Monthly Archives: abril 2021

Também recebem a primeira parcela nesta quinta trabalhadores nascidos entre janeiro e abril que tiveram o benefício aprovado no último sábado (10).

Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam em 16 de abril. (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta quinta-feira (15) a primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 a beneficiários nascidos em maio e que não fazem parte do Bolsa Família. Também recebem a primeira parcela nesta quinta trabalhadores nascidos entre janeiro e abril que tiveram o benefício aprovado no último sábado (10).

Segundo o Ministério da Cidadania, recebem nesta quinta 2,49 milhões de trabalhadores, num total de R$ 516,62 milhões.

Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam em 16 de abril.

Os pagamentos da primeira parcela do benefício, para todos os públicos, vão até 30 de abril.

A ajuda paga nesta quinta será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta quinta serão liberados no dia 14 de maio.

  • trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em maio, que receberam o benefício em dezembro
  • trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos entre janeiro e abril, que receberam o benefício em dezembro, e que tiveram o cadastro aprovado no último sábado (10)

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidada…

Segundo o Ministério da Cidadania, com mais essa remessa de transferências, o pagamento já chega a 11,88 milhões de famílias em um repasse total de R$ 2,46 bilhões.

Dólar é cotado a R$ 5,6704 nesta manhã de quinta-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,79 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1324.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta quinta-feira (15), está cotado no valor de R$ 5,6704. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,9227.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,79 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1324.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação

As inscrições seguem até o dia 10 de maio, pelo site http://habilitacaosocial.pb.gov.br.

Inscrições para Programa de Habilitação Social começam nesta quinta-feira (Foto: Reprodução)

Começam nesta quinta-feira (15), as inscrições para o Programa de Habilitação Social com 5 mil vagas na Paraíba. As inscrições seguem até o dia 10 de maio, pelo site http://habilitacaosocial.pb.gov.br.

O programa possibilita, gratuitamente, às pessoas de baixo poder aquisitivo, a obtenção de Autorização para Condução de Ciclomotores (ACC) e da Primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH), nas categorias A ou B, contemplando também a hipótese de adição de categoria A ou B, bem como mudança de categorias para C, D ou E e renovação de CNH.

Serão 2.500 vagas destinadas aos candidatos que querem obter a primeira CNH, sendo CNH, sendo 70% para a categoria A (motos), 10% ACC (Ciclomotores) e 20% para a categoria B (carros). 

Outras 2 mil vagas serão destinadas a candidatos na hipótese de adição na categoria A ou B e na hipótese de mudança para as categorias C, D ou E, sendo que 70% dessas vagas serão destinadas a candidatos que optarem pela categoria A (motos) e exercerem atividade remunerada utilizando esse tipo de veículo. 

As 500 vagas restantes serão para motoristas que precisam renovar a CNH.

Para participar é preciso ter mais de 18 anos, saber ler e escrever, ter CPF e comprovar que mora em qualquer cidade da Paraíba.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (SEDH) e o Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) definiram que membros de alguns grupos terão prioridade no processo para aquisição da CNH pelo Programa Habilitação Social:

  •     Beneficiários do Programa Bolsa Família;
  •     Desempregadas;
  •     Alunos que estejam cursando o último ano do ensino médio na rede pública ou que tenham concluído o ensino médio da rede pública há no máximo dois anos;
  •     Alunos concluintes ou que tenham concluído o Programa Educação de Jovens e Adultos (EJA) ou Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec)
  •     Egressos do Sistema Penitenciário, inclusive os que se encontram no regime semi-aberto;
  •     Adolescentes que tenham cumprido medida socioeducativa nos termos do Estatuto da Criança e do Adolescente e que tenham completado 18 anos de idade;
  •     Pessoas com deficiência;
  •     Produtores selecionados no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), com prioridade para os agricultores de comunidades tradicionais (quilombolas, indígenas, ciganos, assentados);
  •     Mulheres vítimas de violência doméstica;
  •   Inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cad-Único).

Prefeitura de Afogados lança programa “Facilita”

Programa reúne os serviços para os empreendedores em um só lugar.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira lançou na manhã desta quarta (14), o Programa Facilita, de desburocratização dos serviços direcionados ao empreendedorismo afogadense. “Havia uma queixa dos empreendedores de que precisavam se deslocar de um lugar para o outro para poderem regularizar a sua situação. Isso foi, inclusive, tema de um dos debates na campanha eleitoral. Para resolver essa situação apresentamos em nosso programa de governo o Programa Facilita, e hoje temos a honra de estarmos podendo colocá-lo em prática,” declarou o Secretário de Administração, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ney Quidute.

O lançamento oficial do programa foi realizado pelo Prefeito Alessandro Palmeira, o vice-prefeito, Daniel Valadares, o vereador Erickson Torres e empreendedores afogadenses que estão sendo beneficiados pela iniciativa. 

Na prática, a Secretaria de administração reuniu todos os serviços em um só lugar, para garantir desburocratização e agilidade na renovação ou solicitação do alvará de funcionamento. 

O Programa Facilita é a junção, em um só lugar, dos serviços ofertados por órgãos como o Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Setor Municipal de Tributação e Sala do Empreendedor. A ideia é que, estando tudo em ordem, o empreendedor já possa sair do local com o seu alvará nas mãos, sem precisar se deslocar para vários locais. 

A ação da Prefeitura conta com o apoio do CDL-Afogados e SEBRAE. Durante o lançamento, os primeiros empreendedores a serem beneficiados pela ação foram Luciano Alves, do Aplicativo Pede Aí, que atua no segmento de delivery, a microempreendedora 

Nadilma Batista, da Siqueira Créditos, e o microempreendedor José Alves, mais conhecido como “batatinha”, que atua no segmento de lanches na praça de alimentação de Afogados. 

O prefeito Alessandro Palmeira destacou que a ação concretizada é o atendimento a um pedido do CDL e dos empreendedores feito durante um debate durante o período eleitoral. 

“Hoje estamos fazendo essa entrega com alegria e muita satisfação. A desburocratização e a concentração de serviços em um só lugar traz agilidade no processo, facilitando a vida de quem empreende. É esse o papel do poder público, facilitar as coisas para quem gera emprego, renda e dividendos para a nossa cidade,” avaliou Alessandro Palmeira.

Caso o entendimento de Fachin seja mantido, Lula retomará seus direitos políticos e estará apto a disputar as eleições de 2022.

Agora, os ministros devem decidir se a anulação dos processos por Fachin prejudica o debate da parcialidade do ex-magistrado ou se a Segunda Turma poderia ter tomado aquela decisão. (Foto: Reprodução)

 O STF (Supremo Tribunal Federal) manteve nesta quarta-feira (14), por 9 votos a 2, o julgamento sobre a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no plenário da corte, composto pelos 11 integrantes do tribunal.

Nove ministros votaram para rejeitar o pedido da defesa do petista para que o tema fosse analisado pela Segunda Turma, que é integrada por cinco magistrados e tem perfil contrário à Lava Jato.

Com isso, o mérito da decisão do ministro Edson Fachin de invalidar os processos contra Lula que tiveram origem na 13ª Vara Federal de Curitiba deve ser discutido pelo plenário a partir desta quinta-feira (15).

Caso o entendimento de Fachin seja mantido, Lula retomará seus direitos políticos e estará apto a disputar as eleições de 2022.

Os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Kassio Nunes Marques, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Luiz Fux votaram para manter o tema no plenário. Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio divergiram.

Fachin foi o primeiro a defender que não cabe recurso contra sua decisão de levar o processo ao conjunto da corte.

“A afetação [remessa] de feitos ao plenário é atribuição discricionária do relator”, afirmou, mencionando precedentes e o regimento interno da corte.

Ricardo Lewandowski divergiu, mas ficou vencido. Ele questionou por que as turmas julgam inúmeros recursos contra decisões em habeas corpus e só esse caso foi afetado ao pleno.

“Por que justamente no caso do ex-presidente? Será que o processo tem nome e não capa. A última vez em que se fez, isso custou ao ex-presidente 580 dias de prisão, e causou a impossibilidade de se candidatar a presidente a República”.

O magistrado criticou, ainda, a remessa ao plenário do habeas corpus julgado em 2018 que levou Lula à prisão.

Lewandowski afirmou que aquele julgamento também deveria ter sido feito pela turma e que considera estranha a ida dos casos relativos ao petista ao conjunto da corte.
Para o ministro, se o STF tivesse naquela oportunidade impedido a detenção de Lula e firmado o entendimento de que não é permitida a prisão após decisão em segunda instância, o resultado das eleições de 2018 teriam sido diferentes.

Rosa Weber aproveitou o assunto para afirmar que foi “massacrada” por seu voto naquele julgamento. Na época, a ministra disse que era contrária à execução provisória de pena, mas alegou que a jurisprudência da corte era naquele sentido e que não poderia votar de maneira diferente em um processo com um réu específico.

Um ano e meio depois, na análise das ações constitucionais que tratavam do tema de maneira genérica, ela deu o sexto voto decisivo contra a prisão em segunda instância.
Marco Aurélio também defendeu que a responsabilidade sobre este julgamento deveria ser da Segunda Turma.

Presidente da corte, Luiz Fux respondeu aos colega e falou da importância do julgamento.

“Ministro Marco Aurélio, eu entendi a preocupação de vossa excelência ao assentar que a afetação reclame uma relevância da decisão. Esse vício [a matéria em análise] pode ter um efeito expansivo e atingir um grande trabalho feito pelo STF no combate à corrupção. E, talvez, por isso, o relator tenha esse cuidado”, disse.

O ministro Alexandre de Moraes reforçou os argumentos em favor da manutenção da análise do tema pelos 11 integrantes da corte.

“Não consigo entender a afirmação de que o julgamento pelo plenário do Supremo significa desrespeito ao juízo natural”, afirmou. “Não encontro na Constituição Federal a expressão turmas do STF. O plenário do Supremo delega às turmas as decisões”, completou.

Ao seguir Fachin em seu voto, para além do caso em julgamento, a ministra Carmén Lúcia destacou que “o plenário é o Supremo inteiro, mas não é revisor de turma. Compete ao relator estabelecer a qual órgão, turma ou plenário, destina o caso”, disse. Para a ministra, o caso Lula tem questões já debatidas e que não cabe novo julgamento no pleno.

Gilmar, apesar de ter criticado a decisão de Fachin de remeter o caso do plenário, votou pelo prosseguimento do julgamento em vez da remessa do caso de volta à Segunda Turma.

Ele classificou as idas e vindas dos julgamentos de Lula da Segunda Turma ao plenário e vice-versa como “macabra” e “trôpega”.

Nesta quinta, os ministros retomarão o julgamento do tema. Antes de analisar a anulação das condenações, a corte deve discutir o ponto da decisão de Fachin que determinou a perda de objeto do habeas corpus em que a defesa de Lula pedia a declaração de parcialidade do ex-juiz Sergio Moro na condução do processo do tríplex do Guarujá.

Na Segunda Turma, Fachin ficou vencido e, por 4 a 1, o colegiado decidiu julgar o tema da mesma maneira. Em relação ao mérito, por 3 a 2, a turma decidiu pela suspeição de Moro.

Agora, os ministros devem decidir se a anulação dos processos por Fachin prejudica o debate da parcialidade do ex-magistrado ou se a Segunda Turma poderia ter tomado aquela decisão.

A decisão do plenário é soberana, mas é raro o STF invalidar julgamento das turmas. Depois disso, os ministros entrarão no mérito da decisão de Fachin de declarar que a 13ª Vara Federal de Curitiba não deveria ser a responsável pelos processos de Lula e que os casos devem ser retomados da fase da análise da denúncia pela Justiça Federal do DF.

O magistrado defende que as ações contra o petista vão além dos esquemas de corrupção vinculados à Petrobras e que apenas as investigações diretamente relacionadas à estatal petrolífera deveriam ficar em Curitiva.

Por isso, remeteu o caso à Justiça do DF, onde os crimes teriam sido cometidos, segundo a acusação do Ministério Público Federal.

Independentemente da manutenção ou não da decisão de Fachin que anulou as condenações do ex-presidente, avaliam ministros do Supremo em conversas reservadas, a participação do ex-presidente nas eleições de 2022 dificilmente será evitada.

A análise tem como base o julgamento da Segunda Turma da corte que declarou a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e anulou a ação em que o ex-presidente foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Na visão de integrantes do tribunal, o debate do processo sobre o apartamento no litoral paulista indicou que a tendência é o Supremo dar a mesma solução à ação penal relativa ao sítio de Atibaia (SP), o outro processo em que o petista foi condenado e leva à sua inelegibilidade.

A aposta que está sendo feita internamente foi reforçada pelo voto de Cármen Lúcia. Chamou a atenção de colegas não apenas a mudança de posição sobre o tema -em 2018, ela havia votado a favor do ex-juiz da Lava Jato-, mas também o conteúdo do seu discurso.

Nele, a magistrada abordou bastante a questão do tratamento que Moro deu a Lula e falou menos da situação específica do processo do tríplex.

Cármen fez questão de afirmar que seu voto não discutia a condução de Moro em todas as investigações da Lava Jato, mas na atuação dele em relação a Lula.

Ela disse que tratou apenas de “um paciente julgado e que demonstra que, em relação a ele, houve comportamentos inadequados e que suscitam portanto a parcialidade”.

TCU absolve Dilma pela compra da refinaria de Pasadena

O Plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) absolveu, nesta quarta-feira (14), a ex-presidente Dilma Rouseff (PT) e condenou o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli pelos prejuízos na compra da refinaria americana de Pasadena. No processo, também foram condenados os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, delatores da “lava jato”.

As informações são do jornal O Globo.

Em 2006, Dilma integrava o conselho de administração da Petrobras e votou pela compra da refinaria. Ela alegava que não teve acesso a todas as informações necessárias para a aquisição. O negócio foi alvo de uma série de investigações da força-tarefa de Curitiba, mas nenhuma acusação foi feita contra a ex-presidente.

De acordo com a publicação, o ministro Vital do Rêgo, relator do caso, indicou que os membros do conselho não agiram com dolo nem má-fé, e por isso suas contas deveriam ser julgadas regulares com ressalvas.

“Não há razoabilidade e proporcionalidade em igualar responsabilidades daqueles que agiram com deslealdades com os outros envolvidos, cuja má-fé não ficou demonstrada nesses autos tampouco em outras instâncias nas quais se apura o caso Pasadena”, apontou o relator.

Já Gabrielli, Costa, Cerveró e o gerente Luís Carlos Moreira da Silva foram condenados ao pagamento de multa de R$ 110 milhões .

Triunfo em estado de atenção por conta das fortes chuvas

Depois de Santa Cruz da Baixa Verde semana passada,  essa noite foi a vez de Triunfo registrar fortes chuvas.

Imagens que chegaram ao blog mostraram um grande volume de água nas ruas da cidade turística.

As imagens que mais impressionaram mostraram a água passando por cima do paredão do Lago João Barbosa,  que fica no centro da cidade.  Ruas viraram rios. O município ficou em estado de alerta.  Não há informações sobre possíveis desabrigados.

As chuvas devem continuar caindo com força em áreas do Sertão do Pajeú, Moxotó e Central.

A exceção de momento é o Médio Pajeú onde chove com menor intensidade que no Baixo, onde ficam Serra Talhada, Triunfo,  Calumbi e Santa Cruz da Baixa Verde.

A Apac (Agência Pernambucana de Águas e Climas) indicou pancadas de chuvas com intensidade de moderada a forte, principalmente nas regiões do Agreste, Mata Sul e Sertão do Pajeú, podendo se estender também para as regiões Mata Norte, Região Metropolitana do Recife e Sertão do Moxotó.

O período em que as chuvas deverão ocorrer com maior volume foi descrito entre a noite desta quarta (14) e ao longo do dia desta quinta-feira (15).

Segundo a Apac, o sistema meteorológico que está atuando é a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), comum de acontecer durante essa época do ano.

A população deve seguir as orientações da Defesa Civil do seu município.

A média móvel de mortes, que permanece elevada (3.012 óbitos por dia), completa cinco dias acima de 3.000 e 25 dias acima de 2.000.

A média móvel é um instrumento estatístico que busca suavizar variações nos dados. Ela é obtida pela soma das mortes dos últimos sete dias e sua posterior divisão por sete. (Foto: Reprodução)

 O Brasil, por mais um dia, teve mais de 3.000 mortes pela Covid-19 em 24 horas. Foram 3.462 óbitos registrados nesta quarta-feira (14). Apesar de elevado, o dado é somente o décimo maior entre os dias mais letais da pandemia.

A média móvel de mortes, que permanece elevada (3.012 óbitos por dia), completa cinco dias acima de 3.000 e 25 dias acima de 2.000. A média móvel é um instrumento estatístico que busca suavizar variações nos dados. Ela é obtida pela soma das mortes dos últimos sete dias e sua posterior divisão por sete.

