Monthly Archives: setembro 2021

Integrantes do Talibã na cidade de Herat, no oeste do Afeganistão, mataram quatro supostos sequestradores e penduraram seus corpos em público para mandar um recado para outros, disse um funcionário do governo local no sábado.

O vice-governador de Herat, Ahmad Ammar, afirmou que os homens haviam sequestrado um empresário local e seu filho, e pretendiam levá-los para fora da cidade quando foram vistos por patrulhas em postos de controle.

Uma troca de tiros ocorreu, na qual todos os supostos sequestradores foram mortos, enquanto um soldado talibã foi ferido.

— Seus corpos foram levados para a praça principal e pendurados na cidade como uma lição para os outros — disse Ammar, que também confirmou a libertação das duas vítimas, ambas ilesas.

Um morador de Herat, Mohammad Nazir, disse que estava comprando comida perto da praça Mostofiat quando ouviu um anúncio em um alto-falante chamando a atenção das pessoas.

— Quando andei para frente, vi que tinham trazido um corpo em uma caminhonete, depois penduraram em um gancho — relembrou o homem.

Imagens do cadáver ensanguentado, balançando, foram amplamente compartilhadas nas redes sociais, mostrando uma mensagem presa ao peito do homem que dizia “essa é a punição por sequestro”.

Nenhum outro corpo era visível, mas as publicações na internet indicavam que outros estavam pendurados em diferentes partes da cidade.

A exibição em várias praças da cidade é a punição pública mais importante desde que o Talibã chegou ao poder no mês passado, e é um sinal de que os adeptos da linha dura islâmica adotarão medidas de acordo com seu governo anterior (1996-2001), como já indicou em uma entrevista o mulá Nooruddin Turabi.

Ele disse que o grupo vai retomar amputações e execuções para deter criminosos.

Apesar do rechaço internacional, os Talibãs disseram que vão continuar a impor punições imediatas e severas aos infratores da lei para deter crimes como roubo, assassinato e sequestro.

Washington, que condenou os comentários de Turabi sobre punições, disse que qualquer possível reconhecimento do governo Talibã em Cabul dependeria do respeito aos direitos humanos.

De acordo com a agência oficial de notícias Bakhtar, oito sequestradores também foram presos em um incidente isolado na província de Uruzgan, no sudoeste do país.

CNN Brasil

O preço médio da gasolina subiu no Brasil pela oitava semana seguida nos postos, seguindo acima de R$ 6 por litro, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível) divulgado nesta sexta-feira (25).

Nas bombas, o valor médio do combustível comum fica em R$ 6,092 por litro ante R$ 6,076 registrados na semana anterior.

O valor da gasolina nos postos tem avançado ininterruptamente desde a primeira semana de agosto, de acordo com a agência reguladora.

Seu concorrente direto nas bombas, o etanol também teve elevação, mostra a ANP, com valor médio indo de R$ 4,704 para R$ 4,715.

Já o óleo diesel, combustível mais consumido no país, recuou em relação à semana passada, de R$ 4,709 para R$ 4,707 por litro.

Efeito no custo de vida e na rotina

A valorização da gasolina no ano já chega a 30%, de acordo com a Ticket Log.

Por serem derivados do petróleo, os combustíveis acompanham o valor da commodity no mercado internacional, pressionado pela alta da demanda conforme as economias voltam a funcionar pós-pandemia.

Somada à maior desvalorização do real em relação ao dólar, a cotação mais elevada do petróleo impacta diretamente no custo de vida dos brasileiros, que passam a pagar mais caro por alimentos, energia elétrica etc.

Estudo publicado com exclusividade pela CNN Brasil nesta semana mostra que o custo final para manter um carro popular no estado de São Paulo subiu 5,22% só em 2020, puxado pela alta dos combustíveis. Para um carro SUV, o aumento foi de 7,15%.

Os preços mais altos acabam mudando também costumes dos consumidores. Na cidade de São Paulo, por exemplo, um estudo mostrou que os moradores já usam menos o carro.

Em um ano, aqueles que apontam a alta do combustível como principal motivo para reduzirem o uso de veículo próprio passou de 4% em 2020 para 35% em 2021, na cidade de São Paulo.

A informação faz parte do estudo “Viver em São Paulo”, feito pela Rede Nossa São em parceria com o Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria).

O Brasil registrou 15.668 novos casos de covid-19 em 24 horas e 537 mortes pela doença em 24 horas, segundo o boletim da situação epidemiológica divulgado neste sábado (25) pelo Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, foram registrados 21.343.304 casos e 594.200 óbitos. O boletim não apresentou os dados do Ceará.

Segundo o boletim, 20.033.908 de pessoas se recuperaram da doença e há 415.196 casos em acompanhamento.

Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Entre os estados, São Paulo é que tem o maior número de casos e de óbitos, com 4,3 milhões e 149 mil, respectivamente. No número de casos, o estado da Região Sudeste é seguido por Minas Gerais (2,1 milhões) e Paraná (1,5 milhão). As unidades da Federação que registram menor número de casos são Acre (87,9 mil), Amapá (122,8 mil) e Roraima (126,1 mil).

No número de mortes, São Paulo é seguido por Rio de Janeiro (65,6 mil), e Minas Gerais (54,3 mil). Os estados com menor número mortes são Acre (1.836), Amapá (1.977) e Roraima (1.992).

Vacinação

Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, foram aplicadas 230,5 milhões de doses no Brasil, sendo 144,4 milhões de primeiras doses e 86 milhões de segundas doses e doses únicas.

Também foram aplicados 26,7 mil doses adicionais em imunossuprimidos e 461,6 mil doses de reforço. No total, foram aplicadas nas últimas 24 horas, segundo o boletim, 1,18 milhão de doses.

Até agora foram distribuídas para as unidades da Federação 284,6 milhões de doses, sendo que 273,1 foram entregues aos estados e ao Distrito Federal há mais de sete dias e 11,5 milhões foram enviadas e estão em processo de distribuição.

Ciro Nogueira omitiu três empresas à Justiça Eleitoral

Ciro Nogueira

 

Durante as últimas eleições de que participou, em 2018, quando foi eleito senador pelo estado do Piauí, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), omitiu na declaração de bens à Justiça Eleitoral ao menos três empresas das quais é sócio.

Trata-se das empresas JJE Agenciamento de Seguros e de Serviços LTDA., Speed Marketing e Comunicações e Speed Produtora. Juntas, as companhias têm capital social no valor de R$ 135 mil.

Para chegar à informação, o Metrópoles cruzou dados da declaração de bens do então candidato a senador, disponível em plataforma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e da Junta Comercial do Piauí, estado onde ficam as empresas. A reportagem teve acesso ao inteiro teor das certidões dos estabelecimentos.

Advogados especialistas em direito eleitoral veem irregularidades na situação. Eles afirmam que o ministro pode ser enquadrado pelos crimes de ocultação de bens e/ou falsidade ideológica.

Ciro Nogueira também deixou de declarar à Justiça Eleitoral 12 filiais da CN Motos, que vende motocicletas e motonetas da Honda, mas advogados divergem se essa questão é ilegal, uma vez que a matriz foi apresentada na declaração.

O jornal Folha de S. Paulo revelou, na segunda-feira (20), que Ciro Nogueira usou uma das filiais da CN Motos não declaradas ao TSE para alugar uma mansão do advogado Willer Tomaz de Souza, em Brasília. O advogado afirmou não ver nada de ilícito na negociação e disse ser algo comum.

Procurado, Ciro alegou que a Speed Marketing e a Speed Produtora foram “desativadas há vários anos” e o “corpo de funcionários foi transferido para a matriz da CN Motos”, que fica em Caxias (MA).

“O processo de extinção está em andamento junto aos órgãos competentes, razão pela qual não foram declaradas ao TSE”, prosseguiu, em nota enviada ao Metrópoles.

Sobre as filiais, o ministro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sustenta que a legislação não exige que sejam declaradas. Procurado desde quinta-feira (23/9), ele não se manifestou sobre a não declaração da JJE Agenciamento de Seguros e de Serviços.

 Dione Quirino, 35, e Amanda Cássia Lopes, 27, se casariam neste fim de semana em Jaíba (MG), a 620 quilômetros de Belo Horizonte. A cerimônia civil ocorreria na sexta-feira (24), e a religiosa, neste sábado (25).

Na quinta (23), enquanto almoçavam com a irmã de Amanda, sua mãe e uma sobrinha, os noivos receberam uma caixa com bombons e taças de champanhe. Parecia um presente inofensivo e adequado para a ocasião.

Quando comeram as guloseimas, porém, tiveram uma surpresa ingrata. “O pessoal consumiu quatro bombons e, logo depois, todos começaram a passar mal”, diz o delegado Marconi Vieira, da Polícia Civil de Minas Gerais.

O cachorro, que também teria comido um pedaço de bombom, morreu na hora. Os noivos e seus familiares, incluindo uma criança de dois anos, foram levados para o hospital.

A polícia considera a hipótese de envenenamento. Na sexta, a ex-companheira de Dione foi presa sob a suspeita de praticar o crime. O nome dela não foi revelado.

Durante as investigações, a polícia descobriu que os bombons foram entregues por um táxi de Janaúba, a 70 quilômetros de Jaíba. O delegado Vieira diz que o motorista foi contratado por um mototaxista do mesmo município, que recebeu R$ 5 de uma mulher para fazer o serviço.

Ao ser ouvido pelos agentes, o mototaxista apontou as características da ex-companheira de Dione. Com base em análise de câmeras de segurança, em parceria com a Polícia Militar, as investigações reconstituíram todo esse processo e identificaram a suspeita.

“As filmagens mostram a mulher com a encomenda em uma bolsa preta andando pela cidade, procurando o mototaxista e entregando a encomenda para ele”, diz o delegado. “Depois, ela pega um táxi de Verdelândia, cidade onde a ex-companheira de Dione reside.”

As imagens foram levadas para perícia e, com base nos resultados, um mandado de prisão foi expedido no início da noite de sexta. A suspeita foi encontrada na casa de sua mãe. Em seguida, a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão na casa da ex-companheira de Dione.

Segundo a polícia, as vítimas contaram que a ex-companheira não aceitava o fim do relacionamento com Dione, e muito menos o seu noivado com outra mulher. A versão teria sido confirmada por testemunhas.

A própria suspeita disse ao delegado que Amanda foi a causa do fim de sua ligação com Dione.

“Toda vez que eu perguntava se ela envenenou os bombons, ela olhava para o chão e ficava calada”, afirma Vieira. Ele diz que espera concluir as investigações em breve. Dois bombons que restaram foram levados para análise.

Amostras de sangue e urina das vítimas, além de órgãos do cachorro morto, também serão analisadas. Vieira ainda pediu exame grafológico de um bilhete que foi enviado junto com a encomenda, contendo o endereço de entrega, que será comparado com a letra encontrada em cadernos da suspeita.

As quatro vítimas adultas permanecem em observação e devem receber alta na segunda (27), segundo o delegado. A criança já deixou o hospital da cidade.

Um padre italiano foi preso suspeito de desviar R$ 620 mil dos fundos da igreja para pagar por orgias em sua casa. Francesco Spagnesi, de 40 anos, está em prisão domiciliar acusado de furto, de acordo com o jornal The Times .

As orgias, supostamente promovidas pelo padre, que atua na paróquia da comuna de Prato, perto de Florença, eram regadas a drogas, de acordo com a polícia. Além do sacerdote, centenas de pessoas também estão sendo investigadas pela possível participação nos atos nos últimos dois anos.

De acordo com o jornal, as festas geralmente envolviam o padre, seu colega de apartamento, que é traficante de drogas, e pelo menos mais uma pessoa, que eles encontravam em sites de encontros destinados a homossexuais, segundo os detetives.

As festas semanais, no entanto, envolviam grupos grandes, com até 20 ou 30 pessoas, de acordo com as investigações, que começaram após o colega de apartamento do padre importar um litro de GHB (ácido gama-hidroxibutírico) da Holanda. A substância, chamada de ‘droga de estupro’, é usada para incapacitar vítimas de violência sexual.

Em buscas no apartamento, os policiais encontraram garrafas adaptadas para funcionar como cachimbos de crack.

Além disso, um contador paroquial descobriu, nos últimos meses, que cerca de R$ 620 mil foram retirados da conta bancária da paróquia. Segundo a polícia, o dinheiro pode ter sido roubado pelo padre para comprar drogas.

Depois disso, o bispo local bloqueou o acesso aos fundos, levando Spagnesi a supostamente começar a arrecadar dinheiro da cestinha de coleta da igreja e solicitar fundos aparentemente destinados a famílias de baixa renda. De acordo com o The Times , o sacerdote conseguiu arrecadar centenas de euros com essas doações. Alguns paroquianos doaram quantias individuais de até R$ 9,3 mil.

Inicialmente, o padre teria dito que o dinheiro desaparecido dos fundos da igreja tinha ido para famílias necessitadas, e depois admitiu sofrer de dependência química.

Após ouvir sobre a prisão do sacerdote, paroquianos inciaram uma ação legal para conseguir o dinheiro de volta. Ao jornal, a defesa do padre afirmou que ele confessou o fornecimento de drogas nas festas e que vai admitir publicamente ter roubado fundos da igreja.

 

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira promove neste sábado (25), a partir da 8h, um mutirão de vacinação destinado a atender às pessoas que estão no prazo para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid.

Não é preciso agendamento. Basta se dirigir ao local do Dia D, na quadra da Escola Monsenhor Antônio de Pádua Santos, e apresentar a carteira de vacinação e um documento de identificação. O horário será de 8 às 17h.

“A vacinação tem repercutido imensamente na diminuição do número de casos em Afogados. E com o esquema de vacinação completo, essa proteção aumenta ainda mais”, destacou o secretário municipal de Saúde, Artur Amorim.

Talibã anuncia volta de execuções e amputações no Afeganistão

“Nós vamos fazer nossas leis a partir do Alcorão”, afirmou o mulá Nooruddin Turabi, um dos mais influentes líderes talibãs.

 

Soldado do Talibã faz guarda de rua em Cabul, perto da praça Zanbaq. (Foto: Wakil Kohsar/AFP)

 

 Pouco mais de um mês após retomar o poder no Afeganistão, o grupo fundamentalista islâmico Talibã vai reintroduzir um dos símbolos do seu primeiro governo no país, de 1996 a 2001: execuções e amputação de membros de criminosos.

Foi o que disse à agência Associated Press o mulá Nooruddin Turabi, um dos mais influentes líderes talibãs quando o assunto é administração de sua visão peculiar de justiça, tirada da leitura literal da sharia, a lei islâmica tradicional.

“Todos nos criticavam pelas punições no estádio [Nacional de Futebol, em Cabul], nós nunca dissemos nada sobre as leis dos outros e suas punições. Nós vamos fazer nossas leis a partir do Alcorão”, afirmou.

“Cortar mãos é muito necessário para a segurança”, disse Turabi, que hoje é o chefe do sistema prisional do país, ponderando que as medidas funcionam para dissuadir criminosos de agir. Ele disse que está em estudo se as punições serão aplicadas em público, como ocorria no passado, ou não.

Na primeira passagem do grupo pelo poder, Turabi era ministro da Justiça e chefe do temido Ministério da Promoção da Virtude e da Prevenção do Vício, que administrava aos afegãos a versão peculiar de mundo do grupo.

Mulheres não podiam sair na rua sem a burca [túnica típica da etnia pasthun, que cobre todo o corpo], trabalhar, estudar ou ter acesso livre a serviços públicos. Homens eram obrigados a deixar a barba crescer.

Os crimes eram punidos no referido Estádio Nacional ou junto à mesquita Eid Gah, no centro da cidade. Ladrões perdiam a mão direita, e também um pé se tivessem atacado comboios em estradas. Condenados por assassinato eram mortos por um parente da vítima, com um tiro na cabeça, podendo ser perdoados se a família aceitasse “dinheiro de sangue” como compensação.

Logo depois da queda do Talibã, expulso do poder pelo Estados Unidos por ter abrigado os terroristas que planejaram os ataques do 11 de Setembro, o local retomou sua rotina de jogos de futebol.

O anúncio da volta da repressão ao modo islâmico medieval, que ocorre também em locais como Arábia Saudita e Irã, em diferentes medidas, é um balde de água fria para aqueles que ainda acreditam que o Talibã pode ser mais moderado em sua busca por reconhecimento e recursos externos.

O grupo retomou o controle do país no dia 15 de agosto, quando entrou sem resistência em Cabul após duas semanas de uma campanha relâmpago, feita na esteira da retirada das forças ocidentais que ficaram 20 anos no país por decisão do presidente Joe Biden.

Nessas duas décadas, o Talibã manteve controle, maior ou menor, de porções do país. Nelas, seguia aplicando sua lei. O sistema legal paralelo do grupo contava com apoio de comunidades rurais com pouco acesso ao Judiciário centralizado em Cabul sob regramento ocidental.

