpo de Bombeiros em Sapé, mas era natural de Mari.

O velório começou às 22h de ontem, na Central de Velórios Eterna Saudade, que fica no município de Mari. A previsão do sepultamento é de ser às 16h desta quarta-feira (08), no Cemitério de Mari.

Suspeito da morte de menina de 11 anos em João Pessoa é identificado e Polícia Civil pede prisão preventiva

De acordo com a Polícia Civil, a suspeita inicial é de que a menina morreu por esganadura.

Corpo de Anielle Teixeira foi encontrado na madrugada de hoje. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil da Paraíba já identificou o suspeito da morte de Anielle Teixeira, de 11 anos, que desapareceu no início da manhã do domingo (05), na orla marítima de João Pessoa. O corpo dela foi encontrado em uma área de mata, na madrugada desta quarta-feira (08), que fica às margens do Rio Jaguaribe, na Capital.

De acordo com a delegada de Crimes contra a Pessoa da Capital, Luiza Correia, o suspeito é conhecido da família da menina e pediu que moradores da orla que tenham circuito de câmeras que tenham flagrado o momento em que o suspeito teria levado a menina entre em contato com o Disque Denúncia 197, que é mantido o sigilo.

Além disso, no dia de hoje, a delegada revelou que está finalizando um pedido de prisão preventiva do suspeito e aguarda a decisão da Justiça. Ele continua foragido. De acordo com Luiza Correia, o homem é morador do Bairro São José e testemunhas contaram que ele teria chegada com roupas sujas de sangue.

Sobre o local onde o corpo foi encontrado, na madrugada de hoje, a delegada disse que é uma região de mata, é ermo, com muita vegetação e trilhas. Além disso, a área é conhecida pelo suspeito que passa com frequência no local. A menina estava despida da cintura para baixo.

A perícia acredita que o crime tenha ocorrido há pelo menos dois dias por conta da rigidez do corpo. Há informações extra-oficiais de que houve esganadura. Somente o relatório final irá apontar a causa morte de Anielle Teixeira. O suspeito é conhecido da família e prestava serviços diversos na praia. “Está sendo finalizado um pedido de prisão preventiva que vai ser protocolado no dia de hoje”, disse, em entrevista a TV Cabo Branco, como acompanhou o ClickPB.

O caso

No fim de semana, a criança e a família passaram o dia na praia. À noite, a mãe decidiu dormir no quiosque de um conhecido. A ideia era acordar cedo, tomar o banho de mar e retornar para casa como relatou a mãe.

No entanto, imagens de um circuito interno do quiosque gravaram o momento em que o homem chegou de bicicleta no quiosque na orla da capital e levou a criança. A mãe acredita que a criança tenha sido ameaçada pelo homem.

Na madrugada de hoje, o corpo da menina foi encontrado em uma área de mato perto das margens do Rio Jaguaribe, no bairro de Miramar, em João Pessoa. Anielle Teixeira desapareceu, às 5h, do domingo (05), de um quiosque na orla marítima de João Pessoa.  Na segunda-feira (06), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Crimes contra a Pessoa da Capital, que investiga o caso, encontrou roupas sujas de sangue em uma casa. Mas ninguém foi encontrado no local.