Os dados do Ceará não foram divulgados por causa de problemas no GAL (Gerenciador de Ambiente Laboratorial), segundo a secretaria de saúde do estado.
O recorde de mortes ocorreu na última terça (6), com 4.211 óbitos em 24 h.

Foram registrados 75.998 casos de Covid, nesta quarta. Com isso, o país chegou a 362.180 óbitos por Covid e a 13.677.564 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Ao menos 22 países impõem barreiras de entrada ao Brasil para conter Covid

Os dados atualizados até esta quarta-feira (14) referem-se apenas a países que adotaram medidas específicas contra o Brasil.

Pessoas que estiveram no Brasil em um período de 14 dias antes de viajar não podem entrar na Arábia Saudita, Irã, Itália, Japão, Omã, San Marino e Vaticano. (Foto: Reprodução)

 Com o anúncio das restrições aos viajantes do Brasil feito pela França nesta terça-feira (13), o país soma barreiras de entrada impostas como forma de tentar conter o avanço da pandemia de Covid-19 — particularmente, a variante brasileira do vírus — em ao menos 22 nações, de acordo com levantamento feito a partir dos dados da Iata (associação internacional de transporte aéreo).

Os dados atualizados até esta quarta-feira (14) referem-se apenas a países que adotaram medidas específicas contra o Brasil. Assim, ficam de fora do levantamento países como a China, por exemplo, que fechou suas fronteiras de maneira mais generalizada.

Pessoas que estiveram no Brasil em um período de 14 dias antes de viajar não podem entrar na Arábia Saudita, Irã, Itália, Japão, Omã, San Marino e Vaticano. No Reino Unido, o prazo estabelecido como margem de segurança é de dez dias, mas os viajantes precisam se comprometer a ficar em quarentena em solo britânico por 11 noites.

Na Alemanha, quem esteve no Brasil só pode entrar se comprovar fazer parte de algumas das poucas exceções às regras, sendo familiar de um cidadão alemão, por exemplo. Mesmo a vizinha Argentina fechou as portas até pelo menos o final deste mês a quem sair do Brasil.

Na Áustria, segundo a Iata, os voos do Brasil e da África do Sul estão suspensos até, pelo menos, o próximo domingo (18), quando também expiram as restrições em Bangladesh e no Peru. Na segunda-feira (19), também deve cair a barreira imposta pela França e, no dia seguinte, a do Paquistão.

O principal temor desses países é o maior potencial de contágio e letalidade das variantes brasileiras do coronavírus. São elas a P.1, originária de Manaus e já dominante em pelo menos seis estados brasileiros fora do Amazonas, e a P.2, de grande circulação no Brasil e primeiro identificada no Rio de Janeiro.

Além das cepas brasileiras, também foram identificadas variantes do coronavírus no Reino Unido, na África do Sul e nos EUA. Em geral, de acordo com o conhecimento científico acumulado até agora, essas novas versões do coronavírus tendem a ser mais transmissíveis e surgem como consequência do descontrole da pandemia e da alta circulação de pessoas – caso do Brasil.

Quanto mais o vírus circula, maiores as chances de mutações surgirem -algumas delas facilitam a entrada do vírus nas células ou então impedem a ação de anticorpos neutralizantes.

Assim, embora a maior parte dos países que impuseram restrições ao Brasil tenham taxas de transmissões maiores que a brasileira, as medidas se justificam pelo temor de que as variantes agravem a crise sanitária, sobrecarregando sistemas de saúde e elevando o número de mortes.

A taxa de transmissão, também chamada de “R”, indica para quantas pessoas, em média, cada infectado transmite o vírus; quando está acima de 1, significa que a velocidade de contágio é crescente.

Entre os 22 países analisados, o Irã é o que apresenta o maior índice (1,43), segundo os dados compilados pelo portal Our World in Data. Isso significa que cada 100 infectados por coronavírus no Irã contaminam outros 143, que, por sua vez, infectam mais 204, que contagiam 292 e assim sucessivamente, espalhando a doença de forma cada vez mais rápida.

A taxa do Brasil é 1,01 — o quinto menor da lista —, o que significa, segundo o índice, que a transmissão é mais lenta, mas ainda progressiva. Com R abaixo de 1, nos países da lista, estão apenas San Marino (0,96), Reino Unido (0,93), Áustria (0,91) e Itália (0,81).

PAÍSES QUE IMPÕEM BARREIRAS AO BRASIL

  • Alemanha
  • Arábia Saudita
  • Argentina
  • Áustria
  • Bangladesh
  • Cidade do Vaticano
  • Colômbia
  • Espanha
  • EUA
  • França
  • Holanda
  • Irã
  • Itália
  • Japão
  • Marrocos
  • Omã
  • Paquistão
  • Peru
  • Reino Unido
  • San Marino
  • São Martinho
  • Turquia

 

 

 

 

 

Vereadores dizem não a projeto que institui academias e setores de educação física como atividades essenciais

Na manhã desta terça-feira (13) aconteceu mais uma Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira.

Na pauta, o Projeto de Lei n.º 007/2021 que reconhece academias de musculação, ginástica, hidro-ginástica, dança, artes marciais e congêneres de pequeno e médio porte, como essenciais para a população afogadense.

Votaram contrário ao projeto os vereadores Douglas Eletricista, Vicentinho, Rubinho do São João, Gal Mariano, Renaldo Lima, Raimundo do Foto, César Tenório, Sargento Argemiro, Cícero Miguel e Ericson Torres.

 

Pistoleiro Marquinhos de Serra Talhada mais 14 indivíduos são presos pela Polícia Civil do Pará

Quinze pessoas foram presas, nos Estados do Pará e Pernambuco, durante a “Operação Farinha” desencadeada pela Polícia Civil do Pará, na manhã desta última terça-feira (13), para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar contra investigados pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, milícia privada, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A operação exigiu um trabalho investigativo de nove meses.

A investigação iniciou ainda no ano de 2020, tendo como objetivo investigar um grupo criminoso que atuava no envio de entorpecentes do Estado do Pará para o Estado de Pernambuco. 

Durante as investigações, foi identificado que o pistoleiro Marcos Antônio Alves de Sousa, vulgo Marquinhos, natural de Serra Talhada-PE, que atuava com o suspeito Admilson Fermino Gabriel, Vulgo Nego da Bandoleira, em um esquema voltado para o tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem do dinheiro. 

O esquema de distribuição do material entorpecente se desenvolvia sob a liderança de Nego da Bandoleira, o qual adquiria a droga do tipo “óxi” e “Cocaína” de uma origem desconhecida e, após estar de posse do material, ele o guardava em um retiro (galpão usado para fabricação de farinha) em uma fazenda de sua propriedade, em Santa Maria do Pará.  Destaca-se aqui que Admilson fixa residência em Castanhal-PA de onde mantém todo o domínio das ações do grupo criminoso. 

Em seguida o entorpecente era entregue para “MARQUINHOS”, o qual por sua vez enviava a para o Estado de Pernambuco. Lá a droga era entregue, dependendo da quantidade, através de carro de passeio ou em um ônibus de turismo fretado exclusivamente para esse fim, demonstrando a sofisticação do grupo criminoso.

Quando a entrega da droga ou recolhimento de dinheiro era realizado se utilizando o mesmo veículo modelo Logan, o responsável era o nacional identificado como José Erisvaldo, vulgo “CHAPULETA” ou “NEGÃO”. Sendo que o material era entregue na cidade de Serra Talhada, Estado de Pernambuco, sendo o dinheiro também recolhido no mesmo local.

Admilson exigia que o entorpecente fosse pago em espécie, quantia que era transportada para o estado do Pará em malas e entregue para a investigada Juliana Gabriel Recoliana, que se encarregava de dar destinação e efetuar a lavagem do capital ilícito por meio de uma empresa de fachada com objeto fictício de uma Fábrica de Farinha.

Durantes a investigações se observou que durante o primeiro semestre de 2020, em poucos carregamentos que foram enviados o grupo lucrou cerca de R$ 5.500.000,00 (cinco milhões e quinhentos mil reais). No entanto, ao se solicitar informações ao COAF acerca das movimentações bancários suspeitos, foi constato que o grupo movimentou cerca de dezesseis milhões de reais nas contas bancárias da citada empresa e de familiares de Admilson. O que demonstra a prática contumaz da organização criminosa em atuar com o especial fim de agir em obter vantagem financeira oriunda do tráfico de drogas.

Ainda durante a investigação foi possível prender em flagrante no dia 24/02/2021 o nacional JOSÉ ERISVALDO DA SILVA, com o qual foi apreendida meia tonelada (500 kg) de cocaína, que estava sendo transportada em um fundo falso na carroceria de um caminhão boiadeiro.

Contudo durante o start da operação que ainda está em andamento temos como resultado até o presente momento:

PRISÕES PREVENTIVAS: 15 presos sendo 04 em Pernambuco.

JOSE AUGUSTO DA SILVA COSTA 

MAURÍCIO ARAÚJO DE SOUZA 

JULIANA GABRIELA RECOLIANO 

SILMARA ADRIELE DUARTE 

PAMELA PALOMA MACHADO BORGES 

REGINALDO DOS SANTOS CLEMENTE 

PRISCILA MACHADO BORGES 

MARCOS ANTONIO ALVES DE SOUSA

NUZIA DE CÁSSIA SILVA DE BRITO

RONAN LOPES BEZERRA

JOSÉ ERISVALDO DA SILVA

SUELY LUZIA DOS SANTOS

MARINALVA FRANCISCA DOS SANTOS

ENÉZIO GERÔNIMO DA SILVA

SABRINA LUSIA SANTOS PEREIRA

*VEÍCULOS APREENDIDOS: 10

TOYOTA HILLUX SW4 

HONDA HRV 

TOYOTA BANDEIRANTE

TOYOTA HILLUX SW4

CHEVROLET ÔNIX 

VOLKSWAGEN JETTA

CARRETA DE SOM 

HONDA CIVIC

AUDI A5

JEEP RENEGATE

Aproximadamente 12 mil comprimidos de Rebite (Anfetamina)

PRISÕES EM FLAGRANTE: 

SUELY LUSIA DOS SANTOS foi apreendido 29.848 Kg de substância entorpecente, com características de droga conhecida como “crack”, além 403 g de substância entorpecente, com característica de droga conhecida como “cocaína”;

VALORES BLOQUEADOS NAS CONTAS DOS SUSPEITOS: 

R$ 21.266.750,00 (Vinte e um milhões, duzentos e sessenta e seis mil, setecentos e cinquenta reais);

Ele foi o primeiro deputado federal em exercício a morrer vítima da doença, segundo a Câmara dos Deputados.

O deputado federal José Carlos Schiavinato (PP-PR), 66, morreu na noite desta terça-feira (13) por complicações da Covid-19. (Foto: Reprodução)

 O deputado federal José Carlos Schiavinato (PP-PR), 66, morreu na noite desta terça-feira (13) por complicações da Covid-19. Ele foi o primeiro deputado federal em exercício a morrer vítima da doença, segundo a Câmara dos Deputados.

Schiavinato estava internado em um hospital de Brasília desde o dia 3 de março e, uma semana depois, foi transferido para a UTI, onde passou a receber ventilação mecânica. Ele terá o corpo transladado para Toledo (PR), onde foi prefeito por dois mandatos (2005-2012).

A mulher dele, Marlene Schiavinato, morreu no dia 12 de março, também vítima da Covid-19. Ela tinha câncer e fazia tratamento havia três anos quando foi contaminada pelo coronavírus. Segundo a assessoria do parlamentar, ele não chegou a ser informado sobre a morte da mulher.

Nascido em Iguaraçu (PR), Schiavinato era engenheiro civil formado pela Universidade Estadual de Maringá. Além de prefeito de Toledo, foi deputado estadual no Paraná (2015-2018).

Estava no primeiro mandato na Câmara dos Deputados. Era membro da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e participou da CPI do BNDES, entre março e outubro de 2019. Aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), era considerado um defensor do municipalismo.

Três senadores já morreram em decorrência da Covid-19 ou de complicações da doença: Major Olímpio (PSL-SP), José Maranhão (MDB-PB) e Arolde de Oliveira (PSD-RJ).

A morte de Major Olímpio aos 58 anos causou comoção entre os senadores. Ele era um crítico das políticas do governo federal no enfrentamento à pandemia e um dos principais defensores da instalação da CPI da Covid, que acaba de ser instalada. O parlamentar anunciou em 2 de março que havia contraído a Covid-19. No dia seguinte, foi internado no Hospital São Camilo, em São Paulo, de onde chegou a participar de uma sessão virtual do Senado. Ele morreu no dia 19 de março.

Segundo amigos do senador, ele não tinha nenhuma doença pré-existente, como diabetes ou outras comorbidades. Só reclamava, de vez em quando, de dores das costas (em especial após pequenas corridas que costumava praticar) e do estresse das disputas políticas.

O senador José Maranhão (MDB-PB) morreu no dia 8 de fevereiro. O parlamentar tinha 87 anos e era o mais velho do Congresso Nacional.

Maranhão havia sido infectado no fim de novembro, em João Pessoa (PB), durante o segundo turno das eleições municipais. Uma semana depois, foi transferido para São Paulo para se tratar, onde permaneceu desde então.

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), 83, morreu em outubro do ano passado. Ele estava internado havia mais de um mês e foi o primeiro congressista a morrer vítima da Covid-19.

Para valer, o texto ainda precisa passar por sanção presidencial

imposto_de_renda_2021

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (13) a prorrogação, até 31 de julho de 2021, do prazo para entrega da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física, ano-base 2020. A proposta segue para sanção presidencial.

Pelo texto aprovado, caso tenha saldo do imposto a pagar no fim da declaração, o valor devido pelo contribuinte poderá ser parcelado em até seis meses. No entanto, o último mês de vencimento de parcelas de imposto a pagar eventualmente apurado está limitado a dezembro deste ano.

Restituição

O projeto não altera o cronograma de restituição do IR. O contribuinte continuará a receber o reembolso em cinco lotes mensais, de 31 de maio a 30 de setembro.

Segundo a Receita Federal, quanto antes enviar a declaração, mais cedo o contribuinte receberá a restituição. No primeiro lote, no fim de maio, terão prioridade os brasileiros com mais de 60 anos de idade, sobretudo os que têm mais de 80 anos, as pessoas com deficiência física ou doença grave e os contribuintes que têm o magistério como fonte principal de renda.

Os demais lotes serão pagos em 30 de junho, 30 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro. Receberá primeiro quem tiver enviado a declaração antes.

Prorrogação

Ontem, a Receita comunicou o adiamento por um mês da entrega do IR. A decisão prorroga o prazo até 31 de maio. No ano passado, o prazo também foi prorrogado por decisão administrativa.

De acordo com a Receita, a prorrogação foi estabelecida como forma de suavizar as dificuldades impostas pela pandemia de covid-19, assim como aconteceu em 2019. No ano passado, o prazo foi estendido em dois meses, até 30 de junho.

Agência Brasil

“A gente vê que o governo e seus aliados têm outra intenção ao incluir governadores e prefeitos. O interesse é diversionista: desfocar o trabalho”, disse ao Estadão o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Ainda segundo o governador gaúcho, a intenção do governo federal é “terceirizar responsabilidades.”

O tucano segue a mesma linha do governador do Piauí, Wellington Dias (PT). “A CPI não pode ser porque alguém quer. Não pode ser uma decisão simplesmente política”.

Quero conteúdo exclusivo!Tenha acesso aos nossos colunistas,
grandes reportagens, podcasts, séries e muito mais.ASSINE AGORA

Para o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), um dos principais antagonistas do presidente Jair Bolsonaro nas medidas de combate à pandemia do novo coronavírus, a função de investigar os governos locais é das Assembleias Legislativas e das Câmaras municipais. “Em São Paulo não temos medo CPI, mas a CPI do Senado deve ser preservada e não tergiversar”, afirmou o governador paulista.

Os governadores falaram ao Estadão antes da leitura do requerimento de instalação da CPI pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), ato que marca a abertura da comissão. Pacheco ampliou o escopo inicial da comissão, que era de investigar apenas as ações do governo federal, e incluiu a possibilidade de apuração dos repasses feitos aos Estados e municípios. A decisão opôs governadores e prefeitos tucanos ao senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que atuou nos bastidores alinhado ao Palácio do Planalto.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) afirmou, após a decisão de Pacheco, que a CPI ficou “no limite da legalidade”. “Nossa preocupação é eles tentarem abarcar todos sem chegar a nenhum resultado.”

Mega-Sena pode pagar R$ 33 milhões nesta quarta-feira

O sorteio ocorre às 20h desta quarta-feira (14) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

O concurso 2.362 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 33 milhões para quem acertar as seis dezenas. (Foto: Reprodução)

O concurso 2.362 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 33 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta quarta-feira (14) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Barroso concedeu liminar após o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentar um mandado de segurança na Suprema Corte para que a comissão fosse instalada no Senado.