Talvez buscando um ar moderno para sua revelação à Associated Press, Turabi ressaltou que mulheres poderiam ser juízes sob o novo governo, desde que sigam os preceitos islâmicos adotados pelo Talibã. Resta saber se isso ocorrerá.

O mulá (clérigo muçulmano) disse também que, diferentemente do regime totalmente fechado dos anos 1990, agora o Talibã permitirá livremente a existência de canais de TV, a venda de telefones celulares e a circulação de fotografias e vídeos, o que ocorria no mercado paralelo antigamente.

“São necessidades do povo”, disse, ciente de que todo soldado do grupo é visto com smartphones à mão.

Café, frango e açúcar não param de subir

https://www.acritica.com/uploads/news/image/772230/show_unnamed_D2FCBDC3-CEAC-4C7D-996E-5AC419A7E9E7.jpg

Depois de uma explosão no ano passado, as altas nos preços dos supermercados chegaram a esboçar um alívio nos primeiros meses deste ano – mas durou pouco.

Tão logo produtos que subiram muito em 2021, como o arroz e o óleo de soja, começaram a ensaiar alguma queda nos preços, outros já começaram a subir, e o resultado é que encher o carrinho continua difícil do mesmo jeito. Os “vilões” da carteira apenas mudaram de lugar.

Entre algumas das maiores altas deste ano, estão o café, que já está 22% mais caro desde janeiro, e o açúcar, que subiu 33%.

A margarina já subiu 21%, o frango 20% e, as carnes, na média, 10% – sendo que o patinho subiu 14%, o filé mignon 15% e, o acém, quase 16%.

O preço do arroz, que saltou 76% no ano passado, caiu 8% desde o começo deste ano. O óleo de soja, que avançou nada menos do que 103% em 2020, agora estacionou, e sobe só 0,2% em 2021.

Como as freadas, de longe, não compensam toda a alta, comprar os dois ainda continua bem mais caro que no ano passado: o arroz ainda custa 23% mais que um ano atrás e, o óleo, 51%.

Os dados são da prévia de setembro do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), divulgada nesta sexta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A alta geral no mês, de 1,14%, foi a maior para um mês de setembro desde que a hiperinflação acabou no país, em 1994. Em 12 meses, a inflação subiu para 10%. Considerados só os alimentos nos supermercados, a alta em um ano é de 15,5%.

Filiação de Miguel já tem confirmação de representantes de 8 partidos e mais de 30 prefeitos

Além de nomes do plano nacional e estadual do Democratas, a filiação do prefeito Miguel Coelho terá a presença de lideranças de outras sete siglas partidárias.

O evento marcado para este sábado, às 10h, no Armazém 14, bairro do Recife, contará ainda com mais de 30 prefeitos das quatro regiões pernambucanas.

O ato político reunirá no total cerca de 500 políticos e convidados de todo o Estado. “É o início de uma construção, de um debate que o Democratas deseja promover com outros partidos, com a sociedade, com todos que querem fazer a mudança em Pernambuco. Precisamos nos unir todos, discutir a realidade da vida das pessoas, levar esperança e apresentar propostas para superar esse momento difícil que Pernambuco atravessa”, avalia o prefeito.

A filiação de Miguel Coelho ao DEM é uma das primeiras movimentações políticas do partido para construir uma candidatura ao Governo do Estado para 2022.

Após o evento, o Democratas deve promover encontros para discutir pautas relacionadas a temas de interesse da população como a recuperação da economia, saúde pública, a situação das estradas, abastecimento de água, geração de empregos, segurança, entre outros assuntos.

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro voltou a pedir à população, durante sua live semanal, nesta quinta-feira, que tome atitudes para combater o risco da falta de energia devido à atual crise hídrica. Ele enfatizou que se não chover o país poderá ter “problemas” no futuro. Desta vez, além de pedir que “apague uma luz em casa”, o líder do Executivo nacional sugeriu que as pessoas deixem de usar o elevador.

“Aqui (no Palácio da Alvorada) são três andares. Quando tem que descer, mesmo que o elevador esteja aberto na minha frente, eu desço pela escada. Se puder fazer a mesma coisa no seu prédio… Ajude a gente. Quanto menos mexer no elevador, mais economia de energia nós temos”, disse Bolsonaro durante a live. No final de agosto, o presidente já havia feito apelo semelhante durante outra apresentação ao vivo nas redes sociais.

Discurso longe da prática:  Degradação de seis importantes biomas brasileiros por desmatamento e fogo contraria discurso de Bolsonaro na ONU

Bolsonaro ainda pediu para que se façam outros sacrifícios no dia a dia em casa, como tomar banho frio.

“Tomar banho é bom, mas se puder tomar banho frio, é muito mais saudável. Ajude o Brasil”, acrescentou. “Até faço um pedido para você agora: tem uma luz acesa a mais na sua casa? Por favor, apague. Nós estamos vivendo a maior crise hidrológica dos últimos 90 anos. Se você puder apagar uma luz na sua casa, apague. Se puder desligar seu ar-condicionado, se não puder… Está com 20ºC, passa para 24ºC, gasta menos energia”.

Enquanto cientistas alertam que questões como desmatamento para utilização de terras pela agropecuária e incêndios florestais estão associados diretamente ao aumento da crise hídrica, pouco ou nada tem sido feito pelo governo para combater esses problemas. Ao contrário, o desmonte da estrutura de fiscalização tem permitido que essa situação se amplie consideravelmente.

Ainda durante a gestão do então ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, o que se viu foi a dilapidação do orçamento federal. O corte da verba total da pasta chegou a 35,4%, atingindo em cheio, sobretudo, a manutenção de estruturas de fiscalização, que necessitariam de um mínimo de R$ 110 milhões, mas acabaram tendo que se equilibrar com insuficientes R$ 83 milhões para combater desmatamento ilegal, inspecionar níveis de poluição, uso de agrotóxicos, mineração ilegal, tráfico de animais silvestres e madeira etc.

Aumento de tarifa

Uma das únicas ações, até agora, tomadas na esfera federal veio através da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que anunciou, no fim de agosto, a criação de uma nova bandeira tarifária, que taxou o consumidor no valor de R$ 14,20 por 100kW/h, desde 1º de setembro. O novo valor representa um aumento de 49,6% (ou R$ 4,71) em relação à atual bandeira vermelha de patamar 2.

 

 O Brasil registrou 661 mortes por Covid e 25.348 casos da doença, nesta quinta-feira (23). Com isso, o país chega 593.018 óbitos e a 21.307.960 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

As médias móveis de mortes e casos continuam em crescimento, em comparação aos dados de duas semanas atrás. A média de óbitos é de 534 vidas perdidas por dia, aumento de 18%, e a de infecções é de 34.366 por dia, salto de 100%.

Os dados recentes, contudo, têm sofrido por instabilidades no sistema do Ministério da Saúde, recentemente atualizado, e por represamentos de informações. As médias, com isso, podem acabar impactadas.

O estado de São Paulo, na segunda (20), relatou problemas e disse que os óbitos notificados são inferiores ao esperado “devido a uma instabilidade no serviço do Sivep, sistema federal onde são notificados os casos graves de Covid-19 e as mortes”.

Na semana passada, os dados diários do consórcio também foram afetados por represamentos de casos em São Paulo, que incluiu dezenas de milhares de infecções de meses anteriores. Também na última semana e na terça, o Rio de Janeiro teve problemas no sistema de notificação e não divulgou os dados. Roraima e Bahia foram outros que tiveram problemas.

Outro exemplo é do Acre, que, após atualização da plataforma E-SUS, do ministério, acrescentou 18 mortes que não haviam sido contabilizadas anteriormente.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados nos 26 estados e no Distrito Federal.

O Brasil registrou 2.327.757 doses de vacinas contra Covid-19, nesta quinta. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 1.251.572 primeiras doses e 1.026.263 segundas. Também foram registradas 5.015 doses únicas e 44.907 doses de reforço.

Ao todo, 144.307.827 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil – 80.243.383 delas já receberam a segunda dose do imunizante.

Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 84.428.532 pessoas com esquema vacinal completo no país.

Com isso, 91,61% da população com mais de 18 anos já recebeu ao menos uma dose (nesse caso, a 1ª dose de alguma vacina ou o imunizante de dose única) e 52,09% (também com mais de 18 anos) recebeu as duas doses recebidas ou a dose única da Janssen.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

De olho na reeleição, Planalto faz pressão total por novo Bolsa Família turbinado

Jair Bolsonaro, presidente da República, ao lado Paulo Guedes, ministro da Economia

Por Vera Magalhães/O Globo

A pressão sobre o ministro Paulo Guedes (Economia) por um Auxílio Brasil anabolizado nunca foi tão grande. No interior do governo, o discurso é que é preciso anunciar quanto antes um benefício permanente que substitua o Bolsa Família e o auxílio emergencial.

O sonho da ala política do Executivo, que já não esconde que resolveu mandar o ajuste fiscal e os escrúpulos às favas, é repetir o valor de R$ 600 da primeira rodada do auxílio emergencial.

Sozinho na savana, Guedes tenta avisar que não há nem espaço fiscal para pagar esse valor nem o “carimbo” de que o governo precisa no Orçamento para criar uma despesa permanente.

O primeiro teria de vir da renegociação dos precatórios, que nesta semana avançou para um acordo, mas ainda com inconsistências que precisam ser resolvidas, como a necessidade de combinar com os credores o tal “encontro de contas” que, ademais, não conseguiria atingir a todos os que têm dívidas a receber.

O carimbo, ou seja, a designação de uma receita para arcar com a nova despesa, uma exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal, viria da reforma do Imposto de Renda, em torno da qual existe acordo para votação no Senado. Não se está, nesse caso, fazendo uma conta de equivalência. O raciocínio do governo é que a reforma do IR não precisa cobrir o gasto com o auxílio, que viria da própria arrecadação do governo, que cresceu neste ano. Seria apenas a fonte a justificar o gasto do ponto de vista formal.

Pedaladas? Aos olhos de muitos, sim. Mas o nó dos precatórios é algo que sensibiliza ministros do STF e parlamentares. Os últimos estariam dispostos a, alinhavados os muitos detalhes ainda sem resposta do acordo, votar uma proposta de emenda à Constituição para oficializar a rolagem de quase R$ 50 bilhões dessas dívidas.

Isso significa que está aberta a porta para o auxílio turbinado que poderia ser a âncora eleitoral de Bolsonaro? Não necessariamente. A primeira resistência a chutar o pau da barraca no valor vem, como já escrevi, do próprio Guedes. Resta saber se ele terá forças para resistir a apelos cada vez mais veementes, de ministros que deixam Bolsonaro “pilhado” com esse assunto, como ocorreu em reunião ministerial recente.

A segunda barreira estará no próprio Congresso. Senadores e deputados não estão dispostos a colocar uma azeitona carnuda e já descaroçada na empada de Bolsonaro à reeleição. A tendência é que um auxílio inflado artificialmente encontre resistências mesmo dos partidos de esquerda, que tradicionalmente defendem os benefícios sociais.

BC aprova limite de R$ 1 mil no Pix para combater fraudes

 — Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Valor

O Banco Central (BC) aprovou três medidas para a ‘prevenção de fraudes na prestação de serviços de pagamento’. As medidas já tinham sido apresentadas no fim de agosto, como maneira de coibir fraudes no Pix, mas só foram formalizadas nesta quinta-feira (23).

Até 4 de outubro, as instituições deverão limitar a R$ 1 mil “a prestação de serviços de pagamento para o período das 20h às 6h”. Ou seja: esse será o limite para transferências nesse período, incluindo o Pix.

“Tal limite poderá ser alterado a pedido do cliente, formalizado nos canais de atendimento eletrônicos, porém a instituição deverá estabelecer prazo mínimo de 24 horas para a efetivação do aumento”, disse o BC.

Até 16 de novembro, as instituições precisarão também implantar outras duas medidas. Em uma frente, serão obrigadas a realizar “registros diários das ocorrências de fraudes ou de tentativas de fraude na prestação de serviços de pagamento, discriminando, inclusive, as medidas corretivas adotadas”. Segundo o BC, com base nesses registros, as instituições deverão elaborar relatório mensal consolidando as ocorrências e as medidas preventivas e corretivas adotadas. Posteriormente, o relatório deverá ser encaminhado aos comitês de auditoria e risco, à auditoria interna, à diretoria executiva e ao conselho de administração da instituição.

Em outra frente, também até 16 de novembro, as instituições serão obrigadas a avaliar previamente clientes que ofereçam serviços com maquininhas que compensam os pagamentos no mesmo dia. Golpes envolvendo esses serviços são comuns no Carnaval, por exemplo.

 O Brasil registrou 839 mortes por Covid e 35.658 casos da doença, nesta quarta-feira (22). Com esses dados, o país agora tem médias móveis de mortes e casos em crescimento, em relação ao dado de duas semanas atrás.

O país chegou a 592.357 óbitos e a 21.282.612 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2, desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes agora é de 531 vidas perdidas diariamente, 16% superior ao de duas semanas atrás. A média de casos é 35.763 infecções por dia, 96% acima do registrado há duas semanas.

As médias móveis, porém, têm sido afetadas por problemas de registros. Desde que o Ministério da Saúde atualizou a plataforma de registros, alguns estados têm tido dificuldades principalmente para documentar casos. Além disso, recentemente também foram inseridos dezenas de milhares de casos represados.

O estado de São Paulo, na segunda (20), relatou problemas e disse que os óbitos notificados são inferiores ao esperado “devido a uma instabilidade no serviço do Sivep, sistema federal onde são notificados os casos graves de Covid-19 e as mortes”.

Na semana passada, os dados diários do consórcio também foram afetados por represamentos de casos em São Paulo, que incluiu dezenas de milhares de infecções de meses anteriores. Também na última semana e na terça, o Rio de Janeiro teve problemas no sistema de notificação e não divulgou os dados. Roraima e Bahia foram outros que tiveram problemas.

Outro exemplo é do Acre, que, após atualização da plataforma E-SUS, do ministério, acrescentou 18 mortes que não haviam sido contabilizadas anteriormente.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.
Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados nos 26 estados e no Distrito Federal.

O Brasil registrou 1.512.887 doses de vacinas contra Covid-19, nesta quarta. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 430.963 primeiras doses e 1.077.326 segundas. Também foram registradas 4.598 doses únicas e 45.403 doses de reforço.

Ao todo, 143.056.255 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil – 79.217.120 delas já receberam a segunda dose do imunizante.

Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 83.397.254 pessoas com esquema vacinal completo no país.

Com isso, 90,84% da população com mais de 18 anos já recebeu ao menos uma dose (nesse caso, a 1ª dose de alguma vacina ou o imunizante de dose única) e 51,45% (também com mais de 18 anos) recebeu as duas doses recebidas ou a dose única da Janssen.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Depois de apresentar um mundo paralelo na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro terá de encarar o Brasil real, que, em nenhum momento, foi citado no discurso de terça-feira (21) a chefes de Estado.

O primeiro choque de realidade veio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que recomendou a todos os integrantes da comitiva que foi à ONU que fiquem de quarentena, pois tiveram contato direto com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diagnosticado, em Nova York, com Covid-19.

A contragosto, Bolsonaro foi obrigado a cancelar sua agenda de ontem e uma viagem que faria, na sexta-feira (24), ao Paraná. O presidente relutou, mas integrantes de sua equipe o convenceram a não desrespeitar uma orientação da Anvisa, até para não minar a credibilidade da agência.

Nesta mesma quarta-feira, às 18h30, Bolsonaro teve de engolir mais um aumento da taxa básica de juros (Selic) pelo Banco Central. O Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa Selic em 1 ponto percentual, de 5,25% para 6,25% ao ano.

Juros mais altos do que os entregues por Temer

Ao que tudo indica, o BC terá que continuar aumentando os juros até o primeiro trimestre de 2022 se quiser conter a inflação, que está em disparada e, em 12 meses, já encosta em 10%. Isso significa dizer que, daqui a 45 dias, é quando o Copom voltará a se reunir, os juros já estarão acima dos 6,5% anuais entregues por Michel Temer a Bolsonaro na transferência de governo.

A inflação, que está destruindo o poder de compra da população, sobretudo a mais pobre, está sendo puxada, entre outros fatores, pela alta do dólar. A moeda norte-americana tornou-se refúgio para os investidores, assustados com a crise política provocada pelo presidente da República.

Com os juros mais altos, a inflação alta, o dólar proibitivo e a crise política em alto grau, o crescimento econômico está perdendo força e a perspectiva de muitos economistas é de que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça abaixo de 1% em 2022, quando Bolsonaro deverá tentar a reeleição.

Tudo isso, com a pandemia do novo coronavírus matando, em média, 500 brasileiros por dia — nos próximos dias, o país alcançará a trágica marca de 600 mil mortos pela Covid —, com a Amazônia sendo desmatada a uma velocidade assustadora, o Pantanal pegando fogo e as terras indígenas, invadidas por garimpeiros ilegais.

