Monthly Archives: abril 2020

Foram mais 112 casos confirmados e cinco mortes nas últimas 24 horas na Paraíba. No total, agora o estado registra 926 casos e 67 óbitos.

Os dados divulgados no início da noite desta quinta-feira (30) no boletim da Secretaria de Saúde do Estado (SES), também atualizaram os números de casos descartados e recuperados, que são 1965 e 156, respectivamente.

Conforme a secretaria executiva Renata Valéria, mais quatro cidades registraram casos e entraram no mapa da Covid-19 na Paraíba. Agora são 53 municípios com contágio pelo vírus.

Paraíba Já

Segundo atualização do Ministério da Saúde  total de mortes subiu para 5.901. 

O Brasil chegou a 85.380 pessoas infectadas por covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram adicionadas às estatísticas mais 7.218 casos, aumento de 9% em relação a ontem, quando foram registradas 78.662 mil pessoas nessa condição.

Segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta quinta-feira (28), o total de mortes subiu para 5.901. De ontem para hoje, foram registrados 435 novos óbitos, um aumento de 8% em relação a quarta-feira (29), quando foram contabilizados 5.466 falecimentos.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (2.375). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (854), Pernambuco (565), Ceará (482) e Amazonas (425).  

Além disso, foram registradas mortes no Pará (208), Maranhão (184), Bahia (104), Paraná (83), Espírito Santo (83), Minas Gerais (82), Paraíba (62), Rio Grande do Norte (56), Rio Grande do Sul (51), Santa Catarina (46), Alagoas (47), Amapá (34), Distrito Federal (30), Goiás (29), Piauí (24), Acre (16), Sergipe (12), Rondônia (16), Mato Grosso (11), Mato Grosso do Sul (9), Roraima (7) e Tocantins (3).

 

Divulgação/Ammpla

Em tempos de pandemia do novo coronavírus e medidas de distanciamento social, os saques do Auxílio Emergencial do Governo Federal têm gerado tumulto e aglomeração de pessoas. Em Petrolina, no Sertão do Estado, a Prefeitura, por meio da Guarda Civil Municipal e da Autarquia de Mobilidade (Ammpla), com o intuito de garantir maior bem estar dos cidadãos e impedir a propagação do vírus, decidiu intervir na organização das filas dispostas em frente à agência da Caixa Econômica Federal.

Em parceria realizada com a Caixa na noite da segunda-feira (27), o município disponibilizou agentes de trânsito da Ammpla e da Guarda para auxiliar os funcionários da instituição financeira na organização das filas, assegurando assim, que sejam cumpridas as medidas de distanciamento social. 

Além do apoio na organização, o chão de toda a rua foi sinalizado para marcar a distância entre as pessoas a serem atendidas.

Com a intervenção, a Rua João Clementino (centro da cidade) permanecerá interditada da esquina da Praça Maria Auxiliadora até o semáforo com a Avenida Souza Filho.

A mudança no trânsito também afetou a Rua Coronel Amorim (Rua do Colégio Dom Bosco) que foi transformada em sentido duplo

 

Foto: Aluisio Moreira /SEI

O governador Paulo Câmara assinou hoje (30.04) o Decreto Nº 48.973 que estende a quarentena em Fernando de Noronha, mantém a suspensão das atividades econômicas, prorroga o reinício das aulas nas escolas, universidades e demais estabelecimentos de ensino, público e privado, em todo o Estado de Pernambuco. O Decreto também veda o acesso e a prática de atividades nos parques e praias e nos calçadões das avenidas situadas nas faixas de beira-mar e beira-rio.

No documento, o Governo modifica o Decreto nº 48.809, de 14 de março de 2020 e passa a permitir o funcionamento das lojas de material de informática, por meio de entrega em domicílio ou como ponto de coleta. Os serviços de assistência técnica de eletrodomésticos e equipamentos de informática também estão liberados.

O acesso às praias e aos calçadões das avenidas situadas nas faixas de beira-mar e de beira-rio, e aos parques localizados no Estado de Pernambuco, para prática de qualquer atividade permanece proibido até o dia 15 de maio.  O Decreto também mantém a suspensão, até o dia 15 de maio, das atividades econômicas previstas nos Decretos Nº 48.809, Nº 48.832, Nº 48.834 e Nº 48.837, com as respectivas alterações.

A suspensão das aulas nas escolas, universidades e demais estabelecimentos de ensino, público ou privado, em todo o Estado de Pernambuco permanece em vigor até 31 de maio de 2020. O Governo de Pernambuco prolonga até o dia 10 de maio a quarentena no Arquipélago de Fernando de Noronha. A medida visa conter a epidemia da Covid-19 na ilha e realizar um estudo epidemiológico da evolução do novo Coronavírus no arquipélago.

As medidas foram tomadas com o objetivo de intensificar ações restritivas temporárias adicionais adotadas até então para o enfrentamento da emergência de saúde pública. Os serviços e atividades considerados essenciais permanecem funcionando, dentro dos limites previstos nos Decretos. Estão enquadrados nessa categoria, alguns setores, principalmente supermercados, padarias, mercados, lojas de conveniência, feiras livres, lojas de defensivos e insumos agrícolas, farmácias e estabelecimentos de produtos médico-hospitalares, postos de gasolina, bancos e serviços financeiros, inclusive lotéricas, casas de ração animal e  depósitos de gás, entre outros.

“Nosso governo tem compromisso com as pessoas. É o que se espera de um governo: humanidade, respeito, coragem para fazer o que precisa ser feito. Toda ação tem consequências. O isolamento social, por mais um tempo, também traz perdas. Mas diminui as perdas irrecuperáveis, que são as vidas humanas”, enfatizou Paulo Câmara.

Covid -19: Boletim atualizado aponta quatro casos em investigação em Araripina

Foto: Marcelino Siqueira

Doze casos já foram descartados

Por Roberto Gonçalves / Foto: reprodução

A Secretaria Municipal de Saúde de Araripina, no Sertão de Pernambuco, divulgou no início da noite desta quinta-feira (24) mais um boletim sobre o novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com as informações, nas últimas 24 horas os números apontam quatro casos sendo investigados, doze foram descartados e nenhum confirmado.

Entre os crimes listados pelo PSB, está a tentativa de interferência ilegal na Polícia Federal, ao tentar trocar o diretor geral da corporação sem causa ou motivo justificável, para obter informações sigilosas e relatórios de inteligência.

Deputados do PSB assinaram pedido de impeachment de presidente (Foto: Reprodução)

Deputados do Partido Socialista Brasileiro (PSB), apresentaram nessa quarta-feira (29), o pedido de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. A peça evidencia 11 crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente e foi dividida em três capítulos: dos crimes de responsabilidade denunciados pelo ex-ministro Moro, dos crimes de responsabilidade contra a democracia e as instituições; e dos crimes de responsabilidade relacionados à pandemia do Covid-19.

O pedido é assinado pelos deputados Gervásio Maia (PB), Alessandro Molon (RJ), Aliel Machado (PR), Bira do Pindaré (MA), Camilo Capiberibe (AP), Danilo Cabral (PE), Denis Bezerra (CE), Elias Vaz (GO), Gonzaga Patriota (PE), Júlio Delgado (MG), Lídice Da Mata (BA), Luciano Ducci (PR), Marcelo Nilo (BA), Rafael Motta (RN), Tadeu Alencar (PE), Vilson da Fetaemg (MG).

“O ex-ministro Sérgio Moro fez acusações muito graves contra o presidente. Além de crime de responsabilidade, a fala de Sérgio Moro aponta vários crimes: falsidade ideológica, tráfico de influência, obstrução da justiça, abuso de autoridade, entre outros. Não podíamos ficar omissos diante uma situação tão grave”, afirmou o vice-líder do PSB na Câmara, Gervásio Maia.

Interferência na PF

Entre os crimes listados pelo PSB, está a tentativa de interferência ilegal na Polícia Federal, ao tentar trocar o diretor geral da corporação sem causa ou motivo justificável, para obter informações sigilosas e relatórios de inteligência. A nomeação de Alexandre Ramagem foi anulada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) por meio de liminar, o que levou o presidente recuar, nessa quarta-feira (29).

O presidente também teria incorrido em crime de advocacia administrativa, ao solicitar relatórios de inteligência da Polícia Federal, de acordo com a peça apresentada pelos parlamentares.

                                                                                                                             

                                                

Um universo de 13,6 milhões de informais terá que refazer o cadastro no aplicativo e site da Caixa Econômica Federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600. Ao analisar 40 milhões de cadastros realizados no sistema do banco, a Dataprev não conseguiu  identificar se esses trabalhadores têm direito ao benefício. Outros 20,27 milhões foram considerados elegíveis e 6,97 milhões, inelegíveis.

Ao todo, foram finalizados no sistema 49, 2 milhões de cadastros até o final da tarde desta quarta-feira. Desse total, 46 milhões já foram repassados à Dataprev para cruzamento de dados e autorização do pagamento.

Quando o resultado é inconclusivo, o interessado pode fazer uma nova solicitação para corrigir dados informados anteriormente.  Entre os motivos para esse tipo de resultado  estão:  marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro; falta de inserção da informação de sexo;  inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;  divergência de cadastramento entre membros da mesma família;  inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Se o resultado for “benefício não aprovado”, o interessado poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação. Para receber o auxílio emergencial, ele não pode receber outro benefício do governo e precisa se enquadrar nos critérios previstos nas lei: renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50)  ou renda familiar total de até três mínimos (R$ 3.135,00).

A Caixa Econômica Federal informou ainda que já pagou o auxílio emergencial de R$ 600 para 46,2 milhões de pessoas, o que representa um volume total de R$ 32,8 bilhões. Desse universo, 17,3 milhões são beneficiários do Bolsa Família, 10,5 milhões são trabalhadores inscritos no cadastro do governo e 18,4 milhões, informais que fizeram o cadastro no  aplicativo e site da Caixa para receber o benefício

                                       

CREMEPE recomenda médicos a estabelecerem prioridade para leitos de UTI

   

O iminente colapso no sistema de saúde de Pernambuco devido ao novo coronavírus levou o Conselho Regional de Medicina, o CREMEPE, a publicar uma recomendação orientando médicos a estabelecerem uma pontuação para os pacientes na hora de decidir quem terá prioridade nos já raros leitos de UTI e ventiladores.

A grosso modo, a prioridade será de pacientes que têm mais chance de viver. Pernambuco já tem a segunda maior taxa de letalidade pela doença do país, com 5,31 mortes a cada 100 mil habitantes, São Paulo (4,46) e Rio (4,27). Em primeiro lugar está o Amazonas, com taxa de 7,33.

Até o último dia 28, o Estado tinha 5.724 casos confirmados do novo coronavírus – como em todo o País, a subnotificação é imensa – e 508 mortes em decorrência da doença. A taxa de ocupação de UTIs e leitos de enfermaria chegou a 97% e a 86%, respectivamente.

Gestante prioridade – De acordo com as observações no documento publicado pelo CREMEPE, se dois pacientes tiverem pontuação igual e só houver uma vaga disponível, a prioridade deverá ser de gestantes e pessoas mais jovens.

O Conselho orienta ainda que todas as internações em UTI sejam avaliadas diariamente e reconsideradas de acordo com a resposta do paciente à terapia intensiva. Se apresentar piora clínica, o médico poderá indicar outras formas de tratamento paliativo, e assim liberar a vaga para outra pessoa.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, ontem, foram registradas 170 novas internações de pacientes que precisavam de UTI ou de respiradores.

Estado de Pernambuco aportará recursos para abertura de novos leitos de UTI nos municípios

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou, nesta quarta-feira (29), um reforço de recursos do tesouro estadual para complementar o custo da abertura e da manutenção de novos leitos de UTI nos municípios pernambucanos. Serão repassados diariamente R$ 400 para cada leito de UTI credenciado pelos municípios junto ao Ministério da Saúde para o enfrentamento ao novo coronavírus.

“A ideia é ampliar a nossa capacidade de assistência aos pacientes com a Covid-19, garantindo o melhor atendimento possível. É um esforço adicional do governo de Pernambuco que, tenho certeza, vai contribuir muito no enfrentamento à doença”, afirmou Paulo Câmara. Inicialmente, serão destinados R$ 4 milhões.

Na terça-feira (28), o governador e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, anunciaram que a parceria entre as gestões estadual e municipal já disponibilizaram 1.132 novos leitos para o tratamento dos pacientes do coronavírus. Desses, 677 são leitos de enfermaria e 455 são UTIs totalmente equipadas e preparadas para atender a população.

No início desta semana, Paulo Câmara anunciou a implantação de novos leitos de UTIs e enfermarias em mais 12 municípios da Região Metropolitana do Recife e do interior. Os leitos estão nas cidades de Moreno, Cabo de Santo Agostinho, Paulista, Olinda, Palmares, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, Salgueiro e Petrolina. Ele ressaltou que o processo de abertura de vagas vai continuar em maio. Caruaru, Serra Talhada e Petrolina, por exemplo, receberão novos leitos e vão inaugurar três hospitais de campanha.

Previsão é de chuva fraca por todo estado de Pernambuco nesta quinta-feira

Esta quinta-feira (30) será de chuvas com intensidade fraca na Região Metropolitana do Recife (RMR), segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac). A temperatura mínima pode chegar a 23° C e a máxima atingir 30° C.

No Agreste, a previsão também é de chuvas com mínima de 19° e máxima de 30° com o céu parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade fraca a moderada.

Confira a previsão completa:

Região Metropolitana

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada.
Temperatura (ºC): Estável

Máxima: 30° Mínima: 23°

Mata Norte

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 23°

Mata Sul

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 23°

Agreste

Parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade fraca a moderada.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 19°

Sertão de Pernambuco

Parcialmente nublado a nublado com chuva rápida de forma isolada no período da tarde e noite com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 32° Mínima: 20°

Sertão de São Francisco

Parcialmente nublado a nublado com chuva rápida de forma isolada no período da tarde e noite com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 32° Mínima: 21°

Foto: Rodrigo Pires

Auxílio emergencial: mais de 13 milhões de informais terão que refazer o cadastro no aplicativo da Caixa

Filas nas agências da Caixa no Recife Foto: Agência O Globo

Um universo de 13,6 milhões de informais terá que refazer o cadastro no aplicativo e site da Caixa Econômica Federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600. Ao analisar 40 milhões de cadastros realizados no sistema do banco, a Dataprev não conseguiu  identificar se esses trabalhadores têm direito ao benefício. Outros 20,27 milhões foram considerados elegíveis e 6,97 milhões, inelegíveis.