STF julga nesta quarta-feira liminar que determinou abertura da CPI da Pandemia no Senado (Foto: Agência Brasil)

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga em plenário, nesta quarta-feira, a decisão monocrática do ministro Luís Roberto Barroso que determinou a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que deve apurar ações e possíveis omissões do governo federal na condução da pandemia da Covid-19. Barroso concedeu liminar após o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentar um mandado de segurança na Suprema Corte para que a comissão fosse instalada no Senado Federal.

Entregue em fevereiro, o pedido de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) já havia preenchido todos os requisitos, mas o presidente do Senado, eleito para o cargo com apoio do presidente Jair Bolsonaro, vinha resistindo a instalá-la. Na liminar, Barroso destacou que não se pode negar o direito à instalação da comissão em caso de cumpridas as exigências sob pena de se ferir o direito da minoria parlamentar e justificou a decisão monocrática em razão do agravamento da crise sanitária no país.

A expectativa é de que o julgamento desta quarta referende a decisão de Barroso com ampla maioria, mas não deve se estender sobre os detalhes de como a comissão será composta, nem como ela deverá funcionar. A avaliação geral entre os ministros do STF indica que a determinação de Barroso que obriga a instalação da CPI da Pandemia no Senado não representa uma interferência do Judiciário no Legislativo. Apesar disso, dizer como ela deve funcionar seria uma ingerência.

Uma das principais polêmicas em torno da instalação da CPI é a possibilidade de obrigar os senadores a participarem de reuniões presenciais em ambientes fechados. O ponto é alvo de resistência entre parlamentares, que podem usar a brecha deixada pelo STF para adiar o funcionamento do colegiado apenas quando os trabalhos presenciais forem retomados com regularidade na Casa, o que poderia reduzir os efeitos da comissão de forma drástica.

Aliados do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmam que ele mantém o entendimento de que a CPI só deve funcionar em formato presencial, especialmente porque o colegiado demanda depoimentos e diligências. Atualmente, a Casa está em sistema remoto e não tem previsão de retomar as atividades normalmente.

Abertura da CPI no Senado

Após duas horas de divergências entre senadores da base governista e da oposição, sobre a necessidade ou não de trabalhos presenciais para a abertura da CPI, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) decidiu pela realização de uma CPI da Pandemia com foco ampliado, incluindo também a apuração sobre repasses federais feitos a estados e municípios.

O presidente da Casa fez a leitura tanto do requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que mira apenas a União, quanto do apresentado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que amplia o escopo e também contempla estados e municípios. Pacheco determinou o apensamento das duas propostas em uma CPI por tratarem de matérias conexas, mas registrou que não podem ser apuradas matérias que forem de competência constitucional dos estados e do Distrito Federal.

Com isso, é considerado que a Comissão Parlamentar de Inquérito está formalmente criada. O próximo passo no Congresso é a indicação dos integrantes da CPI da Pandemia pelos líderes partidários. No total, vão compor a comissão 11 senadores titulares e 7 suplentes, com prazo de 90 dias de trabalho para a conclusão das investigações.

 

Com isso, o total de mortes no país chegou a 358.718 e o de casos a 13.601.566 desde o início da pandemia.

O consórcio também atualizou as informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19. (Foto: Reprodução)

 O Brasil registrou nesta terça-feira (13) 3.687 novas mortes por Covid-19. Em relação à média móvel de mortes nos últimos sete dias, esse número é de 3.051.

Apesar de não ser um novo recorde, o número de hoje está entre os dez maiores valores de média móvel de óbitos registrados. Só neste mês, é a sexta vez que esse número passa de 3.000.

Ainda, o número de casos nas últimas 24 horas foi de 80.157.

Com isso, o total de mortes no país chegou a 358.718 e o de casos a 13.601.566 desde o início da pandemia.

Na última segunda-feira (12), o país registrou a maior média de mortes diárias por Covid-19 desde o começo da pandemia, segundo dados levantados junto às secretarias estaduais de saúde.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Com esses números, o Brasil é hoje o país onde mais se morre pela pandemia. Logo atrás estão Estados Unidos, com população 56% maior que a brasileira, mas média de 970 mortos diariamente. Na sequência vem a Índia, com quase seis vezes mais habitantes que o Brasil, e média de 664 mortos por dia. Os dados são do Our World in Data, plataforma ligada à Universidade de Oxford.

Além do número de mortes elevado, o Brasil vive uma situação da Covid-19 diferente desde o mês de março, o mais mortífero da pandemia até agora: pela primeira vez os jovens com menos de 40 anos são maioria entre os internados nas UTIs no país.

De acordo com dados da plataforma UTIs Brasileiras, da Amib (Associação de Medicina Intensiva Brasileira), 52,2% das internações de UTIs em março se deram para pessoas até 40 anos, e o total de pacientes que necessitaram de ventilação mecânica atingiu 58,1%.

Apesar disso, o isolamento social em algumas regiões, como o estado de São Paulo, o mais populoso, segue em declínio.

O consórcio também atualizou as informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19.

Já foram aplicadas no total 32.150.849 doses de vacina (24.433.064 da primeira dose e 7.717.785 da segunda dose), de acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde.

Na última segunda-feira (12), a diretoria-geral da OMS avaliou a situação da pandemia como crescente em todo o mundo e disse que somente vacinas não vão resolver o problema, mas sim uma combinação de medidas sanitárias para conter a circulação do vírus, como uso de máscaras e distanciamento social, e a distribuição igualitária das vacinas.

“As vacinas estão chegando, mas elas não estão ainda aqui [em quantidades suficientes]. Nós precisamos enfatizar a importância das medidas sanitárias, os governos precisam dar apoio consistente às populações para elas cumprirem as medidas. Não é vacina apenas, é vacina com medidas restritivas”, afirmou Maria van Kerkhove, líder técnica para Covid-19 da entidade.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

CPI do Senado investigará União e repasses a estados e municípios

Comissão vai unir pedidos apresentados pelos senadores Randolfe Rodrigues e Eduardo Girão.

O parlamentar afirmou que as propostas de CPI tratam de “assuntos conexos” e que há precedente para a unificação de objetos determinados de dois pedidos distintos. (Foto: Reprodução)

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidiu unir o requerimento das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) apresentados pelos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Desta forma, a comissão vai investigar, além do governo federal, estados e municípios que receberam verbas da União para combater a pandemia de Covid-19. 

A decisão havia sido adiantada pelo colunista da CNN Caio Junqueira.

O parlamentar afirmou que as propostas de CPI tratam de “assuntos conexos” e que há precedente para a unificação de objetos determinados de dois pedidos distintos.

Segundo Pacheco, o ponto de partido da CPI é o pedido de Randolfe, que trata das “ações e omissões” do governo federal, “acrescido” do pedido de Girão, que trata dos estados e dos municípios.

Pacheco ponderou, no entanto, que no diz respeito a governadores e prefeitos a investigação deve se limitar ao repasse de verbas de origens federais. O presidente do Senado fez questão de dizer que a CPI será instalada apenas por decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do STF.

  • LEIA MAIS: Pacheco oficializa criação de CPI da Covid no Senado após decisão de ministro do Supremo

Nesta quarta-feira (14), o plenário da Corte vai analisar a questão e pode negar ou aceitar a decisão proferida por Barroso de forma monocrática.

Embora Pacheco tenha lido o requerimento, isso não significa que a CPI foi criada. A partir da leitura, pelo regimento interno do Senado, cada partido tem até dez dias úteis para indicar seus representantes na CPI.  A sigla não precisa, necessariamente, indicar um nome de imediato.

No entanto, caso a maioria seja formada – seis senadores – a CPI pode ser iniciada mesmo com cadeiras vagas. Até a meia-noite, senadores que desistirem de apoiar a comissão podem retirar suas respectivas assinaturas e atrasar o início da CPI.

 Mesmo com cobrança de taxa, transferência pelo Pix compensa mais que tarifas bancárias, diz técnica do Dieese

Em entrevista ao ClickPB, nesta terça-feira (12), a economista, técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Vivian Machado, explicou que mesmo com as taxas, ainda sim, compensa permanecer com o sistema.

As cobranças são direcionadas ao público de pessoas jurídicas. (Foto: reprodução)

Em operação desde novembro, o Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central começou a funcionar sem cobrar taxas, mas após um período gratuito os bancos: Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander passaram a cobrar pelas transações. 

Em entrevista ao ClickPB, nesta terça-feira (12), a economista, técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Vivian Machado, explicou que mesmo com as taxas, ainda sim, compensa permanecer com o sistema. As cobranças são direcionadas ao público de pessoas jurídicas. Apenas a Caixa Econômica e outras fintechs continuam isentando a tarifa.

“A isenção continua valendo para PF e MEI. Tem normativo do Banco Central impondo isso. Mas, desde o início, os bancos poderiam cobrar de PJ, mas, não fizeram por um tempo, provavelmente, para atrair cliente para a modalidade”, analisou.

Leia mais:

Mulher é vítima do ‘golpe do Pix’ em João Pessoa e perde todo o dinheiro que juntou na poupança

Polícia em João Pessoa investiga golpe de bandidos que roubam dados bancários ao enganar vítimas com falsa atualização do PIX

Os valores cobrados por cada movimentação depende do banco. “Mesmo com a taxa, o valor ainda continua menor do que aqueles cobrados pelas máquinas de cartão de crédito e débito. Mesmo para transferência, o valor do Pix é menor que as tarifas de DOC e TED dos bancos”, destacou. 

Confira a seguir, a taxa cobrada pelas instituições financeiras:

Santander: 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10;   

Bradesco: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9; 

Itaú: 1,45% do valor pago com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60;

Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 10.

Valor por recebimento:           
Santander: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,95;

Bradesco: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,90 e máxima de R$ 145;

Itaú: 1,45% do valor pago com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150;

Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa máxima de R$ 140.

 

Afogados da Ingazeira reaproveita água e deixa a cidade mais bonita para os visitantes

Sistema de reúso da água mantido pelo município é tema da live Caso de Sucesso, dentro do Bora Pernambucar. Nesta terça, às 16h

Nesta terça-feira, dia 13, às 16h, a Secretaria de Turismo e Lazer destaca na série de encontros online Caso de Sucesso uma iniciativa ambiental muito bem-sucedida no Sertão do Pajeú. Sob o tema “O Segredo dos Jardins de Afogados da Ingazeira”, a live do programa Bora Pernambucar mostrará como o reúso da água pode ser uma medida positiva para o meio ambiente e para a economia, especialmente em se tratando do Sertão.

O uso consciente da água pelo município de Afogados da Ingazeira tem servido de modelo no Estado devido à eficiência em atender às demandas hídricas da cidade. Através do sistema de reaproveitamento de água do esgoto, são tratados mais de 100 mil litros de água por dia. A experiência será relatada pelo responsável técnico Elias Silva.

A iniciativa sustentável permite realizar o serviço de fertirrigação do estádio Valdemar Viana de Araújo, o Vianão, casa do Afogados da Ingazeira Futebol Clube. Além de qualificar o gramado do equipamento futebolístico, o reúso da água garante que seja efetuada a adubação regular das praças e jardins da cidade, garantindo que as ruas de Afogados fiquem cada vez mais bonitas para a população e para receber os visitantes.

“O modelo de reaproveitamento da água em Afogados serve de orgulho não só para o Sertão do Pajeú, mas para todos os pernambucanos. Apresentar este projeto de sucesso, na próxima terça-feira, é uma ação que visa impactar gestores e representantes do trade turístico para que esta boa prática seja replicada”, afirma o secretário de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes.

Interessados em acompanhar a apresentação sobre este caso de sucesso em Pernambuco, devem fazer a inscrição pelo link de acesso https://forms.gle/Pi6gJZAUmkiG5FCw8.

 

 

Covid-19: Afogados contabiliza 21 novos casos e 10 curas

 

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta terça (13) foram registrados 21 casos novos para a COVID – 19.

São 11 pacientes do sexo feminino, com idades de 02, 10, 18, 18, 20, 24, 31, 41, 48, 58 e 61 anos; e 10 pacientes do sexo masculino, com idades de 14, 21, 24, 27, 29, 35, 38, 46, 48 e 48 anos. Entre as mulheres: 03 agricultoras, 02 cabeleireiras, 01 empresária, 01 comerciante, 01 menor, 01 auxiliar de serviços gerais, 01 estudante (rede privada) e 01 dona de casa. Já entre os homens: 04 agricultores, 01 padeiro, 01 carroceiro, 01 desempregado, 01 repositor, 01 estudante (rede pública) e 01 agente de limpeza urbana.

Hoje, 10 pacientes apresentaram cura após avaliação clínica e epidemiológica. O município atingiu a marca de 3.445 pessoas (95,00 %) recuperadas para covid-19. Atualmente, 135 casos estão ativos.

Afogados atingiu a marca de 14.691 pessoas testadas para covid-19, o que representa 39,42% da nossa população. Hoje, 68 pacientes apresentaram resultados negativos para a COVID – 19.

Casos leves x SRAG/covid- 19:
Leves (3.509 casos), 96,77 %
Graves (117 casos), 3,23%.

Ascom

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira inaugurou na tarde desta terça-feira (13) a pavimentação da Rua Virgílio Gomes de Almeida no bairro São Cristóvão. A obra foi iniciada na gestão do ex-prefeito José Patriota e concluída pela atual gestão.

Foram pavimentados em paralelo os 220 metros de extensão da rua. A Prefeitura também instalou rampas de acessibilidade nas calçadas e placas de sinalização na via. A Secretaria de Infraestrutura instalou também toda uma rede nova de esgotamento sanitário.

Por conta da pandemia, não foi possível fazer a festa habitual de inauguração de uma pavimentação, reunindo e celebrando a conquista com os moradores, gestores e lideranças políticas. “Temos tido o cuidado de evitar aglomerações, em respeito à vida. As inaugurações tem sido muito mais gestos simbólicos de entregas. Inaugurar as obras que a população reivindicava, mas resguardando as vidas humanas, que é o nosso bem maior”, destacou o prefeito Alessandro Palmeira. Ele destacou ainda a importância do ex-prefeito José Patriota. “Foi em sua gestão que conseguimos os recursos para essa obra e que a Prefeitura iniciou a pavimentação dessa rua. Quero agradecer ao nosso ex-prefeito pelo que fez e faz por nossa cidade, e dizer que concluiremos todas as ações iniciadas em sua gestão”.

A inauguração contou com as presenças do vice-prefeito Daniel Valadares, da vereadora Gal Mariano, dos vereadores Raimundo Lima e Douglas Eletricista, além de parentes do homenageado com o nome da rua e de alguns moradores.

O vice, Daniel Valadares, ressaltou que a demanda pela obra foi apresentada pela população durante uma das edições do programa Câmara nos Bairros. E que Patriota teve a sensibilidade de inserir a pavimentação da rua como prioridade para a execução. O secretário de Infraestrutura, Silvano Brito, também esteve presente à inauguração.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira dia (13), a Operação Frígia-Contra, segunda fase da Operação Frígia, deflagrada no segundo semestre de 2020, que visa combater organização criminosa que atua em extração ilegal de ouro no Sertão de Pernambuco. Estão sendo cumpridos 05 mandados de busca e apreensão e 04 mandados de prisão.

As medidas estão sendo cumpridas nos endereços dos investigados, localizados em Igarassu/PE, Redenção/PA e São Félix do Xingú/PA, sobre os quais constam fortes indícios que integram a organização criminosa, envolvendo agentes públicos e particulares, financiadores, refinadores de minério e receptadores.

A operação contou com a participação de 50 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

A atividade do grupo criminoso investigado consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na Zona Rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita, e, por fim, a comercialização do ouro. Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, por meio da aquisição de veículos e de outras condutas, atos consistentes em lavagem de dinheiro.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de usurpação de bens da União, crimes ambientais, lavagem de capitais, organização criminosa e violação de sigilo funcional, cujas penas ultrapassam os 20 anos de reclusão, além de multa.

O nome da operação – Frígia – faz menção à terra do Rei Midas da mitologia grega. Tudo o que ele tocava virava ouro.

Ao todo, 6,8 milhões de doses da vacina já foram dadas nos Estados Unidos; os casos de coágulos representam apenas 0,0000882353% das doses aplicadas.

A vacina também já foi aprovada para uso emergencial pela Organização Mundial de Saúde (OMS). ​(Foto: Reprodução)

Duas agências federais americanas, a FDA e o CDC, recomendaram, nesta terça-feira (13), que a aplicação da vacina da Johnson contra a Covid-19 seja pausada no país depois de 6 casos de coágulos raros em pacientes que receberam o imunizante.