O Brasil real, do qual Bolsonaro quis fugir em discurso na ONU, está escancarado e numa situação terrível. Porém, não há como fugir dele, mesmo que se insista em criar um mundo paralelo.

Blog do Vicente

Senado aprova PEC da reforma eleitoral

Dentre elas está a contagem em dobro dos votos dados a candidatos negros, índios e mulheres para efeito da distribuição dos recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030.

O Senado aprovou hoje (22) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 28/2021, que traz mudanças em regras eleitorais. (Foto: Reprodução)

 

O Senado aprovou nesta quarta-feira (22) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 28/2021, que traz mudanças em regras eleitorais. Dentre elas está a contagem em dobro dos votos dados a candidatos negros, índios e mulheres para efeito da distribuição dos recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030. O texto segue para promulgação.

A PEC aprovada no Senado também abre uma possibilidade para deputados e vereadores não perderem o mandato se deixarem os partidos, desde que haja anuência das legendas para essa saída. Além disso, fica prevista a mudança na data das posses de presidente da República e governadores. No caso do primeiro, a posse passaria para o dia 5 de janeiro, com governadores tomando posse no dia seguinte. Essa mudança valerá a partir da eleição de 2026.

A relatora da PEC no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), decidiu manter em seu relatório apenas os pontos em consenso entre os senadores e os deputados, que já haviam apreciado o texto. Durante o dia, em reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), ficou pacificado que a adoção apenas das questões consensuais evitaria um retorno do texto à Câmara.

Outro trecho mantido foi a possibilidade de realização de plebiscitos municipais durante o processo eleitoral. A ideia é utilizar a estrutura já dispensada nas eleições em plebiscitos que sejam necessários em determinado município. Essa ideia é empregada, por exemplo, nas eleições dos Estados Unidos.

Coligações
Como não era consenso, a relatora tirou da PEC a volta das coligações partidárias em eleições proporcionais (deputados e vereadores). A coligação partidária nessas circunstâncias havia sido extinta na reforma eleitoral de 2017, mas os deputados tentaram reintroduzi-la. 

“A coligação nas eleições proporcionais é objeto de crítica e tentativa de supressão nas duas Casas do Congresso Nacional desde a década de 1990”, justificou Tebet em seu relatório. Para ela, a volta das coligações seria inconstitucional.

Outro ponto que ficou de fora do texto aprovado foi a alteração das regras de apresentação de projeto de lei (PL) por iniciativa popular. Atualmente, um projeto de lei de iniciativa popular deve ter a assinatura em papel de, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, distribuído em, pelo menos, cinco estados, com não menos de 0,3% dos eleitores em cada um deles.

Os deputados haviam aprovado a redução de assinaturas para 100 mil eleitores com assinatura eletrônica. Para a relatora, a medida pode facilitar fraudes no processo de apresentação de um PL por iniciativa popular. Isso porque, segundo ela, a dinâmica das redes sociais ainda não garante a realização desse processo de forma transparente.

Ascom

O prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, anunciou nesta quarta-feira durante assembleia com os professores, o repasse do saldo dos 70% dos recursos do Fundeb com a categoria, caso a legalidade para a atualização do piso de 2020 não seja concretizada esse ano.

O pagamento será feito no mês de dezembro, sob a forma de bônus ou 14º salário, modelo que está sendo definido pela Prefeitura. Na ocasião, o prefeito também tratou do reajuste do piso da categoria.

“Estamos buscando junto a CNM, Amupe e Tribunal de Contas, o amparo jurídico para pagarmos ainda este ano. Mas quero desde já assegurar, que em janeiro do próximo ano, iremos pagar o reajuste de 12,8% referente ao piso de 2020 e planejar a aplicação do percentual de reajuste do piso referente ao ano de 2022, com base no valor anual pago por aluno, que deve ser anunciado pelo Ministério da Educação”, destacou o prefeito.

A secretária Municipal de Educação, Wivianne Fonseca, apresentou um balanço das ações da pasta nesses primeiros nove meses de gestão. A exemplo das obras em andamento de reforma e ampliação de escolas, a entrega do fardamento e kit com material escolar para mais de seis mil alunos, a entrega de notebooks para os professores, tablets para os alunos, dentre outras ações. A secretária-adjunta de Educação, Maria José Acioly, apresentou todo o volume de receitas e despesas da educação no ano passado, e deste ano, até o último mês de agosto.

A Assembleia ocorreu na AABB e contou também com as presenças do vice-prefeito Daniel Valadares, do presidente da Câmara, vereador Rubinho do São João, além de representantes da Associação dos Professores, e do Sindicato dos Professores.

“Nossa gestão estará sempre de portas abertas para dialogar com vocês professores, buscando sempre as melhorias, tanto nas condições físicas, estruturais de nossa rede, quanto na valorização dos profissionais que atuam na linha de  frente, fazendo da educação de Afogados uma das melhores de Pernambuco”, destacou o vice-prefeito Daniel Valadares.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira deu início à aplicação da 3ª dose de vacina contra a Covid-19 (dose de reforço), em idosos acima de 85 anos que tomaram a última dose da vacina há seis meses. A vacina nesse público será aplicada em domicílio, não sendo necessário o agendamento.

O outro público elegível para receber a dose de reforço são as pessoas imunodeprimidas (imunidade baixa). Nesse grupo, os pacientes com hemodiálise e portadores de HIV não precisam fazer agendamento. A vacina de quem faz hemodiálise irá acontecer no momento do transporte dos pacientes para Arcoverde. Já os pacientes portadores de HIV receberão a dose de reforço no Centro de Aconselhamento e Testagem, próximo à rodoviária.

Os demais deverão procurar a Unidade de Saúde da Família de sua referência para poder pegar a declaração constando que o usuário se enquadra no grupo indicado pelo Ministério da Saúde para receber a dose de reforço. Nesses casos será preciso fazer o agendamento pelo site: https://www.afogadosdaingazeira.imunizape.com.br

Confira os demais grupos determinados pelo Ministério da Saúde que podem agendar a vacinação com a dose de reforço:

  • Pacientes que fazem uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente por tempo igual ou superior a 14 dias;
  • Pacientes que fazem uso de drogas modificadoras da resposta imune (Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Ciclofosfamida, Azatiprina, Ciclosporina, Tacrolimus, Mercaptopurina);
  • Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe);
  • Inibidores da JAK (Tofacinibe, baracinibe e Upadacinibe).

Lewandowski autoriza estados a vacinar adolescentes contra covid-19

O ministro atendeu ao pedido de liminar de diversos partidos para retomada da imunização após a decisão do Ministério da Saúde de recomendar a suspensão da aplicação para essa faixa etária. (Foto: Reprodução)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski decidiu hoje (21) que estados e municípios têm competência para decidir sobre a vacinação de adolescentes maiores de 12 anos contra a covid-19. O ministro atendeu ao pedido de liminar de diversos partidos para retomada da imunização após a decisão do Ministério da Saúde de recomendar a suspensão da aplicação para essa faixa etária. 

Lewandowski entendeu que a decisão da pasta não tem amparo em evidências acadêmicas e critérios estabelecidos por organizações e entidades internacionais e nacionais. O único imunizante autorizado para aplicação em adolescentes é o da Pfizer. 

“A aprovação do uso da vacina Comirnaty do fabricante Pfizer/Wyeth em adolescentes entre 12 e 18 anos, tenham eles comorbidades ou não, pela Anvisa e por agências congêneres da União Europeia, dos Estados Unidos, do Reino Unido, do Canadá e da Austrália, aliada às manifestações de importantes organizações da área médica, levam a crer que o Ministério da Saúde tomou uma decisão intempestiva e, aparentemente, equivocada, a qual, acaso mantida, pode promover indesejáveis retrocessos no combate à covid -19”, decidiu o ministro. 

Na semana passada, o Ministério da Saúde revisou a recomendação de vacinação de adolescentes. Em nota técnica, publicada pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, o ministério passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

A pasta citou, entre outros argumentos para revisar a recomendação, o fato de que os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos. O ministério alegou ainda que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda imunização de adolescentes com ou sem comorbidades.

A OMS, entretanto, não afirmou que a imunização de adolescentes não deveria ser realizada. Em vídeo publicado em junho, a organização disse apenas que, neste momento, a vacinação de adolescentes não é prioritária.

Prefeitura de Afogados da Ingazeira abre inscrições para oficinas de danças populares

https://blogdofinfa.com.br/wp-content/uploads/2021/09/e1f277fa-fa18-40dc-965c-c7a62fbf4a11-768x432.jpg

Ascom

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira está abrindo inscrições para oficinas de danças populares direcionadas a crianças e adolescentes entre 9 e 16 anos de idade.

Tendo em vista a faixa etária do público, a Secretaria de Cultura e Esportes informa que é necessário estar acompanhado dos pais ou responsáveis legais no ato da inscrição.

As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 30 de setembro, no Centro Desportivo Municipal.

As oficinas acontecerão de 04 a 07 de outubro, em local a ser informado no ato da inscrição.

Maiores informações podem ser obtidas pelo WhatsApp – (87) 9.9978-1444

(*) A foto em tela é meramente ilustrativa, aconteceu em outra oficina realizada pela Prefeitura Municipal em 2017, portanto, antes da pandemia.

Inscrição para isentos que não compareceram ao Enem 2020 vai até domingo (26)

Os isentos que não compareceram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 têm até as 23h59 do próximo domingo, 26 de setembro, para se inscreverem na edição 2021, por meio da Página do Participante. A oportunidade vale especificamente para esse público, que realizará as provas nas mesmas datas do exame para adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL): 9 e 16 de janeiro de 2022. Nesses casos, a isenção da taxa de inscrição do Enem 2021 também será assegurada.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) formalizou o novo prazo de inscrição e os critérios por meio de edital complementar do Enem 2021 impresso, publicado na última terça-feira (14), no Diário Oficial da União (DOU). O anúncio da medida ocorreu na segunda-feira (13), em comunicado divulgado no portal oficial do Instituto. Vale ressaltar que o Inep aplicará as provas do Enem 2021 normalmente, nos dias 21 e 28 de novembro, para todos os participantes que tiveram a inscrição confirmada no prazo previsto, conforme os editais do exame.

O cronograma de aplicação do Enem 2021 para os isentos que não compareceram à edição 2020 foi planejado com o objetivo de garantir o direito de os participantes utilizarem o resultado do exame para acessar a educação superior, por meio de programas do Ministério da Educação (MEC), como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Atendimento e nome social – Com a nova oportunidade de participar do exame, esse público tem até domingo (26) para solicitar atendimento especializado. Já o prazo para solicitações de tratamento por nome social vai até a segunda-feira (27).

Enem PPL – O Inep também oficializou as mudanças no cronograma do Enem PPL. Com a retificação, publicada no DOU do dia 14 de setembro, o período de inscrição foi prorrogado até sexta-feira (24).

Enem 2021 – Ao todo, 3.109.762 pessoas tiveram as inscrições confirmadas para o Enem 2021, até então. O número corresponde ao total de participantes das duas versões do exame (impressa e digital). O Inep registrou 3.040.871 inscritos para a versão em papel. Para a modalidade digital, que teve as 101.100 vagas ofertadas preenchidas durante o período de inscrições, foram confirmados 68.891 participantes.

Enem – O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. Ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sisu e de iniciativas como o ProUni, ambas ações do MEC.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para Covid-19 nesta terça-feira (21). O paraibano faz parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que está em Nova York, participando de um evento da ONU.

Esse é o segundo caso de um integrante da equipe. De acordo com a Seretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o ministro passa bem.

Os demais integrantes da comitiva brasileira foram submetidos a testes e todos resultaram negativo.

O ministro já tinha sido imunizado com duas doses da vacina contra o novo coronavírus.

O Itamaraty decidiu suspender a presença de todos os diplomatas brasileiros em qualquer evento que ocorra na ONU até a próxima sexta-feira (24).

Mega-Sena pode pagar R$ 3 milhões nesta quarta-feira

Mega realiza sorteio nesta quarta-feira (Foto: Reprodução)

 

O concurso 2.411 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta quarta-feira (22) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

 Sem citar especificamente seu principal rival político e econômico, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou em seu discurso na 76ª Assembleia-Geral da ONU que o país não procura uma nova Guerra Fria, mas deu uma série de recados à China.

“Não estamos procurando, vou repetir, não estamos procurando uma nova Guerra Fria, ou um mundo dividido em blocos rígidos”, afirmou o presidente americano.

Antes, porém, ele afirmou que o país defende a liberdade de navegação, em referência às reivindicações chinesas pelo Mar do Sul da China; se posicionou contra ataques cibernéticos, que o país também acusa a China de coordenar; e citou Xinjiang, região de minoria muçulmana onde os EUA acusam a China de genocídio, como um dos pontos de preocupação de violações de direitos humanos.

Biden enfrenta pressão internacional liderada pela França, após anunciar uma coalizão com a Austrália para conter os avanços regionais da China. O acordo significou o fim de uma parceria australiana com a França, o que foi visto pelo governo Macron como uma “punhalada nas costas” feita pelos Estados Unidos e convocou seu embaixador no país.

Com a desconfiança europeia, o presidente usou a fala, seu primeiro discurso em uma Assembleia-Geral como presidente, para reafirmar que o país voltou às discussões mundiais depois que Donald Trump abandonou fóruns multilaterais.

O presidente disse que “hoje, muitas das nossas preocupações não podem ser resolvidas com a força das armas”, citando a Covid-19. “Estamos de volta à mesa nos fóruns internacionais, especialmente nas Nações Unidas, para focar em ações globais e desafios comuns”, disse.

Biden focou seu discurso na necessidade de países trabalharem juntos para enfrentar a pandemia da Covid-19 e as mudanças climáticas.

Apesar do presidente da sessão, o chanceler das Maldivas, Abdulla Shahid, pedir que os líderes limitassem suas falas a 15 minutos, Biden falou por por mais de 30 minutos, e foi aplaudido ao final, ao fazer um apelo por uma ação conjunta. “Nós amos escolher construir um futuro melhor. Nós, vocês e eu”, disse.

Presidente brasileiro abre o chamado ‘debate geral’, que deve ser dominado por discussões relacionadas ao enfrentamento da pandemia.

Bolsonaro, que foi o primeiro a discursar, disse não entender porque “muitos países, juntamente com a grande mídia” se opõem ao tratamento precoce contra a doença.

No discurso, ele também se posicionou contra o chamado passaporte sanitário, que confere benefícios às pessoas que tenham se vacinado contra a Covid-19. E afirmou que não há corrupção em seu governo (leia mais abaixo).

“Desde o início da pandemia, apoiamos a autonomia do médico na busca do tratamento precoce, seguindo recomendação do nosso Conselho Federal de Medicina. Eu mesmo fui um desses que fez tratamento inicial. Respeitamos a relação médico-paciente na decisão da medicação a ser utilizada e no seu uso ‘off-label’ [fora do que prevê a bula]. Não entendemos porque muitos países, juntamente com grande parte da mídia, se colocaram contra o tratamento inicial. A história e a ciência saberão responsabilizar a todos”, disse Bolsonaro.

 

O tratamento precoce, por meio do uso de medicamentos como cloroquina e ivermectina, vem sendo defendido pelo presidente desde o ano passado. No entanto, estudos científicos já comprovaram a ineficácia desses remédios contra a Covid. Além disso:

  • a Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a cloroquina não deve ser usada como forma de prevenção;
  • a Associação Médica Brasileira (AMB) diz que o uso de cloroquina e outros remédios sem eficácia contra Covid deve ser banido;
  • a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) diz que a cloroquina não tem efeito e deve ser abandonada.

Vacinação

Bolsonaro também disse defender a vacinação contra a Covid-19 e afirmou que, até novembro, todos os brasileiros que quiserem poderão se imunizar.

Entretanto, ele se posicionou contra restrições adotadas por países contra pessoas que se recusam a tomar a vacina.

“Até novembro, todos que escolheram ser vacinados no Brasil, serão atendidos. Apoiamos a vacinação, contudo o nosso governo tem se posicionado contrário ao passaporte sanitário ou a qualquer obrigação relacionada a vacina”, disse Bolsonaro.
Essa é a terceira vez que Bolsonaro discursa como presidente do Brasil – o representante do país é encarregado de abrir oficialmente a fala dos presidentes mundiais desde 1947.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, discursa após Bolsonaro.

A pandemia da Covid-19 deve dominar grande parte dos discursos. Em 2020, a Assembleia Geral foi totalmente remota por causa da pandemia. Neste ano, parte dos líderes discursará presencialmente e parte gravou a sua participação.

Na volta do evento (semi) presencial, Bolsonaro é o único dos líderes do G20 (grupo das 19 principais economias do mundo e a União Europeia) presentes a dizer que não tomou a vacina contra a Covid-19.

Jornais dos Estados Unidos e do Reino Unido noticiaram que o presidente brasileiro participa da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) sem ter tomado a vacina.

A sede da ONU onde é realizada a assembleia fica na cidade de Nova York, onde há exigência de um comprovante de vacinação para que as pessoas entrem em ambientes públicos que são fechados (como o saguão onde acontece a reunião).