Ao todo, foram finalizados no sistema 49, 2 milhões de cadastros até o final da tarde desta quarta-feira. Desse total, 46 milhões já foram repassados à Dataprev para cruzamento de dados e autorização do pagamento.

Quando o resultado é inconclusivo, o interessado pode fazer uma nova solicitação para corrigir dados informados anteriormente.  Entre os motivos para esse tipo de resultado  estão:  marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro; falta de inserção da informação de sexo;  inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;  divergência de cadastramento entre membros da mesma família;  inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Se o resultado for “benefício não aprovado”, o interessado poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação. Para receber o auxílio emergencial, ele não pode receber outro benefício do governo e precisa se enquadrar nos critérios previstos nas lei: renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50)  ou renda familiar total de até três mínimos (R$ 3.135,00).

A Caixa Econômica Federal informou ainda que já pagou o auxílio emergencial de R$ 600 para 46,2 milhões de pessoas, o que representa um volume total de R$ 32,8 bilhões. Desse universo, 17,3 milhões são beneficiários do Bolsa Família, 10,5 milhões são trabalhadores inscritos no cadastro do governo e 18,4 milhões, informais que fizeram o cadastro no  aplicativo e site da Caixa para receber o benefício.

Coronavírus: governadores preparam nota de resposta às críticas de Bolsonaro

João Doria e Jair Bolsonaro

Os governadores estão articulando uma nota de repúdio às declarações que Jair Bolsonaro deu nesta quarta-feira (29), culpando-os pelo aumento do número de mortes por coronavírus. Os governadores dos principais estados — com a exceção de Romeu Zema, claro — e do Nordeste debatem neste momento o texto final do documento.

Bolsonaro, no cercadinho do Palácio da Alvorada, disse que a culpa seria das medidas de isolamento social implantadas por governadores e prefeitos:

— A imprensa tem que perguntar para o Doria porque mais gente está perdendo a vida em São Paulo, pergunta para ele. Tomou todas as medidas restritivas que achou que tinha que tomar. Não adianta a imprensa botar na minha conta essas questões que não cabem a mim. A minha opinião não vale, o que vale são os decretos de governadores e prefeitos.

O apresentador está afastado de seu programa na TV A Crítica/RedeTV desde o último dia 22, quando passou mal ao vivo e teve que ser substituído às pressas pela repórter Mayara Rocha.

Ele estava previsto para voltar ao ar nesta segunda-feira (27) o que não aconteceu. ​(Foto: reprodução)

A filha do apresentador Sikêira Júnir, usou seu perfil no instagram nesta quarta-feira (29) para esclarecer sobre o estado do seu pai, após informações de que ele estaria hospitalizado. Segundo ela, ele está em casa se recuperando. Ele estava previsto para voltar ao ar nesta segunda-feira (27) o que não aconteceu. 

“Não basta estar com meu pai doente se recuperando, ainda temos que aguentar informações fantasiosas de que meu pai está no Hospital. Ficam inventando coisas da saúde de uma pessoa, que é um ser humano e não merece isso. Só vim desmentir que ele não está em Hospital, está em casa se recuperando. Ao invés de estarem falando essas coisas, tirem um tempo para orar e pedir por suas famílias”, explicou.

O apresentador está afastado de seu programa na TV A Crítica/RedeTV desde o último dia 22, quando passou mal ao vivo e teve que ser substituído às pressas pela repórter Mayara Rocha.

Leia mais:            

Sikêra Júnior passa mal ao vivo e pede orações: ‘Peçam a Deus, quem gosta deste velho, uma oração pra esse velho’

Sectetária de Saúde de Ipubi Silvanete Andrade / Foto: reprodução

O município de Ipubi (PE), registrou mais um caso positivo de Covid-19. Com a atualização dos dados, a cidade agora tem nove confirmações, sendo que sete pacientes estão curados.

De acordo com a prefeitura, os dois pacientes que ainda estão em tratamento da doença encontram-se em isolamento social. Um deles está em casa e o outro internado no hospital.

O balanço oficial deverá ser divulgado pela Secretaria de Saúde  ainda nesta quarta-feira (29).

 

 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem (a direita de Bolsonaro), para a diretoria-geral da Polícia Federal. A decisão é liminar – ou seja, provisória – e foi tomada em ação movida pelo PDT.

“Diante de todo o exposto, nos termos do artigo 7º, inciso III da Lei 12.016/2016, DEFIRO A MEDIDA LIMINAR para suspender a eficácia do Decreto de 27/4/2020 (DOU de 28/4/2020, Seção 2, p. 1) no que se refere à nomeação e posse de Alexandre Ramagem Rodrigues para o cargo de Diretor-Geral da Polícia Federal”, diz trecho do despacho de Moraes.

Ramagem, que é amigo da família Bolsonaro, foi escolhido pelo presidente da República para chefiar a PF, em substituição a Maurício Valeixo.

A demissão de Valeixo por Bolsonaro levou à saída do então ministro da Justiça Sergio Moro, que acusa o presidente de tentar interferir politicamente na Polícia Federal.

Na decisão em que suspendeu a nomeação, Moraes cita as alegações de Moro, e afirma que, em tese pode ter ocorrido desvio de finalidade na escolha de Ramagem ” em inobservância aos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”.

E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?’, diz Bolsonaro sobre mortes por coronavírus

Foto: Video/Reprodução

G1

O presidente Jair Bolsonaro perguntou a uma repórter, na portaria do Palácio da Alvorada, o que quer que ele faça em relação às mortes por coronavírus no Brasil, que nesta terça-feira (29) superaram as da China, país de origem da pandemia.

Nesta terça-feira, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o número de mortes confirmadas por covid-19, a doença provocada pelo coronavírus, ultrapassou a marca dos 5 mil, chegando a 5.017. Na China, são 4.643.

Durante a entrevista, uma jornalista disse ao presidente: “A gente ultrapassou o número de mortos da China por covid-19”. O presidente, então, afirmou: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, disse, em referência ao próprio sobrenome.

Momentos depois, na mesma entrevista, Bolsonaro disse se solidarizar com as famílias das vítimas. “Lamento a situação que nós atravessamos com o vírus. Nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos, que a grande parte eram pessoas idosas”, disse.

“Mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente, a gente quer ter uma morte digna e deixar uma boa história para trás”, disse o presidente.

Questionado se conversaria com o ministro da Saúde, Nelson Teich, sobre a flexibilização do distanciamento social, Bolsonaro afirmou que não dá parecer e não obriga ministro a fazer nada.

O presidente também disse que ninguém nunca negou que a covid-19 causaria mortes no Brasil e que 70% da população será infectada.

“As mortes de hoje, a princípio, essas pessoas foram infectadas há duas semanas. É o que eu digo para vocês: o vírus vai atingir 70% da população. Infelizmente é a realidade. Mortes vão (sic) haver. Ninguém nunca negou que haveria mortes”, disse.

Exames

O presidente também foi questionado sobre decisão judicial que deu ao jornal “O Estado de S. Paulo” o direito de ter acesso resultados dos testes de coronavírus aos quais se submeteu. Segundo o presidente, os dois exames resultaram negativo.

Bolsonaro disse ter o direito de não mostrar os resultados dos testes.

“Vocês nunca me viram aqui rastejando, com coriza. Eu não tive [a doença], pô. E não minto […]. Da minha parte, não tem problema mostrar. Mas, agora, eu quero mostrar que eu tenho o direito de não mostrar”, afirmou.

Com votação unânime, a Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou nesta terça-feira (28) que farmácias possam realizar os testes rápidos de diagnóstico do novo coronavírus. A medida não ajudará o governo federal a alimentar suas bases de dados, porém, vai diminuir a procura nos hospitais.
A medida passa a valer assim que for publicada no Diário Oficial da União. Os testes rápidos deverão ser devidamente registrados no Brasil e poderão ser feitos somente em farmácias e drogarias regularizadas pela agência. De acordo com a Anvisa, os testes não serão obrigatórios para todos os estabelecimentos, mas os que aderirem deverão adotar as diretrizes, protocolos e orientações estabelecidas pela agência e pelo Ministério da Saúde.
Entre as diretrizes estão: os testes deverão ser realizados por farmacêutico treinado; a garantia de registro e rastreabilidade dos resultados; a delimitação de fluxo de pessoas, além de áreas de atendimento, espera e pagamento diferentes para os usuários que buscam os serviços de teste rápido em relação aos que buscam os outros serviços na farmácia.
O relator da proposta foi o diretor-presidente da agência, Antonio Barra Torres, que, em seu voto, informou que a vigência das novas normas valerá enquanto for mantida a emergência de saúde pública de importância nacional provocada pela COVID-19, decretada pelo Ministério da Saúde em fevereiro deste ano.
Os testes rápidos em questão são aqueles que o paciente leva uma pequena picada no dedo e, através dessa amostra de sangue, é possível identificar se a pessoa desenvolveu anticorpos para combater a doença ou não. O resultado sai em, no máximo, 30 minutos. (Natália André/CNN)

Bolsonaro tira foto com parlamentar, tocando em seu celular Foto: Reprodução / Instagram

Sem máscara nem distanciamento, Jair Bolsonaro recebeu pouco mais de 20 deputados e ministros para um café da manha no Palácio do Alvorada nesta quarta-feira.

O objetivo é debater a pauta da Câmara e a organização da base para barrar investidas da oposição contra o governo.

Bolsonaro também tirou fotos com parlamentares, tocando em seus celulares.

Os deputados Caroline de Toni e Eduardo Bolsonaro Foto: Reprodução / Instagram

 

Secretaria de Saúde de Afogados desmente confirmação de Covid-19 após notícia viralizar no WhattsApp

Arthur Amorim diz que ao contrário da mensagem, caso não pode ser tratado como confirmado para Covid-19.

Caso está sob investigação e aguarda realização de exame

O Secretário de saúde de Afogados da Ingazeira, Arthur Amorim, falou agora ao programa A Tarde é Sua, da Rádio Pajeú, sobre um rumor que circula nos canais de WhattsApp. “

“Gente, um caso positivo  aqui  no São Brás,  na Rua Floriano  Peixoto. A Vigilância Sanitária já está  lá isolando  a rua  e vai fazer o teste  nos moradores. Foi  a gestante de ontem  que foi encaminhada,  já está entubada”, dizia a mensagem que correu trecho no WhattsApp.

“A gente foi informada dessa situação. Recebemos ligação do Hospital Regional Emília Câmara sobre a gestante. A paciente fez um parto de urgência cesáreo. No momento, em decorrência do procedimento está internada em, UTI, estável, segundo o Hospital que a recebeu e não há caso confirmado”, disse.

A investigação do caso é necessária porque ela apresentou insuficiência respiratória. A partir daí, o procedimento de averiguação é padrão. “Não há confirmação.  Ela pode estar intubada em decorrência de procedimento por exemplo. Mas manteremos a todos informados”.

O bebê segundo o Hospital se encontra também em UTI e está estável, pondo fim a rumores de que teria falecido. O próximo boletim vai ao ar do fim da tarde para início da noite de hoje, como tem feito a Prefeitura.

Duas meninas morrem afogadas na Carapuça, zona rural de Afogados

 28 abril  Grupo Roma Conteúdos  0 Comentários

Duas meninas de 11 anos de idade, Layssa, filha de Edvania e Maria Eduarda da Conceição, filha de Faustino e Valéria, morreram afogadas na manhã desta segunda-feira (27) no açude da comunidade da Carapuça, em Afogados da ingazeira. Elas estavam tomando banho no açude.

Ainda ontem, no período da noite, as mesmas foram sepultadas, a orientação é  da Secretaria Estadual de Saúde.

Caso a média de 130 mortes causadas pelo coronavírus por dia seja mantida, Manaus poderá ser obrigada a sepultar as vítimas em sacos plásticos nas próximas semanas. A avaliação é da Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (Abredif), que solicitou ao governo federal um avião de carga para o transporte de 2 mil urnas para a capital do Amazonas. Segundo a entidade, existem apenas mil urnas no estoque da cidade, uma das mais afetadas pela pandemia.

A entidade enviou uma carta à Secretaria de Articulação Social do governo federal, no último fim de semana, alertando para a gravidade do problema. De acordo com o presidente da associação, Lourival Panhozzi, há a necessidade imediata de reforço no estoque. “Se o governo não oferecer um avião para o transporte de urnas, poderemos chegar ao ponto de termos corpos jogados nas esquinas. O transporte rodoviário demora dias e a necessidade é imediata”, afirma.

O colapso no setor funerário descrito pela entidade está sendo vivido pelo Equador. Após vídeos que mostram cadáveres pelas ruas de Guayaquil, no sudoeste do país, a cidade sofre com a falta de caixões. As vítimas são enterradas em caixas de papelão, desobedecendo normas sanitárias do governo.

A rotina de 120 enterros por dia exige o uso de valas coletivas no Cemitério Parque Tarumã, na zona norte da capital do Amazonas A prefeitura alega que a metodologia de “abertura de trincheira” é internacional. Diferentemente do que se convencionou chamar de vala comum, uma área de enterros sem identificações, essa medida “preserva a identidade dos corpos e os laços familiares, com o distanciamento entre caixões e identificação de sepultura”. O Amazonas já registrou 304 mortes por covid-19.

Quando todos os cuidados necessários são tomados e o manuseio correto é praticado, não há razão para temer a disseminação da covid-19 por cadáveres, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). “Só podem ser (infecciosos) os pulmões dos pacientes com gripe pandêmica se forem manipulados de forma incorreta durante uma necropsia”, acrescenta a entidade, em nota Isso não significa que o vírus morra com a vítima. No caso de doenças respiratórias agudas, os pulmões e outros órgãos “podem continuar a abrigar vírus vivos”. Mas eles só são liberados, em geral, nas necropsias.

A associação das empresas funerárias questiona ainda a falta de protocolo nacional durante as principais fases da atividade funerária, como a remoção dos falecidos, preparação dos corpos, velório, sepultamento e cremação. “Somos os responsáveis pela remoção e preparação dos corpos das vítimas do coronavírus e, assim como os profissionais da saúde, necessitamos de equipamentos de proteção e um protocolo unificado”, argumenta Panhozzi.

Equipamentos

Além das dificuldades para o sepultamento dos corpos de vítimas do coronavírus, o Estado enfrenta ainda escassez de itens de proteção. Ontem, profissionais do Hospital 28 de Agosto, em Manaus, fizeram um protesto contra a falta de equipamentos. O governo do Amazonas vem informando que investe na distribuição de insumos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Fonte: Estadão Conteúdo

O governo federal estendeu por mais 30 dias a proibição da entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade no Brasil por meio de voos internacionais. A portaria foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União” nesta terça-feira (28).