Ao todo, 6,8 milhões de doses da vacina já foram dadas nos Estados Unidos; os casos de coágulos representam apenas 0,0000882353% das doses aplicadas, ou menos de um caso de coágulo a cada um milhão de doses aplicadas.

A vacina da Johnson é a única aplicada em uma única dose e já foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil, mas ainda não está sendo aplicada no país.

Em uma publicação na rede social Twitter, a FDA (sigla para Food and Drug Administration, espécie de Anvisa americana) informou que a pausa estava sendo recomendada “por excesso de cuidado”, e que a agência e o CDC estão revisando informações sobre os 6 casos de pessoas que tiveram um “tipo raro e grave de coágulo sanguíneo” após receber a vacina.

“No momento, esses eventos adversos parecem ser extremamente raros”, afirmou a FDA. “O tratamento desse tipo específico de coágulo sanguíneo é diferente do tratamento que normalmente é administrado”.

Segundo a FDA, o CDC (sigla em inglês para Centro de Controle de Doenças) irá convocar uma reunião do Comitê Consultivo em Práticas de Imunização na quarta-feira (14) para analisar os casos de coágulos e avaliar a importância deles. A FDA vai revisar essa análise, pois também investiga os casos.

“Até que esse processo seja concluído, recomendamos esta pausa. Isso é importante para garantir que a comunidade de profissionais de saúde esteja ciente do potencial para esses eventos adversos e possa se planejar, devido ao tratamento exclusivo necessário para este tipo de coágulo sanguíneo”, afirmou a FDA.

A vacina da Johnson é a que começou a ser aplicada mais recentemente nos Estados Unidos. Além dela, o país também aplica as vacinas da Pfizer e da Moderna. Não houve preocupações de segurança significativas sobre as duas vacinas.

Aprovação no Brasil
A vacina da Johnson foi aprovada pela Anvisa para uso emergencial no Brasil no dia 31 de março. O Ministério da Saúde adquiriu 38 milhões de doses, com entregas previstas para o segundo semestre.

A vacina é a única que, quando disponível no país, será aplicada em apenas uma dose. Até agora, as vacinas usadas no país – CoronaVac e a de Oxford – precisam ser dadas em duas doses. A da Pfizer, que já foi aprovada pela Anvisa mas ainda não está disponível, também é aplicada assim.

 

França suspende todos os voos com o Brasil ‘até novo aviso’

O governo francês decidiu suspender “até novo aviso” todos os voos entre Brasil e França por causa de preocupações em torno da variante brasileira da covid-19, anunciou nesta terça-feira (13) o primeiro-ministro Jean Castex.

“Constatamos que a situação está se agravando e por isso decidimos suspender até novo aviso todos os voos entre Brasil e França”, explicou o chefe de governo durante sessão de perguntas na Assembleia Nacional.

Embora na França a variante brasileira ainda seja minoritária, os profissionais da saúde vêm alertando há alguns dias para a disseminação dessa cepa e a oposição exigiu que o governo interrompesse os voos com o país.

“No início, pode parecer trivial, depois pode aumentar muito rapidamente”, comentou o epidemiologista Antoine Flahaut no jornal Le Parisien.

Segundo monitoramento realizado pela Universidade Johns Hopkins, o Brasil registra mais de 354 mil mortes por covid-19 desde o começo da pandemia no país, atrás apenas dos EUA que ultrapassou a marca de 560 mil mortes pela doença. 

O número de casos por aqui chegou a mais de 13,5 milhões, número que é superado apenas pela Índia (13,7 milhões) e pelos EUA (31,2 milhões).

Estudo divulgado neste domingo (11) mostrou que eficácia da CoronaVac pode aumentar de 50,7% para 62,3% quando o espaçamento entre as doses é superior a 21 dias.

Enfermeira recebe uma dose da vacina Coronavac no Hospital das Clínicas, em São Paulo. (Foto: Amanda Perobelli/Reuters)

A campanha de imunização contra a Covid-19 no estado de São Paulo prevê um intervalo de 14 a 28 dias entre as duas doses da vacina CoronaVac. No entanto, segundo estudo divulgado pelo Instituto Butantan no último domingo, a eficácia desta vacina pode aumentar de 50,7% para 62,3% quando o intervalo entre as doses é maior, de 21 a 28 dias.

De acordo com o diretor do Butantan, Dimas Covas, o melhor esquema vacinal ocorre quando as doses são aplicadas com o intervalo máximo, de 28 dias entre elas. 

Ele explicou que, à medida que você espaça as doses, você ganha eficácia.

As diferentes datas causaram dúvidas na população que tomou a primeira dose e quer saber quando deve receber a segunda. 

Veja abaixo perguntas e respostas sobre a aplicação da CoronaVac em São Paulo:

Qual é o intervalo ideal entre as doses da CoronaVac?
O intervalo ideal é de 28 dias entre as doses, segundo o diretor do Butantan, Dimas Covas. O pesquisador disse que, ainda que o intervalo possa ser de 14 a 28 dias, “à medida que você espaça as doses, você ganha eficácia”. Um estudo do Butantan mostrou que a eficácia da vacina foi de 62,3% quando houve um intervalo de 21 a 28 dias, contra 50,7% em um intervalo de até 21 dias.

Qual é o intervalo entre doses utilizado no estado de SP? E na capital?
O governo do estado de São Paulo recomenda intervalo de 14 a 28 dias entre as duas doses. As cidades do estado podem adotar diferentes prazos, dentro deste intervalo, por meio de suas secretarias municipais. A prefeitura da capital, por exemplo, orienta um intervalo de 21 dias entre as doses da CoronaVac.

O que acontece se eu perder a data marcada para retorno no cartão de vacinação?
Não há problema em receber a segunda dose da CoronaVac em uma data diferente daquela determinada no cartão de vacinação, desde que dentro do intervalo de 14 a 28 dias da primeira dose. Os postos de saúde podem orientar a pessoa a voltar na data marcada, caso ela procure o serviço antes do dia determinado no cartão, mas não podem recusar a aplicação se ela procurar o posto após a data marcada no documento.

O que acontece se se eu perder a data marcada para retorno no cartão de vacinação e o intervalo entre as doses ficar acima de 28 dias?
O governo de SP afirma que, se o prazo de 28 dias for ultrapassado, é fundamental que o cidadão procure um posto assim que possível para receber orientações e completar o esquema vacinal. Não há previsão de aplicação de uma terceira dose da vacina caso a pessoa tenha perdido o prazo.

Posso tomar a CoronaVac após receber a vacina contra a gripe?
O intervalo entre a vacina da Covid-19 e a vacina da gripe deve ser de, no mínimo, 14 dias. Portanto, se a pessoa tomar a vacina da gripe no dia 1º, deve esperar até o dia 15 para receber a vacina da gripe, ou vice-versa.

Posso tomar as duas doses da vacina da Covid-19 em postos diferentes?
A recomendação oficial é a de que o cidadão procure preferencialmente o posto onde recebeu a 1ª dose da vacina para receber a 2ª dose. Apesar disso, a pessoa pode se vacinar em outro local, se não puder comparecer no posto onde começou a imunização.

Estudo com maior intervalo
Um estudo clínico sobre a CoronaVac divulgado neste domingo (11) mostrou que a eficácia da vacina é maior do que nos resultados iniciais divulgados entre dezembro e janeiro. O estudo foi feito pelo Instituto Butantan, que produz a vacina em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Segundo artigo científico encaminhado para revisão e publicação na revista científica “Lancet”, uma das mais respeitadas do mundo, a eficácia para casos sintomáticos de Covid-19 atingiu 50,7%, ante os 50,38% informados inicialmente. Ou seja, a vacina reduz pela metade os novos registros de contaminação em uma população vacinada.

Ainda de acordo com o estudo, a eficácia da CoronaVac pode chegar a 62,3% com um intervalo de mais de 21 dias entre as duas doses da vacina. O estudo diz, no entanto, que a eficácia mínima da vacina já aparece na segunda semana depois da primeira dose.

O índice de eficácia global aponta a capacidade do imunizante de proteger em todos os casos – sejam eles leves, moderados ou graves. O número mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 50%.

Segundo o Ministério da Cidadania, o benefício será pago nesta terça a 2,38 milhões de famílias.

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta terça-feira (13) a primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta terça-feira (13) a primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 a beneficiários nascidos em abril e que não fazem parte do Bolsa Família.

Segundo o Ministério da Cidadania, o benefício será pago nesta terça a 2,38 milhões de famílias. “Com mais essa remessa de transferências para as contas sociais da Caixa, o pagamento já chega a 9,4 milhões de famílias em um repasse de R$ 1,94 bilhão”, informou.

Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam em 16 de abril.

Os pagamentos da primeira parcela do benefício, para todos os públicos, vão até 30 de abril.

A ajuda paga nesta terça será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta terça serão liberados no dia 12 de maio.

O Congresso Nacional autorizou um investimento de R$ 44 bilhões nesta etapa do programa, que deve chegar a cerca de 40 milhões de famílias, segundo a Cidadania. 

Veja quem recebe nesta terça-feira:

  • trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em abril, que receberam o benefício em dezembro

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/

 

Em mais de sete horas de declarações, ela admitiu que sabia das agressões e afirmou que a mãe da criança, Monique de Medeiros, pediu que ela mentisse.

A babá confirmou no depoimento que mentiu a pedido da mãe do menino (Foto: Reprodução)

A babá do menino Henry Borel, Thayná Oliveira Ferreira, voltou atrás e admitiu aos investigadores que mentiu em seu primeiro depoimento prestado à 16ª DP (Barra da Tijuca). Em mais de sete horas de declarações, ela admitiu que sabia das agressões e afirmou que a mãe da criança, Monique de Medeiros, pediu que ela mentisse para a polícia há duas semanas.

Thayná disse ainda que a empregada da casa, Leila Rosângela, a Rose, também mentiu. A polícia sabe que no dia 12 de fevereiro, quando o vereador Dr. Jairinho (expulso do Solidariedade) teria agredido o menino no final da tarde, as duas estavam dentro do apartamento.

Foi naquela tarde que Thayná mandou mensagens para Monique contando o que estava acontecendo e relatando as agressões, reveladas a ela pelo próprio Henry, depois que saiu do quarto de Dr. Jairinho.

No dia seguinte, 13 de fevereiro, Monique levou o filho ao Real D’Or, unidade pediátrica em Bangu, Zona Oeste da cidade.

A polícia quer esclarecer por que não há menção a essa ida ao hospital nos depoimentos de Monique, de Jairinho e da babá.

A morte do menino
O garoto, que tinha 4 anos, chegou morto a um hospital da Zona Oeste do Rio na madrugada de 8 de março, com hemorragia e edemas pelo corpo. A Polícia Civil prendeu Dr. Jairinho e Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry.

O inquérito do caso traz uma cronologia que pode esclarecer alguns fatos que levaram à morte de Henry. Uma dessas dúvidas diz respeito ao ocorrido em 12 de fevereiro, quando a babá de Henry revelou a Monique que Jairinho havia se trancado com menino no quarto.

Naquele dia, o garoto saiu do local machucado e disse que sentia dor na cabeça. Henry também mancava ao caminhar. A babá Thayná Oliveira Ferreira enviou a Monique o vídeo desse momento.

Em 13 de fevereiro, Henry foi levado ao Hospital Real D’Or, em Bangu. Monique relatou que o filho havia caído da cama no dia anterior, por volta das 17h – mesmo horário em que a babá relatava as supostas agressões a Henry.

Mãe foi ao hospital e trocou de advogado
Também nesta segunda, Monique Medeiros se sentiu mal e foi levada do presídio em Niterói para o Hospital do Complexo de Bangu. Ela sentiu dores no abdômen ao urinar. Com diagnóstico de infecção urinária, a mãe de Henry foi medicada e levada de volta para o Instituto Penal Ismael Sirieiro.

No começo da noite desta segunda, também foi anunciado o nome do novo advogado de Monique. Quem cuida do caso agora é o advogado Thiago Minagé, um dos defensores do ex-deputado Eduardo Cunha.

Antes Monique tinha como advogado André França Barreto, que agora defende apenas Jairinho, preso em Bangu 8.

Relembre o caso

  • Henry estava no apartamento onde a mãe morava com o vereador Dr. Jairinho, na Barra da Tijuca, e foi levado por eles ao hospital, onde chegou já sem vida na madrugada de 8 de março;
  • O casal alegou que o menino sofreu um acidente em casa e que estava “desacordado e com os olhos revirados e sem respirar” quando o encontraram no quarto;
  • Mas os laudos da necropsia de Henry e da reconstituição no apartamento do casal afastam essa hipótese;
  • O documento informa que a causa da morte foi hemorragia interna e laceração hepática [no fígado] causada por uma ação contundente [violenta].
  • A polícia diz que, semanas antes de ser morto, Henry foi torturado por Jairinho. Monique sabia;
  • Em 8 de abril, Dr. Jairinho e Monique foram presos temporariamente, suspeitos de homicídio duplamente qualificado, de tentar atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas.

O recorde anterior havia sido no último dia 1º, de 3.119. É a quinta vez que esse número passa de 3.000, todas elas só neste mês.

Além disso, foram registrados 38.866 novos casos da doença. Assim, o Brasil soma 13.521.409 contaminações confirmadas pela Covid-19. (Foto: Reprodução)

 O Brasil registrou nesta segunda-feira (12) a maior média de mortes diárias por Covid-19 desde o começo da pandemia, segundo dados levantados junto às secretarias estaduais de saúde.

Considerando os últimos sete dias, morreram 3.125 brasileiros em média diariamente –é a chamada média móvel, recurso estatístico para diminuir distorções, como a diminuição de registros aos finais de semana. O recorde anterior havia sido no último dia 1º, de 3.119. É a quinta vez que esse número passa de 3.000, todas elas só neste mês.

Em números absolutos, os dados consórcio mostram que nesta segunda foram registradas 1.738 novas mortes. Ao todo, os registros oficiais contabilizam 355.031 mortes por Covid-19 no Brasil até agora.

Além disso, foram registrados 38.866 novos casos da doença. Assim, o Brasil soma 13.521.409 contaminações confirmadas pela Covid-19.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

Com esses números, o Brasil é hoje o país onde mais se morre pela pandemia. Logo atrás estão Estados Unidos, com população 56% maior que a brasileira, mas média de 970 mortos diariamente. Na sequência vem a Índia, com quase seis vezes mais habitantes que o Brasil, e média de 664 mortos por dia. Os dados são do Our World In Data, plataforma ligada à Universidade de Oxford.

Em números totais, do começo da pandemia até aqui, estamos atrás apenas dos Estados Unidos, que soma 562 mil mortes, segundo dados da universidade americana Johns Hopkins, que monitora o avanço da doença pelo mundo.

Logo abaixo do Brasil estão México, com 209 mil mortos, e a Índia, que tem população mais de seis vezes maior que a brasileira e registrou 170 mil mortes.

O consórcio de imprensa também atualizou as informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid.

Ao todo, 23.847.792 pessoas já receberam a primeira dose do imunizante, e 7.391.544, a segunda, de acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde.
Na sexta (9), a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que o Brasil precisa tomar outras medidas além da vacina para domar a Covid-19.

Segundo a OMS, embora seja crucial imunizar idosos e profissionais de saúde para reduzir mortes desnecessárias, continua sendo essencial identificar pessoas infectadas e isolá-las rapidamente. Além disso, é preciso evitar contatos entre as pessoas para segurar a transmissão e evitar o aparecimento de novas variantes que escapem da vacina.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Dólar é cotado a R$ 5,7204 nesta manhã de terça-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,81 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1538.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta terça-feira (13), está cotado no valor de R$ 5,7204. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,9559.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,81 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,1538.  

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

 

Justiça condena Bradesco a devolver R$ 66 mil a cliente que teve valor transferido sem autorização na Paraíba

De acordo com o autor da ação, foram realizadas transferências bancárias por terceiro na conta corrente de sua titularidade, no valor de R$ 66.750,00.

De acordo com o cliente lesado, foram feitas diversas tentativas para conseguir reavir a quantia, mas sem conseguir reaver os valores de forma administrativa, propôs ação de indenização por danos materiais, visando recompor o prejuízo material. (Foto: reprodução)

A Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba condenou o Banco Bradesco S/A a pagar, a título de indenização por danos materiais, a importância correspondente as transferências bancárias não reconhecidas da conta de um correntista. De acordo com o autor da ação, foram realizadas transferências bancárias por terceiro na conta corrente de sua titularidade, no valor de R$ 66.750,00. 

De acordo com o cliente lesado, foram feitas diversas tentativas para conseguir reavir a quantia, mas sem conseguir reaver os valores de forma administrativa, propôs ação de indenização por danos materiais, visando recompor o prejuízo material.

A Instituição financeira alegou ausência de danos materiais, dada a ausência de ilicitude em sua conduta e a validade das transferências realizadas.