A prefeitura de Nova York pediu para que os chefes de estado fossem obrigados a comprovar vacinação para entrar no prédio das Nações Unidas, mas o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que a entidade não tem como exigir isso.

Na segunda (20), o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, publicou uma foto em uma rede social em que Bolsonaro e parte da comitiva brasileira comem pizza na rua, em Nova York.

A cidade exige, desde 16 de agosto, que as pessoas apresentem comprovante de vacinação contra a Covid-19 para frequentar lugares fechados, como restaurantes, cinemas, teatros e academias.

Polícia Federal prende suspeito de produção e divulgação de pornografia infantil em Aracaju

A Polícia Federal de Sergipe cumpriu mandados de busca e apreensão e de prisão temporária contra um homem suspeito de produzir, armazenar e divulgar pornografia infantil na internet em Aracaju, nesta segunda-feira (20). Durante a ação, foram apreendidos equipamentos eletrônicos utilizados nas condutas criminosas.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Sergipe. De acordo com a PF, os crimes investigados preveem penas que, somadas, podem chegar a 23 anos de reclusão.

Auxílio emergencial: nascidos em janeiro recebem 6ª parcela

O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal.

O calendário é organizado em ciclos de crédito em conta e de saque em espécie, de acordo com o mês de nascimento. (Foto: Reprodução)

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em janeiro recebem, hoje (21), a sexta parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal.

O calendário é organizado em ciclos de crédito em conta e de saque em espécie, de acordo com o mês de nascimento. Quem recebe nesta terça-feira poderá retirar o dinheiro a partir de 4 de outubro nas agências da Caixa, lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Por enquanto, os recursos podem ser movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem. Com ele é possível pagar contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas lotéricas, fazer compras pela internet e pelas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, com o cartão de débito virtual e QR Code.

Para os beneficiários do Bolsa Família, vale o calendário e as regras de saque do programa social. O pagamento do ciclo 6 do auxílio emergencial para esse público começou em 17 de setembro e vai até o dia 30, de acordo com o Número de Inscrição Social (NIS). Nesta terça-feira, recebem os beneficiários com NIS final 3.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não houve nova fase de inscrições.

Para quem recebe o Bolsa Família, vale a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício. 

Um caminhão-tanque com combustível explodiu na PE- 265, em Sertânia, no Sertão de Pernambuco, na manhã desta terça-feira (21).

De acordo com testemunhas, o caminhão ficou tombado ao lado da pista. O motorista conseguiu sair da cabine e foi socorrido para o hospital municipal com queimaduras e ferimentos pelo corpo.

O Corpo de Bombeiros esteve no local, mas as chamas já tinham sido controladas pela equipe da Defesa Civil de Sertânia. A Guarda Municipal isolou o local até o resfriamento da caatinga atingida.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. Veja vídeo do momento:

Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará, “foram feitas alterações que trarão melhorias no processo de consolidação das informações”, o que pode afetar os dados da Covid pelos próximos dias.

O Brasil registrou 248 mortes por Covid e chegou a 591.034 óbitos desde o início da pandemia.

Mais uma vez, os dados do dia foram afetados por problemas em alguns secretarias estaduais de saúde. O Ceará apresentou dados negativos de casos (mais de 12 mil), o que fez com que o total de infecções no dia ficasse também negativo (-2.389).

Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará, “foram feitas alterações que trarão melhorias no processo de consolidação das informações”, o que pode afetar os dados da Covid pelos próximos dias.

O estado de São Paulo também relatou problemas e disse que os óbitos notificados são inferiores ao esperado “devido a uma instabilidade no serviço do Sivep, sistema federal onde são notificados os casos graves de Covid-19 e as mortes”.

Segundo a Secretaria da Saúde de São Paulo, o Ministério da Saúde foi notificado, mas não deu retorno.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Estado recebe mais de 100 mil doses de vacinas da Astrazeneca

Imunizantes devem ser utilizados exclusivamente para aplicação de segundas doses

Na tarde desta segunda-feira (20), 100.500 imunizantes da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz chegaram a Pernambuco. O voo aterrissou no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre às 16h50, e as vacinas foram levadas para a sede do Programa Estadual de Imunização (PNI-PE), para checagem, armazenamento e separação por município.

A remessa seguirá para as sedes das Gerências Regionais de Saúde (Geres) nesta terça-feira (21), onde ficarão à disposição dos gestores municipais para retirada. Os imunizantes deverão ser utilizados, exclusivamente, para aplicação de segundas doses.

Desde o início da campanha, em janeiro deste ano, Pernambuco já recebeu 12.260.000 doses de vacinas contra a Covid-19. Desse total, foram 4.316.770 da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz, 4.481.720 da Coronavac/Butantan, 3.287.700 da Pfizer/BioNTech e 173.810 da Janssen.

https://blogdofinfa.com.br/wp-content/uploads/2021/09/1334f85a-469d-49ec-8d27-7e26679d77f5-768x512.jpg

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira iniciou nesta segunda-feira (20) a entrega de 380 notebooks para professores e de 1.700 tablets para os alunos, do 5º ao 8º ano do ensino fundamental.

A entrega dos notebooks teve início pela Escola Municipal Maria Gizelda, e começou pelos professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A entrega acontece de forma escalonada e os próximos a serem beneficiados serão os professores dos anos iniciais do ensino fundamental.

Os tablets começaram a ser entregues pela Escola Municipal Ana Melo, com alunos do 5º ano do ensino fundamental.

A Secretaria Municipal de Educação informa que alguns estudantes não irão receber neste primeiro momento porque ainda estão recebendo a visita dos assistentes sociais para verificação dos critérios para o recebimento.

“É com grande alegria que começamos a semana entregando equipamentos que irão ajudar os nossos professores e alunos não apenas no acompanhamento das aulas remotas, uma realidade que ainda estamos vivenciando, mas também se aprimorando nos conteúdos vivenciados nas aulas presenciais,” destacou o prefeito Alessandro Palmeira.

 

Estiveram acompanhando as entregas o vice-prefeito Daniel Valadares, e a secretária de Educação, Wivianne Fonseca. A Prefeitura de Afogados da Ingazeira investiu R$ 2,1 milhões na aquisição dos equipamentos.

Samu/Cimpajeú divulga relação dos aprovados no Processo Seletivo

https://blogalysonnascimentodotcom.files.wordpress.com/2021/09/captura-de-tela-2021-09-20-234546.png?w=474

O Instituto de Técnica e Gestão Moderna (ITGM) informa o resultado aos candidatos participantes do Processo Seletivo do ITGM-SAMU.

Apresenta-se a seguir a lista de convocados para a 3ª etapa do processo seletivo e lista de documentação necessária para aprovação da 3ª fase que consiste em:

Comprovações de títulos e experiências.

Os candidatos convocados deverão comparecer dia 23/09/2021 de 08 as 12hs e de 14 as 17h, na Sede do SAMU no município de Serra Talhada, no endereço Rua Projetada, S/N, Bairro Vila Bela.

Veja a  Seleção dos aprovados do Samu/Cimpajeú

Segue em anexo a documentação necessária para apresentar no dia da convocação, e lista de convocados por município.

Qualquer dúvida pertinente ao processo seletivo entrar em contato via:

WhatsApp: (85) 99607-6137 (somente WhatsApp).

e-mail: rh.ce@itgm.net.br

O Brasil registrou neste domingo (19) 239 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 590.786 desde o início da pandemia. É o menor número de mortes registradas em um dia desde 22 de novembro de 2020 (quando tivemos 181 vítimas). Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 558 –acima da marca de 500 pelo sexto dia seguido.

Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -8% e aponta tendência de estabilidade pelo quinto dia, após 22 dias seguidos em queda.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste domingo. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

Segunda (13): 467
Terça (14): 520
Quarta (15): 597
Quinta (16): 582
Sexta (17): 546
Sábado (18): 565
Domingo (19): 558

Em 31 de julho o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Apenas um estado aparece com tendência de alta nas mortes: Roraima. O estado do Rio Grande do Norte não divulgou novos dados até a noite deste domingo.

Acre, Amapá, Ceará, Maranhão, Piauí, Rondônia e Roraima não registraram mortes em seus boletins do último dia.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 21.236.761 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 9.172 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 34.282 diagnósticos por dia, o que resulta em uma variação de +64% em relação aos casos registrados na média há duas semanas, passando a indicar tendência de alta.

A média móvel de casos vinha em sequência de queda por 18 dias seguidos, se aproximando de 15 mil diagnósticos diários, mas saltou para acima de 34 mil nos últimos dias devido à inserção de dezenas de milhares de casos represados após um ajuste no sistema que concentra esses dados. Ao longo de três dias na última semana, RJ e SP incluíram juntos mais de 150 mil registros de casos por conta desse problema.

Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 19 de setembro

Total de mortes: 590.786
Registro de mortes em 24 horas: 239
Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 558 (variação em 14 dias: -8%)
Total de casos confirmados: 21.236.761
Registro de casos confirmados em 24 horas: 9.172
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 34.282 (variação em 14 dias: +64%)

Estados

Em alta (1 estado): RR
Em estabilidade (12 estados): AP, MG, TO, PR, ES, BA, RJ, AC, SC, PB, PA, SP
Em queda (12 estados e o DF): RS, AL, MT, GO, PE, DF, RO, PI, MA, CE, AM, MS, SE
Não divulgou (1 estado): RN

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Veja a situação nos estados

Sul

PR: +9%
RS: -17%
SC: -5%

Sudeste

ES: +7%
MG: +12%
RJ: +2%
SP: -14%

Centro-Oeste

DF: -30%
GO: -22%
MS: -48%
MT: -18%

Norte

AC: 0%
AM: -43%
AP: +13%
PA: -12%
RO: -33%
RR: +27%
TO: +9%

Nordeste

AL: -18%
BA: +6%
CE: -40%
MA: -38%
PB: -11%
PE: -26%
PI: -33%
RN: o estado não divulgou novos dados até as 20h.

Consórcio de veículos de imprensa

Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal.

Não houve velório, somente a presença de pessoas mais próximas ao artista.

O corpo do ator Luis Gustavo foi cremado neste domingo (19) em uma cerimônia restrita à família e amigos no Portal Crematório de Itatiba, cidade do interior de São Paulo. Não houve velório, somente a presença de pessoas mais próximas ao artista. 

Luis Gustavo lutava contra um câncer no intestino. A informação foi revelada e lamentada mais cedo por Cássio Gabus Mendes, sobrinho do ator, no Instagram. “Informo que meu querido Tatá faleceu hoje, vítima de câncer! Descanse na luz e na paz!!”, escreveu.

Nascido em Gotemburgo, na Suécia, Luis Gustavo era filho de um diplomata espanhol, Luis Amador Sánchez Fernández, a trabalho naquele país, e de Elena Blanco Castañera, uma espanhola de origem humilde. Luis Gustavo veio para o Brasil ainda quando criança.

Iniciou sua carreira artística como contrarregra através de seu cunhado Cassiano Gabus Mendes, então diretor artístico da TV Tupi.

Pouco tempo depois, já havia participado de diversos filmes, telenovelas e teleteatros até estrelar o anti-herói em Beto Rockfeller de Bráulio Pedroso, considerada a primeira novela moderna no formato que dura até a atualidade. Desde então, consolidou a sua carreira artística atuando em diversas telenovelas e filmes.

O texto quer exigir que as empresas de tecnologia apresentem uma “justa causa” para retirar as publicações de suas plataformas, o que, segundo especialistas, pode auxiliar na difusão de notícias falsas.

BRASÍLIA – Cinco dias após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), impor uma derrota ao Palácio do Planalto e rejeitar a Medida Provisória que restringia a ação das redes sociais para apagar conteúdos publicados por usuários, o presidente Bolsonaro decidiu enviar ao Congresso um projeto de lei com as mesmas propostas que constavam na MP.

O texto quer exigir que as empresas de tecnologia apresentem uma “justa causa” para retirar as publicações de suas plataformas, o que, segundo especialistas, pode auxiliar na difusão de notícias falsas. A Secretaria Especial de Comunicação (Secom) fez o anúncio da medida neste domingo.

A publicação argumenta que o PL assegura a “liberdade e transparência nas redes sociais” e garante o direito dos brasileiros nas plataformas.

“Até hoje não há regras bem definidas que exijam justificativa clara para exclusão de conteúdo e contas em redes sociais. Sem clareza sobre os critérios para exclusões e suspensões, há possibilidade de ações arbitrárias e violações do direito à livre expressão”, diz o texto da Secom.

Segundo a Secom, o projeto “segue na mesma linha da MP enviada há alguns dias”. “A medida não impede a remoção de conteúdos e perfis, apenas combate as arbitrariedades e as exclusões injustificadas e duvidosas, que lesam os brasileiros e suas liberdades”, diz o órgão.

A MP rejeitada por Pacheco alterava o Marco Civil da Internet e foi criticada por instituições como a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A Constituição determina que Medidas Provisórias, que têm a força de lei e entram em vigor imediatamente, só devem ser usadas no caso de “relevância e urgência”.

Na segunda-feira passada, o procurador-geral da República, Augusto Aras, chegou a pedir que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendesse liminarmente a MP por considerar que ela “dificulta a ação de barreiras” que evitem a divulgação de conteúdo criminoso e de discurso do ódio. Um dia depois, ela foi devolvida por Rodrigo Pacheco.

O ato de devolução é raro no Legislativo e usado apenas em casos extremos. Até hoje, havia sido adotado em outras quatro ocasiões. Com isso, esta foi a quinta medida provisória rejeitada expressamente por decisão do presidente do Congresso desde 1988. Ao justificar a rejeição, Pacheco disse que não se poderia alterar medidas restringindo a liberdade de expressão via Medida Provisória.

A MP foi apresentada na véspera dos atos antidemocráticos de 7 de setembro como uma resposta do governo à atuação das principais plataformas da internet. Tratou-se de um aceno à militância digital bolsonarista, que tem sido alvo de remoções nas redes sob acusação de propagar conteúdos falso.

A OAB encaminhou a Rodrigo Pacheco um parecer em que apontava a inconstitucionalidade da Medida Provisória que altera o Marco Civil da Internet, apelidada por oposicionistas de MP das Fake News.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro minimizou a disseminação de notícias falsas e afirmou que a desinformação faz parte da vida das pessoas. Em cerimônia no Planalto que contou com as presenças das principais lideranças dos três poderes, incluído um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli , o presidente disse que a “fake  news morre por si só, não vai para frente”.

Ação foi comandada pela 8º Distrito Naval, em conjunto com PF e Receita Federal. A droga estava escondida em um navio graneleiro, em um dos terminais portuários.

A apreensão ocorreu durante a Operação Ágata Arco Sul-Sudeste, conduzida pelo Comando do 8° Distrito Naval, e ocorreu em conjunto com equipes da PF e da Receita Federal em um dos terminais portuários.

Durante as inspeções, os agentes descobriram que um navio graneleiro, que transportava um carregamento de açúcar, tinha escondido grandes porções de cocaína.

Diante da situação, os policiais passaram a cavar a carga, e após mais de 10h horas de busca, localizaram toda a droga espalhada pela carga. A cocaína estava armazenada em grandes bolsas. Os entorpecentes foram retirados e apreendidos, totalizando cerca de 155 kg.

O caso foi registrado na Delegacia Federal de Santos, onde será investigado. De acordo com a Polícia Federal, as equipes apuram como a droga foi colocada em meio a carga, qual o destinatário e quem é o dono.

Drogas estavam armazenadas em bolsas — Foto: Divulgação/Polícia FederalDrogas estavam armazenadas em bolsas — Foto: Divulgação/Polícia Federal

A rejeição ao governo Jair Bolsonaro (sem partido) atingiu o pior patamar desde o início do mandato, segundo dados do instituto de pesquisas Datafolha divulgados nesta quinta-feira (16). Ao todo, 53% dos entrevistados consideram o trabalho do governo ruim ou péssimo.

A pesquisa, realizada entre os dias 13 e 15 de setembro, ouviu 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 cidades em todo o país. A margem de erro é de dois pontos percentuais positivos ou negativos.

A reprovação subiu de 51% na última pesquisa, realizada em julho, para os atuais 53%. A avaliação negativa de Bolsonaro segue em ritmo crescente nas pesquisas do instituto desde dezembro do ano passado.

A avaliação positiva de Bolsonaro também atingiu o seu pior patamar. O presidente é visto como bom ou ótimo por 22% dos entrevistados, contra 24% na avaliação anterior.

Esta é a primeira pesquisa realizada pelo Datafolha desde as manifestações do 7 de Setembro, em que o presidente ameaçou não cumprir mais ordens judiciais emitidas pelo ministro do Supremo Tribunal Eleitoral (STF) Alexandre de Moraes, o que aprofundou a crise institucional brasileira.

Por outro lado, o instituto ressalta que o posterior recuo presidencial, que dois dias depois do protesto publicou uma “declaração à nação” negando qualquer tentativa de ruptura com os outros Poderes, pouco influenciou na aprovação de Bolsonaro dentro da base de apoio do presidente.