A restrição está em vigor desde 30 de março e foi adotada em razão da pandemia do novo coronavírus, a partir de recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nesta terça, de acordo com levantamento exclusivo feito pelo G1 junto às secretarias estaduais de saúde, foram registradas 4.682 mortes provocadas pela Covid-19 e 68.188 casos confirmados da doença em todo o país.

Segundo o texto da nova portaria, a restrição para entrada de estrangeiro no Brasil não se aplica nos casos de:

  • Imigrante com residência de caráter definitivo no Brasil;
  • Profissional em missão a serviço de organismo internacional;
  • Funcionário acreditado junto ao governo brasileiro;
  • Cônjuge, companheiro, filho, pai ou curador de brasileiro;
  • Portador de Registro Nacional Migratório;
  • Transporte de cargas;
  • Passageiro em trânsito internacional, desde que não saia da área internacional do aeroporto e que o país de destino admita o seu ingresso;
  • Pouso técnico para reabastecer, quando não houver necessidade de desembarque de passageiros das nacionalidades com restrição.

Ainda de acordo com a nova portaria publicada pelo governo, o estrangeiro que descumprir a restrição poderá ser:

  • responsabilizado de forma civil, administrativa e penal;
  • repatriado ou deportado imediatamente;
  • inabilitado a pedir refúgio.
Foto: reprodução

Foram confirmados, nesta terça-feira (28), 366 novos casos de pacientes com a Covid-19 em Pernambuco, elevando o número total para 5.724 casos no estado. Também houve confirmação de mais 58 óbitos e, com isso, o estado passa a ter 508 mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus.

Dos 366 casos confirmados, 196 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), quando os pacientes foram internados ou tiveram quadro considerados mais graves. Outros 170 pacientes têm quadro considerado leve. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), eles são profissionais de saúde e segurança, além de pacientes ambulatoriais da rede privada.

Com esse acréscimo, o total de 5.724 pacientes é dividido em 3.884 casos graves e 1.840 casos leves. Os detalhes do boletim epidemiológico devem ser repassados ao longo desta terça-feira (28) pela SES.

Alepe aprova e Paulo Câmara vai poder gastar R$ 95 milhões no combate ao Coronavírus

Foo: reprodução
A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou no último dia 23, projeto que autoriza o uso do saldo de empréstimo feito em 2010 para financiar o Pró-Rural.

Com o saldo remanescente de U$ 18 milhões de dólares (R$ 95,6 milhões) de um empréstimo feito com o Banco Mundial na época do governo Eduardo Campos no ano de 2010.

De acordo com o governo do estado, o dinheiro será destinado para a compra de insumos  e equipamentos de proteção individual e contratação de profissionais de saúde no combate ao covid-19. O empréstimo que foi feito tinha como meta fortalecer a agricultura familiar. Foram adquiridos U$ 100 milhões de dólares. Destes, foram gastos U$$ 82 milhões ao longo destes dez anos.

“Eu entendo que esse momento é de união do nosso povo, institucional. Ainda devemos um gesto de boa fé ao governador Paulo Câmara (PSB) para que tenha todas as ferramentas para combate ao coronavírus”, lamentou o parlamentar. “Nós temos convicção que se o nosso estado tivesse sido gerido de uma forma melhor, nós estaríamos numa situação mais favorável”, reclamou ainda.

O único voto contrário foi o do deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), líder da oposição na Alepe. O parlamentar disse não concordar que o dinheiro da agricultura fosse remanejado. Para ele, o fato de todos os parlamentares colocarem suas emendas à disposição do governo para ações de combate à Covid-19, além de recursos disponibilizados pelo Governo Federal, já daria à gestão estadual meios suficientes de enfrentar a pandemia.

“Pernambuco já recebeu muito dinheiro para enfrentar a pandemia do novo coronavírus, mas algumas ações ainda são falhas, temos visto que o pessoal de saúde tem sido contaminado porque faltam equipamentos de proteção individual (EPIs), assim como os profissionais de segurança pública, e outros funcionários do setor público, como os garis que estão trabalhando sem proteção”, disse o parlamentar.

No novo boletim da Secretaria de Estado da Saúde constam mais 65 novos infectados.

A Paraíba tem mais três mortes causadas pelo novo coronavírus e a soma de 699 casos confirmados. No novo boletim da Secretaria de Estado da Saúde constam mais 65 novos infectados.

As informações foram divulgadas às 18h desta terça-feira (28). O estado tem 1.531 casos descartados para a infecção pela Covid-19. O total é de 58 óbitos pelo novo coronavírus. A soma de recuperados chega a 149.

Segundo o governo, já são 1.067 vagas em funcionamento nas unidades hospitalares, sendo 418 de UTI

Foto: Aluísio Moreira /SEI

No dia 18 de março, há exatos 40 dias, o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, anunciaram a criação de mil leitos exclusivos para o atendimento aos casos da Covid-19, sendo 400 leitos de UTI e 600 de enfermaria. Essa marca foi atingida e superada nesta segunda-feira (27.04), com 1.067 leitos já em funcionamento, sendo 418 de Terapia Intensiva e 649 de enfermaria, espalhados por todas as regiões do Estado.  Em média, 10 novas vagas de UTI estão sendo abertas diariamente.

Pela gestão estadual, foram colocados em funcionamento 348 leitos de UTI, distribuídos entre o Hospital de Referência Covid-19 – Boa Viagem (38); Hospital de Referência Covid-19 – Olinda; Hospital Universitário Oswaldo Cruz (43); Hospital Agamenon Magalhães (40); Hospital Correia Picanço (05); Hospital Otávio de Freitas (20); Hospital Dom Helder Câmara – Cabo de Santo Agostinho (30); Hospital Mestre Vitalino – Caruaru (27); Imip (35); Hospital Regional de Palmares (05); Procape (08); Hospital Tricentenário (10); Hospital das Clínicas/UFPE (06); Hospital Armindo Moura – Moreno (10); Cesac Paulista (14); Cesac Prado (07); Hospital São Marcos (10); Hospital Santa Joana (05); Hospital Português (10); e Neurocardio – Petrolina (05).

Já os 384 leitos de enfermarias disponibilizados pelo Estado estão distribuídos entre o Hospital de Referência Covid-19 – Boa Viagem (55); Hospital de Referência Covid-19 – Olinda (20); Hospital Universitário Oswaldo Cruz (131); Hospital Dom Helder Câmara – Cabo de Santo Agostinho (16); Hospital Mestre Vitalino – Caruaru (25); Imip (23); Hospital Regional de Palmares (15); Hospital Armindo Moura – Moreno (10); Cesac Paulista (05); Cesac Prado (10); Hospital Inácio de Sá – Salgueiro (09); Hospam – Serra Talhada (13); Hospital Dom Moura – Garanhuns (10); Hospital Emília Câmara – Afogados da Ingazeira (04); Hospital Rui de Barros Correia (08); Hospital Dom Malan – Petrolina (10); UPAE Garanhuns (10); e UPAE Petrolina (10).

O secretário estadual de Saúde, André Longo, ressaltou que a abertura de novos leitos demonstra a seriedade, o esforço e a prioridade que o Governo de Pernambuco e a Prefeitura do Recife estão dando ao enfrentamento do novo coronavírus. “O dinamismo da doença fez com que novas necessidades surgissem, e o nosso compromisso é ampliar ainda mais esses leitos para atender às necessidades da população pernambucana, não apenas da capital, mas também do interior”, destacou Longo. Para esta semana, ele estima que mais 80 leitos sejam abertos sob gestão estadual.

Já o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, afirmou que o compromisso de abrir os mil leitos foi atingido hoje, mas ratificou que os esforços em conjunto da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado estão voltados para ofertar ainda mais vagas, de acordo com a necessidade dos casos.

Ela recebeu 44,1% dos votos do público e ganhou R$ 1,5 milhão, além de um carro 0 km.

Thelma é a grande campeão do Big Brother Brasil 20. Ela recebeu 44,1% dos votos do público e ganhou R$ 1,5 milhão, além de um carro 0 km.

Em segundo lugar ficou a influencer Rafa Kalimann e em terceiro a atriz e cantora Manu Gavassi. 

Antes do anúncio, Tiago Leifert chamou no jardim, Manu, Rafa e Thelma.

“Rafaella, claro que houve solidão no começo. Você vibra em uma frequência muito diferente. E quando você sente essa vibração estranha, você se fecha. Quando você entendeu o que estava acontecendo, você se abriu de novo. Você realmente capta tudo. Mas isso traz o que você tem de melhor. Você foi a porta-voz das mulheres. Você é a capitã, a influenciadora. A gente precisava de você”, declara Leifert.

Em seguida, o apresentador diz: “Thelminha, representar é o que você faz de mais bonito. Quando caiu o muro, e vocês viram o que estava do outro lado… A Thelma foi a primeira a bater no peito e a falar: ‘Não tenho medo de nenhum deles’. Sabe por que a Thelma foi esse ícone? Porque ela está acostumada. A Thelma estava sempre contra a estatística. Ela ‘samba na cara’ da sociedade”.

Leifert continua: “Temporada histórica. Algumas pessoas dizem que foi a melhor de todos os tempos. Eu acho que é. Mas eu sou suspeito para falar. A gente falou de assuntos muito importantes aqui dentro. A gente conseguiu falar com leveza e inteligência de assuntos muito difíceis”.

Thelma é a campeã do BBB20, com 44,1% dos votos. Rafa recebeu 34,81%.

Na sequência, a médica comemora, e abraça Manu e Rafa. Depois, as sisters se dirigem ao pódio da 20ª edição do BBB.

Ao deixar o governo, na última sexta (24), Moro apontou suposta interferência de Jair Bolsonaro em inquéritos da Polícia Federal.

Segundo o ex-ministro, o presidente Jair Bolsonaro decidiu trocar a direção-geral da PF porque gostaria de ter acesso a informações de inquéritos sobre a família dele. (Foto: Reprodução)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello autorizou nesta segunda-feira (27) abertura de inquérito para apurar declarações do ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública Sergio Moro.

Ao deixar o governo, na última sexta (24), Moro apontou suposta interferência de Jair Bolsonaro em inquéritos da Polícia Federal. Segundo o ex-ministro, o presidente Jair Bolsonaro decidiu trocar a direção-geral da PF porque gostaria de ter acesso a informações de inquéritos sobre a família dele.

O pedido de abertura foi encaminhado na sexta-feira (24) pelo procurador-geral da República, Augusto Aras. O decano do STF foi sorteado relator do pedido.

Segundo o ministro Celso de Mello, os fatos narrados por Moro têm relação com o exercício do cargo, o que permite a investigação de Bolsonaro. Isso porque a Constituição impede que o chefe do Executivo seja alvo de apuração alheia ao exercício do mandato.

“Os crimes supostamente praticados pelo senhor presidente da República, conforme noticiado pelo então Ministro da Justiça e Segurança Pública, parecem guardar (…) íntima conexão com o exercício do mandato presidencial, além de manterem – em função do período em que teriam sido alegadamente praticados – relação de contemporaneidade com o desempenho atual das funções político-jurídicas inerentes à chefia do Poder Executivo”, escreveu o ministro. .

Com a abertura do inquérito, começa a fase de produção de provas. Aras pediu ao Supremo que a linha de investigação tenha início com o depoimento de Moro e que o agora ex-ministro apresente documentos que comprovem suas declarações.

Uma das medidas que podem ser tomadas no curso do inquérito é a quebra de sigilos telefônicos, por exemplo, para verificar a autenticidade da troca de mensagens entre Sergio Moro e Bolsonaro. O material foi indicado por Moro como prova da suposta influência e divulgado pelo Jornal Nacional.

Em pronunciamento, Bolsonaro afirmou que as declarações de Moro eram infundadas e que ele não havia tentado interferir na Polícia Federal.

A imagem da conversa mostra que o presidente enviou a Moro o link de uma reportagem sobre a PF estar “na cola” de 10 a 12 deputados bolsonaristas. No print, o número que seria de Jair Bolsonaro escreve: “mais um motivo para a troca”, em referência ao então diretor-geral da PF, Mauricio Valeixo.

O estopim para que Sergio Moro deixasse o governo, e fizesse o discurso com indícios de irregularidades cometidas pelo presidente Jair Bolsonaro, foi a demissão de Valeixo – substituído por Alexandre Ramagem, delegado da PF que foi segurança de Bolsonaro na campanha e é amigo da família.

Para a PGR, a fala do ex-ministro da Justiça e ex-juiz indica possibilidade de crimes como falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de Justiça e corrupção passiva privilegiada.

Caso os fatos apresentados por Moro não sejam comprovados, ele poderia responder por denunciação caluniosa e crimes contra a honra. Nesta terça, Bolsonaro nomeou o advogado-geral da União André Luiz Mendonça para substituir Moro no Ministério da Justiça.

Celular de deputada

Nesta segunda, um pedido de investigação apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi anexado ao da Procuradoria-Geral da República. No documento, o parlamentar pede que a PGR apreenda o celular da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) para investigação.

Mensagens supostamente trocadas entre Moro e a parlamentar também foram tornadas públicas pelo Jornal Nacional, em material apresentado pelo ex-ministro. Nelas, Carla Zambelli se oferece para “mediar” uma indicação de Moro ao STF e, com isso, garantir a permanência do ex-juiz no governo.

No pronunciamento em resposta à demissão de Moro, Bolsonaro disse que o ex-ministro tinha condicionado a troca na direção da PF à indicação para o Supremo. Sergio Moro mostrou a troca de mensagens com Carla Zambelli ao Jornal Nacional como suposta prova para desmentir essa acusação.

Decisão do ministro

O ministro apresentou as razões para a abertura de inquérito em uma decisão de 17 páginas. Celso de Mello determinou que a Polícia Federal tome o depoimento do ex-ministro Sérgio Moro, conforme pedido pela PGR. Os policiais terão prazo de 60 dias para cumprir a diligência.

O relator do inquérito também pediu que a Procuradoria-Geral da República se manifeste sobre o pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), de busca e apreensão do celular da deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

Celso de Mello argumentou na decisão que as condutas apontadas no pedido de abertura de inquérito “parecem guardar” conexão com o exercício do mandato de presidente. Por isso, não há incidência da regra da Constituição que determina que o presidente, uma vez no cargo, não deve responder a “atos estranhos ao exercício de suas funções”.