No entanto, o relator do processo, desembargador Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, avaliou que o banco não acostou qualquer outra prova desconstitutiva das alegações do cliente, para que restasse legítima a transferência em questão.

“Não se desincumbiu o réu do ônus da prova que lhe competia, quedando-se inerte em provar a ausência de fraude na respectiva operação, porquanto impossível a produção de prova negativa. Pelo exposto, ausente prova que desconstitua a alegação da parte autora, ou seja, a demonstração da legitimidade da transação, deve o banco responder objetivamente pelos danos causados ao cliente”, pontuou o relator.

Da decisão cabe recurso.

Decisão atinge trecho que autorizava cidadão comum a registrar até seis armas de fogo e trechos que ampliavam limites para compra de munição. Tema será levado ao plenário do STF.

Os textos fazem uma nova regulamentação do Estatuto do Desarmamento, aprovado em 2003. (Foto: Reprodução)

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber suspendeu nesta segunda-feira (12), em decisão individual, trechos dos quatro decretos sobre porte e posse de arma editados pelo presidente Jair Bolsonaro em fevereiro. Os textos passam a valer nesta terça (13).

A suspensão atinge, por exemplo, o trecho que aumentava, de dois para seis, o limite de armas de fogo que o cidadão comum pode adquirir, desde que preencha os requisitos necessários para obtenção do Certificado de Registro de Arma de Fogo.

No mesmo decreto, Bolsonaro também permitia que policiais, agentes prisionais, membros do Ministério Público e de tribunais comprassem duas armas de fogo de uso restrito, além das seis de uso permitido. Rosa Weber também suspendeu esse trecho.

A ministra do STF suspendeu, ainda, o trecho de outro decreto publicado na mesma data que ampliava, em grande escala, os limites para compras de armas e munição para caçadores, atiradores e colecionadores – conhecidos como “CACs”.

Os decretos de Bolsonaro foram anunciados pelo governo no fim da noite de 12 de fevereiro, às vésperas do carnaval, e as mudanças não passaram pela análise do Congresso. Os textos fazem uma nova regulamentação do Estatuto do Desarmamento, aprovado em 2003.

Na decisão, Rosa Weber determina que o tema seja enviado ao plenário do STF, que pode confirmar ou rejeitar o que a ministra decidiu.

O julgamento em plenário das ações protocoladas pelos partidos PT, PSB e Rede contra esse pacote de quatro decretos de Jair Bolsonaro já estava marcado para começar na próxima sexta (12), em plenário virtual.

Ponto a ponto

Veja, na lista abaixo, quais regras estavam previstas nos decretos de Bolsonaro e foram suspensas por Rosa Weber:

  • fim do controle feito pelo Comando do Exército sobre categorias de munições e acessórios para armas;
  • autorização para a prática de tiro recreativo em entidades e clubes de tiro, independentemente de prévio registro dos praticantes;
  • possibilidade de aquisição de até seis armas de fogo de uso permitido por civis e oito armas por agentes estatais com simples declaração de necessidade, revestida de presunção de veracidade;
  • comprovação pelos CACs da capacidade técnica para o manuseio de armas de fogo por laudo de instrutor de tiro desportivo;
  • dispensa de credenciamento na Polícia Federal para psicólogos darem laudos de comprovação de aptidão psicológica a CACs;
  • dispensa de prévia autorização do Comando do Exército para que os CACs possam adquirir armas de fogo;
  • aumento do limite máximo de munição que pode ser adquiridas, anualmente, pelos CACs;
  • possibilidade de o Comando do Exército autorizar a aquisição pelos CACs de munições em número superior aos limites pré-estabelecidos;
  • aquisição de munições por entidades e escolas de tiro em quantidade ilimitada;
  • prática de tiro desportivo por adolescentes a partir dos 14 anos de idade completos;
  • validade do porte de armas para todo território nacional;
  • porte de trânsito dos CACs para armas de fogo municiadas; e
  • porte simultâneo de até duas armas de fogo por cidadãos.

A decisão de Rosa Weber

Na decisão provisória, Rosa Weber afirma que inúmeros estudos revelam uma “inequívoca correlação entre a facilitação do acesso da população às armas de fogo e o desvio desses produtos para as organizações criminosas, milícias e criminosos em geral, por meio de furtos, roubos ou comércio clandestino, aumentando ainda mais os índices gerais de delitos patrimoniais, de crimes violentos e de homicídios.”

Para Rosa Weber, os decretos de Bolsonaro fragilizam pontos do Estatuto do Desarmamento de 2003 – que, nas palavras da ministra, “inaugurou uma política de controle responsável de armas de fogo e munições no território nacional”.

 

 

Prefeitura de Afogados inicia programa de sinalização de estradas e acessos às comunidades rurais

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira deu início nesta segunda (12) a um ambicioso programa de sinalização das estradas e acessos às comunidades rurais do município. O início simbólico do programa se deu na comunidade de Santo Antônio ll. A placa sinalizando a entrada da comunidade foi instalada na PE-292, sentido Afogados-Carnaíba. A Prefeitura irá instalar outra no sentido contrário. Além do nome da comunidade, do sentido de sua entrada, a placa também indica a distância até a comunidade.

Nesse primeiro momento estão sendo instaladas 30 placas, sinalizando o acesso de comunidades nas margens das rodovias que cortam o município de Afogados. Segundo o secretário de administração, Ney Quidute, o programa prevê a instalação de mais de duzentas placas de sinalização. “Vamos instalar placas também nas estradas vicinais, orientando nossa população e as pessoas que nos visitam, sobre o caminho correto para chegar em nossas comunidades rurais,” destacou Ney.

“Esse é mais um compromisso assumido dentro do nosso plano de 100 dias e que tenho a alegria de poder honrar. Até o próximo dia 26 estaremos vivenciando uma verdadeira maratona de inaugurações apresentadas à população em nosso plano de cem dias,” finalizou o Prefeito Alessandro Palmeira.

Na ocasião, foi entregue o veículo que irá atuar no âmbito do programa de aquisição de alimentos e PRONAF, facilitando o escoamento da produção dos 67 agricultores familiares inscritos no programa em Afogados. “Esse veículo irá nos ajudar muito no transporte dos alimentos adquiridos junto aos produtores e no transporte desses alimentos para as entidades e instituições beneficiadas,” destacou Madalena Leite, Secretária Municipal de Assistência Social.

Nesta terça (13), o Prefeito Alessandro Palmeira inaugura a pavimentação da Rua Virgílio Gomes de Almeida, no bairro São Francisco, às 16h.

Caminhão teve problemas no meio da Avenida Recife, na Zona Sul do Recife, e não conseguiu sair de dentro da água — Foto: Reprodução/TV Globo

G1

Após um final de semana de transtornos devido às chuvas, a segunda-feira (12) começou com alagamentos e mais problemas no Grande Recife. Em Olinda, houve moradores sem ter como sair de casa e, na capital pernambucana, algumas ruas e avenidas ficaram tomadas pela água.

Na sexta-feira (09), a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu um alerta sobre chuvas com intensidades moderadas a fortes no Grande Recife e na Zona da Mata. No sábado (10) e no domingo (11), esse alerta foi prorrogado por mais 24 horas.

Uma câmera de monitoramento localizada no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, mostrou um homem em uma bicicleta passando pelo trecho alagado da Avenida Dois Rios com água na altura da cintura. Na Avenida Recife, que corta a Zona Oeste e a Zona Sul, a água também impediu a circulação de veículos próximos à entrada do Ibura.

Também no Ibura, no final de semana, um homem desapareceu levado pela água. Na manhã desta segunda, o Corpo de Bombeiros informou que retomou as buscas pelo homem.

Ainda na Zona Sul, moradores estavam com água na altura do joelho e reclamaram da falta de drenagem da Rua Hélio Brandão, no bairro do Ipsep. O Túnel Felipe Camarão, no bairro do Jordão, na mesma área da cidade, também registrou alagamento. O local é alvo constante de denúncias por problemas de infraestrutura.

A previsão faz parte de um total de 18,4 milhões de doses até o dia 1º de maio.

Fiocruz entrega lote com 5 milhões de doses de vacina nesta semana (Foto: Reprodução)

A Fiocruz deve entregar nesta semana 5 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca ao Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde. A previsão faz parte de um total de 18,4 milhões de doses até o dia 1º de maio.

Na semana passada, a Fiocruz liberou 2 milhões de doses da vacina contra covid-19. Nas próximas semanas, serão entregues 4,7 milhões, de 19 a 24 de abril; e 6,7 milhões, de 26 de abril a 1º de maio.

O cronograma prevê que 100,4 milhões de doses serão produzidas até julho, com IFA (ingrediente farmacêutico ativo) importado da China. Mas a partir de agosto, a Fiocruz também deve começar a produzir IFA para vacinas contra covid-19.

Calendário

Até 2 de abril, 4,1 milhões de doses foram produzidas no Brasil e entregues ao Ministério da Saúde, e mais 4 milhões foram importadas prontas da Índia, onde foram fabricadas pelo Instituto Serum.

A Fiocruz chegou a prever que liberaria 27 milhões de doses em abril, mas revisou esse cronograma e reduziu a previsão para 18,8 milhões. Segundo nota divulgada pela fundação, “por tratar-se de uma nova tecnologia e da complexidade de implantação da produção da vacina covid-19, foram necessários ajustes no cronograma”.

A Fiocruz prevê entregar 21,5 milhões de doses em maio, 34,2 milhões em junho e 22 milhões em julho. Para produzir essas vacinas, Bio-Manguinhos conta com a chegada de carregamentos de IFA vindos da China. Até o momento, já estão no Brasil insumos suficientes para a produção de 35 milhões de doses, o que cobre a produção até maio.

Dólar é cotado a R$ 5,6745 nesta manhã de segunda-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,73 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,0666.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta segunda-feira (12), está cotado no valor de R$ 5,6745. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,9002.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,75 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 7,09.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção.

A principal novidade é ampliação do prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos no caso de condutores de até 50 anos. (Foto: Reprodução)

Entram em vigor hoje (12) as alterações promovidas no Código Brasileiro de Trânsito. A principal novidade é ampliação do prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos no caso de condutores de até 50 anos. As mudanças foram sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, quando ficou definido que a vigência passaria a ocorrer 180 dias após a sanção. 

Os exames de aptidão física e mental para renovação da CNH não serão mais realizados a cada cinco anos. A partir de agora, a validade será de dez anos para motoristas com idade inferior a 50 anos; cinco anos para motoristas com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 e três anos para motoristas com idade igual ou superior a 70 anos. 

Haverá mudanças também na quantidade de pontos que podem levar à suspensão da carteira. Atualmente, o motorista que atinge 20 pontos durante o período de 12 meses pode ter a carteira suspensa. Agora, a suspensão ocorrerá de forma escalonada. O condutor terá a habilitação suspensa com 20 pontos (se tiver duas ou mais infrações gravíssimas na carteira); 30 pontos (uma infração gravíssima na pontuação); 40 pontos (nenhuma infração gravíssima na pontuação). 

As novas regras proíbem que condutores condenados por  homicídio culposo ou lesão corporal sob efeito de álcool ou outro psicoativo tenham pena de prisão convertida em  alternativa. 

O uso de cadeirinhas no banco traseiro passa a ser obrigatório para crianças com idade inferior a 10 anos que não tenham atingido 1,45 metro de altura. Pela regra antiga, somente a idade da criança era levada em conta.

Nos casos de chamamentos pelas montadoras para correção de defeitos em veículos (recall), o automóvel somente será licenciado após a comprovação de que houve atendimento da campanhas de reparos. 

Araripina: Faculdade Paraiso realiza primeiro vestibular de medicina

Foto: reprodução

A Faculdade Paraíso FAP, localizada no município de Araripina no estado de Pernambuco, credencia o mais novo curso de Medicina do Brasil. Nesse domingo (11), a Faculdade realizou seu primeiro vestibular 2021.1 ofertando 50 vagas. Segundo a direção, o critério de avaliação será por meio de uma prova escrita e através da nota do ENEM. Nas rede sociais, o prefeito Raimundo Pimentel comemorou dizendo da sensação de dever cumprido.

“Depois de anos de luta, em 2018 tivemos a concretização de um grande sonho: a chegada da Faculdade de Medicina de Araripina! E hoje é mais um dia especial nessa história que será eternizada na vida de todos que participaram ativamente para que isso virasse realidade. A FAP Araripina realiza o primeiro vestibular! Desejo sorte aos que irão fazer a prova. Alegria grande e sensação de dever cumprido que estou sentindo agora!”, relatou.

Em 2020, a infecção por coronavírus foi a terceira doença que mais afastou trabalhadores, superando 37 mil casos -atrás, apenas, de problemas na lombar e nos ombros.

Nos três primeiros meses do ano, 13,3 mil trabalhadores segurados do INSS ficaram afastados por mais de 15 dias com Covid-19 -uma média de 4,4 mil licenças por mês, segundo a Secretaria Especial de Segurança do Trabalho. (Foto: Pixabay/Imagem ilustrativa)

– Nos três primeiros meses do ano, 13,3 mil trabalhadores segurados do INSS ficaram afastados por mais de 15 dias com Covid-19 -uma média de 4,4 mil licenças por mês, segundo a Secretaria Especial de Segurança do Trabalho.

Em 2020, a infecção por coronavírus foi a terceira doença que mais afastou trabalhadores, superando 37 mil casos -atrás, apenas, de problemas na lombar e nos ombros.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira entregou nesse domingo (11) duas passagens molhadas nas comunidades de Queimada Grande e Alça de Peia.

Na comunidade da Queimada Grande, a passagem molhada tem 60 metros e teve um custo de vinte e oito mil reais. A obra beneficia também moradores dos sítios vizinhos e da comunidade da Carapuça e do Leitão.

Em Alça de Peia, a passagem tem 49 metros de extensão e foi construída a um custo de 14 mil reais. Além dos moradores da comunidade, a obra também irá beneficiar moradores de Dois Riachos e Pelo Sinal, que no período de chuvas tinham dificuldades em passar pelo local por conta das cheias do riacho.

O secretário de Agricultura, Rivelton Santo, participou da entrega e destacou: “essas são mais duas obras do plano dos 100 dias, que a gente vem trabalhando intensamente nesses três meses. E ao todo são treze passagens molhadas e entregamos hoje duas dessas que são de grande importância para as comunidades rurais”. 

Além de representantes e moradores das comunidades, também participaram da entrega os vereadores Douglas Eletricista e César Tenório, e o vice-prefeito, Daniel Valadares. 

“Dando continuidade às entregas do plano dos cem dias, estivemos na manhã deste domingo fazendo a entrega de duas passagens molhadas, e vimos como os moradores das comunidades ficaram felizes com essas entregas, com essas ações. E até o final do mês teremos uma maratona de entregas”, destacou o prefeito Alessandro Palmeira. 

A maratona continua nesta segunda-feira (12), a partir das 8h, no Sitio Santo Antônio II, com o início da implantação da sinalização dos acessos e estradas da Zona Rural de Afogados. Na ocasião, Alessandro Palmeira fará também a entrega de um veículo para o programa de aquisição de alimentos/Pronaf.

Paraíba registra queda de 18% no número de mortes por Coronavírus, segundo consórcio de veículos de imprensa

A informação foi dada pelo consórcio de veículos de imprensa, com dados das secretarias estaduais de saúde.

A Paraíba confirmou neste domingo (11), 394 novos casos de Covid-19 e 19 novos óbitos​. (Foto: Reprodução)

O estado da Paraíba apareceu na noite deste domingo (11), em queda na média do número de mortes por Covid-19. A informação foi dada pelo consórcio de veículos de imprensa, com dados das secretarias estaduais de saúde. 

De acordo com o levantamento, a Paraíba registrou uma queda de 18% no número de mortes por Coronavírus. Além dele, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, também registraram queda no número de mortes. 

O secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, afirmou ao ClickPB, que a Paraíba aparecer no mapa na cor azul, é resultado das ações de restrições sanitárias adotadas pelo Governo do Estado desde 23 de fevereiro e cumpridas pela maioria dos paraibanos. Como também, o resultado do andamento da vacinação no Estado.

A Paraíba confirmou neste domingo (11), 394 novos casos de Covid-19 e 19 novos óbitos. A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 69%

Covid-19 mata ex-comandante do Corpo de Bombeiros de Serra Talhada

Faleceu na madrugada deste domingo, 11, em Petrolina, o Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros Márcio Bandeira de Melo Tenório. A morte foi provocada por insuficiência renal aguda decorrente da Covid-19.

Márcio atualmente residia em Petrolina, mas foi comandante das unidades dos bombeiros de Serra Talhada e Salgueiro. Nas regiões por onde passou fez muitos amigos.