Segundo o Datafolha, a avaliação negativa do governo só é melhor que a vista por Fernando Collor de Mello no terceiro ano de mandato. Collor atingiu 68% de rejeição neste momento como presidente.

Fernando Henrique Cardoso tinha 16% de avaliação negativa, enquanto Lula e Dilma eram vistos como ruins ou péssimos por 23% e 22%, respectivamente, no mesmo período em seus mandatos.

O país chega a 590.404 óbitos e a 21.218.350 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2. Acre, Amapá, Rondônia, Roraima e Sergipe não registraram nenhuma morte nas últimas 24 horas.

 

 O Brasil registrou 660 mortes por Covid e 115.814 casos, neste sábado (18). Com isso, o país chega a 590.404 óbitos e a 21.218.350 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2. Acre, Amapá, Rondônia, Roraima e Sergipe não registraram nenhuma morte nas últimas 24 horas.

São Paulo e Rio de Janeiro puxaram o número de casos para cima. Na quinta-feira (16) e nesta sexta (17), São Paulo incluiu milhares de casos represados de meses passados. Na quinta, foram 22.678 infecções e na sexta, 23.586.

Rio de Janeiro não divulgou os dados a tempo nesta sexta, e houve um grande salto entre os números de infecções de quinta para este sábado. Enquanto na quinta foram registrados 997 casos, neste sábado foram 105.700.

A média móvel de mortes permanece estável e agora é de 545 vidas perdidas por dia.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados em 18 estados.

O Brasil registrou 980.443 doses de vacinas contra Covid-19, neste sábado. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 312.423 primeiras doses e 635.565 segundas. Também foram registradas 4.245 doses únicas e 28.210 doses de reforço.

Ao todo, 141.453.669 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil -75.882.582 delas já receberam a segunda dose do imunizante.

Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 80.054.632 pessoas com esquema vacinal completo no país.

Com isso, 89,81% da população com mais de 18 anos já recebeu ao menos uma dose (nesse caso, a 1ª dose de alguma vacina ou o imunizante de dose única) e 49,33% (também com mais de 18 anos) recebeu as duas doses recebidas ou a dose única da Janssen.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Além de cargas, Estado quer viabilizar Transnordestina com transporte de passageiros

Sem alarde, o governador Paulo Câmara encaminhou um projeto de Lei que institui a Política Estadual de Transporte Ferroviário e o Sistema Estadual de Transporte Ferroviário, criando uma subsidiária no Complexo Industrial Portuário Governador Eraldo Gueiros para estimular o transporte de passageiros.
Nesta sexta-feira, o Ministro da Infraestrutura confirmou, em publicação no Diário Oficial da União, o recebimento do pedido do grupo mineiro Bemisa para tocar o ramal da Transnordestina para Suape. O processe segue em análise.

Mega-Sena: Duas apostas dividem prêmio de R$ 23,5 milhões

 

Duas apostas irão dividir o prêmio de R$ 23,5 milhões do concurso 2.410 da Mega-Sena, que teve suas dezenas sorteadas neste sábado (18), no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

Os vencedores são de Curitiba, no Paraná, e de São Paulo, SP.

Veja as dezenas sorteadas: 07 – 10 – 27 – 35 – 43 – 59.

A quina teve 93 apostas vencedoras; cada uma receberá R$ 31.102,36. A quadra teve 5.939 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 695,76.

Eventos festivos descumprem protocolos e são penalizados com multas em Carnaíba, no Sertão de Pernambuco

 Foto da festa desta sexta-feira (17) em Floresta:

O departamento de Vigilância em Saúde por meio da Vigilância Sanitária Municipal vem atuando de forma enérgica em relação aos eventos que descumprem os protocolos sanitários no território de Carnaíba, no Sertão de Pernambuco.

Nos últimos fins de semanas dois eventos festivos procuraram o setor de fiscalização sanitária para firmar um compromisso de realizar eventos seguindo os protocolos sanitários preconizados pelo decreto estadual n° 51.161/2021. No entanto, não cumpriram o acordo e foram penalizados com aplicação de multas, além de terem seus estabelecimentos interditados entre 30 e 60 dias, estando vetados de qualquer realização de novos eventos no território durante o período definido.

Nesta sexta-feira, 17 de setembro, foi emitido o novo decreto municipal n° 045/2021 juntamente com a portaria n° 238 que promovem instruções e restrições quanto aos eventos futuros que serão previamente autorizados pelo órgão fiscalizador da Vigilância Sanitária Municipal.

O objetivo é manter o controle e continuar a adotar medidas preventivas e de proteção a saúde pública, considerando que ainda vivenciamos período de pandemia.

Secretaria Municipal de Saúde.

Departamento de Vigilância em Saúde

 

Pernambuco tem atualmente 712 pessoas com sintomas sugestivos de Covid-19 internadas em leitos públicos (enfermaria e terapia intensiva) voltados à síndrome respiratória aguda grave (srag). Desse total, 98 casos são referentes à faixa etária pediátrica: até os 19 anos. Esse recorte da hospitalização, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), revela que, apesar de a maioria das crianças e adolescentes apresentar formas leves ou assintomáticas da Covid-19, eles não estão isentos de formas graves da infecção, como srag e a síndrome inflamatória multissistêmica. Assim, em meio à retirada da recomendação da aplicação da vacina contra Covid-19 para adolescentes, pelo Ministério da Saúde, autoridades sanitárias e entidades médicas felizmente não deixam de reconhecer que, para o controle da cadeia de transmissão da doença, é necessária uma ampla cobertura vacinal para todas as faixas etárias contempladas pelas vacinas licenciadas no Brasil.

Pernambuco mostra que se mantém firme na mobilização contra o coronavírus, sem deixar de dar continuidade à imunização dos adolescentes, de 12 a 17 anos, com e sem comorbidades. Os benefícios da vacinação de adolescentes superam (e muito) os riscos. A incidência de eventos adversos graves, como miocardite, é de 16 por milhão de pessoas que recebem duas doses da vacina. A própria Covid-19 pode causar danos cardíacos em adultos e adolescentes, com frequência mais elevada. Por isso, suspender a vacinação de adolescentes, neste momento, pode prejudicar o controle da pandemia no Brasil e mais ainda: gerar insegurança quanto ao uso dos imunizantes e consequentemente fazer cair, ainda mais, a taxa de cobertura vacinal para outras doenças.

Dessa forma, autoridades e especialistas esperam que o Ministério da Saúde reconsidere o posicionamento, especialmente considerando a inexistência de evidências científicas contrárias ao uso da Pfizer em adolescentes. Na sexta-feira (17), a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo informou, inclusive, que a morte de uma adolescente de 16 anos, que morava em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foi decorrente de uma doença autoimune. O óbito, que ocorreu no último dia 2 de setembro, foi um dos motivos que levaram o Ministério da Saúde a retirar a recomendação de aplicação de doses contra Covid-19 entre 12 e 17 anos. “A Secretaria de Estado da Saúde concluiu o diagnóstico de doença autoimune em adolescente de 16 anos, que havia sido vacinada contra covid-19 em São Bernardo do Campo e faleceu sete dias depois. As análises técnicas indicam que não é a vacina a causa provável do óbito, e sim a doença identificada com base no quadro clínico e em exames complementares, denominada púrpura trombótica trombocitopênica (PPT)”, diz a nota da secretaria. A investigação considerou análise feita por 70 pesquisadores.

 

 

Brasileira é encontrada morta na fronteira dos EUA

Lenilda dos Santos, 49 anos, era enfermeira e queria trabalhar nos EUA para quitar dívidas; corpo foi achado em um deserto no Novo México.

Desde 5 de setembro, a mulher estava com três amigos e um coiote mexicano na travessia do México para os Estados Unidos, onde tentaria entrar sem o visto. (Foto: reprodução)

Uma enfermeira brasileira de 49 anos morreu na fronteira do México com os Estados Unidos após ser abandonada pelo grupo que tentava entrar no país americano. O corpo de Lenilda dos Santos foi encontrado na quarta (15/9). O último contato dela com a família aconteceu no dia 7 de setembro.

As informações são do jornal Folha de S. Paulo e do jornal O Globo. A enfermeira foi achada sem vida em uma área de deserto na cidade de Deming, no estado americano do Novo México. O município fica próximo ao México.

De acordo com relatos de familiares ao jornal, Lenilda enviou uma mensagem de voz pelo celular para seu irmão por volta das 15h25 de 7 de setembro, na qual dizia: “Eu dormi aqui, eu não aguentei, eu tô sozinha. Mas eles estão vindo me buscar. Eu tô chegando, falta um pouquinho só para eu chegar. Eu não aguentei”.

Em outro áudio, explicou que estava com sede e pedia que o irmão falasse com os amigos dela a fim de que levassem água para ela. “Eu esperei até 11 horas, mas ninguém veio. Eu peguei e saí do lugar”, disse. “Eu estou escondida. Manda ela trazer uma água para mim, porque não estou aguentando de sede.”

Desde 5 de setembro, a mulher estava com três amigos e um coiote mexicano na travessia do México para os Estados Unidos, onde tentaria entrar sem o visto.

O irmão da enfermeira, o pecuarista Leci Pereira, relatou que Lenilda foi abandonada pelo grupo porque passou mal durante a caminhada. “Largaram ela para trás. São pessoas que foram criadas junto com a gente, que conhecemos há mais de 30 anos. Ela confiou que eles iam voltar para buscá-la”, assinalou.

Segundo o irmão contou para a Folha, Lenilda trabalhava em dois empregos como enfermeira, mas tinha dívidas que não conseguia pagar. Ela já havia morado nos EUA em 2004, e decidiu voltar ao país para conseguir um emprego para ganhar em dólar, com a intenção de quitar os débitos.

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira (17) pelo jornal Folha de S.Paulo revela os índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022. 

A corrida está estagnada, se comparada com o levantamento realizado pelo instituto em julho deste ano. Lula tinha 26% e agora tem 27% das intenções de voto na pesquisa espontânea. Jair Bolsonaro tinha 19% e agora tem 20%. No segundo turno, o ex-presidente tem 56% (58% no último relatório), contra 31% (os mesmos 31% na pesquisa anterior) de Bolsonaro.

Ainda na espontânea Ciro Gomes (PDT) mantém 2%. Não sabe: 38%.

A pesquisa ouviu 3.667 pessoas entre os dias 13 e 15 de setembro em 190 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

 

 O Brasil registrou 637 mortes por Covid e 35.128 casos da doença, nesta quinta-feira (16). Com isso, o país chegou a 589.277 vidas perdidas e a 21.067.396 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

O número de casos, nesta quinta, foi consideravelmente maior do que os registrados nos últimos dias. Isso ocorreu por um represamentos nos dados do estado de São Paulo, que incluiu 22.678 infecções notificadas entre março e julho.

As médias móveis não tiveram grandes alterações em relação aos últimos dias. A de mortes, que se encontra em estabilidade (ou seja, sem variações superiores a 15%, em relação ao dado de duas semanas atrás), agora é de 582 óbitos por dia. Já a de infecções agora é de 15.592, queda de 28%.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados em 24 estados e no Distrito Federal.

O Brasil registrou 1.553.001 doses de vacinas contra Covid-19, nesta quinta-feira. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 486.219 primeiras doses e 1.024.765 segundas. Também foram registradas 5.348 doses únicas e 36.669 doses de reforço.

Ao todo, 140.373.340 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil –73.626.121 delas já receberam a segunda dose do imunizante.

Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 77.790.266 pessoas com esquema vacinal completo no país.

Com isso, 89,17% da população com mais de 18 anos já recebeu ao menos uma dose (nesse caso, a 1ª dose de alguma vacina ou o imunizante de dose única) e 47,99% (também com mais de 18 anos) recebeu as duas doses recebidas ou a dose única da Janssen.

O Brasil chegou recentemente a 40% de adultos com esquema vacinal completo. Se for considerada toda a população brasileira, a porcentagem de pessoas com esquema vacinal completo alcançou 30% recentemente.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Governo de Pernambuco oferece 195 vagas em cursos presenciais gratuitos de capacitação profissional em Sertânia, Tuparetama e mais 11 cidades

Sede do Senac Pernambuco, localizada na Avenida Visconde de Suassuna, em Santo Amaro, região central do Recife — Foto: Giovanni Chamberlain/Divulgação

Estão abertas as inscrições para 195 vagas em cursos de capacitação profissional gratuitos. Eles são oferecidos pela Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq), em 13 cidades. As inscrições podem ser feitas até a quarta-feira (22), pela internet, e as aulas serão realizadas de forma presencial.

Esta é a primeira fase do programa Novos Talentos. Nas outras etapas, segundo o governo do estado, a iniciativa deve beneficiar 615 estudantes de baixa renda, em 34 cidades. O projeto foi dividido em blocos para respeitar o limite de 15 alunos por sala, por causa da pandemia de Covid-19.

Na primeira fase, os cursos são oferecidos nas seguintes cidades:

  • Recife
  • Cabo de Santo Agostinho
  • Caruaru
  • Igarassu
  • Itamaracá
  • Lagoa Grande
  • Panelas
  • Paulista
  • Salgueiro
  • Santa Maria da Boa Vista
  • Sertânia
  • Sirinhaém
  • Tuparetama

Os cursos oferecidos são os de programador de sistema, desenvolvedor de jogos eletrônicos, aplicativos básicos de informática, Photoshop e e-Commerce: vendendo no comércio eletrônico.

Após o cadastro pela internet, os alunos precisam se matricular presencialmente (confira os locais abaixo), entre os dias 23 e 24 de setembro. É preciso levar CPF, identidade, além de comprovantes de residência e de escolaridade.

A previsão de início das aulas é 27 de setembro, com exceção de Sertânia e Salgueiro, no Sertão. Nessas cidades, as turmas devem começar nos dias 28 e 29, respectivamente. O local das aulas em Santa Maria da Boa Vista, também no Sertão, ainda não foi definido.

Recife

Ler mais

No governo de Bolsonaro encher tanque com gasolina ficou para poucos

Os motoristas que pararam para encher o tanque de um veículo com 50 litros de gasolina na última semana precisaram desembolsar, em média, R$ 302,95, de acordo com informações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O valor é R$ 78,80 (35,2%) superior aos R$ 224,15 que eram necessários para completar o mesmo reservatório, equivalente ao de um Hyundai HB20, nos últimos dias de 2020.

O resultado vai em linha com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontam os combustíveis como os vilões da inflação deste ano, com alta de 31,09% no preço da gasolina somente entre os meses de janeiro e agosto.

Alternativa para os donos de veículos flex, o etanol ficou ainda mais caro (46,4%) no período e não vale a pena em nenhum dos Estados brasileiros, já que o valor médio cobrado pelo biocombustível nos postos supera em mais de 70% o preço da gasolina. A análise considera que o veículo com álcool gasta mais litros para percorrer a mesma distância do que com gasolina.

Conforme os dados mais recentes da ANP, a divisão nacional entre o preço dos combustíveis está em 75%, já que o litro de gasolina custa R$ 6,059, enquanto o do etanol é vendido por cerca de R$ 4,653 nos postos brasileiros. Ao final de 2020, o percentual era de 71%, mas inferior aos 70% em algumas localidades.

Litro já supera R$ 7

Segundo os dados da ANP, o preço da gasolina já é encontrado por mais de R$ 7 nos Estados do Acre, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, locais onde o custo para encher um tanque de 50 litros pode superar os R$ 350.

O custo mais alto do abastecimento com gasolina, de R$ 7,185 por litro, foi encontrado em dois postos localizados no município de Bagé (RS), onde há sete postos que cobram mais de R$ 7 pelo litro do combustível.

Estão abertas, até esta sexta-feira (17), as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade, o Enem PPL 2021. As inscrições devem ser feitas pelo responsável pedagógico da unidade prisional ou socioeducativa, por meio do sistema do exame.

O responsável pedagógico é o encarregado por acompanhar todas as etapas do exame até a divulgação dos resultados. Entre as obrigações estão solicitar atendimento especializado e tratamento pelo nome social para os participantes que precisarem, indicar as salas de provas e divulgar as informações aos participantes.
Também cabe a ele manter, sob sua guarda e sigilo, a senha de acesso ao sistema e os números de inscrição e de Cadastro de Pessoa Física (CPF) dos participantes. Os dados são indispensáveis para o acompanhamento do processo de inscrição e a obtenção dos resultados individuais.
O prazo de inscrição do Enem PPL começou no dia 6 de setembro. As provas serão aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nos dias 11 e 12 de janeiro de 2022.
O Enem PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Enem regular. A única diferença está na aplicação, que ocorre dentro de unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos órgãos de administração de cada estado e Distrito Federal.
O Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e é a principal porta de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Universidades privadas também utilizam o Enem para selecionar estudantes, bem como algumas instituições de Portugal que têm convênio com o Inep para aceitarem as notas do exame.

