O jornalista Reinaldo Azevedo avalia, em seu blog, que o ex-juiz Sergio Moro patrocinou uma fraude eleitoral no Brasil, ao divulgar, na boca da urna uma delação que ele próprio considerava inconsistente.  “Os diálogos revelam que os procuradores cogitaram pedir a anulação do acordo de Palocci com a PF e continuaram manifestando dúvidas sobre o valor de sua colaboração após a divulgação de seus termos por Moro, embora tenham evitado críticas em público depois do movimento do juiz. Moro divulgou a delação de Palocci no dia 1º de outubro”, lembra ele.

“Não é grave que um juiz decida divulgar, na boca da urna, um material de claro impacto eleitoral que ele próprio considera inconsistente, fraco, porque, segundo diz um procurador, o vê nele um racha no petismo?”, questiona. “O que vai acima só permite uma leitura: Moro fez uso político do depoimento de Palocci mesmo sem reconhecer a existência de provas.” (247)