Casado com Edjane Gomes da Costa Tenório, ele deixa duas filhas: Yasmin Gomes da Costa Bandeira de Melo Tenório e Yanni Gomes da Costa Bandeira de Melo Tenório. (Alvinho Patriota)

Se a pessoa tiver com a doença aguda, com febre e com sintomas da covid-19, ela não deve se vacinar. Antes disso, deve procurar um médico para receber orientações e ter um diagnóstico se está ou não com a covid-19. (Foto: reprodução)

O Brasil registrou até ontem (10) 13.445.006 pessoas infectadas desde o início da pandemia, cerca de 6% da população brasileira. No momento em que a vacinação contra a covid-19 está sendo realizada no país, uma das dúvidas mais comuns é o que muda no caso de quem já teve a doença quando da aplicação da vacina.

Segundo o infectologista Hemerson Luz, quem já teve a covid-19 deve esperar ao menos um mês antes de tomar a vacina contra a doença. Esse intervalo é contado a partir de 14 dias depois do diagnóstico positivo, quando foi convencionado que a pessoa se livra do vírus.

Ele explica que ainda não há publicações e estudos demonstrando efeitos, mas que médicos têm adotado esse tempo mínimo para evitar potenciais efeitos adversos.

Se a pessoa tiver com a doença aguda, com febre e com sintomas da covid-19, ela não deve se vacinar. Antes disso, deve procurar um médico para receber orientações e ter um diagnóstico se está ou não com a covid-19.

“Se tiver com sintomas vou esperar encerrar o meu quadro. Se eu tiver com sintomas, tenho que procurar o médico para verificar o diagnóstico. Se tiver infectado, tem que aguardar até resolver o quadro e aí depois de 30 dias”, explica o infectologista.

Luz lembra que a vacina pode causar efeitos adversos, em geral no local da aplicação, como inchaço, vermelhidão, febre ou indisposição. Mas essas reações não duram mais de 48 horas e podem ser tratadas com remédios como analgésicos e antitérmicos.

O infectologista alerta que quem já foi infectado pode contrair a covid-19 novamente, mas o quadro deve ser brando. “A [vacina] CoronaVac tem eficácia de 50% para pegar a doença, mas é 100% eficaz contra o caso grave. A [vacina] Oxford/AstraZeneca é um pouco mais efetiva, a 70%, mas mesmo assim existe possibilidade de ficar doente”, disse.

O infectologista ressalta a importância da vacinação mesmo para quem já teve a covid-19. E acrescenta que não é preciso ter receio, pois não há chance da vacina causar doenças. Mesmo aquelas que utilizam vírus inativados não têm qualquer possibilidade de replicação do vírus no organismo.

O relator da ação no Supremo é o ministro Luís Roberto Barroso. A sessão de julgamento está marcada para as 14h e esse será o primeiro item da pauta.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, marcou para quarta-feira (14), o julgamento em plenário da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 no Senado. (Foto: Reprodução)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, marcou para quarta-feira (14), o julgamento em plenário da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 no Senado. O relator da ação no Supremo é o ministro Luís Roberto Barroso. A sessão de julgamento está marcada para as 14h e esse será o primeiro item da pauta.

Na quinta-feira (8), Barroso atendeu a um pedido de liminar feito pelos senadores Jorge Kajuru (GO) e Alessandro Vieira (RS), ambos do partido Cidadania, e determinou a adoção das medidas necessárias para a instalação, no Senado, de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19.

Como a decisão foi monocrática, agora deverá passar pelo plenário, onde os ministros devem decidir por sua confirmação. Inicialmente, a análise dessa liminar estava marcada para sexta-feira (16), mas os ministros conversaram e decidiram antecipar a votação.

Prefeito de Ipubi decreta toque de recolher

Foto: reprodução

O prefeito de Ipubi, no Sertão de Pernambuco, Chico Siqueira (PSB), instituiu o toque de recolher no município a partir desta última sexta-feira (9).

A medida é válida das 20h às 6h durante a semana e das 17 às 5h aos sábados domingos e feriados. A medida vale até o dia 19 de abril. De acordo com a gestão, os estabelecimentos comerciais estão proibidos de vender bebida alcoólica durante o período do toque.

A medida faz parte do Decreto Municipal 017/2021 de prevenção ao aumento de casos do novo coronavírus. Confira abaixo o decreto na íntegra:

O duque de Edinburgo, que recentemente passou um mês sendo tratado de uma infecção e um problema cardíaco pré-existente, teria morrido repentina e inesperadamente, mas “pacificamente” na companhia de sua esposa.

Rainha Elizabeth II estava ao lado do príncipe Philip na cama quando ele veio a falecer (Foto: Reprodução)

Fontes próximas à realeza britânica disseram ao jornal Daily Mail que a rainha Elizabeth II estava ao lado do príncipe Philip na cama quando ele veio a falecer, na manhã da última sexta-feira.

O duque de Edinburgo, que recentemente passou um mês sendo tratado de uma infecção e um problema cardíaco pré-existente, teria morrido repentina e inesperadamente, mas “pacificamente” na companhia de sua esposa. O Telegraph relatou que o duque queria morrer “em sua própria cama” e “em seus próprios termos”.

“Ele passou a maior parte das quatro semanas no hospital tentando voltar para casa. Eles operaram seu coração na tentativa de lhe dar um pouco mais de tempo, talvez com o centésimo aniversário em mente. Mas ele realmente não se importou com isso”, disse a fonte ao jornal, que acrescenta: “Não há como alguém como ele querer morrer no hospital”.

Embora os funcionários do palácio tenham se recusado a “entrar em detalhes” sobre a natureza de sua morte, entende-se que sua condição frágil piorou durante a noite da última quinta-feira e que pessoas de dentro avisaram que ele estava “gravemente doente”. No entanto, qualquer conversa sobre levar o duque ao hospital foi rapidamente descartada pela Rainha.

Auxílio emergencial: Caixa esclarece dúvidas sobre nova etapa de pagamentos

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.

A Caixa Econômica Federal realiza, nesta sexta-feira (9/4), o segundo pagamento do auxílio emergencial. Agora é a vez de trabalhadores nascidos em fevereiro receberem a primeira parcela do benefício, com valor médio de R$ 250. Na terça-feira (6), o banco iniciou o depósito do recurso aos aniversariantes de janeiro. Até o fim de abril, cerca de 40 milhões de famílias vão receber a parcela 1 na poupança digital, de acordo com o Ministério da Cidadania.

Para esclarecer informações, o presidente do banco estatal, Pedro Guimarães, promoveu a segunda live no canal oficial da instituição no YouTube. No último encontro, o representante disse que a Caixa vai promover lives a cada dois dias nesta primeira fase de pagamentos.

Guimarães abriu o a sessão virtual explicando os canais digitais para esclarecer informações do programa e o calendário de pagamentos, que segue o mês de aniversário dos beneficiários. Em relação ao crédito da parcela 1, o cronograma obedece uma média de créditos a cada dois dias úteis.

Pedro Guimarães explicou os requisitos exigidos para receber o benefício, período de saque e transações financeiras por meio do aplicativo Caixa Tem. Em relação aos saques do dinheiro para nascidos em abril, o prazo inicia em 4 de maio e termina em 4 de junho, seguindo a ordem do mês de aniversário.

Além disso, reforçou que a população “não precisa ir às agências para receber o auxílio emergencial”, pois os canais de atendimento da Caixa e aplicativos atendem às principais dúvidas e orientações para atualização cadastral do benefício. Mas, ponderou: “aqueles usuários que trocaram de número celular precisam renovar os dados na agência, a fim de se minimizarem as chances de fraudes”.

Beneficiários do Bolsa Família começam a receber no dia 16/4, seguindo a ordem do último dígito do Nú

mero de Identificação Social — que totaliza 10 algarismos. Até 30/4 todo esse grupo deve receber a parcela 1.

Homem é atropelado e morre neste sábado (10), em Afogados
Boletim da PM

Por volta das 17h40min a equipe ROCAM e a GCVLI, foram acionados pela central de Operações, para averiguar um possível atropelamento na PE 292, saída para Iguaracy.

Ao chegarem no local, foi comprovado a veracidade do fato. Segundo a testemunha, que é irmão da vítima, ela relatou que por volta das 17h30 seguia de carro acompanhando seu irmão que transitava em uma bicicleta, quando a vítima Aldir Siqueira, mais conhecido por Foguinho, 32 anos, residente na Rua do Sossego na Macambira, fez manobra para cruzar a PE 292, foi atingido por um veículo que seguia sentido Iguaracy, sendo arremessada para fora da pista e vindo a óbito, fato confirmado pelo efetivo.

 

Populares informaram, que o veículo envolvido no atropelamento, tratava-se de um HONDA CIVIC, de cor PRATA e que teria entrado em uma estrada vicinal nas proximidades, foi feita uma busca na região informada, onde o referido veículo foi encontrado abandonado e estava com a frente e para brisas danificados.

O carro tem placa fixada PDO-5597 de Jaboatão dos Guararapes, e ao ser feita uma consulta no portal da SDS, foi contatado que se encontra no nome de E. B. M, porém não foi possível confirmar que ele seria o condutor no momento do acidente. Não foi possível a identificação do condutor e nem a remoção do veículo do local.

O IC foi acionado para retirada do corpo e a ocorrência repassada para Delegacia de Polícia local, onde foi aberto um inquérito.

 

Por protocolo de segurança, Jairinho teve que ser atendido no ambulatório médico da unidade em que está preso.

Isolado em uma cela, Jairinho tem repetido que é inocente e que o menino foi vítima de uma queda. Ele reproduz a tese de sua defesa, de que acidentes domésticos similares já aconteceram. (Foto: Reprodução)

 Preso no Complexo de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro, o vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho (Solidariedade), 43, já recebeu atendimento médico pelo menos duas vezes após sentir-se mal.

Por protocolo de segurança, Jairinho teve que ser atendido no ambulatório médico da unidade em que está preso. Suspeito de ter espancado e matado o enteado Henry Borel, 4, o vereador não foi encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do interior do complexo porque havia o risco de que ele fosse agredido por outros detentos.

Isolado em uma cela, Jairinho tem repetido que é inocente e que o menino foi vítima de uma queda. Ele reproduz a tese de sua defesa, de que acidentes domésticos similares já aconteceram.

A mãe de Henry, Monique Medeiros, 32, encaminhada ao Instituto Penal Ismael Sirieiro, presídio feminino em Niterói (RJ), tem chorado copiosamente, segundo fonte ouvida pela reportagem. Também sozinha na cela, ela pede atenção e grita dizendo que quer falar com as pessoas.

Monique e Jairinho foram presos temporariamente na quinta-feira (8), sob suspeita de homicídio qualificado, após decisão judicial favorável a representação movida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. O órgão pediu a prisão por 30 dias, já que o crime é considerado hediondo.

Ambos estão isolados por questão de segurança, diante do risco de serem agredidos por outros detentos, e em função da quarentena de 14 dias, devido à pandemia da Covid-19.

No pedido, o promotor Marcos Kac diz que a prisão é necessária para possibilitar o aprofundamento das investigações policiais. Jairinho e Monique são suspeitos de tentar atrapalhar a apuração sobre a morte de Henry.

Um mês antes da morte do menino, a babá Thayná Ferreira, 25, relatou a Monique que Henry estava sendo agredido pelo padrasto. À polícia, no entanto, ela disse que nunca notou nada de anormal na relação entre o casal e o menino.

O delegado Henrique Damasceno defende que a versão falsa contada à polícia pela babá é um dos indícios que demonstram que o casal tentou interferir nas investigações.

Tanto a babá quanto a faxineira Leila Rosângela Mattos, 57, tiveram um encontro com o advogado do casal dias antes de prestarem depoimento à polícia. Elas mesmas contaram que a irmã de Jairinho pediu que elas fossem ao escritório de André França Barreto no dia 18 de março.

Um motorista passou para pegá-las e, chegando lá, elas falaram com ele separadamente. Ambas relatam aos investigadores que ele perguntou sobre a rotina e a relação da família. Segundo Thayná, o advogado disse que ela seria intimada e que era “para ela dizer somente a verdade”.

34% dos que tiveram Covid-19 desenvolveram problemas psicológicos, mostra estudo inglês

Não é só o corpo que sofre com o o vírus. Cada vez mais infectados, mesmo entre os casos leves, relatam sintomas como depressão, pânico e ansiedade, afirmam pesquisadores de Oxford.

Pessoas que tiveram Covid desenvolveram problemas neurológicos até 6 meses depois. (Foto: Divulgação/Pixabay)

Dificuldade para respirar, perda de paladar e olfato, fraqueza: sintomas físicos comuns entre infectados por covid-19. Caroline, uma médica da cidade alemã de Colônia, estava ciente dos riscos que o vírus representava. Mas diz que se preocupava mais com os idosos próximos a ela e outros grupos de risco.

“Eu pensava: ‘Sou jovem, não tenho pré-condições, sou atlética – se eu pegar, provavelmente não será tão ruim assim'”, afirma a alemã de 39 anos. “Eu pessoalmente não tinha tanto medo de me infectar”.

Caroline foi diagnosticada com covid-19 em janeiro. A doença não apresentava inicialmente sintomas graves. Ela teve febre leve, dores de cabeça, garganta irritada. O que ela não esperava eram os ataques de pânico e a depressão.

Um estudo da Universidade de Oxford, publicado na revista The Lancet Psychiatry, mostrou que Caroline não está sozinha. Longe disso: os pesquisadores analisaram os registros eletrônicos de saúde de mais de 236 mil pacientes de covid-19, a maioria dos EUA, e descobriram que 34% haviam sido diagnosticados com problemas psiquiátricos ou neurológicos dentro de seis meses após terem sido infectados por coronavírus.

Condições neurológicas como derrame e demência foram raras. Mas 17% dos pacientes de covid-19 foram diagnosticados com distúrbios de ansiedade e 14% com distúrbios de humor, incluindo depressão. Os pesquisadores de Oxford também analisaram dois grupos de controle de pacientes com gripe e pacientes com qualquer infecção do trato respiratório (exceto covid) para ter certeza de que seus números não refletissem apenas a experiência do público em geral vivendo em meio a uma pandemia.

“Nossos dados realmente chamam a atenção para a escala do problema”, disse o autor principal do estudo, Paul Harrison, da Universidade de Oxford, à DW. “Isso destaca a ideia de que a covid-19 tem consequências para as pessoas, mesmo que elas não vão parar no hospital”.

‘Comecei a ter ataques de pânico’

Caroline nunca foi hospitalizada, mas ela lutou seriamente com problemas de saúde mental durante e após a infecção. Apesar de os sintomas físicos não terem sido sérios, ela diz que realmente teve que batalhar psicologicamente. Ela foi a única em sua família a pegar o vírus e teve que se isolar completamente do marido e dos filhos. Ela não conseguia adormecer sem comprimidos e disse que se tornou uma pessoa mais medrosa e deprimida do que antes.

“Eu continuava pensando: ‘Você tem uma doença da qual todas essas pessoas estão morrendo'”, conta Caroline. “Eu acordava frequentemente à noite e entrava em pânico. Eu pensava que estava tendo um derrame cerebral, não podia me mover e estava presa neste mundo entre o sonho e a realidade. Eu nunca tinha tido estes ataques de pânico antes”.

O americano Lawrence, de 29 anos, também nunca havia lidado com problemas de saúde mental antes da pandemia. Quando a covid-19 começou a se espalhar nos EUA, ele passou a sentir ansiedade, mas “ainda era controlável neste ponto”, afirma à DW.

Então sua sogra morreu de covid -19, e em dezembro, Lawrence e seu marido pegaram o vírus também. Inicialmente, ele não estava muito mal, mas o vírus acabou afetando seus pulmões. “E, como eu tenho asma, começou a tomar conta”, lembra. “Quando minha respiração se tornou mais difícil, comecei a ter ataques de pânico, o que eu nunca tinha tido antes”, diz.

Lawrence também sofria de ansiedade, e não conseguia mais se concentrar em seu trabalho. Depois de um mês de luta, ele finalmente foi ver um médico, que lhe prescreveu medicação antiansiedade.

“Embora eu não possa dizer que isso estava diretamente relacionado à covid-19, a doença fez com que minha ansiedade chegasse ao auge, ao ponto de eu decidir que precisava buscar ajuda médica”, diz.

Caroline, que teve o apoio de sua irmã, uma psicóloga, também não conseguiu identificar o motivo exato da ansiedade. “Não tenho certeza se foi causada pela situação geral – quarentena, o diagnóstico e toda a cobertura da mídia”, diz ela, “ou se foi causada pela própria doença”.

“Tomem a vacina”, diz pesquisador

O professor Harrison considera “ambas as explicações bem possíveis”.

“Para a ansiedade e a depressão, lidar com o estresse de saber que você tem covid, ter que se isolar, preocupar-se com seu trabalho, seu futuro, sua saúde: essa é a explicação mais provável para esses diagnósticos”, analisa o pesquisador.