Apontou ainda que, na abertura de inquérito, não cabe aplicar a previsão de autorização por parte da Câmara – o aval dos deputados é para a instauração de um processo penal, procedimento posterior ao inquérito.

“No caso concreto, como já precedentemente ressaltado, o eminente Chefe do Ministério Público da União teria identificado, nas condutas atribuídas ao Presidente da República pelo então Ministro da Justiça e Segurança Pública, a possível prática de fatos delituosos que se inserem, considerada a disciplina constitucional do tema, no conceito de infrações penais comuns resultantes de atos não estranhos ao exercício do mandato presidencial”, afirmou o ministro.

Celso de Mello também afirmou que o princípio republicano previsto na Constituição determina que todos os agentes públicos, inclusive o presidente da República, são responsáveis perante a lei.

“Nunca é demasiado reafirmá-lo, a ideia de República traduz um valor essencial, exprime um dogma fundamental: o do primado da igualdade de todos perante as leis do Estado. Ninguém, absolutamente ninguém, tem legitimidade para transgredir e vilipendiar as leis e a Constituição de nosso País. Ninguém, absolutamente ninguém, está acima da autoridade do ordenamento jurídico do Estado”, destacou.

Dólar é cotado a R$ 5,6581 nesta manhã de terça-feira

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,13 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,4336.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. (Foto: Reprodução)

O valor do dólar na manhã desta terça-feira (28), está cotado no valor de R$ 5,6581. Já o valor do dólar para o turismo está sendo cotado a R$ 5,9142.

Enquanto isso, o Euro comercial está sendo vendido a R$ 6,13 e o Euro para o turismo é cotado por R$ 6,4336.

O dólar americano é a moeda dos Estados Unidos e tem sua emissão controlada pela Reserva Federal daquele país. O dólar é usado tanto em reservas internacionais como em livre circulação.

Número de mortes chegam a 4.543 em todo o país

Foi o segundo maior número de casos de contaminação em um dia, perdendo apenas para o sábado (24), quando foram acrescidos 5.514 casos ao balanço. (Foto: reprodução)

O Brasil chegou a 66.501 casos confirmados de coronavírus, de acordo com atualização do Ministério da Saúde, divulgada hoje (27). Nas últimas 24 horas foram adicionadas às estatísticas mais 4.613 pessoas infectadas, aumento de 7,5% em relação a ontem (26), quando foram registrados 61.888 mil casos confirmados.

Foi o segundo maior número de casos de contaminação em um dia, perdendo apenas para o sábado (24), quando foram acrescidos 5.514 casos ao balanço.

Já o número de mortes subiu para 4.543, com 338 novos óbitos de ontem (26) para hoje (27), um incremento de 8%. O número de novos óbitos em 24 horas ficou abaixo da quinta-feira (22), quando foram contabilizados 407. A taxa de letalidade ficou em 6,8%.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (1.825). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (677), Pernambuco (450), Ceará (284) e Amazonas (320).  

Também foram registradas mortes no Maranhão (125), Pará (114), Paraná (75), Bahia (76), Minas Gerais (62), Paraíba (50), Espírito Santo (57), Santa Catarina (43), Rio Grande do Norte (45), Rio Grande do Sul (42), Alagoas (34), Distrito Federal (26), Goiás (26), Amapá (26), Piauí (20), Acre (14), Sergipe (10), Mato Grosso (10), Mato Grosso do Sul (9), Rondônia (10), Roraima (4) e Tocantins (2).

De acordo com o boletim, a Paraíba chega a marca de 633 casos de coronavírus, com 53 mortes.

Dos 633 casos confirmados até esta segunda, 27 de abril, 119 já se recuperaram, 53 estão hospitalizados, 9 deles em leitos de UTI e 53, infelizmente, faleceram. (Foto: Reprodução)

A Secretaria de Saúde da Paraíba divulgou no final da tarde desta segunda-feira (27), um novo boletim sobre os casos de Coronavírus no estado. De acordo com o boletim, a Paraíba chega a marca de 633 casos de coronavírus, com 53 mortes.

Confira os dados abaixo:

  • Casos Confirmados: 633
  • Casos Descartados: 1482
  • Óbitos confirmados: 53  
  • Casos recuperados: 119 

Dos 633 casos confirmados até esta segunda, 27 de abril, 119 já se recuperaram, 53 estão hospitalizados, 9 deles em leitos de UTI e 53, infelizmente, faleceram. 

Os demais se recuperam em isolamento domiciliar acompanhados pelas secretarias municipais de saúde. 

Os casos estão distribuídos em 40 municípios: João Pessoa (410); Campina Grande (42); Santa Rita (47); Cabedelo (22); Sapé (18); Bayeux (17); Patos (12); Sousa (06); Cajazeiras (4); Conde (5); Junco do Seridó (3); Guarabira (3); São João do Rio do Peixe (5); Pombal (2); Itapororoca (3); Itabaiana (2); Pedras de Fogo (3); Serra Branca (1); Riachão do Poço (1); São Bento (4); Congo (1); Queimadas (1); Bom Jesus (1); Cruz do Espírito Santo (3); Igaracy (1); Alagoa Grande (1); Barra de São Miguel (1); Alagoa Nova (1); Coremas (1); Taperoá (1); Brejo Do Cruz (1); Caaporã (1); Coxixola (1); Boqueirão (1); Areia (1); Marizópolis (1),  Gurinhém (1), Esperança (2), Lagoa Seca (1), Mari (1).

LEIA MAIS: Covid-19: Brasil passa dos 66 mil casos confirmados

Três óbitos foram confirmados nas últimas 24 horas:
 
Homem de 54 anos, residente em Boqueirão, tabagista, estava interno em UPA no município de Campina Grande,foi a óbito dia 26/04.

Mulher, idosa, 72 anos, residente em Santa Rita, hipertensa e diabética, estava interna em Hospital  Público, foi a óbito 27/04.

Mulher, 52 anos, residente em Mari. Portadora de obesidade e transtornos psiquiátricos. Foi a óbito em 24 de abril em sua residência. O material foi coletado pelo Serviço de Verificação de Óbitos.  

No momento, 38% dos leitos de UTI disponíveis no Plano Estadual de Contingência para Covid-19 estão ocupados.

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a instauração de inquérito pedido pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para apuração de fatos noticiados pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro em pronunciamento ocorrido na última sexta-feira (24), quando anunciou sua saída do governo e fez acusações ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Aras, os supostos atos apontados por Moro revelariam a prática, em tese, de ilícitos como falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de Justiça e corrupção passiva.

O decano do STF determinou a realização da diligência inicial requerida por Aras, no prazo de 60 dias, pela Polícia Federal, que deverá ouvir o ex-ministro, a fim de que apresente manifestação detalhada sobre os termos do pronunciamento, com a exibição de documentação idônea que eventualmente possua acerca dos eventos em questão.

Em seu despacho, o ministro Celso de Mello afirma que o constituinte republicano, “com o intuito de preservar a intangibilidade das liberdades públicas e a essência da forma de governo, sempre consagrou a possibilidade de responsabilização do Presidente da República em virtude da prática de ilícitos penais comuns e de infrações político-administrativas”.

O ministro ressaltou que não se aplica ao caso a cláusula de “imunidade penal temporária”, prevista no artigo 86, parágrafo 4º, da Constituição Federal, uma vez que as condutas supostamente atribuídas a Bolsonaro se inserem no conceito de infrações penais comuns resultantes de atos não estranhos ao exercício do mandato presidencial.

“A sujeição do Presidente da República às consequências jurídicas e políticas de seu próprio comportamento é inerente e consubstancial, desse modo, ao regime republicano, que constitui, no plano de nosso ordenamento positivo, uma das mais relevantes decisões políticas fundamentais adotadas pelo legislador constituinte brasileiro”, destacou Celso de Mello.

“Não obstante a posição hegemônica que detém na estrutura político-institucional do Poder Executivo, ainda mais acentuada pela expressividade das elevadas funções de Estado que exerce, o Presidente da República – que também é súdito das leis, como qualquer outro cidadão deste País – não se exonera da responsabilidade penal emergente dos atos que tenha praticado, pois ninguém, nem mesmo o Chefe do Poder Executivo da União, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”, concluiu o relator.

– Clique aqu: Leia a íntegra da decisão.

Mourão critica forma de como Moro saiu e diz que ‘centrão’ pode garantir estabilidade

Ele poderia simplesmente ter solicitado sua demissão’, diz o vice-presidente

Três dias depois da crise instalada no governo com a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse nesta segunda-feira (27) que o episódio não se deu de forma apropriada.

“Dentro da minha cultura, a forma como o ex-ministro Moro saiu não é a mais apropriada. Ele poderia simplesmente ter solicitado sua demissão. Só isso já seria um problema para o governo pelas próprias características do Sergio Moro e tudo o que ele representa para o país. Vida que segue agora”, disse Mourão em uma videoconferência com a consultoria política Arko Advice.

Três municípios do Sertão de PE registram mortes pelo novo coronavírus

Foto: reprodução

Os municípios de Salgueiro, Terra Nova e Trindade registram as primeiras mortes pelo novo coronavírus. A vítima da Covid-19 em Salgueiro foi um homem de 42 anos. Ele morreu no domingo (26). De acordo com a prefeitura, morava na Zona Rural e era fumante.

O primeiro óbito em Terra Nova pela covid-19 foi divulgado no sábado (25) e se tratava de uma idosa, de mais de 80 anos, que apresentava diabetes, hipertensão, e problema cardíaco.

Uma paciente de Trindade, que morreu no dia 21 de abril, no Recife, testou positivo para Covid-19. O resultado do exame foi divulgado no último fim de semana. Ela estava internada na capital, onde fazia tratamento contra um câncer. A secretaria de Saúde de Trindade informou que, mesmo sem saber que a paciente estava com o novo coronavírus, todos os cuidados foram tomados para evitar o risco de disseminação entre os moradores.

Pernambuco registra 460 novos casos e 35 mortes pelo novo coronavírus

Foto: divulgação

Pernambuco já tem 460 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19). Esse foi o número divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), em seu boletim desta segunda-feira (27). Desse total, 203 casos que se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), quando os pacientes foram internados e/ou tiveram quadros mais graves, além de outros 257 casos leves – profissionais de saúde e segurança, além dos seus contatos e pacientes ambulatoriais da rede privada.

Agora, o Estado totaliza 5.358 casos confirmados (3.688 casos graves e 1.670 leves). Quanto aos óbitos, foram confirmados laboratorialmente 35, fechando no momento em 450 mortes pela Covid-19. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde.

A Secretaria de Saúde de Serra Talhada confirma mais um caso positivo do novo coronavírus no município. A paciente é uma idosa de 87 anos que se encontra internada no Hospital Regional Professor Agamenon Magalhães – HOSPAM.

Portanto, Serra Talhada tem no momento 08 casos confirmados, 06 em investigação, 26 descartados e 01 paciente recuperado.

Arcoverde – A Secretaria de Saúde informa que nesta segunda-feira (27), foram descartados mais dois casos suspeitos de Covid-19 e encaminhado mais um para investigação. O boletim diário, portanto, fica com 08 (oito) suspeitos, 29 (vinte e nove) descartados, 17 (dezessete) confirmados, quatro (04) óbitos e dois (02) recuperados.

 O óbito confirmado no boletim de ontem, 26 de abril, foi de uma mulher de 75 anos, moradora do São Cristóvão. Dentro desse mapeamento pelos bairros da cidade, dos 17 casos confirmados, oito (08) estão no São Cristóvão, dois (02) no Centro, um (01) no São Geraldo, um (01) no Sucupira, um (01) no Boa Esperança, um (01) no Pôr do sol, dois (02) no São Miguel, um (01) no Riacho do Meio.

Ainda dentro dos casos confirmados, sete (07) estão em isolamento domiciliar, três (03) em internamentos de enfermaria (leito em isolamento), um (01) em UTI e dois (02) recuperados.

Nas Barreiras Sanitárias das entradas de Arcoverde, foram abordados 2.414 veículos da cidade e da região. Na ocasião, estão sendo reforçadas as instruções em relação à obrigatoriedade do uso de máscaras.

Quem puder ficar em casa, fique. Caso precise sair, use a proteção. Para dúvidas, denúncias ou sugestões ligue para o Disk Coronavírus do município: 0800-281-55-89 e 3821-0082.

Foto: reprodução

O presidente eleito do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, admitiu que há uma possibilidade de adiamento das eleições 2020 por causa dos efeitos da pandemia do novo coronavírus.

“As convenções partidárias são no final de julho até o começo de agosto, e a campanha eleitoral começa em 15 de agosto. Se não puder ter alguma aglomeração em agosto, temos uma dificuldade. Porém, é mais grave um pouco ainda. A Justiça Eleitoral tem que fazer teste das urnas e treinos de mesários e isso teria junho como limite”, disse Barroso, em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira (27).

Luís Roberto Barroso foi eleito, em abril, o próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No final de maio, ele substitui a atual presidente, ministra Rosa Weber, e terá como uma das missões comandar a Corte durante a realização das eleições municipais, com data sob incógnita por causa da pandemia da covid-19.

“Até o momento, ninguém fala com precisão quando a curva vai evoluir e quando vai começar a ser descendente. Desejaria não adiar as eleições, mas, se for necessário adiar, é de competência do Congresso porque depende de uma emenda à Constituição. Se for necessário adiar, que ele seja pelo prazo mais breve possível. Desejaria adiar por algumas semanas, ainda este ano, para que não haja adiamento de mandato”, acrescentou Barroso, que também é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Há uma possibilidade real de que elas precisam ser adiadas e nesse caso gostaria de que se adiasse o prazo minimo possível para se evitar a prorrogação de mandatos”, frisou o magistrado.

Barroso também disse que tem conversado com profissionais de saúde para ter uma melhor percepção a respeito do quadro do coronavírus no Brasil.

“Infelizmente, a curva no Brasil neste momento ainda é ascendente. Tem havido mais casos e óbitos a cada dia. Tenho conversado com alguns epidemiologistas e eles dizem que o ciclo é de cerca de 3 meses e meio, mas tudo é um pouco imprevisível”, afirmou Barroso.

 

O prefeito José Patriota, de Afogados da Ingazeira, assinou novos decretos disciplinando o funcionamento dos estabelecimentos comerciais autorizados e a obrigatoriedade para a utilização de máscaras pela população.   