Magistrados ou membros do Ministério Público e profissionais de segurança pública terão de se afastar das suas funções quatro anos antes para concorrer a cargos eletivos. Senado ainda analisará proposta

O plenário da Câmara dos Deputados incluiu ao texto do projeto de lei que propõe um novo código eleitoral a exigência de que magistrados ou membros do Ministério Público, guardas municipais, policiais militares, federais, rodoviários federais, civis e integrantes das Forças Armadas cumpram um período de quarentena para que possam concorrer em eleições.

A proposta é de que esses profissionais se afastem dos cargos quatro anos antes das eleições para ter o direito de disputar cargos eletivos. A mudança foi adicionada ao projeto de lei na noite desta quarta-feira (15/9), quando os deputados votaram destaques — sugestões de mudança — ao texto-base da proposta.

O texto ainda precisa do aval do Senado para entrar em vigor. Se também for aprovada pelos senadores, a norma valerá apenas a partir de 2026. Até lá, continuará valendo o afastamento pela regra geral, em 2 de abril do ano eleitoral.

Na semana passada, o plenário rejeitou um destaque elaborado pela relatora da matéria, deputada Margarete Coelho (PP-PI), que propunha uma quarentena a essas categorias. A proposta da parlamentar, contudo, era de que o afastamento das funções fosse de cinco anos antes do pleito.

Apesar da derrota, nesta quarta, após reunião de líderes na residência oficial do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ficou acertado que uma nova emenda seria apresentada no plenário para propor o período de quarentena a juízes, procuradores, policiais e militares, desta vez de quatro anos.

Lira foi pressionado por deputados que não concordavam com o item a descartar a análise da emenda, visto que a Câmara estaria votando um assunto que já foi vencido anteriormente. Entretanto, o presidente da Casa não se opôs à votação por entender que o novo texto não coincidia com a redação do destaque rejeitado na semana passada. A votação foi apertada, mas a emenda teve a aprovação de 273 deputados. Outros 211 foram contra.

A decisão revoltou parlamentares contrários à proposta, que criticaram a manobra conduzida por Lira para permitir que o tema fosse novamente tratado pelo plenário. Segundo a deputada Adriana Ventura (Novo-SP) “nada justifica, sob nenhum pretexto e sob nenhum argumento, irmos contra o regimento”.

“Se vamos adotar uma linha de que o regimento é interpretativo, e o entendemos como queremos, e, no limite, o plenário faz o que quiser, porque tem maioria, aí entramos em um jogo de vale-tudo, aí entramos em um jogo em que todo mundo aqui está sob risco. Estamos arriscando a nossa democracia em nome de uma conveniência momentânea”, reclamou.

O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) disse esperar “que o Senado faça a devida correção e que esta Casa nunca mais cometa esse verdadeiro deslize que foi cometido no dia de hoje, de deixar de respeitar, como nós entendemos, o regimento interno na sua integridade”. “Com veemência, nós repudiamos o que aconteceu aqui nesta noite. Somos contrários a essa quarentena que foi aprovada por uma margem estreita de votos.”

A CPI da Covid colocou o empresário Marconny Albernaz Faria, que prestou depoimento ontem, bem perto de Jair Bolsonaro, ao expor suas relações com personagens do seu círculo mais próximo. Ele negou ser lobista, mas ficou claramente desconfortável ao ser indagado sobre o relacionamento que tem com Karina Kufa, advogada do presidente da República; com Jair Renan, o filho 04; e sua mãe, Ana Cristina Valle — que será chamada a prestar depoimento ao colegiado. A desconfiança dos senadores é de que Marconny atue como articulador de um grupo de pessoas próximas a Bolsonaro que praticam tráfico de influência em vários setores do governo federal.
Além disso, a CPI quer saber quem é o senador, citado por Marconny em uma de suas conversas, que “destravaria” a compra de testes rápidos para a detecção da covid-19 pelo Ministério da Saúde — negociação que foi cancelada e que tornou a Precisa Medicamentos alvo da Operação Falso Negativo, que apurou fraude em vendas desses equipamentos superfaturados e de baixa qualidade. O empresário disse que não se lembrava quem era o parlamentar, nem se era homem ou mulher. Por isso, a senadora Leila Barros (Cidadania-DF) pediu que a Polícia Legislativa levantasse o registro de todas as entradas de Marconny na Casa, quando se poderá saber o gabinete do senador visitado por ele.
“Você é um caso claro que parece, mas não é. Tem uma relação extremamente próxima na classe política, tem contato, uma empresa que faz trativas políticas, conversa com a área empresarial, com vários políticos, tem citações de vários senadores. Você fala claramente que tem atuação junto a alguns políticos, mas você fala categoricamente que não é lobista”, ironizou a senadora Eliziane Garcia (Cidadania-MA).
Atuação vaga
Dizendo vagamente que sua atividade profissional era de “assessoramento técnico-político”, que faz “análise de estudos de viabilidade política”, Marconny escudou-se todo o tempo no habeas corpus obtido no Supremo Tribunal Federal (STF) — que permitiu que se calasse para evitar a autoincriminação. Mas os senadores estavam com todas as conexões de Marconny mapeadas, pois receberam do Ministério Público Federal do Pará uma série de conversas encontradas no celular dele, apreendido na Operação Parasita.
Foi por meio dessa ação da Polícia Federal e da Controladoria-Geral da União (CGU) que se descobriu a influência de Marconny, que indicou o diretor do Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém, vinculado à Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério. Aqui veio à tona o relacionamento dele com Karina Kufa, que teria feito a ponte para que a indicação chegasse a Bolsonaro. A advogada deporia hoje, mas foi transferida para data a ser definida — no seu lugar, será ouvido o diretor-executivo da empresa Prevent Sênior, acusada de obrigar médicos a aplicarem o “tratamento precoce” contra a covid-19.
Karina também teria atuado junto ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a pedido de Marconny, para a indicação de Leonardo Cardoso ao posto de defensor público da União. Da mesma forma, o empresário teria feito contato com Ana Cristina Valle para que reforçasse o nome para a vaga — ela acionou o atual ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Jorge Oliveira. O esforço foi em vão, pois Bolsonaro escolheu Daniel Macedo para o cargo.
O contato com Ana Cristina e o filho dela também foi motivo de indagações pelos senadores. No caso do filho 04 do presidente, limitou-se a dizer que “ele queria criar uma empresa de influencer e eu só apresentei para um colega tributarista que poderia auxiliar na abertura da empresa”. Porém, o relacionamento entre eles parece ser mais profundo, pois Marconny festejou seu aniversário no camarote de Jair Renan, no Estádio Mané Garrincha — conforme expôs o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).
“A relação próxima (de Marconny) com a ex-esposa do senhor Jair Bolsonaro deve ser amplamente esclarecida, com vistas a examinar potencial atuação ilícita de ambos no contexto da pandemia”, disse Alessandro.
Por conta do episódio no Instituto Evandro Chagas, o ministro da CGU, Wagner Rosário, será convocado para depor, conforme afirmou o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM). O anúncio foi feito após o senador descobrir que a controladoria participou da operação que apreendeu o celular de Marconny — que, ao final da sessão, passou da condição de testemunha para a de investigado.
Lista de crimes
Coordenado pelo ex-ministro da Justiça, Miguel Reale Jr., um grupo de juristas entregou, ontem, à CPI da Covid um parecer no qual lista crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro durante a condução da pandemia. Entre eles, estão crimes de responsabilidade — contra a administração pública, contra a saúde pública, contra a paz pública e contra a humanidade —, advocacia administrativa, prevaricação, charlatanismo e corrupção passiva.
O grupo afirma no documento que o “presidente prejudicou e retardou o acesso à saúde pública que é constitucional” e que esses são “elementos suficientes para um pedido de impeachment”. O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), indicou que o conteúdo do parecer fará parte do relatório final, previsto para ser finalizado entre os dias 23 e 24 de setembro. A intenção é que as evidências pressionem o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a abrir o impeachment contra Bolsonaro.
Em reunião online organizada no gabinete de Renan para esclarecer as dúvidas sobre o parecer, foi sinalizada a intenção de denunciar o presidente da República ao Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, na Holanda. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), perguntou aos juristas quais seriam os caminhos para a comissão executar a ação.
Segundo Helena Regina Lobo, uma das juristas que elaboraram o parecer, há três opções: a denúncia pode ser feita pelo Estado, pelo conselho de segurança e a última seria por pessoas ou grupos.

Homem que emprestava dinheiro a juros é assassinado a tiros no Sertão de PE

Nesta última quarta-feira dia (15), um homem conhecido como “Tê”, de 30 anos, foi assassinado a tiros no Distrito do Moraes, zona rural de Araripina, no Sertão de Pernambuco.

Segundo informações  a vítima se encontrava no bar de sua propriedade, quando se aproximaram  dois indivíduos em uma moto de cor vermelha, os quais efetuaram vários disparos que atingiram “Tê” na cabeça e o seu tórax. Após o crime, seus algozes se evadiram do local tomando destino ignorado.

Policiais realizaram diligências para a captura dos criminosos porém até a publicação desta matéria sem êxito. Ainda de acordo com o polícia, a vítimaemprestava dinheiro a juros e ameaçava algumas pessoas que lhes deviam. A Polícia Civil investiga o caso.

Ninguém acerta as seis dezenas e Mega Sena acumula em R$ 23 milhões

A quina teve 23 apostas vencedoras; cada uma receberá R$ 67.950,86. A quadra teve 1.364 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 1.636,85.

 

Mega Sena realiza sorteio no sábado (Foto: Reprodução)

 

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.409 da Mega-Sena, realizado na noite desta quarta (15) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio acumulou.

Veja as dezenas sorteadas: 02 – 29 – 39 – 49 – 52 – 58.

A quina teve 23 apostas vencedoras; cada uma receberá R$ 67.950,86. A quadra teve 1.364 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 1.636,85.

O próximo concurso (2.410) será no sábado (18). O prêmio é estimado em R$ 23,5 milhões.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Auxílio Emergencial 2021: nascidos em outubro podem sacar a 5ª parcela a partir desta quinta-feira

O pagamento da quinta parcela do auxílio terminou em 31 de agosto tanto para esse público quanto para quem faz parte do Bolsa Família.

O pagamento da quinta parcela do auxílio terminou em 31 de agosto tanto para esse público quanto para quem faz parte do Bolsa Família. (Foto: Reprodução)

 

A Caixa Econômica Federal (Caixa) libera nesta quinta-feira (16) os saques e transferências da quinta parcela do Auxílio Emergencial para os beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em outubro, que receberam a parcela em poupança social digital no dia 28 de agosto.

O pagamento da quinta parcela do auxílio terminou em 31 de agosto tanto para esse público quanto para quem faz parte do Bolsa Família.

O pagamento da sexta parcela começa nesta sexta, 17 de setembro, para os beneficiários que fazem parte do Bolsa Família, e em 21 de setembro para os demais.

VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTA QUINTA:

trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em outubro

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidada…

Como realizar o saque

Para sacar o dinheiro, é preciso fazer o login no aplicativo Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”.

Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora.

O código deve ser utilizado para saque em dinheiro nas agências, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

As agências da Caixa abrem de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h. Não é preciso madrugar ou chegar antes do horário de abertura. Todas as pessoas que procurarem atendimento durante o horário de funcionamento serão atendidas.

Continua disponível aos beneficiários a opção de utilização dos recursos creditados na poupança social digital para a realização de compras, por meio do cartão de débito virtual e QR Code, pagamento de boletos, contas de água, luz, telefone, entre outros serviços.

Com o aplicativo Caixa Tem, também está disponível a funcionalidade para pagamentos sem cartão nas cerca de 13 mil unidades lotéricas do banco.

 O Brasil registrou 793 mortes por Covid e 14.532 casos da doença, nesta quarta-feira (15). A média móvel de mortes teve um aumento, em relação aos dias anteriores, e agora é de 597 óbitos por dia.

Por um problema técnico, Roraima não teve todos os dados divulgados.

Com os números dessa quarta, o país chegou a 588.640 óbitos e 21.032.268 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

A média móvel de casos permanece na casa dos 15 mil registros diários e agora é de 15.196, queda de 32% em relação a duas semanas atrás.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Papa reprova cardeais ‘negacionistas’ que não querem ser vacinados

Foto: Tiziana Fabi/Pool/AFP

Francisco esclareceu que dentro do Vaticano ‘todos estão vacinados, exceto um pequeno grupo”, então “estamos estudando como ajudá-los’

AFP

O Papa Francisco condenou nesta quarta-feira (15) os cardeais “negacionistas”, que se recusam a serem vacinados contra a covid-19 e depois são infectados, em uma alusão a um de seus principais opositores.

“No colégio cardinalício há alguns negacionistas. Um deles, coitado, estava infectado com o vírus”, disse o pontífice no avião que o levava de volta de sua viagem apostólica de quatro dias à Eslováquia, na Europa Central.

Francisco estava se referindo ao ultraconservador cardeal americano Raymond Burke, um de seus mais ferozes críticos, que adoeceu em agosto devido a covid-19.

O papa argentino esclareceu que dentro do Vaticano “todos estão vacinados, exceto um pequeno grupo”, então “estamos estudando como ajudá-los”, acrescentou, durante uma coletiva de imprensa a bordo do avião papal.

O pontífice, ferrenho defensor da vacinação contra a covid-19, reconheceu que não entende os motivos de tanto ceticismo em relação às vacinas.

“É um pouco estranho, porque a história da humanidade com as vacinas tem se mostrado uma amiga”, disse ele, referindo-se a décadas de campanhas para proteger as crianças do sarampo e da poliomielite.

“Devemos esclarecer a questão e falar com calma”, aconselhou, embora admitisse que a diversidade das vacinas e sua reputação desigual podem ter gerado incerteza ou medo.

 

Empresa de energia solar dar calote de mais de R$ 3 milhões de reais em Salgueiro

Está próximo de serem concluídas as obras de uma das maiores usinas de energia solar do Sertão de Pernambuco, trata-se do parque UFV Salgueiro I, II e III, que se estende em terras dos municípios de Salgueiro e Terra Nova. O valor da obra não foi divulgado, no entanto a mesma é financiada pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

A obra foi iniciada no ano de 2019 e já empregou muita gente, ainda há muitos trabalhadores em atividade. No entanto, a principal empresa responsável pela execução das obras, já não está mais na região e saiu com débitos gigantescos que ultrapassa os R$ 3 milhões de reais. Fornecedores estão na bronca com a empresa SNEF Energia e Telecomunicação Ltda.

Em Salgueiro e todo Sertão de Pernambuco, não se fala em outra coisa a não ser no calote da empresa de energia solar. A SNEF deve aos fornecedores de diferentes tipos de prestação de serviços, como aluguel de banheiros químicos, máquinas pesadas e geradores de energia, sem falar no fornecedor de alimentação que ficou no prejuízo com vultoso volume de dinheiro.

Um dos empresários que tem quantia significante para receber da SNEF Energia e Telecomunicação Ltda, relatou que tem pouco mais de R$ 100 mil reais pra receber da empresa. Ele disse ainda que tem gente pra receber mais de R$ 1 milhão de reais. As informações são do Blog de Didi Galvão.

O ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, escreveu uma carta de próprio punho para voltar atrás em acusações que fez contra o ex-presidente Lula na sua delação premiada firmada com a Lava-Jato. A carta do empreiteiro foi um dos elementos que fez a investigação que acusava o petista de corrupção e tráfico de influência, junto ao governo da Costa Rica, ser arquivado, somando a 19ª vitória de Lula na Justiça.

 De acordo com a jornalista Bela Megale, em sua coluna no jornal O Globo. Na carta escrita em maio e anexada ao processo em junho, Pinheiro disse que nunca autorizou ou teve conhecimento de pagamentos de propina às autoridades citadas no caso. Também disse que não houve menção sobre vantagens indevidas durante o encontro ocorrido na Costa Rica. Esse documento foi uma das bases da defesa de Lula, liderada pelo advogado Cristiano Zanin, para solicitar à Justiça de São Paulo o arquivamento da investigação.

Na carta escrita de próprio punho, Pinheiro afirmou também que não sabe informar “se houve intercessão do Ex. Presidente Lula junto à Presidente (ex) Dilma e/ou Ex. Ministro Paulo Bernardo”. “A empresa OAS não obteve nenhuma vantagem, pois inclusive não foi beneficiada por empréstimos do BCIE – Banco Centro Americano de Integração Econômica. Não sabendo informar se houve efetividade da solicitação do Presidente do BCIE, senhor Nick Rischbieth Alöe junto ao senhor Ex. Presidente Lula e demais autoridades citadas”, concluiu Pinheiro.