A teoria de que as circunstâncias externas são as principais responsáveis pelas condições de saúde mental nos pacientes é de certa forma confirmada por outra pesquisa de Harrison. Não houve diferença significativa no número de pessoas com ansiedade e depressão encontradas em pacientes com covid-19 leve, aqueles que tiveram que ir ao hospital e aqueles que tiveram que ser colocados numa UTI.

Harrison afirma que as possíveis consequências para a saúde mental são mais um motivo para estar atento às precauções e “evitar a covid por todos os meios possíveis”.

“Tome a vacina que lhe é oferecida”, implora Harrison. “Os riscos da vacina, ao meu conhecimento, são infinitamente menores em comparação com os riscos da covid. E se lhe for dito para se isolar, eu sugeriria que você fizesse o que foi dito. Assim estaríamos todos melhor”.

Afogados inicia inaugurações do plano dos 100 dias

A Prefeitura de Afogados inicia neste sábado uma maratona de inaugurações e entregas de obras e ações concluídas no plano de 100 dias de gestão anunciado pelo Prefeito Alessandro Palmeira. 

A maratona começa hoje com a inauguração da academia da saúde da comunidade rural da Carapuça. No domingo (11), o Prefeito inaugura as passagens molhadas de Alça de Peia e a recuperação da passagem molhada de Queimada Grande. Todas as inaugurações serão realizadas com público reduzido e seguindo todos os protocolos de segurança sanitária. 

A partir da próxima segunda (12), entram na agenda as inaugurações de academias da saúde na Pintada, Borges e São Cristóvão, 8 passagens molhadas, pavimentação de ruas, arquivo público municipal, projeto de sinalização das estradas da zona rural, implantação do programa conexão rural – de acesso à internet em diversas comunidades, programa facilita – tudo em um só lugar para os nossos empreendedores, núcleo de atendimento pedagógico multidisciplinar, entrega do carro do PAA, dentre outras inúmeras ações. 

“Será uma longa e prazerosa jornada de inaugurações e entregas, atendendo aos anseios da nossa população e cumprindo o que anunciamos. Por conta das medidas mais duras de restrição que adotamos nas últimas semanas preferimos cancelar as inaugurações, pois seria incoerência editarmos decretos de restrições e nós mesmos não darmos o exemplo. Mas agora, com a retomada das atividades de nosso comércio, vamos também retomar a nossa extensa agenda de inaugurações,” destacou o Prefeito Alessandro Palmeira.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu vontade política para intensificar a produção de vacinas contra Covid-19 e compartilhar suprimentos.

Banco Mundial está trabalhando com 40 países para intensificar vacinação (Foto: Reprodução)

O Banco Mundial vai destinar 2 bilhões de dólares em financiamento para a compra, o desenvolvimento e a fabricação de vacinas até o final de abril e está trabalhando com mais de 40 países neste esforço, disse o diretor gerente de operações do Banco Mundial, Axel van Trotsenburg.

No mesmo fórum do Banco Mundial, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu vontade política para intensificar a produção de vacinas contra Covid-19 e compartilhar suprimentos.

Ele disse que a incapacidade de se aprovar uma proposta de dispensa de propriedade intelectual sob as regras da Organização Mundial do Comércio é “o elefante na sala”.

 

Ministro do Meio Ambiente exonera chefes do Ibama de quatro estados

 (Foto: Fábio Pozzebom /Agência Brasil)

O Ministério do Meio Ambiente exonerou, nesta sexta-feira (9), os superintendentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) nos seguintes estados: Amazonas, Bahia, Paraíba e Tocantins. Nos três primeiros, segundo publicação no Diário Oficial da União (DOU), a demissão foi a pedido

 

Deputado estadual e policial militar trocaram agressões em Jaboatão dos Guararapes — Foto: Reprodução/WhatsApp

G1

A Secretaria de Defesa Social (SDS) dispensou o coronel Alexandre Tavares de Oliveira Silva do comando do 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM). A decisão foi publicada no Boletim Geral da pasta nesta sexta-feira (09), um dia após o policial militar trocar agressões com o deputado estadual Joel da Harpa (PP).

A confusão entre o militar e o deputado estadual ocorreu durante a vacinação contra a Covid-19 de policiais na sede do Complexo Policial de Jaboatão dos Guararapes, na Estrada da Batalha, no bairro de Prazeres.

As imagens feitas no local do incidente mostram o momento em que os dois se empurram e discutem. O deputado disse que queria entrar no auditório do local, onde estava ocorrendo à vacinação dos policiais, para fiscalizar a imunização, mas o comandante do batalhão não permitiu a entrada.

No vídeo, é possível ouvir o deputado questionando se o policial iria removê-lo do local e a confirmação do comandante. “Vai me tirar?”, perguntou Joel. “Vou”, disse Alexandre. Outros policiais tentam apartar a briga e se colocam em meio aos dois.

Na gravação, Joel da Harpa aparece sem máscara. Ele disse que a proteção caiu do rosto depois de outras tentativas de remoção dele do local. O deputado contou, ainda, que registrou uma queixa contra o policial na Corregedoria da Secretaria de Defesa Social, visando à abertura de um Procedimento Administrativo Disciplinar contra o servidor

Como Marte possui uma atmosfera fina e gelada, não há possibilidade de haver água em estado líquido circulando livremente pelo ar.

Fotografia mostra o que parece ser um arco-íris, fenômeno impossível em Marte (Foto: Nasa)

Um fenômeno inusitado foi capturado pelo sonda robô Perseverance, da agência aeroespacial norte-americana Nasa, que explora desde fevereiro o solo marciano. Uma foto tirada pela Perseverance mostra um arco-íris no céu do planeta vermelho – algo considerado impossível, já que o fenômeno ocorre por causa da refração da luz solar nas partículas de água suspensas na atmosfera. Como Marte possui uma atmosfera fina e gelada, não há possibilidade de haver água em estado líquido circulando livremente pelo ar.

Após ganhar repercussão em redes sociais, a foto publicada pela Nasa teve que ser elucidada. O perfil da sonda exploradora no Twitter frustrou teorias conspiratórias que tentavam explicar o fenômeno de forma não científica.

Segundo pesquisadores da Nasa, o fenômeno registrado não era exatamente um arco-íris, e sim um reflexo de lente muito comum, o lens flare. Esse fenômeno ocorre quando a luz bate diretamente sobre uma lente de câmera em um ângulo oblíquo e se espalha pela superfície de vidro, o que causa o registro de uma luz brilhante, geralmente em forma de gota ou círculos.
A imagem foi capturada pela câmera traseira da sonda, que serve para identificar possíveis perigos na rota de movimentação do veículo. Essa câmera, chamada HazCam, faz parte do sistema autônomo de movimentação da Perseverance.

De acordo com Ministério da Saúde, o Brasil teve o segundo dia de mais infecções pelo novo coronavírus nesta sexta-feira (9/4)

Nesta sexta-feira (9/4), o Brasil registrou o segundo maior número de contágios desde o início da pandemia, 93.317, e se aproximou ainda mais da marca de 350 mil mortes. (Foto: Reprodução)

Enquanto a classe política discute a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do governo federal na pandemia da covid-19, o novo coronavírus continua se alastrando pelo país. Nesta sexta-feira (9/4), o Brasil registrou o segundo maior número de contágios desde o início da pandemia, 93.317, e se aproximou ainda mais da marca de 350 mil mortes.

De acordo com o balanço diário do Ministério da Saúde, o novo a doença provocou a morte de 3.693 brasileiros nas últimas 24 horas. Com isso, 348.718 brasileiros já perderam a vida em razão do vírus. É possível, portanto, que o país atinja a casa das 350 mil mortes neste fim de semana, já que a média diária de mortes vem batendo recordes nos últimos dias. No mundo, só os Estados Unidos, que hoje veem uma desaceleração dos casos de covid-19 em decorrência da vacinação, atingiram esse patamar de mortes.

No Brasil, no entanto, a doença continua avançando com força. De acordo com o Ministério da Saúde, 93.317 brasileiros contraíram o vírus nas últimas 24 horas. Foi o segundo maior número de contágios em um dia desde o início da pandemia. Segundo os dados do governo, só houve mais casos confirmados no dia 25 de março deste ano, quando o país contabilizou mais de 100 mil novos infectados em 24 horas.

Com os dados desta sexta-feira, a média móvel de mortes voltou a crescer e bateu 2.930 nos últimos sete dias, segundo o painel de covid-19 do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). A média móvel de casos também subiu, chegando a 66.156 contágios.

Vacinação drive thru na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), zona norte do Rio. A cidade do Rio de Janeiro retoma hoje (25) sua campanha de aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 em idosos da população em geral. Hoje serão vacinados os idosos com 82 anos.

O Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde começam na segunda-feira (12) a campanha de vacinação contra a gripe. Além de evitar complicações decorrentes da gripe causada pelo vírus, a vacinação ganha uma outra importância no momento.

Com diversos estados com leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) lotados e filas de espera em função da pandemia do novo coronavírus, a iniciativa também é importante para evitar uma sobrecarga nos sistemas de saúde.

O público estimado pelo ministério é de 79,7 milhões de pessoas e o objetivo é vacinar pelo menos nove em cada dez pessoas dos grupos prioritários.

Os grupos serão organizados para vacinação em três etapas. Os dias de mobilização, chamados de dias D, serão definidos em cada município pela Secretaria de Saúde local.

Os grupos prioritários são:

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

– Gestantes;

– Puérperas;

– Povos indígenas;

– Trabalhadores de saúde;

– Pessoas com 60 anos ou mais;

– Professores;

– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis;

– Pessoas com deficiência permanente;

– Forças de segurança, de salvamento e armadas;

– Caminhoneiros;

– Trabalhadores do transporte coletivo de passageiros;

– Funcionários trabalhando em prisões e unidades de internação;

– Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas em unidades de internação;

– População privada de liberdade.

Covid-19

O Ministério da Saúde não recomenda que seja feita a aplicação das vacinas contra a covid-19 e contra a influenza conjuntamente. A pasta recomenda que as pessoas que estiverem nos grupos prioritários procurem se vacinar antes contra a covid-19. Especialistas recomendam pelo menos uma diferença de 14 dias entre uma e outra.

Agência Brasil

Leandro Fortes_ciro gomes
Leandro Fortes e Ciro Gomes (Foto: Divulgação)

O jornalista Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia, brincou no Twitter nesta sexta-feira (9) com a carta enviada por Ciro Gomes (PDT) à Rainha Elizabeth II, na qual presta condolências pela morte do Príncipe Philip.

Fortes ironizou que o pedetista tenha escrito em tom de quem fala pelo povo brasileiro, visto que Ciro não ocupa atualmente nenhum cargo oficial e tampouco representa uma liderança internacional brasileira.

“Ciro Gomes escreveu uma carta de condolências à rainha da Inglaterra, por conta da morte do príncipe Phillips, em nome do povo brasileiro. Pra mim, já é caso de internação”, escreveu o jornalista.

Em TV da Itália, Lula pede desculpas ‘ao povo italiano’ por não ter extraditado Cesare Battisti

“Peço desculpas ao povo italiano, pensei que ele não era culpado, mas depois de sua confissão, só posso me desculpar”, disse o petista.

No último dia de seu mandato, em 2010, o petista concedeu asilo ao italiano, que foi preso na Bolívia em janeiro de 2019 e extraditado para a Itália, onde cumpre prisão perpétua. (Foto: Reprodução)

 O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu desculpas à população italiana por não ter extraditado Cesare Battisti, ex-membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, que foi condenado na Itália por assassinato e se refugiou no Brasil.

“Peço desculpas ao povo italiano, pensei que ele não era culpado, mas depois de sua confissão, só posso me desculpar”, disse o petista, em entrevista concedida na tarde desta sexta-feira (9), 

“Enganei-me “, disse Lula, que já havia demonstrado arrependimento anteriormente em relação ao caso.

“Tomei a decisão baseado em uma orientação do Ministério da Justiça”, afirmou, em referência à equipe do então ministro Tarso Genro. “E pensei que era uma decisão correta porque achei que era inocente”, completou.

Battisti foi entregue à Itália pelo governo de Jair Bolsonaro.

No último dia de seu mandato, em 2010, o petista concedeu asilo ao italiano, que foi preso na Bolívia em janeiro de 2019 e extraditado para a Itália, onde cumpre prisão perpétua.

Em agosto do ano passado, Lula afirmou em um programa de debates da TV Democracia que se arrependeu de ter defendido Battisti.

“Hoje, acho que, assim como eu, todo mundo da esquerda brasileira que defendeu Cesare Battisti aqui ficou frustrado, ficou decepcionado. Eu não teria nenhum problema de pedir desculpas à esquerda italiana e às famílias do Battisti”, disse Lula na ocasião.

O ex-presidente alegou que seu então ministro Tarso Genro, assim como outros líderes da esquerda brasileira, estavam convencidos da inocência de Battisti, acrescentando que o italiano enganou “muita gente no Brasil”.

“Não sei se enganou muita gente na França, mas na verdade muita gente achava que ele era inocente. Nós cometemos esse erro, pediremos desculpas”, declarou Lula, que lamentou que o caso tenha “comprometido” suas boas relações com o governo italiano e “com toda a esquerda italiana e a esquerda europeia”.

Tarso já havia cobrado uma autocrítica do Brasil depois que Battisti admitiu em março de 2019 a participação em quatro homicídios cometidos no final dos anos 1970, quando era expoente de um dos tantos grupos armados da esquerda (havia também os de direita) que se insurgiram contra o Estado.

Senado-argentino-1
Senado argentino

Medida vai beneficiar 1,2 milhão de trabalhadores assalariados e aposentados. Praticamente todos os senadores – 66 votos a favor e apenas uma abstenção – acataram a proposta que integra um novo plano de enfrentamento à pandemia.

Rede Brasil Atual – Cerca de 93% dos trabalhadores não terão de pagar imposto de renda na Argentina após o Senado aprovar elevação da linha de isenção para 150 mil pesos mensais (cerca de R$ 9 mil). A medida vai beneficiar nada menos do que 1,2 milhão de trabalhadores assalariados e aposentados. Praticamente todos os senadores – 66 votos a favor e apenas uma abstenção – acataram a proposta. Ela já havia sido aprovada também com ampla maioria pela Câmara dos Deputados, com somente três abstenções.

A decisão, segundo o jornal Página 12, integra o plano de criação de um novo auxílio financeiro. A Renda Familiar de Emergência (IFE, na sigla em espanhol), reage às dificuldades econômicas impostas pela pandemia da covid-19. Uma das consequências da crise sanitária, que agravou a crise econômica herdada do governo de Mauricio Macri pelo atual presidente Alberto Fernández, é que a pobreza atinga cerca de 42% dos argentinos. Para se ter ideia, um assalariado com renda mensal bruta de 120 mil pesos (R$ 7,3 mil) pagava 3.200 mil de imposto por mês (R$ 195). Agora fica isento. A nova lei é retroativa a 1º de janeiro e o governo fará, ainda em abril, o reembolso do que já foi cobrado. O impacto fiscal deve ficar entre 34 e 47 bilhões de pesos, cerca de R$ 2 bilhões e R$ 2,9 bilhões.

Correção de rota

Outra característica da medida aprovada é que ela acentua a inversão da lógica tributária, iniciada em dezembro com a criação do imposto extraordinário sobre grandes fortunas, aprovado. Também com objetivo de amenizar os efeitos econômicos agravados pela pandemia, o governo Alberto Fernández conseguiu aprovar projeto que espera arrecadar quase 308 bilhões de pesos, ou, cerca de U$ 4,5 bilhões, tributando apenas 0,02% da população.

Agora, a meta central é começar a recuperar o poder de compra dos salários também para aquecer a economia. “Quando saímos do governo em 2015 havia 1,1 milhão de trabalhadores que contribuíam para a Receita. Macri (Mauricio Macri, ex-presidente) fez campanha dizendo que (os trabalhadores) não iam pagar imposto e acabou dobrando o número, levando para 2,3 milhões. Com esta lei, queremos corrigir o duro golpe que Macri deu no bolso dos trabalhadores”, disse ao Página12 José Mayans. O senador preside a Frente de Todos, bloco de apoio ao presidente Alberto Fernández.

Além da elevação da linha de isenção de imposto de renda na Argentina, a lei mantém até setembro isenção ao pessoal da saúde sobre plantões e horas extras. Gastos com creches para crianças de até três anos passam a ser dedutíveis até teto anual de 67 mil pesos (cerca de R$ 4 mil). A dedução por filhos incapacitados será dobrada – hoje é de 78.833 pesos por ano (cerca de R$ 4820) – e foi retirado o limite de idade. Também passa a ser permitida dedução por compra de material escolar, ou por companheiro ou companheira.

Brasil 247

Araripina – O assunto da semana é o Aeroporto da cidade que está fechado já há alguns meses, devido a falta de estrutura para operar e receber voos de aviões de pequeno porte, como era antes. E ontem, quinta-feira (08/04), o governo do estado lançou o edital para a requalificação do Aeroporto com um investimento previsto de R$ 2,9 milhões.