Os estabelecimentos devem observar as seguintes adequações:

  1. Disponibilização para os clientes de álcool a 70% na entrada e nos caixas;
  2. Higienizar os itens de carregamento de compras como: carrinhos, cestas e sacolas plásticas antes de sua entrega aos clientes;
  3. A entrada no estabelecimento deverá ser orientada por um colaborador/funcionário designado pelo proprietário ou gerente;
  4. Restrição de entrada nos estabelecimentos a uma pessoa por unidade familiar;
  5. Restrição e controle do distanciamento de todos os que se encontrem dentro do estabelecimento a, no mínimo, dois metros;
  6. Restrição de horário de funcionamento até às 19hs. 

As penalidades para o descumprimento vão de multas a, no caso de reincidência, suspensão do alvará de funcionamento.

No caso das máscaras de proteção, seu uso fica definido como uma importante estratégia de prevenção e combate à disseminação da Covid-19 em nosso município. Ficando determinada a expressa exigência do uso de máscaras para: 

  1. Uso de mototáxi, táxi, ônibus, lotações bem como de qualquer tipo de transporte compartilhado;
  2. Para acesso a todos os estabelecimentos prestadores de serviços essenciais autorizados a funcionar em nosso município;
  3. No acesso aos prédios públicos. 

É de responsabilidade de cada estabelecimento, seja ele público ou privado, o cumprimento rigoroso destas determinações, ficando eles sujeitos às sanções penais cabíveis em caso de descumprimento.  

Além dos diversos modelos e matérias primas existentes, também poderão ser usadas para efeitos deste decreto, máscaras de tecido, produzidas artesanalmente, desde que devidamente afixadas e ajustadas ao rosto do usuário, cobrindo totalmente a boca e o nariz. 

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira adquiriu recentemente 20 mil máscaras de proteção para serem gratuitamente distribuídas com a população. Mais 20 mil máscaras já foram encomendadas e devem chegar ao município ainda esta semana. Todas foram adquiridas no Polo de Confecções do Agreste. 

 

 

Assista:

 

Quem é Assisão?

A carreira do forrozeiro teve início em 1962, com a gravação do compacto gravado na indústria de LP´s Rozenblit, com quatro canções próprias, quando participava do grupo Azes do Baião. Nos anos 70, com a ascensão nacional, Assis se tornava Assisão.

Entre as letras, são destaques “Pau nas Coisas”, “Forró Ferruado”, “Peixe Piaba”, “Fogueirinha”, “Alambique de Barro” e “Pequenininha”. Só esta última teve mais de 250 regravações no País.

.

Mas para muitos, ele não convenceu. 

Depois de ter as suas redes sociais invadidas por sertanejos revoltados com uma brincadeira cheia de mal gosto e preconceito contra o forrozeiro Assisão,o comediante Murilo Couto se desculpou.

O ponto de partida foi a tentativa de “fazer humor ” com expressões preconceituosas contra o artista que fez uma live semana passada, arrecadando alimentos para famílias carentes.

Assisão,  conhecido como o Rei do Forró,  tem mais de 50 anos de carreira e mais de 700 composições,  muitas gravadas por grandes nomes da MPB.

O vídeo gerou inúmeras mensagens de repúdio de sertanejos contra o perfil do humorista.

Ele disse ter tido suas redes sociais invadidas e ter se surpreendido.  Primeiro, pediu desculpas ao Assisão,  depois respondeu aos críticos pela postagem.

“Agora descobri que é um velho cabeludo, com visual engraçado é lenda do forró “, disse. Em seguida destacou a importância de Assisão para a música e reforçou o “desculpa Assisão”.

Ele discordou de quem o criticou por tratar uma “pessoa de idade com desrespeito”, parte dos questionamentos. “Não foi uma coisa específica com Assisão e muito menos por ele ser do Nordeste”.

No final ainda fez referência à aparência do cantor com um cachorro da raça Cocker Spaniel e citou outro artista. “Retiro  o que eu disse. Quem parece é o Robert Plate, do Led Zepelin”.

Mas para muitos o pedido de desculpas não resolveu. Ao contrário,  piorou a situação, pois reiterou algumas críticas ironizando o artista.

Solidariedade de artistas a Assisão: Uma certeza é a de que Assisão teve grande solidariedade. Além de inúmeros políticos e representantes de entidades, artistas como Elba Ramalho,  Alcimar Monteiro, Santana e entidades condenaram o humorista.

“Acabei de ver um vídeo de um pseudo humorista que de forma deselegante,  desagradável,  preconceituosa, destila veneno e farpas sobre um de nossos grandes artistas nordestinos que é o nosso mestre Assisão”, disse Elba Ramalho .

E seguiu: “Presta atenção Murilo, da forma que você age sem conhecimento, sem cultura, sem informação e  com a língua tão afiada você certamente não chegará na metade do caminho que Assisão chegou. E com respeito, com capacidade, com honra”.

Ex-Ministro da Justiça Sérgio Moro pede demissão após discordar ds posições do presidente Jair Bolsonaro. Sérgio Lima/Poder360 24.04.2020

Sergio Moro, agora ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, escreveu em seu perfil no Twitter que está sendo alvo de uma campanha de notícias falsas para desconstruir sua imagem.

Na última sexta-feira,  o ex-juiz da operação Lava Jato saiu do governo Jair Bolsonaro atirando. Disse que o presidente cometeu diversos crimes, entre eles, prevaricação e falsidade ideológica.

Agora, Moro é alvo de apoiadores do presidente. Em manifestação realizada em Brasília, diversos cartazes acusavam o ex-ministro de traidor.

“Não me preocupo; já passei por isso durante e depois da Lava Jato. Verdade acima de tudo. Fazer a coisa certa acima de todos”, escreveu Moro, parafraseando o bordão de Bolsonaro (“Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”).

Eis o tweet de Moro publicado na tarde deste domingo (26):

Uma das imagens que circula na web foi divulgada por um dos filhos do presidente.

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) publicou fotos de Moro em encontros com as presenças dos deputados federais Aécio Neves (PSDB-MG), Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Joice Hasselmann (PSL-SP).

As fotos são antigas, foram registradas há mais de um ano. A com Aécio foi retratada em 6 de dezembro de 2016. A outra, com Maia e Joice, em 28 de março de 2019.

   

O procurador da República aposentado Carlos Fernando dos Santos Lima coordenou a força-tarefa da operação Lava-Jato entre 2014 e 2018. Ele fez diversas críticas às ações de Jair Bolsonaro à frente da presidência.

De acordo com Lima, não há compromisso do presidente com o combate à corrupção: “Eu já estava engasgado com Bolsonaro desde o episódio do Coaf, porque tenho uma consideração enorme pelo Roberto Leonel (ex-presidente do Coaf) e achei que a condução daquele episódio já mostrava que não havia um compromisso (do presidente) com o combate à corrupção. O compromisso ali era a proteção aos filhos, não é?”, comenta.

Para o ex-coordenador da Lava-Jato, o jeito radical com que Bolsonaro conduz o Brasil e o interesse em ter acesso direto a informações da Polícia Federal revela uma má intenção. “O presidente radicalizou num sentido que só pode significar que ele está imbuído de má intenção, que é o poder político tomar conhecimento de informações de investigações criminais”, aponta.

Major da reserva da PMDF amigo da família de Bolsonaro é novo Ministro da Justiça

O advogado e major da reserva da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) Jorge Antônio de Oliveira Francisco é novo Ministro da Justiça. A analista de política da CNN Basília Rodrigues recebeu, com exclusividade, a confirmação do nome do substituto.

Segundo Basília, fontes do Planalto revelam que se fez valer a vontade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na nomeação de Oliveira – ele é próximo da família Bolsonaro, com quem trabalha há mais de 15 anos.

Inicialmente, Oliveira não queria aceitar o cargo, mas Bolsonaro o convenceu ao dizer que o comando da pasta se tratava de uma missão, disseram as fontes.

Ele assume o lugar de Sergio Moro, que pediu demissão na última sexta-feira (24), após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo.

No início da tarde deste domingo (26), o novo ministro da Justiça e Segurança usou a conta que mantém no Twitter para publicar uma mensagem de apoio a Bolsonaro.

“Juntos com o PR @jairbolsonaro por um Brasil melhor. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!”, escreveu Oliveira

 

Foto: divulgação

O presidente Jair Bolsonaro bateu o martelo: o atual ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, homem da sua mais absoluta confiança, será mesmo o novo ministro da Justiça e Segurança Pública.

Advogado bem relacionado nos meios jurídicos, o novo ministro recebeu a missão de recuperar o Ministério da Justiça em seu papel político e no relacionamento com a Justiça, principalmente os tribunais superiores.

Jorge Oliveira é oficial aposentado da Polícia Militar do Distrito Federal, e se destacou na vida civil como assessor jurídico, a quem Bolsonaro consulta com primazia, nessa área.

Há muitos anos Oliveira trabalha com a família Bolsonaro. Foi assessor parlamentar do então deputado Bolsonaro, de que seu pai foi chefe de gabinete por duas décadas.

O novo ministro da Justiça também foi chefe de gabinete na Câmara do deputado Eduardo Bolsonaro durante o seu primeiro mandato. Antes de assumir a secretaria-geral, Jorge Oliveira foi subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil no início do atual governo.

Leia Também

 

Quem teve pedido indeferido pode solicitar nova análise

Os estudantes que solicitaram a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 já podem consultar sua situação na Página do Participante, no site ou no aplicativo, segundo informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

De acordo com o instituto, que é vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação do Enem, já foram analisadas todas as solicitações que comprovam, com documentos, os perfis de isenção definidos pelos editais do Enem, mas o sistema segue aberto para o envio de novos pedidos.

Todas as justificativas de ausência no Enem 2019 também foram deferidas, e futuros inscritos nesta situação já têm garantida a gratuidade de inscrição para o Enem 2020.

Terão isenção de taxa os candidatos que estejam cursando a última série do ensino médio este ano, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública declarada ao Censo da Educação Básica; tenham feito todo o ensino médio em escolas da rede pública ou como bolsistas integrais na rede privada e tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio; ou declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por serem membros de família de baixa renda e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que requer renda familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

As provas do Enem Digital que estavam previstas para ocorrer em 11 e 18 de outubro foram alteradas para os dias 22 e 29 de novembro. As do Enem impresso continuam previstas para 1º e 8 de novembro.

Nova chance

O Inep divulgou ainda, na tarde desta sexta-feira, que aqueles que não conseguiram comprovar pertencer aos perfis de isenção — e, portanto, tiveram seu pedido indeferido —  podem encaminhar documentação complementar para nova análise.

“A partir de segunda-feira, 27 de abril, os interessados poderão enviar a documentação que comprove a situação de solicitação de isenção, observando a opção escolhida, por meio da Página do Participante”, diz a nota. Conforme o Inep, serão aceitos somente documentos nos formatos PDF, PNG ou JPG, com o tamanho máximo de 2MB, conforme lista disponível no site do Inep.

Inscrições

A isenção não garante entrada automática no Enem. Todos os interessados deverão acessar a Página do Participante no período de 11 a 22 de maio e realizar a inscrição para confirmar participação no maior exame de acesso à educação superior do país. Durante as inscrições, o Inep irá conceder isenção, de ofício, para todos os inscritos que se encaixarem nos perfis descritos no edital, mesmo sem o pedido formal. A regra vale tanto para os participantes que optarem pelo Enem impresso quanto para os que escolherem o Enem Digital.

Aqueles que não se encaixarem nos perfis de isenção deverão realizar a inscrição nos prazos e critérios estabelecidos e efetuar o pagamento da taxa para poder participar.

*com informações do Ministério da Educação (MEC)

Agência Brasil

Paraíba já tem 499 casos confirmados de covid-19 e 49 óbitos (Foto: Reprodução)

A Paraíba registrou 52 novos casos de Covid-19 e três óbitos nas últimas 24h. Com isso já são 499 casos confirmados e 49 óbitos no estado. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde neste sábado (25).

Veja detalhes:

Casos Confirmados: 499
Casos Descartados: 1392
Óbitos confirmados: 49  
Casos recuperados: 117

Dos 499 casos confirmados até este sábado, 25 de abril, 117 já se recuperaram, 45 estão hospitalizados, 8 deles em leitos de UTI e 49, infelizmente, faleceram. Os demais se recuperam em isolamento domiciliar acompanhados pelas secretarias municipais de saúde.

Os casos estão distribuídos em 37 municípios: João Pessoa (313); Campina Grande (39); Santa Rita (37); Cabedelo (16); Sapé (13); Bayeux (15); Patos (11); Sousa (06); Cajazeiras (4); Conde (5); Junco do Seridó (3); Guarabira (3); São José do Rio do Peixe (4); Pombal (2); Itapororoca (3); Itabaiana (2); Pedras de Fogo (2); Serra Branca (1); Riachão do Poço (1); São Bento (1); Congo (1); Queimadas (1); Bom Jesus (1); Cruz do Espírito Santo (2); Igaracy (1); Alagoa Grande (1); Barra De São Miguel (1); Alagoa Nova (1); Coremas (1); Taperoá (1); Brejo Do Cruz (1); Caaporã (1); Coxixola (1); Boqueirão (1); Areia (1); Marizópolis (1) e Gurinhém (1)

Três óbitos foram confirmados nas últimas 24h:

Homem, 69 anos, residente em Brejo do Cruz, Hipertenso, com histórico de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, Estava internado em hospital público. Óbito ocorrido no dia 22/02 e confirmado hoje para Covid-19.

Mulher, 77 anos, residente em Santa Rita. Diabética, entrada no dia 20/04 em UPA e óbito ocorrido no dia 21/04.

Mulher, 69 anos, hipertensa,  residente em Marizópolis. Deu entrada em hospital público nesta sexta, porém veio a óbito neste sábado, 25/04, com resultado positivo para Covid -19.

No momento, 132 pessoas estão internadas com notificação de Síndrome Respiratória Aguda Grave, sendo 100 em enfermaria (75 público/ 25 privado) e 32 na UTI (24 público/ 8 privado), ocupando 17,6% dos leitos de UTI do SUS disponíveis no Plano Estadual de Contingenciamento para COVID-19.

Abdias diz que a bissexualidade do modelo nunca foi segredo, assim como o interesse dele por mulheres mais velhas.

Foto: Arquivo pessoalMãe de Neymar assumiu namoro com o modelo bissexual Tiago Ramos, de 23 anos Foto: Reprodução/Instagram

Em 2017, quando o rapaz saiu da Paraíba para morar no Recife com o sonho de jogar futebol, Abdias o contratou para ser o coordenador do balé de uma MC empresariada por ele. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O empresário pernambucano e humorista Abdias Melo, de 40 anos, foi quem deu a primeira oportunidade a Tiago Ramos, namorado da mãe de Neymar, na carreira artística. Em 2017, quando o rapaz saiu da Paraíba para morar no Recife com o sonho de jogar futebol, Abdias o contratou para ser o coordenador do balé de uma MC empresariada por ele.