Veja a carta:

carta-um
carta-2

Pressionado pela Lava-Jato, Pinheiro contou em outro momeno uma história diferente. O ex-presidente da OAS disse que, durante uma viagem a Costa Rica, pediu a Lula que realizasse uma audiência com Nick Rischbieth Gloe, presidente do Banco Centro-Americano de Integração Econômica (BCIE). O objetivo da reunião, segundo Pinheiro, era aumentar a participação do Brasil na estrutura societária da instituição financeira, “bem como credenciar a OAS a realizar parceria com tal Banco”. O empreiteiro disse que o encontro ocorreu na suíte onde Lula estava hospedado e que contou com a presença e dele de outro executivo da OAS, o diretor Augusto Uzeda. Em depoimento às autoridades, Uzeda negou a realização dessa reunião. (247)

Bolsonaro diz que fake news fazem parte da vida após editar MP que dificulta combate à desinformação

“Fake news faz parte da nossa vida. Quem nunca contou uma mentirinha para a namorada? Se não contasse, a noite não ia acabar bem”, disse Bolsonaro.

“Fake news faz parte da nossa vida. Quem nunca contou uma mentirinha para a namorada? Se não contasse, a noite não ia acabar bem”, disse Bolsonaro nesta terça-feira (14) durante cerimônia no Palácio do Planalto.

“Muitas vezes erramos, quem nunca errou, né, no palavreado? Às vezes custa caro para a gente. Mas é melhor viver assim, como a imprensa, melhor viver assim, em liberdade, do que não ter liberdade”, disse no mesmo discurso.

Em outro momento, o presidente afirmou que não é necessário regular o tema das fake news. “Fake news é quase que nem um apelido, cai por si só. Não precisamos de regular isso aí.”

“Deixemos o povo à vontade. Obviamente, quando se vai para pedofilia e outras coisas, não tem cabimento. Isso não é fake news, é crime”, continuou.

Na noite desta terça, o presidente do Senado e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidiu devolver ao governo à medida provisória.

Uma semana depois de ter liderado atos de raiz golpista no 7 de Setembro e dias após ter divulgado nota retórica em que abaixa o tom com os demais Poderes, Bolsonaro promoveu cerimônia no Planalto na qual distribuiu homenagens a parlamentares e a um ministro do STF (Supremo Tribunal Federal).

Bolsonaro usou o evento, que teve a participação dos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, além do ministro do STF Dias Toffoli, para afirmar que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário são “um só corpo” e que o “bom entendimento” dos Poderes é a “alegria do nosso povo”.

“Nosso governo conversa com todo mundo. Esse prêmio, esse simples troféu, é um reconhecimento a todos vocês pela colaboração com o governo e com o Brasil. O que seria do Executivo sem o Senado, sem a Câmara, e também, por que não dizer, em muitos momentos sem o STF? Nós somos um só corpo. O nosso bom entendimento, [é a] alegria do nosso povo”, declarou.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, entregaram troféus do prêmio Marechal Rondon das Comunicações para dezenas de autoridades.

Além de Toffoli e dos chefes do Legislativo, foram agraciados Bolsonaro, dirigentes de empresas públicas do governo, ministros, deputados, senadores e integrantes do TCU (Tribunal de Contas da União).

O prêmio é organizado pelo Ministério das Comunicações. Entre os senadores, receberam o troféu Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do mandatário, e Davi Alcolumbre (DEM-AP), que como presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) tem bloqueado a indicação de André Mendonça para uma vaga no STF.

Os afagos de Bolsonaro ao Parlamento e ao Supremo ocorrem após uma reviravolta na retórica do presidente.

Em 7 de Setembro, diante de milhares de apoiadores em Brasília, o presidente fez um discurso de ameaças golpistas ao STF . Ele disse que não aceitará que qualquer autoridade tome medidas ou assine sentenças fora das quatro linhas da Constituição.

“Ou o chefe desse Poder enquadra o seu [ministro] ou esse Poder pode sofrer aquilo que nós não queremos”, disse Bolsonaro na ocasião, em recado ao presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, em referência às recentes decisões do ministro Alexandre de Moraes contra bolsonaristas.

“Não podemos continuar aceitando que uma pessoa específica da região dos Três Poderes continue barbarizando a nossa população. Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil”, continuou.

As falas com teor golpista de Bolsonaro geraram reação de Fuz, presidente do STF. Em um duro discurso, ele afirmou que ameaça do mandatário de descumprir decisões judiciais do ministro Alexandre de Moraes, se confirmada, configura “crime de responsabilidade”.

Lira também se manifestou após o 7 de Setembro. Elevou o tom de crítica ao presidente, falou em “basta”, mas enviou sinais de tentativa de apaziguamento e não mencionou impeachment -há mais de cem pedidos para isso na Casa.

Dias depois das manifestações e diante de críticas de que a retórica incendiária do governo estava contaminando indicadores econômicos, Bolsonaro recuou.

Em 9 de setembro, o mandatário divulgou uma nota na qual afirmou que não teve “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes” e atribuiu palavras “contundentes” anteriores ao “calor do momento”.

“Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar”, disse o presidente, na declaração.

As médias móveis agora são de 520 mortes por dia e 15.165 pessoas infectadas diariamente, reduções de 19% e 33%, respectivamente, em relação aos dados de duas semanas atrás.

O Brasil registrou 709 mortes por Covid e 12.672 casos da doença, nesta terça-feira (14). O país, assim, chega a 587.847 óbitos e a 21.017.736 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

O Acre não registrou mortes ou casos de Covid, nesta terça.

As médias móveis agora são de 520 mortes por dia e 15.165 pessoas infectadas diariamente, reduções de 19% e 33%, respectivamente, em relação aos dados de duas semanas atrás.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países. A delta também já parece causar problemas no Rio de Janeiro, que vê aumentos de casos e internações.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira abriu nesta terça-feira (14), o agendamento para a vacinação do público com 12 anos de idade e mais.

É preciso apresentar documento que comprove a identidade, comprovante de residência e estar acompanhado pelos pais ou responsáveis na hora da vacinação.

A vacinação acontece na quadra coberta da Escola Monsenhor Antônio de Pádua Santos, para os moradores da zona urbana.

Na área rural, o agendamento pode ser feito junto aos Agentes Comunitários de Saúde.

Nesta quinta-feira (16), começa a ser aplicada a dose de reforço (terceira dose) para os idosos que tomaram coronavac. A vacinação desse público começa pelos idosos da Asavap. Com a chegada de mais doses, a Prefeitura vai estender a proteção da dose extra para os idosos de 70 anos ou mais. A vacina será aplicada por ordem decrescente de idade, começando pelos mais idosos.

O agendamento pode ser feito pelo site: 

https://www.afogadosdaingazeira.imunizape.com.br

 

Pacheco devolve MP que dificultava retirada de conteúdo da internet

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, confirmou que devolveu ao Executivo a Medida Provisória (MP) 1068/2021, que limitava a remoção de conteúdos publicados nas redes sociais. 

Com a decisão de Pacheco, as regras previstas na MP deixam de valer e não serão analisadas pelo Congresso Nacional. Ele disse considerar que as previsões da MP são contrárias à Constituição de 1988 e às leis, caracterizando exercício abusivo do Executivo, além de trazer insegurança jurídica.

“Há situações em que a mera edição de Medida Provisória é suficiente para atingir a funcionalidade da atividade legiferante do Congresso Nacional e o ordenamento jurídico brasileiro”, apontou Pacheco, durante a ordem do dia desta terça-feira (14).

De acordo com o presidente Pacheco, a MP traz dispositivos que atingem o processo eleitoral e afetam o uso de redes sociais. Ele destacou que parte da matéria já é tratada no PL 2630/2020, que visa instituir a Lei Brasileira de Liberdade e Transparência na Internet. A matéria já foi aprovada no Senado, em junho do ano passado, e agora está em análise na Câmara dos Deputados.

A MP cria novas regras para a moderação de conteúdos nas redes sociais, estabelecendo garantias aos usuários e dificultando a remoção de publicações ou a suspensão de contas. 

Um dos pontos mais polêmicos é a necessidade de sempre haver justa causa e motivação para que ocorra cancelamento ou suspensão de funcionalidades de contas ou perfis nas redes sociais pelas plataformas ou provedores. A previsão, em tese, dificultaria a remoção de informações falsas da internet.

Constituição

 Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que a decisão de Pacheco é uma “resposta à altura” ao teor da MP. Antonio Anastasia (PSD-MG) afirmou que a devolução de uma MP não é uma decisão “singela”, mas apontou que a matéria é inconstitucional. Ele classificou a decisão como correta e tecnicamente perfeita. Álvaro Dias (Podemos-PR) e Izalci Lucas (PSDB-DF) destacaram que a decisão preserva as prerrogativas do Congresso.

Jean Paul Prates (PT-RN) saudou “a grandeza e a firmeza do ato”, que reforçaria o papel do Senado e do seu presidente. Para o senador, a edição da matéria mostra “o uso abusivo e oportunista” do governo do recurso da MP. Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), Marcelo Castro (MDB-PI) e Fabiano Contarato (Rede-ES) elogiaram a postura do presidente Pacheco. Segundo Contarato, a liberdade não pode ser usada como desculpa para a prática de crimes.

“A democracia é o melhor terreno para semear e colher direitos. Não podemos admitir nenhum ataque”, registrou o senador.

Para o senador Esperidião Amin (PP-SC), a decisão é correta e a comunicação de Pacheco ao Congresso foi “serena”. Amin disse que o ato visa proibir transgressões ao texto da Constituição. Eliziane Gama (Cidadania-MA) destacou o zelo de Pacheco pela Constituição. Segundo a senadora, a MP dificultaria a investigação de fake news.

“Bolsonaro estava legislando em causa própria. O Brasil ganha e ganham aqueles que combatem as fake news”, comemorou a senadora.

Ofício e STF

Vários outros senadores já vinham se manifestando pela devolução da MP desde a semana passada. O senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPI das Fake News, enviou um ofício ao presidente do Senado, defendendo a devolução da MP. Otto Alencar (PSD-BA) e Zenaide Maia (Pros-RN) também cobraram a devolução da matéria. 

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), outro crítico da MP, chegou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a imediata suspensão da vigência da norma.

 

Amupe reúne prefeitos e prefeitas para discutir o Novo Marco do Saneamento

Nesta segunda-feira (13) a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) realizou mais uma assembleia extraordinária de prefeitos e prefeitas, por videoconferência, para discutir assuntos de interesse dos municípios: o novo Marco Regulatório do Saneamento e a pautas municipalistas que tramitam no Congresso Nacional.

No tocante ao Marco do Saneamento, o objetivo do debate foi interpretar e discutir a adequação de todos os municípios pernambucanos ao novo modelo de gestão do saneamento, falando da legislação com a iniciativa privada, pois os dois precisam se adequar à legislação federal.

Para gerir os municípios, um decreto do governo do Estado dividiu todo o Estado em duas microrregiões: RMR-Pajeú, com 160 municípios, que abrange também os municípios da Mata Sul, Norte e Agreste, e a Microrregião do Sertão, com 24 municípios, que abrange parte do Sertão do São Francisco, Central e do Araripe.

Os gestores voltarão a se reunir amanhã (15.09), desta vez com o governador Paulo Câmara, para um novo debate com esclarecimentos gerais e instalação do Colegiado Microrregional, parte importante da Estrutura de governança dessas Microrregiões, que será composto por um representante do governo do Estado e um representante dos Municípios pernambucanos.

“Este é um tema em que a discussão está só começando”, disse o presidente da Amupe, José Patriota, ao lembrar que “não podemos penalizar os mais pobres, as mudanças irão impactar muito a vidas das pessoas. Temos que analisar como atrair o investidor privado e, ao mesmo tempo, universalizar o acesso à água, essa será a grande engenharia”, disse Patriota.

Pauta municipalista

De Brasília, o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, atualizou os prefeito e prefeitas acerca de pautas importantes que tramitam no Congresso Nacional, a exemplo do Projeto de Lei Nº 2337/2021, que trata da reforma do Imposto de Renda (IR) e da Proposta de Emenda à Constituição, PEC Nº 110/2019, que dispõe sobre a reforma tributária.

Frota diz que facada contra Bolsonaro foi armada e protocola pedido de CPI

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) entrou nesta segunda-feira (13) com um pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a facada sofrida por Jair Bolsonaro em Juiz de Fora, Minas Gerais, durante ato de campanha para as eleições presidenciais em 2018. O parlamentar afirmou que Bolsonaro já sofria de outras condições no intestino e teria forjado a facada para aumentar seu tempo de televisão.

“Estou convencido de que foi uma armação . Aproveitaram a doença que esse sujeito tinha na época e criaram essa narrativa do atentado . Ele foi de 8 segundos de TV para 24 horas de TV”, escreveu.

Afogados: Corpo de Ligeirinho foi encaminhado para o IML de Caruaru

O corpo do garçon  Erlândio Silva, conhecido por Ligeirinho foi encaminhado na tarde desta terça-feira (14) para o Instituto Médico Legal – IML de Caruaru.

O cadáver foi encontrado na área debaixo da ponte que liga o centro de Afogados da Ingazeira ao bairro São Francisco. Segundo populares, Ligeirinho teria tido um mal súbito e morreu no local.

O prazo se encerra às 23h59 do dia 26 de setembro.

Começa nesta terça-feira (14) o prazo de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 para os inscritos que tiveram isenção no exame em 2020, mas não compareceram nos dias das provas. O prazo se encerra às 23h59 do dia 26 de setembro.

A reabertura foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal e pode garantir inscrição com isenção de taxa para quase 3 milhões de estudantes que ficaram isentos no ano passado, mas não compareceram às provas por medo da Covid-19.

Estes inscritos realizarão o exame em 9 e 16 de janeiro de 2022, juntamente com a edição do Enem para adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL).

Para os demais participantes do exame que já tiveram a inscrição confirmada, a aplicação das provas será mantida nos dias 21 e 28 de novembro de 2021.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a decisão de definir novas datas de aplicação das provas para os isentos ausentes na edição 2020 foi tomada para garantir o direito dos participantes de utilizarem o resultado do exame para acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programas do Ministério da Educação (MEC).

O Enem 2021 registrou 3.109.762 pessoas com a inscrição confirmada, menor número desde 2005. A queda foi impulsionada pelo índice de abstenção do exame em 2020, que atingiu 55,3% do total de candidatos confirmados.

Cronograma atualizado

Inscrição de isentos em 2020: 14 a 26 de setembro
Enem regular: 21 e 28 de novembro
Enem para isentos em 2020 e PLL: 9 e 16 de janeiro de 2022

 

O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 27 de agosto.

O calendário é organizado em ciclos de crédito em conta e de saque em espécie, de acordo com o mês de nascimento. O saque pode ser feito nas agências da Caixa, lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Para a retirada do dinheiro, é preciso fazer o login no aplicativo Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora.

Agora, os recursos também podem ser transferidos para uma conta corrente, sem o pagamento de tarifas, e ainda podem ser movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem. Com ele é possível pagar boletos e contas, como água e telefone, fazer compras pela internet e pelas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, com o cartão de débito virtual e QR Code.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br .

Regras

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não houve nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício.

Brasil tem menor média móvel de casos de Covid desde 20 de maio de 2020

 O Brasil registrou 256 mortes por Covid e 8.280 casos da doença, nesta segunda-feira (13). Com isso, o país chegou a sua menor média móvel de casos desde 20 de maio de 2020. Nesta segunda, a média foi de 15.336 pessoas infectadas por dia, contra 14.647 infecções diárias em 20 de maio do ano passado.
Com os dados desta segunda, o país chegou a 587.138 vidas perdidas para a Covid e a 21.005.064 pessoas infectadas desde o início da pandemia.
A média móvel de mortes agora é de 467 óbitos por dia, queda de 30% em relação ao dado de duas semanas atrás.
Aos domingos, segundas e feriados os dados da Covid costumam ser menores, por atrasos de notificação nas secretarias de Saúde.
O Rio de Janeiro não atualizou os dados da pandemia, nesta segunda. O estado afirmou ter tido problemas no sistema de notificação do Ministério da Saúde.
Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países. A delta também já parece causar problemas no Rio de Janeiro, que vê aumentos de casos e internações.
Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.
Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados em 24 estados e no Distrito Federal.
O Brasil registrou 1.641.603 doses de vacinas contra Covid-19, nesta segunda-feira. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 522.604 primeiras doses e 1.100.131 segundas.
Ao todo, 138.643.722 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil -70.143.567 delas já receberam a segunda dose do imunizante.
Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 74.295.662 pessoas com esquema vacinal completo no país.
Com isso, 88,10% da população com mais de 18 anos já recebeu ao menos uma dose (nesse caso, a 1ª dose de alguma vacina ou o imunizante de dose única) e 45,84% (também com mais de 18 anos) recebeu as duas doses recebidas ou a dose única da Janssen.
O Brasil chegou recentemente a 40% de adultos com esquema vacinal completo. Se for considerada toda a população brasileira, a porcentagem de pessoas com esquema vacinal completo alcançou 30% recentemente.
Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.
A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) concluiu a análise do processo aberto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro nos processos movidos contra ele no âmbito da Lava Jato. Com isso, o processo fica liberado para ser julgado por peritos internacionais. O Supremo Tribunal Federal (STF) já considerou Moro como suspeito e as condenações impostas por ele contra o petista.