A polêmica está em uma PL apresentado pela deputada estadual Roberta Arraes (PP), que solicita a mudança do nome do Aeroporto, que hoje é Mairson Rodrigues Bezerra. No projeto a deputada solicita que o Aeroporto seja denominado de Espedito Granja Arraes, pai do ex-prefeito Alexandre Arraes e sogro da deputada.

A família do Piloto Mairson Bezerra emitiu uma nota repudiando a atitude da deputada:

Ontem, 08/04, nossa família foi surpreendida com a informação sobre um Projeto de Lei de 2020, de autoria da deputada estadual @robertaarraesoficial , em que o Aeroporto Regional do Sertão do Araripe é denominado por Espedito Granja Arraes. Diante o conhecimento desse fato, nós decidimos nos manifestar como uma forma de repúdio a essa determinação.

Nossa família tem total respeito pelo grande comerciante e cidadão Araripinense que foi Espedito Arraes, mas demonstramos aqui toda nossa insatisfação diante a nomeação do Aeroporto de Araripina, já que o seu nome tinha sido anteriormente oferecido (2013) pelo então deputado estadual @raimundopimentel com a mais justa justificativa relatada na história de Mairson Rodrigues Bezerra, um dos primeiros pilotos de avião nascido no município de Araripina e que morreu trabalhando no próprio local que seria denominado em sua homenagem.

Meu pai tinha na aviação como um dos seus maiores sonhos. Seu amor por voar era sua marca. Em 2002, ele trabalhava quando faleceu aos 37 anos num acidente trágico no Aeroporto de Araripina. Desde então nós buscamos todos os meios de que ele pudesse ser lembrado. Luta essa que foi de forma justa oferecida em 2013 pelo então deputado Raimundo Pimentel e que em 2020 a deputada Roberta Arraes solicitou a revogação de uma homenagem que traz uma das maiores lembranças que poderíamos ter de Mairson.

Externamos aqui nossa decepção e tristeza diante uma homenagem feita há 8 anos e que sempre foi esperada por toda a nossa família. Independente de poder político, deixamos a certeza de que lutaremos pela recuperação desse projeto, pois a nomeação desse Aeroporto é a maior lembrança que temos dele. É uma questão de honra para a nossa família.

O prefeito de Araripina Raimundo Pimentel também se pronunciou em relação a PL da deputada. Ele faz um apelo a Alepe para que rejeite o projeto em respeito a família e memória do piloto.

 

Araripina em Foco / Foto: Reprodução

 

Decisão é do vice-presidente da Corte, Jorge Mussi; PGR queria levar caso ao STF. Quinta Turma do STJ anulou quebra de sigilos bancário e fiscal do senador; dados basearam denúncia.

As informações obtidas a partir da quebra de sigilo faziam parte da apuração do caso das rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). (Foto: Reprodução)

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Jorge Mussi, rejeitou nesta sexta-feira (9) um recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre a decisão da Quinta Turma que anulou as quebras de sigilos do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

As informações obtidas a partir da quebra de sigilo faziam parte da apuração do caso das rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A PGR tentava levar a discussão sobre a validade desses documentos ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No recurso, o subprocurador-geral Roberto Luis Oppermann Thomé, que atua no STJ, afirmou que não houve ilegalidade nas decisões de primeira instância que autorizaram a quebra dos sigilos de Flávio.

A PGR defende, portanto, que os dados sejam utilizados na apuração.

Ao decidir nesta sexta, Mussi não analisou essa questão, e sim, se havia alguma questão constitucional que justificasse enviar o caso ao STF. O ministro avaliou que não havia e, com base nisso, rejeitou a admissibilidade do recurso.

A PGR, mesmo assim, ainda pode recorrer dessa decisão ao Supremo.

A anulação das quebras de sigilo

A decisão que anulou a quebra do sigilo de Flávio Bolsonaro foi tomada em fevereiro, por 4 votos a 1, pela Quinta Turma do STJ. O colegiado determinou que sejam anuladas a quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador.

As quebras tinham sido autorizadas em abril e junho de 2019 pelo juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, quando o caso das “rachadinhas” ainda estava na primeira instância.

O juiz decretou as quebras em duas decisões. Na primeira, a justificativa para a quebra foi curta e se resumiu a um parágrafo. A segunda tinha 10 páginas que justificavam a autorização, e serviu também para reforçar a fundamentação apresentada originalmente.

Os ministros entenderam que as decisões de Itabaiana afastando os sigilos não foram devidamente fundamentadas. A decisão não significa que Flávio Bolsonaro foi inocentado, mas na prática pode levar à anulação de todas as provas obtidas a partir de dados bancários e fiscais de Flávio Bolsonaro e de todos os outros envolvidos no caso das “rachadinhas”.

Com isso, a Quinta Turma abriu espaço para que a defesa tente derrubar a denúncia oferecida contra Flávio e outras 16 pessoas por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Lula orienta PT a não lançar candidatos em todos os estados em 2022

 (Foto: Ricardo Stuckert)

Cada vez mais candidato ao Palácio do Planalto em 2022, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já começou a articular, nos bastidores, a postura da sigla nas próximas eleições. Segundo o jornal O Globo, Lula teria orientado os dirigentes nacionais do partido para não lançar candidaturas a governador em todos os estados brasileiros. A ideia, que busca privilegiar alianças para a disputa da presidência da República, seria apenas entrar em pleitos que os petistas fossem favoritos ou tenham chances reais de vitória.
PUBLICIDADE
Um dos estados onde a estratégia seria aplicada seria justamente Pernambuco. PT e PSB parecem estar se reaproximando desde que o ex-presidente voltou a ficar elegível politicamente e políticos de ambas as legendas já não descartam reatar os laços. As siglas romperam na eleição para prefeito do Recife, o que culminou no desembarque dos petistas do governo estadual. 
“Eu acredito que o PT não teria dificuldade de voltar para a Frente Popular. Quando a gente está na política, a gente tem que pesar em cada momento, o que é mais importante”, afirmou o senador Humberto Costa (PT), em entrevista à Rádio Clube. “Nesse momento temos que ter um presidente da República com outra postura e se isto envolver o debate aqui em Pernambuco com o PSB, eu tenho certeza que o PT estadual não vai se negar a este debate”, completou o político. 
A postura do PT seria buscar mais candidaturas a deputado federal, para garantir recursos para as campanhas e tempo de TV. Ao mesmo tempo, o partido acredita que teria mais facilidade em construir alianças para o projeto encabeçado por Lula. Atraindo partidos de esquerda e centro, o PT tentaria construir algo próximo de uma frente ampla para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 
A estratégia não é novidade para o partido. Em 2018, o PT negociou com o mesmo PSB apoio nos estados de Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco, em troca do fim da aliança dos socialistas com o PDT. Com o acordo, a pré-candidatura da deputada federal Marília Arraes (PT) ao governo de Pernambuco, acabou sendo rifada. 
Já em 2020, o PT optou por lançar nomes para disputar a prefeitura na maioria das capitais e grandes cidades brasileiras. Entretanto, o tiro saiu pela culatra: pela primeira vez desde a redemocratização, o partido não elegeu prefeitos em nenhuma capital do país. 
Para o PSB, a aliança com o PT em Pernambuco seria importante no plano de manter o comando do estado, já que o atual governador, Paulo Câmara (PSB), irá deixar o cargo em 2023. Apesar de não ter definido o nome para um possível sucessor, o ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), aparece como mais cotado. Entretanto, o tom na sigla ainda é de cautela, já que o PSB também mantém conversas com o PDT para um possível apoio à candidatura de Ciro Gomes (PDT) à presidência. 
Outro nome importante em toda a articulação é o de Paulo Câmara. O governador de Pernambuco ainda não definiu o futuro político após deixar o Palácio das Princesas e há quem o sugira como possível vice em uma chapa para disputar a presidência. Nesta semana, Lula e Paulo Câmara participaram de reunião virtual com a presença de líderes das duas legendas. Estavam presentes figuras como Gleisi Hoffmann (PT-PR), José Guimarães (PT-CE), Paulo Teixeira (PT-SP) e Luiz Dulci (PT-MG); o presidente do PSB, Carlos Siqueira, o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB-SP) e Renato Casagrande (PSB-ES).

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso ouviu informalmente todos os demais membros da Corte antes de assinar, nesta quinta-feira (8), a liminar determinando que o Senado instale a CPI da Pandemia, para investigar eventuais crimes do governo de Jair Bolsonaro no combate à pandemia de Covid-19, que já matou mais de 345 mil pessoas no Brasil.

Segundo reportagem da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a maioria dos ministros teria avalizado a decisão monocrática ao ressaltar que a jurisprudência do STF determina a instalação obrigatória de uma CPI quando os requisitos necessários são atendidos, sem que haja a possibilidade de uma análise política do caso pelo presidente da Corte.

No despacho sobre o caso, o ministro ressaltou que gostaria de levar o caso para ser analisado pelo plenário do tribunal nesta quinta-feira (8), o que não foi possível em função da realização do julgamento que proibiu a realização de cultos religiosos e missas presenciais durante a pandemia.

A abertura da CPI da Pandemia atende a um pedido da oposição para apurar eventuais crimes e omissões do governo Jair Bolsonaro no enfrentamento da crise sanitária. Decisão de Barroso aconteceu um dia após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), ter defendido que a CPI não fosse instalada. (247)

“Se eu tivesse um filho fã da Juliette, expulsaria de casa’, dizia o tweet curtido pelo político.

“O Brasil em colapso e ele preocupando com quem é fã de bbb, sinceramente, estamos lascados!”, disse outro. (Foto: Reprodução)

Juliette, do ‘BBB21’, está fazendo tanto sucesso no reality show que até chamou atenção do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. No Twitter, o chefe de Estado mostrou que não torce para a participante e curtiu um post que criticava a advogada.

“Se eu tivesse um filho fã da Juliette, expulsaria de casa’, dizia o tweet curtido pelo político.

Após o like de Bolsonato, internautas e fãs de Juliette repercutiram o assunto na rede social: “Que honra pra Juliette, esse lixo de presidente não gostar dela”, disse uma usuária. “O Brasil em colapso e ele preocupando com quem é fã de bbb, sinceramente, estamos lascados!”, disse outro.

Falando em política, vale ressaltar que a sister é progressista e participou de vários movimentos como vira-voto, além de já ter elogiado a ex-presidente Dilma no programa global.

LinkedIn diz que dados de 500 milhões de contas à venda foram obtidos a partir de informações públicas

Logotipo do LinkedIn na sede da empresa em Mountain View, na Califórnia. (Foto: Robert Galbraith/Reuters)

Dados de 500 milhões usuários da rede social de contatos profissionais LinkedIn, que pertence à Microsoft, estão à venda em um fórum de hackers, segundo o site de segurança digital “CyberNews”.

Entre os dados disponíveis no vazamento estão nome, endereço de e-mail, número de telefone e gênero.

O LinkedIn afirmou que o conjunto de informações reúne “dados de um número de sites e empresas” e que parte do material foi coletado a partir de itens publicamente disponíveis em seu site.

Essa coleta teria sido feita por meio de “raspagem”, uma técnica que usa robôs para armazenar informações que ficam públicas.

A rede social afirmou que o método fere os seus termos de uso, que seus sistemas não foram invadidos e que nenhum dado privado de seus usuários foi obtido.

O LinkedIn não detalhou se pretende notificar as pessoas que tiveram seus dados publicados.

Caso no Facebook

Um vazamento similar com o Facebook foi divulgado no último final de semana. Dados de 530 milhões de usuários estavam sendo compartilhados de forma gratuita em fóruns.

A rede social disse que as informações foram colhidas a partir de “raspagem”, por meio do “mau uso” de uma ferramenta que ajudava os usuários a encontrar amigos com mais facilidade utilizando a lista de contatos do celular. A falha teria sido corrigida em setembro de 2019.

O Facebook afirmou na última quarta-feira (7) que não tem planos de notificar os usuários que foram afetados por esse vazamento.

Pernambuco registrou, nas últimas 24 horas, 1.992 novos casos e 63 óbitos por Covid-19, de acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), nesta sexta-feira (9).

Entre os confirmados hoje, 162 (8%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.830 (92%) são leves. As mortes ocorreram entre 1º de outubro de 2020 e esta quinta-feira (8). 

Ainda de acordo com o Portal Folha PE, agora, Pernambuco totaliza 366.346 casos confirmados da doença, sendo 37.389 graves e 328.957 leves e 12.686 mortes pela Covid-19.

Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela SES-PE.

 

Lula e Bolsonaro lideram pesquisa presidencial em SP, Doria marca 4%

Pesquisa Ipespe realizada no Estado de São Paulo com exclusividade para o Valor dimensiona o tamanho da dificuldade de uma candidatura presidencial do governador João Doria, um dos nomes cotados no PSDB para 2022.

No Estado governado há décadas por tucanos, o desempenho de Doria na corrida pelo Planalto é modesto, muito abaixo das marcas alcançadas pelos líderes Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro.
Além disso, a taxa de reprovação à gestão Doria entre os paulistas é mais que o dobro da taxa de aprovação. E mesmo numa eventual disputa à reeleição, Doria teria sufoco.

Além de ostentar 67% de rejeição (eleitores que dizem não votar nele “de jeito nenhum”), vê o ex-governador Geraldo Alckmin, do mesmo partido, como nome mais competitivo ao comando do Palácio dos Bandeirantes.

No maior colégio eleitoral do país, Lula e Bolsonaro empatam com 27% das intenções de voto para presidente, taxas parecidas com as que costumam obter nas pesquisas nacionais.

O ex-juiz Sergio Moro (sem partido) tem 11%. Com 5% estão empatados o apresentador de TV Luciano Huck (sem partido) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Doria é o sexto, com 4%.

Presidente do conselho científico do Ipespe, o sociólogo Antonio Lavareda destaca que o resultado soa positivo sobretudo para Lula. Isso porque seu desempenho é 15 pontos superior ao resultado obtido pelo também petista Fernando Haddad em São Paulo no primeiro turno da eleição presidencial de 2018. Com Bolsonaro ocorre o inverso.
Ele obteve 37,5% dos votos totais dos paulistas três anos atrás. Sua marca atual, portanto, pode ser classificada como declinante.

Filho de Afogados da Ingazeira, aluno da escola Cônego João Leite, Marcos Henrique Neves de Brito, filho de Luiz Gonzaga da Silva Brito, muito conhecido por Luiz de Zumba, e Maria Bernadete Neves de Brito, filha do saudoso Severino Lolô, saiu de sua terra natal em 1990 indo estudar na capital pernambucana e há 9 anos trabalha no Banco do Nordeste do Brasil (BNB), hoje na agência da cidade de Serra Talhada, mais advindo da agência Timbaúba, na zona da Mata Norte de Pernambuco.

Marcos Henrique, ou Marquinhos como é mais conhecido em Afogados da Ingazeira, desempenha o cargo de gerente de Micro e Pequenas Empresas (MPE), e foi agraciado pela segunda vez com o Certificado de Destaque pela Superintendência Regional do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), por ter apresentado um desempenho de destaque frente à gerência da carteira MPE – 5 Estrelas, isso ainda quando estava na agência Timbaúba, mas que só recebeu o certificado agora devido a pandemia do novo coronavírus, contribuindo assim com os resultados do Banco no segmento de Micro e Pequenas Empresas no ano de 2020, repetindo o feito de 2019 quando também recebeu a mesma honraria, informação do PE Notícias

O Aplicativo que permite o monitoramento das visitas e atendimentos domiciliares dos agentes comunitários de saúde em Afogados da Ingazeira atingiu nesta sexta-feira (09) a marca de um milhão de acessos.

Nele, a gestão e os profissionais de saúde podem ter em tempo real o acesso às informações sobre onde e quando ocorrem as visitas. O aplicativo condensa também as informações essenciais da população a respeito dos seus problemas de saúde, para melhor orientar o atendimento.

A criação e gerenciamento do aplicativo é coordenado pela empresa Ephealth, especialista em ferramentas tecnológicas voltadas para ações em saúde.

 

Vereador em Afogados que não conseguiu se reeleger deixa recado na entrada sua propriedade

O vereador Agnaldo Rodrigues, o Cancão, de Afogados da Ingazeira, chutou o pau da barraca. 

Se dizendo traído por muitos que lhe garantiram apoio, mas não chegaram com o voto, tem dito que não quer saber mais de política.  Vai honrar o mandato garantido por seus 490 votos.

Já mandou avisar a muitos que seu nome não é mais Cancão. “Agora eu sou Agnaldo”.

Agora na sua propriedade colocou uma placa com letras garrafais: “proibida a entrada de pessoas que não seja da família, principalmente quem não votou em mim”. Via Nill