“Ele é um artista nato, tem muito talento e carisma e sempre dançou e cantou muito bem. Até tentei lançar ele como cantor sertanejo, mas ele estava fissurado em ser jogador”, lembra o empresário, contando que orientou Tiago quando ele assinou contrato para jogar num time da Espanha, no ano passado.

Abdias diz que a bissexualidade do modelo nunca foi segredo, assim como o interesse dele por mulheres mais velhas. “Na época, ele fez sexo com a minha empregada doméstica, que tinha 53 anos. Ele sempre foi louco por mulheres mais velhas, nunca gostou de garotinhas”.

Amigo de Tiago até hoje, o empresário lamenta as críticas ao modelo sobre o namoro com Nadine Gonçalves, de 52 anos e mãe do craque Neymar.

“Ele sempre chamou muito a atenção pela beleza. Na época em que eu era o empresário dele, chegavam propostas de homens e mulheres oferecendo até R$ 30 mil e um carro zero para ficar duas horas com ele no motel. Mas ele recusava todas. Tiago nunca foi interesseiro nem aproveitador. Pelo contrário, sempre foi batalhador, educado e sempre sonhou em jogar bola. Pelo que eu conheço dele, acredito que ele está realmente apaixonado pela mãe de Neymar”.

Abdias Melo cuidou da carreira de Tiago por um tempo Foto: Arquivo pessoal o empresário pernambucano Abdias Melo cuidou da carreira de Tiago por um tempo

MP investiga Flávio Bolsonaro por financiar milícias

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Documentos sigilosos e dados levantados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro mostram que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) financiou e lucrou com a construção ilegal de prédios erguidos pela milícia usando dinheiro público. É o que aponta uma matéria do site The Intercept publicada hoje.

Segundo o portal, que teve acesso ao material, a investigação preocupa a família Bolsonaro e, por isso, os advogados do senador já pediram nove vezes que o procedimento seja suspenso.

“O investimento para as edificações levantadas por três construtoras foi feito com dinheiro de ‘rachadinha’, coletado no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, como afirmam promotores e investigadores sob a condição de anonimato”, revela um dos trechos.

Ainda de acordo com o site, o andamento das investigações é um dos motivos para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha pressionado o ex-ministro Sergio Moro pela troca do comando da Polícia Federal no Rio, que também investiga o caso, e em Brasília.

Nas rede sociais, Mumuzinho fez alguns Stories, no Instagram, em que agradeceu todas as mensagens de carinho que tem recebido de amigos, fãs e familiares.

Segundo a assessoria do cantor, ele permanece no hospital, em observação, já que foi detectada uma pneumonia de grau intermediário. (Foto: Reprodução/TV Globo)

O cantor Mumuzinho, de 36 anos, foi diagnosticado com o novo coronavírus. O artista, que estava havia alguns dias com quadro febril e amigdalite, na última sexta-feira (24) teve uma piora em seu quadro clínico e deu entrada no Hospital Vitória, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde testou positivo para a Covid-19.

Segundo a assessoria do cantor, ele permanece no hospital, em observação, já que foi detectada uma pneumonia de grau intermediário.

Nas rede sociais, Mumuzinho fez alguns Stories, no Instagram, em que agradeceu todas as mensagens de carinho que tem recebido de amigos, fãs e familiares. O sambista ainda disse que está sendo bem tratado no hospital e pediu orações: “Orem por mim”, disse ele.

 

Pernambuco confirmou, neste sábado (25), 508 novos casos da doença Covid-19, causada pelo novo coronavírus, e mais 29 mortes. Com isso, o estado passa a ter 4.507 casos confirmados e 381 óbitos devido à pandemia.

No boletim, a Secretaria Estadual de Saúde detalhou as confirmações, dividindo entre os que que se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), portanto internados e/ou mais graves, com 275 novos casos confirmados hoje e 233 casos leves.

No acumulado desde o dia 12 de março, quando houve as primeiras confirmações do novo coronavírus, Pernambuco registrou 3.316 casos graves e 1.191 casos leves.

O número de pacientes que se recuperaram da doença e os municípios onde ocorreram as novas mortes e confirmações devem ser divulgados pelo governo estadual ainda neste sábado.

Moro e Bolsonaro continuam troca de farpas pelas redes sociais neste sábado

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sergio Moro continuaram a trocar farpas neste sábado (25), um dia após o pedido de demissão de Moro, por meio das redes sociais.

O primeiro a se manifestar foi Bolsonaro, com um tuíte que parece ter a intenção de passar a imagem de Moro como um traidor ou que, ao menos, agiu de maneira ingrata. Na mensagem, o presidente postou uma foto em que aparece caminhando ao lado de Moro, com a mão no ombro do então ministro.

A imagem é acompanhada do seguinte texto: “A Vaza-Jato começou em junho de 2019. Foram vazamentos sistemáticos de conversas de Sergio Moro com membros do MPF. Buscavam anular processos e acabar com a reputação do ex-juiz. Em julho, PT e PDT pediram prisão dele. Em setembro, cobravam o STF. Bolsonaro no desfile do dia 7 fez isso”.

A Vaza-Jato foi uma série de matérias publicadas pelo site The Intercept e, mais tarde, vários outros veículos, sobre trocas de mensagens entre Moro e procuradores que colocaram sob suspeita a imparcialidade de Moro ao julgar os processos relacionados à Vaza-Jato, que acabaram, entre outras consequências, levando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à prisão e o impedindo de concorrer nas eleições de 2018.

A resposta de Moro

Depois da postagem de Bolsonaro, Moro respondeu, usando a mesma rede social. “Sobre reclamação na rede social do Sr. Presidente quanto à suposta ingratidão: também apoiei o PR quando ele foi injustamente atacado. Mas preservar a PF de interferência política é uma questão institucional, de Estado de Direito, e não de relacionamento pessoal”, afirmou Moro.

À mensagem, Moro anexou uma matéria jornalística cujo título é “Moro pede que PGR e PF investiguem depoimento de porteiro”. Em seu discurso na sexta-feira, Bolsonaro se queixou de a Polícia Federal sob comando de Moro ter se empenhado mais em descobrir quem mandou matar a vereadora carioca Marielle Franco do que quem mandou matá-lo. Bolsonaro também se queixou de omissão de Moro no episódio em que o depoimento de um porteiro sugeria um encontro de Bolsonaro com um dos presos pelo assassinato da vereadora

 

 

Serra Talhada 06 casos confirmados do coronavírus e 1 curado

A Secretaria de Saúde de Serra Talhada informa, neste sábado (25/04), a confirmação de recuperação do primeiro caso de coronavírus no município, que se trata da profissional da área da saúde, que trabalha em uma clínica particular na cidade. A paciente tem 37 anos, testou positivo para a COVID-19 no dia 09.04 e estava em isolamento domiciliar.
A confirmação da recuperação veio após realização de um novo teste feito pela Secretaria Municipal de Saúde. Portanto, Serra Talhada tem neste momento 08 casos em investigação, 23 casos descartados e 06 casos confirmados de COVID-19.

Araripinense morre vítima da Covid 19 em São Paulo

Foto: arquivo familiar

Morreu neste sábado (25), em São Paulo, vítima da Covid 19, o araripinense Cícero Alves de Souza Bihum, ex-esposo da empresária Sônia Bihum. De acordo com informações de amigos, Cícero estava internado em um hospital da capital Paulista.

Em Araripina, Cícero deixa três filhos, Kaymon, Kalenne e Kawanny. “Que Deus conforte todos os familiares neste momento triste de dor e aflição. Tenho muito carinho por essa família”, escreveu em uma rede social Gustavo Fontes,  assessor parlamentar da deputada Roberta Arraes.

 

 

Em mensagem, Moro nega oferta de Zambelli para vaga no STF: ‘Não estou à venda’

  • Por Jovem Pan
Mais cedo, nesta sexta, ao anunciar que havia decidido deixar o cargo, Moro afirmou que Bolsonaro tentou interferir politicamente na PF

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro mostrou ao Jornal Nacional uma conversa que teve com a deputada Carla Zambelli (PSL), aliada do presidente Jair Bolsonaro, que, segundo ele, prova que não teria negociado a saída de Maurício Valeixo da Polícia Federal por uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com Moro, o pedido partiu da parlamentar.

“Por favor ministro aceite o Ramagem. E vá em setembro para o STF, me comprometo a ajudar, a fazer JB (Jair Bolsonaro) prometer”, escreveu Zambelli, referindo-se a Alexandre Ramagem, diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Moro responde: “Prezada, não estou à venda.”

“Ministro, por favor, milhões de brasileiros vão se desfazer. Eu sei, por Deus, eu sei. Se existe alguém no Brasil que não está à venda, é o senhor”, afirma em seguida a deputada.

Moro finaliza a conversa dizendo: “Vamos aguardar. Já há pessoas conversando lá.”

Em entrevista à Jovem Pan, Zambelli dise que não acredita que haja alguma chance do presidente Bolsonaro sofrer um impeachment, apesar de reconhecer que o governo enfrenta uma grande crise com a demissão.

 

Governador de Alagoas, Renan Filho testa positivo para o coronavírus

O governador de AlagoasRenan Filho (MDB), testou positivo para Covid-19. A informação foi revelada pelo próprio governador, por meio de post nas redes sociais.

Renan Filho disse que refez o exame, depois de o primeiro ter dado negativo. “Estou em casa, me sentindo bem, sem sintomas graves e iniciarei hoje os 14 dias de quarentena para recuperação”, afirmou.

“Essa doença é perigosa. Não há verdade absoluta, estamos todos apreendendo diariamente a combatê-la. Quem está na linha de frente: médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde, precisam de ainda mais cuidados”, acrescentou.

Renan Filho é o terceiro governador a contrair o coronavírus no Brasil. No dia 14 de abril, os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e do Pará, Helder Barbalho (MDB), também testaram positivo para a Covid-19.

Em Alagoas, já houve 501 casos confirmados do novo coronavírus, com 29 mortos.

 

 

Moro nega ter condicionado permanência no cargo à indicação para o STF

Foto: reprodução

Na sua fala no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que o ex-ministro teria dito que poderia trocar o diretor geral da PF em novembro, quando concretizasse a sua nomeação para o STF.

Sérgio Moro se defendeu usando as redes sociais, nesta tarde.

“A permanência do Diretor Geral da PF, Maurício Valeixo, nunca foi utilizada como moeda de troca para minha nomeação para o STF. Aliás, se fosse esse o meu objetivo, teria concordado ontem com a substituição do Diretor Geral da PF.”

Vendas e produção de máscaras crescem no Polo de Confecções de Pernambuco

O Polo de Confecções de Pernambuco precisou se reinventar em um curto prazo de tempo para minimizar os impactos da pandemia do coronavírus. Adaptar a produção das empresas localizadas no Agreste para itens que passaram a ser essenciais no combate à Covid-19 foi uma das alternativas encontradas e que vem dando resultados positivos. A produção de máscaras de tecido está crescendo, de acordo com a adesão das indústrias e a demanda crescente. Já são 80 empresas com selo que garante o padrão de conformidade reconhecido pelo Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções (NTCPE). Cerca de 1,6 milhão de máscaras já foram vendidas e um novo lote com mais 1 milhão de itens será adquirido pelo Governo, através da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper).

Inicialmente, o governo do estado havia comprado 200 mil máscaras e agora o pedido soma mais um milhão. Porém, o programa de ações também abrange outros tipos de fomento. Uma linha de crédito voltada para os empreendedores do segmento foi disponibilizada desde o início do mês pela Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), com empréstimos de até R$ 50 mil, somando R$ 6 milhões em crédito. Com taxas de juros de 0,31% ao mês, o recurso deve ser utilizado para o capital de giro e compra de matéria-prima.

Inclusive, a compra de matéria-prima promete ficar mais fácil, já que o Governo de Pernambuco autorizou o funcionamento de lojas de tecido e aviamento desde a última sexta-feira. “Muitas empresas estavam com dificuldades para comprar insumo e elas foram autorizadas a abrir para dar mais fôlego à região, vai beneficiar todo mundo”, garante a secretária. O objetivo é dar acesso aos insumos necessários para a confecção das máscaras de tecido, que serão cada vez mais necessárias. Um decreto estadual torna obrigatório, a partir desta segunda-feira, o uso do item de proteção para funcionários e colaboradores dos estabelecimentos comerciais que está com o funcionamento permitido. Para o restante da população, há a recomendação do uso de máscaras também.

A Polícia Federal identificou o vereador Carlos Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, como um dos articuladores da esquema criminoso de disseminação de fake news e ataques a autoridades, no inquérito conduzido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o jornalista Leandro Colon, da Folha de S. Paulo, dentro da Polícia Federal, não há dúvidas de que Bolsonaro pressionou o ex-diretor da PF Mauricio Valeixo, homem de confiança do ex-ministro Sérgio Moro, porque tinha ciência de que a corporação havia chegado ao seu filho.

“Carlos é investigado sob a suspeita de ser um dos líderes de grupo que monta notícias falsas e age para intimidar e ameaçar autoridades públicas na internet. A PF também investiga a participação de seu irmão Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de SP”, afirma Colon.

(Folha de São Paulo)

Segundo o site TMZ, a informação foi postada na rede social Weibo pela vice-diretora de um canal de notícias de Hong Kong.

Kim Jong-un não teria resistido às complicações de uma cirurgia cardíaca (Foto: Reprodução)

O site TMZ afirmou que o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, foi dado como morto neste sábado (25), devido a complicações em uma cirurgia cardíaca.

Ele teria sido atendido às pressas por uma equipe de cirurgiões chineses, enviada pelo país vizinho no começo da semana. Segundo o site TMZ, a informação foi postada na rede social Weibo pela vice-diretora de um canal de notícias de Hong Kong.

As notícias ainda não foram confirmadas por fontes oficiais, mas a agência sul-coreana Yonhap divulgou o estranhamento de o ditador não ter comparecido a eventos públicos desde o início de abril.

Ele não participou sequer das homenagens ao seu avô e patriarca do país, Kim Il-sung. Havia uma expectativa se ele compareceria às festividades dos 88 anos do Exército Revolucionário do Povo Coreano, neste sábado (25).