De acordo com a coluna do jornalista Jamil Chade, no UOL, a informação já foi comunicada aos advogados de defesa de Lula. O caso foi levado à ONU em 2016, após o ex-presidente ingressar com uma queixa alegando que Moro atuou de forma parcial nos processos contra ele.

Em 2018, o Comitê de Direitos Humanos da ONU concedeu medidas cautelares e solicitou às autoridades brasileiras que mantivessem os direitos políticos de Lula até que seu caso fosse avaliado pelo STF e que o mérito do caso fosse tratado em Genebra.  (247)

Brasil registra 292 mortes por Covid em 24 h; média móvel é de 473

Com os dados registrados, nesta sexta, o país soma 586.882 vidas perdidas e 20.988.702 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

A média móvel semanal de mortes por Covid-19 agora é de 473 óbitos diários. (Foto: Pixabay/Imagem ilustrativa)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Brasil registrou 292 mortes por Covid e 8.082 casos neste domingo (12).

Com os dados registrados, nesta sexta, o país soma 586.882 vidas perdidas e 20.988.702 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

A média móvel semanal de mortes agora é de 473 óbitos diários.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados.
O Brasil registrou 777.333 doses de vacinas contra Covid-19 neste domingo. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 288.783 primeiras doses e 484.654 segundas. Também foram registradas 2.619 doses únicas e 1.277 doses de reforço.

Ao todo, 138.121.118 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil –34,31% delas já estão com esquema vacinal completo.

O Brasil chegou recentemente a pouco mais de um terço da população com esquema vacinal completo.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Ator de ‘Car​inha de Anjo’ é encontrado morto em São Paulo

Após tentarem contato com o artista por alguns dias sem obter resposta, amigos de Araújo foram até o local em que ele morava para verificar se havia acontecido algo com ele.

Os amigos, ao chegarem ao apartamento do ator e sentirem um forte odor, “policiais militares foram acionados e, ao entrarem no local, encontraram o corpo da vítima”. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O ator Luiz Carlos Araújo foi encontrado morto no apartamento dele na tarde deste sábado (11) no centro da capital paulista. De acordo com nota enviada pela assessoria da Polícia Civil de São Paulo ao F5, após tentarem contato com o artista por alguns dias sem obter resposta, amigos de Araújo foram até o local em que ele morava para verificar se havia acontecido algo com ele.

Ainda de acordo com o comunicado, ao chegarem ao apartamento do ator e sentirem um forte odor, “policiais militares foram acionados e, ao entrarem no local, encontraram o corpo da vítima”. O caso foi registrado como morte suspeita pelo 2º Distrito Policial, no bairro do Bom Retiro, que solicitou perícia aos institutos Médico Legal (IML) e de Criminalística (IC).

Uma das amigas de Araújo, a atriz Marilice Cosenza confirmou a morte do ator com uma postagem no Facebook. Ela disse que ainda não tem informações sobre a causa da morte do artista e que passou a noite da delegacia dando depoimentos sobre o ocorrido.

“Luiz era meu melhor amigo. Eu e outra amiga tentamos falar com ele há alguns dias e ontem o dia todo sem conseguirmos pois o celular estava desligado. Conversei com amigas que foram ao apartamento dele para sabermos notícias. Com a polícia e um chaveiro, acharam ele falecido na cama parecia já há uns três dias. Falei com ele no domingo e fui uma das últimas. Tudo triste e inacreditável”, escreveu Cosenza na web.

Além de parentes de Araújo usarem as redes sociais para se despedirem dele, famosos também lamentaram a morte do ator de 42 anos. “Meu Amado. Não pode ser”, escreveu Luana Piovani na página do artista. Ela também compartilhou uma homenagem no Instagram Stories dela.

“Não consigo acreditar, não dá, não quero acreditar. Te conheci com meus nove anos e de lá pra cá foram palcos divididos, histórias, abraços, carinho, que estão eternizados. Você já foi meu amigo, vilão, gato, avô e no nosso último trabalho você foi meu irmão”, escreveu Camilla Camargo, que lembrou já ter comemorado o aniversário junto com o artista, já que ambos eram librianos e, portanto, nasceram em datas próximas.

“Te amo para sempre, esses abraços estarão comigo para sempre, sinto que você não conhecerá meus pequenos como estávamos combinando, essa pandemia tirou isso da gente, mas Deus nos deu muitos outros momentos para ficarem eternamente no meu coração. Está doendo Lu, está doendo muito. O céu terá um dos artistas mais talentosos pra abrilhantar aí em cima e a gente fica aqui na saudade. Até breve”, escreveu a atriz, filha de Zezé Di Camargo.

Marcelo Serrado, Laila Garin e Mariana Belém também comentaram a morte do artista. Araújo, que ficou conhecido por interpretar Valter, na novela “Carinha de Anjo” (SBT, 2016), também atuou em diversos musicais, como “Lisbela e o Prisioneiro”, “Hoje É Dia de Maria” e “Garota Glamour”.

Com os dados registrados, nesta sexta, o país soma 586.590 vidas perdidas e 20.988.702 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

A média móvel semanal de mortes agora é de 468 óbitos diários, redução de 32% em relação ao dado de duas semanas atrás.

Acre e Bahia não divulgaram os números de casos e mortes neste sábado. A Secretaria da Saúde baiana afirmou ter havido instabilidade em sistema do Ministério da Saúde.

Mesmo com números inferiores aos muito elevados dados anteriores, o momento merece atenção e cuidado. O país já tem circulação comunitária da mais transmissível variante delta, que vem causando aumentos expressivos de casos em outros países.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados.

O Brasil registrou 1.214.766 doses de vacinas contra Covid-19 neste sábado. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 343.803 primeiras doses e 802.724 segundas. Também foram registradas 1.650 doses únicas e 66.589 doses de reforço.

Ao todo, 137.832.335 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil –72.705.622 delas já estão com esquema vacinal completo.

O Brasil chegou recentemente a pouco mais de um terço da população com esquema vacinal completo.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Preço de cestas básicas sobe em 13 das 17 capitais analisadas

Em 13 das 17 capitais analisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Socioeconômico (Dieese) tiveram aumento no custo médio da cesta básica apenas em agosto. Segundo o levantamento, as maiores altas foram em Campo Grande (3,48%), Belo Horizonte (2,45%) e Brasília (2,10%). As quedas nos preços foram registradas em Aracaju (-6,56%), Curitiba (-3,12%), Fortaleza (-1,88%) e João Pessoa (-0,28%).

A cesta mais cara é a de Porto Alegre que custa R$ 664,67 e teve alta de 1,18 % em agosto. A de Florianópolis é a segunda mais cara (R$ 659), com elevação de 0,7% no mês. A de São Paulo ficou em R$ 650,50, com variação de 1,56%.

A cesta básica mais barata é a de Aracaju, no valor de R$ 456,40, seguida pela de Salvador (R$ 485,44) e de João Pessoa (R$ 490,93).

Em Brasília, a cesta básica acumula alta de 34,13% em relação a agosto de 2020 e custa, hoje, R$ 594,59. Na comparação com agosto do ano passado, o conjunto básico de alimentos teve elevação nos preços em todas as capitais pesquisadas.

Nos primeiros oito meses de 2021, a cesta básica teve aumento de 11,12% em Curitiba, o maior no período, com valor atual de R$ 600,47.

Produtos

Entre os produtos que ajudaram a puxar a alta no custo, está o café em pó que subiu em todas as capitais. A elevação chegou a 24,78% em Vitória. O açúcar teve alta em 16 capitais, com aumentos que ficaram em 10,54% em Florianópolis e 9,03% em Curitiba.

O litro do leite integral subiu em 14 capitais pesquisadas, com alta de 5,7% em Aracaju e de 2,41% em João Pessoa.

 

Lewis Hamilton (Mercedes), que iniciou na 2ª posição, largou mal e terminou a etapa em 5°, atrás de Lando Norris (McLaren).

 

 Valteri Bottas (Mercedes) manteve a liderança e venceu a corrida sprint que define o grid de largada para o GP da Itália.

Apesar do feito, o finlandês, que teria o direito de largar em 1° neste domingo (12), “entregou” a pole position para o vice-colocado Max Verstappen (Red Bull), já que trocou várias peças de seu carro e vai iniciar a corrida em último.

Daniel Ricciardo, da McLaren, encerrou a corrida curta na 3ª posição e, com pena aplicada para Bottas, sairá somente atrás de Verstappen na prova, marcada para às 10h (horário de Brasília).

Lewis Hamilton (Mercedes), que iniciou na 2ª posição, largou mal e terminou a etapa em 5°, atrás de Lando Norris (McLaren).

A pontuação do sprint ignora situações futuras, portanto, a pontuação foi a seguinte: Bottas (3 pontos), Verstappen (2 pontos) e Ricciardo (1 ponto).

O destaque da largada foi o ruim início de Hamilton, que perdeu quatro posições nos primeiros segundos da etapa — ele foi ultrapassado por Max Verstappen, Daniel Ricciardo, Lando Norris e Pierre Gasly.

Gasly, aliás, acabou ficando com parte da asa de seu carro presa no pneu dianteiro após leve toque em Ricciardo. O fato fez com que ele perdesse o controle e batesse, gerando uma bandeira amarela que durou três voltas.

Na relargada, o destaque ficou para um duelo entre campeões: Fernando Alonso (Alpine) não tomou conhecimento de Sebastian Vettel (Aston Martin) e ultrapassou o alemão ainda no início da bandeira verde.

Desde então, não houve ultrapassagens, e os pilotos optaram pela prudência para garantir presença no grid de amanhã.

Veja como deve ficar o grid de largada neste domingo:
1. Max Verstappen
2. Daniel Ricciardo
3. Lando Norris
4. Lewis Hamilton
5. Charles Leclerc
6. Carlos Sainz
7. Antonio Giovinazzi
8. Sergio Pérez
9. Lance Stroll
10. Fernando Alonso
11. Sebastian Vettel
12. Esteban Ocon
13. Nicholas Latifi
14. George Russell
15. Yuki Tsunoda
16. Nikita Mazepin
17. Robert Kubica
18. Mick Schumacher
19. Pierre Gasly
20. Valteri Bottas

 

 

Militares questionam ganhos acima de R$ 200 mil mensais de general que comanda Petrobras

“O salário mensal do oficial atualmente equivale ao que é pago pela mão de obra de mais de 230 trabalhadores juntos”, afirma o texto.

O general Silva e Luna assumiu o cargo em abril de 2021, após uma intervenção direta de Bolsonaro no comando da estatal. (Foto: Marcos Correa/PR)

 

Em meio à alta nos preços do gás e da gasolina, a remuneração acima de R$ 200 mil mensais do presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, é alvo de críticas entre militares.

Publicação especializada em Forças Armadas, a Revista Sociedade Militar questiona em artigo desta sexta-feira (10) “a necessidade e se é realmente ético se pagar um salário tão alto a um funcionário de uma empresa que pertence à sociedade”.

“O salário mensal do oficial atualmente equivale ao que é pago pela mão de obra de mais de 230 trabalhadores juntos”, afirma o texto.

A revista online reproduz trecho da reportagem do jornal Folha de S.Paulo, segundo a qual militares que atuam no comando de estatais acumulam salários e ganham entre R$ 43 mil e R$ 260 mil por mês.

As remunerações mais expressivas são pagas ao presidente da Petrobras. O general Silva e Luna assumiu o cargo em abril de 2021, após uma intervenção direta de Bolsonaro no comando da estatal.

A revista destaca trecho da Folha de S.Paulo informando que, por estar na reserva, no topo da hierarquia militar, Silva e Luna recebe R$ 32,2 mil brutos. Já na Petrobras, conforme o formulário de referência divulgado pela estatal aos investidores, a remuneração média mensal chega a R$ 228,2 mil, levando em conta ganhos fixos e variáveis referentes ao ano de 2020.

Com mais de 54 mil curtidas no facebook e 19 mil seguidores no twitter, incluindo deputados federais – entre eles, o ex-ministro Osmar Terra (MDB-RS) e os generais Roberto Sebastião Peternelli Jr (PSL-SP) e Girão Monteiro (PSL-RN) – a revista diz que Silva e Luna “não é capaz de conduzir Petrobras a impedir altas nos preços do gás de cozinha e gasolina”.

“Entregues para oficiais generais, funções como a chefia da Petrobras, conferem a seus detentores salários de mais de 200 mil reais mensais. Infelizmente, sob o comando dos fardados a estatal não tem prosperado em sua função de servir à sociedade”.

O governo Bolsonaro tenta dividir com governadores a responsabilidade pelo preço da gasolina e do botijão de gás. Em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo e no site da estatal, na primeira semana de setembro, Silva e Luna afirma que a sucessão de esforços da Petrobras para entregar nas refinarias combustível de qualidade é compensada, no caso da gasolina, com apenas R$ 2, dos cerca de R$ 6 que o consumidor paga ao abastecer.

Outro argumento do presidente da estatal é que “a devida remuneração das atividades da Petrobras, originada, em grande parte, pela parcela a que tem direito no preço nas bombas, gera ganhos para toda a sociedade”.

A assessoria da Petrobras afirma que o artigo de Luna e Silva não é uma resposta a críticas no meio militar, mas uma tentativa de explicar ao consumidor a composição do preço dos combustíveis.

Antes de assumir a presidência da Petrobras, Luna ocupava a diretoria-geral de Itaipu. Sob seu comando, Itaipu mudou regras de indenização, o que acabou beneficiando diretores com pagamentos que beiravam R$ 150 mil.

Em 2019, Itaipu ampliou o bônus concedido aos funcionários, graças ao qual Luna recebeu R$ 221 mil.

O Adeus a Anchieta Santos de todos nós.

Anchieta Mascena.

Nos despedimos hoje da belíssima passagem terrena de Anchieta Santos.

Como alguém consegue ser de tanta gente?

Anchieta de Carnaíba, Anchieta de Afogados, da Rádio Cidade de Tabira, da Rádio jornal, de tantos outros veículos de comunicação e claro, da sua grande paixão, a “Rádio Pajeú.”

Como um comunicador tinha uma relação tão íntima com seus ouvintes? Dona Maria José Carvalho, Dona Terta, Janice, o Primo Preguinho, e muitos outros e outras. Parecia uma grande família, todos sentados à mesa tomando café. Um brinca, outro reza junto com o seu “Bom-dia,” outros o abençoam como se fosse um filho.

Realmente nosso amigo era de muita gente. Anchieta dos palanques: Quem nunca vibrou, chorou e se emocionou com ele? Quem do lado contrário não xingou, ficou com raiva, mas respeitava-o e queria que fosse seu?

Anchieta do Santa Cruz, da Cobra vai subir. Torcedores de outros times curtiam imensamente suas brincadeiras.
Anchieta amigo. Pense em um amigo fiel. Um exagero de lealdade.

Anchieta Família. Vivia intensamente a família e os filhos. Um pai de verdade. Estava ao lado e vibrava exageradamente com seus filhos cada minuto de sua vida.

É meu Xará, realmente foi uma grande aquisição da turma Lá de cima. Com certeza Nosso Senhor está te esperando. Cumpriste tua missão, foste exemplo e serás sempre carinhosamente lembrado.

Um coro de Anjos te aguardam e juntos devem estar dizendo: “Meu amigo, minha amiga,” chegou Anchieta Santos de todos nós!

Anchieta Mascena.

Nesta sexta-feira (10), a Caixa Econômica Federal abre as inscrições para o concurso público, que foi anunciado em julho deste ano. O certame oferta mil vagas para o cargo de Técnico Bancário Novo (nível médio) destinadas exclusivamente a pessoas com deficiência.

O salário inicial é de R$ 3 mil. No entanto, com os benefícios oferecidos, o valor pode chegar a até R$ 4.486,03 no total. Além da contratação imediata, o edital também prevê a formação de um cadastro reserva. As inscrições vão até o dia 27 de setembro deste ano e as provas serão realizadas em 31 de outubro.

No ato da inscrição, o candidato pode optar por trabalhar na rede de agências ou na área de Tecnologia da Informação (TI) da Caixa. Os interessados em se inscrever devem acessar o site da Fundação Cesgranrio, onde também fica disponível o edital.

Benefícios

Além do salário, os contratados terão direito a benefícios, como participação nos lucros, plano de saúde, plano de previdência complementar, auxílio refeição e alimentação, vale transporte e auxílio creche. Além disso, a Caixa oferece diversas ações de capacitação e oportunidades para ascensão e desenvolvimento profissional.

O regime de contratação do banco é celetista, ou seja, o contrato de trabalho dá ao FGTS como direito e outros direitos trabalhistas.

O que estudar para o concurso da Caixa?

Os candidatos podem se preparar para a prova tendo como base o edital de 2014. Com o edital para a seleção deste ano, o conteúdo pode sofrer alterações:

Conhecimentos Básicos

• Matemática
• Atualidades
• Ética

Conhecimentos Específicos

• Legislação Específica
• Atendimento
• Conhecimentos Bancários