O jornal “Daily NK” relatou que Kim Jong-un estaria internado após uma cirurgia devido a inflamação nos vasos sanguíneos que cercam o coração. Com um longo histórico de tabagismo, obesidade e excesso de trabalho, o líder coreano já havia desaparecido por 40 dias em 2014 e reaparecido, sem dar explicações, usando uma bengala.

Os temores com relação à possível morte do ditador são de como reagiria a elite militar, responsável pelo controle de mais de 1,3 milhão soldados, 6,5 mil blindados e um programa nuclear com pelo menos dez ogivas atômicas e mísseis capazes de atingir territórios dos Estados Unidos.

Morre empresário Ricardo Brennand

Morreu, na madrugada de hoje, aos 93 anos, vítima do coronavírus, o empresário pernambucano Ricardo Brennand, um dos mais importantes do PIB nordestino.

Filho de Dulce Padilha Coimbra e de Antônio Luiz de Almeida Brennand, aos 12 anos de idade ganhou um canivete do tio homônimo e, desde então, passou a colecionar armas e obras de arte. Formou-se em engenharia pela Universidade Federal de Pernambuco (1949).

Durante muitos anos, Ricardo Brennand dedicou-se aos negócios da sua família – fabricação de vidro, aço, cerâmica, cimento, porcelana e açúcar. Em 1999, o empresário vendeu as fábricas de cimento, utilizando parte dos recursos para fundar o Instituto Ricardo Brennand, inaugurado no segundo semestre de 2002.

O acervo do Instituto inclui objetos históricos e artísticos de diversas procedências, abrangendo o período que vai da Baixa Idade Média ao século XXI, destacando-se a documentação histórica e iconográfica relacionada ao período colonial e ao Brasil Holandês, que inclui uma importante coleção de pinturas do artista neerlandês Frans Post (1612 – 1680), um dos artistas integrantes da comitiva do conde Maurício de Nassau – fundador da colônia de Nova Holanda, em Pernambuco.

É casado com Graça Monteiro Brennand, com ela teve 8 filhos. É seu primo ceramista Francisco Brennand, também já falecido.

Dos 499 casos confirmados até este sábado, 25 de abril, 117 já se recuperaram, 45 estão hospitalizados, 8 deles em leitos de UTI e 49, infelizmente, faleceram.

Paraíba já tem 499 casos confirmados de covid-19 e 49 óbitos (Foto: Reprodução)

A Paraíba registrou 52 novos casos de Covid-19 e três óbitos nas últimas 24h. Com isso já são 499 casos confirmados e 49 óbitos no estado. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde neste sábado (25).

Veja detalhes:

Casos Confirmados: 499
Casos Descartados: 1392
Óbitos confirmados: 49  
Casos recuperados: 117

Dos 499 casos confirmados até este sábado, 25 de abril, 117 já se recuperaram, 45 estão hospitalizados, 8 deles em leitos de UTI e 49, infelizmente, faleceram. Os demais se recuperam em isolamento domiciliar acompanhados pelas secretarias municipais de saúde.

Os casos estão distribuídos em 37 municípios: João Pessoa (313); Campina Grande (39); Santa Rita (37); Cabedelo (16); Sapé (13); Bayeux (15); Patos (11); Sousa (06); Cajazeiras (4); Conde (5); Junco do Seridó (3); Guarabira (3); São José do Rio do Peixe (4); Pombal (2); Itapororoca (3); Itabaiana (2); Pedras de Fogo (2); Serra Branca (1); Riachão do Poço (1); São Bento (1); Congo (1); Queimadas (1); Bom Jesus (1); Cruz do Espírito Santo (2); Igaracy (1); Alagoa Grande (1); Barra De São Miguel (1); Alagoa Nova (1); Coremas (1); Taperoá (1); Brejo Do Cruz (1); Caaporã (1); Coxixola (1); Boqueirão (1); Areia (1); Marizópolis (1) e Gurinhém (1)

Três óbitos foram confirmados nas últimas 24h:

Homem, 69 anos, residente em Brejo do Cruz, Hipertenso, com histórico de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, Estava internado em hospital público. Óbito ocorrido no dia 22/02 e confirmado hoje para Covid-19.

Mulher, 77 anos, residente em Santa Rita. Diabética, entrada no dia 20/04 em UPA e óbito ocorrido no dia 21/04.

Mulher, 69 anos, hipertensa,  residente em Marizópolis. Deu entrada em hospital público nesta sexta, porém veio a óbito neste sábado, 25/04, com resultado positivo para Covid -19.

No momento, 132 pessoas estão internadas com notificação de Síndrome Respiratória Aguda Grave, sendo 100 em enfermaria (75 público/ 25 privado) e 32 na UTI (24 público/ 8 privado), ocupando 17,6% dos leitos de UTI do SUS disponíveis no Plano Estadual de Contingenciamento para COVID-19.

Secretários do Ministério da Justiça põem cargos à disposição após demissão de Moro

Titulares das secretarias Nacional do Consumidor, Nacional de Justiça e de Operações Integradas anunciaram a decisão.

Luciano Timm falou sobre a decisão em rede social (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Secretários do Ministério da Justiça colocaram os cargos à disposição após o agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro ter se demitido do governo. São eles:

Vladimir Passos de Freitas: secretário Nacional de Justiça
Rosalvo Franco: secretário de Operações Integradas
Luciano Timm: secretário Nacional do Consumidor

Em uma rede social, Timm manifestou “absoluta e irrestrita” solidariedade a Moro e disse que pretende garantir uma transição “segura” ao seu sucessor na secretaria.

“Conheci gente nova, aprendi coisas diferentes, mas acima de tudo servi ao meu país ao lado de uma equipe técnica, comprometida e honesta. Volto a fazer o que sempre soube, não sem antes garantir uma transição segura a(o) meu (minha) sucessor (a)”, escreveu.

Saída de Moro

Moro anunciou a demissão em um pronunciamento nesta sexta-feira (24). Ele disse que o presidente Jair Bolsonaro estava tentando interferir politicamente na Polícia Federal, órgão sob responsabilidade do ministro da Justiça.

Moro disse também que não concordava com a troca no comando da PF, efetuada por Bolsonaro também na sexta. O presidente queria desde o ano passado substituir o diretor-geral, Maurício Valeixo, ligado a Moro. A exoneração de Valeixo foi o estopim para a saída de Moro.

O agora ex-ministro da Justiça disse que, em conversas com Bolsonaro, afirmava que não era contra uma troca do comando da PF, desde que o presidente apresentasse um motivo relacionado a mau desempenho ou ineficiência. Segundo Moro, Bolsonaro nunca apresentou essas razões.

O PSL argumenta que houve crime de falsidade ideológica na informação publicada no Diário Oficial da União sobre a exoneração de Maurílio Valeixo

A deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP), líder do PSL na Câmara dos Deputados (Foto: Reprodução)

A deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP), líder do PSL na Câmara dos Deputados, protocolou na noite desta sexta-feira (24) um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O PSL argumenta que houve crime de falsidade ideológica na informação publicada no Diário Oficial da União sobre a exoneração “a pedido” do ex-diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, negada pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

O PSL também defende “notória tentativa de intervenção de Bolsonaro na Polícia Federal, valendo-se das prerrogativas de Chefe de Estado, com o fim de obter informações sensíveis e privilegiadas de uma instituição cuja independência deve ser pilar do Estado Democrático de Direito, havendo, inclusive, a tentativa de interferir em investigações correntes”.

Jornal Nacional revelou troca de mensagens entre presidente e ministro, na qual Bolsonaro pede interferência na investigação de deputados aliados.

Em outro diálogo, deputada Carla Zambelli sugere ao ex-ministro aceitar demissão de diretor da PF em troca de vaga no STF. Ele recusa. (Foto: Reprodução)

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro exibiu nesta sexta-feira (24) à TV Globo uma troca de mensagens entre ele e o presidente Jair Bolsonaro, ocorrida nesta quinta (23), na qual Bolsonaro cobrou mudança no comando da Polícia Federal.

Mais cedo, nesta sexta, ao anunciar que havia decidido deixar o cargo, Moro afirmou que Bolsonaro tentou interferir politicamente na PF ao decidir demitir o agora ex-diretor-geral da corporação Maurício Valeixo.

Depois, também em pronunciamento, Bolsonaro afirmou que as declarações de Moro eram infundadas e que ele não havia tentado interferir na Polícia Federal.

Após o pronunciamento de Bolsonaro, a TV Globo cobrou de Moro provas de que as declarações tinham fundamento. O ex-ministro mostrou, então, a imagem de uma troca de mensagens entre ele e o presidente, ocorrida nesta quinta.

O contato é identificado por “presidente novíssimo”, indicando ser o número mais recente de Bolsonaro. A imagem mostra que o presidente enviou a Moro o link de uma reportagem do site “O Antagonista” segundo a qual a PF está “na cola” de dez a 12 deputados bolsonaristas.

O presidente, então, escreveu: “Mais um motivo para a troca”, se referindo à mudança na direção da Polícia Federal.

Sergio Moro respondeu ao presidente explicando que a investigação não tinha sido pedida pelo então diretor da PF, Maurício Valeixo. Moro enviou a mensagem: “Esse inquérito é conduzido pelo ministro Alexandre, no STF”, se referindo ao ministro Alexandre de Moraes.

Moro prossegue: “Diligências por ele determinadas, quebras por ele determinadas, buscas por ele determinadas”. E finaliza: “Conversamos em seguida, às 0900”, referindo-se ao encontro que os dois teriam.

Indicação para o Supremo

O Jornal Nacional também cobrou de Sergio Moro provas de que ele não havia condicionado a troca no comando da Polícia Federal à sua indicação para o Supremo Tribunal Federal, uma acusação feita pelo presidente Bolsonaro no pronunciamento.

O ex-ministro mostrou ao JN a imagem de uma troca de mensagens com a deputada federal Carla Zambelli (PSL), aliada de primeira hora de Bolsonaro. Ela, inclusive, estava nesta sexta ao lado do presidente durante o pronunciamento.

A deputada Carla Zambelli afirmou que não vai comentar a troca de mensagens.

Na troca de mensagens, Carla Zambelli diz: “Por favor, ministro, aceite o Ramage”, numa referência a Alexandre Ramagem, diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Ramagem é um dos candidatos de Jair Bolsonaro para a Direção-Geral da Polícia Federal.

Parte da deputada a proposta para que Sergio Moro aceite a mudança na PF em troca da nomeação dele para o Supremo Tribunal Federal.

“E vá em setembro pro STF”, enviou a deputada. “Eu me comprometo a ajudar”, acrescentou. “A fazer JB prometer”, completou.

Sergio Moro, então, rechaça a proposta: “Prezada, não estou à venda”.

Carla Zambelli, então, continua a argumentar: “Ministro, por favor, milhões de brasileiros vão se desfazer”

Em seguida, ela responde à mensagem de Moro de que não estaria à venda. “Eu sei”, diz. “Por Deus, eu sei”, acrescenta.

“Se existe alguém que não está à verba é o senhor”. A palavra “verba”, neste caso, parece ser “venda”, com erro de digitação.

Moro finaliza a conversa dizendo: “Vamos aguardar, já há pessoas conversando lá”. Segundo o ex-ministro, era uma referência à tentativa de aliados de convencer o presidente a mudar de ideia.

Comentários (0

O Assaí Atacadista está selecionando profissionais nas cinco regiões do País para reforçar seu quadro de colaboradores durante a pandemia do novo coronavírus. São cerca de mil vagas, entre efetivas e temporárias, para os cargos de operador de caixa, operador de loja, operador de Centro de Distribuição e auxiliar de refeitório. Os interessados podem se cadastrar no site da empresa, o www.assai.com.br/trabalhe-conosco, clicando na opção Banco de Talentos. É necessário ter Ensino Médio completo e ser maior de 18 anos para concorrer a uma das vagas. Como medida de prevenção contra a Covid-19, o processo seletivo foi adaptado para ser realizado online. Apenas a última etapa pode ser realizada presencialmente. 

Negócio de atacado de autosserviço do GPA, um dos maiores grupos varejistas do País, o Assaí atende pequenos e médios comerciantes e consumidores em geral que buscam economia em compras de grande volume. Atacadista que mais cresce no Brasil, a rede está presente nas cinco regiões do País, com 167 lojas distribuídas em 20 estados e no Distrito Federal. Conta com uma plataforma própria de serviços financeiros, o Passaí, composta por cartão próprio e uma maquininha de cartão de crédito e débito. Anualmente, o Assaí recebe mais de 250 milhões clientes em suas unidades. Em 2019, foi eleito o atacadista mais admirado do País pelo ranking IBEVAR-FIA.

Clique aqui e cadastre-se

TRINDADE – PRIMEIRO CASO DO COVID-19 É REGISTRADO NO MUNICÍPIO

A prefeitura de Trindade, no Sertão de Pernambuco, confirmou nesta quinta-feira (23) o primeiro caso positivo de Covid-19 no município. De acordo com a prefeitura, o paciente está bem e em isolamento domiciliar. 
A Secretária de Saúde do município informou que o paciente está tendo todo atendimento necessário, cuidados médicos e intenso acompanhamento pela equipe de saúde e suporte do Comitê Municipal de Combate ao Coronavírus.
O comunicado feito pelo prefeito Everton Costa nas redes sociais não informou se o paciente histórico de viagem ou se teve contato com alguma pessoa infectada. O prefeito reforçou a necessidade da manutenção dos métodos de segurança para tentar conter o avanço do vírus.
Até o momento, o estado de Pernambuco tem 3.604 casos confirmados do novo coronavírus. O número de mortes por conta da doença Covid-19 aumentou para 312, nesta quinta-feira.
Fonte – G1 Petrolina

SEGURANÇA – BRASIL TEM MAIS DE 5 MIL POLICIAIS AFASTADOS POR SUSPEITA DE CORONAVÍRUS

Desde o começo da crise do novo coronavírus no Brasil, 4.938 policiais deixaram de trabalhar por suspeita de contaminação pela Covid-19, segundo dados das secretarias estaduais de Segurança Pública, reunidas pelo colégio da categoria.
“Temos dois movimentos contraditórios. Por um lado, a liberação dos presos. Aproximadamente 30 mil foram liberados por decisões judiciais. Por outro, a redução da capacidade operacional das polícias, que atuam na linha de frente contra o coronavírus. É uma combinação perigosa”, diz Cristiano Barbosa Sampaio, secretário da Segurança Pública do Tocantins e presidente do Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública.
Ao todo, 5.033 policiais foram afastados de suas funções na pandemia. Os 95 restantes são agentes que não têm suspeita de contaminação, mas que tiveram exposição a alguém adoentado, entre outros motivos relacionados.
Os secretários enviaram nesta quarta-feira (22) um ofício ao ministro Dias Toffoli, presidente do Conselho Nacional de Justiça, pedindo que seja reconsiderada a recomendação do órgão de revisão das prisões provisórias em todo o país.
“Os índices de criminalidade estão começando a refletir os efeitos dessa recomendação, com aumento de furtos e outras infrações. São os efeitos danosos dessa recomendação, que gostaríamos que fosse repensada”, completa Barbosa. Segundo Rodney Rocha Miranda, secretário de Segurança Pública de Goiás, os secretários foram unânimes no apoio à carta.
“Os presos podem ser liberados, sair, ficarem contaminados, cometerem novas infrações e serem presos de novo, levando o coronavírus para dentro dos presídios. Os presos não estão mais seguros fora dos presídios. Eles não vão seguir todas as recomendações de segurança, manter distanciamento, passar álcool em gel. Nos presídios eles correm menos riscos”, diz Miranda.
Os secretários tiveram reunião com o ministro da Justiça, Sergio Moro, nesta quinta-feira (23). Eles pedem ajuda do governo federal na compra de equipamentos de proteção individual para os policiais. O ministro anunciou o investimento de R$ 70 milhões nesse material.

Ceará possui 100% dos leitos ocupados em todo o estado.

Veja os dados sobre o coronavírus no Brasil nesta sexta-feira (24), segundo levantamento exclusivo do G1 junto às secretarias estaduais de saúde. Foram registradas 3.362 mortes provocadas pela Covid-19 e 50.401 casos confirmados da doença em todo o país.

Taxa de ocupação de leitos de UTI

Acre – 80% em Rio Branco em 21/04
Alagoas – 22% em todo o estado em 22/04
Amazonas – 91% em todo o estado em 21/04
Bahia – 54% em todo o estado em 21/04
Ceará – 100% em todo o estado em 20/04
Espírito Santo – 70% em todo o estado em 23/04
Maranhão – 51,9% em todo o estado em 22/04
Mato Grosso – 4,8% dos leitos de UTI da rede pública em todo o estado em 23/04
Mato Grosso do Sul – 64% em todo o estado em 17/04
Minas Gerais – 53% em todo o estado em 23/04
Pará – 84% em todo o estado em 15/04
Paraíba – 25% em todo o estado em 18/04
Paraná – 30% em todo o estado em 23/04
Piauí – 23,3% em todo o estado em 23/04
Pernambuco – 95% em todo estado em 19/04; além disso, 99% dos leitos de UTI da rede pública dedicados aos pacientes infectados pelo novo coronavírus também estão ocupados
Rio de Janeiro – 74% em todo o estado em 19/04
Rio Grande do Norte – 33% em todo o estado em 22/04
Rio Grande do Sul – 54,57% em todo o estado em 22/04
Santa Catarina – 17,6% dos leitos na rede pública em todo o estado em 22/04
São Paulo – 55,3% em todo o estado em 23/04
Sergipe – 6 leitos ocupados em 23/04

Distrito Federal, Goiás, Rondônia, Roraima e Tocantins não divulgaram a taxa de ocupação.

Depósito da primeira parte do abono será feito até 8 de maio

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa hoje  a pagar hoje (24) o 13º de aposentados e pensionistas. O depósito da primeira parte desse abono anual será realizado no período de 24 de abril a 8 de maio.

Para aqueles que recebem um salário mínimo, o depósito da antecipação será feito entre os dias 24 de abril e 8 de maio, de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados entre 4 e 8 de maio.

Em todo o país, 35,6 milhões de pessoas receberão o benefício de abril. O INSS injetará na economia R$ 71,7 bilhões. E 30,7 milhões de beneficiários receberão a primeira parcela do 13º, o equivalente a R$ 23,7 bilhões.

Por lei, pode receber direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão. Na hipótese de cessação programada do benefício, prevista antes de 31 de dezembro de 2020, será pago o valor proporcional do abono anual ao beneficiário.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais – Benefício de Prestação Continuada (BPC) e Renda Mensal Vitalícia (RMV) – não têm direito ao abono anual.

Agência Brasil

Moro reconhece que PT deu autonomia à PF e critica aparelhamento da polícia por Bolsonaro

O ministro Sergio Moro (Justiça) decidiu entregar o cargo nesta sexta-feira (24) e deixar o governo de Jair Bolsonaro após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, ter sido publicada nesta madrugada no Diário Oficial da União. Ele anunciou a saída do governo a pessoas próximas.

Conforme a Folha revelou, Moro pediu demissão a Bolsonaro na manhã desta quinta (23) quando foi informado pelo presidente da decisão de demitir Valeixo. O ministro avisou o presidente que não ficaria no governo com a saída do diretor-geral, escolhido por Moro para comandar a PF.

Após Moro anunciar um pronunciamento às 11h desta sexta, o Planalto enviou emissários para tentar convencer o ministro a ficar. Em vão. Moro não aceitou, mostrou-se irredutível. Nas palavras de um aliado, “os bombeiros fracassaram”. Moro deve fazer um discurso duro ao deixar o governo.

O contexto da exoneração de Valeixo foi considerado decisivo para o ministro bater o martelo.

A exoneração foi publicada como “a pedido” de Valeixo no Diário Oficial, com as assinaturas eletrônicas de Bolsonaro e Moro. Segundo a Folha apurou, porém, o ministro não assinou a medida formalmente nem foi avisado oficialmente pelo Planalto de sua publicação.

´

O nome de Moro foi incluído no ato de exoneração pelo fato de o diretor da PF ser subordinado a ele. É uma formalidade do Planalto.

Na avaliação de aliados de Moro, Bolsonaro atropelou de vez o ministro ao ter publicado a demissão de Valeixo durante as discussões que ainda ocorriam nos bastidores sobre a troca na PF e sua permanência no cargo de ministro. Diante desse cenário, sua permanência no governo ficou insustentável, e Moro decidiu deixar o governo.

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Sergio Moro, no Planalrto, em dezembro de 2019 – Adriano Machado/Reuters

Membros da Polícia Federal e do Ministério da Justiça, ouvidos pela Folha na condição de anonimato, afirmam que o movimento de Bolsonaro que resultou no pedido de demissão feito por Moro tem como o pano de fundo a tentativa de o presidente controlar as ações e as investigações da corporação no país.

Para pessoas próximas ao ministro, os alvos são variados, mas o foco está em apurações que podem resultar em problemas para a família presidencial e para sua rede de apoio. E na falta de ações contudentes contra adversários políticos. Como as que envolvem a disseminação de fake news por parte da rede de apoio bolsonarista.

Moro topou largar a carreira de juiz federal, que lhe deu fama de herói pela condução da Lava Jato, para virar ministro. Ele disse ter aceitado o convite de Bolsonaro, entre outras coisas, por estar “cansado de tomar bola nas costas”.

Tomou posse com o discurso de que teria total autonomia e com status de superministro. Desde que assumiu, porém, acumulou série de recuos e derrotas.

Moro se firmou como o ministro mais popular do governo Bolsonaro, com aprovação superior à do próprio presidente, segundo o Datafolha.

Pesquisa realizada no início de dezembro de 2019 mostrou que 53% da população avalia como ótima/boa a gestão do ex-juiz no Ministério da Justiça. Outros 23% a consideram regular, e 21% ruim/péssima. Bolsonaro tinha números mais modestos, com 30% de ótimo/bom, 32% de regular e 36% de ruim/péssimo.

O ministro, nos bastidores, vinha se mostrando insatisfeito com a condução do combate à pandemia do coronavírus por parte de Bolsonaro. Moro, por exemplo, atuou a favor de Luiz Henrique Mandetta (ex-titular da Saúde) na crise com o presidente.

Aliados de Moro avaliam que ele foi um dos alvos da recente declaração de Bolsonaro de que usaria a caneta contra “estrelas” do governo.

“[De] algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, tem provocações. A hora D não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles, porque a minha caneta funciona”, afirmou Bolsonaro, no início do mês, a um grupo de religiosos que se aglomerou diante do Palácio da Alvorada.

​Sob o comando de Moro, a Polícia Federal viveu clima de instabilidade no ano passado, quando Bolsonaro anunciou uma troca no comando da superintendência do órgão no Rio e ameaçou trocar o diretor-geral.

No meio da polêmica, o presidente chegou a citar um delegado que assumiria a chefia do Rio, mas foi rebatido pela Polícia Federal, que divulgou outro nome, o de Carlos Henrique de Oliveira, da confiança da atual gestão. Após meses de turbulência, o delegado assumiu o cargo de superintendente, em dezembro.

No fim de janeiro, o presidente colocou de volta o assunto na mesa, quando incentivou um movimento que pedia a recriação do Ministério da Segurança Pública. Isso poderia impactar diretamente a polícia, que poderia ser desligada da pasta da Justiça e ficaria, portanto, sob responsabilidade de outro ministro.

Bolsonaro depois voltou atrás e disse que a chance de uma mudança nesse sentido era zero, ao menos neste momento.

Com a demissão, Moro vê mais distante a possibilidade de ser indicado pelo presidente para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal). Sobre isso, Moro já respondeu que essa é uma “perspectiva interessante” e que seria como ganhar na loteria.

Pelo critério de aposentadoria compulsória aos 75 anos dos ministros do Supremo, as próximas vagas serão as de Celso de Mello, em novembro, e Marco Aurélio Mello, em julho de 2021. A indicação de ministros do Supremo é uma atribuição do presidente que depois precisa ser aprovada pelo Senado.

LEIA TAMBÉM

Leia também 

PF identifica Carlos Bolsonaro como mentor das fake news contra o STF, diz Correio Braziliense

No dia 14 de março de 2019 foi aberto um inquérito para investigar notícias falsas disseminadas contra a Corte

JC
Foto: Agência Brasil
O vereador Carlos Bolsonaro é considerado o 02 do presidente da República – FOTO: Foto: Agência Brasil

A Polícia Federal, comandada por Maurício Valeixo e que deverá ser demitido pelo presidente da República, investiga o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), o filho 02 de Jair Bolsonaro, como mentor das fake news contra o Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são do Correio Braziliense. Um processo foi aberto pela Corte, no dia 14 de março de 2019, para investigar a disseminação das notícias falsas e a PF chegou ao chamado Gabinete do Ódio, comandado pelo vereador.

Além da investigação sobre as fake news, a mesma equipe deverá apurar os responsáveis pelas manifestações a favor da ditadura, apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Demissão de Maurício Valeixo

Nesta quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comunicou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que deverá demitir o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Após o comunicado, segundo a Folha de S.Paulo, Moro teria pedido demissão, mas segundo os jornais Estadão e O Globo, o ministro teria apenas ameaçado deixar o cargo.

Valeixo foi escolhido por Moro e é de confiança do ministro. Desde o ano passado a troca de comando da PF vem sendo ameaçada pelo presidente, quando anunciou uma troca no comando da superintendência do órgão do Rio de Janeiro. Bolsonaro quer ter maior controle sobre a atuação da polícia.

Caso os equipamentos não sejam localizados na sede da empresa, na cidade de Cotia (SP), a Intermed terá 48 horas para entregá-los, mas não será dispensada da multa.

Esse primeiro lote de 35 equipamentos deveria ter sido entregue até o último sábado (18/4), porém a empresa alegava estar impedida justificando que o material estaria retido para disponibilização ao governo federal. (Foto: reprodução)

A pedido da Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE), o juiz Teodomiro Noronha Cardozo, da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital, determinou quinta-feira (23) o cumprimento urgente da busca e apreensão, sob pena de multa diária de R$ 100 mil de 35 dos 100 ventiladores pulmonares comprados pelo Governo do Estado de Pernambuco. O quantitativo de 100 unidades, tem um valor unitário de de R$49.500, o que acarretou um valor global de R$ 4.950.0000 aos cofres do estado. 

Caso os equipamentos não sejam localizados na sede da empresa, Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda, na cidade de Cotia (SP), a Intermed terá 48 horas para entregá-los, mas não será dispensada da multa.

Esse primeiro lote de 35 equipamentos deveria ter sido entregue até o último sábado (18/4), porém a empresa alegava estar impedida justificando que o material estaria retido para disponibilização ao governo federal. Questionado, o Ministério da Saúde respondeu em ofício ao governador Paulo Câmara que os aparelhos não se incluíam entre os retidos por terem sido adquiridos antes da data da requisição administrativa feita pela União. Ainda assim, a empresa não entregou os equipamentos.

“O Ministério da Saúde enviou o mesmo ofício à empresa, cientificando que a aludida requisição administrativa, realizada em 24 de março, não atinge os equipamentos já alienados previamente em favor do Estado de Pernambuco. Mesmo ciente da informação, a Intermed não providenciou a entrega no prazo. Diante da gravíssima crise sanitária que enfrentamos e da necessidade urgente desses equipamentos para a montagem dos leitos de UTI, recorremos à Justiça Estadual que determinou a entrega imediata do primeiro lote de 35 ventiladores”, explica o procurador-geral do Estado de Pernambuco, Ernani Medicis.

Afogados: prefeito anuncia decreto para obrigatoriedade de máscaras em ambientes públicos

O Prefeito José Patriota acaba de informar no programa Manhã Total, da Rádio Pajeú, que a próxima semana será de transição para o uso obrigatório de máscaras em Afogados da Ingazeira.

Já na semana que vem idosos, portadores de doenças crônicas e servidores só poderão ser atendidos se estiverem usando máscaras.

“Gerentes de bancos e donos de mercados serão obrigados a fiscalizar. Há um série de penalidades para quem não fiscalizar e permitir entrada sem máscaras”, disse o prefeito. A mesma obrigatoriedade será fiscalizada na feira livre.

A Prefeitura conseguiu a confecção de mais de 5 mil máscaras caseiras locais e 20 mil no Pólo de Confecções no Agreste. “A distribuição será feita por agentes de saúde e equipes de saúde da família”, disse.

Um outro decreto tem relação com o acesso a estabelecimentos comerciais. Os dez maiores mercados já foram medidos e o cálculo prevê dois metros livres de circulação por pessoa.  Haverá nivelamento do horário de fechamento às 19h. Também devem fornecer EPIs aos trabalhadores

Cidades Acessando Blog

Panificadora Samuel
Escola Monteiro Lobato
 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!

Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

Siteemonteirolobato.com.br

Dr. Jamildo Carvalho
Desfile Cívico Escola M.L

AABB

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!